Debate mostra mudança de alvos dos candidatos

Debate mostra mudança de alvos dos candidatos

Os candidatos à prefeitura de São Paulo no debate da Record (Foto: Eduardo Enomoto/R7)

Duas semanas atrás, antes de sair do ar para tomar um fôlego, escrevi aqui que a disputa por uma vaga no segundo turno em São Paulo estava embolada entre três candidatos _ e assim continua na reta final da campanha, a sete dias das eleições.

Os nomes continuam os mesmos _ Celso Russomanno, Marta Suplicy e João Dória _ mas inverteram-se as posições e, consequentemente, os alvos dos três, como mostrou o duro debate de domingo à noite na TV Record, o mais acirrado dos que foram promovidos até agora.

Com Dória assumindo a dianteira e crescendo em todas as pesquisas, os principais ataques se concentraram na disputa pela segunda vaga entre Marta e Russomanno, que estão em empate técnico, um acusando o outro de mentiroso.

Os dois até pouparam o prefeito Fernando Haddad, candidato à reeleição, que está empacado em quarto lugar e tinha sido o principal alvo nos debates anteriores.

A mudança nas estratégias é reflexo de uma tendência mostrada pelas pesquisas que desenham uma nova configuração na tradicional divisão da cidade em zonas azuis (centro ampliado, dominado pelo PSDB) e vermelhas (periferias, que eram redutos do PT).

Desta vez, com o PT fora de combate (a rejeição a Haddad está próxima de 50%), a zona azul ficou livre para o tucano João Dória, que surfa no anti-petismo, enquanto seus dois principais concorrentes brigam pelos votos da zona vermelha. O curioso é que o prefeito petista consegue seus melhores índices nos bairros dos mais ricos e escolarizados.

Embora pertençam ao mesmo estamento social da elite paulistana e frequentem as mesmas festas, Dória e Marta, ela agora no PMDB, sem usar o nome Suplicy, batalham em campos opostos. A neo-peemedebista concentra sua campanha na zona vermelha, em busca dos eleitores mais carentes órfãos do PT, partido ao qual pertenceu por 30 anos e foi eleita prefeita, o mesmo reduto onde Russomanno, do PRB, tem os seus melhores índices.

No debate, Marta bateu em negócios particulares de Russomanno, que revidou, ao criticar a administração da ex-petista por criar taxas e viajar muito a Paris, abandonando a cidade em momentos difíceis.

Fora a repetição de promessas caras e inviáveis(ver post anterior), os graves problemas da cidade mais uma vez ficaram em segundo plano nas discussões. Os embates foram mais de caráter pessoal do que político-administrativo, e quem saiu perdendo foi o eleitor, que chega à boca de urna num clima de desinteresse e desencanto como nunca se viu antes.

Só nos resta esperar pelas próximas pesquisas.

 

 

 

 

15 thoughts on “Debate mostra mudança de alvos dos candidatos

  1. Independente dos ataques que os candidatos promovem uns aos outros, fica claro que o crescimento do João Dória se dá principalmente pelo fato de a população estar totalmente desiludida com a classe política. Dória insiste a todo momento que não é político, que é um “gestor”, “empresário”, “bem sucedido”, “vai doar seu salário de prefeito” etc. Ou seja, isola-se da classe política inteiramente desmoralizada perante a população. Pelo fato de não possuir histórico na área pública, acaba personificando o “novo” por quem a população tanto clama. Acredito que se a campanha se estendesse por mais 30 dias, Dória levaria essa eleição no primeiro turno. Não porque suas propostas sejam melhores e sim porque ninguém aguenta mais as falcatruas, a impunidade, as mentiras, as safadezas dos partidos políticos e seus componentes e mandatários seja a nível municipal, estadual ou federal. E aí ainda vem a público um certo ex presidente denunciado por lavagem de dinheiro e outros crimes e diz que “tem mais valor o político que rouba e tem que pedir votos de 4 em 4 anos do que o funcionário público concursado que presta concurso uma vez e fica empregado até a aposentadoria”. E tem gente que ainda acha que é intolerância toda rejeição a classe política e seus líderes.

    1. Ele tem histórico antigo na vida pública: [extraído da wikipedia]

      “Pouco depois de formado em jornalismo e publicidade, aos 21 anos, tornou-se diretor de comunicação da FAAP (1981 – 1983) e da Rede Bandeirantes de Televisão (1979 – 1982). Logo em seguida, ingressaria na vida pública como Secretário de Turismo de São Paulo e presidente da Paulistur (1983 – 1986), no governo Mario Covas,[4] e presidente da Embratur, no governo José Sarney, ambas empresas estatais da área do turismo.[5][6] Também presidiu o Conselho Nacional de Turismo (1986 -1988).

    2. “tem mais valor o político que rouba e tem que pedir votos de 4 em 4 anos do que o funcionário público concursado que presta concurso uma vez e fica empregado até a aposentadoria”….o pior meu caro Johnny são alguns tidos como intelectuais a lhe referenciar…………isso é o abismo cultural no brasil.

  2. Assisti o debate, e de fato ficou claro a estratégia da desconstrução dos adversários.
    Compartilho com as observações feitas pelo (Johnny – 26 de setembro de 2016 – 10:03), que diante dos descrédito da classe política, o que tiver menos conchavos leva vantagem.
    O Dória, tem muito do Rudolf Giulliani, do Nova Iorque. Em sua época, entrava prefeito saia prefeito, e Nova Iorque continuava infestada por gangues, violência, viciados, desemprego, etc.
    O Rudolf Giuliane se mostrou como o novo, prometendo atacar as causas da decadência novaiorquina, que era o crime. Bastou uma política austera de combate ao crime (maior problema da época), que as consequência foram, mais investimento, turismo, e tudo mais que se fala da Nova vedete americana. Até estranhamente, a campanha do Dória não explora esse exemplo.
    Realmente, entre o rejeitado Haddad, Russomano, que vai bem até se apresentar que é “fechador de negócios” contumaz, a Marta e Erundina, de más lembranças, resta de fato, até por uma aposta diferente, o Dória.

  3. A velha historia do quem “não deve não teme”, parece não ser mais “uma coisa confiavel”, afinal a Dilma foi cassada e o Lula foi indiciado, SEM APRESENTAREM PROVAS. O que é um perigo para todo mundo, afinal, o “anti-petismo não pode ser justificativa para se apoiar a injustiça”. -Por isso o João Doria do PSDB, deveria ser cobrado pelos eleitores a explicar “a ação da JUSTIÇA de São Paulo, que foi a justiça que pediu a prisão do Lula do PT também sem apresentar provas, e que tem como membro o PROMOTOR e deputado estadual Fernando Capez do PSDB, acusado de roubar dinheiro da merenda escolar; a qual determina que ele devolva um terreno que ele Doria ocupou indevidamente com se fora seu; pois afinal não se pode continuar dando aos peessedebistas o direito de não respeitar o eleitor dizendo que “não tem que explicar nada”. Esse fato da justiça ter determinado que o Doria devolva o terreno que ele se apropriou indevidamente, é uma coisa para “”””””No minimo o eleitor paulistano PENSAR se é esse tipo de prefeito que quer: Um cara de boa aparencia, figurinha carimbada nas colunas sociais, que se apresenta como O NOVO na POLITICA, ja que não considera ter participado de governos de amigos seus; e O GRANDE GESTOR, dono de empresas ‘desconhecidas’, que têm como grandes feitos CONTRATOS COM GOVERNOS também amigos seus; e que agora ‘estaria entrando na politica’ nessa eleição municipal, ja com um problemão de cunho MORAL com a justiça, que diz que ele se apropriou indevidamente de um terreno em Campos do Jordão?””””””

  4. O Haddad ao que consta vai chegar em quarto lugar, é isso? O sujeito postula a reeleição e não consegue nem 10% dos votos. Não sou se SP, mas me parece que só mesmo sendo muito ruim para ter um desempenho destes. Não me lembro de ter visto acontecer com um prefeito disputando a reeleição, se estiver errado me corrijam.

  5. “Chutar cachorro morto é covardia”…..assim é bater no Hadad, é tão ínfimo seu índice, que seria perda de tempo bater nele.
    Mais uma vez Russomanno demonstra ser um “cavalo paraguaio”, e com essa descoberta do restaurante em Brasilia tem tudo para despencar.
    O Doria, eu havia comentado anteriormente, é o candidato mais apto a “surfar nessa maré”, com o menor índice de rejeição de todos os candidatos, candidato novo na política, mas com bagagem de empreendedor tem tudo para papar essa eleição………..o Hadad coitado nocauteado, o Russomanno vai cair outra vez, sobrou a Marta que até agora foi poupada, mas se for para o 2o turno (e eu acho q vai), o Doria vai lembrar duas coisas…….ELA É PETISTA DE CARTEIRINHA……..e já fez uma administração desastrada em São Paulo taxando tudo o que via pela frente, seu cognome virou MARTAXA.
    ______________________________________________________________________________
    Resumindo……………”Tchau Querido Hadad”, leve consigo a lembrança do Lula e da Dilma.
    Quanto as propostas de governo, eu prefiro que eles não prometam muito, nossa experiência passada não nos traz boas lembranças, com governo prometendo mundos e fundos.

  6. Tchau querida: EDUCACAO, filosofia, sociologia, educacao fisica, artes, ensino noturno, aumento de salario, verbas congelas por 20 anos. e benvinda a “temerizacao” educacional e o Brasil com um futuro cada vez mais sombrio.

  7. Depois do Datafolha, o Ibope mostra que Doria, não só já aparece em primeiro lugar, como nas simulações de segundo turno. já vence qualquer um dos adversários! Para sorte de São Paulo. Por essa e outras, que São paulo, pode até tombar vez por outra para algum oportunista, mas também sabe aprender e corrigir.
    Também é destaque o Senador Crivella no Rio, tudo indica que vai tranquilo para vencer de goleada!
    Ah… e a Jandira hein, pediu socorro da Dilma! caiu de 9 para 6%!

  8. Não temos o candidato melhor. O que teremos é o candidato menos pior. Serão quatro anos comandados pela mídia e com o segundo escalão do governo aprontando por falta de organização financeira e falta de fiscalização responsável.

  9. Pesquisa Datafolha ………..”Doria esta a frente do Hadad entre os mais escolarizados (38%, contra 15% de Haddad) e os mais ricos (55%, ante 13% do petista).”………. O mais interessante é que Doria disparou entre os menos escolarizados, reduto este petista.

  10. Me corrijam se estiver errado, mas pelo andar da carruagem, não apenas o pt mas os partidos de esquerda de modo geral levarão uma surra inédita nestas eleições. Não há nenhum candidato de esquerda com chances em qualquer das capitais do sul/sudeste. Mesmo no norte/nordeste o desempenho é sofrível. Talvez os petistas e agregados não tenham percebido, mas este discurso recorrente (é golpe, fora Temer, etc) agrada aos seus próprios partidários, mas causa verdadeira abominação àqueles que não são convertidos (ver o caso do Requião Filho no Paraná). Talvez seja a hora de o partido chamar para sua direção petistas mais conectados com a realidade, que percebam que para ser petista não precisa declarar guerra contra o resto do sociedade. Acho que seriam mais úteis ao partido 10 minutos de conversa do Kotsho, p.ex., do que 30 dias de gritos histéricos de Rui Falcão ou Lindemberg Farias. Eu, p.ex., que não sou petista, tenho prazer em ler a coluna do Kotsho, acho que ele tem muito a contribuir ao debate, mas me embrulha o estômago só de ouvir o Lindemberg. Cada vez que um louco fanático destes abre a boca, o pt perde 1 milhão de votos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *