Até quando irão estes protestos? Quanto custa isto?

Até quando irão estes protestos? Quanto custa isto?

Os transtornos provocados pelas manifestações de protesto contra o aumento das tarifas dos transportes na vida de 12 milhões de paulistanos, que se repetem há duas semanas, não vão parar tão cedo. Os anônimos organizadores do Movimento Passe Livre já anunciaram que farão protestos todos os dias daqui para a frente. Até quando? O que ninguém ainda se perguntou é quanto isto custa para a economia da maior cidade do país e quem vai pagar a conta. Lojas fechadas por…

Leia Mais Leia Mais

Só fica velho quem está vivo, mas como dói…

Só fica velho quem está vivo, mas como dói…

“Você está ficando velho…”, já me acostumei a ouvir quando reencontro velhos amigos. Para me defender, uso a frase que está aí no título, e acrescento: “… um dia vocês também vão ficar, na melhor das hipóteses”. É bom poder ficar velho num mundo onde tantos morrem cedo, mas como dói… Tem dia que você já acorda cansado, o corpo moído, com dificuldade de levantar da cama só de pensar no longo dia que tem pela frente. Menos mal. Pior…

Leia Mais Leia Mais

Haddad está em campanha para não se reeleger

Haddad está em campanha para não se reeleger

As últimas medidas anunciadas pela Prefeitura de São Paulo me deram a impressão de que Fernando Haddad está fazendo o possível para não ser reeleito. Não que o prefeito precise fazer muito esforço para que isso aconteça: no último Ibope, divulgado nesta terça-feira, a sua avaliação já chegou a 56% de ruim e péssimo. Apenas 13% consideram sua administração ótima ou boa. Em pesquisas anteriores, o índice dos que afirmaram não votar em Haddad de jeito nenhum ultrapassara a marca…

Leia Mais Leia Mais

Poderemos falar do que no táxi? Só de hortaliças?

Poderemos falar do que no táxi? Só de hortaliças?

Ainda outro dia, num papo com colegas na lanchonete da empresa, combinamos de não falar de política nem de futebol, assuntos que ultimamente podem dar indigestão. Vamos falar do que, então?, alguém perguntou. De mulheres, claro, respondeu o outro. “Mulher, não, porque mulher dá problema…”, cortou o terceiro. Sugeri que neste caso falássemos do preço das hortaliças, um tema menos polêmico. Alguém da Secretaria Municipal de Transportes deve ter ouvido a nossa conversa e resolveu baixar novas regras de conduta…

Leia Mais Leia Mais

As filas de janeiro no País dos 2% mais ricos

As filas de janeiro no País dos 2% mais ricos

“Não tem mais lugar. Os ingressos estão esgotados”, informou-nos, na tarde de sábado, o rapaz da bilheteria do cinema onde pretendíamos assistir ao filme “A grande aposta”. Filas imensas formavam-se diante dos outros guichês e o movimento no shopping Pátio Higienópolis lembrava o da semana de Natal, tanta gente se espalhava por todos os corredores. Enfrentamos fila até para tomar um café. A escada rolante quebrou e os elevadores não davam conta da freguesia. Nem parecia que estávamos em pleno…

Leia Mais Leia Mais

A arte e o ofício de viver de escrever, por Eliane Brum

A arte e o ofício de viver de escrever, por Eliane Brum

Escrevo porque a vida me dói, porque não seria capaz de viver sem transformar dor em palavra escrita (…) Escrevo porque acredito no poder da narrativa da vida em transformar a própria vida (Eliane Brum, na apresentação do livro “A Menina Quebrada”, Arquipélago Editorial, 2013). *** Nunca tinha pensado nisso: o que nos leva a escrever, seja por dever de ofício ou só por gosto? No meu caso, como nunca aprendi a fazer outra coisa na vida, trata-se de uma questão…

Leia Mais Leia Mais