Gilmar comanda guerra aberta contra Janot

Gilmar comanda guerra aberta contra Janot

“O rabo começa a balançar o cachorro. Ora bolas…”

O autor da frase acima é o ministro Gilmar Mendes, durante seu discurso de mais de duas horas na sessão de quarta-feira do STF para decidir o que fazer com as delações da JBS.

Não poderia haver definição melhor para o estado da arte neste momento caótico que o país está vivendo. Só resta saber quem é o cachorro.

Gilmar sabe das coisas, muito mais do que a gente imagina, está em todas.

Na véspera, à noite, ofereceu um jantar em sua casa para a cúpula do governo: o presidente Michel Temer e seus principais ministros, Eliseu Padilha e Moreira Franco.

O encontro não estava na agenda oficial de nenhum deles.

A versão oficial do Palácio do Planalto é que discutiram a reforma política, mas meu colega blogueiro Ricardo Noblat, de O Globo, estranhou a pauta:

“Seria admissível em um país civilizado e de fato democrático, onde a independência dos poderes é respeitada ao extremo, que um presidente da República, acompanhado de ministros de Estado, fosse jantar na casa de um ministro da mais alta corte de Justiça para, oficialmente, discutir reforma política ou qualquer outro assunto?”

Não precisa ser nenhum gênio da ciência política para saber que este outro assunto poderia ser um só: a indicação do nome que vai ocupar o lugar de Rodrigo Janot na Procuradoria Geral da República a partir de setembro.

Nenhuma surpresa: a escolhida foi Raquel Dodge, a mais anti-Janot na lista tríplice votada pelos membros do Ministério Público Federal.

Duramente atacado pelo presidente Michel Temer no pronunciamento de terça-feira, Janot também foi o principal alvo de Gilmar Mendes na sessão do Supremo, mas ficou em silêncio o tempo todo.

“Lealdade devemos à Constituição e não à Procuradoria Geral da República,” repetiu o ministro várias vezes em seu libelo contra os métodos da força-tarefa da Lava Jato e a homologação do acordo de delação premiada feito com Joesley Batista.

Sem citar nomes, Gilmar acionou sua metralhadora giratória também contra as teses em contrário defendidas por outros ministros, que o estavam derrotando por 7 a 0 quando a sessão recomeçou, mas nenhum vestiu a carapuça.

Empolgado com a própria voz, não se abalou em ficar isolado na discussão sobre as delações premiadas, leu trechos do direito penal alemão no original e abusou de silêncios majestáticos entre um ataque e outro.

“Os parâmetros legais que deveriam reger os acordos nunca foram devidamente observados. Criou-se uma espécie de direito penal de Curitiba. Normas que não têm a ver com o que está na lei”.

Enquanto Gilmar falava no STF, a tropa de choque do governo no Congresso preparava os novos lances da guerra aberta contra Rodrigo Janot.

A base aliada quer convocar procuradores envolvidos nas negociações do acordo de delação na PGR assim que a CPI da JBS for instalada.

O deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), um dos principais aliados do presidente, já entrou com ação na Justiça solicitando o registro dos acessos ao prédio da PGR pelos delatores no período de março a maio.

“Os executivos delatores demonstraram a todo o Brasil que o crime, para eles, compensou”, diz o deputado na ação.

Esta vai ser a a principal estratégia do governo em sua defesa na Câmara, onde começa a tramitar hoje a denúncia encaminhada pelo STF contra o presidente Michel Temer por corrupção passiva.

É só disso que se vai tratar nos próximos dias.

Para cuidar da sua defesa, Temer até cancelou a viagem para participar da reunião do G20 na próxima semana, em Hamburgo, na Alemanha. E o Congresso deve cancelar o recesso de julho.

É a primeira vez, desde 2008, que um presidente do Brasil não vai comparecer ao encontro.

Vida que segue.

Em tempo (atualizado às 11h55):

Gilmar Mendes foi sorteado na terça-feira para ser relator do inquérito que investiga o tucano José Serra, citado na delação da Odebrecht.

Hoje, quinta-feira, Gilmar Mendes vai receber em seu gabinete o senador José Serra, segundo agenda divulgada pelo TSE.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

27 thoughts on “Gilmar comanda guerra aberta contra Janot

  1. O cachorro tem nome: Temer. Cada deputado e senador do PMDB é um rabo. Este, abana Temer que se engasgou com a linguiça da carne podre… no porão do Palácio do Planalto. Gilmar Mendes, o ombudsmaníaco de plantão, ontem, surtou no STF. Revelou-se pela centésima vez… o grande guru do vice traidor que não larga o osso, já leprosado de seu governo mantido pelo PSDB e PMDB e DEM e outros… Algo me intui que o povo não deixará por menos. Quero ver se Rachel tem o rabo preso. Cachorro, a cancerosa política brasileira… tem aos milhões. (peço desculpas por palavras que chocam, mas nunca o esgoto a céu aberto… dessa atitude de Temer e sua turma… representou tão bem a escatologia desse governo… em seu final dos finais).

  2. Caro Kotscho, o destino do Lula já está traçado. (…). Não posso adiantar o resultado. É só alguém que consegue infiltrar facilmente na Direita, na Esquerda, e no Judiciário-, sabe com antecedência o que vai acontecer. Você tem toda razão de estar desconfiado. Você é um marinheiro velho de estrada. No Judiciário, realmente, cada um sabe quem é quem. Nada que vai acontecer no futuro não vai me surpreender. Já sei o resultado. Do outro lado, posso te garantir, com certeza, que, a única diferença da Dilma pro Temer – é que a Dilma não tinha o apoio do Congresso Nacional; e o Temer tem. Vou até mais além: a grande massa aqui em baixo sabe que lá em cima está havendo muito roubo, e essa grande maioria (72%) é pobre – ganha até dois salários mínimo – e é quem vai pagar a conta. Tanto no Mensalão, Petrolão e Lavajato, cada um deveria ser julgado não pelo espetáculo ou por aclamação duma maioria que erra ao agir brutalmente pelo instinto, não pela razão da maioria dos oprimidos, mas tão-só, pelo florescimento de Justiça no fundo do coração de cada indivíduo.

  3. Temer e capachos foram jantar na casa do Ministro para tratar de reforma política e outros assuntos? Hmm… Fico com os “outros assuntos”. Estudaram a estratégia de revitalizar a “bolsa de 500 mil por mês. Por isso, Joesley foi internado com dores nas costas. Ninguém da J&S apareceu para gravar, taí a razão do discurso pesadão de Gilmar……… Gilmar estava pesadão, engravidado pela denúncia ao Presidente da República……. Estava com fome de comer linguiça. Foi para o plenário no maior desespero. Parecia o Bolsonaro, nada mais que isso. Revelou-se, mais……… Sim, mais um pouco e vestiria a farda de fanfarão, aquela… distribuída gratuitamente pelo impichado presidente de menos de 7% de aprovação popular. Pode? Pode, porque o povo não de sacode!

    1. Caro Kotscho , alguém sabe de outro país no mundo que tenha uma TV Justiça paga pelo erário público para transmitir ao vivo aqueles julgamentos todos em uma língua que ninguém entende ??? E já que temos uma, por que não transmitem também os sorteios de juízes que irão decidir o futuro do Brasil ??? Eu pensei que a bolinha só fosse viciada no caso do Aécio, mas agora vejo que o vício se estende pra tucanada toda !!! ” É justo, muito justo, justíssimo” diria o Coronel Belarmino, personagem interpretado pelo saudoso José Wilcker na novela Renascer num tempo em que novela era apenas um entretenimento da televisão e não um martírio para expulsar do Jaburu um presidente ladrão e mete-lo logo dentro da cadeia. Com a “justiça” que temos nunca que a democracia vai renascer !!! NUNCA !!!

  4. Então, Mestre, quando não há separação entre os poderes, o público torna-se assunto privado do pretenso divino (que não Da Guia) e todos são forçados a curvarem-se perante o toga falante, não resta dúvida que estamos a testemunhar, ocular e virtualmente, Gilmar XIV atualizar a história, repetindo-a, sem sequer pronunciar: “O Supremo Sou Eu”. PS: Passa da hora, pulando-se uma casa, promover-se esse maçônico supremo, a Gilmar XVI, antes que tarde, seja nunca.

  5. Realmente é muito estranho como estão sendo conduzidos alguns julgamentos no STF. Por exemplo, quando relaxaram a prisão de José Dirceu. Votaram a favor de Dirceu os ministros Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes. Salvo engano Dias Toffoli foi advogado e sempre Amigo de José Dirceu. Sendo inclusive assessor jurídico da Casa Civil quando Dirceu era ministro ou é mentira? Infelizmente não li uma linha sobre isso. Também sobre a decisão de Fachin de tirar do Grande Sérgio Moro quatro processos do ex. Isso também é bem estranho tendo em vista que o nobre Ministro fez campanha a favor da afastada. Também nenhuma linha. Quando o honesto ex-ministro da fazenda Mantega informou que tinha uma continha não declarada no exterior. Também nenhuma linha. Bom, é aquela velha historia do copo meio cheio ou meio vazio, dependendo de quem olha. Acho muito estranho todas essas reuniões e manobras, mas também acho estranho por coerência às decisões de Fachin e Toffoli quando se trata de alguns “amigos” ou “heróis” ideológicos. As instituições infelizmente estão contaminadas pelos interesses escusos de meia dúzia de salteadores que levaram ou levam milhões de vantagens em detrimento ao sofrimento diário do cidadão honesto brasileiro. Então partindo dessas primícias vamos abrir o leque de desconfianças. Vida que segue

    1. Caro Mauricio, conheço o Dias Toffoli, trabalhei com ele na Prefeitura de São Paulo durante o Governo Marta quando ele foi chefe de gabinete na Secretaria na qual fui assessor. Não é amigo de José Dirceu e nunca foi seu advogado. Foi assessor jurídico da liderança do PT na Câmara Federal e advogado contratado da Campanha Lula em 2002. Assumiu cargos no primeiro Governo Lula mas nunca foi filiado ao PT. Te digo isso pra satisfazer tuas cobranças sempre para um lado só. Não adianta escrever uma ou várias linhas que tu vai distorcer todas já que o teu ódio é maior que a tua visão.

  6. É triste demais, observarmos impotentes, as ações execráveis e funestas para o Brasil, de alguém que tem ou deveria ter responsabilidade, e, o dever de cumprir os preceitos legais. Se ele não fosse ministro do STF e Presidente do TSE, ele seria visto como um mafioso, bandido, corrupto, e, outras cositas más…, Rodrigo Janot como Procurador Geral da República (e não Engavetador Geral da República), faz a sua obrigação, mas quanto ao “ministro bandido”, ele faz a política partidária suja, dos canalhas golpistas. Seu lugar sem dúvida alguma, não seria no pleno do STF, mas na plenitude de uma CELA.

  7. Infelizmente, a lei penal só funciona para o pobre, esse Ministrinho envergonha o Brasil, Ele é a cara dos políticos brasileiros. JANOT o Brasil está com você, o POVO BRASILEIRO está com você.

  8. Caro Koscho, é a primeira vez que comento, mas já venho acompanhando seu blog há algumas semanas. Parabéns pelo trabalho aqui e no JRN.
    Quanto ao Brasil, apesar de jovem, já me sinto cansado e deprimido de acompanhar sua história. Tenho para mim que ainda não vivemos numa democracia minimamente estabecida. Caso contrário, não haveria espaço para personagens como Gilmar e Temer se manterem nos cargos mesmo cometendo os mais diversos tipos de barbáries.

  9. Caro Ênio! Passei aqui a não mais fazer comentários em cima dos outros justamente para não ficar uma discursão sem fim. Principalmente com Você que já me ofendeu incluindo minha família. Demostrando o que realmente é ódio. Sendo necessário o Ricardo excluir seus comentários. Bom. Quanto ao seu comentário gostaria que tivesse coragem de falar de cada exemplo que mencionei não apenas um que de nada adiantou, pois continua sendo um ministro com corpo e alma petista. Aguardo sua coragem de comentar o restante. Abraços

    1. Tua família??? Não conheço tua família assim como tu não conhece a mim. Essas discussões inúteis e sem fim acabam quase sempre levando ao delírio, isso é certo. Já tive inúmeros comentários meus excluídos pelo Kotscho quando exagerei. Nunca reclamei porque o blog é dele e se excluiu foi por eu estar errado. Nunca me achei dono da verdade e da razão como muitos aqui incluindo tu. Só comento o comentário dos outros quando estou seguro de que ali há inverdades ou ofensas ao bom debate. Tenho mais de 40 anos de militância política e vivi a história recente do Brasil no palco ou nas coxias e não da platéia. Não escrevo por ouvir falar, escrevo do que vivi e ainda vivo no que se refere ao meu partido e a política no Brasil. Se por acaso tu enxergastes o lado vazio do copo achando que te ofendi, peço – te então as devidas desculpas (não tenho nenhum problema com isso) mas te garanto que nunca tive tal intenção. Quem me conhece sabe, quem não me conhece duvida.
      Em tempo: Só escrevo o que eu quero e não o que me cobram ou exigem afinal ainda não se consolidou o estado policial no nosso país, não é mesmo?. De que adianta a “coragem” que tu me exige para comentar as tuas outras bobagens? Não acrescenta nada nas tuas sólidas e impenetráveis convicções e incomoda os demais leitores. Por conta das minhas condições de vida o ódio já foi (há muito tempo) abolido e extirpado em tudo o que faço. Tente saber de mim antes de me pré julgar e condenar (procure no Google)

    2. Caro Maurício, intrometendo-me nesse diálogo não custa lembrar do ministro do supremo particular chamado Alexandre de Moraes. Os vários diálogos explícitos falando em parar a lava jato, aliás o erro do PT foi não ter domesticado o dragão, (a lava jato), qdo este era pequeno não tinha crescido e se tornado este monstro que o engoliu. Ah se um petista fizesse metade das barbaridades que esse governo tem feito. Ou os inocentes de plantão não sabiam que quadrilha mesmo era o PMDB. Que aliás como o DEM já está a cogitar trocar de nome. Mas como diz o mestre Kotscho, vida que segue ou não né, vida que continua parada.

    3. Tenho toda certeza da sensibilidade do Ricardo quanto sua moderação. Os fatos que apontei foram verídicos e se quiser pode solicitar informações ao Ricardo. Reafirmo que esses são os motivos que não fico analisando o que os outros escrevem. Apenas me reservo o direito que é dado pelo Ricardo de comentar seus post. Mas é sempre assim, quando não temos argumentos partimos para desqualificar as pessoas, menosprezando seus conhecimentos e tentando demostrar superioridade, tentando. A psicologia interpreta essas situações. Bom! Como não tive as respostas corajosas entendo a tentativa de me desqualificar. Abraços

  10. estava lendo este artigo da Folha: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2017/06/1897306-alckmin-vai-relancar-sistema-que-ja-custou-r-30-milhoes-e-nao-funciona.shtml…e deparei com o seguinte comentário, que sintetiza a capacidade tucana de governar:
    “Daqui a pouco a premiada firma tabajara Alckmin&Doria vai relançar aquele famoso projeto de despoluição do RioPinheiros pelo sistema de flotação, que consistia em injetar produtos químicos e oxigênio na água. Em dez anos, o projeto consumiu R$ 160milhões, mas foi cancelado porque não despoluía coisa alguma. Além do mais, flotação não atinge metais pesados. Todo mundo (até eu) sabia disso antes de comprar o equipamento da Alemanha. Aê, Alckmin!”

    1. Caro Everaldo, essa é a maneira da direita administrar no Brasil. Você não está observando o que PMDB, PSDB, DEM, e outros partidos de balcão estão fazendo com o País.

    2. Depois do impeachment da Dilma, não sabemos direito quem governa o País. A democracia que já era frágil, agora está na UTI. Hoje vivemos no País do tudo pode, se for para proteger bandidos.

  11. Caro Kotscho, mole, mole!!! Moderar debate entre um monge e um frei é o mesmo que sentar nas nuvens e se alimentar de luz. Duro é encarar todo dia bate boca inútil entre coxinhas e mortadelas. Talvez eu consiga ir apesar de ter mudado de casa esta semana e sábado ser o dia da visita dos familiares curiosos em conhecer meu novo cafofo. Mas por falar em mortadela, me deu vontade de comer o famoso sanduíche dessa iguaria encontrado lá no mercado municipal. Não sei qual o segredo para ser tão bom e diferente. Uns dizem que é o pão mas eu acho mesmo que é a qualidade da mortadela.
    Em tempo: Dependendo da coxinha eu como com gosto também. Só me fazem mal aquelas preparadas com ódio que apodrecem as ditas cujas de dentro pra fora como é fácil de aqui se ver (se ler).

  12. (Gilmar comanda…) Penso que a lealdade é devida ao povo brasileiro, que é quem paga o salário de toda essa gente. As Leis são importantes em qualquer país, mas quando são feitas por políticos como os nossos, cuja qualidade média é abaixo do sofrível, parece ser irrelevante e incomum o respeito às leis…infelizmente!

  13. so gostaria de saber quando a lava jato vai chegar ate esse ministro de toga chamado gilmar mendes, ta na cara que ele ta envolvido ate o pescoço. no golpe da dilma .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *