Após pajelança e duelo sertanejo, trégua na campanha

Após pajelança e duelo sertanejo, trégua na campanha

Foi uma “Super Segunda” da sucessão presidencial, com o duelo sertanejo entre a presidente Dilma Rousseff e o governador Eduardo Campos, em Serra Talhada, Pernambuco, e a pajelança dos tucanos para dar apoio ao senador Aécio Neves, em São Paulo.

No primeiro encontro entre Dilma e Campos depois que o socialista se lançou numa pré-campanha exploratória, os dois aparecem nas fotos ora sorridentes, como velhos amigos, ora de cara amarrada, assim como foram seus discursos, recheados de elogios mútuos e estocadas pouco sutis.

No duelo verbal, em que ambos se trataram como “parceiros”, Dilma disse que “ninguém governa sozinho” e cobrou: “Precisamos que esses parceiros sejam comprometidos com esse caminho”, ou seja, com o seu projeto político e a reeleição em 2014.

O governador, que discursou antes da presidente, já tinha lembrado: “Nosso conjunto político não tem faltado ao Brasil nem tem faltado apoio político ao governo de Sua Excelência”. Campos só não disse que governo é uma coisa, eleição é outra, e reivindicou o direto de debater os problemas nacionais em que tem criticado os rumos econômicos do governo Dilma.

Em São Paulo, depois de muitas negociações do mineiro com os tucanos paulistas no final de semana, o governador Geraldo Alckmin e as principais lideranças do PSDB deram seu apoio a Aécio Neves, tanto para assumir o comando do partido como a candidatura presidencial, mas o grande cacique José Serra não apareceu.

Estava em Princeton, nos Estados Unidos, “para prestigiar um evento em memória do economista Albert Hirschman”, segundo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso justificou em seu discurso.

Na véspera, interlocutores do enigma Serra fizeram circular a informação de que o ex-governador aceitaria ser candidato a vice-presidente, mas não disseram de quem.

Agora, ao que tudo indica, vamos ter uma trégua na Semana Santa, e a campanha deve entrar em banho-maria por algum tempo. Nem os possíveis candidatos nem nós vamos aguentar mais um ano e meio neste ritmo, faltando 18 meses para as eleições presidenciais.

Digo possíveis candidatos porque, ao contrário da maioria dos analistas, não acho já definidas as candidaturas dos quatro nomes apresentados nas pesquisas _ Dilma, Campos, Aécio e Marina Silva, que ainda nem partido tem _ nem a eleição já decidida a favor da atual presidente. De certeza, por enquanto, só a candidatura de Dilma à reeleição.

Com Dilma na África do Sul para participar da reunião anual dos Brics, a semana não prevê novidades na área do governo, e o pessoal do Palácio do Planalto agradece, depois de semanas seguidas de viagens, eventos para anunciar novos pacotes e mudanças ministeriais.

Na segunda-feira, por exemplo, Dilma acordou em Brasília, foi a Pernambuco para tratar da seca, de lá voou direto para cuidar das enchentes no Rio de Janeiro, onde pegou o avião para Johannesburgo.

A segunda parte da reforma ministerial, que deve contemplar o PR e o PTB, fica para depois da Páscoa. E segue a vida.

 

 

 

 

 

 

 

23 thoughts on “Após pajelança e duelo sertanejo, trégua na campanha

  1. “(Serra) Estava em Princeton, nos Estados Unidos, “para prestigiar um evento em memória do economista Albert Hirschman”

    Serra prestigiando um evento em Princeton… e deixando de prestigiar um evento do seu Partido para definir os rumos políticos do mesmo. À par da flagrante mentira (who cares in USA about Serra?) mostra o pouco respeito que os tucanos – no caso FHC – devota à inteligência alheia. Continuam desunidos, sem rumo e mentirosos…

  2. Como, um político que diz ter maior afinidade ideológica com o PSDB, do que com alguns aliados do PT, ainda pode ser identificado como socialista? Cabem aos jornalistas observar essas mudanças, para não trocarem gatos por lebres.

  3. Que será que à nossa Presidenta, está pensando com um sorriso declarado? Será sobre os Royalties? Ou será, por um AUMENTO monstruoso do salário mínimo? Ambos, seriam…interessantes!

  4. Boa tarde Ricardo.

    Como eu havia dito antes; essa movimentação ou pajelança sobre eleições ainda é muito prematura. Tem muito chão pela frente!
    Mas o que me chamou a atenção foi esse penúltimo parágrafo.

    Na segunda-feira, por exemplo, Dilma acordou em Brasília, foi a Pernambuco para tratar da seca, de lá voou direto para cuidar das enchentes no Rio de Janeiro, onde pegou o avião para Johannesburgo.

    Simples assim? Como é a definição desse verbo “cuidar”. Dar uma olhada no sofrimento do nordestino que acreditou na transposição que está praticamente abandonada? Ou então, participar de uma missa dos mortos pelo descaso dos governos em amenizar o sofrimento dos cariocas? E depois, alegremente voar para Johannesburgo e vida que segue? O sertanejo nordestino vendo seu gado seguindo para a putrefação. Os moradores dos morros que desabam no Rio ainda aguardam soluções das vidas que “não seguiram” nas tragédias passadas. Não é questão de ficar discutindo quem vai ser o que, onde e quando nas eleições do “ano que vem”, mas existem prioridades que já disse, estão sendo menosprezadas em função da política de campanha. Afinal, obras de saliva não adiantam muita coisa.

    Abraços

    Robson de Oliveira
    http://ecoblog-blogeco.blogspot.com.br/

  5. Eu só queria descobrir, onde Aécio Never, Eduardo Campos e Serra vão encontrar eleitores, se os três, praticamente vão se colocar contra Dilma e apresentar quase o mesmo programa para “fazer melhor” do que ela? Eis a questão.

  6. Nobre Nona Fernandes. O programa da Dilma todos ja conhecem. É só no gogó. Nada do que ela prometeu ela cumpriu. Ja os outros candidatos é novidade. Pode ser que cumpram o que prometem e. Pode ser que não. Depende do candidato que transmitir mais confiança ao eleitor.

  7. O blog está recheadinho de comentários tucanóides. Eu acho maravilhoso eles darem seus pitacos aqui porque só assim poderemos saber das suas táticas e além disto, isto é, mostrar democracia que eles não gostam de praticar dentro dos seus blogs “limpinhos”. Vamos dar a eles a lição de democracia de que tanto precisam aprender. E sabemos que água mole em pedra dura, tanto bate até que fura. Quem sabe se algum dia nós consigamos abrí-las (cabeça dura). Acho que dentro de algum tempo eles se arrependerão do que fazem e de joelhos pedirão perdão pelo muito que defenestraram a sua pátria mãe gentil. E por falar em pátria mãe gentil eu estou fóra dela, estou teclando do estado de Nebraska EUA, cheguei aqui em Kearney hoje e já fiquei chateado de ver tanta evolução e o nosso país tão grande e rico em terras produtivas e dá tão pouca produção de milho. Hoje eu vi aqui centenas de pelicanos se alimentando do que sobrou da última safra. E pensar que aqui só há uma por ano e com uma produção fantástica quase equivalente às nossas quatro anuais.
    Quero agradecer de público a felicidade de poder conhecer esta nação ao nosso grande presidente Lula pelas condições socio-economicas de eu poder realizar esta viajem e cuidar dos meus netos enquanto minha filha faz a cirurgia da vesícula biliar, seu caso é litíase biliar.

  8. Os tucanos são pândegos… Lembram quando tanto Serra quanto Alckmin, após serem derrotados por Lula, foram para Harvard para se reciclarem por 6 meses? Pois acho que Serra já foi para Princeton por conta da futura eleição que ele, participando ou não, perderá. Os caras perdem o rumo mas não perdem a pose…

  9. Kotscho, conhecendo a megalomania de Serra, acho que ele aceita ser vice de Dilma. /// Robson, voce perdeu mais uma oportunidade para criticar seu ídolo, Alckmin, por não cumprir promessa de campanha de rever as tarifas de pédágio em São Paulo. Já que voce critica Dilma de forma insistente até mesmo pelos atrasos na obra de transposição do São Francico, acho que, por coerência, não deveria omitir-se sobre as mentiras de campanha de Alckmin. E veja que nem vou entrar no mérito da grandiosidade de uma obra de transposicão de um dos maiores rios do mundo, seus impactos ambientais, etc. . . Já rever tarifas de pedágios é bem mais facil, né, não ? Robson, na verdade, estou satisfeito por voce não ter acusado novamente o Kotscho de ter manipulado fotos ao destacar a calvicie inclemente de Alckmin e seu narigão de Pinóquio (famoso boneco de madeira da fábula infantil cujo nariz crescia toda vez que mentia sobre baixar tarifas de pedágio). ///// J Leite, seu argumento sobre os adversários de Dilma serem novidade é tão convincente que o Robson já decidiu votar no Aécio. Eu mereço !!!! Abração, J Leite.

  10. “Quando é que começarão a governar?”

    Prezado Brasil de Abreu, acenda a luz da sua sala, compare os valores das contas de luz e água dos últimos 6 meses e constatará que um governo combate a escuridão enquanto o outro continua tentando nos afogar. Forte abraço.

  11. Prezado RK, quando você afirma “não achar que a eleição já está decidida em favor da Dilma”, revela sua inteligência e discernimento sobre o atual cenário político. Ele é bem diferente da eleição passada, em que a Dilma sozinha fez pré-campanha eleitoral a tira colo do ex-presidente durante quase dois anos, enquanto que os outros candidatos não estavam na estrada. Agora não, a campanha já começou, e tanto Eduardo Campos, Aécio Neves e Marina Silva já estão aí na batalha pra mostrar o quanto o Brasil pode melhorar se for governado com competência e visando os melhores interesses de uma nação e não de um partido. Nos últimos dias se viu um exemplo clássico e vergonhoso desse comportamento hipócrita: em vez de ir visitar os seus “irmãos” brasileiros que padecem com a miséria da seca no Nordeste, o ex-presidente e guia mental dos fanáticos seguidores do esquerdismo barato, foi fazer sua “Caravana da Cidadania” de jatinho classe A com um megaempresário brasileiro que passa por dificuldades em seus bilionários negócios. É muita cara de pau! É humilhante ver o descaramento chegar a esse nível.

  12. Prezado Kotscho
    Sobre a ida de José Serra para “… Princeton, nos Estados Unidos, “para prestigiar um evento em memória do economista Albert Hirschman”, …”, parece ser o país que ele sempre buscou abrigo. Deve ter ido matar saudades. Após o golpe de 64 no Brasil e o golpe de 73 no Chile, foi nos Estados Unidos que o enigma Serra foi estudar.

  13. “o ex-presidente e guia mental dos fanáticos seguidores do esquerdismo barato, foi fazer sua “Caravana da Cidadania” de jatinho classe A com um megaempresário brasileiro”

    Nosso ex-jornalista em atividade, inconfundível em sua sintaxe de aluguel, continua tentando plantar inverdades, coisa que fez a vida inteira. Vannelder, aqui no Balaio todos conhecem sua real identidade. Você não passa de um fantasma mal resolvido do tempo da Ditadura Militar. Vade retro, picareta…

  14. “É muita cara de pau! É humilhante ver o descaramento chegar a esse nível.” É isso aí, Vannelder, não ter mêdo de ser infeliz também é democracia, dá um cansaço “apreciar”, mas vale o sacrifício à espera de evolução.

  15. “CREDI IN CRUZ”!. Esses “políticos” nem bem começam a trabalhar – Já estão tratando de “CAMPANHAS”!.Brigando para assegurar a sua condição de dono dos votos,dos “GADOS ELEITOREIROS”!.

  16. Divaldo. Os nossos produtores rurais produzem tão bem ou até melhor do que os produtores dos Estados Unidos. É só voce viajar pelo interios do Brasil. Piaui, Maranhão, Bahia, MatoGrosso, Parana, Rio grande do Sul, São Pulo e todos os estados que voce verá plantações maravilhosas para nos deixar admirados. A diferença é que nos EUA eles tem ferrovias, as mais modernas, estradas hidrovias e maritimas, para facilitar o transporte e, com preço barato. Aqui anossa safra foi tão boa que superou em muito a capacidade do nosso sistema de transporte. Os nossos governos não investem nada na nossa malha ferroviaria e rodoviaria. Os caminhões estão enfrentando uma semana na fila para poder descarregar. Os navios esperam ate um mes nos portos.`É um descalabrio. Na proxima eleição precisamos trocar o comando do país. Os ultimos governos tem sido ruim demais.

  17. Este tema sobre vias de escoamento da produção está na linha de tiro da Rede Globo. Se os únicos beneficiados serão os produtores, já passou da hora deles bancarem estas vias. É muito fácil o empresário só produzir e obrigar o governo a levar a mercadoria ao comprador. Ainda bem que tem gente pensando assim e acho que esse será o caminho. Sr. Blairo Maggi e colegas só querem as benesses, mas devem se moverem e ajudar o país a deslanchar.

  18. FINALMENTE ! Agora sim mexeram com ela. Atacaram seus brios. A Dilma esta mordida. Ela sentiu o veneno do PIG na carne. MAS DILMA reagiu com VIGOR. É essa vontade que ela precisa por pra fora e mostrar ao país que é ela quem está no comando.

  19. Caro colega e amigo J. leite, realmente há esta disparidade, o fato da nossa infraestrutura ainda estar deficiente é motivada pelo desinteresse dos antigos governos de antes do Lula e da Dilma que não investiram nem previram que o futuro seria diferente com novos governantes de visão larga. Eu não os culpo por isso, porque o nosso país, antes do Lula ficou praticamente abandonado embora havia presidente e a sua situação ficou economicamente tão desastrada que após a posse do Lula havia tanto o que fazer que não deu tempo para se investir nesta infraestrutura. Ele teve que primeiro reorganizar tudo colocando as coisas no seu devido eixo e depois começar a fazer o que foi possível fazer dadas as premencias num tempo de governo tão curto, 4 anos. Tanto é que nem a Dilma ainda conseguiu fazer mais alguma coisa a não ser o ajuste na área social que aliás barrava em muito o nosso progresso economico girando pouco a nossa economia. Porisso que muitos e eu acho que se necessita mais uns dois governos de ambos para sairmos desse marasmo todo. Precisamos com urgencia de governos a lá Lula e Dilma senão os outros países já estão no terceiro milênio e permaneceremos ainda no segundo em termos de progresso. O tempo urge e se continuarmos como antes, de lenga-lenga o bonde da história vai passar e não registraremos nada de positivo para as futuras gerações. O Lula e a Dilma representam o mais que o urgente para o nosso país, é a razão da sua sobrevivencia neste mundo globalizado altamente competitivo.Temos que investir maciçamente neles com nossos votos para sairmos desta inércia de progresso e chegar pelo menos perto da nações mais desenvolvidas como este EUA. É o mínimo que devemos fazer para melhorar ainda um pouco.

  20. Acho engraçado aqueles que vem aqui fazer alusão a minha identidade e profissão, como se fossem “Os Astros”. Na verdade são “Os Asnos”. E falam com uma propriedade como se tivessem levado paulada na cabeça dos estudantes do Mackenzie. O máximo que fizeram foi lá por 1979 ou 1980 organizar uns churrasquinhos de fundo de quintal pra falar mal da ditadura militar ouvindo Chico Buarque cantar “…amanhã vai ser outro dia”. E tome cerveja. Muito lamentável!
    Agora, mudando de assunto: porque não se propõe a estatização de todas as rodovias brasileiras? Se a questão é nacionalizar tudo, vamos estatizar até vicinal. Afinal, com mais de R$ 1 trilhão de impostos arrecadados em 2012 – que se fosse tudo utilizado para pavimentar estradas, asfaltaria 900 mil km – seria fácil. Mas como o discurso é um e a prática é outra, os culpados pela infraestrutura precária das estradas são os produtores, que além de produzir, pagar altos impostos, ainda tem de se preocupar em asfaltar rodovias! Mas é um discurso patético. É querer tapar o sol com a peneira da incompetência administrativa federal que nestes 10 anos só produziu um mar de corrupção e descalabros.

  21. Não vi nada demais nas últimas semanas. A Presidenta trabalha, dentro e fora do Brasil, como deve fazer. E a oposição finge que se articula, visando 2014. A ausência do Serra nesta reunião do PSDB tampouco surpreende: ele vai detonar o Aécio na hora oportuna, já que o candidato de Serra é Serra. Alckmin fará o possível pra reeleger-se, mas o Serra e o FHC o trairão de novo. Qual a novidade?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *