Não percam a entrevista de Eduardo Giannetti

Não percam a entrevista de Eduardo Giannetti

Esta nota do blog é só uma dica: vai ao ar na noite deste domingo, a partir das 22 horas, na Record News, o programa Brasil em Discussão, com a entrevista do economista, sociólogo e filósofo Eduardo Giannetti da Fonseca, uma das melhores de que já participei na minha vida.

Ao final de uma hora de conversa na gravação feita sexta-feira (e transmitida ao vivo pelo portal R7), saí do Estúdio A da TV Record, na Barra Funda, de alma leve, mais otimista e de bem com a vida.

Com a moderação de  Heródoto Barbeiro, participaram também da entrevista meus colegas Nirlando Beirão e Marco Antonio Araújo, do R7, que eu não conhecia pessoalmente, e para mim foi uma grata revelação.

Giannetti falou de todos os problemas que o mundo enfrenta nas mais diferentes áreas, da crise econômica mundial ao consumismo que detona o meio ambiente, com conhecimento, sabedoria e bom humor.

Ao mesmo tempo, apresentou soluções inovadoras para trocarmos os indicadores do PIB, o Produto Interno Bruto, pelas novas medidas do FIB, a Felicidade Interna Bruta.

Para saber do que se trata, só vendo. Se você anda desanimado da vida com o noticiário da nossa imprensa, achando que ninguém presta e nada tem mais jeito, revoltado com o circo armado na CPI e a cara de pau dos nossos políticos, o papo com este professor que gosta de dar aulas parecendo que está só batendo um papo, pensando em voz alta, o programa é uma injeção de esperança.

Não percam.

(Atualizado às 12h00, de 29 de maio de 2012)

A entrevista está disponível no R7, assista:

[r7video http://videos.r7.com/economista-eduardo-giannetti-fala-sobre-os-rumos-da-economia-no-pais/idmedia/4fc2ee6c6b71e61d7af11e0d.html]

18 thoughts on “Não percam a entrevista de Eduardo Giannetti

  1. Bom dia cidadão K!!! Como anda o balaio e os balaieros? Os butequeriros e a nova safra de militantes? Vc nos indicou dois, bom demais, vamos elevar as expectativas e nos deleitarmos!!! Que o consumismo sem limites e desenfreado está detonando o meio ambiente, não dúvida, e o que vc e o balaio pensa sobre o veto da tia Dilma? Será que os filhotes da UDR e Caiados vão cuidar das APPs? E os ambientalistas, ecologistas, legalistas vão fiscalizar as florestas? E a militância guerreira vai se renovar com a agilidade do Capitalismo? Ecossitemas, biodiversidade, bioética, farão prte de nossos debates e discussões? Enfim o que será? Como cada um e todos escolherá o melhor para o seu municipio este ano?

  2. Posso até assistir, seguindo a sua dica, RK.
    Mas esperar boas idéias para um mundo melhor vindo de um pensador tucano, cê tá de brincadeira, como diria o Neto.

  3. Não percam a entrevista(?!) de Gilmar Dantas Mendes que demonstra com invulgar habilidade como tirar a toga pela cabeça em nova versão do samba do afro-descendente insano.

  4. Caro Kotscho,

    Primeiramente, gostaria de parabenizá-lo pelo balaio e pela sua trajetória de jornalista comprometido com o Brasil e com o nosso povo.

    Também gostaria de dizer que aceitei sua sugestão e assisti a entrevista sugerida por você, no R7 News.

    E gostaria de registrar aqui minha opinião.

    Foi surpreendente! Se a filosofia pressupõe profundidade e reflexão, foi tudo o que não vimos (ou ouvimos). Durante diversos momentos, os assuntos mudavam constantemente, apenas com uma frase ou duas frases do entrevistado, sem aprofundamento. Um mosaico de frases, sobre tudo, quase sempre se Giannetti era a favor ou contra. Sugiro que você assista o programa, novamente, fora do “calor do momento”.

    E finalmente, ao final da entrevista, a conclusão que chego que, após a entrevista pingue-pongue, e a partir das respostas dadas pelo entrevistado, me faz ter certeza que este “pensador” tem uma visão hiper-eletista do Brasil e do mundo.

    Dizer que os países ricos não são ricos a custas dos países pobres é revelador. Faltou perguntar a Giannetti, se ele não “copiou e colou” nas aulas de história. Ou mesmo das aulas de política econômica e história da economia mundial. Perguntaria se ele já ouviu falar do colonialismo.

    E para falar de um fato atualíssimo, perguntaria se ele sabe por que as multinacionais estão fazendo remessas de lucros para as suas matrizes, sendo este um dos grandes problemas brasileiros. Somente em abril, na forma de lucros e dividendos as empresas multinacionais instaladas no Brasil, remeteram para o exterior US$ 2,42 bi !!!

    Por isso, acho que é bom ter cuidado com fala mansa e idéias “pockets”, só para vender uma opinião “moderna”, baseada na “verdade filosófica” que o entrevistado tenta vender junto com seus títulos acadêmicos e conseguir impor uma visão elitista de sociedade.

    Abraços e muita saúde para você, caro Kotscho,
    Marcelo.

  5. Ótima entrevista. Giannetti é um intelectual completo com uma compreensão sistêmica da complexidade dos fenômenos sociais. Com ponderada influência do materialismo histórico de Marx, não é um pensador, escasso no presente momento histórico, adepto a doutrinamentos ideológicos, mas pragmático no entendimento em que se denota o cálculo metódico no exercício fenomenológico – economia também é uma espécie de fenomenologia social. A honestidade de suas asserções, mesmo quando se trata de suma opinião, o difere da maioria dos poucos intelectuais, por assim dizer, de última geração (já que não há mais uma formação programática de intelectuais no mundo), que consolidaram sua trajetória e sua notoriedade pelo partidarismo voluntário mais do que pela pertinência da produção propriamente teórica e/ou cientifica. Precisamos de produções intelectuais isentas do assédio ideológico das correntes de pensamento e do aliciamento do partidarismo político.

  6. Gostei muito da discussão, apenas gostaria que tivesse falado mais sobre cotas. Olha Eduardo Giannetti, eu sou afro-descendente de familia carente, tenho Curso Superior e a minha felicidade é ter criado minha filha sozinha e hoje ela ter dois Pos-Doc e ter sido aprovada num concurso de Professora na França.Pois é. Sem COTA.

  7. Mais uma vez, parece que o RK se deixa inebriar, de vez em quando, pela proximidade de tucanóides como o seu colega Heródoto. Um jornalista com a sua experiência não pode ser “enrolado” por um enganador com o tal do Giannetti. Ainda bem que não assisti a tal entrevista, para não ficar mais chateado ainda. Os comentários do Marcelo Gonçalves são suficientes para demonstrar que eu estava certo em não seguir o conselho do RK…
    Porque, ao invés de ficar elogiando mais tucanóides como o Giannetti, este excelente jornalista, como de fato o é qdo não se deixa levar por certos enganadores, não aproveita a sua bela e sincera amizade com o Lula e arranca dele uma declaração sobre o que, de fato, aconteceu no tal encontro dele com o Gilmau e o Jonhbim? Este seria o “furo” jornalístico do século….

  8. Pode até ser, mas tenho cá minhas dúvidas. Esse Giannetti vive participando do programa do Willian Waack na Globonews. As posições dele são muito claras em favor do neoliberalismo. Ele, em várias ocasiões criticou duramente a política do governo Lula e depois Dilma, sempre com críticas com viés liberal estilo elite brasileira. Elogia e sempre defendeu as políticas do FHC e assemelhados. Não gosto e não concordo com as posições dele. Portanto apesar do convite para assistir a entrevista, sinceramente, não vou assistir.

  9. Conheço-o desde as entrevistas recorrentes concedidas à Globo.
    Veemente técnico da FIESP, e como tal defensor sistemático de todo atraso que emana dessa instituição.Inclusive a derrubada da CPMF,que beneficiou tradicionais sonegadores. Previsões furadas, são sua especialidade,aliás, torce e não prevê nem avalia. Mais uma fraude produzida pelo tucanato que desde as privatizações, entraram com sua “criatividade” em recesso. Lamentável.

  10. Me corrijam se eu estiver errado, mas quando o bush filho invadiu o Iraque esse giannetti teria criticado o governo Lula por não ter enviado tropas para lá? Elogiar o giannetti… Esse blog às vezes desconcerta tanto.

  11. Se me permitem uma sugestão. Nas próximas entrevistas fazer discussões por blocos. Me pareceu que as perguntas vinham meio ao acaso. Deixando o entrevistado meio “tonto”. Pode ser só uma impressão minha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *