O que dizer aos netos sobre 2018 depois que a festa acabou?

O que dizer aos netos sobre 2018 depois que a festa acabou?

1º de janeiro de 2018.

Nos últimos dias do ano, os netos mais velhos vinham me perguntando sobre 2018: o que podemos esperar, vai melhorar?

Achei melhor deixar para falar sobre isso só hoje para não estragar a festa de passagem de ano que eles armaram de improviso aqui no sítio, em Porangaba, no interior paulista.

Quando conversamos com crianças, precisamos tomar dois cuidados: em primeiro lugar, não mentir, não criar falsas ilusões; depois, não tirar delas seus sonhos e esperanças num mundo melhor.

Para um repórter, é mais difícil ainda porque lidamos com fatos e acabamos ficando escravos deles.

Então, o que dizer?

Com os seus celulares sempre à mão, as nossas crianças estão ligadas ao mundo como nunca antes, sabem o que está acontecendo ao seu redor e mesmo bem longe daqui, então não adianta querer dourar a pílula e vir com fantasias.

A realidade se impõe a elas desde muito cedo. Vivemos tempos muito difíceis e não temos no horizonte do ano novo sinais de que as coisas vão melhorar tão cedo.

O que, afinal, poderia acontecer para que em 2018 tenhamos mais paz, tranquilidade para estudar e trabalhar, sermos mais fraternos e abrirmos mais sorrisos quando estamos juntos?

Por mais que me esforce, não consigo encontrar argumentos para dizer que o pior já passou e o Brasil em breve será um país melhor para se viver.

Se para os adultos já é difícil, para elas é mais desafiador ainda imaginar como será seu futuro num país em que ninguém sabe o que pode acontecer amanhã, na semana que vem, como estaremos quando o Carnaval chegar.

É tudo absolutamente imprevisível como se um nevoeiro espesso cobrisse o horizonte.

Se assim é, só lhes posso dizer que é melhor aproveitarmos cada momento para fazer o que a gente gosta e deixar os outros se sentirem bem na nossa companhia, não pensar muito no amanhã.

Foi o que elas fizeram ontem à tarde ao montarem com as mães e a vó, em pouco tempo, a nossa festa a fantasia, com adereços velhos que encontraram pela casa, perucas e roupas coloridas, bexigas que sobreviveram de aniversários, óculos de plástico. Até luz estroboscópica apareceu para colorir o galpão, a chuva parou e botaram som na caixa.

Os mais velhos em boas condições físicas (não é o meu caso…) entraram na roda e todos pularam, cantaram e dançaram sem nem perceber que o novo ano já tinha começado. Ao longe, o foguetório pipocava na pequena cidade.

A vida é assim, aqui e agora, não é movida a passado nem a futuro. Melhor falar menos e brincar mais, deixar acontecer. A melhor resposta à pergunta do título foi dada pelos próprios netos.

Se depender deles, a festa vai durar o ano todo, embora há quem diga que o ano novo não será novo nem feliz.

Vamos ter que encontrar dentro de nós, revirando armários e gavetas, como as crianças fizeram, os adereços para tornar nossos dias novos e felizes, ainda que tenhamos que inventar uma esperança.

Enquanto escrevo, já está todo mundo preparando o almoço com as sobras do ano velho.

Vida que segue.

 

 

16 thoughts on “O que dizer aos netos sobre 2018 depois que a festa acabou?

  1. Eu acredito que já melhorou bastante. A dois anos as grandes lojas estavam vazias. Não tinham uma viva alma para comprar alguma coisa. Mais da metade fecharam as portas. Hoje o comercio já está lotado de pessoas comprando, pelo menos os produtos mais baratos. Acredito que não vamos ter a melhora que o Brasil precisa mas. Se nada atrapalhar Vamos ter pequenas melhoras mas, constantes.

  2. Caro e prezado grande repórter RK, você tem razão ao lembrar que não adianta pensar muito no amanhã. O Brasil está do jeito que Deus não gosta e a maioria come o pão que o Altíssimo não amassou(caiu a ficha das classes C e D).
    Não sei onde isso vai parar. Os tempos, além de difíceis, também são tristes e estranhos. Estranhíssimos, acrescento.
    No mais, vamos esperar o lançamento da marchinha carnavalesca do João Roberto Kelly sobre o Gigi Beiçola, mais conhecido pela alcunha de Gilmar Mendes.
    Apesar de tudo, torço por dias melhores agora e sempre.

  3. Falando sério, pois seríssimo é o tema do Post. Kotscho diz: “ainda que tenhamos que inventar uma esperança”. Falar de netos, comove. Ninguém é super herói. Não adianta maquiar a verdade, temos de ouvir sua linguagem, emoções e necessidades. Isso vai além dos muros da casa paterna. E no mundo de hoje! Difícil educar sem inventar a esperança e dissocia-la do além muro. Li o Post de hoje para meus filhos e noras. Assim como a família está unida na fábrica da esperança, esta se mostra interligada com os segmentos da sociedade que educam e deseducam nossas crianças e adolescentes. Eles estão inseridos na família, na sociedade e no planeta. Não podemos fechar os olhos e conduzir como cegos, rebentos filhos e netos ao obscurantismo de tamanha amplitude que hoje se nos impõe. Infelizmente não há escola de pais e avós. Estes educam centrados no amor, liberdade e respeito, mas o relacionamento com os segmentos outros que também educam está a perder de vistas. No atual contexto há velozes transformações e não é fácil acompanha-las. Nossos filhos precisam de regras e limites para que não se assustem com tanta liberdade.

  4. A única coisa que sei mais hoje, que ontem, Mestre, é que esperar não é saber, como recomendou-nos há muito, Geraldo Pedrosa de Araújo Dias.
    Não há muro que garanta felicidade e segurança, portanto, façamos de 2018, plataforma para um futuro melhor a todos e consequentemente aos seus, que estendo a todos brasileiros que acreditam num país democrático, justo, moderno e soberano. Então, façamos-no acontecer.
    “Vou pra Porto Alegre, tchau!”

  5. Revisado:

    Querido Ricardo Kotscho (caso me permita a intimidade, coisa de colega que lhe guarda respeito e admiração, afinal conheço alguma coisa do nível de ralação profissional depois de 39 anos no metier, também )
    Hoje, apesar dos vícios dos dados e da objetividade, acredito em soluções, mas que elas passem por uma compreensão da origem dos sentimentos que verdadeiramente movem as ações. Só o exame profundo ( pelo coração ou por uma observação sincera ) dos motivos que fazem uma pessoa se mobilizar por essa ou aquela responsabilidade pode dar um lastro mais confiável à gestão de movimentos e propostas sociais. Porque a resposta está no nível de compreensão do indivíduo. Não em dogmas, não em manipulação, não à soluçao dos nossos problemas através de entrega a terceiros. Isso pode ser bandeira de partido? Acho que ainda não… mas dá pra direcionar a forma como cuido da minha vida e dos que me cabe cuidar. Como você, quando teve a sensibilidade de esperar a festa dos seus para falar a respeito de a quantas anda a esperança para o ano… cada um cuida como pode, mas já é um começo. Um começo no qual acredito. Um abraço de esperança por um 2018 de pequenos, sinceros mas verdadeiros cuidados.

  6. Acabo de ser informado que o tal elixir da juventude está próximo. Pesquisas realizadas na Bélgica mostraram que o uso do medicamento contra a diabetes, a METAMORFINA” tem feito que idosos passem dos 80 anos inteiros, inclusive com o enrijecimento de rugas faciais. Como sou usuário do dito cujo e cheguei aos 70, permito-me então agora, a fazer planos para os próximos 20 anos. Já é certo que outro medicamento usado por idosos contra a hipertensão, a LOSARTANA, diminui os efeitos negativos da HPB (Hipertrofia Prostática Benigna) ,contribuindo para que portadores deste mal voltem a ter atividade sexual normal, praticamente eliminando a retenção urinária e a ejaculação inversa. Isso é ou não é uma boa notícia Kotscho. Não, não me acusem de falar em ”doença”, estou falando em ”saúde”.
    Demógrafos dizem que quem está nascendo nesta década viverá, pelo o menos 130 anos.
    Oremos, pois!
    N. os nomes dos medicamentos citados são genéricos.

  7. Claro que fica dificílimo tratar o assunto com a meninada, uma vez que não temos quase nada a dizer e muito menos a ensinar sobre a nossa atual sociedade, desestabilizada estruturalmente e em crise continuada porque permanentemente mascarada pelos arautos do “reformismo temerário”. É de se esperar o adensamento progressivo do mal estar social e a precarização ampliada dos empregos, quando e se ressurgirem os ‘novos’ postos de trabalho. Como diria Marcelo Rubens Paiva estamos mais para os ‘felizes anos velhos’. Não há nada de bom a esperar do ‘Cartel do MT’. Há quem, no entanto, creia na ‘narrativa do engodo’.

  8. Gosto muito de seus comentarios,mas nunca devemos perder as esperanças de um Brasil melhor com políticos honestos e capazes. Pode ser ironia, mas não custa torcer.

  9. RICARDO KOTSCHO, BOM ANO NOVO !!!

    O que o eleitorado quer?

    1 – ……..
    2 – ……..
    3 – ……..

    Vc sabe o que o eleitorado quer, então vamos pular essa parte.

    Esses dias o Alkimin deu uma longa entrevista para uma radio de SP (mais de uma hora), e qual foi o trecho que a radio escolheu prá repercutir? O trecho em que ele fala de “show man”. (????)
    Agora o FHC dizendo que o Alkimin não tem chance.

    Ha dois empecilhos para o lançamento do nome do PSDB : 1 – Coragem e 2 – Alkimin

    Parece que eles já decidiram : ROBERTO JUSTUS sera o candidato do PSDB para presidência.

    ABRAÇO

    PS.: Eu vou cobrar aquele milhão (R$). Pode parcelar.

    1. Vamos explicar :

      O eleitorado que um não politico, alguém que não passe nem perto da lava jato, alguém que tenha credibilidade e não sei mais o que (ok?).
      Roberto Justus tem o perfil ideal para a ocasião . Ele é rico (os coxinha gostam disso),bem sucedido, tem um perfil autoritário (os coxinhas gostam mais ainda { alias, nessa questão,….}) , domina a comunicação (e os meios de), não é politico e pode, se bem trabalhado, até vencer no primeiro turno, à exemplo do Doria. Alias, quem levou à serio as “pretensões” do Doria , caiu na “pegadinha do malandro”. O Doria foi apenas um teste, mas ele não serve nem prá isso. Vai ser candidato ao gov. de estado (pelo menos terá o apoio do Alkimin).

      A entrevista do Alkimin à Klu Klux Pan foi reveladora. A quem ele se referia quando falou em “Show Man” ?. Ninguém , no momento, tem esse perfil (se vc acredita que alguém leve à serio o Luciano Hulk…..). Isso é o Alkimin se defendendo/atacando o possível lançamento do Justus. O Alkimin quer ser candidato, mas parece que o PSDB sabe que ele não tem chance alguma. Não foi outro motivo que levou o FHC a dizer isso. Convencer o Alkimin a desistir não vai ser fácil, e nessas circunstancias uma previa não seria bem vinda. O Justus tem que começar com a unanimidade do PSDB.

      A candidatura do Justus só terá viabilidade se for lançada em cima da hora. Isso já foi feito com o Collor. E olha que o Justus leva vantagem sobre o Collor em muitos aspectos.

      Agora, só sendo um “não jornalista” prá fazer uma previsão dessas. Qual jornalista teria a possibilidade de dizer isso?. Se isso for verdade, dá pra contar nos dedos de uma mão as pessoal que estão por traz dessa candidatura.

      Se vc acha que isso é maluquice, pense nas possibilidades de uma coisa dessas dar certo.
      Já disse que vou cobrar aquele milhão (R$)

      1. Pergunto : vc prefere perder de 7×1 ou de 7×6?

        Com o Alkimin é certeza : 7×1. Agora com o Jutus, tudo pode acontecer.

        Se o Lula vencer por uma margem pequena, vai acontecer tudo de novo : alguém vai pedir recontagem dos votos, o Gilmar Mentes vai dizer que as urnas eletrônicas não são confiáveis, alguns “juristas” vão fazer um parecer, alguma janaina vai ter ataque, os patos vão voltar, a av. paulista vai encher de camisetas da CBF e ainda teremos a “ajuda” de promotores e juízes, etc, etc. O Lula não termina o primeiro ano de mandato. Vai acontecer de novo? Se tiver reação, o exercito entra no jogo e prá ganhar. Mais 21 de ditadura.
        É vida que segue?. Vamos perder de 7×1 de novo?

  10. Apesar da patota do Temer ser de trambiqueiros, uma coisa há de ressaltar e comemorar nesse governo a ECONOMIA.
    A inflação estava acima de 11%, hoje menos de 3%, é sensível a redução dos preços nos alimentos. Fui viajar e os hotéis estavam com sua lotação acima de 90%, aeroportos cheios, estradas cheias, e muitas cidades de turismo pelo Brasil também com lotação acima de 90%…..há muito tempo não víamos isso.
    Muitas lojas e comércios que haviam fechado as portas, hoje estão voltando.
    O comércio voltou a ter crescimento nas vendas, a indústria todo mês vem crescendo suas vendas. O emprego gatinha, mas vem crescendo também…….RESUMO: se não tivermos governo populista pela frente, 2019 será um ano para comemorarmos muito.
    Fala pros seus netinhos, Kotscho, se preocuparem somente com os estudos, o resto papai e mamãe resolvem, tudo tem seu tempo certo………a não ser Kotscho que você queira colocá-los nas escolas do MSTS, ai você terá que explicar a eles o que é responsabilidade fiscal, como usar a máquina pública para benefícios próprios, o que é cabide de emprego nas estatais, como invadir terras produtivas ou não…etc..etc.

    Bom 2018 a você Kotscho e família. E a todos os colegas que por aqui passam.

  11. “Hoje não há razões para otimismo
    Hoje só é possível ter esperança.
    Esperança é o oposto do otimismo.
    Otimismo é quando, sendo primavera do lado de fora, nasce a primavera do lado de dentro.
    Esperança é quando, sendo seca absoluta do lado de fora, continuam as fontes a borbulhar dentro do coração.”
    Rubem Alves

    Vamos, novamente de esperança, agora contra o medo, o ódio e a tragédia!
    Feliz 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *