Kátia Abreu sai em defesa de Gilmar Mendes

Kátia Abreu sai em defesa de Gilmar Mendes

Corria este sabadão pachorrento, sem maiores novidades, quando fui dar uma passeada por blogs e portais. Parei ao encontrar algo inacreditável publicado no blog do Paulo Henrique Amorim, que reproduziu um texto de Fernando Brito, por muitos anos assessor de imprensa de Leonel Brizola, e que hoje edita o “Tijolaço”.

Brito é um jornalista da escola antiga, daqueles que não perdem o faro de repórter. Ficamos amigos na campanha presidencial de 1989, quando ele cruzou o país com Brizola, enquanto eu exercia o mesmo papel na campanha de Lula. Denuncia Brito:

“Quem está na iminência de ser indicada ministra de um governo sistemática e doentiamente combatido por Gilmar Mendes, com ações jurídicas e outras nem tanto, só pode fazer isso se não tem ideia de quem governa e de quem elegeu este governo”.

O comentário indignado se refere a um artigo publicado hoje na Folha de S. Paulo, sob o título “Conflitos intermináveis”, em que a senadora Kátia Abreu (PMDB-TO), aquela mesma da UDR e da CNA, trata da demarcação de uma terra indígena reivindicada pelos guirarocá no Mato Grosso do Sul. Vejam se não é espantoso o que ela escreveu, após as polêmicas decisões de Gilmar Mendes, sempre a favor do PSDB e de notórios malfeitores em geral, e contra o PT e os movimentos populares:

“As baterias ideológicas voltaram-se, então, contra o ministro Gilmar Mendes, pelo fato de sua família supostamente ocupar terras indígenas em Mato Grosso do Sul e, evidentemente, contra os “fazendeiros”, como se esses fossem os algozes dos indígenas.

Cabe enfatizar que o ministro Gilmar Mendes é um dos mais sérios juristas deste país, cuja obra ultrapassa nossas fronteiras. No Tribunal, sempre pautou sua posição pela estrita aplicação da lei, não sucumbindo a pressões como essas que hoje o acometem. Os que contra ele vociferam são os que não possuem o mínimo respeito pelo Estado Democrático de Direito”.

Claro que Kátia Abreu tem o direito de escrever o que ela quiser e defender quem ela bem entender.

Se assim pensa, no entanto, a senadora ruralista não deveria aceitar o convite para ser ministra da Agricultura de um governo eleito e comandado por uma presidente do PT, partido que historicamente defende os índios, os sem-terra, os quilombolas e os pequenos produtores rurais ameaçados pelos latifúndiários, justamente as parcelas da população por ela sempre combatidas desde os tempos da UDR de Ronaldo Caiado.

Se ainda faltava um bom motivo para a presidente Dilma Rousseff desistir de convidar Kátia Abreu para o seu novo ministério, agora não falta mais.

Fernando Brito termina assim seu texto, dirigindo-se a Kátia Abreu:

“Ninguém lhe pediu que esbofeteasse o mais figadal inimigo do governo no Judiciário, Gilmar Mendes. Seria desnecessário pedir-lhe que não esbofeteasse o governo com escancarados elogios a ele”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

15 thoughts on “Kátia Abreu sai em defesa de Gilmar Mendes

  1. O jornalista escreve: “senadora ruralista não deveria aceitar o convite para ser ministra da Agricultura de um governo eleito e comandado por uma presidente do PT,”.
    A presidente Dilma se respeitar o povo que a elegeu e tiver vergonha na cara não convida essa Kátia Abreu para esse cargo.

  2. Agora fedeu. Elogiou Gilmar Mendes? Agora sra. Dilma, por favor, procure outra pessoa para o Ministério da Agricultura pois Gilmar Mendes, além de ser um notório perseguidor do PT, acaba de suspender a investigação por “falha administrativa” instaurada contra o procurador Rodrigo de Grandis pela Corregedoria do MP por ele ter “esquecido” por quase 3 anos em gaveta errada pedido de ajuda da justiça suiça para investigar o “trensalão tucano” de SP. A liminar acatada por Gilmar Mendes alega cerceamento de defesa. Só podia ser o Gilmar Mendes pra aceitar esse tipo de justificativa pra suspender um processo motivado por tamanho desleixo desse procurador. Se o caso envolvesse o PT, com certeza não haveria tamanha proteção a esse procurador. Na certa, já teria sido exonerado do seu cargo público. Mas como é com o PSDB…..

  3. Feliz com a citação elogiosa do Mestre, considero que Fernando Brito é mais que um jornalista da escola antiga, é daqueles abnegados que não vergam-se em matéria de ética profissional e princípios e valem por vários batalhões globais na luta por um Brasil mais justo e sem a Casa Grande, mãe da desigualdade. Entrincheirado no Tijolaço, merecidamente herdado, em companhia semanal de outro brilhante, o jovem Miguel do Rosário, enfrenta o monopólio da desinformação com sobras em matéria de jornalismo biscoito fino. Por isso tenho prazer de ter no Tijolaço e no Balaio, os blogs de minha maior predileção, sem os quais não fico, quer pela qualidade da informação, quer pela integridade de quem os comanda, quer pela liberdade ao contraditório e quer pela tolerância ao destampatório suportado, mesmo que em tempos de ditadura da informação, adepta das práticas, de terrorismo da desinformação e de intolerância rolabosta, brilhante definição de Leonardo Boff. Quanto ao homenageado de Katia (faz todo sentido), Gilmar Dantas (outra brilhante criação, nesse caso de Noblat), basta ater-se a última, aprontada da personagem, informada com propriedade no Balaio, em comentário nesse post, pela sempre atenta Helena.

  4. Não seria pedir e esperar demasiado de Katia Abreu?
    Ninguém ignora que Caiado e Abreu faziam e fazem a dupla pitbul rotweiller do campo; e isto é notório e consabido.
    Acintoso não foi Katia aceitar o convite, porque ela não perderia a oportunidade de defender com unhas e dentes os interesses patronais que a inspiram, tanto é que não aceita assumir o governo na esteira de uma denúncia contra o atual titular da pasta, antes de tomar posse na CNA.
    Acintoso e despudorado para falar o mínimo, mesmo, foi a presidenta convidá-la.
    Desse modo, com o sub do sub do sub Levy, que agora se sabe pediu a benção de Armínio antes de dizer o sim à presidenta, e Katia CNA/UDR, Dilma começou a trilhar o caminho que costuma levar ao Irajá.
    Dilma começa muito mal e não terminará bem, infelizmente.
    Doze anos depois…e o PT não tem ninguém melhor para a o núcleo duro da área mais importante, a Fazenda, e não consegue honrar, minimamente, a ala agrária e fundiária histórica do partido, originariamente liderado por Plínio Sampaio, o líder do PT na Constituinte e responsável pela plataforma programática do PT na área da reforma agrária.
    Resta a João Pedro Stédile do MST reclamar ao bispo, ou melhor, ao papa, alias, o que já fez, ao beijar a mão do Sumo Pontífice.

  5. …sei não Ricardo, mas esta Kátia não esta pra brincadeira, a mulé é obsecada pela cadeira de presidente, e, mais do que a irmã Marina, topa tudo pra chegar neste posto.É mais uma alternativa muito forte da direita bandida. Acho que a DILMA, deveria deixar este ministro, da Agricultura, para ser nomeado por último, O caso da nomeação ou não da KA, deve ser visto como estratégia a ser analisada com muito cuidado pois deve objetivar principalmente encurralá-la, enxiqueirá-la, nesta sua pretensão. A mulé é forte…a mulé num é de brincadeira, ” topa tudo por dinheiro “, é variável a ser considerada na equação do PT para 2018, para entrar com chapa pura LULA/HADAD. ÊÊÊ mundão véi discuncertado !!! Né não Cardeal Dias ???

    1. Enfim, o bom filho ao Balaio torna. Diga aí, velho companheiro de orações e esperanças da estrada Brasil, por acaso em suas últimas andanças viu o Álvaro Dias por aí? Não é que sumiu do noticioso global, ao mesmo tempo em que sumias do Balaio, e até hoje não voltou, cabendo a aquele amigo do afrodescendente, assumir como porta voz da “corrupção do contra” no “global desinformativo”.

  6. Prezado Kotscho,

    Nunca comentei aqui no seu blog e o faço agora.

    Primeiramente, para concordar que Levy é uma coisa, Katia é outra. Até o PMDB é restritivo quanto a ela. Creio que, ao final, Katia não será ministra.

    Depois, para externar a minha preocupação com a evolução do modelo adotado pelos blogs, denominados “sujos” pelo próprio Gilmar Mendes.

    Na chamada “grande mídia” , o leitor não possui o direito de tecer comentários acerca do que leu. Justamente, os blogs progressistas trouxeram ao leitor a possibilidade de redigir.

    Um avanço propiciado por essa ferramenta revolucionária que é a internet.

    O modelo do “escreve / comenta” traz a quem escreve o ônus de não permitir excessos.

    Entretanto, o que vem acontecendo é que a extrema preocupação com a filtragem passa a ser de tal sorte que o leitor / comentarista vê a supressão dos seus textos, apenas porque discordou de quem escreveu.

    Por uma questão ética, não mencionarei onde isso aconteceu. Entretanto, eu tive um texto meu editado ( imagine você o tamanho da minha decepção ) e, depois, suprimido num desses blogs. O referido blog é famoso e prestigiado.

    Mas, pior ainda é que ao ver um outro texto meu em blog semelhante, um “leitor” identificou-me e passou a escrever horrores sobre a minha pessoa.

    Após o ocorrido, ao tentar comentar em mais três blogs ( associados ao primeiro ) , percebi igual banimento.

    Daí, fiz uma pesquisa e constatei que há blogs, dos quais os comentários estão “sumindo”. Em outras palavras, a quantidade de comentários é mínima.

    Constatei também que a grande maioria dos comentários é do tipo “sim Senhor”.

    Não há a boa polêmica nos comentários e nem o que eu entendo ser a devida contextualização histórica. Ou seja, depois do que aconteceu comigo, percebo que o excesso de filtragem possa estar levando o modelo à exaustão.

    É isso aí.

    Sergio Govea.

    57 anos, Engenheiro, Biólogo , CNF Partido dos Trabalhadores 6377107.

  7. O eleitor só tem valor na hora do voto. Depois do candidato eleito ele não está nem aí para o que o eleitor pensa. Principalmente candidatos do PT. Ele tem certeza que os eleitores vão se espernear um pouquinho mas vão reelege-la na próxima eleição. Com o maior escândalo de corrupção da historia do país, o mensalão o Lula conseguiu se reeleger. Agora com um escândalo ainda maior e o país em decadência a presidente Dilma conseguiu se reeleger. Os eleitores do PT são iguais os eleitores do Maluf. Se os seus candidatos entrarem no fogo eles entram juntos e morrem todos abraçados.

  8. Nessa política PT/PSDB vale o jargão: “seis por meia dúzia”. Os que ganharam são seis e os que perderam são meia dúzia, ou vice-versa. Agronegócio e agricultura familiar são segmentos necessários para a economia e para a sociedade. A reforma agrária e a homologação de terras indígenas estão na constituição em vigência. Os movimentos sociais são lastros do PT, não vê quem é cego ou não quer enxergar. Pra alavancar setores econômicos e sociais e cumprir a constituição é necessário nomear uma arque-adversária dos movimentos sociais agrários e fundiários como a senadora Kátia Abreu? Ou é provocação, descaso, indiferença ou outra denominação que a autora poderá dizer no dia e na hora em que ela estiver disposta a falar à sociedade provavelmente em tom de favorzinho. Isso porque o Brasil é um país de território continental. Ou seja, dar pra desenvolver agronegócio, assentar agricultores, fazer a reforma agrária, homologar terras indígenas e ainda sobra terra se houver (houvesse) alteridade ética, respeito mútuo e cumprimento da constituição. O subjuntivo é enfático porque não é real. Não seria demais, se a eleita candidata se lembrasse daquela noite no TUCA e do comício no centro de Recife/PE.

  9. Eu me divirto com esse blog. É hilário observar as contradições do blogueiro e de seus fiéis seguidores. Mais divertido ainda é ver a “coração valente” se ajoelhando ao mercado, tendo que engolir um liberal na pasta da Fazenda e alguém como Kátia Abreu na Agricultura, com um perfil que deixaria qualquer tucano com o pé atrás para essa indicação. Esse é o começo do fim do partidão. O Brasil agradece.

  10. Kotscho, o Gilmar Mendes tem razão.
    É questão constitucional.
    A partir de 5 de outubro de 1988, terras não ocupadas por indígenas, não podem mais ser declaradas como reservas.
    No caso de Arroio-Korá, apareceu um levantamento antropológico da Funai suspeito, que passou até pelo STJ, mas o STF não engoliu a grua.
    Ver julgamento recente, com embate bem interessante entre os Ministros.
    E parece que existem outros casos em suspeição, e aí é que veio a grita, com ênfase às ONGS internas e externas que viram desmoralizados certos levantamentos.
    Parece que a Kátia Abreu também foi bem surgindo em defesa de Gilmar Mendes.
    E o caso promete muito mais…

  11. Amigos Balaieiros, vejam se não tenho razão em afirmar que o Netho (02:55) é tucanão fanático e enrustido !!! Para o Nethão, é acintoso para Dilma indicar um politico do PMDB, MAIOR PARTIDO DA BASE ALIADA, para esse ou aquele ministério !!!!! Já a indicada “está na dela”, está certíssima, segundo o tucanão Netho, em aceitar, afinal, o que importa não é a contribuição que pode dar ao ministério, mas o que pode levar de vantagem como ministra !!!! Ora, Balaieiros, sou injusto quando digo que os comentarios do Netho não acrescentam nada ao Balaio ??? Nethinho, tome um pirulito de framboesa e vá pra o Play Ground enquanto os adultos debatem politica no Balaio. Quando voce for crescidinho e tiver coragem pra mencionar em seus comentários insossos a “Farsa do Mensalão”, a roubalheira da era FHC, o escândalo (até agora impune) do tucano Eduardo Azeredo, o Trensalão do Alckmin, o Choque de Gestão (endividamento/baixo crescimento da economia Mineira), o “Aeroporto do Titio” e toda a corrupção tucana em Minas (veja no Youtube os discursos, em plenário, do deputado mineiro Sávio Cruz) passaremos a levar a sério seus comentários ridículos. Abração, Nethinho.

  12. Acho Kátia Abreu,não é porque vai ser ministra que tem que se vender,mudando convicções ou anulando suas idéias.Estou fã dela.

  13. Da mesma forma como o livro do Kotscho, o imperdível “Do golpe ao Planalto”, o recentíssimo livro de Kucinski, “Cartas a Lula”, também o é. Kucisnki “traduzia”, diariamente, a linguagem da “midiocracia” (termo cunhado por Tarik Ali), no primeiro governo Lula, dentro da poderosa Secretaria de Comunicação, comandada pelo saudoso “Japa”. Os dois livros fazem um belíssimo presente de Natal.
    A respeito de Katia Abreu, o que Kucinski, teria a dizer, caso houvesse de traduzir a linguagem da midiocracia, na sua imaginária carta a Dilma:”um erro gravíssimo”.
    Kucisnki é um velho marinheiro do jornalismo, notório militante do PT. Sua opinião basta. É preciso (tergiversar) mais?
    Não faltam Cândidos a insistirem que sim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *