“Reforma Cunha”: poder da grana e partidos ameaçados

“Reforma Cunha”: poder da grana e partidos ameaçados

“Pior do que está não fica” era o slogan da primeira campanha do palhaço Tiririca a deputado federal, em 2010. Não só fica pior, como estamos vendo a cada dia, mas agora também corremos o risco de ter um parlamento cheio de Tiriricas, se for aprovada a “Reforma Cunha”, que entra em discussão e votação nesta terça-feira na Câmara.

Insatisfeito com os resultados da Comissão Especial, que ele mesmo montou há três meses, para apresentar um projeto de reforma política, o presidente Eduardo Cunha, também conhecido como D. Eduardo I e Único, o imperador autoproclamado, nem esperou pelo relatório. Mandou jogar tudo fora, cancelou a sessão e resolveu levar a discussão diretamente para o plenário.

Com bancadas temáticas suprapartidárias sob o seu comando, que na prática já estão acabando com os partidos, Cunha controla perto de 300 votos, e precisa de apenas mais oito (60% do total de 513) para aprovar o que quiser.

Muitas propostas vão entrar em discussão, mas para o imperador do PMDB duas são prioritárias:

* Criar o “Distritão”, sistema eleitoral pelo qual se elege apenas o deputado mais votado nas regiões em que serão retalhados os Estados e acaba com os votos na legenda. Partidos à parte, basta escolher um Tiririca bom de voto em cada distrito e despejar nele todos os recursos financeiros disponíveis. Programas partidários, compromissos ideológicos e os votos nos outros candidatos são simplesmente jogados no lixo.

* Manter o financiamento empresarial de campanhas, que permitiu a Cunha não só se eleger com folga, como também ajudar outros candidatos que hoje formam sua bancada particular suprapartidária. É a questão central da reforma política, pois mantém o mesmo sistema atual, que permite ao poder econômico formar suas bancadas temáticas, e está na raiz de todos os esquemas de corrupção vigentes no país. Já proibido por ampla maioria no STF, o financiamento privado só continua em vigor porque o ministro Gilmar Mendes pediu vistas e não devolveu o processo, à espera da reforma de Cunha, que pode aprovar a inclusão das doações privadas na Constituição.

A “Reforma Cunha” faz parte das suas “promessas de campanha” para se eleger presidente da Câmara, que incluem a construção de um novo anexo orçado em R$ 1 bilhão, com direito a shopping e tudo para o melhor conforto das excelências. O único objetivo desta turma é preservar seus interesses e, se possível, facilitar suas reeleições futuras, em parceria com o poder da grana. É o baixo clero no poder que, na hora de votar, só se faz uma pergunta: o que é melhor para mim?

Fora do baixo clero (ainda existe o alto clero?), agora liderado por Cunha, sobraram muito poucos.  Uma das raras exceções é o deputado fluminense Chico Alencar, do pequeno PSOL, que fez parte da Comissão Especial, e assim resumiu a ópera bufa:

“O que se pretende, na verdade, é fazer uma contrarreforma que assegure a constitucionalização do financiamento empresarial dos partidos”.

Ou seja, na melhor das hipóteses, vai continuar tudo como está, à espera do próximo escândalo de corrupção. O país clama, há décadas, por uma profunda reforma política-partidária-eleitoral, mas desse congresso nada se pode esperar de bom. O que for aprovado lá é para melhorar a vida dos próprios parlamentares, não do povo que os elegeu. O abismo entre representados e representantes só aumenta.

Por isso mesmo, a direção da Câmara dos Deputados ignorou solenemente as milhões de assinaturas das propostas populares em defesa de uma reforma política democrática que foram apresentadas, desde o ano passado, pelas principais entidades da sociedade civil organizada.

E assim vamos que vamos.

 

 

 

 

 

 

 

37 thoughts on ““Reforma Cunha”: poder da grana e partidos ameaçados

  1. Prezado Kotscho: Segundo o artigo “Reforma política: entenda o ‘distritão’” de Marcelo Pellegrini, publicado em 25/05/2015 no portal CartaCapital, “A principal crítica ao distritão é o fato de ele enfraquecer os partidos políticos. Ainda que haja inúmeras críticas às siglas brasileiras, elas são necessárias para o sistema democrático funcionar. Com o distritão, os candidatos obrigatoriamente precisarão de muitos votos para ser eleitos e aumentará a tendência dos partidos de lançar figuras populares. Isso pode diluir o espírito coletivo dos partidos, dificultando ainda mais a formação de maiorias no Congresso, fazendo com que o chefe do Executivo, seja ele prefeito, governador ou presidente, precise realizar ainda mais concessões em nome da chamada governabilidade.”

  2. É verdade Sr.Kotscho. O deputado Cunha assenhorou-se em Dom Cunha, o único, mas não por auto aclamação ,pois o que vimos agora e não sabíamos é o poder que detêm o presidente da Câmara dos deputados. Um cargo ocupado antes por capachos e paus mandados do executivo. Portanto, o regimento da casa confere-lhe tais atributos e poderes. E quem , por acaso me lê aqui no blog sabe que era isso mesmo que eu implorava de um poder Constitucional dentro do governo PT que é sobejamente conhecido de tendência autoritária, tirânica e ditatorial. Dom Cunha nos oferece o contra ponto do autoritarismo ,inclusive impedindo nomeações de mais Bolivarianos do Marco Aurélio Garcia ,na OEA. Só isso já o absolve de muitos pecados. Dom Cunha, faz questão de dizer que, aborto e o tal marco regulatório da imprensa não passa na Câmara enquanto ele estiver por lá. Portanto Sr.Kotscho ,repito: Tocucunha!!!

    1. Já disse outrora, que o Cunha é o “braseiro”, logo abaixo do espeto petista. Ou seja, o PT colocou os brasileiros no espeto. Assim, mesmo que sapecados fiquemos ao sairmos do espeto e cairmos no “braseiro”, ainda assim vale a tentativa de apoiar o Cunha. Afinal, se ele está contra o PT tem o meu apoio!

  3. ” ‘Ajuste Dilma’: desgoverno e povo ameaçado”. Os esquerdistas que seguem o marxismo, o comunismo, ou o socialismo como crença adoram falar em financiamento público de campanha como modelo ideal de financiamento de campanha eleitoral, pois na cabeça deles tudo que é do povo pertence ao Estado e isso inclui também a nossa liberdade. O “ajuste” fiscal da presidenta da Pátria Educadora tirou mais de 9 bilhões da Educação e 11 bilhões da Saúde, quando os nossos hospitais vivem de caridade, mas manteve Bolsa Família intacto, e a mídia marxista nem se rebelou contra este crime contra os Direitos Humanos mais básico do ser humano: Saúde e Educação. Quem é corrupto, é corrupto com dinheiro público ou com dinheiro privado. Os únicos “partidos ameaçados” pelo Sistema Distrital são os esquerdistas, pois as suas ideologias não representam os anseios daqueles que tem a consciência despertada.
    Rememorando Latricério, com o perdão da palavra de Stanislaw Ponte Preta, o problema do Brasil está “nos cano de orige” e não temos encanadores para consertar.
    ***Para quem quiser entender um pouco mais sobre a polêmica sobre os Sistemas de Distritos Eleitorais vale a pena ler Elementos de Teoria Geral do Estado de Dalmo de Abreu Dallari, Editora Saraiva. Aqui vai um trecho: “Muitos são os argumentos favoráveis e contrários ao sistema distrital, estes últimos acarretando a sugestão de novas variantes, visando a aperfeiçoá-lo e neutralizar as críticas. Os que são contrários alegam que o sistema de distritos atende à perpetuação de lideranças locais, ou pelos favores do governo aos seus partidários locais, ou pela consolidação de lideranças tradicionais, invencíveis nos limites do distrito, mas que podem ser derrotadas quando o candidato pode receber votos também fora
    da área de influência dessas lideranças. Além disso, alega-se que o sistema distrital tende a facilitar a corrupção pelo poder econômico, pois a concentração de recursos num só distrito é muito mais eficaz do que quando é necessário comprar os votos, direta ou indiretamente, numa área
    muito ampla. Em resposta, os adeptos do sistema distrital ressaltam, antes de mais nada, as vantagens do relacionamento direto do representante com determinado colégio eleitoral restrito. Quando, no sistema de circunscrição única, o candidato pode receber votos em todo o Estado, não se sente obrigado para com qualquer local ou região, uma vez que, a não ser em casos excepcionais, seu eleitorado está disperso pelo Estado. E, em contrapartida, não existe um grupo homogêneo de eleitores que tenha condições para exigir do representante que justifique suas posições. Pelo sistema distrital, ao contrário disso, vincula-se o representante a um
    colégio eleitoral definido, dando-se aos eleitores a possibilidade de fiscalizar permanentemente o comportamento de seu representante. Isso contribui também para reduzir a influência do poder econômico, pois além de ser limitado, em cada colégio, o número de votos compráveis, nenhum colégio dará muitas oportunidades a um representante que, embora pródigo em conceder benefícios pessoais, se mostre incapaz de trabalhar pelos interesses gerais. E qualquer outra forma de corrupção eleitoral se toma muito mais fácil de ser percebida e comprovada quando praticada no âmbito reduzido de um distrito. Por outro lado, ainda como vantagem do sistema distrital, sustenta-se que será mais eficiente o desempenho do representante, que terá a seu favor uma série de circunstâncias. Entre outras coisas, o representante poderá concentrar os seus esforços sobre um menor número de problemas, uma vez que deverá dar maior ênfase ao trabalho em favor de seu respectivo
    colégio eleitoral. E isto, obviamente, sem deixar de ter participação nos assuntos de interesse geral do Estado, sobre os quais conhecerá melhor o pensamento de seus eleitores, podendo então agir como verdadeiro representante. O próprio eleitorado do distrito, sabendo quem efetivamente o representa, terá interesse em aumentar a eficiência da representação, oferecendo subsídios e sugestões que permitam a elaboração de proposições adequadas e solidamente apoiadas na realidade.” (Elementos de Teoria Geral do Estado. Dalmo de Abreu Dallari. Editora Saraiva, 25ª ed., 2006, p. 195-196.)

  4. Ate agora como o que se tem , de nada adiantou , é aquela velha história , todos sabem que tem que fazer uma reforma politica mas ninguem a faz . Pelo menos o D. eduardo vai de fato fazer e se contempla “somente eles” azar de quem deixou rolar solto essa barbárie . E la vem aquele velho ditado ” cada povo tem o governo que merece e esse merece mesmo” .

  5. Impressionante como tem pessoas que, pelo ódio ao PT ficam dando a cara para apoiar um sem vergonha como o Cunha!! São cegos ou vesgos os que agem assim. Esses idiotas, apoiam um Zé Ruela metido a parafuso que está levando nosso congresso ao limite da improbidade. Como alguém em suas faculdades mentais sólidas, pode aprovar um sujeito que vai gastar UM BILHÃO de reais do nosso dinheiro, na construção de um shopping para seus pares e que ainda diz que isso faz parte de sua campanha?? Para essas pessoas que pensam assim, só posso defini-las como CORPORES SANOS EM MENTES INSANAS!!

    1. Eu só gostaria de saber por que você se preocupa com este bilhão específico e não o de Pasadena, os 20 de Abreu e Lima, os escondidos no BNDES e tantos outros. Em parte, a escolha é por isso: o Cunha é mais barato. E ele também não quer censurar a imprensa, incentivar a bandidagem do MST e coisas do gênero. Dos males, o menor.

  6. Tudo isso, caro Kotscho, decorre do ódio alimentado pelos partidos que não se conformaram com a derrota sofrida na eleição presidencial. A vingança consistiu em eleger Eduardo Cunha, cujo histórica de suspeitas todos conhecíamos. Ele repetiu a vitória de Severino Cavalcante, um “coitado” perto do atual presidente da Câmara dos Deputados. Os que elegeram Cunha vão levar consigo o ônus do abismo político a que ele vai levar o país. A grande mídia também teve o seu papel na campanha vitoriosa de Eduardo Cunha à presidência da Câmara dos Deputados. Já vimos esse filme antes, não?

  7. …mudando de assunto…Ricardo, há coisas que agente pode fazer na boa, outros que agente não pode fazer, e, há coisas que agente nem pode pensar em fazer. Pois num é que a Caixa fez uma destas últimas??? Aumentou o valor das apostas ( a mega sena que era de R$ 2,50 foi para R$ 3,50 )…precisariam fazer isto numa hora desta ??? Será que a DILMA e o LULA sabem disto ???
    Fui ali numa loteca pagar uma conta de luz, e o povo esta revoltado com esta medida. Será que o PT quer cometer suicidio como cometeu o PSDB ???Quem foi o féla da mãe que teve esta atitude ???Já perdemos a classe média, agora, com estes atos totalmente desnecessários, estamos a caminho de perder a baixa.

    1. Oh Everaldo, deixa de ser inocente homem! Dinheiro não nasce em árvore. Quando nós alertamos que todos pagariam a conta, é que são todos mesmo, inclusive os que fazem filonas nas casas lotéricas, muitas vezes deixando parte do leite, do pão, pelo sonho impossível de ficar milionário da noite para dia. Nada contra quem joga, pois também não nego que vez por outra faço uma “fezinha”. Aliás, fazia, pois não pago 3,50 por uma aposta nem ferrando. Talvez só a da virada, e olhe lá! Mas fica tranquilo, logo aparecerá o Victor Hugo proclamando que a Dilma deu mais um “golpe certeiro nos coxinhas”, pois certamente para ele, é a elite branca perniciosa, venenosa, controlada pela Globo, objeto de alienação da direita malvada, e tal, que usa as loterias para lavar dinheiro! Mas essa até o Ricardo Kotoscho diria, também não precisava esculachar!

    2. Everaldo, a gente quando se aposenta começa a procurar o que fazer e estudando estatística, eu resolvi fazer uma experiência com a megasena como aplicação da matéria. Fui racalculando os jogos anteriores e percebi que na ultima extração, de dez jogos que analisei, oito estavam todos com o terno. Vou refazer os calculos mais anteriores para ver se está dando certo. Importante dizer que nem sei como jogar mas vou continuar com a minha brincadeira mas vou deixar bem afiada para a mega da virada. Meu amigo viu e falou; isto é coisa de louco, só voce mesmo para descobrir isto. Então aumentaram o preço da aposta? Deixa eles prá mim, vou dá-lhes uma raspada no tacho. Toda semana vou faturá-los. O problema é programar esta coisa no computador, vou pedir ajuda ao meu garoto que é analista de sistemas, vamos tentar programar tudo porque as combinações numéricas me toma muito tempo, estou fazendo a mão. Fiz nesta ultima experiencia, mil jogos distintos com dezenas combinadas uma a uma. Nem na época da Universidade escrevi tanto. Mas quanto ao partido, eu penso que estão metendo os pés pelas mãos, a começar pela aliança exdrúxula que fizeram com o PMDB. Mas acho que ainda dá tempo para arrumar, mesmo porque eles terão que consertar esta coisa maluca que fizeram senão a vaca vai pro brejo.

    3. Parabéns Everaldo. Até que enfim um comentário seu com logica. Não sou viciado em jogo mas faço minha fezinha na mega sena e na dupla sena toda terça e sexta feira. Não ganho nada mas sinto o prazer de conferir meu jogo. Foi uma facada mas não vou deixar de fazer meu joguinho toda semana. Acredito que os aumentos maiores foi no supermercado. Fazer uma compra agora está custando o dobro do que custava a três anos atrás.

  8. Cunha é um perigo para o presente e para o futuro do país. Para o presente, por representar com força de votos o que de pior existe na Câmara dos Deputados e por sintetizar o lado mais conservador de nossa sociedade, bem distante do eixo PT-PSDB. É um lado conservador suprapartidário. É reacionário e retrógrado, mas bastante representativo de parte da sociedade. E aí entra o perigo futuro: 2018, que certamente está no radar de “sua excelência”, caso as suspeitas levantadas pela Lava Jato não se concretizem.

  9. O que o STF tem a ver com o financiamento de campanha? Haja bolivarianismo e defesa dos interesses escusos do PT, que domina os canais subterrâneos como ninguém e quer cortar os de quem faz as coisas mais às claras. Como se as empresas não pudessem apoiar legitimamente quem, por exemplo, defenda a simplificação tributária. E como se o fim do financiamento legal evitasse o ilegal ou que um governo corrupto continuasse a exigir propinas de quem faz suas obras. O problema dos petistas é que, na ânsia de atribuir seus malfeitos ao “sistema”, contaram tanto essa mentira que passaram a acreditar nela.

  10. Quando se espera que a oposição tome uma posição favorável ao povo Brasileiro e uma postura de combate aos desmandos do governo federal o que se vê é que todos se unem em prol de seus próprios interesses. O se que percebe é que todos políticos são farinha do mesmo saco.
    Não há um se quer que mereça a confiança dos seus eleitores.

    1. Meu caro Joel, e você acha que é para qualquer um desafiar quem fez “o diabo” para ganhar as eleições? Nem sou simpático ao Cunha, mas só o fato dele ter coragem de peitar a ratazana petista, já tem minha torcida! #CunhaNeles!

  11. Caro Ricardo Kotscho,
    O título deste post “Reforma Cunha”, parece conteúdo de uma boa matéria, como é esperado de uma lenda do jornalismo, que admiro desde o inicio dos anos 80, ouvindo seu nome na sucursal da Abril, nesta época o “companheiro” sindicalista Lula “fervia” no ABC, muitas vezes na base de ripadas nos piquetes nas porta das fabricas.
    Espero estar errado, porque Kotscho é bom de escrita, mas ao que parece, os “arremates” de suas matérias é discurso do PT, que um dia admirei e cheguei até amar.
    Sobre a reforma política, sou mais Eduardo Cunha, que trabalha, o que faz tem começo, meio e fim….já a reforma do PT, que seria a solução para acabar com corrupção, nunca saiu do papel.

  12. Enquanto isso, no meu SantosFC há uma ansiedade do Robinho. E não é pela renovação do seu contrato com o Peixe. Trata-se da apresentação pela oposição, de pedido de investigação ao PGR, o Rodrigo Janot, de crime de responsabilidade fiscal, por ter se utilizado de bancos Públicos, a Caixa Econômica Federal, para pagamento de benefícios sociais, sem o devido aporte do Tesouro, um “lance cheio de malabarismo e esperteza”, que foi apelidado de “Pedalada Fiscal”. E porque o Robinho está preocupado? Simples, ele se tornou conhecido mundialmente pela esperteza nos dribles, enganando os zagueiros, passando o pé sobre a bola. E como não ficar ansioso, prestes de ver seu título de “Rei das pedaladas” ameaçado por uma “Rainha das pedalas”? A maioria já tranquilizou o Robinho, visto que o juiz deste caso agora é o Rodrigo Janot, que é subordinado a “craque das pedaladas”, a Sra Dilma Rousseff. Acreditar que ele vai permitir que incomodem a patroa, é ser otimista demais. Enquanto isso… #PedalaDilma!

  13. O fato detrás do atropelamento imperial de Dom Cunha – ungido ao centro do poder político por conta de Dona Dilma II, a Inepta -, são as três posições existentes no Supremo: Fux, Teori e Barroso. Fux considera constitucional o financiamento empresarial e que está tudo bem e como antes nos quartéis de Abrantes (é o mais fraco e pernóstico dos ministros). Teori considera totalmente inconstitucional o financiamento empresarial de campanhas (é o mais técnico dos ministros). Barroso considera que a decisão sobre o financiamento empresarial é do Parlamento, portanto, a questão estaria em aberto; porém, Barroso, o melhor constitucionalista dos ministros, considera inconstitucional que uma empresa financie vários candidatos, muitos deles em campos opostos (o que significa que, na prática, não concorda com o modelo atual). Dom Cunha tem certeza de que, se não correr com as calças e atropelar o processo de votação, simplesmente o Supremo acabará por bater o martelo sepultando o seu principal interesse: o financiamento empresarial.
    Trata-se da Reforma de Dom Cunha para Dom Cunha. Obviamente, com os préstimos facilitadores do pedido de vistas do Ministro Gilmar Mendes (o ministro que mais dispensa comentários).

  14. Pronto! Acaba de ser noticiado que o PT fechou com a opção pelo “não” ao Distritão.
    Deputados, nem precisam quebrar a cabeça, basta votar SIM.. Pois se o PT é contra, é pq o negócio não é bom para eles. E convenhamos, se não é bom para o PT é pq deve ser bom para o País! #CunhaNeles!

  15. mesmo que a corja da camara aprove uma reforma politica que nao atenda aos interesses nacionais tem ainda o senado e a presidente para corrigir ou vetar.
    triste do pais que tem um cafajeste como cunha na presidencia da camara dos deputados

  16. Caro amigo Kotscho, desculpe a falta de compostura, mas tenho que, kkkkkkkkkkk…., brincadeira moço! Nos meus comentários anteriores é exatamente isto que postastes que sempre comentei e sempre quiz dizer. Me desculpe outra vez mas este deputado carioca deve ser mesmo lélé da cuca. Rárárárá é mesmo, parece uma comédia bufão. Sabe, a moleza está tão grande que eles fazem gato sapato do congresso e o povo está mais perdido que cego em tiroteio, que cachorro que caiu de mudança, que poeira em alto mar, tudo vale. Estou com a barriga até doendo de tanto rir. No seu Balaio tem momentos de grande humor e eu te juro, estava até um pouco encabulado mas depois que li, disparei a rir que não estava conseguindo parar e a mulher veio perguntar o que houve e ri mais ainda porque ela nâo estava entendendo nada, só vendo a carinha da italianinha com os olhos esbugalhados pensando que eu estava passa do mal. A coisa está se tornando uma palhaçada e o Tiririca está no local certo e a sua figura está sendo passada prá traz, tem gente mais engraçada que ele. Obrigado por este momento feliz, valeu…..kkkkkkkkkkkkk…….

    1. Cuidado como excesso de riso sem fundamento. Rir saudavelmente estimula o cérebro a produzir mais endorfinas, substâncias químicas que dão a sensação de bem-estar mental e corporal, protegem o coração contra infartos, o cérebro contra derrames e ainda fortalece a defesa imunológica do organismo”, Mas, atenção, o riso em excesso também pode ser sintoma de algumas doenças, como certos tipos de epilepsia, que causam surtos de gargalhadas.
      O fenômeno Cunha não é motivo de risos e nem de graças. Vê-lo assim, como uma piada, trata-se de uma distorção que o cérebro faz da realidade,
      Rir com o Kw/h custando 1 real, o mais caro do mundo, e o ministro da fazenda avisando que o caixa do governo zerou, não é motivo de piadas. A minha conta de luz foi de R$498.65 este mês.

  17. cada pais tem os politico que merece, e nos não somos diferentes, votamos neles agora temos que os engoli, ate a morte deles ou a nossa, so espero que quando o Brasil afundar, lembrem que tudo que esta acontecendo a culpa e nossa, somente nossa, ficamos por muitos anos de braços cruzados dando poder para esta corja que esta no congresso, comendo, bebendo e rindo da nossa cara( os palhaços somos nos, povo que não sabe votar, não pode exigir nada dos politico), o povo se contenta com promessas agora aguenta e chora sozinho com a crise( quero ver da onde eles vão tirar dinheiro), quando a mina secar e o Brasil estiver no buraco em que os politico estão levando a nação.

  18. …há muito postei aqui que não entendia esta revolta contra o congresso, pois a constituição de 88, na verdade, com os poderes que deu a ele, estabeleceu em nosso país, um regime parlamentarista em que o povo elege o primeiro ministro com o apelido de presidente. Tanto é que o aquele pode destituir este, e um presidente não pode cassar um membro do congresso. Quando uma máfia se apossa dele, dá nisto que estamos assistindo, e a culpa das crises recaem apenas nas costas do presidente. Uma maravilha.

    1. Aí hem everaldo. Saudades da ditadura, quem diria? Cassar ou destituir parlamentares, em nenhuma democracia do mundo é atribuição do chefe do executivo. O regime militar de 1964, no Brasil, sim, tinha este poder que era , reconhecido pelos Generais ditadores com, poder provisório ,discricionário e totalitário.
      No Brasil, nem o STF pode ,em última análise cassar um deputado ou senador.
      Art. 55. Perderá o mandato o Deputado ou Senador:
      § 2º Nos casos dos incisos I, II e VI, a perda do mandato será decidida pela Câmara dos Deputados ou pelo Senado Federal, por maioria absoluta, mediante provocação da respectiva Mesa ou de partido político representado no Congresso Nacional, assegurada ampla defesa. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 76, de 2013).
      Mesmo que comprovado, em juízo, o delito, a decisão é do parlamento.

  19. Caro jornalista, não sei que mundo habitas, tens a clareza da sujeira da câmara e o compadrio e na maioria das vezes como ontem barbaramente culpou a Presidenta. Você mudou, não sei por quê. não mais o entendo, seu grande leitor, resta-me apenas o Paulo Henrique e o Mino Carta. Que pena, és frustrante.

  20. E o Distritão do Afeganistão de Cunha perdeu! Aleluia! Ainda temos cabeças pensantes no Congresso. Toma-lhe Cunha! A primeira derrota dele que ele jamais vai esquecer. Xô Cunha do atraso!

  21. O CONGRESSO DE MAIORIA PICARETA, A PICARETAGEM, AS SALSICHAS E A LEI, DE MURPHY. Congresso de maioria picareta não fará reforma alguma que não seja apenas mais picaretagem. O problema do congresso de maioria picareta, das leis e das salsichas é que grande parte do povo, quiçá a maioria, está sabendo como aquele e estas são feitos. E o diabo é que a coisa fede à beça. Ledo engano do Tiririca, Cunha provará que pior sempre fica, até porque em se tratando de congresso de maioria picareta, a Lei de Murphy é mesmo implacável. A coisa tb não é bem assim, Senador Paulo Paim: : ” Todo poder às ruas”, até porque há ruas e ruas, e até me$mo ” de la ruas” extremas direita de carteirinhas, eu diria até jurássicos. Aliás, todos vimos muito bem quem saiu às ruas em março de 2015, inocentes úteis, ludibriados, jurássicos, implicante$ e implicado$, apoiados e manivelados pela opo$ição e seus miquinhos adestrado$, principalmente os midiático$. E foram às ruas como se fossem as ruas, tentando confundir as coisas, o cenário, o joio com o trigo, e alhos com bugalhos, com a visível intenção de aplicarem mais 171 na história do Brasil, posto que, em verdade, elle$ não são as Ruas propriamente ditas, aquelas que rugiram firme, forte, alto e em bom som em Junho de 2013. Sucede que às Ruas de verdade, as que rugiram em Junho de 2013, não o fizeram pela oposição e nem pela situação, e muito menos pelo retrocesso, mas, isto sim, pela Mega-Solução (RPL-PNBC-ME), pelo novo caminho para o novo Brasil de Verdade, porque evoluir é preciso. E é está a LUTA ( Legião Unida de Trabalhadores Amigos), pela qual vale a pena lutar, porque o resto é tudo mais dos me$mo$. Seja bem-vindo à LUTA vc tb, Senador Paulo Paim. Comentário feito no site Brasil 247, antes das votações dos famigerados “distritão” e financiamento privado de campanhas. A cada novo minuto, torna-se cada vez mais forte a impressão de que ” se cobrir é circo, se cercar é hospício” e se murar alto é penitenciária. E o pior de tudo é que a camisa de força está vestida na sociedade, por elle$, não obstante os loucos serem elle$, ao que parece.

  22. “O poderoso presidente da Câmara, Eduardo Cunha, sofreu uma dupla derrota na noite de terça-feira com a rejeição das suas duas principais propostas de reforma política – incluir na Constituição Federal a permissão de doações de empresas a campanhas eleitorais e alterar a forma como elegemos deputados e vereadores, adotando o sistema chamado de distritão” (BBC Brasil) /// Balaieiros: são, ou não são, de dar pena os coxinhas Gilvanildo, Luiz Carlos Velho (quem ?!!!!) e o tal do Ernesto ? Idolatram um vagabundo imprestável denunciado na operação Lava Jato, que achincalha nossa democracia desde a ditadura, apostam nele todas as fichas, e, ao final, colhem o que plantaram (ou, como diria o Everaldo, levam atrás o que o diabo tem na frente) com juros e correção monetária !!! E ainda reclamam de serem taxados de estupidos, imprestáveis, otários, etc… Eu mereço !!!!!

  23. O deputado psolista tem razão. O núcelo duro do propósito de Dom Cunha é perpetuar o financiamento empresarial de campanha. E tal “constitucionalização” encontra-se em votação. Dom Cunha ainda crê que logre êxito em arrancar tal vitória pessoal no Parlamento. Claro que há parlamentares assustados com a Lava Jato e seus riscos presentes e futuros. Mas Dom Cunha tem lá suas cartas na manga: os interesses mercenários podem falar mais alto, na hora “h” da votação. Afinal, a diferença não foi lá um 7 a 1 contra Cunha.

  24. Nem precisou muito tempo para Dom Cunha recuperar-se no que lhe mais interessava: o dinheiro das empresas passou leve e solto, a jato, com esmagadora votação favorável. O distritão, ora fica evidente e explicito, não passava de um boi de piranha. O financiamento empresarial dos partidos prevaleceu. A conexão estrutural das classes dominantes na economia foi consagrada, solenemente pelo Plenário. Vitória de virada de Dom Cunha. Lamentável, mas a fatura resultante da “reforma política” tem a esfinge de Dom Cunha na cédula financeira dos partidos. Resta a opção moral de cada partido em aceitar ou não o ervanário empresarial. A conferir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *