A despedida do Balaio do Kotscho

A despedida do Balaio do Kotscho

Ricardo_Kotcho

Adeus, amigos.

Chegou a hora da despedida do Balaio do Kotscho aqui no R7, que publicou meu blog desde 2011.

Foram quase seis anos e meio de convívio quase diário, de domingo a domingo (neste último, escrevi sobre o grande Rolando Boldrin, o “Sr. Brasil”, não deixem de ver), numa conversa franca sobre as andanças da política e da vida.

Agradeço a todos vocês, editores, colegas e amigos do suporte técnico, que me ajudaram a cuidar deste espaço, pela boa vontade que tiveram comigo, e a todos os internautas pela participação e audiência.

Vou dar uma descansada, que estou precisando, e depois do intervalo a gente volta.

Tudo tem seu tempo certo.

Até qualquer dia, em algum outro endereço.

Vida que segue.

Em tempo: estou deixando também o Jornal da Record News do meu amigo Heródoto Barbeiro, que continua lá, às nove da noite, de segunda a sexta.

52 thoughts on “A despedida do Balaio do Kotscho

  1. Parabéns pelo trabalho, e pelo espaço democrático. Vais fazer falta nesse mundo dividido. Mas com certeza tens seus motivos. Obrigado pelos textos diários…
    Não deixe de visitar João Pessoa.
    Grande abraço…

  2. Despedida é sempre um motivo de tristeza.Mas,enquanto durou este blog, não perdi uma edição.Vida que segue.Muitas Felicidades e Revigorado descanso.

  3. Olá Ricardo
    Sou seu fã
    Admiro muito o seu trabalho. Sentirei muita falta.
    Já li seu livro do Golpe ao Planalto e gostei muito.
    Temos muitas afinidades ideológicas.
    Quando o senhor voltar, peço a gentileza de me informar.
    Grande abraço
    Sentirei saudades!
    Att
    Alex Paulo

  4. Fará muita falta, Kotscho! Mas quem perde é o R7. Espero que daqui a pouco você desista das férias e volte com tudo com o Balaio, em outro portal melhor. Abração

  5. Meu caro Kotscho, que pena! Realmente acho que seu espaço fará falta! Sempre foi um espaço aberto ao diálogo e nesses tempos de polarização descerebral sua ausência será sentida!

    Espero que continue a ter sucesso e serenidade!

    Forte abraço!

  6. Como isso sem aviso prévio? Que pena. Torço que encontre outro endereço e consiga mesmo com toda dificuldade de abrandar os ânimos abrir espaço para debate livre e democrático. Vida longa ao guerreiro das letras. Apesar da certeza que esse afastamento não foi acordado e sim unilateral. Vida que segue

  7. Tá tudo tão estranho. Sinto um certo pesar em ver os rumos que as coisas vêem tomando. Até o seu blog vai sair de cena.
    Nirlando Beirão, você e o André Forastieri são uma lufada de ar fresco nessa mídia árida e carente de gente que raciocina ao invés de relinchar.

  8. Cuida-te, Kotscho! Até a volta. Descansar é preciso. De fôlego revigorado e paciência rediviva, o teu retorno será bastante celebrado, por todos que apreciamos a boa reportagem e o vero jornalismo.

  9. Caro jornalista e escritor Ricardo Kotscho, a “despedida do Balaio” atingiu-me como a um bólido. Chorei pelas vidas perdidas na tragédia de Nevada (Las Vegas) e meu pranto aumentou com o Post acima. Há pouco mais de um ano, identifiquei-me com o Blog e leitura pela paz, dignidade, pautando o contexto da vida que segue. Mais: opinando, fazendo o chamamento à interação e desafiando fieis leitores. Sabedoria que impõe-se pelo caráter, atrai pela bondade e brilha pelo reconhecido talento. As aspas em “vida que segue”, é a certeza que sabes e estás a ensinar: a Vida não é chegada e sim, gloriosa travessia. Ela continua, pois navegar é preciso. Ao Balaio interessa o momento presente, o aqui-agora. E isso encanta, é o que vale e faz sentido. O Balaio não espera para ser feliz amanhã. A História ninguém esquece. A vitória… os amigos comemoram.
    Em nome dos seguidores, obrigado por tudo, saúde e muita paz. A História tem uma dívida de gratidão irresgatável para com Ricardo Kotscho. É linda a obstinação pela “vida que segue” com o sonho presente de construção da paz. O escritor francês Albert Camus empresta a frase: “A verdadeira generosidade em relação ao futuro consiste em dar tudo ao presente”. Feliz Natal, amigo e Bom Ano Novo de 2018. Adeus, Balaio do Kotscho…

    1. Muito grato pelas tuas generosas palavras, caro prof. Wagner de Campos, fiel comentarista deste blog.

      A gente tenta sempre e, de vez em quando, acerta…

      Bela frase esta do Camus, uma lição de vida.

      Abração,

      Ricardo Kotscho

  10. Caro jornalista e escritor Ricardo Kotscho, a “despedida do Balaio” atingiu-me como a um bólido. Chorei pelas vidas perdidas na tragédia de Nevada (Las Vegas) e meu pranto aumentou com o Post acima. Há pouco mais de um ano, identifiquei-me com o Blog e leitura pela paz, dignidade, pautando o contexto da vida que segue. Mais: opinando, fazendo o chamamento à interação e desafiando fieis leitores. Sabedoria que impõe-se pelo caráter, atrai pela bondade e brilha pelo reconhecido talento. As aspas em “vida que segue”, é a certeza que sabes e estás a ensinar: a Vida não é chegada e sim, gloriosa travessia. Ela continua, pois navegar é preciso. Ao Balaio interessa o momento presente, o aqui-agora. E isso encanta, é o que vale e faz sentido. O Balaio não espera para ser feliz amanhã. A História ninguém esquece. A vitória… os amigos comemoram.
    Em nome dos seguidores, obrigado por tudo, saúde e muita paz. A História tem uma dívida de gratidão irresgatável para com Ricardo Kotscho. É linda a obstinação pela “vida que segue” com o sonho presente de construção da paz. O escritor francês Albert Camus empresta a frase: “A verdadeira generosidade em relação ao futuro consiste em dar tudo ao presente”. Feliz Natal, amigo e Bom Ano Novo de 2018. Adeus, Balaio do Kotscho…

  11. Grande abraço. Muita sorte e sucesso em suas novas empreitadas. Pessoas como vc não podem e não devem se afastar da vida profissional. São profissionais como você que dão dignidade ao meio jornalístico. Vida que segue companheiro.

    1. Te agradeço pelo incentivo, caro Johnny.

      No meu caso não tem como me afastar da vida profissional porque vivo disso.

      Até a próxima.

      Abraços,

      Ricardo Kotscho

  12. Vai fazer muita falta. Seu blog e suas análises eram meu filtro imparcial e sério no meio de tanta confusão e desinformação. Abraço e vida que segue, Mara.

  13. Sr. Ricardo, espeeo que volte logo. E se esse interregno é para o bem da vossa saúde, então que seja, por mais saudades que tenhamos.
    Forte abraço aus Hannover!

  14. Estou aguardando seu novo blog — A Record não me fará nenhuma falta, pois só acessava para ler
    os seus comentários — como sabe, né….”o cão ladra , mas a caravana passa”…
    Descanse, não esquente a cabeça, que os seus leitores continuarão aguardando seus lúcidos e benvindos comentários – Abs.

  15. Neste último Balaio, que tal o repeteco mostrando corajoso e feliz discernimento de Kotscho ao enfrentar a violência das ruas?……………………………………….. Violência e paz. O cidadão do bem está, felizmente, em toda parte. Infelizmente, o crime, também. A torcida organizada de hoje é fruto da omissão do passado. A violência é crescente. A omissão de hoje alimentará o crime de amanhã. Dominantes só pensam em si, fecham os olhos às necessidades sociais. A ausência de governo social, desestabiliza relações, aumenta o abismo entre a paz e a violência. A paz surge da paz, a violência alimenta a si mesma. Vivemos em sociedade, precisamos uns dos outros. Somos seres de relações. Interagir com o Balaio do Kotscho prova isso ao apetecer nossos desejos de conhecer ideias, respeitar o ser humano que está por trás e opinar, consolidando com bom senso e harmonia nossas opiniões. Aqui, superada a fase de aprovação, cabe qualquer assunto. Debate-se democraticamente tudo, inclusive a paz e a violência, esta… criando seres brutos. Se formamos a sociedade, esta também nos educa e forma. Os bandidos de hoje se revelaram na infância, crianças maravilhosas. Falhou a Educação, a sociedade, o governo, falhou o ser humano. Muito bem, mas o Kotscho enfrentou emoções assustadoras, o desfecho poderia não ter sido esse. Passou por essa frustração, conheceu por instantes de terror, a “filha” da violência… a agressividade. Essa agressividade, no entanto, o colou em pé, em defesa do que lhe é mais caro, sagrado… a família. Seguindo uma direção, ele discerniu acertadamente, intuição, ou não, desligando o telefone. O crime com energia negativa e, Kotscho, com energia positiva da paz e do bem, saiu dessa e recebeu o conforto e a aprovação da esposa. Certamente, de todos os seus seguidores… A Cabana, obra de William Phillip Young ensina a prática do perdão. O filme do mesmo nome, também é ótimo. E olhe que nesta obra de ficção, o desfecho foi terrível. Nesse contexto, Senhor Ricardo Kotscho, ao expressar a solidariedade de minha família, lembro um versículo da Bíblia: Salmo 30 – “Aos anoitecer pode vir o choro, mas a alegria vem pela manhã”. Imagino seu estado psicológico. Foste forte, frustraste o mal do outro lado da linha. Perdoe Kotscho, a violência não cai do céu, ninguém fica violento de um momento para o outro. Ela, essa maldita violência é uma construção da história de vida da pessoa. Acho que o ser humano está falhando além da conta. Não existe escola de pais, escola de família… A Educação precisa criar um futuro melhor para nossas crianças. Abraços e tudo de bom. Muita paz, muita paz mesmo…………………………………………………………………………… (A seguir, em repeteco final, dois comentários, interação democrática, proposta substanciosa e imbatível do Balaio)…………………………………………………………………………. – Enio Barroso Filho – 06/05/17 – 20:58…………………..
    Professor Wagner, “muchas gracias por todo” e pela aula magna de humanidade, cidadania e coletivismo………………………..
    o rkotscho
    – 06/05/17 – 18:51……………
    Que maravilhoso comentário, este teu, caro Prof. Wagner de Campos! Por coincidência, ainda estou assustado com o que me aconteceu ontem e emocionado porque acabo de assistir a uma fantástica entrevista do Pepe Mujica ao Pedro Bial, em que ele fala tudo o que penso sobre a vida, a política, o momento difícil que estamos atravessando no mundo todo. Vale a pena você _ e todo mundo que ainda não assistiu _ acessar o site do programa para ver esta lição de humanidade e de esperança. Mujica é o oposto deste Fla-Flu em que vivemos aqui. Por isso, deve ser aplaudido por todas as torcidas. Não adianta ficar procurando culpados, dividir o mundo entre os bons e os maus. Precisamos ficar atentos aos sinais de mudança, olhando sempre para o futuro. Quem é culpado pelo que me aconteceu ontem, quem criou esta besta fera que me telefonou a cobrar? Nada vai me ajudar se ficar com raiva pelo acontecido. Importante é nos unirmos para que isto não aconteça mais com ninguém. O que você escreveu é muito parecido com o que o Mujica falou. Vai na mesma linha de não enfrentar a violência com violência, mas de procurar um caminho comum em busca de paz. Cada vez que recebo um comentário como o teu, me dá vontade de continuar escrevendo todo dia neste blog, ainda que os fatos não me ajudem a contar coisa melhor. Te agradeço muito, um abraço, Ricardo Kotscho

  16. Neste último Balaio, que tal o repeteco mostrando corajoso e feliz discernimento de Kotscho ao enfrentar a violência das ruas?……………………………………….. Violência e paz. O cidadão do bem está, felizmente, em toda parte. Infelizmente, o crime, também. A torcida organizada de hoje é fruto da omissão do passado. A violência é crescente. A omissão de hoje alimentará o crime de amanhã. Dominantes só pensam em si, fecham os olhos às necessidades sociais. A ausência de governo social, desestabiliza relações, aumenta o abismo entre a paz e a violência. A paz surge da paz, a violência alimenta a si mesma. Vivemos em sociedade, precisamos uns dos outros. Somos seres de relações. Interagir com o Balaio do Kotscho prova isso ao apetecer nossos desejos de conhecer ideias, respeitar o ser humano que está por trás e opinar, consolidando com bom senso e harmonia nossas opiniões. Aqui, superada a fase de aprovação, cabe qualquer assunto. Debate-se democraticamente tudo, inclusive a paz e a violência, esta… criando seres brutos. Se formamos a sociedade, esta também nos educa e forma. Os bandidos de hoje se revelaram na infância, crianças maravilhosas. Falhou a Educação, a sociedade, o governo, falhou o ser humano. Muito bem, mas o Kotscho enfrentou emoções assustadoras, o desfecho poderia não ter sido esse. Passou por essa frustração, conheceu por instantes de terror, a “filha” da violência… a agressividade. Essa agressividade, no entanto, o colou em pé, em defesa do que lhe é mais caro, sagrado… a família. Seguindo uma direção, ele discerniu acertadamente, intuição, ou não, desligando o telefone. O crime com energia negativa e, Kotscho, com energia positiva da paz e do bem, saiu dessa e recebeu o conforto e a aprovação da esposa. Certamente, de todos os seus seguidores… A Cabana, obra de William Phillip Young ensina a prática do perdão. O filme do mesmo nome, também é ótimo. E olhe que nesta obra de ficção, o desfecho foi terrível. Nesse contexto, Senhor Ricardo Kotscho, ao expressar a solidariedade de minha família, lembro um versículo da Bíblia: Salmo 30 – “Aos anoitecer pode vir o choro, mas a alegria vem pela manhã”. Imagino seu estado psicológico. Foste forte, frustraste o mal do outro lado da linha. Perdoe Kotscho, a violência não cai do céu, ninguém fica violento de um momento para o outro. Ela, essa maldita violência é uma construção da história de vida da pessoa. Acho que o ser humano está falhando além da conta. Não existe escola de pais, escola de família… A Educação precisa criar um futuro melhor para nossas crianças. Abraços e tudo de bom. Muita paz, muita paz mesmo…………………………………………………………………………… (A seguir, em repeteco final, dois comentários, interação democrática, proposta substanciosa e imbatível do Balaio)…………………………………………………………………………. – Enio Barroso Filho – 06/05/17 – 20:58…………………..
    Professor Wagner, “muchas gracias por todo” e pela aula magna de humanidade, cidadania e coletivismo………………………..
    o rkotscho
    – 06/05/17 – 18:51……………
    Que maravilhoso comentário, este teu, caro Prof. Wagner de Campos! Por coincidência, ainda estou assustado com o que me aconteceu ontem e emocionado porque acabo de assistir a uma fantástica entrevista do Pepe Mujica ao Pedro Bial, em que ele fala tudo o que penso sobre a vida, a política, o momento difícil que estamos atravessando no mundo todo. Vale a pena você _ e todo mundo que ainda não assistiu _ acessar o site do programa para ver esta lição de humanidade e de esperança. Mujica é o oposto deste Fla-Flu em que vivemos aqui. Por isso, deve ser aplaudido por todas as torcidas. Não adianta ficar procurando culpados, dividir o mundo entre os bons e os maus. Precisamos ficar atentos aos sinais de mudança, olhando sempre para o futuro. Quem é culpado pelo que me aconteceu ontem, quem criou esta besta fera que me telefonou a cobrar? Nada vai me ajudar se ficar com raiva pelo acontecido. Importante é nos unirmos para que isto não aconteça mais com ninguém. O que você escreveu é muito parecido com o que o Mujica falou. Vai na mesma linha de não enfrentar a violência com violência, mas de procurar um caminho comum em busca de paz. Cada vez que recebo um comentário como o teu, me dá vontade de continuar escrevendo todo dia neste blog, ainda que os fatos não me ajudem a contar coisa melhor. Te agradeço muito, um abraço, Ricardo Kotscho

  17. O Brasil não pode ficar muito tempo sem o Balaio do Kotscho.
    Nos últimos anos se tornou a minha leitura obrigatória de todos os dias.
    Que essa pausa seja a mais breve possível. Vida longa ao Balaio do Kotscho!

  18. Lamentável perder um espaço democrático e de tão alto valor. Kotscho, você é um grande jornalista, bom descanso e volte que sempre contará com um público cativo. Uma lástima não termos mais você no Record news.
    Abraços

  19. xará, leio teu blog desde os tempos do IG.

    A Record perde muito fazendo isso.

    Mas esperar o quê ? fico no aguardo da informação do novo local onde hosperarás o blog.

    siga em frente

    Cordialmente

    Ricardo

    1. Caro Ricardo,

      dentro de mais ou menos 15 dias o Balaio deverá voltar ao ar numa plataforma independente.

      endereço: balaiodokotscho.com.br

      Abraços,

      Ricardo Kotscho

  20. “As palavras tem poder”, quantas vezes li seus comentários e queixas dizendo “dá vontade de jogar tudo pro ar, de não escrever mais”, pois é o Universo, infelizmente acabou lhe escutando.
    Desejo muita sorte

  21. Kotscho, esse seu (nosso) Balaio precisa continuar “até o último homem”. Não se esqueça disso. Receba minha sincera gratidão e meu caloroso abraço que estendo
    ao Dias, Everaldo, Enio, CesarT e demais “esquerdopatas” do Balaio.

  22. A primeira vez encerrada por eles pode ser a oportunidade da primeira vez iniciada contigo, por isso não vale a chateação, tenta Mestre, tenta, ser dono de seu Balaio na vida que segue, de forma ampla, geral e irrestrita, aí descobrirá o que é de fato ser livre totalmente, para o bem, o mal e o que mais se apresentar no caminho. Avisa lá onde está, espero que só a mal acompanhado, que vou lá estar bem acompanhado não apenas com Victor Hugo, a quem retribuo o abraço, mas com os demais balaieiros que sonham juntos o sonho que não se sonha sozinho, entre eles em especial, CesarT, Enio e Everaldo. Obrigado e até breve.

  23. Boa tarde Kotscho, o pocotó do Balaio tbem merece um descanso, mas nao pode parar. Estaremos na nova plataforma do Balaio, junto com Enio, Dias, Victor Hugo e toda cacalheira coxinha.

  24. Boa tarde querido Kotscho, não estou acreditando! Será que a Record teve a insanidade de tirá-lo do ar?! è muiiiito bom o Balaio do Kotscho, aliás, é que de melhor tem no R7.com. Não adiantará preencher o espaço do Balaio com alguém sem a sua experiência e sem competência. Estou muito desapontada. Eu, amigos e parentes amamos sua matérias. .é uma pena e uma perda enorme!!! Abraço amigo querido

  25. Caro Kotsho,

    fui durante muito tempo um leitor assíduo e anônimo do seu blog. Lendo, refletindo mas raramente me manifestando.
    Não poderia deixar, porém, de nesse momento vir aqui lhe agradecer pelo excelente trabalho e pela existência desse espaço. Em tempos de ódio, intolerância e falsas notícias, um olhar ético, honesto e preciso da realidade como o seu tem uma importância gigantesca. Me acostumei a refletir sobre o nosso país através do seu ponto de vista. Nem sempre concordamos, mas sempre respeitei cada análise sua.
    Seu espaço vai fai fazer muita falta.
    Boa sorte nos próximos caminhos, e não deixe mesmo de voltar.
    Afinal, vida que segue. 🙂

    Abraços,

    Péterson

  26. Grande Kotscho, uma pena saber que tem de deixar o espaço. Sou repórter também e tenho você com um dos grandes exemplos do que é ser jornalista. Espero que tenha um descanso merecido, mas ao mesmo tempo que retorne logo. Sua independência e olhar preciso farão falta. Um forte abraço de um leitor agradecido.

  27. Eu, leitor assíduo de seus posts ,já estava preparado para criticar a emissora e lamentar a falta que você iria fazer…Mas leio que em 15 dias estará no novo endereço! Obrigado por não nos abandonar com sua sabedoria e informações verdadeiras nessa época triste que o país vive. Vida que segue , sempre com nosso mestre. Abraços e vida longa! Estamos aqui “ouvindo” !!!

  28. Caro Kotcho,
    A hora do jantar não será a mesma sem seus precisos e sóbrios comentarios no R7 sobre a nossa triste situação política.
    Aguardamos sua volta no novo endereço, desejando sucesso e boas energias!

  29. Afinal, o que é o Balaio? O que esse carismático e incansável burrico de olhar sedutor , Arte de Paulo Caruso, está sempre a proclamar? Jornaleiro, jornaleiro! O Balaio e a hora da despedida, Última edição! Fotografia de momento… jornaleiro! Opinando e escrevendo sobre a História brasileira, este Blog faz educação. Um bom professor de Jornalismo, motivaria universitários, pautando pesquisas, entrevistas, trabalhos outros, inclusive Tese de Conclusão de Curso sobre os temas aqui postados. Mais: chamamento interativo e reação dos seguidores, campo fértil de divulgação dos avanços democráticos e conquistas sociais.O fazer pedagógico da aprendizagem jornalística. A dinâmica surpreendente do cotidiano, caldo cultural de matéria prima apaixonante: a política nacional. Parabéns ao jornalista, por tão concorrida tribuna livre, Escola de aprendizagem jornalística, educando sempre. Extra! Extra! A volta do Balaio do Kotscho. Jornaleiro…

  30. Balaio meu bom Balaio
    Balaio quero rever
    Os malas reacionários
    E a turma quente do PT
    Meu, meu não, nosso, bom Véim…pra onde for, onde estiver, estaremos sempre o admirando e desejando que mantenha este belo espaço como o único que ainda tem alma na blogsfera, pois apesar das bestas feras( como diz o Ênio) da direita emburrecida que comentam nele, você, com sua serenidade e benevolência, consegue fazer desta sua criação um dos espaços mais humanos e belo da internet.Eu particularmente, sou-lhe imensamente grato por ter tido o prazer de ter vivido, na minha idade, momentos crianças, lúdicos devido a existência deste blog. Foi aqui que reencontrei irmão de vidas passadas, como o meu querido Ênio Barroso, uma das pessoas mais extraordinárias que conheci, o Dias fantástico, o CesarT, o Vítor Hugo meu velho mano, parceiro de jogos de bolinhas de gude, e tantos outros, que me emocianaram por ter sabido das suas existências. Até mesmo alguns reaças porras loucas, como é o caso do ancestralopitecus Luiz Carlos o Velho, passaram a fazer parte do meu mundo afetivo e emocional.Qualquer que seja a sua decisão estaremos firmes com você…e VAMÚ QUI VAMÚ.

    1. Caro Everaldo,

      muito bom ter você aqui com tua sabedoria popular e bom humor, embora ultimamente isto não tenha sido meio difícil.

      Muito grato pelas tuas referências ao blog que me fazem persistir nesse caminho.

      Forte abraço,

      Ricardo Kotscho

  31. Pois então caro Kotscho, se é vida que segue, seguiremos teu Balaio para onde for, que como diz o meu “véi” Everaldo, é o único blog que tem vida nessa velha e quase morta “grande” imprensa . Quando for a hora , avisa para a festa de re-inauguração !!! Bora chamar o povo !!!

  32. Fará falta, espero encontrá-lo em novo endereço, descansa bem para mais um retorno melhor, precisamos de sábios ainda nesse Brasil e você é um.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *