Sociedade Civil volta à cena e lança projeto

Sociedade Civil volta à cena e lança projeto

De volta à cena nacional, a chamada Sociedade Civil coloca na rua nesta quinta-feira o “Projeto Brasil Nação”.

Vai ser às 18 horas, na Faculdade de Direito da USP, no lendário Largo São Francisco, de tantas glórias e tradições, em São Paulo.

Há tempos não se ouvia falar deste movimento cívico e suprapartidário que se notabilizou na Campanha das Diretas, durante a luta pela redemocratização do país no início dos anos 1980.

O manifesto organizado pelo economista Luiz Carlos Bresser Pereira, ex-tucano que foi ministro de Sarney e FHC, já conta com mais de oito mil nomes e é assinado por várias personalidades daquela época.

O texto do documento não se limita a criticar as políticas econômica e social do atual governo, mas propõe medidas concretas como a redução dos juros e do superavit primário para estimular o crescimento.

Ao contrário do que aconteceu em 1984, quando a Folha de S. Paulo liderou a Campanha das Diretas na imprensa (e eu fui escalado pela direção para fazer a cobertura), desta vez o jornal publicou apenas uma notinha tímida em meio ao noticiário sobre a Lava Jato, sob a rubrica “Evento”.

Abriu, porém, um espaço na nobre página A3 para publicar o artigo da jornalista Eleonora de Lucena, que já foi uma competente chefe de redação do jornal.

Sob o título “Projeto Brasil Nação”, o nome dado ao manifesto, ela faz duras críticas ao atual governo, em que resume o caráter do documento.

Como desta vez não participei das articulações e não acompanhei a elaboração do manifesto, reproduzo abaixo alguns trechos do artigo da minha ex-chefe:

“Passado um ano do início do processo de impeachment, o país está bem pior. Sob o governo golpista, retrocedeu anos. A meta dos mandantes parece ser voltar à República Velha, destroçando conquistas sociais e submetendo abertamente o país a interesses externos”.

“Aturdida, a população assistiu à avalanche de prepotência, arrogância e desrespeito. Agora, começa a reagir com mais força. Sindicatos e movimentos sociais atuam de forma mais ativa e suas mobilizações repercutem na sociedade”.

“Nesse quadro, intelectuais, artistas, empresários, profissionais liberais, cientistas, sindicalistas e lideranças dos movimentos sociais resolveram falar”.

“O documento recupera os objetivos gerais que cimentam a sociedade brasileira: democracia, soberania, diminuição da desigualdade, desenvolvimento, proteção ao ambiente. Esboça propostas econômicas e conclama ao debate para a formulação de um projeto de nação com autonomia e inclusão”.

O lançamento do “Projeto Brasil Nação” coincide com a greve geral contra as reformas do governo marcada para esta sexta-feira, mostrando que, após um longo período de hibernação e perplexidade, algo está se movimentando fora dos gabinetes, plenários e tribunais de Brasília.

Esta última semana de abril de 2017 poderá ser lembrada pelos historiadores do futuro como um divisor de águas, a exemplo do que foi o Comício das Diretas Já, na praça da Sé, em janeiro de 1984, na travessia da ditadura para a democracia.

Trinta e três anos depois, o Brasil está novamente diante de uma encruzilhada: para onde vamos?

E vida que segue.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

39 thoughts on “Sociedade Civil volta à cena e lança projeto

  1. O país está pior em quê? Que dados ela tem para afirmar isto? Falar é muito fácil o difícil é provar o que está falando ou escrevendo

  2. Infelizmente nós brasileiros vivemos céticos de lideranças confiáveis. É louvável que tenhamos pensadores pluripartidários propondo novos projetos que visem colocar o Brasil nos trilhos certo. Pórém, o passado nos remete a refletir. Neste caso, o ex- ministro Bresser Pereira teve sua oportunidade de mostrar bons serviços à nação enquanto ministro e o que fez foi um programa pifio, que resultou em inumeras perdas financeiras para grande parcela da população, que foi objeto de milhares de processos judiciais. É triste querer ver uma nova luz no fim deste tunel, mas temos que ficar atento para que não seja a luz da locomotiva que vai nos esmagar

  3. Com a liderança do Bresser Pereira, se alguma coisa vingar, podemos ter um Brasil como quando ele era ministro do Sarney, quem viveu se recorda: preços congelados, racionamento de produtos, ágio, inflação represada artificialmente para estourar depois, um gênio! Poucos brasileiros tem ideias tão atrasadas como esse cidadão. Se é alguém que não é chegado em justiça social e igualdade está ai o nome. O Brasil está tão mal, que pra substituir Dilma tinha um Temer, e Bresser Pereira se apresenta como novidade. Credo em Cruz, estamos na roça!

  4. Qual sociedade civil Sr.Kotsho?A sociedade civil só teria algo a apresentar se enfrentasse as corporações que mandam e desmandam no Brasil. O Brasil ,Sr.Kotscho, já nos ensinava o príncipe liberal, Roberto Campos , desde de priscas eras, tem dono e estes são formados pelas corporações sindicais estatais e do aparato militar. Para que se tenha uma ideia, agora que a reforma da previdência foi totalmente ”desidratada” por corporações, basta lembrar que um servidor público custa 7 vezes mais que um pobre coitado da iniciativa privada e, na média, mais de 60% da receita líquida do tesouro é para pagar super aposentadorias e super salários. Daí porque o tesouro precisa buscar recursos no mercado financeiro com as maires taxas de juros do mundo.Um funcionário público da União que se aposentar neste ano,(2017) aos 60 anos de idade e com expectativa de viver até os 80, custará R$ 3,34 milhões para os cofres do governo.Se for um militar então, valha-me meus anjos protetores, o montante é R$ 4,92 milhões. Porque o VALENTÃO Bresser Pereira não toca neste assunto, que é crucial? E aí está a prova de uma sociedade injusta da qual ,pelo o menos 45% da população ativa é formada por miseráveis que dependem de programas tipo ”bolsa isso bolsa aquilo” como dizia Lula antigamente, antes de aderir aos maus hábitos do liberalismo de compensação. O coeficiente de GINI médio do Brasil bate os 6.5, enquanto, por exemplo, na Dinamarca é de 2.25 (qto + próximo de zero melhor a distribuição de rendas). No falido Rio de Janeiro, cujo fundo de aposentadorias está falido com um déficit de mais de 15 bilhões de reais, há, segundo o jornal O Globo, para cada professor em sala de aula, 26 aposentados os quais ,segundo a mesma fonte, levam 43.5% do Rio previdência. Esta é a discussão, o resto é embromação pura.
    O relator do projeto da reforma previdenciária, coitado, teve baixar a idade de 60 para 55 dos policias civis na marra, pois os sindicalistas invadiram o Congresso e desceram o cacete em todo mundo. Alguém, aí se atreve a discutir isso? Não, claro que não”
    Eu também acho que todos merecem aposentadorias generosas,o que discuto é; quem paga? Ou, quem vai pagar?

    1. Calma,Luiz Carlos,

      eu me atrevo a discutir, sim.
      O episódio dos sindicalistas policiais que invadiram o Congresso e conseguiram o que queriam no grito e na porrada foi devidamente denunciado aqui neste blog.
      Nada tenho a ver com este manifesto, como escrevi no meu post, apenas registrei o seu lançamento hoje, o que é minha obrigação como repórter.
      Ricardo Kotscho

    2. Primeiro, precisamos saber exatamente se há rombo, de quanto é e qual sua origem. Se houvesse seriedade na reforma em tela, haveria de ocorrer uma profunda discussão e não o açodamento que se verifica. Até para que todos se convençam de que estes abusos por voce apontados sejam realmente a razão do deficit e se realmente é o caso de atacá-los. Para isso há que se ter tempo. Está claro que os motivos que movem estas reformas são espúrios.

  5. Qual sociedade civil Sr.Kotsho?A sociedade civil só teria algo a apresentar se enfrentasse as corporações que mandam e desmandam no Brasil. O Brasil ,Sr.Kotscho, já nos ensinava o príncipe liberal, Roberto Campos , desde de priscas eras, tem dono e estes são formados pelas corporações sindicais estatais e do aparato militar. Para que se tenha uma ideia, agora que a reforma da previdência foi totalmente ”desidratada” por corporações, basta lembrar que um servidor público custa 7 vezes mais que um pobre coitado da iniciativa privada e, na média, mais de 60% da receita líquida do tesouro é para pagar super aposentadorias e super salários. Daí porque o tesouro precisa buscar recursos no mercado financeiro com as maires taxas de juros do mundo.Um funcionário público da União que se aposentar neste ano,(2017) aos 60 anos de idade e com expectativa de viver até os 80, custará R$ 3,34 milhões para os cofres do governo.Se for um militar então, valha-me meus anjos protetores, o montante é R$ 4,92 milhões. Porque o VALENTÃO Bresser Pereira não toca neste assunto, que é crucial? E aí está a prova de uma sociedade injusta da qual ,pelo o menos 45% da população ativa é formada por miseráveis que dependem de programas tipo ”bolsa isso bolsa aquilo” como dizia Lula antigamente, antes de aderir aos maus hábitos do liberalismo de compensação. O coeficiente de GINI médio do Brasil bate os 6.5, enquanto, por exemplo, na Dinamarca é de 2.25 (qto + próximo de zero melhor a distribuição de rendas). No falido Rio de Janeiro, cujo fundo de aposentadorias está falido com um déficit de mais de 15 bilhões de reais, há, segundo o jornal O Globo, para cada professor em sala de aula, 26 aposentados os quais ,segundo a mesma fonte, levam 43.5% do Rio previdência. Esta é a discussão, o resto é embromação pura.
    O relator do projeto da reforma previdenciária, coitado, teve baixar a idade de 60 para 55 dos policias civis na marra, pois os sindicalistas invadiram o Congresso e desceram o cacete em todo mundo. Alguém, aí se atreve a discutir isso? Não, claro que não”
    Eu também acho que todos merecem aposentadorias generosas,o que discuto é; quem paga? Ou, quem vai pagar?

  6. Comecei lendo com crédito até quando no “manifesto” diz.. “O Brasil está pior depois do impeachment. Sob um governo golpista…”. Quando citou o Brasser como lider…Lá se foi o crédito que achei que tinha.
    Ou seja, mais do mesmo, que esquerdistas, inconformados por terem perdido o poder, se unem ao Bresser Pereira, um esquerdista de carteirinha, inclusive colunista do portal brasil247, conhecido como um dos “blog dos sujos”. O manifesto mete o pau no Temer, mas não apresenta qualquer crítica a quem no governo por mais de uma década, se juntou e trouxe para dentro do Palácio do Planalto, a Ordebrech, OAS, Friboi, Andrade Gutierrez, Queiroz Galvão, Eiki Batista e seu impório “X”, CAOA, Bradesco, OI/Telemar, e muitas outras, que quem de fato mandou e desmandou no Brasil, deixando mais de 13 milhões de desempregados, a economia na lama, com 3,16 (Três Trilhões e Cento e Sessenta Bilhões de dívidas com juros de 15% ao ano). E mais um déficit de mais de 200 Bilhões anuais no orçamento. Vem agora criticar a remoção dos escombros???

    1. É muita desinformação afirmar que a Odebrecht foi trazida para dentro do palácio nos ultimos dez anos. Por favor, Kotscho, não vejo nenhuma publicação que faço, mas voce permite esta conversa sem nenhuma base factual?

      1. Dimas,
        não me lembro de ter delatado nenhum comentário teu, a não ser que contivesse ofensas a terceiros.
        Não tenho como corrigir informações erradas contidas nos comentários alheios.
        Ricardo Kotscho

  7. Taí uma proposta de projeto de país apresentada para ser discutida e debatida. Agora eu pergunto: Cadê uma proposta, um projeto, uma ideia de país apresentada pelo lado de lá que não seja a entrega das nossas riquezas para fora e quase de graça e o pau eterno no lombo da classe trabalhadora mais pobre e indefesa??? Eles não tem e nunca tiveram projeto algum de país !!! A direita brasileira, com ascendência portuguesa, que só pensa em si e em manter-se ad eternum mandando e mandando ver é a mais violenta, mais sórdida e mais estúpida do mundo !!!

    1. (Comentando o meu próprio comentário) Não posso ser injusto. A direita até que tem sim um propósito: Se passar essa reforma da previdência e o fim da CLT, o próximo passo será a substituição do “minha casa, minha vida” por um programa de construção de habitações coletivas, SENZALAS !!!

      1. Germano, quem te pediu pra tu me levar a sério ??? Nunca tive e nem tenho rancor de nada e de ninguém. O que me incomoda é gente séria.

  8. Mestre, em razão dos três comentário iniciais no post do lançamento do “Projeto Brasil Nação” mostrarem uma das principais razões do cenário político atual, o Brasil mergulhado no poço rumo ao buraco negro, com dois apressados plantonistas repercutindo a estratégia do “bunker golpista”, desautorizar um dos organizadores para contê-lo e outro, para variar, expondo a indigência política que caracteriza os desinformados replicantes, vale reiterar Eleonora de Lucena: “o documento recupera os objetivos gerais que cimentam a sociedade brasileira: democracia, soberania, diminuição da desigualdade, desenvolvimento, proteção ao ambiente. Esboça propostas econômicas e conclama ao debate para a formulação de um projeto de nação com autonomia e inclusão”. E perguntar: Qual então a dificuldade dos que proclamam-se honestos e brasileiros, mas preguiçosamente mantém-se bovinamente adestrados e desinformados, em não confundirem, democracia com comunismo, soberania com bolivariano, diminuição da desigualdade com esmola pra vagabundo, desenvolvimento com corrupção, proteção ao ambiente com frescura de movimentos. Qual a dificuldade em perceberem que precisamos construir o Brasil Nação com autonomia e inclusão, “quae sera tamen”, desde o final do século XVIII? Então, qual o problema, são sócios da classe dominante, dos bufunfeiros, dos três Marinho…? Não sendo, afinal, qual é a deles ao jogarem contra, o Brasil Nação, a si e os seus?

    1. Dias, faço minhas suas sabias observações. retirando os interesses dos banqueiros que detém a divida do Brasil, o que restará desse pessoal, que não consegue ver um palmo na frente do nariz. Queria que eles dissessem que projeto tem para o país: Deve ser o de entregá-lo definitivamente ao capital e controle internacional: recolonização Geral e irrestrita e com esse grupo que deu o golpe de gerentes e capitães do mato.

  9. Dimas – 27/04/17 – 14:22
    ”Primeiro, precisamos saber exatamente se há rombo,…”
    Qual a dúvida meu caro, qual a dúvida?
    Por acaso os governadores do Rio Grande do Sul, Minas, Rio e outros 16 seriam psicopatas bipolares e canibais que se devoram a si mesmos?
    Há rombo sim e maior do que está sendo apresentado. Os 8 fundos de pensão das estatais estão falidos ,principalmente o PETROS, que está pendurado em 9 bilhões de déficit. Aliás, o profeta Roberto Campos já havia alertado este rombo da PETROSSAURO há 20 anos.

  10. Dimas – 27/04/17 – 14:22
    ”Primeiro, precisamos saber exatamente se há rombo,…”
    Qual a dúvida meu caro, qual a dúvida?
    Por acaso os governadores do Rio Grande do Sul, Minas, Rio e outros 16 seriam psicopatas bipolares e canibais que se devoram a si mesmos?
    Há rombo sim e maior do que está sendo apresentado. Os 8 fundos de pensão das estatais estão falidos ,principalmente o PETROS, que está pendurado em 9 bilhões de déficit. Aliás, o profeta Roberto Campos já havia alertado este rombo da PETROSSAURO há 20 anos.

  11. Kotscho, é uma boa discussao, politiza o cidadao, é na divergencia e confronto de ideias que surgem as melhores solucoes, Ao menos existe um programa a ser analisado, discutido, e que pode ser melhorado com a participacao de todos. As mudancas impostas hoje pelos golpistas e seus apoiadores foram TODAS rejeitadas nas urnas, e todas as pesquisas indicam que tende a piorar. se é que da pra piorar.

  12. Caro Kotscho,

    só agora, no fim da tarde, consegui ler e me entusiasmar com o seu post de hoje. O passo seguinte foi correr para ler, na Folha, a matéria da Eleonora de Lucena. Resultado: uma decepçao tão grande quanto o entusiasmo inicial.
    Acho dificil encontrar, nos dias de hoje, pleno século 21, coleção igual de chavões de esquerda festiva, conjugados com disparates inacreditáveis, se vindos de uma jornalista adulta, e não de uma estudante jovenzinha que pouco conhece das realidades da vida. Alguns exemplos ? Vamos lá!
    …aniquilamento da Constitução de 88…eu, pessoalmente, acho que deve, mais do que ser aniquilada, jogada no lixo, já comentamos isso, não é mesmo ?
    …assaltos a direitos e sequestro da democracia e da autonomia nacional…alguém ai pode me explicar com exemplos concretos, sem slogans ?
    …submetendo abertamente o pais a interêsses externos…se unindo a paises fora da órbita exclusiva de Washington…contrariou interêsses poderosos do Norte… isso me lembra os discursos do Brizola, não acha ? E devemos voltar a apoiar o governo da Venezuela e só fazer negócios com a África, Nicarágua et caterva, não acha ?
    Paremos aqui, para não perder tempo. Mas eu não li nada sobre a eliminação de privilégios, fim do imposto sindical, término do foro privilegiado, reforma politica proposta por gente independente, e por ai a fora. Creio que a D. Eleonora não sabe que os rentistas, essa classe odiosa, só existem porque o governo (desde sempre) gasta mais do que tem, e tem de pedir uma bufunfa emprestada. Ela deve achar ótima a justiça brasileira, pela qual o STF (!) define hoje quem venceu o campeonato carioca de uns muitos anos atrás. Com certeza, deve ser a favor da manutenção de todos os direitos adquiridos, para que ainda mais gente possa mamar nas tetas generosas do Estado. Deve achar bom que um motorista do Senado ganhe mais que um professor, e que dinheiro nasce nas árvores do governo, porque somos um pais rico, que pode beneficiar a todos os amigos do rei…
    Enfim, meu caro Kotscho, acho que não temos tempo para perder com panfletarismo idiota, quando há tanta coisa concreta (e dificil) por fazer. De boas intenções e generalidades inúteis, até os programas dos nossos partidos politicos estão cheios. Ou, como disse alguem na midia nesses dias: para acabar com a violència nas ruas do Rio, basta fazer passeata com todo mundo de branco, e depois abraçar a Lagoa Rodrigo de Freitas…Mas é porisso que Pindorama vai continuar sendo o que é. Para o azar das gerações futuras, infelizmente.
    Grande abraço.

    1. Critica-se chavoes da esquerda festiva ditas por uma estudante jovenzinha (nao fulanizar D.Eleonora) que mal conhece as realidades da vida, com chavoes da direita reacionaria, que nao tem projeto e muito menos ideias, mas unidas por um anti-lulopetismo feroz.
      Por ignorancia ou ma fé, é citado o imposto sindical que protege o trabalhador, mas nada de FIESP (com seu imposto patronal) que orientou os subordinados no congresso a destruir a CLT, atingindo em cheio alguns beneficios e garantias da classe trabalhadora assalariada. Portanto, quem patrocinou e deu o Golpe nao perdeu nenhum privilegio. De resto sao consideracoes pessoais que devem ser respeitadas.

  13. Prezado Kotscho,

    Parabéns pela iniciativa. Estou muito triste com à situação de nosso País mas estou confiante numa solução suprapartidária como o Senhor bem escreveu. Desde da minha adolescência gosto de política. Fiz Faculdade de Direito durante a ditadura e sempre participei de discussões para reforçar a minha Esperança pelo nosso País. Enfim, quando fui votar pela primeira vez para Presidente faço uma homenagem dentro da cabine de votação aos perseguidos pela ditadura. E mantenho este ritual até hoje. Sinto que o povo não faz a conexão dos nossos fatos históricos e quando fizer será um embrião de uma nova política revestida de patriotismo repleto de solidariedade.

    1. Nelma,
      belo comentário, um exemplo de cidadania e solidariedade. Gente como você não deixa a gente perder a esperança.
      Abraços,
      Ricardo Kotscho

    2. Magnifico comentário, Nelma. Que linda e justa homenagem voce presta, a cada eleição, aos que perderam a vida defendendo nossa liberdade e democracia. Sigamos seu exemplo e continuemos juntos nessa longa e ardua caminhada.

  14. Ktscho,atravessamos tempos difíceis,um grupo de setentoes com mais de uma aposentadoria, discutem quanto de deve pagar, para quem só deseja uma. Grupos onde estão os maiores empresarios e latifundiarios, decidem como ficarão as relações de patrão e empregado. Acusados restringem a atuacao de magistradis. Espero que um dua esse país seja serio.

  15. Luiz Carlos Velho (11:07), faltou pouco pra voce dizer que, na Dinamarca, politicos e juizes aposentam-se com o mesmo tempo de contribuição e com os mesmos salários e regalias de nossos politicos e juizes. Voce misturou Dinamarca, Roberto Campos e reforma da Previdência num comentário que começa sem pé e termina sem cabeça, cuja intenção é defender a indefensável reforma da Previdência do golpista que, como lembrou Kotscho, não tem legitimidade pra propor remendo no pano verde da mesa de “sinuca” do salão de jogos dos subalternos do Palácio do Jaburu. Sua opinião sobre essa reforma em nada difere de sua opinião sobre a maior roubalheira de nossa história recente, as privatarias tucanas, que dilapidaram nosso patrimônio e desapareceram com o auferido, sem deixar vestígios. Parabéns, Velho, por manter a coerência com os velhos tempos de Balaio e continue assim, pois, graças a sua ingenuidade, o PT ressuscitou e Lula voltará em 2018 pra mais quatro mandatos: dois por eleição, mais dois por aclamação. Abração, Velho. Boa noite, Balaieiros.

  16. RK, por curiosidade fui ler o tal “projeto”, um parágrafo me chamou a atenção: ” … Para o governo, a causa da grande recessão atual é a irresponsabilidade fiscal; para nós, o que ocorre é uma armadilha de juros altos e de câmbio apreciado que inviabiliza o investimento privado. A política macroeconômica que o governo impõe à nação apenas agravou a recessão. Quanto aos juros altíssimos, alega que são “naturais”, decorrendo dos déficits fiscais, quando, na verdade, permaneceram muito altos mesmo no período em que o país atingiu suas metas de superávit primário (1999-2012) …” Ai me vem a cabeça uma pergunta básica, se estamos em 2017, onde foi parar os anos de 2013, 2014, 2015 e 2016? o que aconteceu neste intervalo de 4 anos? coincidência? Não, foi justamente o período do governo da Sra. Dilma Rousseff-PT / Temer-PMDB, que acabou com os alicerces econômicos (Gido Mantega). O que vemos hoje são as consequências e não a causa dos nossos problemas, tudo de mal que aconteceu foi esquecido nestes 4 negros anos. O Sr. Bresser-Pereira, o inútil útil, serve somente para ser um porta voz por ser intitulado ex-tucano, para ter algum “valor”. Projetos deste tipo e nível, demonstra como os ditos “pensadores intelectuais” do Brasil são pequenos.

  17. Sobre o direito de greves, diz a CF de 1988.
    A greve é um direito sim, mas não é sagrado e é regulamentado por lei.
    Art. 9º É assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender.
    § 1º A lei definirá os serviços ou atividades essenciais e disporá sobre o atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade.
    § 1º A lei definirá os serviços ou atividades essenciais e disporá sobre o atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade.
    § 2º Os abusos cometidos sujeitam os responsáveis às penas da lei. §2º do Art. 9:LEI Nº 7.783, DE 28 DE JUNHO DE 1989.
    Conversão da Medida Provisória nº 59, de 1989
    Dispõe sobre o exercício do direito de greve, define as atividades essenciais, regula o atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade, e dá outras providências.
    Art. 1º É assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender.
    Art. 6º São assegurados aos grevistas, dentre outros direitos:
    I – o emprego de meios pacíficos tendentes a persuadir ou aliciar os trabalhadores a aderirem à greve;
    II – a arrecadação de fundos e a livre divulgação do movimento.
    § 1º Em nenhuma hipótese, os meios adotados por empregados e empregadores poderão violar ou constranger os direitos e garantias fundamentais de outrem.
    § 3º AS MANIFESTAÇÕES E ATOS DE PERSUASÃO UTILIZADOS PELOS GREVISTAS NÃO PODERÃO IMPEDIR O ACESSO AO TRABALHO NEM CAUSAR AMEAÇA OU DANO À PROPRIEDADE OU PESSOAS.
    Como se vê Sr Kotscho, no caso das greves, é tênue a linha entre a lei e o banditismo puro e simples.

  18. Sobre o direito de greves, diz a CF de 1988.
    A greve é um direito sim, mas não é sagrado e é regulamentado por lei.
    Art. 9º É assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender.
    § 1º A lei definirá os serviços ou atividades essenciais e disporá sobre o atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade.
    § 1º A lei definirá os serviços ou atividades essenciais e disporá sobre o atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade.
    § 2º Os abusos cometidos sujeitam os responsáveis às penas da lei. §2º do Art. 9:LEI Nº 7.783, DE 28 DE JUNHO DE 1989.
    Conversão da Medida Provisória nº 59, de 1989
    Dispõe sobre o exercício do direito de greve, define as atividades essenciais, regula o atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade, e dá outras providências.
    Art. 1º É assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender.
    Art. 6º São assegurados aos grevistas, dentre outros direitos:
    I – o emprego de meios pacíficos tendentes a persuadir ou aliciar os trabalhadores a aderirem à greve;
    II – a arrecadação de fundos e a livre divulgação do movimento.
    § 1º Em nenhuma hipótese, os meios adotados por empregados e empregadores poderão violar ou constranger os direitos e garantias fundamentais de outrem.
    § 3º AS MANIFESTAÇÕES E ATOS DE PERSUASÃO UTILIZADOS PELOS GREVISTAS NÃO PODERÃO IMPEDIR O ACESSO AO TRABALHO NEM CAUSAR AMEAÇA OU DANO À PROPRIEDADE OU PESSOAS.
    Como se vê Sr Kotscho, no caso das greves, é tênue a linha entre a lei e o banditismo puro e simples.

  19. Victor Hugo – 27/04/2017 – 22:39
    Luiz Carlos Velho (11:07), ”faltou pouco pra voce dizer que, na Dinamarca, políticos e juízes aposentam-se com o mesmo tempo de contribuição e com os mesmos salários e regalias de nossos políticos e juízes…”
    Não, claro que não. Mas vc não entendeu e nem sequer se deu ao trabalho de ler, pois é contra estas diferenças que eu luto e ainda escrevo para um blog. Ontem, por exemplo, o ministro Dias Toffoli bloqueou 250 milhões do Estado do Rio para pagar o poder judiciário, sendo que mais de 250 mil aposentados e servidores ativos não recebem há 2 meses.
    Está é a consumação de mais uma profecia do homem que tinha razão. Ou seja, o Estado tem donos sim. Não é? Ou não?
    Na Dinamarca é diferente. Lá não há um cidadão sequer que vive abaixo da linha de pobreza. Aqui, pelo o menos 20% (40 milhões) sobrevivem nesta situação.
    Trabalhei 11 anos com Dinamarqueses.

  20. Claudio Ildefonso,
    acho tua ideia boa para provocar um debate, mas não posso publicar teu comentário com ofensa a uma colega meu.
    Se você reenviar o texto sem essa referência, eu publico.
    Ricardo Kotscho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *