Briga por cargos já ameaça lua de mel de Haddad

Briga por cargos já ameaça lua de mel de Haddad

A 18 dias da posse como novo prefeito de São Paulo, o petista Fernando Haddad já sofre as primeiras dores do “governo de coalizão”.

Sem enfrentar maiores dramas para montar seu secretariado, compondo uma boa equipe de governo mesclada de técnicos e políticos, e construir maioria na Câmara Municipal, o primeiro choque de Haddad com a base aliada surgiu na hora de preencher os cargos do segundo escalão.

Com a decisão de trocar os 31 coronéis da PM nomeados por Gilberto Kassab para tomar conta das subprefeituras por engenheiros de carreira, Haddad conseguiu descontentar meio mundo.

O PSD de Kassab queria manter pelo menos alguns deles e nomear outros ligados a vereadores do partido, enquanto o PT já tinha listas prontas de quadros do partido para ocupar as subprefeituras.

O novo subsecretário de Coordenação das Subprefeituras, Chico Macena, ainda tentou argumentar numa reunião com vereadores petistas que a decisão era provisória porque o prefeito não teria tempo de fazer as composições políticas antes da posse, mas não conseguiu acalmar seus colegas. A decisão contrariou até o vereador petista José Américo, indicado peloa coalização do prefeito para assumir a presidência da Camara.

“Não muda nada trocar um coronel por um engenheiro de carreira. O subprefeito vai continuar sem conhecer as verdadeiras demandas da população”, disse um membro da bancada petista ao repórter Diego Zanchetta, do “Estadão”.

A nomeação de subprefeitos não é o único problema enfrentado com o PSD, cujos oito vereadores ainda não assinaram apoio à candidatura de José Américo.

“A relação com o PT deixou de ser boa. Regredimos muito”, constata o vereador Marco Aurélio Cunha, líder do PSD na Câmara, que estuda até lançar uma candidatura própria para disputar com Américo.

Outro motivo de descontentamento dos kassabistas é a entrega da 1ª secretaria, que eles reivindicavam, para o PSDB, pela regra de proporcionalidade das bancadas.

Indicado para o cargo de Secretário do Verde e do Meio Ambiente no início do mês, o vereador Ricardo Tripoli, do PV, o mais votado na capital, agora ameaça não assumir o corgo por divergir da não cobrança de taxa de inspeção veicular para veiculos novos, uma das promessas de campanha de Haddad.

A bancada do PV tem quatro vereadores e também ainda não fechou com a candidatura de José Américo. Outros partidos da base aliada, como o DEM e o PR, estão de olho nos cargos de segundo escalão e nas subprefeituras.

Quando parecia que tudo caminhava para uma transição pacifíca na Prefeitura de São Paulo, o clima de lua de mel da posse de Fernando Haddad já parece ameaçado pelos mesmos problemas de sempre: a divisão do bolo do poder entre partidos aliados.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

17 thoughts on “Briga por cargos já ameaça lua de mel de Haddad

  1. Tudo por conta da vitória a todo e qualquer custo!.Sem essas brigas estaria incompleta a GRANDE VITÓRIA dos espertos.Dificílmente, o povo não ficará no prejuízo !.Agora, resta ao povo rezar, para que seja um fíasco semelhante ao sofrido na gestão do prefeito Celso Pita.Indicação do grande deputado Paulo Salím Maluf.

  2. Todas as vezes em que eu defendi a necessidade de se levar em conta a seriedade da votação e ela se possivel se constituir de prioridade que os candidatos a vereança seja do mesmo partido do prefeito muitos acharam que isto não tem importancia. Está aí, a razão pela qual nossa gente ainda tem muito o que aprender na hora de votar. Chamo a atenção que isto tudo pode sim ser resolvido na hora de votar, com antecedencia e a responsabilidade é do eleitor que não consegue divisar os problemas futuros. Agora vai haver reclamação e seria bem mais fácil que a maioria dos vereadores fossem do PT e aliados sistemicos porque na hora de votação de uma proposta pró povo a turma de vereadores da oposição vai votar contra e o projeto não vai se tornar realidade. Haja visto o problema da cobrança da taxa de inspeção veicular que a turma do PV acha que tem que ser cobrada inclusive pelos proprietários de carros novos e que o Hadad fez como promessa de governo, não cobrar. E agora mané? Como vamos ficar? O prefeito não quer cobrar mas a turma do PV acredito que macomunada com a turma do ex- Dem, agora PSD do Kassab não querem abrir mão. Quer dizer; trocamos de prefeito mas a turma do anterior Kassab, acha que ainda manda. Isto é o fim da picada, não dá para entender, e saber que a culpa é toda nossa os eleitores, fica pior então.

  3. Prezado Kotscho
    O então Ministro das Cidades, Olívio Dutra, disse uma vez que o governo federal “está pagando o preço pelas más companhias”, sobre os partidos da base aliada do governo e que “é necessário redobrar a cautela com os aliados”. Acho que esse alerta também vale para o futuro governo da capital de São Paulo.

  4. Era de se esperar, com esses parceiros…
    Só não pode dizer depois que foi traído, não sabia de nada, e culpa da mídia.
    Mas ele tem que tomar cuidado mesmo é com o pessoal de seu partido.

  5. Pelo andar da carruagem o Haddad vai ter mais dificuldade para governar do que o kassab. O Kassab enfrentou uma oposição serrada. O Haddad vai ter que enfrentar os seus aliados e até mesmo o seu proprio partido, a oposição é insignificante. Ja começa em ter as suas contas de campanha rejeitada pela justiça eleitoral. Vamos torcer para que ele enfrente os aliados e faça uma boa administração. O povo de São Paulo merece.

  6. “RICARDO” tu achavas que o *moreno alto,bonito e sensual* iria livrar – se dos abutres do poder,ou melhor do *PUDÊ*:é ruim heim!!!!…
    “HERALDO CAMPOS” – Lamentavelmente *todos os governos sem exceção,independente das letrinhas dos partidos* tem que acender uma vela para DEUS e outra para o diabo,caso contrário simplesmente *NÃO CONSEGUE GOVERNAR*,o *moreno alto,bonito e sensual não vai escapar desse carma*:”né brinquedo não merirmão”….

  7. Será que certos comentaristas são tão ingenuos assim e não sabem que para governar nesse sistema atual instituido pela grana é nescessario fazer aliança até com o diabo, qual governante foi diferente, cite 1 !!

  8. Esse é o problema dos governos de coalização. Essa “coalização” funciona apenas para pleitear cargos para pessoas boa parte das vezes não indicadas para os mesmos. E isso não é um problema do PT. É um problema dos políticos brasileiros, desde o tempo de D. João VI.

  9. Essas coalisões são muito divertidas. Kassab ganha votos da classe média prometendo eliminar a inspeção veicular. Ninguém tolera essa p… que é a inspeção veicular mas….o Tripoli (vereador verde, defensor dos animais) “ameaça” não assumir a secretaria por causa disso. O PV está indignado. Com quem será o estelionato???? Com os eleitores da classe média que votaram no cidadão??? ou com o PV que apoiou o cidadão??? Como acomodar essa situação???? Quanto vai nos custar essa acomodação??? Ou alguém tem dúvida que isso vai custar uma nota ao contribuinte paulistano??? Vamos pagar a conta de todas as alianças costuradas para eleger o cidadão.

  10. Se acendem velas(acredito atéque acendam) são todas para o diabo!. Deus não precisa de luz artifícial.Quem vivena escurid~~ao é o diabo e todos os corruptos.Independentes de siglas partidárias e ideológias(se houverem).

  11. Pelo que estou vendo, nem assumiu e terá que ”amarrar o rabo” em algum lugar que interesse. Mas, 31 coronéis da polícia…precisa mandar esse pessoal fazer policia! É bom tomar uma posição e limpar o ”terreiro”.

  12. O grande nome do PT se chama João Santana. Taí um cara que eu admiro. Com sua propaganda eleitoral impecável ele reelegeu Lula, elegeu a Dilma e agora o Haddad. É pena que ele não faça parte dos governos que ajuda a eleger. Com sua eficiência, seria um excelente quadro. Porque passada a eleição, os eleitos não fazem nada. É o que acontece com a Dilma e o que provavelmente vai acontecer com o Haddad. Inércia total. Muita garganta e pouca ação. O pior de tudo isso é saber que Kassab e Maluf já estão pegando suas fatias no futuro governo municipal. Além do Kassab ir para o Ministério de trocentas pastas que a Dilma herdou do Lula, para acomodar essas firmas lucrativas que se chamam partidos políticos. Mas tudo é culpa do FHC e da PIG.

  13. Sobre o comentário do Jonas, Haddad disse que irá eliminar a cobrança da taxa para a inspeção veicular. Subentende-se que ela será mantida para o bem da segurança ambiental, deveria ser estendida também para as condições de freios, amortecedores, pneus, direção, estrutura sem comprometimentos por batidas ou ferrugens, etc.

  14. Estimado colega Brasil, gostei da sua sutileza sobre os 31 subprefeitos coroneis aposentados que o Kassab arranjou. Vou ser um pouquinho mais condescendente. O Kassab foi insensível para com estes bravos senhores que já contribuiram com a nação e justamente no momento do seu descanso lançou mais este desafio de tantas dores de cabeças com estas subprefeituras para lhes tirarem as noites de sono. Eles merecem todo o nosso respeito, mas nada de novos desafios, viveram sobre a corda bamba muitos anos e prá que tirar o socego deles? Por aí se vê que o ex-prefeito foi um caudilho para estes valorosos heróis. Acho que Hadad terá uma idéia mais original que o ex-prefeito e fará escolhas dentro da perspectiva de cada macaco no seu galho deixando sossegado quem precisa do descanso e não de novos desafios. Isto que o Kassab fez foi desumano e ileal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *