Como fica o governo Dilma após as eleições

Como fica o governo Dilma após as eleições

Em agosto, não por acaso, quando começaram ao mesmo tempo a campanha eleitoral e o julgamento do mensalão, a presidente Dilma Rousseff tinha um objetivo principal: manter o governo o mais distante possível das disputas e sair das eleições com a mesma base aliada com que entrou.

Dilma só participou de meia dúzia de comícios nos dois turnos e, agora, que faltam apenas quatro dias para a abertura das urnas, está fazendo um balanço de perdas e ganhos para ver o que vai fazer no período pós-eleições e pós-mensalão.

A disputa eleitoral entre partidos da base do governo provocou alguns abalos aqui e ali, sem maiores consequências, mas a principal questão que fica é como se comportará o PSB de Eduardo Campos daqui para frente.

Fiel aliado do PT de Lula desde a primeira eleição presidencial pós-ditadura, em 1989, quando o governador de Pernambuco era Miguel Arraes, avô de Campos, o PSB jogou em várias frentes no segundo turno, deixando em aberto o rumo que seguirá até a sucessão de Dilma daqui a dois anos.

O fato é que o governador de Pernambuco e presidente do PSB não só não subiu nos principais palanques do PT no segundo turno, como ainda por cima se aproximou cada vez mais do tucano Aécio Neves, o virtual candidato tucano em 2014.

Depois de participarem juntos de um comício em Uberaba, Aécio decidiu ir a Fortaleza e Campinas nesta semana, a convite de Eduardo Campos, para apoiar os candidatos do PSB. Detalhe: nas duas cidades, o adversário é o PT.

O que Campos sinaliza?, perguntam-se os estrategistas do governo. Pode tanto estar se cacifando para conquistar mais espaço no governo Dilma, como ensaiando um voo próprio para 2014, apresentando-se ao eleitorado como a terceira via diante da eterna polarização entre PT e PSDB. O governador já avisou que não pretende ser vice de ninguém e não tem pressa para chegar a Brasília.

Nas atuais condições de tempo e temperatura, embora tivesse crescido bastante em número de prefeituras e de votos no primeiro turno, o fato é que o PSB ainda não tem estrutura nos maiores colégios eleitorais do País para enfrentar os dois grandes partidos nacionais.

A presidente e o governador não se falaram durante o segundo turno e não está nos planos de Dilma tomar a iniciativa de marcar um encontro entre os dois. O Planalto vai esperar que Campos dê o próximo passo.

Enquanto isso, o PMDB de Michel Temer aproveitou a brecha deixada pelo PSB para reforçar sua aliança com Dilma e garantir a repetição da chapa para a disputa presidencial de 2014.

A lista de pendências da campanha eleitoral inclui o PDT de Paulinho da Força e o PR de Valdemar da Costa Neto, que apoiaram o PSDB de Serra em São Paulo, e o PRB, que está se aproximando do governador Geraldo Alckmin, já discutindo alianças para 2014.

Com o mapa dos resultados das eleições em mãos, a presidente deverá chamar para uma conversa os líderes da base aliada e só depois começará a montar a sua esperada reforma ministerial.

Para Dilma, caso seja confirmada no domingo, a maior vitória será a de Fernando Haddad em São Paulo, berço e principal reduto dos tucanos. Pela primeira vez, o PT elegeria um prefeito da capital paulista apoiado pelo governo federal, no momento em que o partido é bombardeado dia e noite na mídia por conta do julgamento do mensalão.

A presidente Dilma ainda não se pronunciou sobre o assunto, mas sabe que, após as eleições, terá que falar alguma coisa, não dá para fazer de conta que não aconteceu nada. Só não sabe ainda como e quando fará isso.

 

18 thoughts on “Como fica o governo Dilma após as eleições

  1. Dilma ficara onde sempre esteve…..competente gerente….mulher de fibra goernando com altos indices de popularidade….testada nos palanques municipais onde arrebentou…..costurando sua reeleição em 2014……..Lula para governador de sampa em 2014……para sepultar o picole de chuchu……pois havera grande cinturao de prefeitos do PT na Grande SP……..

  2. Kotscho, realmente eu não entendi o seu texto. O que de grave teria acontecido no governo Dilma para você fazer a pergunta “Como fica o governo Dilma após as eleições”. Em se tratando do afastamento de Eduardo Campos, na minha parca opinião, analisei como um processo quase normal, haja vista que um político que comanda um partido que cresce, tem mais é que rever as suas posições. Quando disse “quase”, é porque vejo um leve sinal de traição por parte de Campos para com Lula, e só. Daí a se pensar em uma consequência maior,só o tempo vai dizer,e se for para o bem do PSB (partido de Campos), qual o problema? Isso seria motivo de espanto numa democracia, ou seria um fato normal?Vou tentar ir um pouquinho mais longe. Pelo meu olhômetro do momento,quem perde nesse caso, é Eduardo Campos.

  3. Inflação aumentando, inadimplência e endividamento da sociedade atingindo níveis preocupantes, bolha de especulação imobiliária indecentes, infra-estutura de estradas, portos, aeroportos e ferrovias sucatedas, aumento da gasolina, saúde pública se deteriorando em hospitais federais caindo aos pedaços, fronteira aberta para a livre entrada de drogas e armas para a bandidagem que aumenta a violência; sem falar que um dos condenados pelo STF por corrupção ativa e formação de quadrilha era dia desses assessor do Ministerio da Defesa. E ainda tem gente chamando isso de GOVERNO?

  4. A verdade é que existe um vácuo enorme a ser preenchido deixado pelo DEM e parcialmente pelo PSDB que deverá ser preenchido por Partidos emergentes como o PSB de Campos. Dentro desta circunstância nova, é evidente que as alianças devem ser rediscutidas. Mas não vejo nem sombra de crise no ar…

  5. PT já teve a prefeitura uma vez, e durou só um mandato… Em SP capital temos ainda muitos cegos ideológicos que caem na esparrela social de quem na verdade investe mesmo é no próprio partido e principalmente usando d ecorrupção. Ganhando em SP acham que conseguem o palácio dos Bandeirantes, mas nunca conseguiram, pois o povo paulista (do estado0 não cai nessa, por isso até nas eleições presidenciais o PT dos corruPTos sempre perde nos votos de SP e Minhas, aliás os dois estados mais desenvolvidos da nação e onde as pessoas tem mais acesso a informação e são menos influenciadas por “salvadores da pátria’ chegados a mentiras e a ditadores e a corruPTos!

  6. Eduardo Campos foi selado para realizar o sonho da minoria que seu avô combatera.
    Pode ser um rosto bem apresentável, embora sua origem não é aquela que a elite branca gostaria.

    Tomara que não seja o Demóstenes de amanhã.

  7. Eduardo Campos aos poucos vai sendo vitaminado pela mídia, no sentido de torná-lo grande para travar a batalha que tanto quer mídia, controlada pela mídia da minoria.
    Mas é bom lembrar que os ungidos pela mídia sempre dão com os burros n’água. Basta lembrar do Demóstenes.
    Acho que o Campos pode ser o demóstenes de amanhã. Tomara que não, embora está trilhando o caminhado aberto para ele. Cuidado!

  8. Kotscho, eu não disse que Eduardo Campos não deve estar com essa bola toda? E que ele parece estar meio embriagado com um sucesso político que ainda nem se concretiuzou pra valer? Pois sim, veja o que acabo de ler em um trecho de matéria no site de Luis Nassif:
    “Os vereadores já foram informados das negociações de Kassab com o governador pernambucano Eduardo Campos visando a futura fusão do PSB de Campos com o PSD de Kassab”. Já pensou o desastre político do PSB, caso se concretize essa fusão que Eduardo Campos estaria negociando com Kassab? Penso que Eduardo Campos está por demais embriagado por ter feito o prefeito de Recife e mais uns outros do Estado de Pernambuco. Acho que se ele não tiver pelo menos a metade do equilíbrio político que Lula tem, vai dar com burros n’água,já já.

  9. Luis Jorge, das 16:43… aproveita o embalo da tua exaltação anti-corrupção e nos explica aqui o livro A Privataria Tucana. Não leu? Ah que pena…

  10. Me permitam, não poderia deixar de contar o que ouvi numa roda de discussão política. – Alguem já exaltado, para por panos quentes na acalorada discussão, disse: Aquele que oferecer aos eleitores barcos infláveis para serem usados nos dias de alagamentos, ganha!

  11. Eu pessoalmente acho mto engraçada analises que fazem após cada eleição. Uns dizem que a vitoria foi do Lula e Dilma em determinada cidade, em outra foi do Aécio segundo a Globo, por motivos obvios. Sempre querem imputar a esse ou aquele os resultados, como se ainda fossemos tutelados por coronéis.O povo não é bobo, como diz o Lula, ele vota com o termometro exato de que sua vida piorou ou melhorou, ao contrario de nós que temos um voto mais ideologico. Por isso não existe ¨poste¨. Quem elegeu a Dilma não foi o Lula, e sim o governo Lula, que tirou milhões de brasileiros da miseria, quem vai eleger Haddad não é Lula, e sim a tragica gestão de Kassab. Ou a elite deste pais aprende a respeitar o povo, ou não vão ganhar mais nada …. O Lula como sempre tem razão, O POVO NÃO É BOBO……

  12. SE O PSDB PERDER EM SÃO PAULO ,O GRANDE CULPADO DESTA DERROTA É O SR. JOSE “TEIMOSO”SERRA QUE CANSOU O ELEITOR E O PIOR, NÃO CUMPRIU COM A PALAVRA!

  13. Analizando os candidatos da oposição em outros estados da Federação, notamos os mesmos argumentos cheios de vicios do PSDB ou oposição.
    Eles sempre se declaram superior a qualquer candidato da esquerda, dizendo que tem experiência e competência.
    Nós ja conhecemos essa historia/argumentos da competencia em S.P que é copiado para todo o Brasil, onde nossa Sampa está um caos.
    “Competecia” isto é, compete e estão perdendo, essa é a copetencia.
    As prefeituras que tinham perderam e a inda insistem nesses argumentos, achando que ainda cola.
    Queremos incopetentes e inexperientes sem vicios de conduta, é o que deu certo está dando certo seguindo ao contrário o argumento dos candidatos empresariais do PSDB.

  14. Nota-se que existe uma semelhança pontual entre duas criaturas bem dispares na historia do brasil. No item usar no momento certo a autoridade dilma se parece com…perdao da palavra, E.Geisel.
    Ela sabe que quando o poder se amolda demais as circunstancias e pessoas, o caminho á frente fica mais escuro e escorregadio. Se ela forçar a situaçao contraria, o caminho será mais firme e transitavel.

  15. Da mesma forma que serra disse que o Haddad esta despreparado para assumir a prefeitura de São Paulo, esse mesmo tinha falado que o Celso Russomano também não estava. O Serra é muito mal veja o que ele disse até da record: “Isso é lorota, eles estão querendo proteger o Russomanno, que não quer debater. Nós não negamos, não houve negativa. Eles agora estão voltados a essa proteção. O Russomanno para fazer campanha agora precisa estar protegido porque ele não tem muitas ideias, é uma pessoa muito vulnerável, despreparado. Então se é exposto, fica fragilizado. E a Record está colaborando para protegê-lo”. Esse é o serra que quando está em desvantagem atira para todo o lado afim de desconstruir uma imagem, uma história. Podia ser eu, vc ou outra pessoa, se o enfrentasse em alguma sincustância, o desrespeito e as ofensas serião inevitáveis por parte desse senhor! Mais qual candidato do psdb que não é agressivo desse jeito não é verdade? É muito triste ter uma oposição que busca os seus próprios interesse, e não o da popúlação.

  16. Só discordo do fato em que diz, que o lula não trás voto, eu mesmo vou votar aqui em minha cidade em um candidato do pt, por que vi que o lula pode trazer a mesma luz para poste(possível prefeito do pt) como trouxe para a Dilma governar o Brasil. O Lula é uma trás uma boa espectativa para a população que não sabe em quem votar para governar sua cidade. Por causa do lula que voto em Mauá no Donizete Braga, tenho a certeza que se o brasil melhorou foi pelo fato de ter alguém lá que soube conversar e como bom negociador que o lula é, os municípios será melhor tambem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *