Na guerra política, as ruas migram para as redes

Na guerra política, as ruas migram para as redes

Às vésperas da decisão da Câmara para autorizar ou não a abertura de um processo no STF contra o presidente Michel Temer por corrupção passiva, a população continua em obsequioso silêncio dedicada aos seus afazeres.

A guerra política que levou ao impeachment da presidente Dilma Rousseff, apenas um ano atrás, mudou de quartel: saiu das ruas barulhentas para as silenciosas redes sociais.

Ao contrário das ruas ocupadas por multidões de manifestantes a favor ou contra o governo, com transmissão ao vivo pela televisão, a disputa agora se trava no escurinho dos gabinetes de Brasília e dos donos do mercado.

Não se ouvem mais panelaços, não há mais trios elétricos, discursos inflamados contra a corrupção, bonecos de presidiários nem patos amarelos enfeitando os protestos.

Nestes tempos de pós-verdade e fake-news triunfantes, argumentos deram lugar a ofensas, e não há mais diálogo, apenas monólogos digitados com fúria e rancor.

Cada um vê e escreve o que quer, inventa a estatística com os números que bem entender para defender o seu lado e destruir o outro.

Para uns, o país começa a melhorar, a retomada da economia está logo ali adiante, basta ter um pouco de paciência.

Para outros, não há mais salvação possível, o país está destruído, sem perspectivas de melhorar tão cedo.

Coxinhas e mortadelas, em número cada vez menor, ainda ficam discutindo na blogosfera e nos botecos quem roubou mais ou menos, quando a corrupção começou, o que é caixa dois do bem ou do mal, quem deve ser preso e quem merece ser inocentado.

Há várias semanas, a discussão política se resume a saber se haverá ou não quórum na quarta-feira para decidir quem fica no Palácio do Planalto até o final de 2018.

Para a imensa maioria dos brasileiros, tanto faz, a julgar pelo seu desinteresse em acompanhar esta guerra política sem fim.

No que tudo isso vai dar, ninguém sabe.

Vida que segue.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

22 thoughts on “Na guerra política, as ruas migram para as redes

  1. O noticiário sobre Brasil já deu para mim. Só acompanho agora as trapalhadas de Trump e a crise com a Coréia do Norte, Macron sendo posto à realidade das coisas na França e a Venezuela se transformando em uma Ditadura sangrenta.

  2. Kotscho, com 500 mil dólares, dinheiro que supostamente está pegando cada deputado pra votar com Temer, nas minhas mãos, eu só mexeria com Recria de bezerros em área sem irrigação. Já calculei até o número de cabeças que compraria-, colocados no pasto, esperaria mais sete anos cuidando diariamente com labor dos mesmos. Já analisei o que eu estaria fazendo quando eu estivesse com meus 70 anos. Não daria ideia aos comentários dos mortadelas, de maioria invejosos por não estarem mamando nas tetas do Poder. Enquanto isso, eu continuaria lendo suas postagens, de cunho estritamente multicultural; iria reler meus livros do alto da minha varanda respirando ar puro, e pensando em até que ponto atos bárbaros, covardes e brutais como esses citados por você, possam continuar calando a Mídia já que é através dela que ficamos sabendo das verdades, das injustiças, e das falcatruas deste país. Em nenhum momento esqueceria de agradecer á Deus o que já fez por mim, e, colocando Ele na frente de tudo – pra sempre me guiar com mais sabedoria; de saber que sem ele eu em nada poderia desfrutar deste Universo i-mundo criado pelos políticos. (Triste sina de escritor político!). Risos.

  3. “Não se ouvem mais panelaços, não há mais trios elétricos, discursos inflamados contra a corrupção, bonecos de presidiários nem patos amarelos enfeitando os protestos.” Quiquiéisso, Mestre, pelo jeito não tem ido a aeroportos, restaurantes, supermercados e postos de gasolina. Um sossego, como há muito não se via, ou melhor, se via sim, antes do ‘fatídico’ ano de 2002. Mas, o ‘melhor’, ficamos sabendo ontem, talvez não tenha lido ou passou desapercebido, dada a tamanha ‘normalidade política-midiática-judiciária’ que vivemos, bem diferente da ‘ditadura bolivariana’ na Venezuela: “Babá ‘escrava’ em imóvel de luxo em SP comia alimento do cachorro”, revelando ‘prática comercial’ de trazer-se filipinas para atender necessidades 24 horas da cansada meritocracia patrimonialista brasileira, no sagrado recesso do lar. E o Novo partido (velho PSDB) da banca, vem aí, com João ‘Macron’ Dionisio, Bernardinho e Huck, via Globo, para agradar os desinformados bichos de estimação da Big House Nostra e completar a faxina. Passando o traço, nem tudo é festa, pode-se da avestruz, chegar-se à borboleta: Apesar da eficiência do Parente em desfazer-se do patrimônio da Petrobras, o petróleo do Pre-Sal insiste em jorrar em progressão continuada, batendo recordes e vomitando petróleo a não se dar mais cabo. Será o Benedito, Mestre, que o tal de endividamento eram investimentos feito pela dupla “Que Sabia” e que hoje berram e amanhã não mais teremos, cortados que foram, graças ao Grande moro, a força tarefa e ao consórcio jurídico-midiático-político, golpistas? E vamos que vamos, sabendo que ignorância não é commodities, mas abunda bruta no Campo da, hoje calada, tapada Classe Média brasileira.

  4. acho que as coisas estao melhorando ontem passei na rua barao de capanema e um coxinha com o qual sempre descutia em razao da sua apaixonada paixao pelos tucanos em especial a aecio neves,me comprimetou,deve ter caido na real e percebido que a coxinhas azedaram,,,,

  5. Quando o ROTO fala mal do RASGADO ele não ressalta suas qualidades, pelo contrário, aponta que o outro tem mais defeitos que ele.. Esta é nossa situação hoje, coxinhas e mortadelas se degladiando para ver quem é mais sujo ou mais imundo que o outro… triste fim

  6. É impressionante, onde você toca e mexe tem roubo, desabafou o ministro Barroso sobre a operação lava a jato. O contágio ultrapassa o que seria imaginável . É injusto atribuir ao PT a exclusividade das roubalheira,mas o direito do PT de ocupar o lugar mais alto do pódio na modalidade é indiscutível. Não se discute quem roubou e se roubou Sr.Kotscho,Que todos ,salvos exceções raras, roubaram, isso não é novidade alguma, A novidade, repita-se, são os volumes roubados e a voracidade, esta sim, inédita.

  7. É impressionante, onde você toca e mexe tem roubo, desabafou o ministro Barroso sobre a operação lava a jato. O contágio ultrapassa o que seria imaginável . É injusto atribuir ao PT a exclusividade das roubalheira,mas o direito do PT de ocupar o lugar mais alto do pódio na modalidade é indiscutível. Não se discute quem roubou e se roubou Sr.Kotscho,Que todos ,salvos exceções raras, roubaram, isso não é novidade alguma, A novidade, repita-se, são os volumes roubados e a voracidade, esta sim, inédita.

  8. No que isso vai dar, ou melhor, onde vai dar, o sabemos desde logo: nas eleições gerais de 2018, uma vez que o ‘MT’ e o ‘Cartel do PMDB’ têm café com emendas parlamentares no bule. Já aonde isso vai dar, isso tem a ver com a tendência clara de viragem à direita, com a ‘militarização’ da política encarnada no ex-capitão do exército (que não é o Nascimento, mas que anuncia pretender governar com a sua ‘Tropa de Elite’ de generais, almirantes e brigadeiros. Fica impossível imaginarmos os barões midiáticos e as classes patronais apoiando o ex-metalúrgico do sindicalismo do ABC contra o ex-capitão formado na academia de Agulhas Negras. Verdade que na undécima hora, da mesma forma como a Globo tirou da cartola um Collor em 1989, a Vênus platinada também poderia produzir um ‘new Collor’, cerca de 20 anos depois. Afinal, a cada dia que passa, mais o ‘governo MT’ assemelha-se aos estertores do ‘governo Sarney’.

    1. Faço apenas um reparo no seu comentário. Entendo que a “venus platinada” cada vez mais tem menos poder de formação de opinião principalmente junto ao público mais jovem que vive o tempo inteiro conectado a internet e passa muito menos tempo na frente da TV do que o fazia há 25 ou 30 anos atrás. E outro aspecto relativo a “venus platinada”: ela nunca ganhou tanto dinheiro via verbas federais de publicidade como na época em que o Brasil foi governado pelo PT, além de outras benesses concedidas via BNDES, desonerações etc. Para ela, com certeza, a volta do Lula seria uma benção. Quanto as máfias PMDB e todas as demais que contaminam o Legislativo você está coberto de razão. Abs

    2. Há tendência de supervalorizar as redes sociais, como se os ‘barões midiáticos’ não detivessem mais o o poder decisivo de, em ultima instância, influenciar definitivamente o grosso da opinião pública. As redes sociais são apenas ‘mais um’ instrumento; não “o” instrumento. Nesse sentido, e sobretudo no Brasil, o poder quase imperial dos irmãos Marinho não tem rival à altura e demarca o campo pela Vênus e a regra platinada do jogo. Convoco um especialista insuspeito para falar a respeito, porque integrante do primeiro escalão do jornalismo nativo, ao longo dos últimos cinquenta anos, o genovês Mino Carta, apoiados declarado do lulo-petismo, não de seus desvios e malfeitos. Recorto do editorial “Sonho e Realidade” de 22 de maio de 2017, suas impressões a respeito da ‘mídia grande’ e seu poder insuperável na dicção da vontade política dos últimos sessenta anos. A seguir o trecho entre aspas: ” …reinam os senhores Marinho, e ganham, inclusive, a genuflexão de políticos que se dizem de esquerda: o apoio do plim plim é indispensável à sua ascensão. Vale acrescentar que uma entrevista nas páginas amarelas de Veja também é muito valiosa.Em diversas passagens dos governos de Lula e Dilma, a Secom virou antessala da Globo, enquanto CartaCapital era definida revista chapa-branca por praticar o jornalismo com o respeito devido à verdade factual, embora punida por um critério técnico que na Inglaterra teria fulminado The Economist. Nem se fale dos tempos do ministro Paulo Bernardo. Como propagandista das vontades da casa-grande, a mídia esbalda-se agora, fiel à tarefa de semear o ódio contra o operário ousado além da conta e do seu partido”.

  9. Realmente uma coisa o barulho das ruas serviu. Para não transformar o nosso Brasil no que hoje é a Venezuela. Serviram também para acabar com as dezenas de sites, blogs, movimentos sociais, sindicatos, artistas etc, que viviam de nossos impostos. Tenha visto as suplicas da atual presidenta do pt para que seus simpatizantes façam assinaturas de jornais e blogs para que não morram a mingua. O Brasil realmente não melhorou da forma que milhões de brasileiros esperavam, mas não temos a menor dúvida que estaria bem pior se continuasse no comando a esquerda mais corrupta da história brasileira. O que não entendo é a dita esquerda que protege o povo e tem todo o dito apoio dos movimentos sociais, sindicatos, ongs, artistas etc não conseguem juntar mais de um punhado de pessoas para protestar? Acabaram as motivações dos nossos impostos? Vida que segue.

  10. Temer praticar generosidade com dinheiro alheio a parlamentares sem escrúpulo algum a fim de salvar o próprio pescoço e de carona favorecer os escudeiros Padilha e Moreira, traz o simbolismo da realista política do planalto, praticada sem o mínimo de senso ético e valor moral. E o que dizer de Maia? Nos representa? Aquele mesmo que declarou“ A câmara vai manter a defesa da agenda do mercado“, ou seja, vota o que o mercado determina! Mais um subalterno dos interesses inconfessáveis das forças que depuseram Dilma… não há saída, o desânimo se dá ao passo que estes “aliados“ do mercado, não dão a mínima a qualquer manifestação popular, restando as redes para o povo, refém dessa vergonheira toda. No que isso vai dar? Acho que para saber devemos esperar outubro de 2018, período que até lá certamente será registrado nos livros de história, como um dos mais insanos vivenciados por uma sociedade refém de um poder executivo indigno da própria razão de existir da política…

  11. Desde logo, estimado Kotscho, solicito-lhe anuência para a extensão do comentário. Se o considerar pertinente, publique-o. Caso contrário, desde já aceito-lhe as razões do descarte. Trata-se de uma perspicaz avaliação da repórter Consuelo Dieguez, registrada na Piauí (a Caros Amigos da direita), em sua edição número 45 de junho de 2010, portanto, faz exatos 7anos, a respeito daquilo que chamo de ‘Cartel’, não de partido, o PMDB do ‘MT’. Passo o link da matéria da Piauí, com o título “A Cara do PMDB’, assinada pela jornalista atrás mencionada. O link é o seguinte: http://piaui.folha.uol.com.br/materia/a-cara-do-pmdb/. Não transcrevo a matéria porque o recorte do conteúdo é proibido sem a permissão prévia da revista. Recomendo mesmo a leitura, porque é o melhor e mais conciso detalhamento que já li a respeito do PMDB do ‘MT’. Será possível compreender o porquê da ‘resiliência’ do “Cartel’, que não somente permanecerá à frente do Planalto até 2018 (contra 90% da população) e ainda dará as cartas principais nas eleições de 2018. Não há luz (nem sequer túnel), sob o domínio do ‘Cartel’.

  12. Um jovem de 17 anos foi baleado na madrugada desta segunda-feira (31) enquanto pegava alimentos vencidos na caçamba de um supermercado de Itaquaquecetuba, a 42 km da capital São Paulo. Quando li esta reportagem do uol fiquei pensando: Vivemos atualmente em um País que políticos roubam na luz do dia e não acontece nada, entretanto, uma pessoa faminta não tem direito nem de consumir alimentos vencidos jogados no lixo. Que País é esse!

  13. O povo brasileiro mais uma vez derrotado pelos parlamentares -Supostos representantes do povo!.Em 2018 haverá nas eleições a maior abstenção e votos nulos e brancos de todos os tempos!.

  14. Com essa votação de ontem percebe o seguinte: Antes da lava jato já existia corrupção, com a lava jato continua a corrupção e depois da lava jato continuará a corrupção. A lava jato só servirá para uma coisa, impedir o Lula de ser candidato as eleições em 2018 e somente isso, nada mais.

  15. Não se compra parlamentares como acusam as esquerdas. Os parlamentares são assedido, cooptados, aliciados ou agregados por uma causa pontual. Comprar supõe negociações espúrias ,desonestas e prostituídas e, em tais condições não são inerentes à classe política atual, principalmente àquela formada pós 1985, assim que os militares deixaram o poder. Afinal ,eles não aguardaram pacientemente 21 anos de regime e contingenciação. Não foi em vão que um bêbado trajava luto e caía a tarde feito um viaduto lembrou Carlitos . E a Lua ,tal qual a dona do bordel fazia irreverências mil pedia a cada estrela fria, um brilho de aluguel. Brasil, meu Brasil, que sonhou com a volta do irmão do Henfil e com tanta gente que partiu num rabo de foguete e voltaram milionários e recebem pensões de marajás pagas pelo esquálido estado.

  16. Não se compra parlamentares como acusam as esquerdas. Os parlamentares são assedido, cooptados, aliciados ou agregados por uma causa pontual. Comprar supõe negociações espúrias ,desonestas e prostituídas e, em tais condições não são inerentes à classe política atual, principalmente àquela formada pós 1985, assim que os militares deixaram o poder. Afinal ,eles não aguardaram pacientemente 21 anos de regime e contingenciação. Não foi em vão que um bêbado trajava luto e caía a tarde feito um viaduto lembrou Carlitos . E a Lua ,tal qual a dona do bordel fazia irreverências mil pedia a cada estrela fria, um brilho de aluguel. Brasil, meu Brasil, que sonhou com a volta do irmão do Henfil e com tanta gente que partiu num rabo de foguete e voltaram milionários e recebem pensões de marajás pagas pelo esquálido estado.

  17. Prezado Kotscho: “O que me preocupa não é nem o grito dos corruptos, dos violentos, dos desonestos, dos sem caráter, dos sem ética… O que me preocupa é o silêncio dos bons.” – Martin Luther King.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *