A vitória dos black blocs: a quem interessa?

A vitória dos black blocs: a quem interessa?

Surpresa é que não foi tudo o que aconteceu na greve geral de sexta-feira.

Para quem leu logo cedo pela manhã os dois jornalões de São Paulo, já estava tudo previsto pelos órgãos de segurança e informação do governo. Vamos relembrar.

Na Folha, sob o título “Alerta máximo”, ficamos sabendo que:

“A equipe de inteligência do governo federal identificou risco de participação de black blocs nos atos da greve geral desta sexta (28) em ao menos cinco capitais: São Paulo, Rio, Brasília, Porto Alegre e Fortaleza. As equipes de segurança locais foram avisadas e o Planalto já trabalha com a possibilidade de haver conflito. Auxiliares do presidente Michel Temer dizem que houve uma radicalização no discurso de convocação para as manifestações após a aprovação da reforma trabalhista.”

No Estadão, sob o título “Governo federal teme radicalização”, a notícia era praticamente a mesma:

“Informações ontem eram de que manifestações teriam presença de black blocs; tentativa seria de provocar imagens de caos logo cedo _ O governo federal identificou que black blocs devem se infiltrar em manifestações programadas para esta sexta-feira contra as reformas da Previdência e trabalhista. Além disso, o Palácio do Planalto recebeu informações de que logo cedo haverá problemas no transporte público nas principais capitais e vias de acesso a aeroportos podem ser bloqueadas”.

Neste sábado, as manchetes sobre a greve geral nos dois jornais, praticamente idênticas, confirmaram as previsões feitas na véspera.

Folha: “Greve atinge transportes e escolas em dia de confronto”.

Estadão: “Greve afeta transporte e comércio e termina com atos de vandalismo”.

E o que foi feito para prevenir e evitar que isto acontecesse?

Como previsto, imagens de violência dominaram a cobertura da greve durante todo o dia, e chegaram ao auge no final da tarde, quando os black blocs entraram em cena para valer no Rio e em São Paulo, quebrando e botando fogo em tudo que encontravam pela frente.

A serviço de quem estava esse bando de celerados sem causa, que apareceu pela primeira vez nos protestos contra o aumento de tarifas, em 2013, vandalizou nas manifestações pró e contra o impeachment nos anos seguintes, e subitamente tinha desaparecido?

Que providências foram tomadas pelas equipes de segurança locais e federais para conter a ação destas quadrilhas de black blocs, já tão conhecidas de outros carnavais?

Será que não deu tempo de montar um esquema especial de segurança, pelo menos em torno da casa paulistana do presidente Michel Temer, no Alto de Pinheiros, um alvo óbvio em todas as manifestações contra o governo?

Em São Paulo, a manifestação dos trabalhadores em greve no Largo da Batata, em Pinheiros, foi pacífica até as 19h30, quando dezenas de black blocs mascarados começaram a depredar lojas e agências bancárias na avenida Faria Lima, e seguiram em frente rumo à casa de Temer, onde houve um longo confronto com a polícia.

No Rio, houve registro de atos de violência durante o dia, mas o caos só tomou conta do centro histórico da cidade, onde oito ônibus foram incendiados, depois das quatro e meia da tarde, porque a tropa de choque demorou para enfrentar os baderneiros, que revidaram com pedras.

Relata a cobertura da Folha: “Em meio a explosões, grupos que defendiam protesto pacífico bateram boca com manifestantes radicais, que faziam barricadas de fogo em latões de lixo na Cinelândia”.

Como não se tem notícia da criação de um Sindicato de Ativistas Adeptos da Tática Black Bloc (SAATBB), as nove centrais reunidas pela primeira vez na organização de uma greve geral devem se prevenir nas próximas manifestações, assim como os órgãos de segurança, para não serem responsabilizadas por possíveis vítimas.

É isso que parecem estar procurando os que ainda não aprenderam a conviver num regime democrático em que deve imperar o Estado de Direito. A quem interessa a vitória dos black blocs?

Os próximos passos dos que se opõem as reformas do governo já estão definidos: nas manifestações programadas para o feriado de segunda-feira, Dia do Trabalhador, as centrais sindicais pretendem fazer uma convocação aos seus filiados para o movimento “ocupar Brasília”, no dia da votação da reforma da Previdência.

Como a votação final não tem data marcada e, tudo indica, deve demorar, porque o governo ainda não tem os votos necessários, dá tempo de se preparar para evitar novos confrontos com os black blocs.

Vida que segue.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

26 thoughts on “A vitória dos black blocs: a quem interessa?

  1. A “vitória dos blackblocs interessa a alguns “artistas,intelectuais ,bandidos e terroristas!..Ah,a Greve Geral. convocada pelos Pelegos,não mobilizou a maioria dos trabalhadores nem o pov.o de um modo geral -Foi uma decepção para os aliados do PT,do Lula,do PSol,do PSTU e comunistas.Na minha modesta opinião,serve também como resposta verdadeira,contrariando a última pesquisa IBOPE”-que apresentava o lula, réu na operação Lava Jato como vencedor,numa possível(embora improvável)candidatura do mesmo..Na minha modesta opinião o grande ‘herói Lula morreu,em se tratando de candidatura á presidência da República.Hoje,nem um candidato a vereador com o seu apoio na cidade de São Bernardo,conseguiu vencer!.

    1. Uma greve não tem necessariente que ter pessoas aos borbotões nas ruas. O objetivo é q se paralise a infra- estrutura que rege a economia.
      As ruas estavam sem movimento, parecia. Ou seja muitos não foram trabalhar. Então, a paralisação aconteceu, quer VC concorde, quer não.

  2. Caro Kotscho, pelo menos no Rio a radicalização e violência pouco teve relação com supostos blackblocs. Escrevi e publiquei o texto abaixo no facebook às 16h30, muito antes de qualquer notícia de vandalismo.
    “Há mais ou menos uma hora (15h30), perto do Palácio Tiradentes, local da manifestação contra as reformas e contra Temer, não parava de chegar gente de todo canto, indicando que o ato certamente ia crescer muito. Parei no Gaúcho (São José) pra acompanhar o movimento e o noticiário na internet. Nas notícias percebe-se um movimento claro, por parte do governo e da imprensa amiga, de desqualificar a greve e as manifestações – de construir uma narrativa de fracasso. De repente, sem que nada tivesse acontecido pra justificar, a polícia começa a lançar bombas nos manifestantes , segundo relato de quem estava perto. O movimento de afluxo para o comício se transformou rapidamente em refluxo de pessoas tensas, chorando e indignadas . Mas resistindo, gritando Fora Temer e ‘tem que acabar a polícia militar’. Não precisa ser muito esperto pra sacar o porquê da radicalização da polícia e pra perceber que o comando da estratégia do golpe permanece centralizado e atuante.”.

  3. O povo brasileiro querem a volta da escravidão. Que volte a escravidão no brasil então, aliás mudem o nome deste País também. “República Corporativa Parlamentarista do Brasil”

  4. Caro Kotscho, tens razão qdo diz que as principais notícias foram os atos de violência. Mas não tem tens razão qdo diz esses grupos apareceram também nas manifestações pró impeachment. Fizemos no Brasil, várias das maiores manifestações já vistas, e em nenhuma delas houve a presença destes radicais mascarados, protegidos por muitos esquerdistas. Perdoa-me pela impressão que parece querer dar, em seu artigo, que supostamente esses “lixos sociais’ que não agrega nada nem para si, nem para suas famílias e muito menos para o País, e que, em seu texto deixa na entrelinhas que eles poderiam estar infiltrados, certamente a mando do governo, com a conivência dos órgãos de segurança, para este fim. Aí já é um absurdo passar esta ideia. Nas manifestações verde e amarela, se era alguém que cairia no cacete, se aparecesse eram esses “lixos sociais. Que é importante lembrar, quando eram pegos pela polícia, eram tratados como “manifestantes”, na época pré copa. E eram defendidos pela esquerda como tais. para mim deveriam ser enquadrados na Lei de Segurança Nacional e Terrorismo. São bandidos, terroristas, desordeiros, isso sim.
    Teve só uma vez que havia o temor deles aparecerem em nossas manifestações, e nossas regras eram claras. Se fossem poucos, nós cuidaríamos deles na pancada mesmo. Entrasse de máscara, a gente já arrancaria. E se fossem muitos, sentaríamos no chão, e a polícia desceria o cacete. Cadê eles que não foram??? Esses lixos, que promovem badernas, muitas vezes aplaudidos por muitos esquerdistas, é um desserviço a qualquer manifestação, de direita, esquerda ou d e qualquer lado. Tenho certeza que muitos esquerdistas não querem isso. Os caras da CUT/MST não foram valentes para bater em funcionários e clientes nos aeroportos, nas estações, estradas, pq não partiram pra cima desses “lixos sociais”?
    No demais, não houve greve geral, houve um protesto que impediu as pessoas se deslocarem aos seus locais de trabalho, fato. Os poucos que foram para as ruas, foram os de sempre. Os revoltados com o Impeachment da Dilma, reforçado pelos sindicalismo que percebe, que com a mudança na lei, terão que trabalhar para mostrar serviços aos trabalhadores para se sentirem representados. E trabalhar para esta turma é uma ofensa!
    É oportundo que os líderes da CUT/MST venham a público e se manifestem, que dar próxima vez não vão tolerar a presença de mascarados nas manifestações, assim como nós não permitimos, e que se unirão com a PM (que não pode bater nos coitadinhos, na frente das câmeras), e desçam a porrada. Ver um membro da CUT/MST espancando um black bloc, irei aplaudir de pé. Certamente, se eu estiver passando por perto, pode me chamar que eu ajudo!
    Bom fim de semana, e bom feriado a todos….

    1. Gilvan,
      em primeiro lugar, não escrevo nas entrelinhas.
      Você pode achar o que quiser, mas não brigar com os fatos: estes black blocs apareceram em todas as manifestações grandes desde 2013.
      Não sei a mando de quem eles agem, mas certamente não é para defender a democracia.
      Ricardo Kotscho

  5. O problema Sr.Kotscho ,sejamos retos, é que estas ONGs são braços armados da esquerda atrofiada no tempo que, como parasitas sobrevivem e apoiam o PT. Parasitas porque, como bactérias e alguns vermes, dependem de um hospedeiro, o PT, que lhes dá guarida. E a maioria é de vagabundos mesmo, na essência, pois não trabalham e dependem de verbas públicas. A sociedade pacífica, no entanto, já está perdendo a paciência e, muito em breve irão enfrentá-los sem a necessidade de se socorrer dos militares, o que seria o mesmo que trocar de opressor. Hoje o povo está sendo massacrado por um minoria violenta e financiada pelo Estado que se tonou, de vez, em inimigo da população ordeira. Comparar estes vândalos inescrupulosos com figuras notáveis que se rebelaram contra opressores é um ato de má fé e má vontade além de ser uma injustiça contra os verdadeiros pacifistas, os quais nunca pregavam e nem agiam com violência e contra o povo.

  6. O problema Sr.Kotscho ,sejamos retos, é que estas ONGs são braços armados da esquerda atrofiada no tempo que, como parasitas sobrevivem e apoiam o PT. Parasitas porque, como bactérias e alguns vermes, dependem de um hospedeiro, o PT, que lhes dá guarida. E a maioria é de vagabundos mesmo, na essência, pois não trabalham e dependem de verbas públicas. A sociedade pacífica, no entanto, já está perdendo a paciência e, muito em breve irão enfrentá-los sem a necessidade de se socorrer dos militares, o que seria o mesmo que trocar de opressor. Hoje o povo está sendo massacrado por um minoria violenta e financiada pelo Estado que se tonou, de vez, em inimigo da população ordeira. Comparar estes vândalos inescrupulosos com figuras notáveis que se rebelaram contra opressores é um ato de má fé e má vontade além de ser uma injustiça contra os verdadeiros pacifistas, os quais nunca pregavam e nem agiam com violência e contra o povo.

  7. Caro Kotscho, eu abomino black block, até hoje não entendi como, porque e para que surgiu no contexto social e político (político ???) essa aberração comportamental que alguns afirmam que veio copiada da Europa.
    Assim como me enoja os “black blocs” da mídia que travestidos de editores e chefetes de redações impõem sua pauta aos berros e ameaças tais quais: “está proibido falar ou escrever Greve !!! Ordens superiores !!! Enfatizem Baderna !!! Quem não seguir está demitido”. Esse foi o relato que alguns jornalistas amigos meus receberam de colegas seus que trabalham na Globo sobre o acontecido no dia de ontem.
    E quem não quiser acreditar que ao menos compare e reflita as seguintes e bem diferentes formas de coberturas e narrativas:

    A Cobertura internacional da “Greve Geral” no mundo:

    New York Times: Greve contra o “governo escandaloso de Michel Temer”.

    Le Monde: “Greve histórica”

    BBC: “Primeira Greve Geral em duas décadas”.

    E no Le Monde o dossiê e filme “Au Brésil, le grand bond en arrière » ou seja : “Brasil: O grande Salto para Trás”.

    No Brasil:

    O Globo: “Temer lamenta bloqueios e reafirma que fará as reformas”

    Estadão: “Manifestação contra reformas afeta as grandes cidades e termina em violência”

    Folha de São Paulo: “Greve atinge transportes e escolas em dia de confronto”

    Bem, agora a minha opinião sobre o dia histórico de ontem :
    Escrevi no começo “Greve Geral” entre ásperas porque ao meu ver toda greve tem que ser por tempo indeterminado. E aí tenho que concordar com meus antagonicos, greve de um dia só não é greve !!! É manifestação !!! Se essa “greve” tivesse acontecido ainda que parcial, mas por tempo indeterminado garanto que já no terceiro dia caía governo, congresso, reforma, STF e a porra toda !!! O povo trabalhador desde sempre nem faz ideia da força que tem.

  8. Sindicalistas e movimentos sociais…..com planejamento de guerrilha, “atacaram” com pequenos grupos, vias, rodovias, terminais de ônibus…..incendiando tudo o que viam pela frente, impedindo acesso a quem queria ir ao trabalho, e falam que conseguiram parar o país……………faz-me-rir.

    Fique tranquilo Kotscho nós Coxinhas de coração…….DERRUBAMOS, IMPEACHTMAMOS, ENQUADRAMOS, ao som de panelas, o nosso “TIRO” é com luvas de pelica e faz um estrago danado.
    Essa coisa de black blocs de quebrar, vandalizar, bandidagem é da esquerda, é de carcaça de frango……..Espero ter tirado sua dúvida Kotscho.

    E.T – Parabéns Doria, vai pedir indenizações aos sindicatos e Movimentos sociais aos prejuízos causados na cidade de São Paulo…….Pra cima deles Doria !!!

  9. Permita ignorar inicialmente o acessório black blocs, para destacar a greve geral de ontem, sem dúvida, factualmente, a maior realizada no país e em condições muito mais difíceis (basta levantar números, extensão, manifestações e forças e instrumentos contrapostos, sem falar em, Le Monde NYT, El País, etc.), paralisando não apenas importantes categorias, como transformando dia útil em domingão na cidade de São Paulo e em inúmeras outras, Brasil afora, e encerrando com manifestação de mais de 60 mil pessoas no Largo da Batata. Mas, mesmo demonstrando força e tendo estabelecido o vir para ficar até a derrota das reformas e do governo golpista, ao passar da régua, não foi da sem dúvida, protagonista, o protagonismo mor. Coube a mídia da desinformação que finalmente revelou-se por inteira ao ordenar que não haveria greve geral, apenas “protestos”, sem meia carga, carga plena, sem meia luz, chapada, sem entrelinhas, explícita, sem coincidência de pauta, pura combinação, sem isenção, parcial, sem tom pastel, berrante, sem disfarce, de cara lavada, sem insinuação, ordem direta. Portanto, não dá mais para ignorar, para respeitar, para creditar, para relevar, para nela trabalhar e dizer não sabe-la, para não apontar que tem lado e não é o neutro, menos ainda o nosso. Então chega-se “a vitória dos “black blocs: a quem interessa?” Elementar, caro Mestre, aos que infiltram as “espoletas militares” para dispararem os “jovens adrenalísticos” ali disponíveis e que não os comprometem (o “capitão do Centro Cultural”, que o diga), para atender e rechear a pauta da Globo no comando da cadeia de desinformação e manipulação, e confundir outros não participes que, involuntariamente, também cumprem o roteiro traçado pela central do golpe, aparelhada pelo Norte. Como disse Snowden, ao saber que mesmo após suas revelações, Dilma persistiu usando os mesmos meios para comunicar-se: “Não é possível!” É, Mestre?

  10. “Ver um membro da CUT/MST espancando um black bloc, irei aplaudir de pé. Certamente, se eu estiver passando por perto, pode me chamar que eu ajudo ! (Gilvanildo Costa – 11:57)”.
    Gilvanildo, antes de comentar essa sua bazófia, preciso corrigir seu erro crasso: o Futuro do Subjuntivo do verbo “Ver” (1º pessoa do singular) é “vir”. Portanto, o correto é: “se eu VIR um membro da CUT/MST”. Dito isso, acrescento que nenhum ser humano minimamente civilizado apoiaria “porrada” em quem quer que seja. Tanto voce quanto Johnny, Meia Coxa, etc.. precisam tratar essa obsessão doentia por “porrada”, que vocês contraíram do Jair Bolsonaro e que vocês, estranhamente, só defendem para assalariados e Petistas, pois com tucanos, PMDBistas, banqueiros e juizes corruptos voces são afáveis e dóceis. Gilvanildo, todos do Balaio sabem que voces não passam de tôcucunhas de meia tigela cuja valentia é só da boca pra fora, pois se um vândalo olhar feio, voces fogem em desabalada carreira, sem olhar pra trás. Abração, Gilvanildo. Boa noite, Balaieiros.

  11. A greve foi pífia. O que aumentou foi o medo das pessoas em relação ao radicalismo da esquerda. Os camisas negras mudaram de cor. Agora as camisas são vermelhas.

  12. “ao som de panelas, o nosso “TIRO” é com luvas de pelica e faz um estrago danado (Meia Coxa – 16:52)”. Verdade, Meia Coxa. O estrago no emprego, na renda e na aposentadoria do brasileiro foi imenso. Parabéns !!!!

  13. Sr. Kotscho.
    Não nos esqueçamos jamais que a presidente Dilma foi apeada do poder através de mecanismos democráticos previstos em leis claras e explícitas no texto Constitucional ,justamente por ter praticados atos ensandecidos e temerários contra o sistema financeiro cominados como crimes de responsabilidade. Fato que resultou no grave problema social em que vivemos. E, falando na greve, vimos, pela primeira vez na história um movimento terrorista que imobilizou a população. Greve MOBILIZA, é diferente. Vi na internet, na forma de pilhera o que já se dizia desde os tempos de Adão e Eva, lá no paraíso onde a serpente já avisava: Greve é igual sexo, se for na marra é estupro.

  14. O Balaio em 3 tempos. 1) Na Folha: ” Alerta máximo – A equipe de inteligência do governo federal identificou riscos de participação dos black blocs nos atos da greve geral”. No Estadão: ” Governo Federal teme radicalização – O governo federal identificou que black blocs devem se infiltrar nas manifestações”………………. 2) A serviço de quem estava esse bando de celerados sem causa? E que providências foram tomadas pelas equipes locais e federais do ramo? Não deu tempo de montar um esquema especial de segurança? A manifestação dos trabalhadores em greve no Largo da Batata foi pacífica até às l9h30, quando dezenas de black blocs MASCARADOS começaram a depredar lojas e agências bancárias na av. Faria Lima e seguiram para a casa paulistana de Temer……………………… 3) Tá certo o jornalista Kotscho ao afirmar que estão a procura de vítimas. O governo se omitiu na preparação de um esquema especial para proteger a ordem pública. A segurança armada e bem armada apenas foi para o confronto, parecendo criar cenas de impacto e violência para a TV e alimentando o caos. Com o dinheiro do povo, esses órgãos precisam no mínimo, mostrar a que vieram e… NÃO FAZER GREVE NA HORA DE MOSTRAR COMPETÊNCIA PARA CRIAR ESTRATÉGIA ESPECIAL e oferecer segurança ao cidadão. Afinal, toda a mídia anunciou a presença dos black blocs.

  15. Lá pela metade do texto, perguntas: “A serviço de quem estava esse bando de celerados sem causa, que apareceu pela primeira vez nos protestos contra o aumento de tarifas… e subitamente tinha desaparecido?” Elementar, caro Mestre, o próprio texto contém a resposta, faltam apenas as informações sobre os jovens que comparecem propensos às ações em que a adrenalina fala alto e como massa de manobra, sem o saberem, são acionados por velhos gatilhos não cansados de guerra, como a amada Tereza Batista, e sobre os quais também não há informações, o resto está lá para se chegar aos mandantes. Mas o vandalismo em agências, vitrines, lixeiras, placas, móveis, etc., que causam tanta comoção em tantos e são merecedores de longas exposições, filmagens, narrativas, condenações, etc., por parte da “isenta” mídia, deixam-me confuso ao não merecerem mesmas e tamanhas comoções e considerações, outros vandalismos bem mais letais, não relativos a objetos e patrimônios, mas sim a pessoas, a humanos, como a mortal cacetada policial desferida contra a cabeça de um manifestante, anteontem em Goiânia, que colocou entre a vida e a morte o jovem, também vandalizado pelo vergonhoso “silêncio” da mídia. Deixa-me também deveras confuso a não, comoção e exposição televisiva, dos corpos dos dez colonos/ posseiros trucidados no Mato Grosso, há dias, com breve narrativa e rápido esquecimento, como também deixa-me por demais perplexo e revoltado, quanto cidadão brasileiro, o vandalismo dos que num domingo infeliz de 2016, submeteram-nos a vexame mundial, atropelando a cidadania, a democracia e dando inicio ao golpe que jogou 54,5 milhões de votos de cidadãos brasileiros que elegeram Dilma, no lixo, para tomada do poder, que redundou nessa imensa crise institucional e econômica, irreversível sem reforma política e eleições gerais e democráticas.

  16. Kotscho, ao fechar teu post, você coloca algo bem revelador, digamos assim, escondido por cortina de fumaça. Bom mesmo é não duvidar da força do movimento sindical.
    No mais, como dito pelo professor da UNB Eugênio Aragão. Vaza Temer, vaza!
    Bom dia do trabalhador.

  17. Muito verdadeiro e explicitamente substancioso, além de educativo e oportuno este Post de hoje assinado pelo Senhor Ricardo Kotscho. E a se acreditar nos últimos números divulgados, o Brasil de FHC, Serra, Aécio, Alckmin e Dória…. Dilma,Temer, Gilmar Mendes, Moro, Renam…. Carmén Lucia, Fachin, Janot e Militares….. Galo, urubu, saci, macaca e Itaquerão…. salário mínimo, Banqueiros, trabalhadores e Lava-Jato…. a se acreditar nos últimos números, já condecoramos 14,8 milhões de brasileiros com a faixa de DESEMPREGADO. O governo impichado que só pensa em reforma para consolidar favores aos dominantes, precisa começar a trabalhar, explicando por exemplo, por quê deixou os 320 mil militares do sexto maior exército do mundo, FORA da reforma da PREVIDÊNCIA?! Bolsonaro, Marina, Huck, Alckmin, Lula, Dória, eu, você, Neymar, a nona…. Minha vó, não, o Moro só pensa nela, quer sujar sua ficha a qualquer preço. Sabe que uma cadeira no STF está barato demais? Gol em Campinas….ééé dooo….(cala a boca Galvão).

  18. A Veja convoca todos os coxinhas paneleiros do Balaio que adoram sair dando “porradas”, corram em seu sitio para votar na enquete sobre a greve…..97% a favor, e espantosos 3% contra.

  19. Frequentemente , revolucionários sucumbem à ganância e acabam sendo dominados pela inclinação de desviar riquezas públicas para enriquecimento pessoal.
    Ao acumular vasta riqueza pessoal e ao atrair os objetivos que o tronaram famosos , eles virtualmente desertaram do povo e se juntaram aos antigos opressores e enriqueceram impiedosamente roubando dos mais pobres dos pobres.
    NELSON MANDELA.
    1998.
    Deduz-se, por conseguinte, que o que ocorreu com o PT, não só não é algo novo, mas corriqueiro, habitual e repetitivo no decorrer da história.
    Lembrando que Nelson Mandela, no auge da luta contra o apartheid era sim, um arruaceiro do Partido Comunista. O longo período do cárcere o mudou totalmente tornando-o um pacifista.

  20. Frequentemente , revolucionários sucumbem à ganância e acabam sendo dominados pela inclinação de desviar riquezas públicas para enriquecimento pessoal.
    Ao acumular vasta riqueza pessoal e ao atrair os objetivos que o tronaram famosos , eles virtualmente desertaram do povo e se juntaram aos antigos opressores e enriqueceram impiedosamente roubando dos mais pobres dos pobres.
    NELSON MANDELA.
    1998.
    Deduz-se, por conseguinte, que o que ocorreu com o PT, não só não é algo novo, mas corriqueiro, habitual e repetitivo no decorrer da história.
    Lembrando que Nelson Mandela, no auge da luta contra o apartheid era sim, um arruaceiro do Partido Comunista. O longo período do cárcere o mudou totalmente tornando-o um pacifista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *