Joaquim ataca, mas não fala de mordomias do STF

Joaquim ataca, mas não fala de mordomias do STF

Na mesma segunda-feira em que o Estadão rompia a cortina de silêncio que protege o Judiciário de críticas, ao revelar as mordomias aéreas dos meritíssimos ministros, em reportagem de Eduardo Bresciani e Mariângela Gallucci, Joaquim Barbosa, o presidente do Supremo Tribunal Federal, atacou o Congresso Nacional pela “ineficiência, inteiramente dominado pelo Executivo” e os partidos políticos em geral, que qualificou de “mentirinha”.

A surpreendente reportagem do “Estadão” conta que o STF gastou, entre 2009 e 2012, R$ 608 mil só com passagens internacionais de primeira classe para esposas de ministros e outros R$ 295,5 mil em viagens dos magistrados em períodos de recesso. Além disso, o jornal denunciou que Joaquim Barbosa viajou 19 vezes por conta do STF em períodos nos quais estava de licença médica, tendo como destinos Rio, São Paulo, Fortaleza e Salvador.

Em sua longa palestra no Instituto de Educação Superior de Brasília, onde é professor, Joaquim Barbosa, que se apresentou como uma espécie de tutor dos outros poderes, não tocou neste assunto das viagens patrocinadas pelo STF, que consumiram um total de R$ 2,2 milhões dos cofres públicos nos últimos três anos.

Não que o falante Barbosa tenha contado alguma grande novidade que todos os cidadãos já não saibam sobre o funcionamento do parlamento e dos partidos políticos ou tenha ofendido membros de outros poderes, mas estranhamente preferiu o silêncio quando foi perguntado, após a palestra, sobre viagens pagas pelo tribunal e licenças médicas.

Ao ouvir a pergunta, o presidente do STF, como tem acontecido em outras ocasiões recentes, quando é questionado, mostrou-se bastante irritado:

“Eu não quero falar sobre este assunto. Eu não li a matéria. Essa matéria é do seu conhecimento, não é do meu”.

Pois deveria falar, já que se trata de uso de dinheiro público em proveito privado, embora o STF autorize este tipo de benefício, como informa a reportagem:

“O pagamento de passagens aéreas a dependentes  de ministros é permitido, em viagens internacionais, por uma resolução de 2010, baseada em julgamento de um processo administrativo do ano anterior. O ato diz que as passagens devem ser de primeira classe e que este tipo de despesa deve ser arcado pela Corte quando a presença do parente for “indispensável” para o evento do qual o ministro participará”.

Alguém sabia disso? Qual o critério de “indispensável”? No meu caso, por exemplo, mesmo a trabalho sempre gosto de viajar acompanhado da minha mulher, mas quem tem que pagar a passagem dela somos nós.

Na crítica aos partidos de “mentirinha” que tornam “o Congresso um poder dominado pelo Executivo”, o ministro Barbosa esqueceu de dizer que o Judiciário tem grande parte de responsabilidade nesta deformação institucional, como bem lembrou, em artigo publicado na “Folha”, o cientista político Humberto Dantas, professor do Insper, depois de listar vários casos em que o STF facilitou a proliferação de legendas.

“Diante de tais aspectos, não parece ser apenas o Executivo a furtar o Legislativo de seu papel. Não há no país poder mais criativo em matéria eleitoral que o Judiciário. Assim, que o professor Barbosa seja capaz de observar que o órgão que preside contribui para reforçar a `mentirinha´ chamada `partido político´.

Antes do dia acabar, a assessoria do presidente do STF distribuiu nota para dizer que Barbosa falou na condição de “acadêmico e professor” e não teve “a intenção de criticar ou emitir juízo de valor a respeito do Legislativo”. Melhor assim, pois o presidente da Câmara, Henrique Alves, já tinha divulgado outra nota em que qualificou a manifestação do presidente do STF de “desrespeitosa”.

O que mais me chama a atenção neste episódio é que nós estamos habituados a ver e ouvir todos os dias duras críticas sobre mordomias contra membros do Executivo e do Legislativo, em todos os níveis, mas que me lembre é a primeira vez que um veículo da grande imprensa trata desta questão no Supremo Tribunal Federal.

Se os viajantes fossem membros de outro poder, certamente a reportagem repercutiria nos demais veículos, ganharia ares de escândalo e logo alguém pediria a instalação de uma CPI.

 

 

 

 

 

 

 

23 thoughts on “Joaquim ataca, mas não fala de mordomias do STF

  1. “Nada de novo …tudo requentado”!.´Nós estamos acostumados a ouvir como resposta da situação há diversas denúncias públicas de ilegalidades etc,.Portanto,o ministro presidente do STFapenas repercutiu algo que é de domínio público.Será que já esquecemos dos sucessivos escândalos de corrupção em 2010,envolvendo parlamentares do Congresso e Senado nacional?!.Dévido ao cargo que ocupa – Não tem o direito de expressar os seus pensamento a respeito do “nosso nobre” parlamento?.Por outro lado a harmônia esperada entre os “poderes” da República não deve admintir COORPORATIVISMO NEGATIVO – A todo e qualquer preço – Tudo pela “GOVERNABILIDADE”!.Na minha modesta opinião.

  2. Um cara que tinha tudo para ficar marcado pela sua luta pela Senzala, será lembrado como o parceiro preferencial – e servil – da Casa Grande…

  3. Esse “Quimquim” do STF e´ um tremendo perna de pau!
    Se fosse jogador de futebol “tava frito” assim como ele vem se fritando com suas entrevistas, palestras…

    Ze´ Emilio

  4. O batbarbosa não passa num teste psicológico bem apurado.Tem deformações de personalidade vindas da infância que o tornam com complexo de inferioridade e precisam que aparente superioridade para compensar, mesmo sem suporte para tal. Uma pena!

  5. Caro Ricardo, não me lembro de nenhuma figura da República tão mal humorada como Sua Excelência Suprema, Joaquim Barbosa. O que que há? Ele brigou com a humanidade? Parece que é só a palavra dele que vale, e quem não gostar que vá reclamar com o bispo. Nas escaramuças verbais com seus pares no STF, Barbosa deixou implícito seu descontentamento com opiniões diferentes das suas. Claro que ele foi desrespeitoso com o Congresso, como também foi desrespeitoso – para não dizer autoritário – ao dar bronca em juízes sobre a proposta de construção de novas sedes de tribunais. Naquele encontro com os magistrados, Barbosa só faltou citar o clássico “sabe com quem está falando?” Com razão, a OAB chiou mais que panela de pressão. Nunca vi Barbosa sorrindo. Está sempre carrancudo. Até o Geisel era mais simpático. Estamos bem arrumados. Que eu saiba, o Zé Dirceu nunca viajou 19 vezes doente enquanto esteve no cargo de ministro da Casa Civil. O presidente do STF dará explicações sobre as 19 viagens denunciadas pelo Estadão?

  6. Kotscho… Kotscho… Esse seu coração de ouro não deixa você ver malícia em nada… É mais do óbvio que a candidatura do Joaquinzão está sendo inteiramente construída no Projac; ele simplesmente está seguindo o roteiro escrito por Ali Khan em conjunto com o time de dramaturgos da Globo. Receita mais do que manjada… Brasília não presta, Partidos não prestam, política não presta, Congresso não presta e nem os advogados, como ele, prestam. Qualquer bobagem – claro, com exceção dos jornalistas, que também não prestam… – dita por ele imediatamente ganha as principais manchetes. Só não enxerga, quem não quer… Vem aí um novo Collor!

  7. Mas infelizmente o Brasil esta cercado por todos os lados de “lideres” que como o próprio Barbosa disse só buscam o poder pelo poder e assim cada um acaba vendendo o seu peixe e deixa de lado seus podres, pois se formos avaliar todos os 3 poderes veremos que todos são podres e que estamos em um Brasil totalmente corrompido por pessoas sujas que não fazem nada pelo povo, somente por seus próprios interesses.

  8. No fim da tarde ouvi na rádio CBN o comentário de um jornalista político (não lembro o nome) enaltecendo o que Joaquim Barbosa disse sobre o Congresso. O jornalista acrescentou que essa é a opinião popular sobre o Congresso. De fato, o Congresso deixa muito a desejar, especialmente na pouca produtividade e no desperdício de dinheiro público em mordomias, empregos e viagens. Mas e o STF? Foi ótimo, Kotscho, trazer esse “esquecimento” a respeito, que não é só de Barbosa, mas de gente da mídia. Gostaria de ser esclarecido também se o Ministro Barbosa , quando falou aos alunos da escola onde leciona, estava em horário de expediente no STF. Se estava, não podia se pronunciar dessa maneira. Aliás, não pdoeria estar dando palestra em horário de trabalho. Definitivamente, é difícil dizer qual o poder é mais caro e lerdo: o legislativo ou o judiciário. Mas ambos se parecem e cada vez mais estão perdendo credibilidade. Que tristeza

  9. “Paulista, paulistano e são-paulino, Ricardo Kotscho, 65, é repórter desde 1964”

    Agora sim, Professor… se não fico achando que a minha idade pula de dois em dois anos… Valeu, Ricardo Kotscho.

  10. Mordomias quase todos gostam e querem!.Porém, não é tão GRAVE,quanto o CAIXA 2!.OS “MENSALÕES” e outros arrombos, também de outros partidos pouco conhecidos,retirando dinheiro público do erário.Ao menos aqueles(STF) tem essas garantias esdruxulas estabelecidas no estatuto da instituição.Concordas?!

  11. Pois é,esse senhor,capitão do mato do PIG(por enquanto),critica a “ineficiência” do Congresso Nacional,mas não fala nada nadica sôbre a “eficiência” do judiciário brasileiro.Tenho uma “pedenga” na justiça que fez aniversário de SETE anos mês passado.Outra fará três no próximo mês. Ações menores,imaginem a demora nas maiores. Pior que ser dominado pelo executivo que foi eleito democraticamente pela maioria dos brasileiros,é ser “dominado” por meia dúzia de travestidos de “empresários da comunicação” que só defendem seus interesses,dos apaniguados e de uma corja estrangeira que quer apropriar das nossas riquezas e das nossas produtivas empresas estatais,como a PETROBRAS.

  12. Sei não, mas quando você, Kotscho, disse ontem, para Heródoto Barbeiro que os jornalistas criticavam o Congresso, e quase nada o STF, Barbeiro se mexeu na cadeira, arregalou os olhos (como sempre) lhe contestou, e quase defende claramente as mordomias do STF. Vá entender!!!. Quer dizer, eu entendo.

  13. DISCURSO DE COLLOR CHAMANDO JB NA ‘CHINCHA’

    Apenas um trecho…

    “O país exige que o Ministro Joaquim Barbosa tenha compostura, liturgia do cargo e dever cívico. Nenhum juiz pode dar entrevistas, se filiar a um partido político ou se candidatara um mandato público.
    Como pode um magistrado, presidente da Suprema Corte, manifestar antecipadamente suas ideia. E que ideias! Juiz deve opinar sobre leis, o direito, e sempre nos autos dos processos. Jamais pode expressar-se politicamente. Não faz parte de suas atribuições”.

    http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2013/05/22/collor-refuta-opinioes-desrespeitosas-de-barbosa/

  14. Como sempre acontece, quando estes senhores da oposição, seja lá qual a sua posição, o seu partido, fazem algo do qual posteriormente se arrependam, conseguem arranjar uma desculpa graças as suas elouquencias para enganar a opinião do eleitor com subterfugios furtivos e acabam por dar mais tiros nos proprios pés. Este senhor togado, indicado pelo ex-presidente Lula está se constituindo na maior decepção que o PT sofre atualmente. Arranjou para si, graças às suas trapalhadas uma porção de desencontros que com o passar do tempo mais se tornam claras quais foram as suas intenções ao invocar o tal de Dominio do Fato e de que está clara a participação dos tucanos e do PiG no tal de julgamento de mentirinha do tal de mensalão visando as eleições da qual eles não queriam perder, que era a prefeitura da maior cidade da américa latina e portanto o maior volume de arrecadação, quase como a da nação do qual haviam se assenhorado graças às duas eleições sucessivas do ex-prefeito Kassab. Bem, agora quem os julagrá somos nós os eleitores esclarecidos e não tenham duvidas, será um julgamento sem apelações, sem conserto porque a opinião popular quando julga é em definitivo porque não se trata de uma única pessoa ou dez delas de uma mesma atividade mas milhões de pessoas e para consertar tudo isto não é só sair por aí dizendo e ou fazendo cara feia para intimidar que irá mudar os fatos, mas tudo já foi consumado, é o tal de descontrole do dominio do fato, que virou contra o seu criador. Fim da linha, e consigo o fim do tucanato e do PIG que já não arranjam meio como reverter a sua impopularidade, nem fazendo uso da propaganda enganosa, mesmo antes das eleições do próximo ano.

  15. O desserviço que Barbosa está prestando à causa da raça negra brasileira, sempre explorada e mal tratada pelas nossas elites, é algo que extrapola a compreensão do mais radical dos reaças, se isso for possível. Ele realmente acredita nessa balela do menino pobre e esforçado que consegue furar o bloqueio social contra o negro, e não apenas contra o negro, apenas com esforço e dedicação? Não consegue compreender que esse raciocínio não fecha em nível macro? Como ele será lembrado por seus iguais num futuro não tão distante? Como alguém que ajudou seus irmãos de infortúnio histórico ou como alguém que por vaidade e fama vendeu miseravelmente sua alma ao diabo? Pelo que vem fazendo, entendo que não possa haver muita dúvida à respeito…

  16. Pardalzinho rules… Grande comentário. Kotscho, se eu fosse você pensaria em editar um livro com os melhores posts do Balaio e os melhores comentários feitos. Claro, o juiz seria você. Só eu compraria uns 50 exemplares. Para pensar.

  17. Pedro Rocha 11h15, quando o Kotscho atender seu pedido, pra sempre será eternizada a frase lapidar do saudoso Robson de Oliveira, clone do Vannelder: “Não sou contra a corrupção.” E durma com um barulho desses !!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *