Datafolha: Lula lidera em todos cenários para 2018 nos dois turnos

Datafolha: Lula lidera em todos cenários para 2018 nos dois turnos

Na nova pesquisa Datafolha para a disputa presidencial de 2018, a primeira nos últimos quatro meses, que será publicada domingo pelo jornal, o ex-presidente Lula lidera em todos os cenários, no primeiro e segundo turnos, com pelo menos 35% das intenções de votos.

Em segundo e terceiro lugares, com cerca de 20 pontos a menos, conforme o cenário pesquisado, aparecem empatados o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) e a ex-senadora Marina Silva (Rede).

Os tucanos Geraldo Alckmin e João Doria estão empatados em quarto lugar, com 8%.

Entre uma pesquisa e outra, Lula foi condenado a nove anos e meio de prisão pelo juiz Sergio Moro e aguarda a sentença de outro processo em que é acusado de receber um apartamento de R$ 540 mil da Odebrecht, o que ele nega.

No mesmo período, o ex-presidente fez uma caravana de três semanas viajando de ônibus por todos os Estados do Nordeste.

Se Lula for impedido pela Justiça de ser candidato, 26% responderam que votariam com certeza em algum nome indicado por ele.

A pesquisa Datafolha foi a campo na quarta e quinta feiras, com 2.772 entrevistas em 194 cidades. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Falta apenas um ano para a eleição.

Vida que segue.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

17 thoughts on “Datafolha: Lula lidera em todos cenários para 2018 nos dois turnos

  1. Mestre, pesquisa cristalina e demolidora que pede até ambulância no Balaio. Para os de estimação entenderem-na a partir de que, Pós Verdade não é Fato, melhor saberem que o nordeste vive mais uma dessas estiagens que marcam o destino sofrido do sertanejo, mas nessa, graças a política de combate a seca, em especial as cisternas, não se viu o cenário da tragédia da seca, tão bem exposto em nossas artes. “O sertanejo é antes de tudo um forte”, registra Da Cunha, Euclides e não Eduardo, antes que o com dificuldade em intelecção de texto solte convicta certeza, tão em voga e atingindo o teto da idiotia na discussão de recibos de aluguel, fomentada pela república de Curitiba e mídia, para esconderem a ausência de provas à condenação anunciada de quem não pode ser candidato, pois sendo, o povo absolve, elege, consagra e acaba com o golpe. De volta à estiagem, sabemos que uma consequência é redução do volume de água de rios, represas, etc., aumentando o risco de falta de energia e de apagões. Aí vem à memória dona Lindu, a do “olhe pra frente e teima, Lula”, a que “já nasceu analfabeta”, como bem sacou o filho e até hoje não, os com dificuldade em intelecção de texto, pois “são antes de tudo fortes” por nascerem condenados a não terem os direitos a que tem direito, como no caso, à incompreensão estúpida e chacota, o direito a EDUCAÇÃO. Tudo isso, misturado ao risco de apagão, para chegarmos a mais um clássico da “ignorância diplomada”: “kkk…Estocar vento, onde já se viu…kkk”. Quem sabe agora, com o volume de água armazenado reduzido e o Sistema em risco, os que vivem em apagão mental, entendam que a energia eólica instalada, mais uma das mais “corruptas” práticas dos governos Lula, Dilma e PT, representa 10% da energia ofertada e 70% da usina de Itaipu, e é justamente por esse “vento estocado”, em forma de água não utilizada que permanece estocada nos reservatórios graças a energia utilizada gerada pelo vento, que nossa situação energética ainda não desandou. “Estocar vento”: Quá..quá..quá.., só rindo com a mediocridade estocada dessa gente, agora apavorada com pesquisa.

    1. Pois é Dias! A pesquisa é demolidora! E se ela está correta e não foi manipulada assim é com a outra pesquisa que saiu hoje, segunda-feira, também pela Datafolha indicando que nada menos que 54% dos brasileiros querem ver o Molusco Eneadáctilo preso. Além da liderança em rejeição, isso mostra bem que o Molusco dificilmente chegará próximo das arcas públicas de novo. Terá que minguar com o que amealhou até agora e que está bloqueado no espólio da falecida D.Marisa, a culpada de todos os seus infortúnios com a justiça em suas próprias palavras.
      Veremos até 2018 se essa candidatura ainda para em pé e se quando começarem mesmo os debates o Molusco Eneadáctilo terá condições morais de participar e responder minimamente às perguntas sobre um plano de governo (inexistente qualquer proposta consistente até agora) ou sobre seus problemas com a Justiça. Até lá o que se vê é que os seus 35% de apoio correspondem ao piso histórico da dita “esquerda brasileira” e estão claramente concentrados entre as viúvas do lulopetismo.

  2. Não ha nenhum candidato para 2018 que conseguirá governar este país. Existe um racha e um desrespeito uns com outros que será impossível uma união honesta. Tudo que pode acontecer é continuar fingindo que está tudo bem. O povo não acredita em ninguém que estão aí. É certo que vai aparecer um salvador da pátria dos seus próprios bens.

  3. Todos os institutos de pesquisa até agora são convergentes em consolidar, de forma incontornável, o fato político-eleitoral de que Lula teima em não perder musculatura e resistência social e popular. Da mesma forma, nenhum instituto deixou de registrar que o ex-capitão paraquedista das Agulhas Negras vem ganhando corpo e volume de forma gradual e consistente em todas as medições de popularidade. Ambos se beneficiam da fragmentação do campo eleitoral, que se dispersou em várias candidaturas. Cada vez mais, a eleição de 2018 fica muito parecida com o processo eleitoral de 1989. Só um candidato permaneceu em pé desde 1989 e aparece no primeiro turno com as mesmas intenções de voto de que dispunha cerca de 3 décadas atrás (30%): o “sapo barbudo” como o definira Brizola. Quem será, então, o “novo Collor”, capaz de aglutinar a população que não quer ver, outra vez, um batráquio nos lagos palacianos do Alvorada. Curiosamente, os jornais nacionais das TVs Bandeirantes , Globo e Cultura ignoraram totalmente a pesquisa do Data Folha. Como se vê, Lula não consegue transferir votos para outro “poste”, porque o “efeito-Dilma” foi e continua sendo devastador para o PT. Cerca de um quarto dos eleitores que votariam em Lula deixariam de votar em outro candidato indicado por ele. Talvez seja por isso que enquanto Lula viaja pelo Nordeste e Minas Gerais, a “presidenta” foi despachada para dar palestra na Finlândia.

  4. Assim como o Estado do Rio de Janeiro, mesmo com o esforço de membros dos esquerdistas dos “Direitos dos Manos” não terá o “Nem na Presidencia da Rocinha”, mesmo este certamente tendo mais de 35% de apoio dos moradores do bairro carioca, por razões análogas, o Brasil não terá o Lula na Presidência da República!
    Simples assim…

  5. Dias…nao adianta chorar…podem maquiar a pesquisa pra 99%….o corrupto condenado dk Lula nao irah disputar a eleicao. Meliante vai eh pra cadeia…

  6. É Mestre, a política, após a Globo adestrar e botar desavisados & desinformados, de amarelo CBF, pra marcharem contra Dilma, ficou igual a futebol, todo mundo entende, comenta e muda, a cada jogada, ou melhor, manobra e proposta. Em 06 de setembro, Palocci, em prisão até delatar o Cara, foi ouvido em audiência em que poderia “faltar com a verdade”, com o “Imparcial” de Curitiba e aproveitou-a para denunciar um tal “Pacto de Sangue” entre o Cara e a Odebrecht, para viabilizar sua delação e consequente premiação, que fez levantar os camarotes, a numerada e a geral, em uníssono: Acabou!!! Cá no Balaio festa ruidosa com ninguém superando em volume e intensidade, Zhé do caixão, que martelou por dias, o último prego, atrás de outro último prego, na tampa do caixão do Cara, sobre o qual Chico dizia e mantém-se: “O Medo Deles é o Cara Voltar”. Hoje o Datafolha, á beira de dever credibilidade, não teve como não despregar o rabo preso e mudo e divulgar a pesquisa da morte de uma morte mais que anunciada, condenada: “O Cara Voltou”. PS: Em 89, Lula teve no 1º turno 16% dos votos, menos que a metade dos 35% atuais de intenção e com a rejeição caindo a 42%, aproximando-se dos 32 a 28% tradicionais. Passando o traço, não é que o festejado último prego no caixão, “a sanguinolenta delação Pulhocci”, antes de um mês, não teve sequer direito a citação de influência, na notícia e na dita pesquisa. Coisas do futebol…

  7. Datafolha / Segundo turno – O Cara 42% X “Imparcial” de Curitiba 40%. Aos poucos, mesmo com o apoio do monopólio da mídia, que ensandecido tenta estupidamente esconder a pesquisa Datafolha ou seja, o FATO, em tempo de internet, o povo vai cravando no Golpe quem é o verdadeiro candidato a “bandido” que ao final pode…, se não escafeder-se a tempo para o Norte.

  8. Entrevista de Lula à IstoÉ, em 1989. “IstoÉ – O sr. acha que hoje no Brasil já é possível votar em partido e não no candidato? Lula- Não, eu acho que ainda se vota na pessoa. Mas a situação ideal é a outra. Na minha opinião, o Brasil só será lindamente democrático quando os partidos apresentarem listas e o povo não tiver de escolher o homem. IstoÉ – Mas isso é parlamentarismo.
    Lula— Eu sou parlamentarista. O parlamentarismo é a forma mais democrática de governo, é a forma que aproxima mais o povo do poder, ou o poder do povo. Por que eu votei contra o parlamentarismo na Constituinte? Primeiro, porque havia uma decisão partidária. Segundo, porque eu não podia votar no parlamentarismo apenas como recurso para neutralizar o Sarney ou para colocar o Ulysses de primeiro-ministro. Mas eu já disse a meu partido que sou parlamentarista e vou brigar para que o PT, em 93, apoie o parlamentarismo”. Lula combinou com o PSDB uma campanha para viajar o Brasil, ao lado de Tasso, para mobilizar a agenda parlamentarista. Quando as pesquisas saíram em meados de 93, dando-lhe uma vantagem extraordinária, Lula desistiu da agenda parlamentarista. Não resta atualmente a Lula outra esperança que não seja a mudança de posição do STF em relação à condenação por órgão colegiado de segundo grau, bem como uma modificação na compreensão do regramento fixado pela Lei da Ficha Limpa. A preço de hoje, Lula estaria completamente fora do grid presidencial de 2018. E como já dissemos antes, o “efeito-Dilma” para Lula equivale ao “efeito-Pita” para Maluf. O poder de transferência de votos às suas crias-postes não se mostra possível no montante necessário a levá-los ao segundo turno, nem garantir-lhes a vantagem no segundo turno. Ao PT e à Lula, tão-somente existe o Plano A.

  9. Deixa eu ler melhor pra ver se entendi. Quer dizer que o Lula “lidera” os dois turnos em 2018? Uma piada de mau gosto, quanto o PT pagou pro Datafolha divulgar essa mentira?

    1. Só que ganha de qualquer um no segundo turno. Como pode? Como pode ainda a mídia noticiar a pesquisa de hoje mostrando que a maioria quer Lula preso e não noticiar a de ontem que mostra que ganharia de qualquer um no segundo turno. É isso que vai fortalecendo Lula. O embuste, o maucaratismo, a desonestidade da grande mídia.

  10. De uma perspectiva puramente estatística, há uma migração de mais de 30% dos votos de Lula para Marina, em um hipotético segundo turno da ex-ministra de Lula contra o ex-capitão paraquedista. Curiosamente, o ex-capitão também atrai uma fração bem menor, em torno de 10%, dos votos que seriam consagrados a Lula, caso este pudesse ser votado.Há, portanto, do ponto de vista meramente estatístico, uma grande animação por parte da Rede com os números do Data Folha. Sem Lula, a ex-petista seria a mais beneficiada com a fragmentação das inúmeras candidaturas. Marina convidaria Lula para seu ministro em nome da “nova política”? Se pudesse ter o “sapo barbudo” como seu cabo eleitoral, no segundo turno? A conferir, o pragmatismo e as conveniências em 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *