Um triste debate sem vencedores; só perdemos nós

Um triste debate sem vencedores; só perdemos nós

“Quem ganhou?, costumam me perguntar sempre no dia seguinte ao destes debates entre candidatos transmitidos ao vivo por redes de televisão, como se fosse fácil dar a resposta. Depois de perder mais de duas horas da minha vida, preencher 16 páginas de anotações e de lutar bravamente contra o sono, acordei nesta quarta-feira sem nenhuma vontade de escrever sobre o assunto. Me deu um sentimento misto de tristeza, fastio e vergonha alheia diante do que vi e ouvi.

Espero que nenhum estrangeiro tenha assistido a este primeiro debate entre os presidenciáveis promovido, como de hábito, pela Rede Bandeirantes, que só serviu para mostrar como o nosso país está pobre de lideranças políticas, falido de novas ideias e vazio de propostas para nos dar alguma esperança de que algo possa mudar para melhor nas eleições de 5 de outubro, qualquer que seja o resultado.

Para responder com honestidade à pergunta que abre este texto, sou obrigado a dizer que, infelizmente, não houve vencedores, apenas derrotados: nós, os eleitores. Um debate com sete candidatos e quatro jornalistas, empregando as mesmas regras rígidas e burocráticas do século passado, é um verdadeiro massacre para quem dele participa e para quem o assiste.

Trata-se de uma tragicomédia mambembe, que se arrasta sempre no mesmo diapasão, com ataques mútuos entre os candidatos, velhos jargões de outras campanhas, números para cá e para lá, textos de marqueteiros repetidos dos programas eleitorais, nada de novo que possa mudar o rumo da campanha eleitoral.

Vou deixar de lado meu calhamaço de anotações sobre os muitos embates entre os que querem presidir o nosso país, que nada acrescentaram ao que todos já pensávamos deles antes do programa começar. Ninguém surpreendeu ninguém, ganhou ou perdeu votos. A cobertura completa pode ser encontrada aqui mesmo no R7, não preciso repetir. Para não aborrecer o leitor, limito-me a transcrever algumas conclusões a que cheguei nos intervalos do debate.

Dos sete personagens perfilados ao lado de Ricardo Boechat no palco, na verdade apenas três estão de fato disputando a eleição, desde o início da campanha: Dilma, Marina e Aécio (este cada vez com menos chances de ir ao segundo turno, como se pode ver no post anterior). Os outros só fazem figuração. Todos os nanicos juntos registraram apenas 3% no último Ibope, quer dizer, estão fora do jogo, mas fazem de conta que a candidatura deles é para valer. “Eu eleito presidente da República…”, repetiu um deles à exaustão ao iniciar suas intervenções. E a gente finge que acredita.

Parece um disco quebrado. Qualquer que seja a questão, os três que buscam uma vaga no segundo turno dão um jeito de puxar o assunto para seus bordões: Dilma declama todas as realizações dos governos petistas e atribui todos os problemas da economia à crise internacional; Marina prega a reinvenção da política com um governo de união nacional, sem explicar como pretende fazer isso, e Aécio não consegue sair do discurso sobre todas as desgraças nacionais causadas pelo atual governo, sem deixar de falar das belezas promovidas por ele nas suas administrações em Minas Gerais. Ficamos nisso.

O resultado dessa chatice também foi medido pelo Ibope, que acabara de divulgar a nova pesquisa presidencial e registrou a audiência do debate: com 5% de média, a Bandeirantes ficou em quarto lugar. A cada ano, o interesse pelo programa _ e pela política _ diminui.

Vida que segue.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

28 thoughts on “Um triste debate sem vencedores; só perdemos nós

  1. Costumam culpar os candidatos mas é muito difícil alguém se destacar num formato tão engessado.
    Está já hora de algum canal se inspirar em outros modelos como o do TF1, na França, (http://youtu.be/Fhv1VVCRrJY) onde apenas dois candidatos debatem por vez e a contagem do tempo é feita de forma muito mais flexível.

  2. E’ verdade kotscho, mas quando não ha vencedor significa que DEU EMPATE e o empate favorece a quem tem MAIS PONTOS, no caso a Dilma do PT. Concordo que não vi vencedores, mas o que mais se comenta hoje, é que O MAIOR PERDEDOR FOI O AECIO do PSDB, pois ficou visivel o desconforto dele, ao ser questionado ainda nos bastidores do debate da Band, de que a Marina ja teria o deixado pra trás e aberto uma vantagem de 10 pontos. A verdade é que ATÉ MESMO O ELEITOR DAQUI DE SÃO PAULO, que vota no PSDB, ja percebeu pelo menos em relação a campanha presidencial, que o Aecio do PSDB PRECISA EXPLICAR o caso de denuncia de corrupção envolvendo a compra de terras do tio dele, que ele fez com o dinheiro do estado de minas quando era governador de lá; e que a Marina é uma opção para não votar na Dilma do PT sem que seja preciso votar no Aecio do PSDB. Esperemos que esses mesmos eleitores do PSDB daqui de São Paulo, tenham a mesma postura SENSATA COM RELAÇÃO AO ALCKMIN, de maneira que cobre dele também explicações sobre o TRENSALÃO, A FALTA D’AGUA, A NÃO TRANSFERENCIA DO MARCOLA DO PCC PARA UM PRESIDIO FEDERAL e etc. Em contrapartida Kotscho, o Skaf TEM SIDO MUITO ELOGIADO PELOS ESPECIALISTAS EM POLITICAS e PELA POPULAÇÃO, devido aos otimos desempenho nos programas do horario gratuito e também no DEBATE DE TERÇA FEIRA NO SBT. Tanto que o IBOPE JA SUBIU O SKAF na pesquisa de hoje.

  3. Estimado Kotsho,
    Não sei bem o que você esperava, mas, faz já um bom tempo que vemos, nos debates presidenciais, a repetição, a mesmice, o nada.
    Se me não falha a memória, lá se vão 25 anos, a BAND fez o primeiro debate pós-ditadura.
    Eram os idos de 1989.
    Para os brasileiros e brasileiras ansiosos pelas diretas, talvez tenha sido o maior IBOPE daquela emissora em rede nacional. Ontem não passaram de minguados cinco pontos percentuais de audiência sonolenta e desanimadora.
    É verdade que não dá para comparar climas tão diferentes: a saída da ditadura, a entrada na democracia, a primeira eleição direta presidencial….e uma safra política que tinha Covas, Brizola, Lula. Ulysses e Collor não compareceram.
    Olhando a partir dessa perspectiva, o que dizer?
    Há pouco a dizer.
    As lideranças políticas são menores e o debate repete as equações não solucionadas no âmbito da federação, da saúde, da educação; há de se considerar que em matéria de segurança pública e criminalidade a situação piorou a olhos vistos.
    Verdade que a inflação e a fome foram enfrentadas com relativo êxito.
    Curiosamente, esses foram os pontos mais abordados pelo debate da BAND em 1989.
    Quem não se lembra de Brizola, ao ser perguntado sobre qual seria o maior problema do Brasil, ter respondido: a fome, não a inflação!
    A mesma pergunta fora feita a todos os candidatos, que, exceto Brizola, responderam ser a inflação (à época, elevada, ao final do governo Sarney).
    Lula ainda é o único remanescente daquela geração.
    Infelizmente, como Ulysses, também cometeu o seu grave erro de avaliação, ao apostar em Dilma, sem considerar a mudança da conjuntura nacional.
    Lula tinha tudo para voltar com mais oito anos de mandato.
    Dilma tinha tudo para reconhecer sua limitação política, seu déficit de legitimidade, sua elevada rejeição, e comunicar a Lula este deveria retornar para impedir que, Lula e o PT fossem levados a uma derrota monumental, que pode significar a solução de continuidade de um projeto amadurecido desde os anos 80.
    Dilma, e a incapacidade de avaliação da mudança da conjuntura social, política e econômica pela cúpula petista, talvez até representem a chegada da Waterloo para o PT e Lula.
    A meu ver, ainda que o desgaste seja imenso, Dilma tem de ser substituída por Lula.
    A única forma de se preservar o legado de Lula e garantir mais oito anos na consolidação da democracia social brasileira.
    Ainda que me não agradem as pesquisas do IBOPE, os números são gigantescos.
    Prudencial é aguardar o próximo DATAFOLHA, que sai nos próximos dias; mas, sem Lula, a representante dos povos da floresta mixada aos senhores das finanças atravessou o seu Rubicão.
    Estimado Kotscho, ainda que cansado da sua longa e notável trajetória jornalística entre aqueles que honram o melhor jornalismo, nós aguardamos o seu segundo livro, para completar o excelente e belíssimo “Do golpe ao Planalto”, que guardo, com várias anotações, na minha modesta biblioteca, ao lado do “Castelo de Âmbar”, do Carta.
    Ao lado do Janio de Freitas, do Cony e do Rossi, você e Carta são os nossos maiores jornalistas; os valentes do jornalismo substancial.
    Não desanime, Kotscho.
    Você é um daqueles…”imprescindíveis”, de que Maiakovski falava.
    Cuide-se bem!

    1. Assisti ao debate , nada inovador; porém não é necessário que os candidatos nos mostrem a tristeza que está a situação em nosso país.Em todos os setores. Às vezes nos sentimos impotentes ante tanta corrupção e desmandos.Pobre juventude.Pobre idosos.Pobre Brasil.Quem realmente trabalha e respeita as leis desta nação fica sem saber para que lado ir.
      Uma coisa desejo do fundo do meu coração que este PT seja banido para todo sempre. Que Deus nos ilumine no dia 5/10/2014. Professora Lúcia

  4. Engano seu Kotsho,quem mais perdeu foi a Dilma do Selfie,os números estão aí,inflação alta,juros alto,crescimento a beira da recessão,saúde,segurança,educação péssimas,uma hora a conta ia chegar e vai ser logo.Dilma não estava nada tranquila no debate de ontem a serenidade passou longe e o constrangimento claramente vísivel,foram só desculpas que não colam mais.Dia 1º de Janeiro o PT desce a rampa do planalto para nunca mais subir,que leve seus aliados Collor,Sarney e Renan Calheiros juntos.

    1. Sobem a rampa pessoas como Bornhausen, FHC,José Serra, Heráclito Fortes….., políticas como o neoliberalismo, e o estado mínimo com impostos Máximo,….empresas como Globo,Veja,Itaú Natura….Já vi esse filme, pior que já repetiu varias vezes no passado. A vítima é o povo, que paga com emprego renda…..

  5. Eu gostei! Desde o trágico acidente de avião, me emocionei como todo brasileiro que via no candidato, um futuro promissor para 2018. Reconsiderei meu direito de não votar nulo. Ali até a chegada da madrugada, pude avaliar a dificuldade que a lei eleitoral proporciona aos candidatos de tempo disponível para exaltar suas promessas e suas utopias. Alguns não avaliam o que é ser presidente da República. O tempo de cada um, comprovou que todos ganharam. Até o telespectador quero crer. Respeito seu desapreço pelos rascunhos anotados prezado Ricardo. Deu para avaliar que realmente um fato novo ocorreu. As cartas que estavam marcadas anteriormente ao infausto acidente, desmancharam-se como num castelo de baralho. O Ibope aponta grandes emoções para os próximos dias. Que alegria ver o tucano em terceiro lugar. Que alegria ver o tucano excluído da disputa, se houver…

  6. Kotcho, parece que os coxinhas fritaram Aécio, e a sangria deve continuar depois da promessa de não acabar com o bolsa familia (coxinha tem ojeriza ao bolsa “esmola” dado aos vagabundos com o suor do “seu” trabalho). Vamos aguardar a posição de Marina a respeito desse assunto.

  7. …”acalmai irmão, pois, na glória, tudo cessará” ( palavras do meu amigo Pastor Cabrera ), e eu digo: ” relaxai irmão pois, como a tempestade, logologo passará. Ricardo, nada está fora do script de uma democracia como a nossa, com a elite que temos, agora com o coitado do Xico Mendes no seu rol de acordo com a irmã Marina ( kkkk), nem mesmo estes inúteis debates. O x da questão é que a máfia financeira internacional, já vaticinou que quer o poder no Brasil a qualquer custo, o PT foi longe demais, ao tomar-lhe o poder por 12 anos e dá-lo ao povo brasileiro, isto foi uma afronta aos seculares donos do mundo.Com a crise internacional, não esta fácil avida destes vagabundos.Quando pedem regras claras na economia, querem dizer:Queremos as chaves do Banco Central, só isto, pois, assim falou Zé de Tustra meu amigo de boteco: Quer ser dono de uma nação ??? Escravizar o seu povo??? Tome posse de seu Banco Central ( O Zé é o cara mais sábio que eu conheço ). Objetivamente, o PT, tem hoje um capital que ninguém lhe tira, o de ser uma referência de governo para o povo. Perdendo uma eleição sempre estará disputando o primeiro lugar na seguinte. Há mais ou menos um ano atrás, aqui mesmo, eu defendia que o PT deveria “criar” um “petista” opositor para vencer a eleição em 2018, e citei o Dudú como o ideal para este papel. Infelizmente se apressou, e o abateram, quem sabe, por notarem esta artimanha. A próxima a ser abatida é a pobre da Marina, se eleita e não seguir a cartilha da casa grande nacional e internacional, será obrigada a renunciar, ou, em último caso, morrer com uma infecção generalizada, ou uma virose florestal, ela é tão fragilzinha, não é ??? ÊÊÊÊ mundão véi discuncertado !!! Né não Pardalzim ??? Bão mesmo, é refogado de cambuquira !!!…ia terminar sem colocar o que me disse o Troféu, antes de tomar uma talargada de cachaça: ” Dotô…estes mesmos vagabundos que estão querendo a coitada da Marina, serão os mesmos que irão para as ruas, o ano que vem, pedindo sua renúncia”

    1. SENHOR EVERALRO,que *pobre,que coitada da Marina o quê…*
      “Pobre de nós,coitados de nós que seremos abatidos,decapitados,vitimados…só pra variar.”

    2. Prezado Everaldo
      Parabéns pelo seu brilhante comentário. Hoje mesmo conversando este assunto com minha filha, cheguei a essa mesma conclusão que você expôs tão claramente, em seu texto.

  8. Console-se,Kotscho, podia ser pior. O debate fosse na Globo, mediado por Bonner,que faria perguntas,responderia,tudo ao mesmo tempo,observado ao longe por Patricia Poeta,usando ambas as mão e alternando o uso dos dedos em direção aos candidatos de acordo com sua preferência.

  9. “Olha Ricardo,confesso que não assisti *de cabo a rabo o debate*,quando entravam os nanicos eu mudava de emissora,deixava passar alguns minutinhos,então retornava.”
    Inegavelmente *o negócio estava mais para frio do que para morno*,agora *EU*(estou escrevendo *EU*,respeito as opiniões contrárias)achei *um tostãozinho a SRA.MARINA,melhor que os outros,isto é,dentro daquilo que perguntaram a *ela*.
    Agora é *aquilo de sempre*:todos SEM EXCEÇÃO prometendo mundos e fundos,aqueles que não conseguiram fazer quase nada dentro dos seus mandatos,para serem reeleitos voltaram a *prometer tudo de novo*.
    “Agora sinceramente *EU* não esperava que a SRA.MARINA,fosse ultrapassar o SR.AÉCIO NEVES,pelo menos até o presente momento.”
    …olha a morte do SR.ROBERTO CAMPOS deu uma alavancada na SRA.MARINA,vamos ver se essa SENHORA consegue *levar o samba, dela até o final.
    “EU” achei a SRA.DILMA meio nervosa,meio enrolada,na minha opinião *ELA* não estava nada a vontade,os *nanicos não tinham o que ganhar e muito mais o que perder*,o Sr.AÉCIO estava *perdidinho*,e a SRA.DILMA completamente nervosa e enrolada.

  10. Sim, o debate não trouxe novidade.
    Dilma defendendo o seu governo e argumentando que pode continuar a fazer a mudança já em marcha, com aliados e tudo. Mas prometendo trazer o povão para o governo através de instrumentos de participação popular.
    Aécio mostrando que não é louco, que tem um projeto, o neoliberalismo e Fraga na manga.
    Marina afirmando que é Marina, proferindo generalidades, dizendo que governará com os melhores do PT e do PSDB. É a reconciliação do universo, a realização da esperança cantada pelo profeta Isaías há 28 séculos atrás: “o lobo e cordeiro pastarão juntos”.
    A Luciana Genro restabelecendo o fla-flu entre os trabalhadores e o capital. Os demais, vê-los foi divertido.
    Política, enfim.
    E o ilustre blogueiro dizendo que está de saco cheio e, no fundo, dando a entender que está gostando cada vez menos de política.

  11. “A SENHORA LUCIANA GENRO,fala mal do capitalismo,das pessoas ricas ou mais menos, etc…etc…*mas vocês não viram o baita do celular(eu sei lá o que era aquilo)coisa de primeiríssima qualidade.” É uma contradição a conduta dela,aquelas luzes que ela mandou fazer no *tonhonhon dela*,não custa barato…é ruim hem!!!!!!

    1. Ué e o que tem haver desenvolvimento tecnológico com sistema de governo? A China é um país comunistae e desfruta de tecnologia de útlima geração.

  12. Todos os presidenciáveis vieram com um texto pronto. A Srª. Dilma percebe que há ameaça ao seu reinado pela princesa Marina e discorre das transformações positivas – e diga-se de passagem, que só ela vê- dos oito anos do reizinho Lula e dos quatro de seu desastre que vive escorada nas obras do seu antecessor. O Aécio demonstra, como diz a Marina, só vive de ataques à gestão petista que, por sua vez, lembra do reinado do belo reinado de FHC (estou sendo irônico). A Marina passa um sonho, utópico, de uma nova forma de fazer política e de governar, e com esta fantasia pleiteia conseguir a coroa. A Srª. Luciana Genro lembra aquelas primas que querem a coroa a qualquer custo, deixando claro que estudou tudo a respeito do Reino, porém não é reconhecida pelos súditos. Os demais são bobos da corte que rendo aparecer. No fringir dos ovos a Marina e Luciana parecem mais preparadas, seguidas pela Dilma e Aécio. Os outros são.., são só os outros.

  13. triste que tenha candidatos tão vulgares e tenha a audacia de mostrar tanta vulgaridade, como aquele que despetivamente falou da magreza da Marina e o outro que falou que chegou a hor dele de bombardear os presidenciaveis. Concordo com o blogeiro que nada construtivo foi apresentado. Apenas uma sola intenção de falar mal uns dos outros, quem nesse ambiente quem não perdeu a serenidade foi a Marina. Nesse clima só permitiu escolher o menos pior

  14. A Marina está prometendo, se ganhar a eleição, juntar todos os trapos de todos os partidos para comandar este pais com a capacidade que cada um tenha. Entendo que é falta de gente dentro do seu partido iremos ser comandados com diversos presidentes e a Marina vai ficar no trono como se fosse uma rainha. E durma com um barulho desse.

  15. Marina é,como dizem, uma evangélica por conveniência pois se ela fosse mesmo uma religiosa não compactuaria com toda essas safadezas que estamos vendo aparecer nessa história fantástica do avião que vitimou Eduardo Campos e mais 6 pessoas. Agora ela esta dizendo que ignorava os fatos que estão aparecendo sobre o avião (Ué, não se aplica neste caso o tal domínio do fato?) Fosse mesmo uma evangélica ela teria outra atitude, mas o que estamos vendo é sua tentativa de empurrar o caso para debaixo do tapetão. Sinto muito, Dona Marina, mas a sra. não me convence nem como evangélica e muito menos como candidata competente ao mais alto cargo político desse país. Quanto ao debate, eram 6 contra Dilma mas apesar do “tiroteio” desproporcional, acho que ela se saiu muito bem e se defendeu muitíssimo bem.

  16. Kotscho, permita-me fugir do assunto do post, mas sem deixar de falar do assunto debate eleitoral, visto que as entrevistas do William “Faustão” Bonner têm se tornado verdadeiros debates, mas que “felizmente os candidatos não têm deixado que elas se tornem monologos”, como o “vamos conversar do Aecio Neves”, que ao que parece também é a vontade do Bonner, onde não deixa o entrevistado falar; pois quero falar da entrevista de ontem com a Marina no jornal Nacional. Meu, deu pra ver “a iferença de valores que alguns fazem sobre o que diz o Lula ou o PT, do que dizem os outros politicos”. Pois bem, “ninguém tinha duvidas de que quando o ibope ‘se viu obrigado’ a divulgar uma pesquisa onde a Marina ja deixava o Aecio comendo pó”, que a midia conservadora iria arrumar alguma coisa para ataca-la. Pois é, a Mariana do PSB ao ser amassada, espremida, torcida ou distorcida melhor dizendo; pelo Bonner, disse que “não sabia” sobre o caso da compra em nome de ‘laranjas’ do jatinho que caiu e vitimou o Eduardo Campos, mas que tudo ja estava sendo apurado pela policia federal ou pela justiça como queiram os eleitores da Marina. -E eu até acredito que a Marina realmente não sabia mesmo. Já, o Alckmin do PSDB também quando perguntado sobre a corrupção no metrô de São Paulo, o chamado trensalão, disse também, num desses “raros momentos que ele costuma prestar conta a sociedade”; que “não sabia” mas que tudo seria apurado. No entanto “até hoje os deputados estaduais do PSDB não deixaram abrir a CPI do trensalão na alesp”, e “pior”, o governador Alckmin “sequer demitiu o Zé Anibal, o Andreas Matarazzo e o Edson Aparecido; que foram denunciados como envolvidos no caso dessa corrupção no metrô”. Já no caso do Lula do PT, que foi quem “inaugurou a frase de: Eu não sabia”, a situação foi diferente, pois o Lula disse a seguinte frase “que a globo insiste em colocar apenas uma pequena parte dela”: “eu (Lula) não sabia sobre o mensalão, mas ‘tudo será apurado’ e os responsaveis serão punidos”. E foi o que aconteceu, pois até petistas famosos foram pra cadeia. Então a conclusão a que chegamos é que, mesmo “o PT ou o Lula cumprindo o que prometeu, e mesmo a Lei tendo feito justiça”, o “não sabia do Lula tem menos valor que o não sabia da Marina, que ainda não foi feito justiça; e pior, o não sabia do Lula tem valido menos do que o não sabia do Alckmin, que não vai ser feito justiça no que depender do PSDB e do ministerio publico de São Paulo”.

  17. Olá mestre Ricardo,

    eu também não gostei do debate.Os candidatos são fraquíssimos. Não esperava que o senhor Everaldo fosse tão fraco de idéias e de debate político. Ele pode ser bom para pregar o evangelho para seus seguidores, mas não leva a menor pina de estadista.

    Infelizmente, a Marina saiu-se melhor, com sua oratória concatenada, porém totalmente vazia. Não sei como é que ela consegue chamar tanta atenção dos racionais eleitores brasileiros do momento.

    A Dilma precisa falar mais com o coração e não ficar preocupada com o tempo cronometrado. Pois as pessoas gostam de uma fala sem erros de palavras e sem conexão. Pra quem já foi torturada pela terrível ditadura e continua sendo espancada pela mídia dia sim e outro também, não deve mostrar insegurança. Pareceu que ela estava com dificuldade de defender as façanhas positivas no campo econômico e social, promovidas pelo seu governo, além do governo Lula.

    Com todo respeito e humildade, nossa presidente candidata tem todo o respeito e respaldo na realidade do Brasil diante de um mundo cada vez mais perdido, responder com dignidade e objetividade aos ataques dos seus adversários. Felizmente, nem a oposição e muito menos a boa oratória da Marina não tem moral política e experiência para atacá-la.

    Por isso acredito na Dilma. Ela só precisa falar mais com o coração e de forma simples e direta. Até mesmo para não se perder nas longas frases, o raciocínio.

    Para quem não conhece a realidade do país, ao assistir o debate e as constantes falas de que o Brasil está praticamente morto, sem educação, segurança e saúde, os temas preferidos dos arqueiros, acaba acreditando que a Dilma é culpada por todas as desgraças existentes por aqui (Brasil).

    Entretanto, no quesito educação, nossa candidata (Dilma) pode deitar e rolar em cima dos seus concorrentes, até porque as melhores universidades do país são universidades federais e muito mais democráticas, com vários prédios construídos atualmente e sem cobrar um centavo de mensalidade como sempre pregam os defensores do Estado mínimo. Ela tem que lembrar isso toda vez que se falar em educação. Deve se sentir orgulhosa de saber que as melhores escolas de ensino médio do país são os colégios aplicativos, também federais. Portanto, de fato, a educação que não vai bem é a educação sob a responsabilidades dos governadores e prefeitos. Logo, a Dilma tem que cansar de externar esse exemplo. Aposto que os milhares de estudantes vão pensar e saber que é verdade, pois eles querem uma faculdade federal, de qualidade e sem pagar um centavo de mensalidade!

    Quanto o assunto for saúde, basta a Dilma agir diferente da fala boa sem nexo com a realidade da Marina, ao esmiuçar a discussão com informações de que saúde boa alcance com médio prazo (a longo prazo estaremos mortos), com a manutenção e expansão das faculdades de medicina nas universidades federais, com um programa como os mais médicos para atender as pessoas das periferias da grandes cidades e do Brasil, onde os médicos brasileiros bem colocados no mercado de trabalho evitam. Deve fazer uma observação prevenindo aos necessitados de cuidados médicos que os médicos cubanos, argentinos, portugueses, espanhóis e outros mais não tomar os clientes dos médicos brasileiros que chegam a cobrar até um salário mínimo por uma consulta de quarenta minutos.

    No tocante à economia, é só alegria. Pois somos a sétima economia do mundo, enquanto em 2002 ocupavamos a decima quinta posição. Hoje, somos o quarto destino dos investidores estrangeiros. Estamos em pleno emprego e com inflação controlada. Somo um dos mercados internos mais cobiçado do mundo.

    Sobre a Petrobrás, deve-se ter muio orgulho. Primeiro, ela é brasileira e não foi privatizada como queriam os tucanos em 2002. Hoje, é uma grande empresa com muitas reservas, muita tecnologia, valores de mercado. Os banqueiros, os empresários e investidores fazem de tudo pra ser os donos dela. Por isso, a empresa acima é tão atacada pelos jornalistas e pensadores do neoliberalismo.

    Depois, basta mostrar as incoerências da Marina com sua fala boa de escutar. Mostrar que o novo da Marina é só divagação, haja visto que ela usa as mesmas práticas que os demais usam. Sua própria candidatura foi viabilizada pelos métodos políticos de sempre. Quando a Dilma começar a cobrar explicações de como a candidata do psb fará na prática, aí vamos ver que a realidade é bem diferente.

    Abraços mestre Ricardo,

    Hélio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *