Mendigos molhados, patos enfurnados

Mendigos molhados, patos enfurnados

O prefeito João Doria distribuiu nesta quarta (19) cobertores a moradores de rua em SP (Foto: CJPress/Folhapress)

Aos leitores,

vou passar os próximos dias fora de São Paulo numa região onde a conexão da internet ainda é intermitente, o que pode prejudicar a atualização do Balaio.

Ricardo Kotscho

***

Em tempo: (atualizado às 16h45 de 21.7):

os patos amarelos da Fiesp reapareceram nesta sexta-feira, pelo menos em anúncios nos jornais.

***

Por onde andarão os patos amarelos da Fiesp que enfeitavam as avenidas paulistanas e a Esplanada dos Ministérios em Brasília durante os protestos do ano passado contra a corrupção e o aumento de impostos?

Em lugar deles, agora podem ser encontrados moradores de rua molhados por jatos d´água pelo serviço de limpeza urbana da Prefeitura de São Paulo no dia mais frio do inverno, segundo noticiou a rádio CBN.

Com o anunciado aumento do imposto nos combustíveis a partir desta quinta-feira, será que o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, agora vai soltar os patos enfurnados em algum porão?

Até o fechamento desta edição, Skaf ainda não tinha se manifestado sobre o aumento da taxação de PIS e Cofins na gasolina e no diesel, que vai provocar um efeito cascata nos preços de toda a cadeia produtiva.

Pelo zap-zap no celular, o prefeito João Doria atribuiu a molhação de roupas e cobertores dos mendigos a um “descuido” dos funcionários e recomendou “mais cuidado nos serviços de limpeza”.

Até por uma questão humanitária, nestes dias gelados na cidade, talvez seja o caso de fazer uma nova parceria público-privada, tão ao gosto do prefeito, para ceder o albergue dos patos da Fiesp aos sem-teto, já que os da Prefeitura não tinham mais lugar.

Às quatro e meia da tarde, segundo a Folha, 15 pessoas aguardavam na fila do lado de fora para tentar entrar no centro de atendimento instalado próximo à praça Princesa Isabel, no centro.

Lembra do pato? (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

No mesmo dia, a Prefeitura anunciou a inauguração de uma nova unidade de acolhimento com 460 vagas.

Como acontece diariamente nos Estados Unidos de Donald Trump, há duas versões opostas para o mesmo fato:

* Prefeito João Doria: “Por uma circunstância, molharam alguns cobertores das pessoas em situação de rua. Jamais profissional, seja da Prefeitura ou terceirizado, jogou jatos d´água nas pessoas. Essa é uma mentira”.

* Daniela Batista de Oliveira, 28 anos, moradora de rua: “É uma humilhação isso aí, e no maior frio. A gente estava dormindo e chegaram jogando água. Eles molham todo mundo, não estão nem aí. Depois quem morre é a gente, e não eles, que têm as casas e os empregos deles”.

* José Carlos dos Reis, 59, morador de rua da praça da Sé: “Os termômetros estavam marcando menos de 10 graus. Vieram tirar barraca, jogaram água cedinho, começaram a brigar para não levar os pertences. O prefeito tinha que dar uma assistência melhor”.

Na noite anterior, um morador de rua, até agora não identificado, foi encontrado morto de frio em Pinheiros, na zona oeste, sem marcas de violência.

Segundo a Prefeitura, as empresas de limpeza foram notificadas “para que apurem se houve intercorrência” e foi feita a distribuição de mais de mil cobertores em várias regiões da cidade.

Ao levar cobertores pessoalmente, à noite, para a região da Estação Marechal Deodoro do metrô, o prefeito Doria foi hostilizado por um grupo de moradores de rua que o chamaram de “assassino”, relatam os repórteres Guilherme Seto e Giba Bergamim Jr., da Folha.

Em Brasília, para evitar que o deficit fiscal ultrapasse o rombo de R$ 139 bilhões previsto no orçamento deste ano, o governo estuda também o aumento da Cide, outro imposto sobre combustíveis.

Enquanto isso, com o Congresso em férias, o PMDB de Michel Temer e o DEM de Rodrigo Maia disputam o espólio do PSB, o antigo Partido Socialista Brasileiro.

E vida que segue.

28 thoughts on “Mendigos molhados, patos enfurnados

  1. Imagino Este nome de autoridade de Prefeitura, que o caro Kotscho citou várias vezes, e o Bolsonaro candidatos em 2018 exibindo nos palanques cópias de processos de condenação do Outro. Vai ser muita humilhação! Mas, voltando ao post, não é só em SP, mas em todo país que o frio massacra esses coitados desses moradores de rua, que deveriam receber mais cuidados das autoridades. Enquanto os patos amarelos enfurnados somem, os mvtos esquerdistas tentam colocar sem sucesso o povão na rua, pra defender seu líder máximo e as reformas porventura que tramitam no Congresso. Quando os homens estão no poder, são pervertidos ao ponto da tirania, agem pela têmpera da incompreensão, enganação de si mesmos nas consequências de seus atos executivos. Depois, quando são cobrados pela Justiça, reclamam, sem assumir a culpa e nem devolver o que surrupiaram. Nem pedir desculpas pedem. Tem a cara de pau de querer continuar no poder. Quem passou pela experiência do poder é incapaz de permanecer imutável perante as crises, culpa de si mesmos. Este texto quer funcionar como “corretivo” ao buscar a essência de certa moralidade prática na ordem social. Talvez na ânsia de busca da Paz perdida para a sobrevivência da civilização brasileira que todos nós conhecemos. Mas o projeto de Deus caminha, e os homens triunfarão; querendo ou não querendo os esquerdopatas.

  2. É dificil acreditar que um mandatário como o prefeito, seja ele quem for, determine que jogue água fria em quem está dormindo na rua. Por outro lado, cobra-se da administração publica, a limpeza da rua por onde passamos. Ai é que entra a convergencia de interesse e capacidade de quem está administrando a limpeza publica (em geral empresas terceirizadas) de realizar o serviço necessário , sem agredir aquele que ocupa o espaço publico. O ideal mesmo é que não tivessemos moradores de rua dormindo em baixo de marquizes e que os limpadores publicos realizassem seus serviços, sem ter este tipo de problema.

  3. E os usurpadores da verdade não perdem a oportunidade de criticar o espólio deixado. O mínimo de responsabilidade, não dar para creditar ao Dória, nem a enorme quantidade de pessoas nas ruas, nem ações de eventuais funcionários irresponsáveis. Claro que nem todo funcionário que presta serviço público é honesto, e tão pouco cuidadoso com os munícipes, muitas vezes tratam com descaso. Acontece, infelizmente nos hospitais, no INSS, nos Detrans, enfim, em todos lugares tem gente ruim e mau qualificadas. Que seja apurado esse absurdo, e os responsáveis punidos.

    1. Cabe aqui perguntar por que esses mesmos “funcionários irresponsáveis” como tu diz, essa ” gente ruim e mau qualificadas” (não seria mal qualificada ???) nunca cometeram essas barbaridades , essas atrocidades e esses crimes durante o período de gestão do Fernando Haddad ??? São os mesmos funcionários, é a mesma gente !!! Eu trabalhei em duas gestões na Prefeitura de São Paulo (Erundina e Marta) e te digo que ali ninguém faz nada se não tiver ordem e mando e comando superior. Doria em campanha prometeu a “higienização” e está cumprindo, viva o Dória !!!

      1. Quando vejo um esquerdista querendo corrigir o que um da direita escreve, logo penso………coitado do lula com essa turchurma a volta dele, como deve ter sofrido.

    2. “como tu diz, essa ” gente ruim e mau qualificadas” (não seria mal qualificada ???) “…

      o errado corrigindo o errado….ou seria o “cego guiando o cego”…que nível…..que nível…”o horror…o horror…”

  4. Há uns 3 ou 4 anos atrás a nossa então “presidenta” Dilma Roussef tinha “decretado” o fim da miséria no Brasil. A classe média (com renda mensal entre R$300,00 e R$1.000) vivia então os grandes sonhos de consumo. A inclusão social se dava via financiamento de tênis de grife, celulares, e outros bens básicos e fundamentais que caracterizam inclusão social, segundo o governo da época. Afinal de contas educação e saúde pode ficar pra mais tarde. Como diziam alguns beneficiários do bolsa família: “tem que aumentar o valor do Bolsa Família. Um tênis de grife custa quase R$1.000”. Passada a ilusão chegou a realidade. Chegou a conta. Desemprego, inadimplência, miséria crescente, fome, ou seja, a realidade que nunca deixou de existir mas que foi muito bem “mascarada”. O que existe hoje, meu caro Kotscho, nunca deixou de existir. A miséria e pobreza com moradores de rua sofrendo e morrendo nas grandes cidades sempre foi uma realidade da vida brasileira. Não mudou nada. É que agora interessa a alguns “jogar na cara” da população a realidade e há alguns atrás não interessava, afinal de contas o Brasil tinha “erradicado a miséria”. Quanto aos patos amarelos devem estar escondidos em algum armazém na periferia de São Paulo. Boa ideia destruir os patos e usar os armazéns para abrigar os miseráveis desse frio anormal que assola a cidade de São Paulo. Sugestão a ser enviada ao Dória. Abs

    1. Há uns 3 ou 4 anos atrás… (redundância)
      Há 3 ou 4 anos… (está expresso o tempo pretérito).
      A única utilidade desse texto, talvez, tenha sido a possibilidade de retificar esse crasso erro gramatical.
      O resto é o mesmo de sempre: platitudes!

  5. O episódio remete ao índio Galdino (alguém recorda-se dele?). O pataxó foi queimado vivo enquanto dormia em um abrigo de um ponto de ônibus em Brasília, no ‘Dia do índio’, no auge do ‘Plano Real’ e da ‘Lei de Responsabilidade Fiscal’. Moradores de rua e aborígenes tornaram-se criaturas emblemáticas dos indivíduos ‘descartáveis’,porque imprestáveis aos critérios de rentabilidade da existência social mediada exclusivamente pelas leis do mercado. A ‘queima’ do índio não difere, em nada, do ‘jato d’água’, porque convergem para o mesmo objetivo: a ‘limpeza’. Nos anos 40 do século passado assistimos ao maior espetáculo de limpeza étnica na Europa, nos campos de Treblinka, Dachau, Sobibor, Bergen-Belsen e Auschwitz. Talvez estejamos, hoje, nos umbrais de uma era de ‘limpeza social’. Quanto aos patos; há um ‘manco’ no Planalto disposto a espetar a conta da depressão econômica e social no lombo do ‘Brasil de baixo’, como diria o poeta camponês Patativa do Assaré.

  6. Oi Kotschko,

    só faltava essa.
    Os brasileiros terao de pagar ainda mais impostos para cobrir o rombo dos roubos dessas espécies que se denominam políticos.
    Políticos defendendo políticos. E o povo se fudendo.
    É bem verdade, que nem todos políticos sao sangue-sugas dos bens do país.
    Enquanto os brasileiros continuarem idolatrando políticos o final será sempre esse.
    Infelizmente, é tudo decorrente da falta de consciencia e responsabilidade ao usar o direito do voto.
    Muitos oportunistas de plantao 8 mais do que suficiente) estarao lá esperando e levando o voto embora para os seus próprios usos. Financiar a própria existencia Sem ter de trabalhar. Assim sao esses vermes.
    Enquanto isso, milhoes e milhoes de brasileiros terao de acordar às 5 da manha para produzir impostos para serem mal usados e em grande parte acabando sendo roubados.
    Acorda Brasil!
    Onde esta o Brasil?

  7. Ora,
    nao há nada mais absurdo do que ver um prefeito de uma cidade distribuindo cobertores para moradores de rua.
    Em primeiro lugar, jamais deveria haver moradores de rua..
    Como é que um prefeito pode dizer:
    Boa noite (para alguém morando na rua) mas infelizmente eu tenho que ir para casa..
    Num país tao rico como o nosso vergonha é algo ainda desconhecido.
    A falta de pudor também.
    E enquanto bilhoes sao desviados por muitos políticos.

  8. Caro, é sempre a mesma ladainha: toda vez que o atual prefeito sofre algum tipo de crítica, ele e seus simpatizantes culpam a gestão anterior. Ora se é o sr João Doria que está no comando agora, então é ele que deve responder pelos seus atos, e é dele que devemos cobrar, certo? Haddad foi muito cobrado e muito criticado, por que João Doria também não pode ser? O que percebo é que de repente, todos ficaram muito tolerantes com os atuais governantes, a começar pelo comandante máximo desse país…Eles conspiram, tramam na cara dura (essa da compra de votos para enterrar a denúncia é de lascar) perderam totalmente o pudor. Tenho observado como Doria se posiciona em relação a tudo isso. Apesar dos frequentes escândalos de corrupção que envolvem o atual presidente ele insiste em atacar o Lula. O seu PSDB, sabe se lá por qual motivo, continua firme e forte no governo do presidente corrupto, e ainda chama Lula de cara de pau? Cadê a coerência sr. prefeito? Cadê o seu discursinho moralista quando as denuncias envolvem Temer e o PSDB, principalmete Aecio Neves? Com a quantidade de políticos caras de pau que existem hoje , incluindo o prefeito de São Paulo, vai faltar óleo de peroba no Brasil….

  9. Os patos amarelos estão nas suas coberturas chique e mansões comendo e bebendo do bom e melhor e o povão bom que morra de fome e frio afinal não foi pra isso que eles colocaram Michel temer e cia para exterminar o povo pobre desse pais infelizmente e so o começo com Michel temer Aécio Neves Geraldo Alckmin Jair Bolsonaro Sergio Moro Gilmar Mendes so virão Dias de miséria fome e desespero para os 99 porcento da população Brasileira que não fazem partem dos patos Amarelos da FIESP

  10. Prezado Kotscho: Se “Pelo zap-zap no celular, o prefeito João Doria atribuiu a molhação de roupas e cobertores dos mendigos a um “descuido” dos funcionários e recomendou “mais cuidado nos serviços de limpeza”, uns dias antes, parece que ele atendeu pessoalmente os integrantes do MBL que, num bonito gesto de “civilidade”, foram pintar de branco o muro da casa do prefeito que havia sido pichado. Lembro que você no Jornal da Record News, com o Heródoto Barbeiro, perguntou ao representante desse movimento quem os apoiava.

  11. Doria não veste bem a fantasia de Prefeito. Como peão da madrugada, usa o “cobertor de negrinho” para ganhar 8 segundos de fama, “laçando” o pescoço de mais um irmão da rua. O inocente Negrão sorri para Doria, ao receber mais um, talvez o milésimo cobertor de negrinho de sua vida. Diante do desamor da sociedade, ele vê mais uma mão piedosa e na madrugada gelada, veste a fantasia. É verdadeiro o sorriso de sua alma… coração pulsando de esperança. A foto eterniza a cena. Infelizmente, a exuberante felicidade… não alcançará 8 segundos de alegria, justiça e paz de espírito. Doria é o menos culpado. A sociedade é que não veste bem a fantasia da misericórdia!

  12. Parece que ninguém é o culpado,por atos desta natureza.Outro comentarista político de uma rede famosa -Trata os pobres,como sendo pobres “diabos!.E desconhece a origem da violência no Rio de Janeiro – O famoso Brozola – O tráfico não desce os morros(não descia) e a polícia não sobe!.

  13. Bom dia, Kotscho!!! Qdo leio alguns comentarios aqui postados, chego a pensar que a humanidade , seu real sentido, não mais existe, mas recupero a esperança qdo vejo na periferia, nos lugares mais pobres, pessoas, que mesmo tendo muito pouco, ainda assim dividem o que tem, nem que seja apenas suas histórias de sofrimento, seus poucos momentos de alegria, verdadeiramente, vividos, histórias que, qdo comparadas a pessoas do tipo deste Sr. Doria, nos envergonham (Àqueles, que, ainda,têm sensibilidade) nos renova as energias, permiti-nos sonhar, lembra-nos que é possível,coletivamente, fazer coisas boas!!! Sugiro que essas pessoas “desumanas” se libertem de seu preconceito e procurem conhecer, na prática e não na teoria e falsa propaganda, a realidade de quem mora nas ruas e nos bairros pobres da periferia, visitem presídios, passem uma noite na emergência de hospital público!!! Depois dê dua opinião!!!

  14. Mendigos molhados, patos enfurnados, analfabichos de estimação adestrados, Doria prefeito e “São Paulo Linda”. É, Mestre, faz mais que sentido, afinal, como Ismália, no desvario em que a gente amarela se perdeu, viam uma lua do céu, projetada no mar e pela luz encantadora vertida na telinha que enlouqueceu-os, sonharam em alcançar a lua do céu e acabaram mergulhando o Brasil profundo no raso do mar. Hoje, os ainda não sentindo-se lacerados, persistem ladrando replicadas desinformações, enquanto os macerados, calados, macambúzios e náufragos, miram-se no fundo inox das panelas silenciadas, sem a lua do céu e sem lua no mar. Fim da Farsa.

  15. Incoerência. Ricardo por diversas vezes faz súplica pelo fim do Fla-flu e logo depois inflama a discórdia. Realmente o que dizer do leitor comum? Críticas ao seu posicionamento? Coerência é o que suplico. Vida que segue

  16. O Sr. Ricardo é o blogueiro (jornalista muito conceituado) mais em cima do muro que conheço! Agrada gregos e troianos, assim consegue caminhar por quilômetros, mas sempre em cima de muros!

  17. Obrigado ao Kotscho pelo espaço que nos dá neste espaço democrático. Aqui na terra, ninguém pode-se dizer juiz á ponto de querer julgar ninguém. Pôncio Pilatos ao mandar a multidão condenar um dos dois, Cristo ou Barrabás, ele já sabia que Barrabás era ladrão e assassino; a maioria crucificou Cristo. Motivo: por ser aquele povo sem religião e sem crença em Deus. Hoje, condena-se um barbudo-, se bem que o mesmo não pode nunca ser comparado á Cristo. Este barbudo certa vez foi convidado pelo papa para confessar, mas, não confessou, – dizendo que não tinha nenhum pecado. Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos estamos enganando pois erramos em gestos, obras e palavras…”se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (1 João 1:8-9). Só depende de você receber ajuda ou não. Você nunca encontrará o que tanto anseia em outros lugares a não ser em Jesus! (Hoje, as pessoas ao invés de assumir seus erros, habitualmente transfere-os aos outros).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *