Vitória de Maia retrata falência do sistema político

Vitória de Maia retrata falência do sistema político

Rodrigo Maia comemora sua eleição à presidência da Câmara em 2016

“Presidente, o senhor entra para a história hoje” (de Rodrigo Maia para Eduardo Cunha ao votar no impeachment).

***

A virtual reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) para a presidência da Câmara, praticamente assegurada, com o apoio do governo e da oposição, é o retrato perfeito da falência do sistema político-partidário implantado pela Constituição de 1988.

Como sou meio lento de raciocínio, passei dias pensando na questão levantada semana passada pelo Heródoto Barbeiro no Jornal da Record News: como explicar o fenômeno Rodrigo Maia?

Não que o jovem Maia seja um político fenomenal, longe disso, mas ele caminha para o abraço por absoluta falta de concorrência, resultado da implosão dos partidos nas águas da Lava Jato.

No pior Congresso Nacional da nossa história, não há mais lideranças partidárias fortes e respeitadas, que disputavam a hegemonia pau a pau com base em programas antagônicos e projetos nacionais.

O que sobrou é só uma disputa de interesses pessoais no varejão de cargos e verbas para garantir a própria sobrevivência nas próximas eleições.

Se tem uma coisa em que falhou a minha geração, aquela chamada de 68, foi na formação de novas lideranças.

Os antigos líderes partidários podem ter deixado herdeiros políticos, muitas vezes da mesma família, como Rodrigo, filho de Cesar Maia, ou os clãs ACM e Sarney, mas não permitiram o surgimento de verdadeiras lideranças políticas com novas ideias.

Isso vale também para o PT e o PSDB, que surgiram no embalo da redemocratização, e dominaram o poder central nas últimas duas décadas.

Quem Lula e FHC vão deixar?

É isso que explica o fenômeno Rodrigo Maia, filho daquele ex-prefeito carioca que se tornou conhecido pelos factoides (como pedir sorvete em açougue e andar de casaco no verão), por sua vez cria política de Leonel Brizola, o líder trabalhista do partido hoje comandado por Carlos Lupi, que era seu aspone.

Poucas eleições atrás, quase desapareceu do mapa o DEM de Maia, nome de fantasia do antigo PFL de ACM e Jorge Bornhausen, que nasceu de uma costela da Arena dos militares e se tornou força auxiliar do PSDB, mas hoje é apoiado até por uma ala do que sobrou do PT.

Uma nova expressão desta geleia geral partidária é o PSD de Gilberto Kassab, ex-ministro de Dilma e atual de Temer, que ao lançar seu partido o definiu como não sendo de direita nem de esquerda, muito pelo contrário.

No começo da atual disputa, até se lançou candidato um deputado do partido, Rogério Rosso (PSD-DF), que não conseguiu o apoio nem da própria bancada, também fechada com Maia.

Sem  chances, sobrou outra candidatura da base aliada, a de Jovair Arantes (PTB-GO), relator do impeachment, combativo membro sobrevivente da tropa de choque do Centrão de Eduardo Cunha, hoje preso em Curitiba.

A oposição conta com o nome de André Figueiredo (PDT-CE), mas apenas para fazer figuração, pois só tem o apoio do próprio partido, e olhe lá, porque agora todo mundo quer correr para o abraço de Maia, o novo dono do poder do alto e do baixo clero, que virou um só, os órfãos de Cunha.

Nesta pobreza de opções, só a Justiça poderá evitar a vitória de Rodrigo Maia, pois o STF ainda vai julgar a ação impetrada por André Figueiredo alegando que a Constituição impede a reeleição do presidente da Câmara na mesma legislatura (ver abaixo meu comentário sobre o assunto no link do Jornal da Record News). 

Fico pensando no que diria o velho dr. Ulysses Guimarães ao se deparar com este cenário.

Vida que segue.

No vídeo abaixo, comento as chances de Maia:

16 thoughts on “Vitória de Maia retrata falência do sistema político

  1. Até nisso o PT sai menor a cada passo…Que bom!
    Se antes pregava que era os diferentes dos outros, hoje concentra todo esforço para provar que não é pior que o DEM/PMDB…
    O problema que hoje é sim partido muito inferior ao DEM em credibilidade! Se assim não o fosse, lançaria uma candidatura de oposição, ou apoiaria o Figueiredo do PDT, que deve ser apaniguado do Ciro “cangaceiro” Gomes! Aliás, enquanto o Governo torce para a adesão em massa do PT a candidatura do Rodrigo Maia (pois político não recusa votos, apoios), o povo (petistas e não petistas, por razões distintas) quer mesmo que o PT fique mesmo na oposição (eu adoraria que zero votos do PT, PC do B, do PSOL fosse para o Rodrigo Maia e Eunício de Oliveira), pois precisam padecer pelo que fizeram, ficando cada mais distante dos destinos do País. Devem sim se unir ficarem “unidos” cada vez mais distante do poder. O Maia e o Eunício já tem votos demais para vencer, mas querem o apoio do PT, como se fosse uma maneira de humilhá-los ainda mais. Concordo que ver Lindemberg Farias, Paulo Pimenta, Jandira “3%” Fegalli, Humberto Costa, Gleisi Hoffmann, Wanessa Grazziotin, entre outros, com cartazes: #SomosTodosRodrigoMaia/DEM e #SomosTodosEunuciOliveira-PMDB, vai até emocionar o Maia (vai chorar outra vez), o Temer, o Jucá, o Moreira Franco…etc. Mas pra que isso?
    Os mais velhos sempre dizem… “Nunca crie aves de rapina no quintal, pois elas estarão sempre torcendo que você vire o almoço”.
    E todos sabemos que o PT torce e age para o que o País permaneça na lama que eles deixaram, para que possam ter alguma chance nas próximas eleições. Hoje, qualquer melhoria no País é ruím para PT… (eles, se pudessem, importariam as avalanches italianas, os furacões da América e os terremotos do Haiti, só para tentarem voltar ao poder).
    #PTnaOposiçãoPraSempre

    1. Não entendi o que fez o PSOL que voce deseja na oposição. Afinal de contas, ele nunca saiu de lá, inclusive nos governos ditos de esquerda do PT. Você ou é desinformado ou pensa que somos imbecis. Os que você citou como os que poderiam emocionar Maia não estarão com estes cartazes. Você escolheu na verdade os melhores parlamentares. Ao combater esta gente que você cita, parece-me que quer esconder na verdade a bandidagem. Passa batido sobre o PSDB. Este sim, conseguiu roubar o Brasil por duas vezes, estabeleceu uma ditadurazinha em São Paulo, onde se aboletaram desde o final da ditadura e fizeram justamente isto que você diz ser intenção do PT. Não seja desonesto em acusar o inimigo daquilo que vocês desejaram quando na oposição. Mais respeito com a verdade. Acho que você pode combater os adversários sem se utilizar de mentiras e distorções. Mais respeito.

    2. Gilvan Costa,
      é preciso se informar direito antes de escrever. Liberdade de expressão não significa que você possa emitir qualquer opinião sem responsabilidade.
      Os senadores por você citados são exatamente os que se opõem ao apoio do PT a candidatos apoiados pelo governo na Câmara e no Senado.
      Comentários como este não contribuem para o debate e o radicalismo político-partidário, que ignora os fatos para atacar sempre um único partido, mostram apenas a indigência dos argumentos.
      Ricardo Kotscho

      1. Caro Kotscho, Dimas e demais…
        O meu comentário não foge um milímetro dá realidade atual…
        A ironia para com os parlamentares citados é sim proposital, e me parece bastante clara no comentário que fiz. Pois é sabido que o Lula foi o principal avalista desta patifaria, do PT apoiar Rodrigo Maia e Eunicio Oliveira. E nenhum dos citados teve coragem de vir a público e cobrar de quem verdadeiramente fez com que 45 votos da direção do partido, decidisse pelo apoio aos que para o “amável público de esquerda” chamam de golpistas, mas no escondido negocia as vantagens de apóiá-los.
        Simples assim…
        Em tempo, o Maia, o Eunicio (para alegria geral de Temer, Jucá, Padilha), de fato devem desejar o apoio do PT…Mas a grande maioria da população quer que o PT fique super bem acomodado na oposição!

  2. Concordo, os atuais postulantes são medíocres. Mas não vejo Rodrigo Maia abaixo dos recentes presidentes da Câmara. Veja os nomes dos presidentes das legislaturas dos últimos 12 anos: Severino Cavalcanti, Aldo Rebelo, Arlindo Chinaglia, Marco Maia, João Paulo Cunha, Henrique Eduardo Alves, Eduardo Cunha. Há dois presos na turma (João Paulo Cunha e Eduardo Cunha); dois investigados por corrupção da grossa (Henrique Alves e Marco Maia); um doido que assina abaixo assinados em favor do Maduro e da Coréia do Norte e quer instituir o dia do Saci (Aldo Rebelo). Chinaglia até que não era tão ruim, embora medíocre e atrasado. E Severino Cavalcanti… bom, este dispensa apresentações. Então concluo que não pioramos nada; ao contrário, o medíocre Rodrigo Maia é até um avanço. Vamos em frente, vida que segue…..

    1. Parabéns Paulo pelo seu comentário. Apesar do Ricardo e outros tentarem jogar nesse atual congresso todas as mazelas que a quadrilha do pt junto com a do PMDB que DESTRUÍRAM o futuro de pelo menos duas gerações de Brasileirinhos com muito roubo e corrupção. Basta verificar nos últimos 13 anos as fotos desses canalhas abraçados e se beijando pedindo votos uns para os outros. Não há como negar que são todos verdadeiros mercenários dá política e com um únicos objetivos: poder e dinheiro ou dinheiro e poder. Infelizmente os cidadãos honestos desse Brasil estão reféns dessa corja dá esquerda e direita. Abraços

  3. Caro Kotscho, se a data 9 de novembro de 1938 (a noite dos cristais) marcou na história da humanidade como o símbolo da ascenção do nazismo, para nós brasileiros a noite de 17 de abril (um domingo) vai para a nossa história como o momento em que a nação conheceu o seu parlamento e com isso deu-se início a um novo período das trevas com a ascensão ao poder do que temos de pior em termos de hipocrisia, estupidez e mediocridade. Ali começou o governo golpista, enntreguista, criminoso e temerario da confraria PMDB/PSDB. A história não perdoa, marca !!!

    1. Enio Filho:

      Veja abaixo FRASES decoradas do Petismo.

      São frases sem sentido nenhum. Elas não significam o que desejam significar, pois são introduzidas no MEIO DE FRASES PETISTAS apenas de maneira decorada e à toa, sem nenhuma VERDADE ou EFEITO. Repare:

      O PETISMO e seus dogmas em frases nonsense, ou seja, sem sentido nenhum, — a saber:

      «velha mídia»; «casa grande e senzala»; «é gópi, é gópi, é gópi»; «ilegítimo [Temer]»; «midiota»; «LUZ para todos»; «20 milhões na classe média»; «fascista»; «sem crime de responsabilidade»; «Pronatec»; «coxinha»; ; «mídia hegemônica» [espécie de demoninho ou capetinha muito danoso a minha religião]; «Rede Globo é golpista»; «PiG»; «Estados Unidos, o Império»; «mídia golpista» etc. etc. etc. etc.

      — essas são todas as FRASINHAS DECORADAS do PT e seus simpatizantes, consideradas por eles coisa de “GENTE INTELIGENTE”, mas na realidade são frases à toa, vazias de sentido, fracas, choradeira, sem argumento, oba-oba, verdadeiros mimimi. Sempre introduzidas em TUDO, tudo que petista fala e escreve, mas à toa mesmo no meio de frases.

      Principalmente, eles gostam muito de REDE GLOBO (à toa mesmo!), e da frasinha sem sentido nenhum, VELHA MÍDIA. Observem!

      Fiquem atentos e de OlhOs bem abertos.

      1. Caro João Luiz, eu não te devo explicação sobre o que escrevo ou deixo de escrever e dispenso teu comentário policialesco. Não me dirigi a ti e sim ao dono deste blog em que participo frequentemente desde o seu primeiro dia há mais de 8 anos. Ainda sim poderia te rebater citando as “frasinhas” decoradas por gente da tua marca, ou seja, de direita. Ocorre que por educação, por princípio e por respeito às normas do blog “Balaio do Kotscho” não posso fazê – lo eis que todas contém praticamente só palavrões, agressões “à toa” e argumentações inteligentes e sábias que nesse caso posso dar como exemplo esse teu comentário aí. O que acrescenta no debate sobre o tema proposto pelo Kotscho tudo isso que tu escreveu aí ??? Me agredir ??? Agredir petistas ??? Por mím não tem problema eis que tenho o couro grosso contra as “argumentações” (coices) de gente de direita eis que tenho mais de 40 anos de militância política ininterrupta e sou filiado ao PT desde a sua fundação o que me garante não precisar de “cartilhas” ou “frasinhas” decoradas para um bom debate de ideias. Melhore e volte pois tua estreia neste blog a meu ver foi vergonhosa e nada significante. Abraços.

  4. Caro Kotscho, para qualquer pessoa é difícil compreender a razão pela qual o Brasil chegou a esse ponto. Para formar qualquer juízo de valor sobre este congresso, há de se descer ao nível do pó, simplesmente porque dele não se extrai nada de bom. Na minha modesta opinião, considerando o atual quadro político não existe nenhuma liderança seja qual for sua sigla partidária, capaz de “conspirar a favor do povo” rumo ao lado oposto do atoleiro. STF, uma esperança. Talvez a única esperança…

  5. Maia leva no primeiro turno graças a apoio que sua candidatura foi buscar no PT e PCdoB. Apesar de se encontrar no páreo um candidato, André Figueiredo do PDT do Ceará, estimulado por Ciro Gomes. PDT e Ciro Gomes se opuseram radicalmente ao impeachment de Dilma. Ironicamente, os petistas e os comunistas fizeram sua opção preferencial pela adesão ao candidato ‘in pectore’ do governo Temer, em quem pregaram na testa a tarja preta, onde se lê em letras garrafais a expressão “golpista”. A decisão do PT e do PCdoB de optarem pela “coerência” representada no voto em Maia, deve ter sido orientada pela cúpula dos respectivos partidos. “Viva a coerência!”. Caberá ao Supremo Tribunal Federal examinar se Maia senta ou não na poltrona da presidência da Câmara. Se depender do PT e do PC do B, já se sentou, com a maior pompa e toda circunstância.

  6. …Enquanto não se elege os novos presidentes da Câmara e do Senado, e o Carnaval se aproxima, eis que o Brasil passa a querer saber qual nome o Eiki Batista trará em sua coleira…
    Sai: LUMA
    Entra: ????

  7. Em 2017 o PCdoB deve comemorar seus 95 anos de existência e ao mesmo tempo celebrar os 100 anos da Revolução Bolchevique, que inaugurou a era do socialismo, em 1917. A conferir como os comunistas, cujos quadros tombaram no Araguaia, decidirão votar na próxima quinta-feira, dia 2. Se optarão por Maia, como alguns defendem, retratando a falência do sistema político e do próprio partido, ou decidirão pelo bloco de oposição, perfilando-se contra o ‘golpismo’, sufragando uma candidatura que aglutine os partidos autodenominados ‘de esquerda’, sejam comunistas, trabalhistas, socialistas e da ‘nova política’.

  8. Se o candidato do PDT somou apenas 59 votos, e a soma dos deputados das bancadas do PT e PDT resultam em 78 parlamentares. Se o PSOL foi todo com a Erundina e Júlio Delgado absorveu uma fração do PSB, está claro que André Figueiredo do PDT não teve apoio do PT e um pedaço do PT preferiu as águas da praia de Botafogo. Nada a estranhar, quando se tem notícias de que o PT quebrou lanças por Eunício no Senado e o prócer do PT teria sugerido ao ‘MT’ ser chamado a conversar, segundo o noticiário desta triste manhã. O sistema representativo funciona maravilhosamente bem para os donos do poder e os donatários dos partidos. A falência explícita diz respeito à imensidão da plebe rude que vive no ‘Brasil de baixo’, sem representatividade efetiva, na expressão do poeta camponês Patativa do Assaré.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *