Aliados e oposição se unem para atrasar denúncia de Temer-2

Aliados e oposição se unem para atrasar denúncia de Temer-2

Dá até pena de ver a deputada Mariana Carvalho (PSDB-RO), segunda secretária da Câmara, lendo a íntegra do segundo pacote de denúncias da PGR contra o presidente Michel Temer.

Diante dela sobre a mesa está um catatau de 242 páginas e um plenário semi-deserto.

Ninguém presta atenção na leitura, os poucos deputados presentes ficam conversando entre si e falando no celular.

Vai durar pelo menos seis horas esta agonia e não deve terminar nesta terça-feira a patética cena de teatro do absurdo _ alguém no palco falando para o vazio.

Este ritual costuma ser simbólico, coisa de poucos minutos, mas para atazanar a vida do presidente, que quer acabar logo com a reprise da novela, a oposição resolveu obstruir os trabalhos e exigiu a leitura na íntegra.

Contou para isso com o apoio dos líderes aliados que querem ganhar tempo para fazer as negociações do é dando que que se recebe.

Do outro lado da praça dos Três Poderes, o governo já prepara novo pacote de bondades para agradar os deputados e evitar a abertura do processo no STF.

Sem ter ainda saldado as faturas de emendas e cargos acertados na votação da primeira denúncia, o Palácio do Planalto pretende dar descontos de até 90% no novo Refis (refinanciamento de dívidas com a União), a chamada Bolsa Sonegador.

A cada dia que passa a conta vai aumentando, ameaçando estourar o rombo fiscal já reajustado para R$ 159 bilhões.

Antes de iniciar a análise da denúncia, o presidente da Comissão de Constituição e Justiça, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), ainda precisa decidir se o processo será ou não fatiado e indicar o relator, o que vai dar mais confusão, e atrasar os trabalhos.

Isso ainda vai longe e pode não acabar até o final de outubro como queriam o governo e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Assim segue a procissão. Ali, cada um, do governo ou da oposição, só cuida dos seus próprios interesses.

E o país que se dane.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

6 thoughts on “Aliados e oposição se unem para atrasar denúncia de Temer-2

  1. Estou aqui a pensar, como diria um “pá”, sobre uma frase de Murilo de Carvalho dita ao
    El País em 2016: “Aprendi a nunca subestimar a capacidade do Brasil de se sabotar”. O intelectual também tem uma expressão que desconhecia: “Bilontras”. Foi a primeira vez que a li. Murilo de Carvalho estudou e escreveu sobre o surgimento da República no Rio e entretece sua análise do porquê a população ainda não conseguiu, cento e trinta anos depois, jamais participar efetivamente do processo político com eficácia, exceto por surtos espasmódicos, posteriormente banalizados e normalizados pelos donos dos centros do poder. Continua-se a assistir “bestializado” a ópera-bufa dos “bilontras”. A sutileza de Murilo de Carvalho reside na análise de que a ‘bilontrice’ tem a ver, e muito, com aquele conceito do herói sem nenhum caráter que perpassa o conjunto da população brasileira. Afinal, há mais a estranhar com o fato de que a Explanada está vazia do povaréu bestializado, do que propriamente com o Plenário apinhado de bilontras.

  2. A pressa do governo tem nome e sobrenome: GEDEL VIEIRA LIMA, que segundo apostas, não suporta 30 dias de cadeia e jogar a toalha em uma delação “cabeças premiadas” É tudo o que o Temer mais teme. Façam suas apostas (está parecendo a briga do Trump com o coreano)

  3. Por falar em aliados desses desses delapidadores do patrimônio público – O Palloci apresentou provas e confessou mais uma vez á sua participação nos crimes>Também foi claro a respeito do Lula .Faltou ao Lula Jararaca a coragem de um homem para confessar seus crimes e reconhecer publicamente os seus graves erros no comando da nação.Também falta ao J.Dirceu está mesma coragem.Mas,estes preferem trair a nação brasileira ao invés de reconhecer os seus Crimes.Viva o Brasil!!!.Salvem! Salvem!

    1. O Lula estava concentrado em reportar as datas corretas nos recibos do ap….Kotscho, aí fica difícil defender o amigo…errar na falsificacao do recibo…pode Arnaldo??

  4. Cerca de dois anos atrás, Kotscho escrevia sobre Eduardo Cunha, quando este vivia “dando bananas para nós” no comando do Titanic da Câmara. Era uma época em que Dilma oferecei jantar íntimo ao ‘Caranguejo’ e oferecia-lhe um Pera Manca, um vinho português que custa por volta de um salário mínimo, no mínimo. Desde então, Kotscho tem feito jus ao seguinte lema, que propusera, ao olhar o entorno jornalístico: “”Leia aqui hoje o que você vai ver em outras colunas amanhã ou depois de amanhã”. É isso. O repórter continua afiado e o faro fino mais agudo do que nunca. Muita gente vai se meter a escrever sobre a ascensão e a queda de Lula. Uma coisa é certa. Só o Kotscho seria capaz de escrever a respeito disso com a máxima autoridade e absoluta integridade, de forma insuspeita e inteiramente veraz. Será um clássico, como o de Capote, “Cold Blood”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *