Que tal elogiar mais e criticar menos para viver melhor?

Que tal elogiar mais e criticar menos para viver melhor?

Antes que enviem comentários irados me criticando ao ler só o título, esclareço: não me refiro nele, é claro, aos personagens da guerra política, mas às relações humanas em geral, familiares, profissionais, de vizinhança, nas escolas, no cotidiano das nossas vidas, enfim.

É fato que os últimos deprimentes acontecimentos políticos, que chegaram ao ápice naquela vergonhosa pantomina encenada na Câmara durante a votação do processo de impeachment, acabam envenenando até as relações pessoais.

Cidadãos antes cordatos no trato tornaram-se também intolerantes diante de tantos desmazelos na vida pública e acabam descontando sua indignação e inconformismo em quem está mais próximo.

Isto tem provocado até brigas familiares e rompimentos entre velhos amigos, ao se desqualificar e hostilizar quem pensa diferente, mesmo sem sequer ouvir os argumentos alheios.

Parece que elogiar alguém nos dias atuais é sabujice e criticar o tempo todo a tudo e a todos virou obrigação.

Eu mesmo me dei conta de ter entrado nesta onda, brigando por bobagens e discutindo até com motorista de táxi, perdendo a paciência à toa. Isso só faz mal para a gente, não para quem é alvo da nossa bronca. Nos torna a cada dia mais amargos, sem dar espaço para perceber o que tem de bom na convivência humana mesmo nestes tempos de cólera.

Estou tratando deste assunto aqui hoje, no começo de outra semana que promete ser agitada, porque acabo de chegar de mais um retiro espiritual ecumênico, encontro anual em que paramos para refletir sobre as diferentes dimensões da vida terrena e espiritual, uma rica troca de experiências para nos lembrar qual é nosso lugar no mundo, como chegamos até aqui, para onde estamos indo.

O principal ensinamento que levei desta vez foi o que está no título deste artigo. Nunca tinha pensado nisso antes. Não custa nada fazer esta experiência. Tente elogiar atos e atitudes dos outros, evite as críticas desnecessárias, com ou sem motivo. Só pode te fazer bem.

De que adianta reclamar logo ao acordar do marido ou da mulher que roncou durante a noite? O que isto vai melhorar o teu dia? Não é melhor lembrar e agradecer as coisas boas que ele ou ela te fizeram ontem, os bons momentos que passaram juntos? Sem fugir da realidade para dar uma de poliana, trata-se apenas de encarar de formas diferentes o que passou para tornar mais agradável o que virá.

Costumo sair destes encontros com pessoas de diferentes Estados, profissões e religiões bem melhor e mais esperançado do que quando entrei para me dedicar a alguns poucos dias de reflexão e compartilhamento de sentimentos.

A primeira providência é aprender a ouvir mais do que falar. Não foi à toa que Deus nos deu dois ouvidos e só uma boca…

Ajuda também tentar ser menos arrogante e mais humilde, ter mais compaixão e menos ódio, mais desapego e menos cobiça, não querer ser o dono da verdade, aceitar que o outro possa ter razão, ser menos competitivo.

Já tivemos outras “crises do fim do mundo” e, pelo menos até o momento em que escrevo, o mundo ainda não acabou. Por mais funda que seja a noite, mais próximos estamos do advir de um novo dia, que ninguém sabe como será. O que não podemos perder é nossa capacidade de tentar conviver melhor com os outros e com nós mesmos, que muitas vezes somos nossos maiores inimigos ao deixar de confiar nos sinais de vida, por mais frágeis que sejam.

Para isso, precisamos antes de mais nada aprender a reconhecer nossos próprios erros porque culpar sempre os outros pelas nossas desgraças não resolve os nossos problemas e ainda cria outros.

Só assim conseguiremos afastar os sentimentos negativos e evitar o uso de palavras duras e a prática de atos impensados dos quais depois nos arrependemos. Basta olhar um pouco mais para o universo e menos para o nosso próprio umbigo, como se fossemos o centro do mundo. Por falar nisso, vocês repararam a beleza da lua cheia neste feriadão?

E vida que segue.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

14 thoughts on “Que tal elogiar mais e criticar menos para viver melhor?

  1. acabei de ler uma matéria e vi este comentário, “Algo deu errado na formação do DNA do povo brasileiro”, realmente isso explica a tudo que estamos passando, algo esta errado e impossível em pleno 2016 as coisas em vez de melhorar só piora. Eu adoro uma frase da novela das 18:00 hs da globo “Tudo que acontece de ruim na vida da gente é pra meiorá”. Quanto ao seu texto esta maravilhoso, concordo contigo, temos que praticar coisas boas para recebermos energia positivas, fiz isso no sabado, quando fui almoçar em um restaurante novo “comida nordestina, que marido adora”, elogiei a comida, estava sensacional e dei uma boa gorjeta ao garçom, sinto que o mesmo ficou feliz e eu satisfeita por ter conhecido um lugar novo, adoro ver as pessoas felizes, e uma pena que as pessoas adoram ficar de mau humor.

  2. É um exercício deveras complicado e complexo!.Diante desta mais grave crise política,econômica,social.Pensando bem,em condições normais de saúde física e mental -Elogiar é uma impossibilidade.Desculpe-me discordar.

  3. Você tem absoluta razão, Kotscho! Se levarmos em consideração que até pouco tempo atrás não havia a menor possibilidade de manifestações livres e diretas, sem o risco de se terminar enganchado na Rua Tutóia, não há razão para fazer delas um veneno capaz de ferir ou matar as relações pessoais e humanas.
    Se imaginarmos que o país já teve um ‘Poder Moderador’, exercido pelo Imperador, acima dos Três Poderes, sem ter de prestar contas aos três, e com poder de ser inimputável….não deveríamos perder de vista que o processo democrático legítimo somente ganhou validade após o 5 de outubro de 1988 e a partir das eleições diretas de 1989. Faria bem ao país e aos ânimos mais exaltados que, em lugar de um mandato-tampão do vice-presidente, ainda que constitucional, a população pudesse embeber de legitimidade democrática direta, com eleições ainda neste ano, o sucessor ou sucessora, da presidente Dilma Vana Roussef.
    Saudações Democráticas!

  4. Prezado Kotscho: Com relação “a beleza da lua cheia neste feriadão” que acabou, com um calor digno do deserto do Saara, “Os sete dias após o início da Lua Cheia são favoráveis ao abandono de hábitos nocivos ao bem-estar físico e psíquico, às atividades sociais, à inauguração de espaços que visem o grande público, à conscientização do que impede o crescimento, à comunicação de ideias novas, às atividades que exigem muito pique e energia” – segundo informação do artigo “Lua Cheia – dias favoráveis ao abandono de hábitos” de Maggy Harrison, publicado no portal da revista Brasileiros em 19/04/2016. Estamos na torcida para que isso aconteça, começando pelos velhos hábitos dos políticos da Câmara e do Senado Federal em Brasília.

  5. A semeadura é livre. A colheita é obrigatória. Isso vale pra todos. A medida em que semearmos compreensão, carinho, caridade e outras coisas boas, colheremos o mesmo. Ao contrário se a semeadura for rancor, brutalidade, intolerância, também colheremos. São leis universais, causa e efeito, ação e reação. Com certeza é hora de todos refletirmos sobre nossas próprias atitudes, independente das atitudes das demais pessoas e procurarmos nos aprimorar como seres humanos e irmãos que somos, pois, sem nenhuma preferência, somos todos filhos de Deus, em processo de evolução. Abs

    1. Belo recado. E preciso acabar essa teoria de que tudo se resume no “nois” contra “as elite”, os coxinhas e mortadelas. Isso são semeaduras que nos levarão inevitavelmente ao ódio.

  6. O ódio plantado gratuitamente entre as pessoas por atos praticados apenas por alguns (em relação ao número de habitantes deste país-continente), dá a clara impressão do prenuncio de uma nova ditadura, temos de mudar o nosso comportamento, pois, se assim continuar, vamos dar razão àquele jargão tão antigo: quem planta ventos, colhe tempestades. O poder do discernimento mostra às pessoas que o bom senso é o grande caminho do entendimento pacífico.

  7. Temos que exigir Eleições Gerais, isto é, para Vereador, para Prefeito, para Deputados Estaduais, Distritais, Federais, para 2/3 dos Senadores e chegando até Presidente da República que, terá segundo turno, o único e por motivos óbvios. Tudo isso em outubro. Para não haver problemas nas escolas, que normalmente são colocadas as Urnas eletrônicas, se deslocaria as férias escolares para o mês de outubro e tudo com a segurança do Exército e Força Nacional. Nessa proposta só haveriam candidatos que não figurasse em nenhuma desas listas, tais como: Panamá Papers, Odebrechet, acho que é esse o nome, OAS, Andadre Gutierrez, Furnas, Queiroz Galvão ou qualquer uma dessas ou outras listas que SUSPOSTAMENTE tenham existido suspeita de transações ilícitas.

  8. Pois eu digo o mesmo!
    Depois de ver a belíssima Lua Cheia, sobre as belíssimas praias Tambaú e Cabo Branco, no sábado, que também fomos presenteados com dois belíssimos gols do time do Audax, que fez lembrar as festas de Rodeio.. Tchê..Tchê…Tchêêêê!!… (problema do Corinthians que perdeu, eu só estou vendo o lado bonito das coisas), eis que veio o domingo, e meu Santos deitou e rolou sobre o Palmeiras, ao menos por 88 minutos…vindo a culminar com uma vitória com sobras nas cobranças de pênaltis (deixamos até um pênalti de lambuja)…Mais uma vez, considere que eu estou falando das coisas bonitas que vi e vivi…! Depois disso, restou tempo para consolar meu cunhado palmeirense, e tantos outros amigos flamenguistas, que não sei o porquê, estão todos torcendo pelo Audax..rs. E para completar, o Ricardo Kotscho some do Balaio na véspera do feriado prolongado e retorna na segunda com um belo texto!
    Bem, confesso que não tenho do que reclamar!
    Para quem nunca esteve em João Pessoa, ou é palmeirense, corintiano ou flamenguista, que não viu graça alguma no que escrevi, segue um link de uma foto tirada recentemente da lua Cheia em João Pessoa (é sempre uma atração fazer este percurso. da Av Ruy Carneiro o da Epitácio Pessoa, sentido Centro/Praia em noites de Lua Cheia)
    https://www.facebook.com/agoraparaiba/photos/a.544025802347035.1073741829.494147410668208/925147047568240/?type=3&theater

  9. Maravilha, Ricardo! Seu texto mostra o quanto você assimilou do encontro de espiritualidade do qual participou. Realmente, você tem razão. Não só nas relações pessoais, mas até o estudo de assuntos religiosos vem se concentrando mais em doutrinas do que na espiritualidade. Esta sim, é que muda para melhor o nosso comportamento. Um abraço amigo.

  10. Grande Kotscho, esse é um belo texto para ser enviado ao Lula.
    Desde quando oposição até a situação, ele NUNCA soube elogiar em nada a oposição, só soube criticar.

  11. Após várias sugestões, segue uma versão melhorada da proposta.
    Temos que exigir Eleições Gerais, isto é, para Vereador, para Prefeito, para Deputados Estaduais, Distritais, Federais, para 2/3 dos Senadores e chegando até Presidente da República que, terá segundo turno, o único e por motivos óbvios. Nessa, nova proposta, só haveriam candidatos que não figurasse em nenhuma desas listas, tais como: Panamá Papers, Odebrechet, acho que é esse o nome, OAS, Andadre Gutierrez, UTC, Furnas, Queiroz Galvão ou qualquer uma dessas ou outras listas que SUSPOSTAMENTE tenham existido suspeita de transações ilícitas.
    Para não haver problemas nas escolas, que normalmente são colocadas as Urnas eletrônicas, se deslocaria, do calendário escolar, as férias para o mês de outubro de 2016, tudo com a segurança do Exército e Força Nacional. As propagandas eleitorais seriam realizadas, exclusivamente no mês setembro e seguindo este calendário: De 01/09/2016 até 25/09/2016, duas horas de manhã e duas horas de noite e tempo igual para candidato e partido, sem essa história de proporcionalidade de partido A, B ou C. Todos com tempo igual. Em todos os meios de comunicação de massa: Rádio, Televisão (canais Fechados e Abertos) Jornais (papel e internet).
    O mês de outubro seria dividido da seguinte forma: No dia 02/10/2016, para: vereadores e prefeitos; No dia 09/10/2016, para: Deputados Estaduais, Distritais e Federais; Do dia 10/10/2016 até o dia 21/10/2016: Parada estratégica para verificações de problemas, edital dos vencedores e recursos dos partidos ao TREs e TSE; Nos dia 23/10/2016 e 30/10/2016, seriam realizadas as eleições para Presidente, primeiro e segundo turno, respectivamente e, do dia 31/10/2016 até 06/11/2016 desocupação e retirada das Urnas escolas, divulgação dos resultados, recursos dos Partidos ao TSE. No dia 07/11/2016, resultado final homologado pelo TSE.
    Com esse resultado sacramentado nas Urnas o novo Governo, seja ele qual for terá condições de, em 2017, sugerir uma nova Constituinte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *