Ziriguidum! Depois de 40 dias de férias, Congresso só volta ao batente dia 20

Ziriguidum! Depois de 40 dias de férias, Congresso só volta ao batente dia 20

Depois de mais de 40 dias de férias, deputados e senadores deveriam voltar ao trabalho nesta segunda-feira, mas alguém acredita nisso, justamente na semana do Carnaval?

Ou que eles apareçam em Brasília na próxima semana, bem na Quarta-feira de Cinzas, depois do ziriguidum de lei?

O ano legislativo só começará para as nossas excelências a 20 de fevereiro, uma terça-feira, justamente o dia marcado pelo governo para a votação da reforma da Previdência.

E é possível que nem aconteça nesse dia, nem nos seguintes.

As últimas informações chegadas de Brasília dão conta de que a reforma já foi para o espaço.

Até agora, o governo conseguiu contabilizar no máximo 237 votos dos 308 necessários para a aprovação, segundo planilha obtida pelo Estadão/Broadcast.

Não será certamente durante o Carnaval que o governo conseguirá os votos que faltam, por mais que se arrombem os já exauridos cofres públicos.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, já jogou a toalha, informa a manchete da Folha.

Maia correu para soltar uma nota oficial desmentindo a informação, mas quem ainda acredita no que os políticos falam?

Agora entramos na fase em que cada um faz seus próprios cálculos eleitorais, o que é melhor para cada um deles.

Para Maia, que disputa a candidatura governista com o ministro Henrique Meirelles, o melhor é enterrar de vez a reforma, colocar a culpa no governo e apresentar uma outra “agenda positiva” com temas ligados às áreas de saúde e segurança.

Meirelles já percebeu que a candidatura dele foi um sonho de noite de verão, empatado com os nanicos sem conseguir passar de 1% ou 2% nas pesquisas.

Além disso, surgiu na seara dele um outro competidor: o próprio presidente Michel Temer, que já está sonhando com a reeleição, acreditem!, do alto dos seus 6% de aprovação popular.

O aliado envergonhado Geraldo Alckmin certamente não fará a menor força para aprovar a reforma da Previdência e jogar água no moinho dos governistas.

Ou seja, ninguém está preocupado com os destinos do país, mas com o que é melhor para suas pretensões presidenciais.

Passado o Carnaval, entramos direto na campanha eleitoral, e as reformas ficarão para o próximo governo.

Pelo mesmo motivo, deputados e senadores temem votar a Previdência e perder votos em seus currais eleitorais.

Para aumentar as dificuldades do governo, a poderosa Frente Parlamentar Agropecuária, que manda no Congresso, reúne-se nesta terça-feira na tentativa de derrubar os vetos do presidente à lei que anistia as dividas dos ruralistas com desconto de até 100% nas multas.

É assim que tudo se move em Brasília neste governo chamado de semi-parlamentarista: é o dando que se recebe escrachado, sangrando o Tesouro Nacional, e aumentando o rombo nas contas públicas.

Já pensaram como seria com Luciano Huck, que volta amanhã ao Brasil, pressionado para ser candidato, lidando com este Congresso das bancadas do boi, da bala e da bíblia?

Se Michel Temer, que já foi três vezes presidente da Câmara, considerado um grande profissional da política parlamentar, não consegue aprovar a reforma da Previdência, certamente não será um amador que fará este milagre para agradar ao mercado.

Pensar seriamente numa opção desse tipo, já no desespero para encontrar um candidato de “centro” competitivo é, acima de tudo, uma irresponsabilidade com o país.

Mas agora todo mundo só quer saber de Carnaval. Os problemas do país que esperem as excelências voltarem dos folguedos momescos. Ziriguidum, ziriguidum, aqui é Brasil!

Vida que segue.

 

4 thoughts on “Ziriguidum! Depois de 40 dias de férias, Congresso só volta ao batente dia 20

  1. “Ou seja, ninguém está preocupado com os destinos do país, mas com o que é melhor para suas pretensões presidenciais.”

    Perfeito seu comentário, tanto para o presente quando ao passado de dilma.

  2. Essa é a única “classe trabalhadora”, onde se tira um descanso depois das justas férias…eles precisam descansar depois das férias, afinal eles são de outro mundo.

  3. O Congresso vai “atravessar” no sambódromo das eleições. Temer, apenas cumpre tabela, consome-se em pira funerária de auto combustão das cinzas momescas da traição. Não ressurgiu o governo, morreu abraçadinho com a safadinha fênix. Na história, 2017 não saiu das cinzas da quarta-feira… pós crematório impichado. E 2018 está aí, começou o repeteco. Na arquibancada, patos amarelados sem esperança, sem fênix, sem candidato! Mijarão de vergonha em público, tapando ouvidos, enquanto o puxador do samba, fizer o chamamento: “OLHA A ESCOLA DE SAMBA SEM CANDIDATO AÍ , GENTE”. Entende-se porque o ex Presidente está em primeiro nas pesquisas e… subindo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *