Aécio ainda não sabe o que e para quem falar

Aécio ainda não sabe o que e para quem falar

Leitores me escrevem perguntando por que não escrevo sobre Aécio Neves, o virtual candidato presidencial do PSDB, agora aparentemente livre da sombra de José Serra, e promovido a principal e única estrela do partido no último programa de propaganda eleitoral na televisão. Resposta: porque ele ainda não conseguiu criar um fato jornalístico que mereça destaque, capaz de oferecer um bom gancho para se comentar.

Ao longo do programa na TV, o candidato agora assumido, viaja de ônibus a vários pontos do País para conversar com eleitores, repetindo uma fórmula adotada pelo PT na campanha de Lula em 1994, com as “Caravanas da Cidadania”.

Embora já tenha dito várias vezes que não basta criticar o governo para ganhar o apoio dos eleitores, que é preciso apresentar novas propostas e esperanças, até aqui Aécio vem reprisando os discursos de Serra contra os desmandos dos governos petistas, estratégia que já não dera certo em 2002 e 2010, quando o ex-governador paulista foi derrotado por Lula e depois por Dilma por larga margem de votos.

Em tom mais ameno do que seu desafeto partidário, o senador mineiro não consegue dizer nada de novo, de diferente do que costuma tratar nos raros discursos que faz da tribuna.

No programa do PSDB, o candidato tucano criticou os rumos da economia, a falta de investimentos em infra-estrutura, as obras paralisadas e o paternalismo dos governos petistas, mas não foi muito além das constatações que podem ser feitas por qualquer líder da oposição ou porta-voz da mídia, sem dizer o que pretende colocar no lugar daquilo que para ele não presta na administração pública federal.

Aécio atira para todo lado, mas não consegue definir um alvo capaz de transformar suas falas em notícia de destaque. Não dá lead, não dá manchete, a exemplo do que acontecia com outro tucano notório, o ex-governador paulista Franco Montoro.

O grande desafio do candidato é saber o que e para quem quer falar. Em sua última coluna semanal na Folha, que ele vem dedicando integralmente a fazer campanha, o candidato falou da “rica experiência ao participar de um debate ao vivo na internet”.

Conversar com as pessoas é o principal mote da sua campanha até agora. “Foi uma conversa franca, na qual ficou claro que o diálogo com a população é um processo necessário, irreversível e saudável. E cada vez mais possível com os novos recursos tecnológicos”.

De fato, o recurso da internet é um meio a cada campanha mais utilizado para chegar ao eleitor sem ter que fazer longas viagens por este imenso País, mas a tecnologia é apenas um meio, um instrumento, um ônibus eletrônico.

O mais importante, tanto para os candidatos como para os profissionais de mídia, será sempre o conteúdo colocado nas diferentes plataformas _ e é aí exatamente que Aécio ainda não conseguiu encontrar uma forma para convencer o eleitor a votar nele para presidente.

Um exemplo disso é quando escreve: “Se é fato que a maioria reconhece as conquistas das últimas décadas, a percepção geral é a de que ainda não chegamos lá”. Lá aonde? Quais são as propostas do tucano para mudar “o cotidiano de um país estrangulado, injusto e desigual, com infraestrutura insuficiente e as mazelas de um governo cada vez mais intervencionista, pesado e pouco eficaz”.

Na hora de dizer o que pode ser feito para mudar este quadro, o candidato patina, como acontece nas pesquisas, em que ele não consegue sair do terceiro lugar, com cerca de um terço das intenções de voto que tem a presidente Dilma, candidata à reeleição.

Por mais que setores da mídia procurem ajudá-lo, fazendo cruzadas contra o PT e dando sugestões ao candidato, os próprios marqueteiros da sua campanha não botam muita fé na eficiência desta fórmula, como deixou claro o antropólogo Renato Pereira, um dos gurus de Aécio, em entrevista à Folha:

“Não creio que o mensalão tenha muito impacto, assim como já não teve no passado (…) Acho que tem uma sobrevalorização enorme em relação a isso. Na minha opinião, não é um tema particularmente relevante para o eleitor”.

Renato Pereira e sua equipe têm pela frente a difícil missão de descobrir qual tema poderá impactar o eleitor em 2014 numa campanha propositiva, que não acabe descambando para questões como a liberação ou não do aborto, levantadas por José Serra na última eleição.

A um ano e pouco da eleição, o quadro sucessório ainda está indefinido, sem se saber se Marina Silva, a segunda colocada em todas as pesquisas, conseguirá registrar a tempo a sua Rede para concorrer à Presidência da República, nem se Eduardo Campos levará mesmo adiante até o fim o seu voo solo pelo PSB.

É possível que, mais uma vez, a disputa se resuma ao eterno Fla-Flu de petistas e tucanos que tem dominado a cena eleitoral nas últimas duas décadas.

O certo é que o ex-governador mineiro Aécio Neves, um cara do bem com quem sempre tive as melhores relações pessoais, ainda não encontrou seu espaço para consolidar uma candidatura de oposição realmente competitiva, que não jogue só nos erros e malfeitos do adversário, mas diga claramente ao eleitor o que pode e precisa ser feito para melhorar a sua vida. Afinal, este é o objetivo de qualquer governo e o eixo de qualquer campanha.

 

 

 

 

 

 

 

66 thoughts on “Aécio ainda não sabe o que e para quem falar

  1. Respeito a sua posição e sua avaliação sobre o Aécio Neves, ele de fato pode ser uma pessoa do bem, mas não é um político do bem. Ele implantou o choque de gestão no Estado de Minas, mas até hoje o dinheiro não foi aplicado em lugar nenhum. Durante o governo dele foi criada uma lei anticonstitucional, que efetivou centenas de funcionários, alguns inclusive sem formação necessária para ocupar cargos no qual estavam, tudo isso em uma manobra política para se reeleger. A educação de Minas hoje é mais do que sucateada, sem contar os demais serviços, como saúde e segurança, pois temos dados nitidamente maquiados. A impressa mineira é mais do que comprada e nenhuma notícia que deprecie o governo Aécio pode ser publicada. Enfim, torço com todas as forças possíveis para que esse senhor nunca chegue à presidência, para não frear o país que vem crescendo (mesmo que a trancos e barrancos) sem a gestão do PSDB.

  2. “No programa do PSDB, o candidato tucano criticou os rumos da economia, a falta de investimentos em infra-estrutura, as obras paralisadas e o paternalismo dos governos petistas, mas não foi muito além das constatações que podem ser feitas por qualquer líder da oposição ou porta-voz da mídia, sem dizer o que pretende colocar no lugar daquilo que para ele não presta na administração pública federal.”

    Ora e ainda assim você acha que ele não disse o que quer? Ele quer menos paternalismo, investimentos em áreas de verdade (não só em propagandas) e que façam o Brasil destravar e seguir um caminho de crescimento real, grande e não como se tivesse travado puxando um elefante enquanto tenta caminha a estrada do desenvolvimento, esse elefante se chama ESTADO GIGANTE, coisa de governos populistas ligados a uma farsa como o PT…. Que pela mentirada e falta de acesso a informação (sem contar os cegos ideológicos e a informação comprada nas redes e algumas tvs) da população e pelas mentiras contadas deve ganhar, mas sempre só no segundo turno, nunca repetindo as vitórias de FHC.

  3. Já que optou por uma caravana, que não refugue no teste do Bafômetro (créditos pro Pedro Rocha). Kotscho, magnifico texto. Mas permita-me uma divagação (A), e duas perguntas (B e C): (A) Aécio é do bem, como também o é o demônio, com nos convence, de forma cabal e inapelável, o discurso do personagem de Al Paccino no magistral “O Advogado do Diabo”. (B) Como pode ser do bem o atual expoente do partido cuja tônica administrativa é doar ao “Mercado”, a preço de banana, o patromônio e as riquezas do povo pobre, sofrido e injustiçado deste país, conforme denunciado nos livros “A Privataria Tucana” e o “Principe da Privataria” ? Kotscho, Aécio é do bem. FHC e Alckmin são do bem. Gilmar Mendes, Luiz Fux e Joaquim Barbosa são do bem. Então, pergunto (C): quem nos protegerá do Bem ? Durmamos com um barulho desses !!!! Abração a todos do Balaio.

  4. TJMG “simula” extinção de processo, mas Aécio continua réu
    Após manobra, assessoria de Aécio distribuiu falsa notícia sobre extinção de processo em que o senador é acusado por desvio de R$ 4,3 bilhões

    Após o julgamento dos Embargos de Declaração apresentado por Aécio Neves no Agravo que lhe fora desfavorável na Ação Civil Pública que atribuía ao mesmo o desvio de R$ 4,3 bilhões da área da saúde durante seu mandato de Governador de Minas, Novojornal passou a buscar sem sucesso o Acórdão da decisão, uma vez que, segundo juristas que presenciaram o julgamento, o noticiado pela imprensa com base nas informações da assessoria de Aécio Neves, não correspondia à verdade.

    Só quase trinta dias depois, nossa reportagem teve acesso ao Acórdão e constatou que sem dúvida alguma, Minas Gerais e seus Poderes encontram-se na pior quadra de sua história. É desconcertante constatar que acabou até mesmo o pudor entre a elite, permitindo que os desembargadores da 8ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, em julgamento de uma ação que visa apurar o responsável pelo desvio de R$ 4,3 bilhões da área da saúde no Estado, transformassem o julgamento em peça de marketing político.

    Os desembargadores, após negarem no agravo a extinção do processo o que gerou enorme repercussão na mídia nacional, criaram um factóide jurídico para ser explorado pela assessoria de imprensa do senador Aécio Neves na propagação de uma mentira na tentativa de neutralizar o grande clamor público contra o ato atribuído ao senador quando governador de Minas Gerais.

    No dia 25 de Agosto passado, a imprensa nacional divulgou com enorme destaque: “TJMG anula ação contra Aécio na área de saúde”. As diversas matérias informavam que a decisão teria posto fim a um processo em tramitação no Tribunal de Justiça de Minas Gerais e que anteriormente já havia negado recurso do pré-candidato tucano à Presidência, senador Aécio Neves, que pedia extinção da ação na qual ele é acusado de improbidade administrativa por não ter aplicado em saúde o mínimo previsto na Constituição de 2003 a 2008, quando governava o Estado.

    Na Ação Civil Pública, Aécio é acusado de ter incluído na prestação de contas do governo de maneira fraudulenta, gastos de mais de R$ 4,3 bilhões como se aplicados em saneamento na Companhia de Saneamento de Minas (Copasa).

    Na ação do Ministério Público (MP) é questionado o destino de R$ 4,3 bilhões que teriam sido declarados na lei orçamentária como dinheiro repassado à Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) para investimentos em obras de saneamento básico. De acordo com a promotora Joseli Ramos Pontes, o repasse do dinheiro não foi comprovado.

    Sob a grave acusação de desvio de R$ 4,3 bilhões do orçamento do Estado de Minas Gerais e que deveriam ser aplicados na saúde pública, a administração Aécio Neves/Antônio Anastasia (PSDB) – respectivamente ex e atual governador mineiro – tentou explicar na Justiça Estadual qual o destino da bilionária quantia que alega, teria sido investida em saneamento básico pela Copasa entre 2003 a 2009.

    Dos R$ 4,3 bilhões desviados, R$ 3,3 bilhões constam da ação do MPE, que são recursos supostamente transferidos pelo governo estadual (maior acionista da Copasa) para investimento em saneamento básico, na rubrica saúde, conforme determina a lei, entre 2003 e 2008. Como a Justiça negou a liminar solicitada pela promotoria para que fossem interrompidas as supostas transferências, a sangria no orçamento do Estado não foi estancada.

    De acordo com demonstrativos oficiais da Secretaria de Estado da Fazenda, somente em 2009 a Copasa recebeu mais de R$ 1,017 bilhões do governo Aécio/Anastasia para serem aplicados em ações e serviços públicos de saúde para cumprimento da Emenda Constitucional nº 29/2000, à qual os estados e municípios estão submetidos, devendo cumpri-la em suas mínimas determinações, como, por exemplo, a aplicação de 12% do orçamento em saúde pública (a partir de 2004), considerada a sua gratuidade e universalidade. Em 2003 a determinação era que se aplicasse o mínimo de10% da arrecadação.

    Da mesma forma que não se sabe o destino dos R$ 3,3 bilhões questionados pelo MPE, também não se sabe onde foi parar esses R$ 1,017 bilhões supostamente transferidos para a Copasa em 2009.

    A análise pelo MPE das prestações de contas do governo estadual iniciou-se em 2007, quando os promotores Josely Ramos Ponte, Eduardo Nepomuceno de Sousa e João Medeiros Silva Neto ficaram alerta com os questionamentos e recomendações apresentadas nos relatórios técnicos da Comissão de Acompanhamento da Execução Orçamentária (CAEO), órgão do Tribunal de Contas do Estado (TCE), desde a primeira prestação de contas do governo Aécio. Chamou-lhes a atenção, também, o crescimento, ano a ano, a partir de 2003, das transferências de recursos à Copasa para aplicação em saneamento e esgotamento sanitário.

    Os promotores Josely Ramos, Eduardo Nepomuceno e João Medeiros querem que a administração do governo de Minas e da Copasa, conduzida na gestão Aécio Neves/Anastasia, devolva ao Fundo Estadual de Saúde os R$ 3,3 bilhões que é objeto da Ação Civil Pública que tramita na 5ª Vara da Fazenda Pública Estadual e que segundo eles podem ter sido desviados da saúde pública.

    No pedido de liminar na ação na 5ª Vara da Fazenda Pública, os promotores solicitaram à Justiça que:

    “seja julgado procedente o pedido, com lastro preferencial na metodologia dos cálculos apresentados pelo Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, para condenar os réus, solidariamente ou não, à devolução de todos os valores transferidos à COPASA do orçamento vinculado às ações e serviços de saúde que não foram utilizados em saneamento básico entre os anos de 2003 e 2008, totalizando R$ 3.387.063.363,00 (três bilhões, trezentos e oitenta e sete milhões, sessenta e três mil e trezentos e sessenta e três reais), a serem depositados no Fundo Estadual de Saúde.”

    O MPE requereu às instituições as provas que pudessem revelar como foram aplicados os recursos públicos constantes das prestações de contas do Executivo e nos demonstrativos financeiros da empresa. O que os promotores constataram foi outra coisa ao analisarem os pareceres das auditorias externas realizadas durante esse período:

    “Além disto, as empresas que realizaram auditoria externa na COPASA, durante o período de 2002 a 2008, não detectaram nos demonstrativos financeiros da empresa os recursos públicos que deveriam ser destinados a ações e serviços da saúde.”

    As discrepâncias contidas nas prestações de contas do Estado levaram os promotores a consultar a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), à qual a Copasa deve apresentar seus demonstrativos financeiros e balanços anuais.

    Em sua resposta à consulta, a CVM respondeu ao Ministério Público por ofício que “após análise de toda a documentação, não foram encontrados evidências da transferência de recursos da saúde pública para investimentos da COPASA, nos termos da Lei Orçamentária do Estado de Minas Gerais e na respectiva prestação de contas do Estado de Minas Gerais, conforme mencionado na consulta realizada por esta Promotoria de Justiça”.

    Na página 26 das 30 que compõem a ação, os promotores afirmam o seguinte sobre a ausência das autoridades convocadas para prestar esclarecimentos sobre o assunto:

    “Ressalte-se que a COPASA recusou-se a prestar informações ao Ministério Público sobre os fatos aqui explicitados. Notificado a comparecer na Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde, seu Presidente apresentou justificativa na data marcada e não compareceu”.

    “A Contadora Geral do Estado também notificada a prestar esclarecimentos, na condição de técnica que assina a Prestação de Contas, também apresentou justificativa pífia e não compareceu na data marcada”.

    “Finalmente, a Auditora Geral do Estado, que também assina as Prestações de Contas do Estado, que poderia e até deveria colaborar com a investigação, arvorou-se da condição de servidora com status de Secretário de Estado, por força de dispositivo não aplicável à espécie, contido em lei delegada estadual (sic) e não apresentou qualquer esclarecimento ao Ministério Público.”

    Como o juiz da 5ª Vara da Fazenda Pública estadual do TJMG, em setembro de 2012 determinara que as partes especificassem as provas que pretendiam produzir para proceder ao julgamento e sem qualquer defesa diante das incontestáveis provas dos crimes praticados apresentadas pelo Ministério Público, utilizando-se de uma artimanha considerada “despudorada”, Aécio deixou de lado sua defesa em relação aos crimes que tinha cometido passando a defender a tese de que seria competência exclusiva do Procurador Geral de Justiça o ajuizamento da ação contra Governador do Estado.

    A negativa do TJMG ao Agrava que pedia a extinção do processo com base nesta “tese”, que tivera enorme repercussão na mídia nacional, fundamentara-se no fato que na data do ajuizamento da Ação, Aécio Neves já não era mais governador, quem exercia o cargo era seu sucessor Antonio Anastasia.

    Segundo fontes do TJMG, após a decisão, capitaneada pelo presidente do tribunal, ardoroso cabo eleitoral de Aécio, procurou-se uma solução que além de retardar o julgamento da Ação Civil Pública criasse um “clima”, favorável para a imagem do Senador. Sem qualquer fundamentação jurídica sua defesa apresentou os conhecidos “embargos declaratórios”. É necessário que destaque-se, para surpresa da grande maioria de Desembargadores do TJMG, que não concordam com a exposição do tribunal, foi concedido ao mesmo “efeito infringente”, modificando a decisão, sem sequer julgar o mérito da ação.

    Segundo fontes do tribunal isto ocorreu devido à quantidade de provas do desvio de R$ 4,3 bilhões, constantes da Ação Civil Pública. Voltando atrás no que já haviam decidido inclusive em relação ao fato de Aécio quando do ajuizamento da ação já tivera deixado o governo de Minas, os desembargadores aceitaram a tese de que só o Procurador Geral poderia ter proposto a mesma, determinando fosse notificado o Procurador de Justiça, função e cargo de escolha e indicação do Governador Anastasia para pronunciar-se se referendava ou não a ação proposta.

    A falta de pudor é tamanha que mesmo antes do Procurador pronunciar-se a assessoria de Aécio Neves noticiou que a ação havia sido extinta. Não existe explicação para certeza da subserviência do Procurador Geral de Justiça ao que interessa o Poder Executivo.

    Hoje se sabe que esta decisão teria sido o motivo do “sigilo”, imposto ao acórdão, uma vez que o mesmo não tem qualquer efeito prático a não ser como informado anteriormente, servir de factóide para embasar a falsa notícia de que a Ação Civil Pública havia sido extinta.

    É esperada para os próximos dias a apresentação de um recurso contra esta “engraçada”, decisão pela Procuradoria de Direitos Difusos.

    Ao contrário do noticiado, Aécio Neves continua réu na Ação Civil Pública que o acusa de ter desviado R$ 4,3 bilhões de recursos da área de saúde no período que governou Minas Gerais.

    Documento que fundamenta a matéria:

    Cópia do Acórdão proferido nos Embargos de Declaração-Cv Nº 1.0024.10.244832-1/002.

  5. Glenda, por onde andas (quais blogs) que não aparece mais vezes pra presentear-nos com textos estupendos como esse de 15h30 ? Morei 9 anos em BH e assino embaixo. Beijão, Glenda.

  6. Duas correções em meu texto de 16h02: linha 3 – ConFORME nos convence, de forma . . . . linha 5 – cuja tônica administrativa é VENDER ao “Mercado” . . .

  7. O povo não elege um candidato por conversa pura e simples, este processo não dá certo. O povo elege um candidato pelo seu passado de TRABALHO de realizações papáveis quando governou. O Lula foi reeleito pelo seu trabalho como presidente reerguendo uma nação desmilinguida, mal dss pernas, á beira do precipicio da falencia, embora tenha enormes potenciais recursos naturais. O governador mineiro embora tenha um passado familiar honrroso não realizou grandes coisas quando governou Minas que tem tambem enorme potencial em recursos naturais. Lamentável, eles tiveram grandes chances mas não souberam aproveitar. Então, terão que amargar mais uma rodada de governo PTista de 4 anos. Novas chances não serão fáceis porque como vão mostrar serviço se quando governaram não fizeram um bom trabalho?

  8. Kotscho, e o Governador Eduardo Campos? Agora é candidato?

    Hum, qto ao Aécio, sou paulista e confesso não conhecer a fundo a administração dele como goverador de Minas. mas os índices educacionais de Minas cresceram e mto. isso é fato, só precurar os dados no MEC.
    Vejo o com boa vontade e disposição de lutar. E era o que faltava ao PSDB, alguém que queira lutar… não distruir o adversário( quem pensa assim é o PT ).

    Vamos pra eleição e vamos debater e criar condições melhores que as atuais.

    Abs

  9. Boatos e mais boatos, só isso que vcs tem contra Aécio. Enquanto que o atual governo está repleto de sujeira e corrupção. só não vê quem não quer. e vocês ai defendendo essa barbaridade. Aécio deu um passo importante ao chamar os brasileiros para conversar, não se governa surdo aos anseios da população. Em 2014 veremos!!

  10. Naquele programa do PSDB com o Aecio viajando pelas estradas do Brasil, deixou a seguinte pergunta: Será que ele percebeu, que os pedagios nas estradas federais do governo do PT custa quase 10 vezes menos que os pedagios aqui em São Paulo nas rodovias do PSDB? Mas politico em campanha, faz “Romaria” em tudo quanto é lugar. Até candidato ateu vai à “Aparecida”. Eh’ fica dificil falar de politica e do Aecio Neves, enquanto ele não apresentar um plano de governo alternativo ao da Dilma e do PT. Então vou falar de “musica”. O mineiro Aecio foi ao Rock in Rio. Será que ele também curte o Skank? Ou não era dia do Skank quando ele foi? Eu não sou de minas, mas curto os sons mineiros, do Jota Quest. A gente tem tanto partido no Brasil, que é capaz de confundir CPM22 com PR-22. Curiosamente nessa epoca de manifestações por todo Brasil, não veio o U2, do domingo Sangrento. E’ mas também o Aecio não deve ter ido de onibus, assim como o tirica não vai para o congresso escondendo a cara. Agora, foi tanta mistura nesse Rock in Rio, que tinha espaço até para o Roque do Silvio Santos. Não tinha Guns and Roses, mas tinha o Samuel Rosa fazendo indagação sobre a maconha, e a Beyoncê cantando levantou poeira da Ivete Sangalo. E ninguém lembrou da passagem do Papa para cantar aquela do Engenheiros do Avaí, porque o Papa Francisco é o mais pop dos papas. Espero que quando fizerem uma cidade do Rock lá em ninas, que não precisa ser tão cara como a cidade administrativa que o Aecio fez, eles chamem mais roqueiros, pois o rock está sem espaço na midia; e o mineirão que também custou uma fortuna, não pode ser usado outra coisa que não o futebol. Tudo bem que não cantaram: pra não dizer que não falei das flores, do Geraldo Wandré, porque poderia soar como campanha do PT; mas será que não cantaram coração de estudante, porque acharam que era show de sertanejo universitario? Eh’ O Rock in rio não foi também rebelde e revolucionario como o nome sugere. Então finalizo com um trecho da musica Romaria do Renato Teixeira: “” E’ de sonho e de pó… O destino de um só… Feito eu perdido em pensamento sobre o meu cavalo. Me disseram porém, que eu viesse aqui, pra pedir em Romaria e prece paz nos meus desaventos. Como eu não sei rezar, vim aqui pra mostrar meu olhar, meu olhar, meu olhar… Sou caipira… pirapora nossa! Senhora de Aparecido ilumina mina escura e funda o trem da minha vida.””

  11. Esse cidadão deixou a desejar em Minas, exemplo policia civil acabada, já passou algumas reportagens recentes na televisão, Anastasia também não melhorou nada.

  12. Kotscho, aproveitando o “gancho” do Enio 15h25, gostaria de saudar o discurso de nossa impecável Presidenta Dilma Rousssef na ONU: “Espionagem entre nações é inadmissível, sobretudo entre nações AMIGAS.” Que MAGISTRAL bofetada na “lata” dos ordinários que manejam, de forma irresponsável e abjeta, as cordas do bonequinho Obama. !!!! Parabéns e obrigado, Presidenta, pela forma irrepreensível com que vem honrando meu voto.

  13. Divaldo, meu amigo, que texto preciso e definitivo esse seu (17h46) !!! Vai calar até o mais incurável e obsessivo anti-PT do Balaio. Parabéns !!!! (O Balaio decolou rumo às estrelas. É um texto melhor que o outro. Ninguém segura !!! Né não, Everaldo ???)

  14. …com o Aecim ( pinga ni mim ) como candidato, a oposição mais do que prova que não leva o Brasil a sério. Eles não conseguem ver que os tempos são outros, o nosso povo conhece nova alternativa que esta dando certo e, não vai trocá-la por um aecim qualquer. É preciso ser muito cabeça de bagre para apostar nesta furada.

  15. “alguém que queira lutar… não distruir o adversário ( quem pensa assim é o PT ).” /// É mesmo, Sr Eduardo 18h02 ? E os adversários do PT, que pra ganhar eleição, vendem a mãe e não entregam ? Sr Eduardo, mas o Sr não acerta uma !!!!

  16. Kotscho, quebraste o galho do minerim postando uma foto antiga, pois suas recentes aparições na TV estão dando calafrios, tal é a aparência assustadora de seu semblante. Parece, até, que usaram botox vencido no Aecim. Tô exagerando, Everaldo ???

  17. Caro Kotscho
    Naquele programa nacional do PSDB o assunto mais comentado foi uma ultrapassagem na estrada da van que conduzia o candidato a um caminhão em faixa contínua. Coisa de bêbado mas considerada falta gravíssima nas leis de trânsito.
    Em relação ao conteúdo político, a um projeto alternativo de país, a alguma ideia nova que possa melhorar mais ainda a vida do cidadão brasileiro… NADA !!! Só choro, xingamento e lamúria de perdedor. Triste de um “caba” que bate nas casas das pessoas implorando para conversar e ninguém quer. Nem lhe dá a menor atenção.
    Depois de mais essa derrota anunciada,
    “O que será” do PSDB ???

    O que não tem conserto nem nunca terá
    O que não tem tamanho nem nunca terá
    O que não tem decência nem nunca terá
    O que não tem vergonha nem nunca terá
    O QUE NÃO TEM GOVERNO NEM NUNCA TERÁ …
    O que não faz sentido.

  18. E a polícia Federal prendendo petistas responsáveis pelo Fome Zero, será notícia aqui?
    Sim, companheiros (deles, vamos deixar isso claro) literalmente roubando comida de quem mais precisa.
    Eh, se isso é ser esquerda, tô fora!!!!

    Abs

  19. Aécio Neves acabou com a Educação em MG(dados divulgados não são verdadeiros).Acabou com a carreira dos educadores,com os quais “nunca quis conversar”, duramente perseguidos por ele e pelo atual governador. O Brasil não merece esta fraude pra presidente. E olha que eu era sua eleitora antigamente, até conhecer o grande mal que ele sempre foi e continua sendo pra Minas Gerais!!!

  20. Olá Kotscho.
    Gostaria que você comentasse a notícia de que a Dilma está pagando 10000 US dólares a diária para ficar em New York para a assembléia da ONU.
    Eu mesmo chequei o site do hotel e os preços são salgadíssimos. Eu quando viajo ao exterior procuro bons hotéis de rede e pago no máximo 200 US dólares para 3 pessoas (minha família). Por que a Dilma precisa de um quarto 50 vezes mais caro?

  21. Sr Eduardo 23h38, relaxe. Sendo ou não sendo verdadeiras as denúncias, ganhará a capa da próxima Veja, manchete de primeira página na Folha e Estadão e 2 semanas de chamadas no Jornal Nacional. Mas e essa nova denúncia de corrupção no governo Alckmin feita pela MULTINACIONAL SIEMMENS que extraí do “Blog da Cidadania” do Eduardo Guimarães, quem investigará ? Sr Eduardo, desisto: O Sr não acerta uma, mesmo !!!

    Siemmens insinua que governo Alckmin “acoberta” corrupção

    Enquanto as atenções se concentram no vai-não-vai do julgamento do mensalão e nas crescentes evidências de que o escândalo contra o PT vem sendo tratado com dureza incomum pela mídia nacional, pela Procuradoria Geral da República e pelo Supremo Tribunal Federal, outro escândalo, de dimensões bilionárias e repleto de evidências contra políticos, vai passando batido.

    Chegam a bilhões de reais as somas envolvidas em um esquema de corrupção que tornou o transporte público metroviário em São Paulo uma tortura diária para milhões de paulistanos que penam diariamente nos vagões do pior sistema de metrô do mundo em termos de superlotação.

    Para que se tenha uma ideia, a pequena rede metroviária paulistana (74,2 km2) transporta até 11 passageiros por metro quadro enquanto a recomendação internacional é de que não passem de 6. Por conta disso, segundo o jornal Folha de São Paulo o metrô paulistano é o mais superlotado do mundo.

    Em agosto, a revista IstoÉ denunciou que o escândalo de superfaturamento nas obras do metrô e na aquisição de trens se arrasta desde o governo Mario Covas, passando pelos governos José Serra e Geraldo Alckmin. Porém, as denúncias surgiram em 2008 e, desde então, o governo paulista, responsável pelo setor, não apenas não apurou nada como impediu investigações.

    A oposição ao governo Alckmin já pediu cinco CPIs e todas foram barradas por ordem expressa dele.

    O escândalo dos trens paulistas envolve empresas como a francesa Alstom e a alemã Siemens, entre outras. Um dos casos mais impressionantes vem de 2009, um ano após as primeiras denúncias do caso Alstom, o que revela a certeza de impunidade dos governos do PSDB paulista.

    Trecho de matéria recente da jornalista Conceição Lemes, que vem fazendo um trabalho investigativo sobre esse escândalo de enorme importância, mostra bem a dimensão da roubalheira:

    “(…) Em 2009, no governo Serra, o Metrô abriu concorrência para reformar 96 trens das linhas 1 ( Azul) e 3 (Vermelha) em um valor total de R$ 1,75 bilhão. Segundo contratos oficiais, um trem novo custava R$ 23 milhões e o reformado saía por R$ 17 milhões. Ou seja, os trens reformados teriam um custo final de 86% de um trem novo (…)”

    Nesse tempo todo, a “rigorosa” imprensa brasileira jamais deu nome aos bois de forma adequadamente clara, como faz quando o escândalo envolve o PT – com exceção da revista IstoÉ e de sites e blogs na internet.

    Contudo, em agosto deste ano, na falta de investigação oficial, a empresa Siemens tomou iniciativa de ir ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) denunciar que seus controles internos detectaram que alguns de seus altos funcionários haviam corrompido o governo paulista.

    O mais escandaloso em todo esse caso é que foi preciso que o corruptor se autodenunciasse em troca de um acordo de delação premiada, no qual a Siemens seria poupada de sanções por ter ido ao Cade revelar as transações obscuras em que se envolveu com as gestões do PSDB paulista.

    Depois da porta arrombada, em agosto, após a denúncia da Siemens e das matérias na revista IstoÉ, o governo Alckmin, enquanto orientava sua bancada na Assembleia Legislativa a barrar os pedidos da oposição de Comissões Parlamentares de Inquérito, instalou uma “investigação” no âmbito da Corregedoria Geral de São Paulo, que controla.

    A Corregedoria do governo Alckmin, porém, vem fazendo um jogo de cena, com a cumplicidade da grande imprensa. Nesse aspecto, o Jornal Nacional, da Rede Globo, apresentou matéria, na última terça-feira, que induz a crer que o próprio governo de São Paulo vem se investigando ao lado da Polícia Federal e do Ministério Público.

    Na matéria, o corregedor-geral paulista, Gustavo Úngaro, subordinado ao governo Alckmin, tenta iludir o público afirmando que, “De todas as empresas suspeitas, a única que não está colaborando é a Siemens”, e que “recomendou ao Metrô e à CPTM que iniciassem, imediatamente, processos administrativos contra a empresa para que ela seja proibida de participar de licitações”.

    Todavia, a “investigação” que o governo paulista alardeia e que a mídia trata como se fosse séria, não passa de jogo de cena. Equivale a apresentar o governo Lula como o investigador do escândalo do mensalão.

    A Siemens, porém, reagiu com dureza à encenação do governo Alckmin. Em nota, explica que não prestou depoimentos à corregedoria tucana porque existe uma obrigação legal de sigilo em seu “acordo de leniência” com o Cade, e que está respeitando determinação que é, também, da Polícia Federal e do Ministério Público.

    A nota da Siemens é demolidora. Explica que foi ela mesma que denunciou o caso e que a conduta da corregedoria do governo Alckmin – ou seja, do próprio governador – cria “Um ambiente contrário à transparência e ao diálogo e acaba premiando os que decidem acobertar as más práticas”.

    Tanto a Globo como o resto da grande imprensa – sobretudo da imprensa paulista – sabem muito bem que a Siemens não pode dar ao governo tucano as informações que ele quer porque seu acordo com o Cade a obriga a manter tais informações fora do alcance justamente do governo que está sendo investigado, mas que, com uma desfaçatez revoltante, tenta posar de “investigador”.

  22. …Vítor Hugo !!! o Kotscho já me repreendeu por minhas risadas escandalosas aqui, mas, esta de “botox vencido” foi demais…kkkk…Além do botox vencido, do pó de arroz estragado usado na maquiagem, um dos maiores problemas do dito cujo, é que nem ele acredita no que fala, “entrou de gaiato no navio” e agora não sabe como sair, e quem o empurrou pra dentro queria mesmo era afundar o barco.
    Conheci uma veinha que, desgostosa com a vida, queria morrer e não tinha coragem de suicidar, ficava o dia inteiro atravessando uma avenida pedindo a Deus que um carro a atropelasse, mas os caridosos motoristas sempre desviavam dela, então ela gritava:
    -Não me viu não, fé da p.ta ???
    Assim estão alguns homens públicos octagenários de nossa inútil oposição…né não ???

  23. Aécio Neves não tem estilo sequer para ser senador, mais parece aquelas figuras de playboy, engomado que adora festas em dias de semana, que acorda tarde, pode ter tudo menos jeito para ser presidente, para ser presidente tem que conhecer o Brasil como um todo, desde à av. Paulista como também as cidades ribeirinhas do Pará.
    Kotsho, você deveria escrever algo também sobre a figura do Roberto Freire, no sentido de você denunciar o leilão que ele está fazendo da sigla dele, uma hora oferece ao Serra, ao Aécio, ao Eduardo Campos, como pode um cara que vive denunciando até que foi a Dilma e o Lula que tiraram a perna do Saci, ficar querendo vender apoio.

  24. Aécio Neves, junto com Marina e Eduardo Campos, tem hoje juntos um cacife eleitoral respeitável. A avaliação do governo de Aécio em Minas foi excelente, basta ver os níveis de popularidade que ele detém em um Estado que define as eleições no Brasil. Não sem razão que a Dilma não sai de Minas nos últimos tempos (como exemplo: prometeu liberar 1 bilhão para os produtores de café do Estado – o que obviamente não vai cumprir). Eduardo Campos é um dos governadores melhores avaliados e com grande penetração no Nordeste – tanto que Lulla torce o nariz para a saída dele da base governista. E Marina Silva está aí causando preocupação aos enraizados pelo poder, com essa suspeita má vontade dos cartórios eleitorais em ratificar as assinatura para a criação da REDE. Esse é o quadro estabelecido e ano que vem no debate eleitoral o povo brasileiro vai poder ver com clareza o que são propostas sérias – como as da Marina, Aécio e Eduardo Campos para um Brasil melhor – e o que são ilusões requentadas de um partido que há 11 anos tão mal tem feito para a sociedade brasileira.
    Assim não concordo com o título de seu artigo, pois ficou muito claro para quem Aécio falou e a sua mensagem.

  25. “Ricardo sempre existem pessoas que conseguem ouvir as baboseiras dos *POLÍTICOS* ou pensam que ouvem e o pior *VOTAM NELES*.”
    É triste é deprimente mas…

  26. A atuação de Aécio no Senado é pífia, reconhecem empresários ligados aos tucanos. Ele vive a falar em “agenda positiva para o Brasil” embora nem ele mesmo saiba o que é isso. Um dia desses disse: “O que dá a gente faz, o que não dá a gente diz que não dá”. Puxa, que profundidade aristotélica… É um candidato fraquíssimo.

  27. Discurso vazio? Essa é a ideia que vocês estão tentando emplacar então?
    Faltou argumento para desqualificar o programa do Aécio e dizem que o ônibus cometeu infração ou que o discurso foi vazio. Essa crítica mostrou o quão vazio ficaram as possibilidades de críticas diante de um programa tão coerente.

  28. Colocar o discurso como vazio sem no entanto apontar as possiveis falhas que ele pode ter tido é apenas uma tentativa de criticar algo que na verdade ficou sim muito bom. O discurso do Aecio teve muito do que os brasileiros querem de um politico e possivelmente futuro candidato, e isso assusta o atual governo, que sabe que esta em divida com a populaçao.

  29. Kotscho, o Ricci tem uma visão diferente:

    “Aécio Neves acertou o discurso. Agora foca na autonomia do trabalhador (o micro empreendedor individual) como contraponto à tutela das políticas de transferência de renda. Um discurso inteligente e que politiza a disputa eleitoral.”

    Fonte: De Esquerda em Esquerda. Disponível em http://rudaricci.blogspot.com.br/2013/09/aecio-acerta-e-marina-parece-naufragar.html. Publicado em 20 de setembro de 2013.

  30. Prezado Ricardo Garcia,
    Eu também vos faço essa pergunta, como criticar o discurso do Aécio? Ele não apresenta solução de nada, fica só falando que a Dilma é isso que não é aquilo, ou seja faz lembrar o saudoso Rolando Lero. Ele não fala como e de onde vai tirar dinheiro para melhorar a saúde pública, como vai melhorar o transporte público, como vai elevar a qualidade da educação, como vai melhorar o nível de emprego. Deveria aproveitar para explicar as privatizações do governo do PSDB que saneou as gastando o triplo ou mais do valor que foi entregue aos barões compradores, que mesmo assim pagaram com moeda podre. Aécio Neves, poderia explicar também o que ele tanto faz no Rio já que representa Minas, o que houve com ele que não fez teste de bafômetro, já que se recusou a fazer o teste então trata-se de um fora da lei.

  31. De uma coisa eu sei, esse Aécio aí não parece nada com o Serra. Programa sem máscaras, espontâneo, é assim que queremos que a política seja. Acho que finalmente temos um candidato que vai dar trabalho aos PeTralhas.

  32. Até em programa político o tal do aécio agride as leis de trânsito…Não bastasse ter sua carta de motorista apreendida pela lei seca, a van que o conduzia no tal programa, ultrapassa um caminhão em faixa contínua…

  33. Não saber para quem falar quer dizer que fala para todos. Coisa que muitos políticos não sabem fazer. O Brasil não é feito só de pessoas ricas? Claro que não, mas também não é feito só de miseráveis. Tem que evoluir como um todo, homogêneo. Nosso gestor deve ter essa visão.

  34. Acho muito interessante a proposta do Aécio para chamar os brasileiros para conversar e se está chamando para uma conversa quer dizer que está ouvindo as demandas dos brasileiros. Não basta criar um discurso de cima pra baixo. Afinal, as politicas devem vir de baixo pra cima, ou seja, as necessidades é que pautam uma agenda de políticas

  35. Mais claro que o próprio programa talvez eu não consiga ser, já que lá têm recursos de áudio e vídeo para ilustrar melhor. Para mim o que ficou mais evidente é crítica à questão do estado paternalista criado pelo PT que concentra seus esforços em bolsas que excedem os necessitados, com controles débeis sobre fraudes. A alternativa apresentada por Aécio, ainda que em tom “ameno” é que o governo tem que ter mais foco no empreendedorismo social. O que vai mudar a vida de uma pessoa ou de uma comunidade? O dinheiro para comparecer à escola ou uma escola que possa mudar a vida dela? A etapa do assistencialismo tem que ser vencida, mas o discurso petista passa longe de sinalizar essa necessidade. Como apresentar uma proposta de mudança para o Brasil sem criticar o que está caminhando errado? Talvez um candidato a Papa não critique o seu antecessor.

  36. quem parece não saber o que falar é a oposição, então vamos ficar nesse lengalenga superficial, esse discurso é vazio.. ele não sabe o que falar… ele é ruim de volante… não atua bem…. besteira se aprofundar ou tocar em temas delicados, afinal o telhado é de vidro!

  37. Um bom exemplo de DISCURSO CHEIO, foi o que a Dilma fez em junho passado sobre os 5 pactos. Vejamos a diferença do discurso para a prática:

    PACTO 1 – RESPONSABILIDADE FISCAL
    O economista Nelson Barbosa, que até maio foi o número dois do Ministério da Fazenda, entende que o governo Dilma gasta demais: “A dívida bruta cresceu muito rapidamente e isso não pode continuar para sempre. Se alguma coisa é insustentável, ela vai parar em algum momento”. As contas externas, o déficit no período compreendido nos oito primeiros meses do ano, passou de 2,12% (em 2012) para 4,01% do PIB (em 2013). E não há indicações de reversão desse movimento negativo.

    PACTO 2 – REFORMA POLÍTICA E COMBATE À CORRUPÇÃO
    Poucos meses depois, aí está o escândalo no Ministério do Trabalho que não deixa a presidente mentir.

    PACTO 3 – MELHORIA DA SAÚDE
    Os médicos chegaram. Mas as condições de trabalho, continuam as piores possíveis.

    PACTO 4 – TRANSPORTE PÚBLICO DE QUALIDADE
    R$ 50 bilhões agora para melhorar aquilo que há 10 anos vem piorando a cada dia. Ou seja, o velho truque da cartola.

    PACTO 5 – MELHORIA NA EDUCAÇÃO
    Com o sucateamento da Petrobras, aumento da gasolina e fracasso dos leilões de exploração de bacias petrolíferas, a gente vê o quanto existe planejamento e gestão no atual governo.

    De fato, é um DISCURSO CHEIO DE EMBROMAÇÃO. O Brasil já cansou disso!

  38. “A alternativa apresentada por Aécio, ainda que em tom “ameno” é que o governo tem que ter mais foco no empreendedorismo social.” /// Sra Laura 12h35, veja que belo exemplo de empreendedorismo social do ex-governador Aécio Neves no comentário do Sr João Ferreira Bastos de ontem, 24 – 16h03:

    “TJMG “simula” extinção de processo, mas Aécio continua réu.

    Após manobra, assessoria de Aécio distribuiu falsa notícia sobre extinção de processo em que o senador é acusado por desvio de R$ 4,3 bilhõesda area de saude. Ao contrário do noticiado, Aécio Neves continua réu na Ação Civil Pública que o acusa de ter desviado R$ 4,3 bilhões de recursos da área de saúde no período que governou Minas Gerais.
    Documento que fundamenta a matéria:
    Cópia do Acórdão proferido nos Embargos de Declaração-Cv Nº 1.0024.10.244832-1/002.” /// Mais exemplos de empreendedorismo social tucano, Sra Laura: socializar prejuizos e privatizar lucros (PPP’s-Parcerias Publico Privadas), governar tirando dos pobres pra distribuir aos ricos, sucatear e vender nossas estatais a preço de banana, expoliar os usuários do Metro de São Paulo pra enriquecer estatais francesas (Alston) e alemães (Siemmens), pedagiar as rodovias paulistas com tarifas extorsivas, etc . . .

    Passe bem, Sra Laura.

  39. Para o PT deixar o governo, só se ele resolver aplicar a política econômica do partido IN TOTUM, igual está escrito no calhamaço que é apenas um adorno.
    Não há oposição a um partido que controla os radicais e ainda é extremamente liberal. Opor-se ao quê, afinal?

  40. Como assim discurso vazio, mestre balaieiro Kotscho?
    Afinal Aécio escancarou a que veio, conversar.
    Acredito tanto na conversa fiada do espevitado mineirinho, que estou aqui, sentado, aguardando ele chamar o policial, que deixou falando sozinho com o bafômetro à mão, na cidade de ofício, para retomar a conversa e explicar que assoprar ele não sabe. O que sabe e deseja muito, mesmo, é conversar. Se pensou em namorar substituindo o conversar, você é muito maldoso, todos sabem que o negócio do home assim que um dia parar de conversar, vai ser trabalhar e trabalhar, mas só depois de deixar de conversar, né mesmo?

  41. Como está recheadinho de tucanos aqui na casa da democracia! Pena que eles com suas difamações não nos fornece nada de proveito que possa ter uso em termos de evolução, tudo gira em termos de neolibelês. Sempre dizem que o governo PT’ista segue o mesmo sistema que o Sr. FHC seguiu quando destruiu o Brasil. Não é necessário ficarmos aqui com divagações com dados economicos e até gráficos demonstrando que o Sr. FHC fez um grande governo, mesmo porque os fatos reais não demonstram isto, é só ver na prática o estrago que foi feito que apesar do magistral governo do PT não conseguimos sair do marasmo tucano deixado como herança maldita pro povo e para a nação. Muitos oposicionistas comentam aqui que nada tem sido feito no governo do PT e usam ss locuções adversativas se, contudo, todavia, mas, porém para tentar afirmar que poderia ter sido melhor. A gente reconhece que estão de certa forma não apontando erros de trajeto da politica governamental mas dando palpites para que a coisa seja melhor. Acontece que o país estava numa pindaíba de dar dó, de ter a sua economia até pior que o Haiti que nem 100 dentro da perspectiva de desenvolvimento do governo do PT que é quase desumano por o país no caminho certo para desenvolver a plena carga. O Brasil até parece um navio a deriva e com um motor quase fundido que está ainda queimando óleo e não tem potencia para disparar. E sabem porque? Acabei de assinalar; graças ao governo fraquinho do PSDB cujo pfesidente só pensava em reuniões de discussões neoliberais e sociológicas e nada mais, vender que é o imperativo não faziam talvez por vergonha pois eram a elite governando e vendas seria só para o zépovinho.Mascatear só era para país carente, com coisa que não éramos. Pessoal, vamos ver a realidade, vamos analisar sem paixões partidárias que o Brasil depois do Lula e continuando com a Dilma na presidencia nâo é mais um paisinho mediucre, não tem a mesma cara da época que tinha quando do governo tucano e ainda lutamos para sair do miserê. Eu entendo que as multis que jogaram a “toalha” da concorencia do campo de Libra deixaram por nosa conta mais como um desafio duvidando das nossas reais potencialidades. Para um governo pujante como o do PT, eles não farão falta, mesmo porque grande parte do desenvolvimento técnico que obtivemos é “made in Brasil” e além do mais temos parceiros economicos que o governo tucano desprezou, no caso a China, a Russia, os países do oriente médio e a África, em suma os componentes dos Brics.

  42. O PT já provou que faz uma administração travada. nada sai do papel e. O Brasil precisa de um governo desenvolvimentista. Que faça as obras de infraestrutura andar na velocidade da luz para que o país possa crescer num ritmo mais vigoroso sem se preocupar com o fantasma da inflação.

  43. kakakakakaka! Aécio é do Bem? Só mesmo para quem não mora em Minas Gerais para fazer um comentário deste. Deveria ao menos saber da irmazinha querida do Aócio que não faz nada, nem senador ele representa, e que persegue toda mídia que não joga com ele, igualzinho a um senhor do mesmo PSDB que manda em SP! Afinal, a única forma de governar destes partidos é com corrupção, compra descarada da mídia e submissão ao rei Globo! Quero ver o primeiro debate deste senhor playboy com a Dilma. Vai ser de lavada para o PT e mais uma lambança do PSDB. Se este é o melhor candidato do PSDB, é melhor acabar de vez e refundar o partido

  44. Sugiro ao Kotscho e comentaristas da oposição ler esta matéria do Estadão!
    http://jornalggn.com.br/noticia/a-dose-de-otimismo-na-evolucao-do-credito
    Dose de otimismo

    José Paulo Kupfer

    Há muito mais do que a constatação de que o volume total de crédito, na economia brasileira, quase setuplicou, nos últimos 10 anos, nos números e indicadores levantados pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac), em estudo divulgado na semana passada. A análise da situação do crédito, fotografado no mês de junho, de 2003 a 2013, serve como um excelente resumo da evolução da própria economia no período. Em tempos de difusão do veneno do pessimismo, o que aparece no filme da evolução do crédito vale como antídoto, na forma de uma dose de otimismo. Somente uma economia dinâmica seria capaz de registrar salto tão impressionante como o ocorrido no sistema de financiamento das atividades produtivas e do consumo das pessoas. Nenhuma economia, de fato, sai de um volume de crédito que nem chega a irrisórios 25% do PIB e avança até 55% do PIB, em meros 10 anos, sem que tenha passado por profundas e positivas transformações.Elaborado a partir do acompanhamento mensal produzido pelo Banco Central, os números coletados no levantamento da Anefac impressionam. O volume total de crédito cresceu 560%, no período e a expansão foi ainda maior no segmento de recursos livres, com aumento de 573%. No caso dos financiamentos para pessoa física, a diferença do volume livre total contratado entre 2003 e 2013 passa de 750%.Taxas de juros, spreads, prazos de financiamento, inadimplência, tudo mudou muito – e para melhor. Os juros médios, por exemplo, recuaram de 56,7% ao ano para 26,5%, enquanto os spreads encolheram de 33,2% para 16,7% (81,4% para 34,9%, no segmento das pessoas físicas). Sim, ainda são altos, mas a redução é marcante. Mais impactante foi o que ocorreu com o prazo médio de financiamento e com a inadimplência. De 7,3 meses, em 2003, o prazo médio dos empréstimos avançou para 38,4 meses, em 2013 – um prazo cinco vezes mais elástico. E a inadimplência da pessoa física, se hoje ainda é alta, com 7,2% dos financiamentos vencidos a mais de 90 dias, há dez anos chegava a 15,5% – proporcionalmente mais do que o dobro. Todos esses números são testemunhas incontestáveis de que a economia mudou de patamar nos últimos 10 anos.

  45. O Aético Neves nunca foi do bem ( talvez quando criancinha de berço ). A mídia ( principalmente a de SP ) deveria saber o quanto foi e ainda é danoso , o projeto de poder dos tucanos no Brasil. Ao terminar o ” Príncipe da Privataria ” e antes deste o ” Privataria Tucana “, fica a pergunta : E essa quadrilha , além de não estar presa , ainda quer voltar a ser governo ? Agora só está faltando a Privataria do Trensalão de SP e a de Furnas do aecim. E viva o Brasil!

  46. É do feitio político de Aécio a discrição e o trabalho nos bastidores. O que comprovadamente funciona, vide sua eleição ainda muito jovem a deputado federal, presidente da câmara dos deputados e governador de MG. De qualquer forma, pauta é o que não falta para uma vitoriosa campanha.

  47. Na televisão Aécio resume bem o que pretende e diz, mais ou menos, isto: “tem de ser papo reto. Mostrar o que deve fazer e como; e o que não pode fazer e por quê.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *