Tiros contra a caravana de Lula e a escalada fascista: o que falta acontecer?

Tiros contra a caravana de Lula e a escalada fascista: o que falta acontecer?

Na última segunda-feira, dia 26, perguntei aqui no Balaio sobre os ataques aos palanques e ônibus por onde a caravana passou nos últimos dias:

“Se a Justiça demora a prender e impedir Lula de ser candidato, querem agora eliminá-lo fisicamente para manter o poder por mais 500 anos?”

No dia seguinte, dois ônibus da caravana do ex-presidente pelo Sul foram atingidos por quatro tiros.

O atentado terrorista foi tratado pelas autoridades constituídas e por setores da mídia como uma ocorrência policial rotineira que vai ser investigada.

O que ainda falta acontecer nesta escalada fascista para que o país e seus governantes se deem conta da gravidade do que está acontecendo nesta campanha eleitoral, algo nunca visto desde a redemocratização?

“Foi um atentado. A escalada fascista escalou mais um degrau. Grupos ultradireitistas não enxergam limites (…) Vi isso num crescendo nos últimos dias. Adeptos de Bolsonaro, ruralistas, pessoas violentas que berram e xingam”, resumiu a jornalista Eleonora de Lucena em depoimento à Folha nesta quarta-feira.

Para hoje, estão previstas durante o dia manifestações dos bate paus do grupo radical MBL (ironicamente, sigla do Movimento Brasil Livre) e dos seguidores de Jair Bolsonaro, o candidato da extrema-direita, na mesma Curitiba, quartel-general da Lava Jato, aonde Lula vai encerrar a sua caravana à noite.

Depois de afirmar, logo após o atentado, que “o PT colhe o que plantou”, na mesma linha das declarações de Bolsonaro, o candidato tucano Geraldo Alckmin voltou atrás e escreveu logo cedo no twitter:

“Toda forma de violência tem que ser condenada (…) O país está cansado de divisão e da convocação ao conflito”.

Pode ser tarde demais. Pressionado por estar bem atrás do incendiário Bolsonaro nas pesquisas eleitorais, até o pacato governador Alckmin saiu dos seus confortos para aderir à retórica radical do olho por olho, dente por dente.

E a campanha ainda nem começou para valer, dando uma ideia do que nos espera daqui para a frente, a seis meses das eleições.

“Com fascismo não se brinca”, reagiu o pré-candidato do PSOL, Guilherme Boulos, ao propor uma união dos partidos de esquerda em defesa da democracia.

No Congresso Nacional, em plena Semana Santa, a batalha verbal também subiu de tom como se pode constatar neste confronto entre dois senadores.

“O clima que mergulhou o país no obscurantismo foi fomentado por essa mesma direita que derrubou Dilma. O estímulo ao ódio e à agressão fez alguns mostrarem sua face mais perversa (Humberto Costa, do PT de Pernambuco).

“Não é com agressão que criaremos um ambiente civilizatório para a nossa democracia. Não posso ouvir calado que tudo que está acontecendo é culpa daqueles que votaram a favor do impeachment” (Cássio Cunha Lima, do PSDB da Paraíba).

Passado o feriadão, novo enfrentamento já está previsto para a quarta-feira, 4 de abril, quando o Supremo Tribunal Federal deve finalmente decidir sobre o pedido de habeas corpus de Lula.

Associações de classe já estão convocando ruralistas de todo o país para protestar neste dia em frente ao STF, onde deverão se concentrar também os defensores do ex-presidente.

Na passagem da caravana de Lula pelos estados do Sul, já tivemos uma amostra do que são capazes estes grandes fazendeiros chamados bucolicamente de ruralistas, que formam a mais poderosa coalizão da Câmara.

Também chamados de “bancada do boi”, que costuma se aliar às bancadas “da bala” e “da bíblia”, formando a santa aliança conservadora “BBB”, estes patriotas querem aproveitar para arrancar do governo a anistia total às suas dívidas vencidas do Funrural.

Eles no momento se dividem entre Bolsonaro Alckmin, Meirelles, Temer, Maia e agora também o empresário Flávio Rocha, o dono da Riachuelo, que lançou ontem sua candidatura pelo PRB da Igreja Universal, e têm um inimigo comum: Lula.

Qualquer que seja a decisão do STF sobre a prisão após condenação em segunda instância, teme-se pelas reações populares de um dos dois lados em que o país está dividido desde as eleições de 2014.

Pelo andar da carruagem, a campanha eleitoral de 2018 pode não ser decidida só nos tribunais, mas em batalhas campais, com direito a tiros, sem a intermediação de lideranças capazes de moderar o conflito.

Por onde anda a chamada sociedade civil que, em 1984, tendo à frente OAB, CNBB e ABI, devolveu o país à democracia?

Talvez seja o caso de deixar de sobreaviso as tropas da ONU para evitar o pior.

O que falta ainda?, é o que todos se perguntam nestes dias tenebrosos de ódio e intolerância.

Vida que segue.

 

55 comentários em “Tiros contra a caravana de Lula e a escalada fascista: o que falta acontecer?

  1. Pois é, caro Kotscho, infelizmente a diplomacia da Via Campesina, as foices em riste do MST, e a eterna disponibilidade dos “exércitos do Stedile” fizeram bons alunos…

    Mas não há problema: caso aumente a escalada fascista, o PT, liderado pela Gleise Hoffman, sempre pode convocar a ajuda dos seus amigos no governo Maduro, hahaha…

    Ou ainda, seguir a orientação do Lula e chamar a PM para “entrar nas casas, pegar os canalhas e dar um corretivo neles” (o plural é meu)…Taí uma maneira criativa de governar e liderar o povo…

    1. Em face da omissão dos policiais, o pronunciamento de Lula foi claro: “Se não nos respeitarem, se insistirem em nos agredir, não vamos dar a outra face”. Mas o Mauricio Sacramento, por ingenuidade (eufemismo para incapacidade de entender Português coloquial) ou lamentavel desonestidade, interpreta como melhor lhe convem, ou seja, ameaça de agressão. Ora, Sr Mauricio Teixeira, debatamos de forma franca e licita sobre o que disserem Lula, Aécio, Bolsonaro ou Tiririca, sem deturpar o que foi dito, apurando excessos e omissões. À policia militar compete impedir a ação de baderneiros que queiram impedir a Caravana de Lula, os comícios do Bolsonaro, a Parada Gay etc… Deve agir como agiu nas Jornadas de Julho, quando garantiu a segurança das manifestações pelo Impeachment de Dilma, ainda que o resultado já fosse previsto, ou seja, a tomada do poder pela quadrilha PMDBista/tucana. Passe bem, sr Teixeira. Boa tarde, Balaieiros.

        1. Sr Maurício Teixeira, V Sa usa dos mesmos artificios do seu homônimo, de forma que não só pode como deve sentir-se contemplado pelo meu texto. O que não me impede de pedir desculpas pelo equivoco. Tenha uma boa noite, sr Teixeira.

      1. Não queira comparar a Parada Gay com os comícios de Lula . Uma coisa é dar proteção a cidadãos gays , trabalhadores e honestos. Outra coisa é dar proteção a criminosos ( duplamente ) condenados. Daqui a pouco você estará defendendo proteção para comícios de Cabral, Cunha, Geddel, Luís Estevão e outros !

  2. O metalúrgico representante das classes pobres estava num helicóptero no momento do suposto ataque? Engraçado que ninguém se interessa em saber quanto custa uma caravana destas e quem paga por elas, não é mesmo?
    Outra coisa, os furos das balas estão bem redondos. Não precisa ser um perito e um expert em física para identificar que o ônibus estava parada quando recebeu os tiros – ao contrário do que dizem os petistas da caravana, quem dizem terem sido alvejados quando os ônibus estavam na estrada.
    Outra coisa, não vi nenhum petista da caravana ter lamentado a agressão sofrida pelo jornalista da Globo, agredido pelo segurança da “alma mais honesta deste país”.

  3. Antes de falar em fascista, antes de falar quem procura acha, o estado deveria através do secretário de segurança pública, ter apreendido o ônibus para fazer os exames de balística. Como sabemos, um tiro, numa carroceria de ônibus, atravessa a lataria, seria interessante traçar essa trajetória, através da perícia, das balas dentro do veículo atingido.

    Por precaução necessitamos saber se exite essa direita tresloucada ou se existe um pt insano
    plantando fatos irreais para se posarem de vítima.

  4. Paralelos irrecusáveis nas falas estruturalmente semelhantes desta disparada da barbárie: “Marielle pediu para morrer nas mãos dos bandidos que apoiava”, “O PT colhe o que plantou”.
    Nove tiros letais no carro da vereadora negra, casada com outra mulher, defensora dos Direitos Humanos, militante na linha de frente contra a violência policial nas comunidades . Tiros também contra a livre expressão política, que por muito pouco não foram fatais contra a caravana de Lula, no Paraná. Chicote e socos contra mulheres nos redutos ultra-atrasados do bolsonarismo bombachudo do extremo sul.
    Eles estão passando das palavras aos atos! Enquanto isso, dá manchete no mundo inteiro a marcha de centenas de milhares contra o uso e acesso indiscriminado a armas nos EUA. E depois ainda nos acusam de violentas e atrasadas!
    Assustador ouvir isto, “colhe o que plantou”, do vencedor provável do pleito presidencial. Se Alckmin não tiver mais preparo do que isto, o quadro será desesperador.
    * com razão Kotscho ao reclamar da extensão das minhas intervenções, serei cada vez mais concisa

    1. E jovens que faziam trabalhos relacionados a arte, dança e música, alguns ligados a direitos humanos, foram mortos em Maricá RJ. Segundo consta por milicianos.Estarrecedor!

  5. Enquanto “lunáticos” e “luláticos” dividem o País, entre um “ídolo” e um “mito”, prefiro a sinceridade e celeridade do Governador Alkimin, nas suas duas manifestações a respeito:
    Na primeira…“o PT colhe o que plantou”. Fato!
    Desde quando na oposição, Lula e seguidores pregou a divisão do “nós” contra “eles”! Agora surgiu um tipo de “eles” com o mesmo pensamento, e tão nocivo quanto.

    Tendo percebido, que sua primeira declaração (100% verdadeira), estava sendo usada pelos petistas, como um incentivo ao radicalismo, não partiu para cima, para bancar o novo valentão, ao contrário, mostrou-se célere como sempre agiu (e por isso é chamado de chuchu)…
    Declarando que “Toda forma de violência tem que ser condenada (…) O país está cansado de divisão e da convocação ao conflito”.

    Perfeito, Governador! Não se deixou levar pelo afã dos valentões. Isso não é recuo, e sim responsabilidade no que faz e fala.

    1. Mas que desperdício! Um perito no blog e ninguém o chama para resolver o problema? Mentiroso já é. O que é que falta para conseguir uma vaga na justiça ou procuradoria?

  6. E preciso ter muito cuidado com essas hordas Nazifascistas basta lembrar o que esses vermes fizeram com o povo Judeu segunda Guerra mundial alias tem muitas histórias que levas de Hodas Nazifascistas vieram a hodo pra Argentina e sul do Brasil pelo visto as histórias são verdadeiras agora o ex presidente Lula precisa tomar muito cuidado com sua segurança pessoal porque não tenho nenhuma dúvida que esses vermes nazifascistas irão assassiná-lo como fizeram com a vereadora Carioca

  7. Acho grave se for realmente atentado, a polícia investiga e vamos esperar o resultado. Acho mais grave os atentados que sofre a justiça. Lewandowski deu um tiro na constituição livrando Dilma da inelegibilidade, e mais dois tiros, tudo indica virão por aí, e de canhão, um acabando com as prisões após condenação em segunda instância, e outro matando a lei da ficha limpa. Esses tiros matam muito mais gente ao liberar criminosos da cadeia e ainda permitir que governem.

  8. Toda ação tem reação. Os condenados capitaneados pela defesa de Lula cada vez mais relativizam e flexibilizam as leis. A base da democracia são as leis. Como Lula vive dizendo que não as respeita cad vez mais querendo fazer justiça com as próprias mãos. O PT queria tanto a desobediência civil, seja isso o que for, que começa a colher. Não existe desobediência e desordem partidárias. Quando isso ocorre atingi a todos.

    1. Sr Edson, dê-nos um exemplo de relativização e outra de flexibilização da lei por parte da defesa de Lula. Em troca prometo explicar-lhe o que é desobediência civil.

  9. As declarações do pseudo presidente temer, do governador alckmin, do ministro jungman são, para dizer o mais suave, disparatadas.
    josé maria

      1. Clovis, por que você não manda tuas próprias opiniões em vez de só comentar o que os outros escrevem?
        Além disso, você contraria as normas do blog ao escrever só em caixa alta (maiúsculas).
        Por este motivo teus demais cometários não foram publicados.

    1. Ameaças de quem? O tema de 2ª instância já estava posto há tempos, sem se dirigir a nenhum réu em específico. Quem procrastinou propositalmente foi a Sra. Carmem Lúcia para jogar a opinião contra, particularizando o tema.
      Cadê a moralidade que eles pregam?! Pressa só pra o que convém né. Depois reclamam de pressão, sei…?
      E alguma novidade sobre o julgamento do auxílio-moradia, concedido inadequadamente aos juízes e procuradores, que não mudam de domicílios, percebendo acima do teto constitucional? Será marcado para o dia de São Nunca?

    2. O ministro Fachin sim, tem todo o jeito de fake. Que ameaças? Através do que? Não mostrou nada. Não explicitou nada. Lembrei-me da escuta denunciada por Gilmar tempos atras. O judiciário perdeu totalmente a vergonha.

  10. Caro Kotscho, é a batalha do bem e o mal. A maioria pensante sabe que Lula foi e sempre será o melhor presidente do Brasil, mas infelizmente os demônios apelidados de coxinhas/ruralistas agora se divertem com a tragédia que se abateu em terras tupiniquins, ao invés de chorar lamentando o fim do estado de direito. A que ponto chega a imbecilidade brasileira! O consolo é saber que o bem sempre vence o mal. Força, Lula, estamos com você.

  11. O Luiz será morto. É preciso que assim seja. E a ordem veio lá de cima. Não do céu, mas da turminha da zona Norte. A razão? PETRÓLEO. Como fizeram com Kadafi e Sadam.

  12. Mestre, embrenhado na floresta Brasil, pronto para disparar comentário sobre os tiros contra a ‘caravana de Lula’, quando réstia de luz refletiu a importância de se ver a floresta de cima:
    Os atentados a caravana por fascistas, não é ato isolado, nem os fascistas são protagonistas principais, são apenas executores de sub-roteiro recebido, no qual e pelo qual, acreditam agirem.
    Como a execução da escolhida Marielle, semanas atrás, onde os terroristas não são protagonistas principais, são apenas executores de sub-roteiro recebido, no qual e pelo qual, acreditaram agir.
    Como a intervenção na segurança do Rio, onde as tropas que a executam não são protagonistas principais, são executores de sub-roteiro, no qual e pelo qual, acreditam agirem.
    Protagonistas principais são os que fazem acontecer os fatos dos sub-roteiros, conforme o roteiro principal para inviabilizar a realização de eleições em 2018, por FALTA DE SEGURANÇA.
    Observe o discurso que começa a emanar do covil golpista, repercutido pela mídia cúmplice. Urge movimento para GARANTIR ELEIÇÕES em 2018.

  13. Declaração de presidenciável é declaração com poder de influenciar:

    Bolsonaro, em Curitiba, faz declaração que merece uma RESPONSABILIZAÇÃO PENAL SOBRE QUALQUER TIRO QUE PUDER OCORRER DAQUI ADIANTE:

    O candidato também falou sobre a atuação das polícias em seu eventual governo: “Quero que a Polícia Militar e a Polícia Civil, se estiverem em defesa do povo, atirem para matar.”… – Veja mais em https://eleicoes.uol.com.br/2018/noticias/2018/03/28/filho-de-bolsonaro-convoca-ato-para-praca-a-menos-de-1-km-de-evento-de-lula.htm?cmpid=copiaecola

  14. É normal o PT agredir, e depois, quando o caldo entorna, dá uma de vitima. Faz parte do jogo democrática; mas, a partir do momento que as agressões passem a ser físicas, o país corre o sério risco duma intervenção militar à exemplo do que ocorre no RJ. Só que será sem data definida pra terminar. Caldo quente – farinha nele! É muita inconstância do Lula, saber que não vai ser candidato – é ficha suja – e continuar insistindo. No Sul não entra candidato condenado! No quadro atual que tá nem Aécio, nem Dilma, nem Lula, nem Serra, talvez nem até o Bolsonaro estarão nesta disputa 2018! Tem muita água pra passar debaixo desta ponte. Haja coração!

    1. Como é? No sul não entra candidato condenado? Quem é você? Ou melhor. Quem voce pensa que é? Já criaram uma república independente no Sul? Se enxerga, mané!

      1. Deixemos as fofocas para a mídia. Da justiça, cuida o Judiciário. Tem muita água para passar debaixo da ponte; se informe mais, pois, não falo baboseira, como pensa, nem fike news, como tu. Vai ser muito interessante(jornal PLOX) ver um candidato á presidência do Vale do Aço (5% do PIB mineiro) disputando o cargo máximo da nação. Voltemos á pergunta do Kotscho: – o que falta mais para acontecer?

  15. culpa do aecio e a elite que nao aceitaram a derrota,e esses doentes da direita,o alckimim acha que vai tirar voto do bolssonaro,e um santo,,,,,

  16. Há algum tempo em um evento comício, que é proibido no momento, disse Lula que era uma célula de cada um de seus seguidores, que seu partido, quanto mais apanha mais cresce, como massa de pão, o que, a bem da verdade, não é mais realidade. Conversa de líder religioso, líder de seita, não o que se espera de um político. Entusiasmados, seus devotos aplaudiam. Hoje, aeroporto de Curitiba, Bolsonaro carregado usando uma faixa presidencial, seguido por um monte de fanáticos de camisas pretas que gritavam mito. Dos dois lados, esquerda e direita, restaram os fanáticos, ai é que mora o perigo.

  17. Caro Kotscho, esperei pra ler primeiro os comentários dos anti-petistas daqui antes de escrever o meu. Não me surpreende a sua indigência cognitiva. Como em um enxame de “muriçocas ninjas” eles vieram aqui pra tentar provar (como sempre ) que tudo “é culpa do PT” !!!
    Segundo eles, Lula só não foi atingido pelas balas porque no momento do atentado ele estava tocaiado na beira da estrada disparando tiros contra a sua própria caravana. Deve ter sido para a filmagem já da segunda temporada da série “O Mecanismo” do José Padilha. E para eles sabe quem é o “santo” da história toda ??? Geraldo Alckmin !!!
    Nelson Rodrigues errou nos sujeitos quando previu que os idiotas dominarão o mundo pela quantidade, serão as bestas !!!

  18. É, caro Kotscho, mais uma vez fazem da vítima algoz…

    Imaginei encontrar neste espaço manifestações favoráveis à sua coluna, mas o que temos aqui é só “teve o que mereceu” e variações. Mas não adianta dialogar com esse pessoal, afinal para eles a solução até ontem era o impeachment; ele já aconteceu e não se dão por satisfeitos. A alcateia quer mesmo é sangue.

    Enquanto isso o nosso país, que tinha tudo para dar certo, está indo cada vez mais para o buraco. Pessoas próximas a mim, até então afáveis, abraçando seus instintos mais primitivos – às vezes a gente se sente num pesadelo em que somos os poucos humanos cercados por entes queridos bestializados.

  19. Caro Mestre, acho que o ‘mecanismo’ do golpe (desculpem-me o trocadilho) está se desenrolando perfeitamente. Não há nada de anormal que acredito foi previsto. Impeachment fraudulento, julgamento de exceção, aparecimento do exercito na história, um primeiro cadáver, agora os tresloucados fascistas atacando sem mascaras e por ultimo candidatos dando seu aval e um ministro da ORCRIM de Temer dizendo que se as coisas prosseguirem como estão muito provavelmente não teremos eleições em 2018. Todas as peças desde xadrez jogadas friamente e com uma maestria de fazer inveja em filmes de suspense!

  20. Kotscho, pra relaxar, permita uma piadinha: Na próxima série do Padilha pra Netflix, Aécio doa um rim e parte do figado pra salvar um primo.

  21. O que falta ainda?

    Resposta: falta todos aqueles que entendem a Lava Jato como um “golpe” (seja qual for a forma que achar melhor), *se mudarem para o Peru imediatamente*. Lá, ninguém discute se Presidente (ou ex-presidente) pode ou não ser preso.

  22. O pior chicote (rebenque segundo ela) e a língua. Ana Amélia Lemos-sen-PP/RS foi a primeira a incentivar os fascistas de quem ela depende para ser reeleita. O Preço será alto, pode esquecer a reeleição, e voltar para insignificância que sempre foi.

  23. Ricardo Kotscho, li, há tempos, “Do golpe ao Planalto”, uma proveitosa e rara aula de jornalismo, humildade e ética, oferecida por um dos melhores profissionais de imprensa deste país, um jornalista merecidamente premiado. No caso, você.

    Mesmo levando em consideração as centenas de brilhantes matérias de sua autoria, a obra citada foi a cereja do bolo para um de seus maiores admiradores. No caso, eu.

    Tenho, no entanto, um pedido a lhe fazer: empregue seu imenso talento e empenhe-se em convencer os eleitores que Lula continua a ser aquele cara da página 17 de seu livro, que afirmava, categoricamente, ter ganho o dia honestamente.

    Confio em sua capacidade.

    1. Caro Edgard Marcondes, te agradeço pelas generosas palavras sobre meu trabalho.
      Quanto ao teu pedido, eu não pretendo convencer os eleitores de nada. Como repórter, me limito a contar o que está acontecendo.Cada um deve chegar às suas próprias conclusões.

  24. A desgraça que o PT deixou o país o pobre não tem nem condição financeira pra comprar o feijão quanto mais para comprar uma arma e bala. Isso e armação do PT.

      1. como diz o tigrao num post anterior, acho que foi o Lula escondido atrás de um barranco e com um chapéu de cangaceiro..hahahaha…falo sério isso…com o PT, TUDO é possível. O partido mais imoral da história do Brasil.

  25. Prezado Kotscho: Parece que esses três parágrafos da coluna de Janio de Freitas, intitulada “Insegurança pública”, publicada na Folha em hoje, 29/03/2018, traduzem bem o atentado a “tiros contra a caravana de Lula e a escalada fascista” que você escreve no seu artigo de hoje: “”É inadmissível” foi a expressão mais dirigida ao novo estágio da crise pelas chamadas autoridades, incluídos Michel Temer e o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann. Mas não é verdade.” “A hostilidade à caravana de Lula só atravessou a última fronteira da manifestação política estúpida, para reinstalar o atentado a bala na política nacional, porque as tais autoridades o consentiram. Mais do que isso: o incentivaram, o incentivam há anos. Tanto com a indução ao acirramento bancado por empresários da direita radical, quanto, como complemento, com a omissão ante a violência a pretexto de política – nas ruas e nas instituições dirigentes.” […] “Na responsabilidade imediata pelo uso de armas contra a caravana de Lula, estão os governadores Beto Richa, do PSDB do Paraná, e os emedebistas Ivo Sartori e Eduardo Pinho Moreira, do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Por vontade, incompetência ou preguiça, não cumpriram a sua obrigação constitucional e cívica de garantir a integridade de atos políticos pacíficos e legais.”

  26. “Os cães ladram e a caravana passa”… no caso não são cães e nem só ladram como atiram ovos, pedras e balas. Mas a caravana passa e cada vez mais fortalecida, ontem também com Manuela D’Ávila e Guilherme Boulos.
    Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *