Orgia partidária é a falência do sistema político

Orgia partidária é a falência do sistema político

Alianças partidárias são feitas em democracias modernas no mundo todo para ganhar eleições e, mais do que isso, para poder governar com maioria parlamentar. No Brasil, também sempre foi assim, mas a forma escrachada como está acontecendo este ano é outra coisa: uma completa esculhambação, um verdadeiro deboche com os eleitores, a demonstrar à exaustão a falência do nosso sistema político.

Para Eduardo Paes, prefeito do Rio que já andou por vários partidos e está no PMDB, contrariado pelas alianças feitas por seu partido na eleição estadual, trata-se de um “bacanal”. Outro carioca, o líder verde Alfredo Sirkis, aliado de Marina Silva na Rede Sustentabilidade, desistiu de se candidatar nas eleições deste ano diante do que chamou de “suruba” nas alianças.

Não se trata de um fenômeno apenas carioca: a orgia partidária a que estamos assistindo nestes dias de Copa do Mundo, em que se definem as alianças para outubro, começa nas campanhas presidenciais e espalha-se por todos os Estados numa disputa insana em que as moedas de troca são o tempo de televisão e um cantinho no palanque.

Com um sistema partidário em que já desfilam mais de 30 siglas só poderia mesmo dar nisso. Depois que o antes renegado Paulo Maluf virou aliado preferencial do PT, chegamos a pensar que nada mais seria capaz de espantar os eleitores. Pois agora, estes partidos todos, que se nivelaram pelo rodapé, a cada dia se superam.

Só um exemplo tragicômico: o presidenciável Eduardo Campos, do PSB, que se apresentou na campanha como o arauto da “nova política”, fechou negócio com o PT no Rio e com o PSDB em São Paulo, justamente os dois principais partidos adversários na disputa pela Presidência da República.

Mesmo quem, como eu, vive de acompanhar e comentar a cena política fica completamente perdido com o que está acontecendo. Ao voltar das duas semanas em que fiquei fora do ar e longe do noticiário, após dar uma rápida olhada nos jornais, entendi porque um terço do eleitorado ainda não tem candidato ou já decidiu votar nulo ou em branco. O voto em ninguém, a três meses da eleição, está crescendo em vez de diminuir ao contrário do que aconteceu nas campanhas anteriores.

Da forma sem vergonha como as coisas estão acontecendo nas últimas negociações para a formação das alianças federais e estaduais, se o presidente eleito, seja quem for, não liderar o projeto de uma completa reforma política-eleitoral-partidária, logo nos seus primeiros meses de governo, nós vamos acabar desmoralizando a própria democracia.

A reforma política deveria ser o tema central em todos os debates, no pouco tempo que nos resta de campanha após a Copa no Brasil, mas quem se habilita a empunhar esta bandeira, se do jeito que está eles se elegem e reelegem, dando uma banana para os eleitores, como os vereadores de São Paulo, que vetaram o feriado na cidade na última segunda-feira e depois não foram trabalhar? Virou zona.

 

 

 

 

 

 

16 thoughts on “Orgia partidária é a falência do sistema político

  1. A única coerência na política brasileira é a aposentadoria do senador José Sarney. Lula com Henrique Meirelles, Dilma com Alfredo Nascimento que foi demitido por ela por denúncias de corrupção. Sarney é um exemplo de como se dar bem no poder. Sempre comendo pelas beiradas do Maranhão, do Amapá e na ARENA. Construiu grupo forte de punho pro que der e vier na lei da chantagem. Nunca se dispôs a disputar eleição por grande centro, pois como ex-presidente da república poderia se domiciliar eleitoralmente em um grande centro do país, mas como esnoba astúcia, ambição e faro de poder preferiu ficar na periferia e faturar alto nos centros urbanos. Sarney não foi a Lula que o chamou de ladrão. Lula presidente da república se aliou a Sarney e não o inverso. Mas Bel’Água é uma região no Estado do Maranhão considerada uma das mais miseráveis do globo terrestre. Maranhão que sempre esteve nas mãos dos Sarney. o Norte é eleitoralmente curral de aventureiros: Alfredo nascimento e Eduardo Braga no Amazonas, Sarney no Maranhão e no Amapá, Raupp e Casoy em Rondônia, Jucá em Roraima e por aí as listas se estendem… E os processos contra politicos que nunca são julgados? O que fazem os magistrados que não os julgam? Dão palestras na Europa viajando em primeira classe acompanhados de suas esposas para nós contribuintes pagarmos? Só vejo os tribunais de contas condenarem prefeitos de cidadezinhas, deputado de Rondônia… que fim deram nas investigações das obras da Delta? Cachoeira foi condenado, mas continua solto a dar seguimento aos negócios empresariais, Demóstenes torres, procurador de justice, continua a receber salários pagos por nós contribuintes… Demostenes e gilmar se encontraram casualmente em Berlim… Casualmente também gilmar relata processos contra demostenes… Essa é a política que fomenta o Estado moderno-contemporâneo… E suplicy troca dinhetinhos com gilmar…

    1. Gostei do “dinhetinhos…”, porém qual dos “suplicys” faz troca-troca com Gilmar? É o fim da picada: uma Suplicy afirmou tempos atrás que Maluf era funesto. Agora, outro Suplicy faz troca-troca com Gilmar. De contrariedade em contrariedade, vou acabar votando nulo. Nenhum, absolutamente nenhum candidato, a qualquer instância”, parece-me competente a convencer-me do contrário. A que ponto chegamos. Nenhum farol no horizonte negro de um oceano revolto de ondas perigosas.

  2. Prezado Kotscho: Orgia, bacanal, suruba, zona. Pelo visto o negócio é entrar com camisinha nas urnas nas próximas eleições que é pra não se dar mal.

  3. Precisa ver a suruba esculhambada aqui em Minas Gerais. Estão fazendo um choque de gestão na tradição mineira e partindo para a pornografia política, nova modalidade dessa eleição. A última vítima é representada pelos apoiadores de Eduardo Campos; o partido foi vendido ao PSDB e agora perdeu a moral.

  4. Josias de Souza, 25/06:

    “Já estava entendido que o fechamento das coligações partidárias não engrandeceria ninguém. Mas Dilma Rousseff decidiu agravar o problema. Chantageada pelo PR, a presidente dobrou os joelhos. Com isso, além de não aumentar a própria estatura, ela rebaixou o teto.

    Para entregar a Dilma o seu tempo de propaganda eletrônica —coisa de 1min15s—o PR exigiu o escalpo do ministro Cesar Borges, dos Transportes. Seguindo aconselhamento de Lula e dos operadores do seu comitê eleitoral, com quem se reuniu na noite de terça, Dilma passou o pescoço do auxiliar na espada, enviando-o, rebaixado, para a Secretaria de Portos.

    No lugar de Borges, Dilma acomodou Paulo Sérgio Passos, um ex-ministro dos Transportes que o PR passou a considerar menos prejudicial aos seus patrióticos interesse$. Depois desse balé de elefantes, a coerência de Dilma passou a caber numa caixa de fósforos. Muita gente será incapaz de reconhecer honestidade de propósitos em Dilma. E ela talvez seja incapaz de demostrá-la.

    De resto, será difícil, muito difícil, dificílimo ouvir Dilma falando de ética e moral sem levar um sorriso ao canto dos lábios. Toda vez que a ex-gerentona vier à boca do palco para vociferar contra este ou aquele transgressor da moralidade, uma voz interior gritará para a consciência da plateia: ‘Fala sééério!”

    1. Povão, para o povão trabalhador, esquecido e explorado durante 500 anos pela elite itaquerosa, a ética que interessa a ele, é ver seus filhos nas universidades, é ter trabalho, é poder andar de avião, etec e o escambau, a DILMA não vez nada mais do que agir conforme a ética estabelecida por seus adversários, pelo teu nível de exigência o teu voto tem que ser anulado.

    2. Povão, que é Povão, jamais usaria alguém do UOL/Folha como referência depois do que mentiram sobre a Copa… Tente outra, paspalho!

    3. Jogaram tudo no fracasso desta Copa, e sabiam exatamente o que estavam fazendo. Sabiam que quando o Horário Eleitoral Gratuito (aquele que vale para todos os Partidos… diferentemente do que fazem pelo PSDB, o ano todo…) começasse a vigorar, seria vital que Dilma estivesse quase morta, bem abaixo da linha dos 30% de preferência do eleitorado. Colocaram, como vem fazendo já há algumas eleições, os interesses do PSDB (que são os seus interesses…) à frente do Brasil, da Nação. Pois como já rezava aquele velho ditado, o risco que corre o pau corre o machado. Não só estáo definitivamente desmoralizados (alguém conseguirá levar à sério as denúncias e críticas que virão sobre as Olimpíadas no Rio?) como perderam o rebolado… e isso independerá de quem seja a Seleção campeã. A luta que travaram contra Dilma, Lula e o PT foi na esfera da competência adminsitrativa; apostaram no fracasso da Copa, mentiram o tempo todo e agora faltarão línguas para lamber as feridas. Ainda que incidentes possam ocorrer – e a chance de que ocorram é razoável – uma coisa não se discute mais… a promessa de uma infra-estrutura compatível com a importância de uma Copa, prometida pelo Governo Federal para a Copa, foi entregue com louvor. E a administração de um País é basicamente isso, entregar o que prometeu. Ainda cabe uma análise final… quanto, afinal, custou essa Copa? Pelo que a gente vê hoje, é possível dizer que seu custo será zero e que existe boa chance de gerar superavit. É simplesmente impossível calcular, por exemplo, quantos turistas ficaram maravilhados com as vistas aéreas da Arena Amazonia (algumas simplesmente estonteantes…) e virão em grande número conhecer as maravilhas da Amazonia. Lula estava certo desde o início…

      PS – Alguma dúvida de que o donos de nossa grande Imprensa torcerão com fúria redobrada pela vitória da Argentina? O único problema disso é que fortalecerá Cristina… a mãe da Ley de Medios…

    4. Kotcho, os fatos acontecem numa velocidade espantosa, Enquanto Lula e Gilberto Carvalho abrem um flanco para que o criticos do governo baixem o cacete, vem o Aécio com uma declaração dessas:
      “suguem eles o maximo, depois venham para nosso lado”, o exercito dos 9000 (melhor, são 8998 pois dois estão presos) e alguns balaeiros vão ter muito trabalho para juntar os cacos.

  5. Infelizmente, Kotscho nossa grande Imprensa colabora com essa confusão, da mesma forma que tentaram criar o caos na Copa das Copas. Mentem descaradamente o tempo todo. Quando qualquer tipo de aliança ou coligação favorece o PT, aí é a zona; quando favorece o PSDB, a abordagem é diferente. Depois da Copa, todos os membros do PIG deveria ser refundados e, no mínimo, trocarem de nomes. Como será possível dar credibilidade para qualquer coisa que uma Folha/UOL, Globo, Estadão e outros canalhas menores repercutam depois da Copa? Só sendo muito otário mesmo…

  6. Uma notícia que entrou e saiu rapidamente do noticiário do PIG, Kotscho… A queda ES-PE-TA-CU-LAR do PIB americano no 1o Trimestre de 2014. Como haviam dado com grande espalhafato o CRES-CI-MEN-TO de 0,2 % do nosso, como uma prova definitiva da incompetência de Dilma (ainda no embalo do “fracasso” da Copa…), os números americanos (queda de 2,9%) soam como o tema musical do Fantasma da Ópera para quem quer ver – por aqui – TUDO, quanto pior melhor. Nem pesquisas eleitorais fazem mais… e quando voltarem a fazer, vão tomar um susto.

    http://exame.abril.com.br/economia/noticias/pib-dos-eua-cai-2-9-no-primeiro-trimestre-de-2014

  7. Como se não bastasse essas vergonhosas estipulias dos politicos à revelia de uma moral decente, agora os assessors parlamentares desses politicos estão enchendo o saco enviando mensagens querendo votos para seus parlamentares para continuarem nas mamatas. São muito caras de pau.
    Conheço o Estado do Maranhão e é inaceitável que significativa parcela da população viva em miséria. José sarney se aposentou depois de governar direta e indiretamente aquele Estado durante 59 anos. Torço para que Sarney viaje pelo Estado e veja a situação de miséria das pessoas que o mantiveram no poder durante tanto tempo e lhe proporcionaram vida luxuosa e de poder na república e lhe faça sentir vergonha de sua inércia, incompetência e desonestidade, pois ninguém tem o direito de prejudicar outrem. Que Sarney seja pai não somente para colocar os filhos na política à guise de sua ganância por poder, mas lhes desperate a solidariedade e o dever de cumprir com suas obrigações, pois ainda sua Roseane governa o maranhão vivendo na opolência na qual até a comida lhe é paga pelo contribuinte maranhense. E comida cara. A insensibilidade é cravada em dobro nas costas do contribuinte.

  8. Kotcho, ta ai um dos grandes temas nessa eleição, quem souber conduzi-lo sai na frente e pode ganha simpatia desse 30% ( os outros 60% são fla-flu) do eleitorado descrente dos politicos e da politica e que podem decidir a eleição.

  9. Se a DEMAGOGIA DA DEMOCRACIA partidaria, NÃO PERMITE que se freie ESSA IMORALIDADE de legendas; poderia ser feito uma no forma de distribuição de dinheiro publico para os partidos, CLASSIFICANDO OS PARTIDOS COMO SEGUIMENTOS IDEOLOGICOS DE: DIREITA, CENTRO E ESQUERDA; e ao invés de DAR DINHEIRO PUBLICO A CADA PARTIDO, dar o dinheiro EM PARTES IGUAIS PARA CADA SEGUIMENTO, e “cada seguimento dividisse o dinheiro entre os partidos membros do seguimento ao que participa. Ou seja: NO SEGUIMENTO DE DIREITA: O PSDB, O DEMO, O PP e o PSD DIVIDIRIAM A SUA PARTE DO DINHEIRO COM OUTROS PARTIDOS DE DIREITA; no segmento de CENTRO: O PMDB, O PTB E O PR, dividiriam a sua parte com outros partidos de centro; e O PT, O PSB, O PDT, O PC do B dividiriam a sua parte com outros partidos de esquerda. Talvez se os partidos sentissem que perdem DINHEIRO com novas legendas, finalmente aprovem leis para coibir essa IMORALIDADE de farra de legendas. elk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *