Tendência no STF é por um novo julgamento

Tendência no STF é por um novo julgamento

 

 

Caros leitores;

viajo daqui a pouco para Barra do Chapéu, no Vale do Ribeira, bem longe daqui, onde vou fazer uma reportagem sobre a rotina de vida dos moradores para a revista “Brasileiros”, onde eu também trabalho. Será publicada na edição de outubro. Volto no sábado.

Os telespectadores do Jornal da Record News, que agora pode ser visto também na SKY,  vão sair ganhando: em meu lugar, hoje à noite, vocês ficarão na boa companhia de Nirlando Beirão, que comentará as últimas do julgamento do mensalão.

Moderação e atualização do Balaio ficarão prejudicados. Grato pela compreensão.

Abraços,

Ricardo Kotscho

***

 

Ainda não foi desta vez. No final da tarde desta quarta-feira, o presidente do STF, Joaquim Barbosa, decidiu suspender a votação dos embargos infringentes, quando o placar estava 4 a 2 a favor da aceitação dos recursos, indicando um novo julgamento.

Até aqui, não houve surpresas em relação ao que escrevi no texto anterior: Luís Roberto Barroso, Teori Zavascki, Dias Toffoli e Rosa Weber votaram a favor dos embargos apresentados pelas defesas. O presidente e relator Joaquim Barbosa foi acompanhado, como de costume, apenas pelo ministro Luís Fux no voto contrário à aceitação dos infringentes.

A sessão foi suspensa na hora do voto da ministra Carmen Lúcia, que tende também a acompanhar Barbosa. Ficaria 4 a 3. Em seguida, é a vez do relator Ricardo Lewandowski, um voto certo a favor dos novos embargos, levando o placar para 5 a 3. Outro voto certo, mas  contra os réus, é o de Gilmar Mendes, que se queixou antes da sessão começar:  “Estamos todos exaustos deste caso”.  Ficaria 5 a 4.

Se as previsões da maioria dos analistas se confirmarem, Mendes vai ficar mais cansado ainda: caso o julgamento seja reaberto, teremos pelo menos mais um ano pela frente até o STF decretar o trânsito em julgado.

A grande dúvida ainda é o voto do ministro Marco Aurélio Mello, que ora pende para um lado, ora para outro. Se ele votar a favor, decide o jogo ao levar o placar para 6 a 4, faltando apenas um ministro, mas se votar contra fica tudo empatado em 5 a 5, e quem vai dar o voto de minerva é o decano Celso de Mello.

Por todas as suas manifestações até agora, Celso de Mello deve votar pela aceitação dos embargos infringentes, decretando 6 a 5 a favor. É o mais provável. Mas também pode dar 7 a 4, se Marco Aurélio resolver votar sim, nunca se sabe. Em qualquer caso, blogueiros e colunistas da grande imprensa já estavam jogando e rasgando a fantasia a toalha após a sessão de hoje. Só um milagre os salva.

Vamos ver o que eles terão para dizer amanhã. O STF que se cuide. De herói a vilão, a distância costuma ser bem curta. Seria mais uma derrota da grande mídia, após as três últimas eleições presidenciais, e depois de passar praticamente todo o julgamento pedindo diariamente durante um ano a punição máxima dos réus, sem direito a recursos. Um deles chegou a escrever hoje: “Supremo vai decidir seu próprio destino”. O destino dos réus eles já decidiram: só pode ser a cadeia.

Ou seja, se aceitar os embargos infringentes e abrir espaço para um novo julgamento, o STF pode estar indo do céu para o inferno na avaliação da maioria dos principais veículos de comunição do país.

Para mim, quem definiu a votação de hoje foi o novato ministro Luís Roberto Barroso, o primeiro a votar. Didaticamente, Barroso derrrubou um a um os oito argumentos dados por Joaquim Barbosa na semana passada contra a aceitação de novos recursos da defesa. E com isso Barroso acabou influenciando os votos seguintes, oferecendo boas razões técnicas aos que eram a favor dos novos embargos.

Qualquer que seja o resultado final nesta quinta-feira, fica no ar uma pergunta que não quer calar: por que até hoje não entrou na pauta do STF o julgamento do mensalão tucano, também chamado de “mensalão mineiro” pela imprensa, que é de 1998, ano da reeleição de Fernando Henrique Cardoso?

Se alguém tiver a resposta, pode mandar aqui para o Balaio.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

21 thoughts on “Tendência no STF é por um novo julgamento

  1. Acredito que chegou a hora dos condenados poderem se defenter.
    Se culpados que se cumprem o que diz a lei.
    Se inocentes, infelismente, acabou para a política ou negócios.
    Gostaria de ver que cada um pague pelo que fêz devolvendo de onde se apropriou com relato completo do STF.

  2. Concordo com o que disse Ladislau Dowbor, professor da PUC-SP, a respeito do julgamento do chamado mensalão. Segundo ele, “Esse negócio do stf simplesmente não passa no filtro do bom senso. Se houvesse uma prova concreta de mensalão, não seria necessários milhares de páginas nem tantos anos. Um documento bastaria. Se fosse justo, não estariam recorrendo a argumentos tão tortos do “deveria saber”, como denuncia Bandeira de Mello. Se fosse honesto, não trataria de forma tão desigual o processo de Minas Gerais e o atual. Se fosse de bom senso jurídico, seria um julgamento técnico, discreto e direto, e não um teatro nacional, novela de batalha do bem contra o mal. Se fosse decente, não montariam todo esse espetáculo para coincidir com a campanha eleitoral de 2012, culminando numa sexta-feira, véspera da eleição. O que, aliás, pelos resultados, nem deu certo. Se fosse imparcial, como se imagina que a justiça deveria ser pelo menos um pouco, não seria um processo tão claramente politizado contra o Partido dos Trabalhadores”.

  3. cade o povo brasileiro para fazer uma manifestação contra esta vergonhae apoiaR a verdade 4 ministro do pt ja votaram 2 contra e o restante e oposição.me sinto envergonhado com a justiça do homem mas a de Deus não falha.

  4. O certo seria um novo julgamento a começar do zero absoluto e com uma ressalva, depois que a sua excelencia Ministro JB jà estiver aposentado porque o que foi feito até agora, não passou de uma grosseira encenaçâo politica com lances pela TV. Quando o povo estiver perfeitamente exclarecido sobre este episódio macabro da história do direito conhecido como ciencia, ficará estarrecido de tanta arbitrariedades que foram cometidas em nome da LEI. Chega de teatro mambembe pela tv, chega de fazer do pulpido do juri encenamento de jogo interesseiro da oposição e do PIG.

  5. O comentario da colega Helena de Santo André foi magistral, seco e no alvo, até deveria ser usado pelos SUPOSTOS réus. Só restaria aos senhores ”doutores das leis” ouvir e fazer dele uma práticis do seu dia a dia juridico.

  6. Querido Kotscho, vim (atrasada) parabenizá-lo por mais um aniversário do Balaio. Justo ontem ficamos sem energia elétrica por aqui, mas venho hoje porque sempre é tempo de comemorar algo que dá voz a você, um dos maiores jornalistas do Brasil, do qual sou fã incondicional. Muito obrigada por dedicar seu talento, sua competência e seu carisma conosco também através deste canal, que me proporcionou grandes honras, como te conhecer pessoalmente, além de Audálio e tantas outras feras, e também meus queridos, embora sumidos, botequeiros. Parabéns e muito mais sucesso pra você. Beijos

    1. Valeu, minha cara Aliz, uma das pioneiras aqui do Balaio, que no dia 11 agora completou cinco anos no ar _ e eu também me esqueci…
      Beijo,
      Ricardo Kotscho

  7. Kotcho, maior zombaria e humilhação para o STF foi ouvir ao vivo, aqueles dois senhores apostarem uma garrafa de vinho. O jornalismo sério deveria decretar luto, até que esse serem banidos da face da terra.

  8. Se o STF quiser começar a construir uma história de seriedade e credibilidade, deve sacramentar o resultado de ontem e antes de julgar novamente o Mensalão petista, deve julgar primeiro o Mensalão tucano e, a partir dos princípios aplicados a ele, aí sim… julgar o Mensalão do PT. E quem for culpado, que pague…

  9. O povo deveria manifestar de forma impactante contra esta grande e entediosa ENCENAÇÃO!.Vez que tendo outro julgamento ou não – A NAÇÃO JÁ FOI PUNIDA!!!!.E os “INCOMUNS” como bem expressou o Lula, se encontram acima das leis,incluindo a tal “CONSTITUIÇÃO CIDADÃ!.Portanto,considero de suma importância uma manifestação popularem frente ao Congresso Nacional e ao STF.A coreografia para esta manifestação – Inicialmente os narizes de palhaços,sendo em seguida substituídas por máscaras de gorila e muita banana plástica( representando o país das bananas).As faixas e cartazes com inscrições tais como;O HOMEM VEIO DO MACACO E PARA O MACACO RETORNARÁ”.VIVA C. DARWIN!!!.

  10. Kotscho, fiquei sem internet e só consegui ler sua coluna hoje. Me impressionou a ingenuidade de um dos maiores jornalistas do Brasil e, ao lado de Mino Carta, o que mais admiro. Os argumentos e a lei (especificamente nesse julgamento) não tem qualquer valor. O que vale é condenar os caras que chegaram ao Poder em 2002 e enterraram aqueles que afundaram o Brasil (e foram escorraçados com míseros 13% de aprovação) e estão sem muitas chances de voltar ao poder pelo voto direto
    . O que move essa gente (me refiro aos donos da mídia e seus sabujos da imprensa e do Supremo) é o mesmo espírito que moveu Hitler, Nero, Dom Fernando Guevara e Stalin. a Bíblia diz que “bem-aventurada é nação cujo Deus é o SENHOR”. A divindade que governa a vida de Joaquim Barbosa, “Mato no Peito”, Gilmar “Dantas” e tantos outros não é o criador dos céus e da terra. Qualquer um que se ligue a Lula será execrado em praça pública e os seus assassinos será louvados pela grande imprensa. Os filhos de Baal, especialmente os do STF, já perceberam e venderam suas almas ás páginas amarelas daquela revisa Marrom e á Vênus Platinada do Jardim Botânico.
    Um forte abraço, querido amigo
    Manuel Marques, um colega atualmente sem emprego sem ilusão de que os excelentíssimos recobrem o Juízo.

  11. Supondo que haja novo julgamento, novas condenações, e aí? Quando será o próximo? Até onde podem ir os ”recursos” para outros novos julgamentos? Será que todo brasileiro têm esses direitos? Afinal o STF não é o ponto final da justiça?

  12. Desculpem os que não entenderam meu post anterior. O que eu quis dizer que está na hora de repensarmos a justiça brasileira. Uma vez sendo o TSF a última instância,…vamos abrir precedência para futuras situações.

  13. Olá.
    Esse resultado só mostra que o PT já aparelhou o STF.
    Nada tira da minha cabeça que Toffoli não poderia votar nesta ação penal, visto que já foi advogado do pT e do Zé Dirceu.
    E os 2 ministros recém empossados já começaram a pagar pelo cargo. Sim, foram escolhidos a dedo e com a missao de livrar os petistas!!!
    Tanto que o ministro Barroso foi humilhado pelo ministro Marco Aurélio que o chamou de novato, visto que este foi desrespeitoso com a corte e seus pares.
    Coisa de estagiário não de ministro do Supremo.

    Abs

  14. eu moro h’a v’arios anos fora do pa’is. Nao vou e nao quero voltar por v’arias razoes. A principal razao ‘e a de nao sujeitar os meus filhos a essa atmosfera imoral de corrupcao, que a todos compra. Nao quero que meus filhos crescam neste ambiente nefasto, pensando que corromper seja a norma. Por isso, boa sorte a quem ficou neste inferno chamado Brasil. Pensem que a defesa da bandeira sem raciocinar contribui muito para o caos moral…e quem pagar’a com juros e dividendos sao os seus filhos e netos….

  15. Eduardo 21h53, acredita mesmo que Marco Aurélio humilhou o Barroso ???? Ele foi é mal educado, estúpido e grosseiro, pois o Ministro Barroso poderia tê-lo chamado de velho e retrógrado. E se houvesse procedido assim, poderíamos afirmar que Barroso humilhou Marco Aurélio Mello ? Só se fôssemos imbecis !!!! Voce não se conforma, Eduardo, que petistas, ainda que sem provas, não sejam condenados, da mesma forma que não admite que FHC seja punido pela comprovada compra de votos e privatarias ou que Alckmin seja indiciado pela comprovada corrupção no Metrô (Rodoanel, Mensalão das Emendas, etc . . .) Voce não suporta corrupção, mas seu discurso moralista e seletivo (pois só é moralista contra o PT) é idêntico ao discurso moralista e seletivo do Demóstenes Torres. Abração, Eduardo.

  16. Ninguém agüenta mais esse processo do Mensalão e a discussão política do Mais Médicos.
    Essa será a campanha eleitoral mais baixa e pobre em argumentos da história, uma verdadeira guerra de bugios.
    Se continuarem com essa discussão ideológica sobre questões técnicas, esse paraíso do achismo onde todo mundo dá opinião sobre tudo, vão abrir caminho para um oportunista, salvador da pátria, assumir o poder.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *