CNBB quer falar de aborto na campanha eleitoral

CNBB quer falar de aborto na campanha eleitoral

As greves se alastrando no serviço público, sem perspectivas de solução, indicadores negativos em todas as áreas da economia, atentados terroristas com muitas mortes lá fora, as novidades não são nada animadoras nesta manhã de quinta-feira. Fica cada vez mais difícil garimpar notícias boas como pede a minha colega Andrea Beron, na bancada do Jornal da Record News.

Mesmo com o recesso do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal, com Brasília vivendo uma trégua política, a campanha eleitoral não consegue chamar a atenção e ocupar espaços no noticiário, pelo menos em São Paulo.

O clima está ficando cada vez mais esquisito. No momento em que se anuncia a criação da 30ª sigla, um tal de PEN (Partido Ecológico Nacional), o esculacho do sistema partidário brasileiro chega ao fundo do poço, o que pode explicar o desinteresse do eleitor e o surgimento em cena de outros atores para preencher o vazio. Pois a principal novidade do dia é esta.

Para esquentar o debate, agora entra em campo outra sigla, a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), entidade máxima da igreja católica no país, que anuncia quais são seus temas prioritários para as eleições de 2012.

Por acaso são saúde, educação, segurança, moradia, temas recorrentes que a instituição levanta todos os anos nas suas “Campanhas da Fraternidade”, e que deveriam ser as principais preocupações dos candidatos em todas as cidades brasileiras? Nada disso.

Em entrevista ao repórter Fernando Rodrigues, da “Folha”, o secretário-geral da CNBB, Leonardo Steiner, abriu o jogo.

Bispo Leonardo Steiner, secretário-geral da CNBB

Além de defender o óbvio voto em candidato ficha limpa e o combate à corrupção, o bispo quer discutir a liberalização do aborto e o casamento entre pessoas do mesmo sexo, como se estes temas fossem da alçada de prefeitos e vereadores.

Por coincidência _ ou não _ foram estas as bandeiras levantadas pelo tucano José Serra na última campanha presidencial, em 2010, para atacar a sua então adversária Dilma Rousseff, hoje presidente da República.

Novamente candidato municipal, pela quarta ou quinta vez, Serra anda sumido e ainda não apresentou ao eleitorado alguma ideia nova sobre o que pretende fazer para melhorar a vida dos paulistanos, caso seja eleito.

As bandeiras levantadas pelo secretário-geral da CNBB podem servir para alguns candidatos chamarem a atenção da freguesia, mas certamente não contribuem para melhorar o clima político no país.

Partido é partido, governo é governo, igreja é igreja, judiciário é judiciário, imprensa é imprensa _ assim como antigamente se dizia que polícia é polícia e bandido é bandido.

Quando estas instituições começam a misturar estações e invadir a área das outras, embola o meio de campo e fica ainda mais difícil o eleitor definir quem é quem nesta suruba pouco republicana do mercado eleitoral.

Desse jeito fica difícil atender ao pedido da nossa Andrea Beron. Quem sabe, até o telejornal entrar no ar, ás nove da noite, surja alguma notícia boa para a gente mudar o disco. Se os caros leitores do Balaio puderem me ajudar, eu agradeço muito.

Alguém por aí tem alguma notícia boa para me dar, nem que seja sem muita importância para os destinos nacionais?

Em tempo, às 12h30:

Acabei de encontrar uma notícia boa _  não só boa, como ótima. “Aumento do salário e programa de distribuição de renda fazem pobreza cair 36% no Brasil, diz OIT”. Está na manchete do portal UOL, que informa:

“Estudo divulgado nesta quinta-feira (19) pela OIT (Orgsanização Internacional do Trabalho) com diversos indicadores socioeconômicos compilados mostra que, entre 2003 e 2009, a pobreza no Brasil caiu 36,5%, o que significa que 27,9 milhões de pessoas sairam da condição nesse periodo. Segundo a OIT, são consideradas pobres aquelas pessoas cuja renda fica abaixo de meio salário mínimo mensal per capita”.

Aguarda-se a manifestação da CNBB sobre o assunto.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

14 thoughts on “CNBB quer falar de aborto na campanha eleitoral

  1. Uma notícia boa e bem humorada para esses dias seria: Serra foi abduzido pelo Álvaro Dias !!!!!!
    Certamente seria a manchete do Sensacionalista …

  2. Senhor blogueiro.
    Desde o dia em que algum marqueteiro maluco inventou a história de que “cachorro morder alguém, não é notícia. Notícia é alguém morder o cachorro”, a mídia, em franca fase consumista autofágica, tem seguido esta máxima. Vale dizer, só é notícia o submundo, o esgoto, a ralé, o lixo, a podridão humana. Quanto pior, melhor. Mais vende! Talvez por isso a mídia esteja em franca decadência e o povão prefira, cada vez mais as redes sociais para informar-se da Verdade. Dos fatos ruins mas também dos bons. Dos dois lados da moeda, sem manipulações!

  3. A festa dos urubus.

    Amigos, preparem-se que a mídia agora vai tocar o bumbo do apocalipse até meados de agosto ou setembro. A recuperação econômica do Brasil deverá se dar somente no segundo semestre, e os dados referentes à junho, julho e agosto, só serão divulgados, é claro, a partir daí pra frente.
    Eu não quero ficar culpando a mídia por tudo. Sei que há dificuldades reais na economia mundial, que afetam o Brasil. Isso é óbvio, já que não somos uma ilha isolada. E concordo que o governo é ineficiente. A estrutura do Estado brasileiro ainda é precária. Temos eventualmente administradores ou dirigentes talentosos, bem intencionados. Há dinheiro para investimento. Mas tudo acaba sempre esbarrando nos gargalos da burocracia burra, despreparada, com formação ruim e, sobretudo, dona de uma cultura viciada.

    Soma-se a isso o pânico geral no funcionalismo público com as novas leis de transparência, de um lado, e com a disposição guerreira de promotores públicos e agentes federais de mostrarem serviço. Ninguém quer assinar nada. Ninguém quer liberar nada. As obras ficaram paradas meses, anos, todo mundo empurrando um para outro a responsabilidade de fazer uma nova estrada, uma nova barragem, um novo trilho férreo.

    É positivamente ridículo que o Brasil esteja há quase 30 anos tentando fazer a ferrovia norte-sul, enquanto a China acaba de concluir uma obra similar em dois anos.

    Mas é melhor que os funcionários estejam com medo de assinar, e haja transparência pública, do que vivermos num regime totalitário. Aliás, é infinitamente engraçado que analistas econômicos ultraneoliberais festejem tanto o desempenho da China sem fazerem a necessária ressalva democrática

    Leia mais: http://www.ocafezinho.com/2012/07/16/a-festa-dos-urubus/

  4. Jornalista seempre a honrar a verdadeira categoria desta magna profissão social e cultural, Ricardo Kotsho comme d’habitude na Rosa dos Ventos da legitima informação pública, de novo, nos relembra o valor do Norte na Bússola. E o faz com sua tipica experiência e proficiência, ao re-demonstrar que moral confessional de qualquer credo não deve de jeito nenhum imiscuir-se como defensoria de direitos particulares de seus adeptos ou não, especialmente numa campanha eleitoral e politica.

  5. Caro Ricardo, CNBB é Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Como tal, insiste antes de tudo em que não se vote em candidatos com ficha suja. E admite que tudo o que seja de interesse das pessoas possa ser discutido na campanha. Sem golpes baixos.

  6. Weimar – 19/07/2012 – 12h43
    ”Desde o dia em que algum marqueteiro maluco inventou a história de que “cachorro morder alguém, não é notícia.” E não é mesmo. O inverso é, MANCHETONA.
    Não amigo. Não foi nenhum marqueteiro que ‘inventou” esta história. Isto é uma fórmula simplificada —quase futebolizada— de definir O que é interesse jornalístico. Acontecimentos ,eventos, acidentes e desencontros, claro ,acontecem todos os dias e toda hora. Daí a ser relevante parA o jornalismo vai uma grande distância. Por exemplo; todos os dias, milhares de aviões pousam e decolam no mundo inteiro. Se tudo for normal, os pousos e as decolagens e a viagem perfeita, não é notícia. Mas, se entre estes milhares, um se acidentar e houver mortes, aí sim, é notícia de 1ª página.
    Fácil de entender, não é?
    Ocorre que o governo PT ,composto em grande parte por esquerdistas pós muro —viúvas inconsoláveis de Stalin— entendem que eles, só por pensarem assim ,isto, por si só, já dá manchete de jornal. Não é assim! Os viúvos ,aliás, ficaram fulo da vida com cobertura dos acidentes da GOL e da TAM. Era para ser mais ,como direi, mais…maneIrado!!! Mostrar só uma vezinha no horário nobre. Para que tanta exposição? Imaginam.
    Na Coréia do Norte ,Cuba, Venezuela, Equador, Bolívia e outros ”simpatizantes” da democracia de araque, não é assim que funciona.

  7. Não nos esqueçamos jamais que a Igreja Católica é ”CRISTÔ (Parece que muita gente esqueceu este detalhe) E para os cristãos o aborto não é uma questão sobre a qual a mulher tem o direito de escolher. É uma questão de vida ou morte de um ser humano feito à imagem de Deus (Gênesis 1:26-27; 9:6).
    E pronto.
    Eu, particularmente, sou pró aborto. Se fosse um parlamentar votaria por uma legislação permissiva.
    A CNBB representa o Cristianismo num país que é ”inteiramente” Cristão e, cerca de 75% Cristãos católicos.
    O IBGE apurou que há, no Brasil, 7% de ateus.
    Nos países Europeus, só a Polônia ainda pune o aborto. O último que descriminalizou foi Portugal, em 2008, por força de um plebiscito, que praticamente empatou ,mas o 1º ministro tinha o poder de decidir e o fez pela ”despenalização” do aborto.
    A CNBB, portanto, não se imiscui nas questões de Estado, apenas orienta os fiéis para agirem de acordo com a fé Cristã.

  8. Caro Kotscho.
    Falando em jornalistas e do O CRUZEIRO, eis que me veio à lembrança o episódio David Nasser x Leonel Brizola , nos anos 60. No dia 26 de dezembro de 1963 o então deputado, Leonel Brizola viu o diretor de O CRUZEIRO no balcão da Varig no Aeroporto do Galeão . O jornalista, meio distraído só ouviu quando o deputado, com voz exaltada disse: ‘’PREPARA-TE PARA APANHAR’’ E mais não disse, desfechando um poderoso soco no ouvido do jornalista que caiu imediatamente no chão ensanguentado e zonzo. Mesmo assim, ali mesmo no chão ouviu outra ameaça: “DA PRÓXIMA VEZ TERÁS QUE ENGOLIR O ARTIGO INTEIRO”. Brizola referia-se a um editorial de duas páginas, publicado na edição de 20 de julho/63 da revista o CRUZEIRO.
    David Nasser escreveu outro editorial , desta vez intitulado ‘’O COICE DO PANGARÉ’’
    É meus caros. O Audálio Dantas viveu estes tempos onde o ofendido ao invés de procurar a justiça fazia o jornalista ‘’engolir o texto inteiro’’ .Três meses depois desta façanha do deputado Brizola, veio o 31 de março de 1964.
    O episódio foi manchete em todos os jornais da época e matéria de primeira página na Folha de S.Paulo e O Estado de S. Paulo e virou literatura de cordel nos versos de alguns poetas Nordestinos que exaltavam a macheza do gaúcho.

  9. As religiões são criação do homem para explicar para si mesmo o seu destino final do qual ele se borra de medo. Esse do império do Vaticano é a pior delas , pois se julga proprietário de Deus e disto sabem os que conhecem bem sua história. São elas um negócio tão bom que até hoje surgem igrejas em todos os cantos, pois nada é mais rentável e com baixo investimento inicial. A CNBB se eu fosse governante mandava fechar, pois vivemos num estado laico e essa insituição tem a ousadia de pretender pautar a vida nacional. Fora com esses crápulas. Que se preocupem com os seus pedófilos exatametne eles que atribuiam a nós petistas sermos comedores de criancinhas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *