O "Dia D" de Dilma lembra debate eleitoral

O "Dia D" de Dilma lembra debate eleitoral

Dilma durante seu discurso esta manhã no Senado

Como se estivessem se preparando para um debate eleitoral e não para o julgamento do impeachment, os dois lados passaram o domingo discutindo táticas e estratégias para enfrentar o adversário e decidir quem vai presidir o Brasil até 2018.

Começa daqui a pouco, às 9 da manhã desta segunda-feira, o “Dia D” de Dilma, a presidente afastada, que terá 30 minutos para fazer sua defesa no Senado, às vésperas da votação final marcada para amanhã.

Reunida no Palácio do Alvorada com Lula, ex-ministros e outros aliados, Dilma decidiu que dará ao seu discurso um caráter mais pessoal e político com o objetivo “de fazer história”. Sabe que dificilmente terá como reverter os votos que apontam para a vitória do grupo pró-Temer.

Já os defensores do impeachment, que se reuniram no QG do PSDB, para evitar mudanças de votos, definiram uma estratégia oposta: vão centrar suas perguntas nos aspectos técnicos e jurídicos, em tom cerimonioso, para não dar a Dilma o papel de vítima.

Claro que na hora do debate tudo pode mudar, como explicou o presidente do PSDB, Aécio Neves: “É a presidente quem vai dar o tom. Agora, se o tom da presidente for outro, obviamente a reação será à altura”.

Ao sair do Alvorada, o ex-ministro Jaques Wagner, deu uma ideia do clima: “A Carta do Getúlio pode ser a carta de Dilma, só que sem o suicídio, naturalmente” (Natuza Nery, no “Painel” da Folha)..

Dilma levou 13 dias consultando aliados e documentos para preparar sua carta. Na campanha da reeleição, em 2014, ela chegou a treinar 17 horas seguidas. Pode ser sua última oportunidade de falar à Nação.

É este o cenário antes da abertura dos trabalhos pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski.

Vida que segue.

18 thoughts on “O "Dia D" de Dilma lembra debate eleitoral

  1. Vendo a defesa dessa senhora, ela me remeter, pelos seus gestos, olhares e impostação da voz, ao falecido presidente Jânio Quadros e ao presidente Fernando Collor……..um “tripé” presidencial para ser esquecido………Claro que ella se destaca dos demais presidentes, por sua sui generis “capacidade” de formalizar uma frase.
    Tchau Querida !!!

  2. O título é muito apropriado. No “Dia D” as forças da democracia iniciaram a destruição final do infame regime alemão. No “Dia D” daqui, as forças da democracia iniciam a fase final da destruição do regime petista, que só não levou o Brasil ao mesmo estado da Venezuela pela força da sociedade civil brasileira. Temos muito trabalho pela frente, mas a libertação do PT é um bom começo. A tal “hegemonia petista” buscada por seus líderes e seus fanáticos seguidores jamais será alcançada.

  3. Essa frase do Ricardo sintetiza o sentimento de 90% da população brasileira: “…..Dilma caiu porque estourou o cheque especial no primeiro mandato, quebrou o País, mentiu na campanha da reeleição em 2014, ficou sem maioria no Congresso e perdeu o apoio da maioria da população…..” O resto é apenas bravata e fanatismo ideológico e partidário.

  4. Pois é, Mestre balaieiro, para outros tantos atentos, lembra a derrota da democracia, o momento em que finalmente os tetra derrotados pela dita, cassam e jogam à moda “paraguaia”, na lata de lixo, os votos de mais de 50 milhões de cidadãos brasileiros, na mão grande, mesmo que para isso tivessem que escangalhar, além da economia já em crise, o que restava de credibilidade na justiça, na imprensa, nas instituições públicas e na evolução da sociedade brasileira, do atraso à modernidade, galopando outro golpe, agora montados em tropas jurídico-midiáticas. Triste o país cuja elite persiste na Casa Grande, não enxergando um palmo à frente, atávica parasita que é do suor alheio e incapaz de ir além de capataz da metrópole da hora. Melancólico ver a nação golpeada e entregue sob agenda e regência da famíglia que detém o monopólio da desinformação, com a cumplicidade do silêncio e/ou a observação rasa, dos omissos de toda ordem, que mantém o povo desinformado, condenado ao atraso e cativo de interesses a servir outros maiores, eternos capitães do mato, evoluídos a modernos rufiões da própria pátria, que sempre serão. Doloroso ter que ver no NYT a charge da presidente Dilma em cima de um banquinho atacada por bando de ratos ao rés do chão e ler no Le Monde que, “Se não é golpe, é farsa… e os brasileiros perderão com isso”, enquanto aqui o medo e a covardia paralisam, mudos ou rasos, os que deveriam de pronto reagir, apontando e combatendo os que nos levam de volta ao passado, de volta ao atraso, aos privilégios e a desigualdade da miséria que hereditariamente os sustentam. PS: Sem democracia (pior a dissimulada), a vida segue, apenas se permitida.

  5. O meia inverdade e paulo entram nos novos tempos.
    Porque logo adiante, na outra curva , verão que tirada a leoa da savana, a quantidade de hienas famintas será tao grande que não havera carne ou carniça para todas e ai…

  6. Caro Kotscho, A Democracia pode até ser assassinada mas jamais se suicida !!!
    Diferente de Getúlio, Dilma leu hoje de VIVA voz a sua carta e o fez de cabeça erguida bem diante dos seus algozes. Não guardou nada na gaveta. Não esperou para dar o seu testemunho histórico para depois. Caberá agora aos próprios senadores optarem pelo seus suicídios ou não. O Brasil e o mundo aguardam o que eles decidirão para si mesmos: SUAS MORTES OU SUAS VIDAS POLÍTICAS que se seguirão !!! Ontem os dois principais jornais do planeta (“Le Monde” e “New York Times”) já condenaram em seus editoriais esse golpe de estado na bica de se consumar ou não outra vez no Brasil. Só que agora está tudo às claras, escritores, poetas,cineastas, intelectuais, artistas, juristas, analistas, jornalistas, historiadores e o povo do mundo inteiro acompanhando e documentando tudo com suas lentes, canetas, ouvidos, mentes e corações todo esse nosso processo doloroso que não precisava existir desde que se respeitasse o resultado cravado e decidido das urnas de 2014 e se esperasse para as próximas em 2018. Agora todo cuidado é pouco porque A HISTÓRIA, meu amigo, essa É e sempre será implacável !!!

    1. Nao adianta espernear. Dilma sofrerá o impeachment de forma legal e prevista em lei. By the way, várias evidências sugerem que a eleicao de 2014 foi manipulada. Por favor, prove que a contagem de votos foi exata..ahh, esqueci, urnas eletrônicas nao podem ser auditadas…conveniente nao! aceite a derrota eminente camarada

    2. Que democracia assassinada que nada.No golpe ou impeachment do Collor a democracia saiu fortalecida,nas tentativas do PT de emplacar sistematicamente os impedimentos do Sarney,do Itamar e do FHC mais três vezes a democracia foi fortificada . Politicamente D+1 vai ser melhor que o dia D,mas o impeachment não está sendo aplicado por questões ligados à política e sim por conta do esgotamento das condições do PT gerir o Brasil,quem está se ocupando de questões com consequências fora do espectro do bolso e da panela,somos,você,eu e mais esses que aqui frequentam,porque no mundo real tem conta para pagar e bocas a serem alimentadas,o sucesso ou fracasso do próximo reinado está ligado somente e tão somente à economia,o mais forte e decisivo dos campos do poder ; o campo político ,onde se mede mais ou menos democracia é o menos expressivo de todos,aqui ou em Marte.Quanto ao resultado das urnas,que são suspeitos, e ainda mais com 3% de diferença, jamais deveria servir de muleta para se encobrir qualquer improbidade,se até casamento pode e deve ser desfeito ,qual o problema de se impedir o mandato do Collor,do Sarney ,do Itamar,do FHC ou da Dilma?

    3. Oromar, quem defende ditadura militar o tempo todo obviamente não está confortável e não é fidedigno de maneira alguma para definir democracia. É o teu caso !!! sigamos… Esse teu exemplo de comparar eleição, impeachment com casamento é de um desastre retórico que não te merece. R-I-D-Í-C-U-L-O !!! Casamento é um consentimento entre duas pessoas. As duas partes devem estar acordadas. Para desfaze-lo é a mesma coisa, só as duas partes e mais ninguém. Quando tu casou com a tua mulher fizeste eleição antes ??? E se por acaso a maioria tivesse votado contra tu e só a favor dela ??? Teríamos então o primeiro caso de impeachment no altar jamais visto nesse mundo !!! Oromar, depois dessa, aqui no Balaio tu tá “impichado” !!!

  7. Fico imaginando os coitados, muitos deles técnicos em suas áreas de atuações, estarem submetidos a essa senhora………….quem já teve um chefe incompetente, sobre seu comando, sabe bem do que estou falando.

    TCHAU querida, tchau incompetente, tchau mentirosa, tchau arrogante, tchau prepotente.

  8. A impressão que passa é que a defesa da Dilma ensaiou um roteiro e esqueceu de combinar com os russos. Ela continua insistindo que as “pedaladas” são legais, que não cometeu nenhuma irregularidade, que o parecer do TCU é “suspeito”, que a culpa é das elites, que o Cunha tentou chantagea-la, que não tem nenhuma responsabilidade pela crise, que os decretos sem aprovação do Congresso são passíveis de interpretação. Espantoso o despreparo dessa senhora. Ela consegue juntar desconhecimento, incapacidade, arrogância, destempero, despreparo. O que será que o Lula viu nela quando decidiu monocraticamente apoia-la em 2010? Creio que, pela expressão do Lula, ele deve estar pensando nisso e se arrependendo até hoje. 54 milhões de votos. Como é fácil enganar nosso povo!!!!

    1. conversei com tres pessoas comuns que nada entendem de politica, e a impressão que tiveram de Dilma é, polarmente, diametralmente oposta a essa tua…
      Uma impressão que ja deve estar preocupando o decorativo, o jucá, o angorá e toda a turma quando o povo voltar a julgar candidatos.

    2. Exato. Você vê como é fácil enganar pessoas comuns. Foi só se fazer de vítima. Só que lá no plenário a incompetenta não está falando com pessoas comuns e sim com quem vai julga-la. Esse é o erro. Ela parecia que estava num comício com um texto preparado por algum discípulo do corrupto preso João Santana. E assim pretende salvar seu mandato. Realmente é muito despreparada.

  9. o que o escritor oromar nao lembra é que o…
    -o esgotamentos de condiçoes do PSDB para governar MG, desde os aeroportos aecioportos publico.privados ate o faraonico edificio administrativo …
    -o super esgotamento de condiçoes do PSDB para gerir o Parana, em que até mesmo o ultimo centavo para pagar os funcionarios publicos se esvaira previamente dos cofres…
    -o ultra esgotamento de condiçoes da tucanagem pra governar SP dos ultimos 20 anos
    não se materializaram em nenhum impixment dos caras porque a midia local e nacional era conivente.
    Serra, alckmin dão a cada ano 5, 6 mil assinaturas ( 7, 10 milhoes) com o dinheiro publico para enviar O Estadao, a falha de sp e a Abril descultural para as cinco mil escolas esquecidas do estado. No Diario Oficial , DOE tem datas, valores, beneficiarios e numeros do contrato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *