Temer, Renan e Maia anunciam o fim da autoanistia

Temer, Renan e Maia anunciam o fim da autoanistia

Atualizado às 12h40:

exatamente como previsto na matéria abaixo, publicada às 10h20 deste domingo, o presidente Michel Temer anunciou agora há pouco, ao lado de Renan Calheiros e Rodrigo Maia, que os três decidiram não “patrocinar” qualquer emenda de autoanistia para crimes de caixa dois e correlatos. 

Em seu pronunciamento, Temer advertiu que, com ou sem este “patrocínio”, a decisão final vai depender de decisão do Congresso, mas espera que isso não aconteça. 

Como se fossem contra o jabuti desde o início, e não tivessem participado das articulações da semana passada, eles querem nos fazer acreditar agora que nunca apoiaram o pacote da impunidade que estava sendo preparado no Congresso. Após comandar o processo de anistia na Câmara, Rodrigo Maia foi ainda mais longe:

“A reunião de hoje é importante para esclarecer que essa emenda nunca existiu”.

Então, está bom, ficamos assim. Será que tudo não teria passado de um delírio coletivo?. 

***

 Daqui a pouco, ao meio dia deste domingo, quando a lama já estava começando a bater no pescoço, os presidentes da República, do Senado e da Câmara deverão anunciar em inédita entrevista coletiva conjunta o enterro simbólico da autoanistia para os políticos enrolados na Lava Jato.

É o mínimo que se espera para acabar de vez com esta tentativa indecente de aproveitar a votação do pacote anticorrupção na Câmara para garantir a impunidade dos que cometeram crimes diversos em campanhas eleitorais passadas.

Mudou tudo.

Durante toda a semana passada, antes dos líderes dos principais partidos acertarem com Rodrigo Maia a aprovação da emenda da autoanistia, na sessão de quinta feira, a posição do presidente Michel Temer, segundo seus assessores mais próximos, era sancionar “o que for decidido pelo Congresso”.

A sessão de votação na Câmara seria suspensa por Maia e adiada para a próxima terça-feira. Neste meio tempo, o escândalo Geddel invadiu o gabinete presidencial e passou a ameaçar a sobrevivência não só do agora ex-ministro, mas do próprio governo.

No sábado, em São Paulo, ao avaliar o tamanho da encrenca, Temer deu um cavalo de pau e mandou avisar que não vai mais sancionar anistia nenhuma.

Em seguida, Renan Calheiros (12 processos no STF) comunicou que o Senado também não votaria o jabuti gigante que já estava acertado com a Câmara.

De repente, parece que os donos do poder, que estavam dando uma banana para a opinião pública na tentativa de salvar Geddel e se auto-anistiar, deram-se conta de que tinham ido longe demais em seu cinismo e arrogância.

Numa democracia representativa minimamente civilizada, os ocupantes do poder federal podem muito, mas não podem tudo.

Não podem, por exemplo, ir contra a vontade da imensa maioria dos brasileiros que sofrem com a recessão, o desemprego, o fechamento de empresas e todas as desgraças produzidas pelos desmandos dos seus representantes eleitos.

Tudo tem um limite _ ou deveria ter.

Vida que segue.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

18 thoughts on “Temer, Renan e Maia anunciam o fim da autoanistia

  1. (Devido a existência de plena liberdade de imprensa no Brasil, esta coluna é publicada!)
    “Não podem, por exemplo, ir contra a vontade da imensa maioria dos brasileiros que sofrem com a recessão, o desemprego, o fechamento de empresas e todas as desgraças produzidas pelos desmandos dos seus representantes eleitos.”
    Realmente a frase acima resume o sentimento do povo brasileiro que trabalha, é honesto, não é manipulado por assistencialismos e muito menos por blá-blá-blá de ideologias mortas e de gente que tem como ídolos ditadores sanguinários e repressores.
    Michel Temer pode ser qualificado com um monte de adjetivos, bons pelos seus admiradores e ruins pelos seus detratores, mas burro é de carteirinha, quem julga-lo ou qualifica-lo de ser um ignorante em politica.
    O presidente sabe que seu governo não pode e nem deve locupletar-se com qualquer tentativa de calar ou boicotar os efeitos da operação Lava-Jato e muito menos travar a ação da justiça para aqueles que forem levados ao banco dos réus. O Brasil não suporta essa idéia e doa a quem doer, essa desastrada e maldosa tentativa da Câmara, será jogada na lata do lixo.

  2. Caro Kotscho, o governo golpista de Temer acabou !!! Nem precisou pressão nas ruas por parte da oposição para que caíssem de podre. Kotscho, em todos os teus mais de 50 anos de jornalismo, tu já viu Presidente voltar correndo pra Brasília para dar coletiva num domingo na hora do almoço ??? É porque a gravação do Calero vai aparecer e pode ser hoje a noite no Fantástico !!! Isso se a Globo não acertar acordo com o Temer ainda hoje e passar a mandar ainda mais no Brasil. De qualquer maneira Temer já foi fritado pelos próprios aliados posto que prometeu aos 3/4 de ladrões picaretas do Congresso que “estancaria a sangría” e não pode entregar. Agora é esperar virar o ano para que o Congresso de picaretas eleja indiretamente um tucano, que pode ser FHC, e que já comprou uma reeleição e pode comprar outra. Não vai ter eleição em 2018!!! Pode anotar al!!! E assim o golpe será consumado!!! A não ser que batam panelas… Não!!! Pode esquecer, esse gado é povo marcado, é povo “feliz”.

  3. ANISTIOCÍDIO À VISTA! Acordaram? Sim, a poder da “pressão” da Rede Social. Não deixe por menos não, Kotscho. Esses três “anõezinhos” do “TRM” (Tribunal Regional da Maracutaia) acusaram o golpe. Autoanistia? Ainda bem que não acenderam essa fogueira. As labaredas queimariam as paredes do Palácio do Planalto e ferveriam as águas do Paranoá. República de anões, no pós impeachment, o cidadão não é o mesmo. Chafurdaram tanto que até a lama se cansou deles. Covardia é dizer que a palavra final está com o Congresso. Se “Legisladores” ignorarem representados, o Brasil assistirá… o maior ANISTIOCÍDIO político de sua História.

  4. Sr.Kotscho, é que, neste caso, CX 2, se criarem uma lei exclusiva para punir os beneficiários, dois problemas poderão ocorrer. 1º, a cominação poderá ser negada em juízo por se tratar de lei retroativa que, como se sabe, só tem eficácia se for para beneficiar o réu e, 2º ,tudo indica que o procedimento chamado de CX 2 e generalizado entre parlamentares de todos os partidos. É inimaginável supor exceções neste procedimento, então teríamos que ”fechar” o Congresso. Só há uma maneira de se conseguir algo; enquadrar os acusados no crime de furto qualificado; Art 155 §2º (roubo com astúcia). Caso seja aceito pelo PGR e enviado ao STF (fórum privilegiado) a chance de alguém ser punido é ZERO.
    Na antiguidade,em algumas civilizações, um crime quando era praticado por todos deixava de ser crime e era adotado como procedimento normal com base nos costumes. O PT tentou fazer valer esta tese por ocasião dos primeiros indícios de crime no mensalão.Inventou-se, à época, o tal ”recursos não contabilizados” , uma criação do saudoso Marcio Thomaz Bastos e popularizado pelo Delúbio .

    1. O foguetório que atazana Perdizes desde cedo, só pode ser em comemoração a emanação de verdade em forma de luz nesse comentário, que trocado em miúdos diz: se formos punir políticos que utilizam de recursos de caixa dois, abastecidos por empresas, pelo Brasil afora, pouco importa se na esfera, federal, estadual, municipal, rotariana ou clubística, vamos fechar o Brasil por falta de quem o dirija ou queira dirigi-lo. Cristalino, como água Prata. E por que só agora? Porque deixa de ser apenas o PT e todos entram na roda, pois há “Trump midiático-jurídico” cá, querendo fazer a hora. Mora na filosofia! PS: Há duas modalidades de utilização: para o partido e, parte para o partido e parte para o bolso distraído. Pense, em qual o PT, exceção, comprovadamente beira 100%?

  5. Nesse assunto, escondem da maioria, enquanto parte da minoria que sabe, “esquece”, a premissa de como são financiados os partidos no Brasil, para saldarem as despesas, sem as quais não existiriam quanto candidatos de fato ao poder: O Caixa 2, abastecido por empresas, sobretudo da construção e financeiras, desde sempre, com o TSE “fechando o olho”, até o PT utiliza-lo e assumir o poder em 2002. Adestram a massa sobre ameaças à Lava Jato, como se a Vaza Jato já não fosse ameaça maior ao estar a demolir o arcabouço jurídico e constitucional, sem falar na paralisia econômica, do país. Como alerta J. Carlos de Assis em, “Manipulação grosseira do povo na criminalização do caixa dois”: “Uma combinação de ignorância, má fé, manipulação e arrogância fez com que o projeto de tipificação, como crime, do caixa dois eleitoral se transformasse na mais terrível ameaça ao ícone sagrado do momento na vida política brasileira, o combate à corrupção comandado pela tropa judiciária da Lava Jato. (…) A quase unanimidade, forjada …, em torno da ideia de que tipificar como crime o caixa dois seria dar anistia aos corruptos não passa de uma simplificação grosseira do que está em jogo. (…) Maeterlinck dizia que um cardume de arenques não é mais inteligente do que um arenque isolado. Como anistiar algo que não era crime? Sim, se querem introduzir o crime de caixa dois, e eu estou de acordo com isso, que o façam daqui para frente, como ocorre com toda a lei. (…) O mais sórdido nessa história são as alegações de que a tipificação do crime de caixa dois liquidará com a Lava Jato. Eles querem a lei não para ser seguida, mas para ser um instrumento de coação do cidadão e da cidadã comuns diante de um sistema jurídico tosco, ora objetivo, ora subjetivo, de acordo com a vontade do MP e dos juízes…”. Pois é, Mestre, e quanto “as desgraças produzidas pelos desmandos dos seus representantes” NÃO eleitos, os funcionários concursados, como ficam? Afinal, identifica-se quem manipula ou faz se o jogo manipulado. É da “lei”.

  6. Ricardo,
    Esta entrevista de hoje nos leva ao seguinte: O congresso aprova. O presidente veta. O congresso derruba o veto do presidente. E, aí, temos o respeito aos ditames constitucionais e a anistia vai em frente. Vida que quese.

  7. O clamor popular agora faz efeito. O governo agora ouve o povo. Antes o povo era apenas um detalhe. O povo unido em favor do país faz os maus políticos entrar na linha.

  8. Derrubaram uma presidente legitimamente eleita e devolveram o Brasil aos mais inescrupulosos corruptos de sua história. Como nas proféticas palavras de Dilma Rousseff, não vai ficar pedra sobre pedra. Preparem o lombo: o bicho vai pegar !!!!

  9. É os “tambores soaram”, nas mídias sociais, convocando o povo a ir as ruas dia 04/12. Prontamente os políticos recuaram. FHC, como sempre, um político com sua envergadura, principalmente em momentos de crise, foi chamado, e lá foi ele conversar com Temer e sua trup. A conversa, não precisa ser nenhum expert em política, ou ter poderes sobrenaturais para saber o que ele disse……..”Vocês estão brincando com a democracia, a continuar assim, afrontando o povo, podemos ter em breve uma intervenção militar, e claro, para bom entendedor, ninguém sai ganhando”.
    E.T- Esse “chamamento”, nas mídias sociais, vale para o PeTe, que se forem fazer política como faziam a 13 anos atrás, onde tudo estava errado, estarão fadados a cada eleição ao fracasso como visto em 2016, a internet esta ai para conferir a verdade e dissipar as mentiras.

  10. Tem coxinha jogando fora a agua com a crianca dentro, imaginando que o POVO nao esta vendo. Sexta-feira FHC,Acecio e outros da gangue GOLPISTA jantaram com o usurpador dando-lhe apoio. E mais,

    hoje tem manifestacaos legitimas contra essa palhacada toda, ja no dia 4 serao os patos peneleiros vestidos com a camisa da CBF, vao protestar contra o que mesmo? corrupcao? o PT? seria melhor ficarem em casa pra nao passar por mais esse vexame.

  11. “A reunião de hoje é importante para esclarecer que essa emenda nunca existiu”, proclamou o anão Maia, simplesmente sucessor de Cunha, com o perdão da palavra. Existiu sim. Todos os deputados estavam com tesão e foram seduzidos pela anistia. Passaram dos autos orais e libidinosos, não se confirmando a aberração da gravidez, porque a Rede Social, impediu… a penetração de odiosa conjunção política em causa própria. Mas o laudo da peritagem de pressão popular, comprovou o estupro. Isso é crime. Geddel se foi, mas parece ter engravidado Temer, Renam e Maia. No Planalto, abortaram a ideia de anistia ao caixa 2 e com aval triplo. Tudo pra inglês ver e brasileiro se ferrar. Que trio! Mas Temer, no alto da rampa de seu “Poder Impichador”… impichou que a gravidez (última palavra) será, DE UMA BARRIGA DE ALUGUEL: o Congresso Nacional. Esse Governo nem começou e o povo já perdeu a tesão.

  12. Dias – 27 de novembro de 2016 – 15:40:
    ”E por que só agora?” No mensalão, o STF entendeu que houve desvio de recursos públicos e fraude em empréstimos, com a finalidade de se alimentar um esquema de suborno de parlamentares para que votassem a favor de projetos de interesse do PT. E as provas eram contundentes, pois os dirigentes petistas não se deram ao trabalho de apagar os rastros. Entendeu Dias? O CX 2 é, e sempre foi generalizado, mas comprar o parlamento com verbas desviadas do tesouro é outra história. Por favor, deixe esta catilinária de perseguição. Ninguém é tão ingênuo assim como o senhor pensa. O PT inovou e institucionalizou a corrupção e pretendia implantar uma ditadura subornando o parlamento .Quer saber, a punição ao PT, ao fim e ao cabo saiu barata demais.

  13. Dias – 27 de novembro de 2016 – 15:40:
    ”E por que só agora?” No mensalão, o STF entendeu que houve desvio de recursos públicos e fraude em empréstimos, com a finalidade de se alimentar um esquema de suborno de parlamentares para que votassem a favor de projetos de interesse do PT. E as provas eram contundentes, pois os dirigentes petistas não se deram ao trabalho de apagar os rastros. Entendeu Dias? O CX 2 é, e sempre foi generalizado, mas comprar o parlamento com verbas desviadas do tesouro é outra história. Por favor, deixe esta catilinária de perseguição. Ninguém é tão ingênuo assim como o senhor pensa. O PT inovou e institucionalizou a corrupção e pretendia implantar uma ditadura subornando o parlamento .Quer saber, a punição ao PT, ao fim e ao cabo saiu barata demais.

  14. Estava bom demais para ser retorno à lucidez, “o velho” (20:22) perde o pelo, mas não … Mas deixa repetir, vai que a surdez visual de repente, no tranco, pega novamente à verdade e concorda com o que não tem mais jeito de não concordar, pois é fato: “E por que só agora? Porque deixa de ser apenas o PT e todos entram na roda…”. Quanto a pós-verdade do mensalão, é como o “governo Intemerino”, dentro da lei nada nele se sustenta: Não houve desvio de recursos públicos, comprovadamente eram privados e nem ressaltemos assinaturas e responsabilidades colegiadas, com tucanos participes. Não houve fraude em empréstimos, foram utilizados, cumpridos, quitados e nada provado. Condenaram e (des)condenaram o eleito “chefe da quadrilha”, pois não provou-se a quadrilha e sem quadrilha não tinha como ter chefe. Enfim, condenaram os do PT na mídia e, à falta de provas, lançaram mão do domínio do fato e da literatura jurídica que permite (sob interpretação convicta do auxiliar moro), no jurídico. Para encerrar a farsa, nem o herói de ocasião, Batman, se sustentou. Ao primeiro inconveniente manifesto de independência, foi liminarmente atirado à lata de lixo e hoje, berra anônimo contra o golpe, enquanto a mídia bandida que o patrocinava no tempo da farsa, finge que sequer exista, no “berra que eu não te escuto” global, destinado a manés e trouxas.

  15. Obrigado Ktoscho! Assim como outros jornalistas sérios, nos ajuda a entender o que se passa em Brasília. Sem vocês não teríamos com entender todas essas maracutaias. Só houve pressão pública porque soubemos claramente o que faziam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *