"E agora, José?" Drummond nunca foi tão atual

"E agora, José?" Drummond nunca foi tão atual

Chega uma hora, nesta véspera de feriadão de Páscoa, que é melhor se desligar do noticiário e ler um pouco de poesia _ reler o grande Carlos Drummond de Andrade, por exemplo, nosso poeta maior.

Como não estou com vontade de escrever nada hoje, para dizer o que estou pensando e sentindo neste momento prefiro reproduzir abaixo as seis estrofes do poema “José”, a obra-prima de Drummond.

Publicados em 1942, pela Editora José Olympio, estes versos nunca foram tão atuais para retratar o sentimento nacional.

“José” é o Brasil, somos todos nós.

 


E agora, José?

A festa acabou,

a luz apagou,

o povo sumiu,

a noite esfriou,

e agora, José?

e agora, José?

você que é sem nome,

que zomba dos outros,

que faz versos,

que ama, protesta?

E agora, José?

 

Está sem mulher,

está sem discurso,

está sem carinho,

já não pode beber,

já não pode fumar,

cuspir já não pode,

a noite esfriou,

o dia não veio,

o bonde não veio,

o riso não veio,

não veio a utopia

e tudo acabou

e tudo fugiu

e tudo mofou,

e agora, José?

 

E agora, José,

Sua doce palavra,

seu instante de febre,

sua gula e jejum,

sua biblioteca,

sua lavra de ouro,

seu terno de vidro,

sua incoerência,

seu ódio _ e agora?

 

Com a chave na mão

quer abrir a porta,

não existe porta;

quer morrer no mar,

mas o mar secou;

quer ir para Minas,

Minas não há mais.

José, e agora?

 

Se você gritasse,

se você gemesse,

se você tocasse,

a valsa vienense,

se você dormisse,

se você cansasse,

se você morresse…

Mas você não morre,

você é duro, José!

 

Sozinho no escuro

qual bicho-do-mato,

sem teogonia,

sem parede nua

para se encostar,

sem cavalo preto

que fuja a galope,

você marcha, José!

José, para onde?

 

Boa Páscoa a todos.

 

 

 

 

24 thoughts on “"E agora, José?" Drummond nunca foi tão atual

  1. Querido Kotscho, deixo-lhe, em troca, a primeira estrofe da Canção do Tamoio, de Antônio Gonçalves Dias. “Não chores, meu filho; não chores, que a vida é luta renhida: Viver é lutar. A vida é combate, que os fracos abate, que os fortes, os bravos só pode exaltar”. Feliz Páscoa para você, toda sua família e para os leitores e comentaristas deste balaio.

  2. e isso ai ricardo. mas completo com uma frase de um colega seu a pouco.que diz: matar uma mulher honesta pra salvar 300 picaretas. boa semana santa para o senhor.

  3. Caro Ricardo, estamos num país laico, de antemão, boa páscoa e se tiver um Judas para malharmos no sábado de aleluia, pode ter certeza, não se chama Lula nem Dilma (Os pais da Jéssica). O poema epigrafado, que fica lindo na voz do pernambucano de Pesqueira-Pe, o PAULO DINIZ, parece a OPERAÇÃO XEPA da polícia federal (minúscula mesmo), em relação a direita raivosa (Aécios e Aliados), prenunciando a bancarrota da Direita Política no Brasil. E agora Acharcadores do Cunha. E Agora caciques do PSDB. E Agora Michel Temer. Não vai ter golpe! e ninguem por mais poderoso que se ache( Rege Globo), vai tomar o meu voto. Viva o Povo Trabalhador Brasileiro. Que falta nos faz um Brizola. Um D. Elder Câmara (ainda bem que surgiu um Francisco). Um Vargas. Ainda bem que para o conforto da alma dos menos favorecidos, ainda temos um LULA. Viva a Democracia!!!.

  4. Caro Kotscho, aproveitando essa pausa poética e véspera de Páscoa (que é ressurreição) sugiro humildemente para que TODOS nós, “vermelhos” e “amarelos”, “amarelos” e “vermelhos” saíssemos às ruas UNIDOS em marcha ou procissão, de velas na mão (ou não) e sem imolar cordeiros ou lobos, a EXIGIR a imediata instalação no brasil de uma assembléia exclusiva para uma forte e verdadeira REFORMA POLÍTICA sob as rédeas do povo !!! É tudo o que “eles” não querem e é a nossa última e única salvação !!!

  5. Encontrei uma declaração de João Goulart, à revista Time, no ano de 1963, um ano antes do golpe de 64. Pode ser encontrada no Livro (O Plano Trienal), publicado pela Editora Contraponto. Dizia Jango: “É muito difícil realizar um programa econômico durante uma crise política, ou mesmo planejá-lo”. Qualquer semelhança com a situação de Dilma não se trata de simples coincidência. Com uma diferença de peso. O ministro do Planejamento de Dilma é Waldir Simão, que fazia parte da equipe de Antonio Palocci na Fazenda, em 2006, como secretário-adjunto da Receita, na época em que o sigilo fiscal do caseiro Francenildo foi quebrado. O ministro do Planejamento (sem pasta) de Jango era nada mais nada menos do que Celso de Alencar Furtado, o nosso maior economista, de longe o melhor de todos. O ministro da Fazenda de Jango era Santiago Dantas, de quem Nelson Barbosa não consegue sequer chegar à sola dos pés de sapato. Além da situação periclitante de Dilma, o seu ministério talvez seja o mais medíocre de toda a história republicana. Se para Janto era difícil, com uma baita equipe ministerial, que dirá para Dilma?

  6. Discordo desse fatalismo. O Brasil está em crise e precisa de um programa de saneamento da economia e controle de gastos públicos que levará alguns anos até sanar a crise, mas a saída da Dilma já traz alívio imediato porque tras confiança dos agentes econômicos p/ voltar a investir no Brasil e livra o Estado da incompetência e apadrinhamento que destruiram os Correios, a Petrobras etc. O Brasil dos brasileiros, sem PT, Dilma e Lula, tem futuro e esperança para as futuras gerações.

  7. Michel Temer, ficou, não viajou……….bom para o Brasil, bom para nós brasileiros verde e amarelo.
    “Prefiro uma cicatriz na democracia do que o tumor petista na democracia”.,,,,…FORA PT!!!,
    “Não vai ter golpe, é o bandido gritando sou di menor”.
    Feliz Pascoa a todos

  8. Bom, deixo a minha frase de páscoa do gigante Pessoa para todos os políticos corruptos: “fiz de mim o que nao sabia…e o que podia fazer de mim, nao o fiz…”

  9. É verdade. E agora? Ninguém sabe o desfecho dessa crise. O impeachment está armado. Dentro dos ritos definidos pelo STF. Essa falácia de “não vai ter golpe” parece me muito mais um slogan de marketing do que uma assertiva embasada na legislação vigente. Militantes berrando, amestrados ameaçando, interessados entrando em desespero, nada disso será levado em consideração. A única questão é: a Dilma cometeu crime de responsabilidade ou não? Tudo indica que sim: as pedaladas fiscais, as maquiagens contábeis, a irresponsabilidade fiscal etc. O PMDB desembarca da base aliada e joga a última pá de cal em cima desse governo inepto, incapaz e incompetente. E daí entramos num período de turbulência social muito maior com o exército de “apaniguados” desempregados e indo pras ruas protestar contra o “golpe”. Ao menos os investimentos externos chegarão e com eles alguma esperança de retomada da economia e de geração de empregos. Do jeito que está não há nenhuma perspectiva de recuperação econômica. Vamos torcer pelo Brasil e fazer nossa parte. Continuar trabalhando.

    1. Em que artigo, inciso, ou parágrafo, da atual Constituição Federal está escrito que as tais “pedaladas fiscais”, termo que por si só, expressa um neologismo tolo, constitui-se em crime de responsabilidade? Todo analfabeto no âmbito do Direito, esmera-se em opinar sobre o que desconhece. Melhor seria recolher-se à própria insignificância, ao invés de escrever platitudes.

    2. Meu caro “Zé Lima” então se não há crime de responsabilidade como se poderia ter sido acolhida a ação que hoje tramita na Câmara? Porque o Cunha não acolheu muitas ações de impeachment anteriormente e acabou por acolher essa do Hélio Bicudo e outros? E eles já estão de posse do parecer do TCU sobre as “pedaladas” usando Caixa e BB em 2014 que se repetiram em 2015. Então meu caro, não tem golpe nenhum. Tem, isso sim uma ação correndo na Câmara devidamente embasada por parecer técnico e que está fazendo o governo leiloar cargos de primeiro escalão pra tentar se salvar. Isso sim. Acredito que todos que não enxergam isso deveriam se recolher as suas ignorâncias e/ou má intenção e deixar de tentar defender o indefensável passando atestado de idiotas pra quem sabe muito bem avaliar uma situação que está na cara de qualquer brasileiro com um mínimo de bom senso.

  10. Oba, que bom que você não está com vontade de escrever muito hoje meu caro Kotscho, assim quem sabe a gente pode fazer uns comentarios maiores (Rs). -Oba Kotscho, oba-oba das ruas, Obama na Argentina e oba, abaixou o preço do bacalhau de 75,00 no final do ano para 48,00 agora na pascoa (abaixou também a inflação: Janeiro de 2015 teve inflação de 1,24% e janeiro de 2016 inflação de 1,23%; fevereiro de 2015 teve inflação de 1,22% e fevereiro de 2016 inflação de 0,90%; e março de 2015 teve inflação de 1,27% e março de 2016 inflação de 0,45%). Oba, quando tudo parecia Du Bocage eis que surge Drumond. “””Mas ainda não chegou a hora de se perguntar: E AGORA (José)?””” Ou será que ja chegou? -Quem viu a entrevista do OBAMA na Argentina, viu o constrangimento e a vergonha dos Estados Unidos por ter apoiado o GOLPE NA ARGENTINA; e ao ouvi-lo, entendeu que “os Estados Unidos não vai apoiar nenhum país cujo o governo seja constituido através de golpe”. “””Alguns, inclusive o ministro do supremo Dias Toffoli, ESTÃO SE FAZENDO DE DESENTENDIDO, quando dizem que ‘impeachment não é golpe, pois está previsto na constituição; sem observarem que na constituição também diz que tem que haver provas para que justifique o pedido de impeachment”””. E isso não tem nesse caso de pedido de impeachment da Dilma. -E se alguém tiver alguma prova, por favor leve à Globo, aos promotores de São Paulo, ao juiz Sergio Moro, ao ministro do STF Gilmar Mendes, ao PSDB e aos voluveis desinformados manifestantes anti-Dilma; porque nenhum deles ainda têm alguma prova. No entanto Kostcho, vamos SUPOR, ja que as suposições e o achismo, vergonhosamente tomaram conta até da justiça do Brasil; e assim, teriamos chegado a hora de perguntar: “”E agora José?”” O que fazer quando os Estados Unidos, como ja sinalizado pelo Obama na Argentina, assim como os demais países membros da ONU, não comprarem mais nenhum produto do Brasil, instituindo assim o embargo economico ao Brasil, como ja fazem ha mais de 50 anos com Cuba; por não reconhecer como legitimo um governo? -Vamos dizer Obá, o Brasil não tem mais pra quem exportar a sua produção agricola recorde, oba, ela vai apodrecer quase que todinha porque o mercado brasileiro não é suficiente para consumi-la em sua totalidade; oba o Brasil além de perder dinheiro, vai perder empregos porque não tendo pra quem vender, não tem porquê empregar; e oba, a divida do Brasil vai aumentar, porque sem vender as empresas não pagarão impostos, para o Brasil saudar seus compromissos? – E agora José? Quem vai assumir a culpa de fazer aquilo que sempre acusaram o PT de tentar fazer, ou seja: Levar o Brasil ao patamar de Cuba, devido ao embargo economico? -Quem vai assumir eu não sei, mas a Globo, o PSDB e a justiça brasileira com suas especulações; vão ter que assumir as suas responsabilidades, porque não vai dar pra jogar a culpa no OBA-OBA dos manifestantes anti-Dilma nas, porque eles são apenas “ignorantes funcionais”, pessoas que “nunca se interessaram pela historia politica do Brasil, e por isso se tornaram presas faceis”, para os golpistas de plantão.

  11. E agora Caro Kotscho? Sua sinceridade, seu cansaço, sua impaciência, sua incredulidade, seu olhar, seu pensamento, seu falar e seu silenciar, e agora Kotscho? Pausa. Pausa para se refazer. Diante de tantos eventos e palavras que no momento não levam a lugar algum, uma merecida parada é salutar. Adorei ler que você não está a fim de escrever! Corpo cansado? Mente em turbulência? Simples, pausa para acalmar o espírito. Você não quer escrever e pronto. Adorei. O silêncio faz bem e Drummond também. E agora Kotscho? Descansa vai… Feliz Páscoa! Abraços e Obrigada.

  12. A Irlanda foi duramente afetada pela crise financeira de 2008, tendo o desemprego crescido até 13,8%. No entanto , nos dias de hoje, é a economia que mais cresce em toda Europa. E o que ela fez? Simplesmente reduziu os gastos públicos, reduziu o déficit orçamentário, conjugando comuma baixa carga tributária sobre empreendimentos, criando assim um clima atrativo para investimentos. Reduzindo os gastos e o endividamento, também não aumentando os impostos o governo reduziu o nível de incertezas em toda a economia.

  13. O Planalto virou um grande salão carnavalesco………’Daqui não saiu daqui ninguém me tira, Daqui não saiu daqui ninguém me tira…………onde é que eu vou morar”….

  14. Parece e é: não há mais, nem saída, muito menos alternativa ou salvação para Dilma II.
    Quando um ministro do STF resolve falar pelos cotovelos para quaisquer transeuntes (dê-se de barato que o furo foi espontâneo e não um arranjo), em pleno shopping center, para responder diretamente à declaração presidencial de que há um golpe em curso prestes a ser desfechado sobre o seu mandato, sem dúvida, não há mais coisa alguma disponível na caixa de ferramentas do Planalto, que seja capaz de virar o jogo. Fala-se em dois mil cargos e sete ministérios em oferta de leilão. Se veraz, então, a presidenta está, não só no fundo do poço, mas ainda mais fundo: no alçapão que captura os movimentos desesperados, quando a ave cai, finalmente, dentro da arataca.
    Todavia, o fim de semana ainda somou mais cal às pás sucessivas nas últimas setenta e duas horas. Enquanto o governo busca uma “saída para sua situação agônica”, o que faz o partido da coalizão? O PMDB organiza a sua maior “demonstração de força” da última década, ao festejar os “50 anos” de “defesa da democracia”, sua “saga contra a ditadura”, sob o pálio de luz desdobrado da face de Ulysses Guimarães, no próximo dia 30 de março. Quem está mais empenhado pessoalmente e engajado nos festejos? O vice-presidente. Segundo registros na imprensa escrita, de acordo com seus assessores: “Temer espera, com isso, fazer o que Macri fez na Argentina. Mostrar que há uma saída para o país com o fim do governo Dilma”. Uma coisa, contudo, é óbvia e ululante: a vontade de Temer e sua “entourage” é uma coisa; ansiosos pela expectativa de por as manoplas nas alavancas que movem o poder central, vislumbrando o desfecho de um crônica política cujo fim todos pressentem como sendo inevitável. Outra coisa, entretanto, bem diferente, é persuadir o povaréu, seja a banda que foi às ruas, reclamando e exigindo mundos e fundos, seja a que deseja segurar o touro desembestado pelos chifres, de que o vice-presidente que está aí faz 13 anos, mais longevo do que Dilma e Lula juntos, o ‘Michel’, como um figadal representante do “novo”, e que nada teríamos mais a ‘Temer’.
    A Colômbia pode até ser o país de Garcia Marques, mas o seu realismo fantástico deita raízes, mesmo, é no Brasil: o país pede mudanças, seja à direita, ao centro, à esquerda, porém a solução institucional e democrática acaba depositada nas mãos de Michel Temer, que passa a ser o “fiador das mudanças’. Alguém já dissera: “o novo é o mesmo”. Dá para rir, dá para chorar. A todo vapor vamos para a mesmice, a repetição, o nada.

  15. Petistas, vocês acham que estão com o povo? Então coloquem a estrelinha vermelha no peito e saiam na rua!
    Eugênio José Alati
    27/03/2016.

  16. RK, o “José” que todos somos, não pode ficar em cima do muro!
    Amanhã dia 27, comece apoiando a democracia, o estado de direito, a Constituição, a defesa do mandato da presidenta Dilma, pois é isto o que interessa agora, já que se houver golpe, não haverá mais saída, não haverá mais jeito!
    Estamos no tudo ou nada, na defesa da ordem ou na aceitação do golpe, o resto é covardia!
    Eu não tenho o seu palanque, só me resta ir pra rua, Av. 7, Salvador, no dia 31!

  17. Essa “vontade de lutar”, pelo poder, na verdade, acho que esta sendo um meio de vingança ao baixo índice de popularidade que ela se encontra, não encontro outra justificativa plausível dela continuar com essa obsessão pelo poder, sabendo que não teria condições nenhuma de governar………….ACHO QUE FREUD EXPLICARIA MELHOR……..”ela não deveria ser impeachmada, ela deveria ser INTERDITADA”, isso é coisa meio de psicopatas.

  18. E agora??? Conselho para os amigos PTistas que perderam o emprego para a Crise que foi criada pela “mídia golpista”. Aparece para trabalhar no dia seguinte da sua demissão e se o seu chefe perguntar por quê, manda para ele um #NaoVaiTerGolpe e fica lá trabalhando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *