Para Temer, crise política é só um "fatozinho"

Para Temer, crise política é só um "fatozinho"

Beto Barata/PR

“Como não temos instituições muito sólidas, qualquer fatozinho, me permitam a expressão, abala as instituições”.

O autor da frase acima não é nenhum cientista político pós-verdade, mas o presidente da República, Michel Temer, em discurso feito a empresários, na noite de segunda-feira, num hotel em Brasília.

Formado por experientes políticos profissionais do velho PMDB, o governo parece ainda não ter se dado conta das consequências do imbroglio Geddel-Calero por conta daquele apartamento em Salvador.

Mais grave do que o “fatozinho” em si, foi exatamente a reação do Palácio do Planalto ao considerar muito natural e sem importância a prática de advocacia administrativa em benefício pessoal.

Os cidadãos brasileiros de 2016, como pudemos ver nos comentários indignados que inundaram as redes sociais, já não aceitam esse tipo de prática política baseada no compadrio e no patrimonialismo.

Foi por isso que os atuais e eternos donos do poder foram obrigados a recuar na tentativa de se auto-anistiar pelos crimes de caixa dois e conexos em campanhas eleitorais passadas.

Ao reduzir tudo a um “fatozinho”, porém, Temer mostrou que não se muda de um dia para outro uma cultura política que levou o país à maior crise econômica da sua história.

Esta crise ainda está longe de acabar.

Sem encontrar um nome “ficha limpa” para colocar no lugar de Geddel, o presidente resolveu ele mesmo assumir a articulação política do governo numa clara demonstração de falta de quadros disponíveis.

Como só faltam duas semanas para o recesso parlamentar (mais um!) já se fala em deixar a difícil escalação do novo ministro para o ano que vem.

Nesse meio tempo, devem sair as delações da Odebrecht, que podem implodir todo o sistema político.

É isso que deve definir não só o novo secretário de Governo, mas a escolha do presidente da Câmara, outro foco de disputa na conflagrada base aliada.

Vamos saber nesta terça-feira, com as votações do pacote fiscal no Senado e das medidas contra a corrupção na Câmara, quais foram os efeitos das denúncias do ex-ministro Marcelo Caleiro contra a cúpula do governo.

No Senado, onde o governo tem ampla maioria, deve ser aprovada em primeiro turno a PEC do Teto dos Gastos, mas na Câmara ainda reina incerteza sobre o comportamento dos nobres parlamentares que tentaram votar a emenda da anistia na semana passada.

Neste clima de salve-se quem puder, tudo pode acontecer, inclusive nada, mas é difícil que saia alguma coisa boa num parlamento dominado por Renan Calheiros e pelos herdeiros do centrão de Eduardo Cunha.

Muito mais do que de um articulador político, para sairmos desta crise, precisamos de um operador de milagres.

“Perguntar não ofende”

Nos meus tempos de repórter, quando o entrevistado reclamava de alguma pergunta mais apimentada, a gente sempre usava o mesmo argumento:

“Perguntar não ofende”.

Foi o que pensei quando vi a decisão do juiz Sergio Moro de vetar 21 das 41 perguntas feitas pela defesa de Eduardo Cunha ao presidente Michel Temer na ação que o ex-deputado responde na Lava Jato.

O que aconteceria se fossem respondidas? Cunha seria condenado ou absolvido?

E vamos que vamos.

32 thoughts on “Para Temer, crise política é só um "fatozinho"

  1. Muito embora não tenhamos o dom de dar um freio na vida, qualquer discussão política fica pequena e sem razão diante dos fatos da tragédia aerea que vitimou os atletas, dirigentes e jornalistas brasileiros em território colombiano, na data de ontem.
    Minha mais profunda solidariedade aos familiares e agradecimento ao jornalista, se puder publicar estas linhas.

  2. Na atual conjuntura, quem ama sua mãe não entra na politica e muito menos vira juiz de futebol. Portanto, é querer muito dos que ai estão, achando nós pobres mortais que dependemos deles, que algo de bom vai sair de lá. Quando digo que este governo é mais dos mesmos, não é nenhum exagero. O PT (Lula principalmente) cansou de rasgar elogios à Temer quando estavam juntos. Hoje é traidor e golpista – mas foram eleitos juntos. No congresso, se gritar pega ladrão, não fica um meu irmão…. esperar o que deste pessoal…

    1. José Antonio, como foi que tu conseguiu enfiar o PT e o Lula no assunto deste post ??? Rapaz, tu precisa urgentemente de ajuda psiquiátrica !!! Já lá se vão mais de seis meses que o PT não é mais governo e está na oposição !!!

    2. “O PT (Lula principalmente) cansou de rasgar elogios à Temer quando estavam juntos”. //// Criatura, se o PT estava errado em elogiar Temer, porque voces estavam certos, apoiando o golpista ? Se Dilma estava errada em elogiar Eduardo Cunha, porque voces estavam certos apoiando-o, mesmo depois de descobertas suas contas secretas nos bancos suiços ? Vai ser débil mental assim, lá no Sry Lanka !!!

  3. “Fatozinho” que poderá ser fatal!!!.Tem mais, as instituições democráticas não são tão frágeis,quanto alguém supõe.Se assim fosse,obrigatoriamente,haveria eleições gerais e democráticas em todo o Brasil.Com novos candidatos e PARTIDOS!.

  4. Caro Kotscho, me permita contar um “fatozinho” ocorrido nesta madrugada. Foi difícil eu dormir de tão chocado que fiquei buscando noticias sobre a tragédia ocorrida com o avião da LaMia que transportava a equipe da Chapecoense. Na área de comentários do site G1 da Rede Globo era enorme a quantidade de escritos por animais selvagens de direita atacando ou fazendo piadas com a Venezuela, porque o G1 dizia se tratar de uma empresa venezuelana quando somente mais tarde descobriram que sua sede atual é na Bolívia. Mas o atiçamento à horda de zumbis já estava feito. Essa gente (se é que se pode chamá-los assim) não pode sequer ouvir um ruído sobre o país irmão que já liga o seu “babador de ódio” aos bolivarianistas, a Lula e ao PT. De “fatozinho” em “fatozinho” chegamos a esse estado de barbárie ideológica que sabemos como começa, vide o nazismo e o fascismo, mas não se pode prever como vai terminar. Parte grande do Brasil está doente, desenganados e muito doentes. Estou triste.

      1. Mauro, e com essa informação, pelo pelo que entendi, tu justifica todas aquelas bárbaras agressões à Venezuela e ao bolivarianismo ??? Ou Não ???

    1. Não justifico nada e nem aponto culpados de nada, pois afinal não é minha função, mas é público e notório mundialmente que isso que voce elogia está podre, fétido e requer urgentemente mudanças, pois o Chavismo ou que nome seja acabou com a Venezuela e reconhecer isso é sinal de grandeza e não reconhecer isso, é no minimo falta de informação. O mundo todo que fala mal do regime venezuelano está errado e voce está certo?

      1. Mauro, não existe em qualquer comentário meu em toda a história deste blog uma palavra que seja em defesa do bolivarianismo chavista, de comunismo cubano, soviético, chinês, angolano ou de qualquer nação. E sabe por que??? Primero porque eu sei do que se trata as duas coisas, aprendi estudando e segundo porque eu defendo, isso sim, a auto determinação dos povos sem nenhuma interferência externa quer seja para apoiar, criticar ou pior ainda, condenar!!! Eu acho que os problemas, os erros ou os acertos da Venezuela são deles e eles que decidam o melhor regime pra si baseados em sua história, cultura e realidade. Quero para eles o mesmo que quero para o meu país, ou seja, democracia com decisão da maioria e liberdade sem sapos de fora para dar a linha. A minha ideologia é a SOLIDARIEDADE entre os povos e socialismo a gente constrói dia a dia. Toda vez que tu ver um idoso andando de graça em um ônibus, toda vez que ver uma criança pobre na escola pública e comendo boa merenda sem ser roubada, toda vez que ver um pobre ainda que precariamente sendo atendido de graça no SUS, saiba que tudo isso… É socialismo !!! Estamos conversados ???

  5. “(…) é difícil que saia alguma coisa boa num parlamento dominado por Renan Calheiros e pelos herdeiros do centrão de Eduardo Cunha”, considera Mestre balaieiro, sobre o congresso constituído por 81 senadores e 513 deputados, todos, sem exceção, por nós eleitos. Isso mesmo, não existe lá um político sequer sem votos dados por cidadãos brasileiros, que o elegeram como legítimo representante no então democrático estado de direito, o que não já não se pode dizer sobre o vice, guindado presidente através de golpe jurídico-midiático. Falar em “voz das ruas” e “opinião pública”, em contraposição ao estado de coisas e à situação a que levaram o país, em que a mídia é monopólio de poucas famílias e o judiciário seletivo e de casta, move-se no amalgama amigo da práxis maçônica e justiceira, contra o inimigo incomum, escancarando respectivamente, desinformação e seletividade heterodoxa jurídica, para quem quiser ver…, é puro “A Vida é Bela”, sabe-se lá para que, ao invés de fazer-se identificar os reais donos da “voz das ruas” e da “opinião pública” e grandes responsáveis pela situação em que o Brasil se encontra: Globo Marinho e famílias co-irmãs do Millenium, nata da elite rentista e patrimonialista do estado (agro, industrial e financeira), camarilha jurídica e caciques do PSDEMB, com apoio do Norte, que pensam o país não como nação, estancado, colonizado, dominado e dilapidado. O resto, de fato, … é só um fatozinho.

    1. Dias, leia a revista golpísta VEJA da semana passada que voce vai deleitar com a manchete de capa e a matéria que está dentro.Acho mesmo que voce vai até exclui-la da lista de golpista depois disso

    2. José, sem a Globo, a Veja não incomoda ninguem. O Jornal Nacional dedicou 15 minutos pra falar da capa e da reportagem da Veja sobre o “Santo” da Lava Jato ? Entendeu, José ? Quando é contra o Lula, Dilma, PT, Cuba, etc…as duas fazem tabelinha. Sem a Globo, a Veja não é nada.

    3. “Prezado Jose (no lugar do amigo Afonsinho), eu (como Gil, adaptado) continuo aqui mesmo, aperfeiçoando o imperfeito, dando um tempo, dando um jeito, desprezando a perfeição [linear], que a perfeição [linear] é uma [merda]…”. Isso dito, sabe se lá para que, se Victor Hugo, pedagogicamente e absurdamente gentil, lhe da chance maior de compreender que o olhar linear é cego, aproveito e lembro que tem o direito de não produzir prova contra si, ainda mais tratando-se de compreensão e confessa de forma espontânea. Agora, para pensar enquanto lê a Veja: A Veja é que mantém assim os leitores sabidinhos ou sabidinhos os leitores é que mantém assim a Veja?

  6. Antes do GOLPE as instituicoes eram fortes e funcionavam. Hoje, o usurpador se queixa, ele deveria parar de usar suas mesoclises cafonas e explicar aos brasileiros porque estao fracas e nao funcionam.

  7. É muito comum Sr.Kotscho , o juiz, em audiência, contestar e impedir perguntas entre as partes quando se observa que estas são capciosas e direcionadas no sentido de causar constrangimentos ou, cuja resposta implica, na prática, na confissão de um ato delituoso ou mesmo de um crime. Há aquelas, inclusive, cujo objetivo é tão somente criar embaraços procrastinadores à causa. Neste caso, pode-se dizer que; perguntar ofende sim!
    No ambiente político polarizado do momento, de fato, um fatozinho pode ser potencializado e se transformar no estopim de uma crise ,ainda que artificializada. Basta que se observe atentamente o comportamento dos partidos de esquerda no Congresso, os quais já deixaram bem claro que, não lutam pela moralidade e pela democracia, mas para o ”quanto pior melhor”. Lembro ainda que, Cuba, Venezuela, Nicarágua e Equador não são países irmãos ,uma vez que são ditaduras escancaradas e nada tem em comum com o Brasil que ,apesar de tudo, caminha no sentido de se transformar numa democracia plena,mesmo com séries ameças dos chamados movimentos sociais engajados ao velho, nefasto e deletério comunismo dos anos 60. No Brasil, a economia tem suas singularidades. A crise econômica gerou um fato inusitado; melhorou a distribuição de rendas aferida pelo Coeficiente de Gini, que tem um índice que vai de 0 a1, sendo que, quanto mais próximo de 0 melhor é a distribuição de riquezas. Em pleno crescimento o GINI era de 0.55 e com a crise caiu p/.0.475 ,ou seja, a queda de renda tornou-nos mais iguais em alguns centésimos.(distribuímos melhor a pobreza).

  8. É muito comum Sr.Kotscho , o juiz, em audiência, contestar e impedir perguntas entre as partes quando se observa que estas são capciosas e direcionadas no sentido de causar constrangimentos ou, cuja resposta implica, na prática, na confissão de um ato delituoso ou mesmo de um crime. Há aquelas, inclusive, cujo objetivo é tão somente criar embaraços procrastinadores à causa. Neste caso, pode-se dizer que; perguntar ofende sim!
    No ambiente político polarizado do momento, de fato, um fatozinho pode ser potencializado e se transformar no estopim de uma crise ,ainda que artificializada. Basta que se observe atentamente o comportamento dos partidos de esquerda no Congresso, os quais já deixaram bem claro que, não lutam pela moralidade e pela democracia, mas para o ”quanto pior melhor”. Lembro ainda que, Cuba, Venezuela, Nicarágua e Equador não são países irmãos ,uma vez que são ditaduras escancaradas e nada tem em comum com o Brasil que ,apesar de tudo, caminha no sentido de se transformar numa democracia plena,mesmo com séries ameças dos chamados movimentos sociais engajados ao velho, nefasto e deletério comunismo dos anos 60. No Brasil, a economia tem suas singularidades. A crise econômica gerou um fato inusitado; melhorou a distribuição de rendas aferida pelo Coeficiente de Gini, que tem um índice que vai de 0 a1, sendo que, quanto mais próximo de 0 melhor é a distribuição de riquezas. Em pleno crescimento o GINI era de 0.55 e com a crise caiu p/.0.475 ,ou seja, a queda de renda tornou-nos mais iguais em alguns centésimos.(distribuímos melhor a pobreza).

  9. No meio da anomia social, política e econômica, para não falar da ética-moral, sobe de relevo o verdadeiro espírito olímpico e a virtude da solidariedade, vazada nos termos da nota do Atlético de Medellin, que de moto próprio já proclamou a Chape como campeã da Sul Americana. Reproduzo a nota publicada no El Espectador da Colômbia: “A dor oprime completamente nossos corações e enche de luto o nosso pensamento. Tem sido horas lamentáveis nas quais temos estado consternados com uma notícia que nunca quisemos ter escutado. O acidente de nossos irmãos do futebol da Chapecoense nos marcará pela vida e desse já deixará uma marca impagável no futebol latino-americano e mundial. Tudo isso foi completamente inesperado, por essa dor. Se tratavam todos eles, futebolistas, comissão técnica, jornalistas e tripulação, de pessoas com muitos sonhos, por isso o pranto.

    O lamento mundial se estende também por toda a família Verdolaga, que desde seus patrocinadores, sua junta diretiva, sua comissão técnica, seus jogadores, sua parte administrativa e sua torcida, têm manifestado a angústia o desespero pelo absurdo. A solidariedade não se fez esperar e de nossa parte acompanhamos de forma veemente a condição de todos os irmãos que nos abandonaram, quem junto a seus familiares e a nós, compartilhávamos uma ilusão de ser campeões continentais da Copa Sul-Americana.

    Além de estar muito preocupados com a parte humana, pensamos no aspecto competitivo e queremos publicar este comunicado onde o Atlético Nacional pede a Conmebol que o título da Copa Sul-Americana seja entregue à Associação Chapecoense de Futebol como prêmio de honra a sua grande perda e homenagem póstuma às vítimas do fatal acidente que deixa nosso esporte de luto. De nossa parte, e para sempre, Chapecoense campeão da Copa Sul-Americana 2016”.

  10. …quando eu vi, aquelas três figuras, os dois das laterais “muletando” o do centro, dirigindo-se para aquela mesinha de recepção de hotelzinho da alta rotatividade, pensei comigo:- Meu deus do céu, foi para isto que aqueles milhares de idiotas foram para as ruas ??? Será que eles pensam que os tais dos investidores, não colocam aqui os seus capitais, por pura falta de regras mais liberais ???

  11. Crise politica é culpa de todos. As empreteiras pagam propina para politicos em troca de aprovacao dos contratos.. Os politicos cobram proprina para que aprovem contratos. Ministerio não fiscalizam os contratos e não acompanham os pagamentos. O povo vota sem conhecer o corriculo dos candidatos. Tem muito mais motivos para essa crise.

  12. perguntar nao ofende……ao pedir licenca para *estudar* nos EUA, estaria Moro se precavendo contra um processo de traicao a patria, e um eventual pedido de prisao por parte de Lula.

    1. Porque pro meu gosto tu é muito agressivo com pessoas e coloca a agressão a frente dos argumentos. Se quer fazer isso diretamente a eles que faça, o blog não é meu, não sou juiz pra te julgar, não sou dono de verdade alguma e não acho legal comentar o comentarista, mas como no caso da agressão ao Jose Antônio eu estava do lado, reagi com o silêncio. Só isso.

    2. Meu avô era um sujeito muito calmo, pelo menos era esta a imagem que ele tinha dentro da família, no entanto, sem que ninguém soubesse, detestava um cunhado, o Raimundo, não suportava o indivíduo mas nunca o maltratava para não denegrir a sua reputação, embora fosse o seu desejo lhe dar umas broncas. E tinha razão, o Raimundo era aquele tipo de gente que quando entrava na fila do confissionário, e o vigário percebia que ele esta nela, arrumava uma dor de barriga e dispensava os fiéis.Certo dia estavam alguns membros da família batendo um papo, quando um irmão do Raimundo, o Aristeu, o chamou a atenção por ele não estar educando bem os filhos, pois um deles vivia roubando os avos de suas galinhas.Daquele dia em diante, o meu avô passou a ser inimigo do Aristeu.
      Se nem Deus sabe porque estou colocando aqui esta estória, quem dirá eu ???

  13. “Se perguntar não ofende, porque Moro vetou 21 perguntas da defesa de Cunha ao presidente Michel Temer ? (Kotscho)”. E eu pergunto: quantos paneleiros votariam em Sergio Moro pra presidente, mesmo sabendo que Moro inocentou os envolvidos no desvio de R$ 120 Bilhões do Banestado ? E querem que acreditemos que batem panelas pelo fim da corrupção. Deveriam batê-las nas cabeças uns dos outros. Né, não, Dias ?

  14. Verdade: Perguntar não ofende! – Então: A midia abandonou a Veja, ou a Veja está querendo abandonar a Midia e esse governo apoiado pela midia? -Eles que se entendam ou se desentendam, afinal ja imaginou onde poderia chegar um desentendimento entre: Globo, Folha e Veja? Mas voltando ao Brasil, e isso que o Temer Lulia chamou de fatozinho, o fato é que isso não é um fatozinho, porque a situação é pessima pra ele, pois O Temer “simplesmente ABANDONOU O SEU POSTO de presidente, deixando de administrar o Brasil e OS INTERESSES DA NAÇÃO para defender um interesse pessoal de um de seus ministros, que era na verdade, interferir para que FOSSE COMETIDO UM CRIME contra o patrimonio cultural brasileiro.” Em outras palavras: O Temer Lulia, FOI MUITO MAIS ALÉM do que foram os senadores Delcidio Amaral e Romero Jucá; pois nas gravações ambos os senadores insinuavam que poderiam apoiar um crime (a fuga do Ceveró e o golpe da presidente Dilma para tentar frear as operações de combate a corrupção); enquanto que o Temer Lulia ao interferir numa decisão de um orgão publico para favorecer o Geddel Vieira, ELE COMETE UM CRIME. Portanto, não é uma coisinha sem importancia como a midia quer fazer parece.

  15. Como não temos governantes éticos e dignos em nenhuma das esferas de poder , qualquer oportunidade de fazer uma tramóia é imediatamente abraçada pelos que deveriam ser representantes da população

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *