São Paulo de Ceni & Leco segue rumo à degola

São Paulo de Ceni & Leco segue rumo à degola

Rafael Ribeiro/ CBF

Eles conseguiram. Com tantos erros na compra e venda de jogadores, escalações e substituições, a pomposa dupla Ceni & Leco, que transformou o Morumbi em armazém de secos e molhados, está levando o tricampeão mundial para a zona da degola rumo à Segundona do Brasileirão, algo inédito na história do clube.

Carlos Augusto de Barros e Silva, o presidente de 78 anos, e Rogério Ceni, o técnico estreante, comandantes do desastre, saíram de campo após o quinto jogo sem vitória sob uma sonora vaia da torcida e gritos de “time sem vergonha”, mas não perderam a pose.

A cada fracasso, acham que o time está jogando melhor, e só não ganha por falta de sorte, embora o indigente futebol mostrado em campo desde o início do ano só não seja pior do que as impagáveis entrevistas.

Depois de achar um gol com Jucilei logo no início da partida contra o Fluminense jogando no Morumbi, em vez de partir para cima, o São Paulo voltou ao mesmo tico-tico de sempre no meio de campo até levar o empate em mais uma bobeada da defesa.

Os são-paulinos podem se preparar para o pior por um bom tempo. Reeleito presidente até dezembro de 2020, Leco jogou todas as suas fichas no “Mito”, o eterno goleiro do São Paulo, que nunca tinha treinado um time de futebol.

Com o poder que desfruta no clube, é mais fácil Rogério Ceni demitir seu amigo Leco do que acontecer o contrário.

Se fosse outro o técnico, já teria dançado faz tempo, depois de conquistar apenas 11 pontos em 30 disputados, somente um à frente de Bahia e Atlético Mineiro, que ainda iriam jogar à noite.

Leco se especializou em vender jovens revelações das equipes de base antes de se firmarem como titulares e, em troca, comprar jogadores meia boca já bastante rodados como este Lucas Pratto, que fica mais tempo no chão do que em pé, não ganha uma disputa de bola e passa o jogo inteiro reclamando do juiz.

Em parceria com o estrategista Rogério Ceni, que até agora não definiu um padrão de jogo para o time, o presidente Leco tornou-se conhecido no mercado da bola por comprar caro e vender barato, piorando o elenco a cada nova negociação.

Enquanto isso, gastando muito menos, o Corinthians do competente e humilde Fábio Carille vai a Porto Alegre, mete 1 a 0 no Grêmio em plena casa do adversário e abre quatro pontos de vantagem na liderança do campeonato.

Quem é que vai aguentar o Heródoto Barbeiro agora? É triste essa vida de são-paulino com o time nas mãos desta elegante turma de finórios do futebol.

Que saudades do Muricy Ramalho, o técnico que não dava confiança pra cartola.

E vida que segue.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

11 thoughts on “São Paulo de Ceni & Leco segue rumo à degola

  1. Ceni, fanático por recordes, está a procura de outro: O técnico IBIS do mundo. Falta pouco! Ô Kotscho, eu sempre achei que o Ceni é corintiano infiltrado, né não?

  2. Tá na hora de dar um descanso para o burrico (é assim que se fala, Kotscho?) há tanto tempo levando a carga do Balaio. Compre uma carroça. Chame a dupla do São Paulo: Ceni puxa e Leco empurra atrás a carrocinha. O Paulo Caruso, certamente aprovará.

  3. Prezado Kotscho, aceite meu abraço. Como torcedor do Internacional de Porto Alegre sei bem o que é ver o desastre se aproximando. No entanto devo dizer que pela partida de hoje, seu time me pareceu melhor do que era o meu no ano passado. Desejo sorte.

  4. Rogério Ceni confundiu-se após estágio na Europa. Tentou implantar no Morumbi o futebol tic-tac do Barça e só ficou no tico tico, para desespero do jornalista Ricardo Kotscho.

  5. Nas partidas que assisti de Atlético e São Paulo, aqui no Mineirão; e outras, observei que a principal característica dos jogadores do São Paulo levam vantagem pelo fato de seus jogadores entrarem forte nas disputas de bola com os outros – seus adversários. E o Galo, pela tradicional alta velocidade de seus jogadores. Fico satisfeito quando um time mineiro vence um paulista!(risos). Todo time tem a sua fase ruim, mas pelo que tenho acompanhado na mídia, o fracasso do Ceni, apesar de ser considerado um guardião do time, é bananeira que já deu cacho. Parece que ele mesmo já está constatando isso. Conclusão: já passou da hora dele se aposentar. Pois grandes clubes não vivem só de péssimos resultados, precisando manter um plantel de bons jogadores.

  6. Rogério Seni é do PSDB, isso explica tudo, é igualzinho ao Dória, ou seja, não é político é Encantador de serpentes, na mídia está tudo bem, ótima administração etc… e etc… na vida dos Paulistanos, hehehehehehehe nada se vê do que é alardeado, o Dória é uma galinha que canta sem botar sequer um ovo.
    O Rogério fez curso teórico de técnico de futebol e não fez a parte prática, achou que já sabia, e agora de terno e gravata está aprendendo pela pior maneira, lá pelas tantas a MASSA TORCEDORA, o POVO TORCEDOR DO SP, que Não é a massa cheirosa da Helianae Cantagnede, vai exigir mudanças no São Paulo, e aí a exemplo do que faz o PSDB, o Rogério jamais poderá dar as costas ao povo torcedor e se juntará ao Aécio como grandes derrotados.
    Caro Kotscho, continue sendo São Paulino, mas não espere grandes espetáculos.

  7. Gozações à parte, o Corinthians não chega lá. Embalou antes da hora. O São Paulo mesmo, teve histórica arrancada de 11 jogos e 33 pontos… na reta final. Pro Itaquerão, bastará o primeiro frango, um cavalo paraguaio e tudo desmorona. Futebol é assim, manter-se no auge durante todos o certame é praticamente impossível. Seria como… hmm… Temer, o impichado, em 18 meses, descolar 15 milhões de empregos. Temos uns 4 times que podem embalar a partir da vigésima rodada. Por enquanto, tudo são flores. A torcida do Itaquerão, a gente conhece, né? “Vai, vai Verdão”. Um time desses, na liderança, até que merecia um Itaquerão só pra ele, e não uma dívida de 1 BI e 600 MILHÕES!

  8. Falta a Rogério Ceni, a humildade do líder. Sua prepotência e arrogância, aliadas ao mesmo demérito do cartola, levará o São Paulo certamente ao buraco. E assim é a vida.

  9. aparece no site da CBF uma materia com o ex jogador Denilson que posou para foto com a taça de
    2002.
    Felipão, para segurar o resultado no segundo tempo chamou o jogador para fazer o que sabia e gostava de fazer melhor: driblar a todos irresponsavelmente ate sofrer a falta. “vai lá e segura a bola ate irritar os caras”
    bonito é rever a foto/ imagem inesquecivel da semi final com a armada turca de quatro marcadores tentando lhe tirar a bola. HIlário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *