A noite em que Fidel cansou de dar autógrafos

A noite em que Fidel cansou de dar autógrafos

Eu e Fidel em Havana (Foto: Delfim Martins/Agência F4)

“Chega! Estão pensando que eu sou o Marlon Brando?”

Tem cenas que a gente não esquece por mais que corra o tempo.

Setembro de 1981, tempos de Guerra Fria, quando o Brasil ainda não havia reatado relações diplomáticas com Cuba e era proibido viajar para lá com passaporte brasileiro.

Na primeira das muitas viagens que fiz a Cuba a trabalho ou a passeio, fui testemunha de um episódio pitoresco na recepção oferecida por Fidel Castro, no Palácio da Revolução, aos visitantes estrangeiros convidados para o Encontro de Intelectuais pela Soberania dos Povos de Nossa América, uma iniciativa de Gabriel García Márquez.

Lembro-me que eu estava quase no final de uma longa fila de cumprimentos ao “Comandante”, como todos o chamavam, quando tive a ideia. De bloco de repórter e caneta na mão, enquanto esperava minha vez, achei que podia ser a hora de pedir um autógrafo a Fidel em carne e osso para poder provar a todo mundo na volta que eu estive lá.

O que poderia acontecer? No máximo, pensar que eu era maluco e passar para o próximo da fila, mas Fidel achou engraçado meu pedido de autógrafo, algo a que não estava habituado nas reverentes cerimonias oficiais na ilha. Para não ficar chato, disse que era para uma grande admiradora dele, a minha mulher. E o comandante, sem pressa, caprichou na dedicatória.

Os que estavam depois de mim na fila gostaram da ideia e também pediram a sua assinatura em qualquer papel que pudessem achar para guardar de lembrança. Para todos ali, o revolucionário Fidel era uma lenda viva e não queriam perder esta rara oportunidade.

De repente, formou-se uma roda em volta dele como se o comandante de Sierra Maestra fosse um artista pop, quebrando todas as regras do cerimonial, e ele se tocou que era hora de acabar com aquele oba-oba. Abriu os braços, como se estivesse dando uma bronca, dando por finda a inesperada noite de autógrafos.

“Chega! Estão pensando que eu sou o Marlon Brando?”.

Um ajudante de ordens abriu caminho e levou-o para uma sala reservada onde ele queria conversar com algumas pessoas longe do bochicho. Em seguida, mandou chamar meu amigo Frei Betto, um dos integrantes da comitiva brasileira, que no domingo anterior tinha pedido para assistir à missa numa igreja, outro pedido inusitado em Cuba.

Eu tinha ido à igreja junto com ele e, por conta disso, outros membros da comitiva, ligados ao velho Partidão, passaram a nos chamar de “papa hóstia”, tirando um sarro da gente. Onde já se viu pedir para ir à missa em Havana?

Resolvi ir à forra quando me perguntavam se eu sabia onde estava o Frei Betto, que demorava para voltar ao salão de recepções. Achavam que era brincadeira quando eu respondia que ele estava numa conversa com Fidel.

Deve ter sido ali que começou o longo trabalho do frade dominicano na reaproximação da Igreja Católica com o governo cubano, que resultou no livro “Fidel e a Religião”. Os dois ficaram velhos amigos naquele dia.

E o resto agora é história.

Vida que segue.

 

 

 

 

 

 

 

 

.

 

 

 

 

 

 

 

 

20 thoughts on “A noite em que Fidel cansou de dar autógrafos

  1. Os fins nunca justificarão os meios”
    Assim como Pinochet no Chile, os meios de Fidel para chegar e manter-se no poder, nunca justificarão qualquer avanço ou melhoria que possa ter acontecido ao povo cubano.
    Fidel Castro era um ditador sanguinário e opressor como tantos pelo mundo afora e só “cantou de galo”, quando teve o apoio da extinta União Soviética e mesmo assim não proveu seu povo de condiçoes de prosperidade, pois o comunismo provou em Cuba tambem, que é bom para quem está na cúpula do poder, pois para a população em geral, só resta a obedecer calada as provaçoes que o regime impoe, pois do contrário restam a prisão ou a morte.
    Esse projeto de ídolo tentou a todo custo exportar sua revolução mundo afora e só conseguiu êxito na faminta África e na Nicarágua, paises miseráveis e com povo subjugado.
    Não se deve guardar lembrança de Fidel Castro e os milhoes de cubanos expatriados, mortos e presos por opinião, sabem muito bem disso.

  2. Caro Kotscho, essa dedicatória deve está bem guardada, né verdade? Fidel foi um visionário e grande ” companheiro “. Investiu no básico, priorizando a educação e a saúde. Mesmo diante do embargo comercial Cuba está na posição 52° do IDH. O Brasil no 85° nos envergonha.

  3. Caro Kotscho, hoje para mim é um dia de luto e de muita reflexão para seguir na luta e por isso não vou bater boca com gente que baba e morde o próprio rabo feito cachorro louco e que reza e publica suas crenças e orações todo dia mas que são capazes, chegam ao ponto de comemorarem a morte de uma pessoa. E que pessoa !!! Quero apenas contar e lembrar o que a VIDA que eu escolhi já me deu, já me presenteou. Eu, um simples, pequeno e mero “purgante” para o mais ou qualquer arrogante opressor. Contar que minha mão também já foi literalmente apertada por Fidel !!!
    Deu-se em Março de 1989 durante a inauguração do Memorial da América Latina em São Paulo.
    Eu acabara de tomar posse em cargo de confiança na Prefeitura Municipal no Governo Luiza Erundina e fui lá junto com ela e mais poucos petistas assistir a cerimônia cuja maioria dos convidados eram do então governador Orestes Quercia do PMDB. Lula também estava lá mas junto com o grupo que cercava e conversava e ria muito com “el comandante Fidel” . Dava para notar embora nós éramos os “mixurucas” isolados por corda no cantinho que esticavam os pescoços pra ver alguma coisa até que alguém, que não me recordo quem, teve pena e teve a ideia de romper o cordão trazendo o comandante até nós para nos apresentar.
    Daí em diante eu comecei a tremer vendo a cor daquele uniforme militar crescendo diante dos meus olhos cuja imagem lacrou na memória para nunca mais apagar .
    Fidel nos cumprimentou um a um com as suas duas mãos apertando bem forte a minha única, suada e pequena. Mãos enormes daquele homem enorme e de um carisma infinito.
    O curto, porém para mim imenso diálogo carregado com todo um peso da história deu-se assim :
    Mirando-me diretamente nos olhos Fidel Castro Ruiz perguntou :
    – “Cuál tu nombre ???”
    “- Enio”
    “- Mucho gusto camarada Enio !!!”

    E assim foi “y hoy él se fué”.
    HASTA SIEMPRE COMANDANTE FIDEL !!!

  4. Se o Fidel Castro fosse perfeito se chamaria Jesus Cristo; porém se ele fosse muito pior do que era o nome dele seria Estados Unidos. – E a pena de morte em Cuba? – E a pena de morte nos Estados Unidos? Ela nos mostra que pena de morte é uma boçalidade em qualquer lugar do mundo; e por isso desejar a morte de quem quer seja é animalesco/burrice. “Fidel LIBERTOU SEU POVO DA ESCRAVIDÃO;” lutou pelos direitos de sua gente, mesmo quando muitos deles não entendiam. Com Fidel o povo teve garantido direitos basicos do ser humano: Casa, comida, saude e educação. -Quantos países no mundo tem direito a isso? -Por que que a “bondade” dos Estados Unidos, em receber cubanos de braços abertos, porque não é a mesma em receber os refugiados da Siria, que vivem num país em Guerra e sob o dominio de um “tirano” muito mais cruel que o Fidel? Pergunte a um velho ‘refugiado Cubano’, portanto, descompromissado com o governo Fidel Castro, se Cuba ficou melhor com a revolução ou pior, e verás que a resposta será a de que ficou. -Então, querer dizer que Cuba seria melhor se continuasse aliada dos Estados Unidos, é apenas “suposições” de acreditar que o desconhecido seria melhor do que o concreto; pois os Estados Unidos são aliados de varios paises pequenos, em toda parte do mundo, e 98% deles não são melhores que Cuba. Por isso é importante perceber que o Fidel Castro não foi um deus, mas foi um grande lider, que libertou o seu povo, da opressão, tal como fizerem outros como: Mahatma Gandhi e Nelson Mandela. “Lugar de brasileiro é no Brasil, e foi por isso que a emigração de brasileiros diminuiu mais de 50% nesses 13 anos de governos do PT, que criaram condições melhores para vivermos aqui”.

    1. Uma mentira mal-contada, não vira uma verdade! Nunca!
      Pura sandice comparar a pena de morte cubana e a americana, pois nos EUA não se é condenado a morte por ser contrário ao governo e sim por crimes hediondos, em alguns estados, diferentes de Cuba, onde se morre ou se é condenado a prisão perpétua por uma simples opinião.
      Posição politica se aceita, pois é democrático, coisa que Cuba não conhece, mas estupidez mentirosa, jamais!
      FIDEL, STALIN, POL-POT, IDI AMIN, PINOCHET….DÉSPOTAS. NADA MAIS. NADA MENOS!

  5. Aqui qualquer um que não fosse da esquerda, mas tivessem em seu curriculum apenas duas características: ditador e homofóbico já seriam devidamente execrados, mas o fanatismo lhe cegam. Agora gostaria que algum adorador fosse corajoso para responder a seguinte pergunta: Qual a proporção da população cubana tinha a mesma qualidade de vida do seu ídolo? 90%, 80%, 50%, 20%, 5%, 1% ou 0,01%. Sejam diretos sem enrolação, por favor. Coragem antes de tudo.

    1. Maurício, eu prometi não me envolver em bate boca com anestesiados pela mídia e por sites de extrema direita que frequentam mas isso foi ontem, hoje já é outro dia. Eu no ano passado vivi inesquecíveis 45 dias em Cuba não na condição de turista mas sim como paciente em uma clínica. Lá eu convivi diretamente com o povo cubano sem nenhum guia turístico do governo. Dei até entrevista para o programa “La pupila asombrada” exibida em horário quase nobre na “TV Cubavision”, a mais importante emissora daquele país. Aqui segue o link do vídeo —> https://www.youtube.com/watch?v=5Mzl40a7mwU&ab_channel=Lapupilaasombrada — Só peço desculpas pelo meu pavoroso “portunhol” . A resposta crua, direta e resumida para a tua pergunta é a seguinte: Se tu é rico aqui no Brasil, viver em Cuba seria para ti um inferno mas se tu é pobre, vai se sentir no Paraíso !!! De fato, Cuba é uma ditadura militar como qualquer outra ditadura quer seja de esquerda ou direita e como em qualquer governo de milicos, os milicos SEMPRE terão privilégios porque tem as armas e no caso cubano são eles os únicos que as tem. O povo cubano odeia os milicos parasitas da revolução mas idolatra Fidel e Raul que são para eles grandes heróis. Lá encontrei uma segurança pública exemplar. praticamente não há crimes hediondos posto que nem a polícia tem armas. “Ah !!! Mas e os crimes políticos de traição da revolução deles ???” Me dê um nome de UM preso político em Cuba !!! Tu vai ficar o dia inteiro procurando no google e não terá sucesso porque tu já está contaminado por informações que só sabe vindas de Miami e dos contra. “E o paredón ???” . Muito me admira ficar revoltado com isso e não se revoltar com o juiz Moro que prende somente políticos de um único partido que lhe é ideologicamente adverso, MATANDO-OS todos os dias não fisicamente mas politicamente por toda a eternidade. Tirando o Cunha que é exceção, qual outro político que não seja do PT que está preso ou condenado ??? EM TEMPO: Sou sim admirador de “el comandante”, o crítico mais ácido do seu próprio socialismo ali implantado, mas não sou comunista !!! Não desejo esse regime pra ninguém !!!

    2. Caro Ênio, realmente lendo seu comentário não é difícil de encontrar além de contradições os exemplos mais absurdos para encontrar pontos positivos para seu ídolo. Dizer que um pobre no Brasil viveria num paraíso lá chega a ser ofensivo. Vejamos que lá milhares arriscam a própria vida para fugir (a palavra fugir já seria condição sine qua non para renegarmos seus governantes), da miséria, da opressão, da falta de oportunidade e tudo aquilo que as ditaduras arrancam daqueles que não fazem parte de seus grupelhos. Respondendo em número 0,01. Quanto as armas, se acompanha os posts do Ricardo irá ler que da boca do falecido dizer que todo cidadão de Cuba tem armas em casa, sem antes expor seu desprezo pelos homossexuais quando diz que os analistas políticos eram pederastas. Enaltecer quanto a segurança? Todos sabem que lá não existe direitos humanos para bandidos, são tratados como bandidos, havendo a possibilidade da pena de morte. Minto? Não precisa ir para Cuba para ter segurança. Vejamos uma Amiga voltou a poucos meses de um giro na Europa (Inglaterra, Portugal e Espanha), e afirmou que andava tranquila pelas ruas, caminhava pela cidade do Porto e se deu conta que já eram 2 horas da madrugada e que isso aqui no Brasil nunca ocorreria. Outro exemplo uma reportagem sobre brasileiras que moram em Dubai, onde a entrevistada diz que chegou de um casamento às 22h30min e sua filha de 8 anos pediu para que fossem comprar sorvete. Sem tirar uma joia andou por 4 quarteirões com sua filhinha e voltou por volta da meia noite, sem um mínimo de receio ou medo. Continuando a responder sem metáforas ou rodeios. Quanto aos seus pedidos de achar presos políticos e procura no google, aqui vai: Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Ir para: navegação, pesquisa.Damas de Branco (em espanhol Damas de Blanco) é um grupo de mães e esposas de presos políticos do regime ditatorial socialista cubano. É composto por familiares e esposas de cidadãos presos por serem opositores ao regime político da ilha e lutarem pela liberdade.[1] O movimento surgiu em 2003, após a chamada Primavera Negra de Cuba e possui como tradição a vestimenta branca (referência/reverência, aos Fantasmas dos mortos) utilizada nos protestos, em memória aos mortos do regime. Foi fundada pela dissidente Laura Pollán.[2][3] O grupo, muitas vezes reprimido pela policia[4], recebeu o Prémio Sakharov para a Liberdade de Pensamento em 2005, todavia não pôde recebê-lo, pois foi impedido de realizar a viagem. Em 2006, ganharam o prêmio Human Rights First. Na visita do Papa foram presas ao fazerem manifestação contra o governo cubano. Quanto aos políticos: Pedro Correa e Luiz Argôlo, sem contar alguns dos maiores empresários do Brasil. Lembrando que o Grande Sérgio Moro só pode ter sob seu julgamento cidadãos sem foro privilegiado. Admirar um ditador que comete todas essas atrocidades não é compreensível.

      1. Mauricio, tu não tem mais jeito. Eu não vou e nem quero tentar te convencer de nada mas usar o Wikipedia como referência é no mínimo deprimente. Ali cabe tudo !!! Como assim “Não precisa ir à Cuba pra saber como é lá” ??? É o mesmo que dizer : Fui a Miami e conheci Cuba !!! Cara, tu pode amar ou odiar Fidel porque está no teu direito, no mundo todo é assim e tu não é diferente, o que não pode é negar que Fidel foi e será para sempre um dos mais importantes personagens da história da humanidade. Aliás a maioria do mundo acha isso. Aguarde para ver as homenagens que o povo cubano lhe fará durante a programação do eventos do seu funeral nos próximos dias. Verás o quanto Fidel é amado. Como pode um “ditador sanguinário” ser tão adorado assim por seu povo ??? Mas, como em qualquer lugar e tempo, tem sempre uns e outros do contra, e esses fogem, sempre fogem !!!

    3. Para finalizar. Caro Ênio não sabia que era para escolher seus sites preferidos. Lembra dessa parte: “…Tu vai ficar o dia inteiro procurando no google e não terá sucesso…”. Pergunto se tem coragem de responder. As Damas de Branco não existem? Alguns sites de pesquisa do google para sua satisfação: http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2016/03/1752824-dissidentes-cubanos-tem-imensa-coragem-afirma-barack-obama.shtml; http://ultimosegundo.ig.com.br/especialcuba/perto-de-receber-papa-cuba-prende-dezenas-de-dissidentes/n1597699340595.html; http://www.rtp.pt/noticias/mundo/libertados-varios-dissidentes-cubanos-detidos-no-domingo_n905244. Quanto ser adorado por seu povo que não pode se manifestar nem se organizar para expor sua ojeriza contra o seu algoz, sob o risco de prisão e assassinato, tenha visto as reportagens acima indicadas. Entendo que a idolatria não pode ser medida. Abraços

    4. Maurício, eu me esforço pra não ser chato, o Kotscho que me perdoe mas a tua insistência e teimosia não me espanta. É claro que essas “Damas” existem !!! Inclusive eu conheci uma delas. Era mãe também de um enfermeiro lá do Ciren (Cientro Internacional de Reabilitación de Enfermidades Neurológicas) onde me tratei. Elas são meia dúzia e o próprio Gabriel, enfermeiro, não concorda com elas. Há uma Lei em Cuba que trata de traição a Revolução como traição a Pátria, cuja pena é a de morte. Concordando ou não com isso, a lei é deles, criada por eles e tem que ser obedecida !!! Nos EUA há uma lei também assim (só não sei se é de morte) o único país da América Latina esculhambado quanto a isso é o Brasil !!! Se aqui existisse uma lei semelhante, Serra estaria preso ou fuzilado no “paredón”. Cada um com a sua convicção, tu na tua e eu na minha não vou te convencer e nem tu a mim mas quer corrigir-te em uma coisa: Troque a palavra “idolatria” por amor !!! É isso o que sinto por Fidel !!! Segue a letra traduzida da música “Por quién merece amor” do compositor Silvio Rodriguez feita em 1990 em homenagem a Fidel —>

      ” Te incomoda meu amor?
      Meu amor de juventude,
      E meu amor é uma arte em virtude. —

      Te incomoda meu amor?
      Sem mascaras por trás
      E meu amor é uma arte de paz —

      Meu amor. minha prenda encantada,
      É minha extensa morada,
      É meu espaço sem fim
      Meu amor não precisa fronteiras
      Como a primavera não prefere jardim. —
       

      Meu amor não é amor de mercado,
      Porque um amor sangrado
      Não é amor de lucrar.
      Meu amor é tudo quanto tenho;
      Se o nego ou o vendo,
      Para que respirar? —

      Te incomoda meu amor?
      Meu amor de humanidade,
      E meu amor é uma arte em sua idade —

      Te incomoda meu amor?
      Meu amor de sofrimento,
      E meu amor é uma arte maior —

      Meu amo não é amor de um só,
      Senão alma de todo no que urge sanar
      Meu amor é um amor de abaixo
      Que o destino me veste
      Para fazê-lo empinar. —
       

      Meu amor, o mais apaixonado
      É dos mais esquecidos
      Em sua antiga dor.
      Meu amor abre o peito pra morte
      E atira sua sorte
      Por um tempo melhor.
      Meu amor, este amor aguerrido,
      É um sol sempre aceso,
      Para quem merece amor.”

      Se quiser se emocionar com a canção aqui vai o link —> https://www.youtube.com/watch?v=2Xj69VZGHKM&ab_channel=Chileenvivodvd

  6. Ditadores não deviam nascer, quando morrem vão tarde, independente da cor da farda, a maioria usa. Só fanáticos os admiram. Quanto aos tão aclamados altos índices de educação e saúde da ilha da família Castro: Nem o paraíso vale a pena se for obrigado. O sujeito sempre foi um ditador, não um líder, como querem vendê-lo. A prova final da ditadura, é que cubanos residentes que ficaram feliz com a morte do ditador, não podem comemorar, nem sequer manifestar o pensamento. Ou cadeia, como toda ditadura desde de que o mundo é mundo.

  7. Resumo sobre Fidel….Um ditador como os demais, a única diferença era seu carisma e o “romantismo” que o cercava na época………Uma coisa “curiosa”….. a Dilma chorava quando lembrada da tortura sofrida na ditadura militar, mas ia a Cuba “saudar” um ditador, tão opressivo ou mais…..coisas de PeTe.

  8. Apenas um genocida. Simples assim. Porém para os frequentadores aqui essa palavra não tem muita importancia, tudo pela “causa”, não é mesmo? Vidas humanas não valem grande coisa, a não ser quando são de esquerdistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *