CPI vira circo e está exibindo novas atrações

CPI vira circo e está exibindo novas atrações

No grande circo em que se transformou a CPI do Cachoeira em suas cinco primeiras semanas de funcionamento, não se avançou um passo sequer nas investigações já feitas pela Polícia Federal sobre a organização criminosa para esclarecer seus vínculos políticos, empresariais, jurídicos e midiáticos.

A única novidade até agora foi o aparecimento de novas estrelas de CPI, alguns destes tipos que rompem o anonimato e sempre aparecem quando se acendem os refletores da televisão para transmissões ao vivo, com a sala da comissão repleta de jornalistas.

Uma destas atrações é o deputado federal Fernando Francischini (PSDB-PR), delegado licenciado da Polícia Federal, que está em seu primeiro mandato. Nesta quinta-feira, ele teve seu dia de glória ao bater boca com o relator da CPI, Odair Cunha (PT-SP), e ameaçar sair na porrada com o deputado Dr. Rosinha (PT-PR), que tomou as dores do colega.

Caminhando pela CPI com o peito estufado e o paletó aberto, como se estivesse num “saloon” do velho oeste americano, e pudesse sacar uma arma a qualquer momento, o deputado-delegado partiu para o confronto com o relator, utilizando um linguajar típico de porta de cadeia:

“Quando fala do sr. Agnelo Queiroz, o relator é tchuchuca; quando fala do Marconi Perillo, ele vira o tigrão”.

Embora seja do Paraná, o principal objetivo de Francischini desde o início da CPI é denunciar a ligação de Agnelo Queiroz, governador petista de Brasília, com o esquema de Carlinhos Cachoeira.

Por isso, ele não gostou da insistência do relator em fazer perguntas apenas sobre Perillo, governador tucano de Goiás, ao depoente Wladimir Garcez, um ex-vereador goiano apontado como braço político de Cachoeira.

Adversário de Francischini na política paranaense, Dr. Rosinha, que assim é conhecido por ser um médico bastante franzino, não se levantou da cadeira quando o tucano o desafiou a resolver o problema no tapa.

Graças à turma do deixa disso, que também faz parte de toda CPI, o rebuliço ficou só no bate- boca, com ofensas mútuas. Foi a cena que ganhou mais destaque nos telejornais da noite e na imprensa de papel desta sexta-feira.

Na semana passada, durante o não depoimento de Carlinhos Cachoeira, o deputado já tinha avisado seus seguidores pelo twitter que estava aparecendo ao vivo na televisão. Imperdível…

Correndo por fora entre as atrações mais midiáticas da CPI, está com bom ibope meu velho amigo Miro Teixeira (PDT-RJ), que ganhou espaço ao se apresentar como fervoroso porta-voz dos interesses das grandes empresas de comunicação, em nome da liberdade de imprensa.

Na entonação da voz de locutor, no pentado caprichado e no gesto de colocar e tirar os óculos, está parecendo muito com outro amigo, o Galvão Bueno. De estilo semelhante, o onipresente senador Álvaro Dias (PSDB-PR) acabou ofuscado pelo seu conterrâneo Francischini, que assumiu no grito o comando da tropa de choque tucana.

Diante deste cenário, a valente senadora Kátia Abreu (PSD-TO) desabafou outro dia: “Senhores, estamos aqui fazendo papel de bobos”. Modéstia da senadora. Os bobos somos nós que acreditamos na seriedade desta CPI.

Enquanto isso, mais uma vez era adiada pelo relator Odair Cunha a decisão sobre a convocação dos governadores Agnelo, Perillo e Sérgio Cabral, e a quebra de sigilo da empreiteira Delta. Acordo entre as lideranças dos três maiores partidos na CPI, o PT, o PMDB e o PSDB, deixou para a próxima terça-feira a votação destas questões.

Se estivessem mesmo interessados em levar a sério o trabalho, longe de câmaras e microfones, suas excelências poderiam passar o final de semana trancados na sala-cofre, onde estão guardados a sete chaves os documentos sobre as investigações da PF.

Além do vasto material que lá já estava à disposição dos membros da CPI, o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, mandou ontem mais nove DVDs, com cerca de mil horas de conversas gravadas pela PF na Operação Monte Carlo.

Quem se dispõe a ouví-las para, finalmente, dar início às investigações?

Mestre Raul, 70

Vira e mexe, escrevo aqui sobre os meus mestres no jornalismo. É que tive muitos… Um dos que mais me ensinou na carreira e na vida foi Raul Martins Bastos, genioso e genial jornalista autodidata, que montou no velho  “Estadão”, na segunda metade do século passado, a maior rede de sucursais e correspondentes da imprensa brasileira _ hoje, infelizmente, desativada.

Sempre discreto, falando baixo na cozinha das grandes redações por onde passou, mestre Raul formou e comandou equipes de profissionais que até hoje se destacam em várias regiões do país. Continua firme e forte no batente, como diretor de planejamento da agência DM9DDB.

Escrevo sobre a figura porque, na semana passada, ele completou 70 anos, e esta noite parentes e amigos vão lhe oferecer um jantar. Raul não gosta destas coisas. Por isso, vai ser um “jantar surpresa”. Por favor, não contem a ele. É capaz do mestre se entocar e não aparecer na festa dele…

Parabéns, velho Raul, grande jornalista brasileiro!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

19 thoughts on “CPI vira circo e está exibindo novas atrações

  1. O escândalo Cachoeira já fez tudo o que podia fazer pelo nosso Brasil. O Carlinhos está atrás das grades, O Demóstenes e o DEM extintos, o PSDB na lona com dificuldades para respirar e a Veja CALADA. E serão mais 5 meses de sofrimento para os tucanos e a imprensa que os alavanca. Segundo as transcrições que estão aparecendo nos blogs mais a esquerda, a Veja e a Globo estão enrascadas com o criminoso de Goiás, que lhes fornecia material para seus ataques aos governos de Lula e Dilma. E tem ainda milhares de horas a serem reveladas.

  2. É certo que esse deputado tucano está lá apenas para gerar eventos negativos para a CPI a mando do PIG que necessita, desesperadamente, que ela seja desmoralizada. Imprensa asquerosa…

  3. Kotscho, você esqueceu de mais uma personagem circense ganhando holofotes. A projeto de esposa do Carlinhos Cachoeira brindada agora com o apelido de Musa da CPI. Só no Brasil mesmo isso!

  4. Pô, tá jogando contra! A CPI está apenas começando, Pirillo está enrrolado com a compra da casa e vai ter de depor, as fitas do Policarpo chegam semana que vem para a CPI, Dada envolveu a Rede Globo e você diz que não aconteceu nada? Fala sério!

  5. Que figura deprimente o deputado tucano Fernando Fracischini. Junto com Demóstenes Torres, a dupla é sucesso de crítica e de público entre os anti-PT’s que infestam nossa política e me fazem sentir pena do Trio Parada Dura (e indigesta) aqui do Balaio. E durma com um barulho desses !!!!!!!

  6. Digamos que o circo esteja sendo armado por quem não quer apurar todos os fatos.
    Uma questão lógica! Francischini tenta se projetar e ao mesmo tempo executa a defesa partidária, imaginando estar protegendo Perillo.
    Mas, para além desses fatos óbvios e previsíveis há construção inteligente na CPMI.
    As perguntas ao Procurador Geral da República foram bem pensadas, e não deixaram escapes a Gurgel: ou ele confirmava o trabalho ruim da esposa ou trazia ao próprio colo a bomba que lhe foi armada.
    Tentou salvar a companheira e confessou prevaricação.
    A melhor interpretação da carta-resposta de Gurgel encaminhada à Comissão foi a de Collor, em discurso no Senado na manhã desta sexta-feira, 25 de maio.
    Collor desmontou a hipocrisia de Gurgel. Quem quiser ouvir o discurso dele basta acessar o Viomundo. Vale ouvir; insisto.
    Esclarece a quem pensa que não se caminhou nada na CPMI. Temos agora um procurador refém dos fatos e da palavra escrita.
    Quanto aos governadores, a Delta nacional e outros fatos que serão apurados, haverá de ter paciência o apressado, pra não comer cru.
    Haverá tempo, ainda, para se chegar à revista Veja e outros meios que abusaram do esculacho que impuseram à Nação.
    A Comissão tem 180 dias para trabalhar. E esta investigação parlamentar é posterior às investigações da Polícia Federal e as mais de vinte mil páginas do inquérito. O que se busca então é a ligação da quadrilha com integrantes das Instituições brasileiras, o tamanho do golpe que se armou. A parte policial e as eventuais condenações não fazem parte do trabalho principal da CPMI. Isso já estará no processo a ser julgado pelo Supremo.
    Outra questão importante do inquérito da PF já pronto e que explica o uso do direito constitucional de ficar calado, fartamente explorado pelos depoentes, são as provas contundentes contra todos eles.
    Tudo tão cristalino que até o envolvimento do Demóstenes com a quadrilha deverá ser resolvido pela Comissão de Ética do Senado, fórum que levará o senador democrata de Goiás à perda do mandato e dos direitos políticos. A CPMI não precisará gastar tempo com esse aspecto.
    Tenhamos paciência. Manter a vigilância e aguardar os passos corretos do Relator e do Presidente da CPMI, para não oferecer o erro pela pressa e assim permitir o uso dos pedidos de exclusão de depoimentos e de provas. Tudo tem que ser feito com parcimônia e respeito aos preceitos constitucionais. Afinal, a Comissão não é uma Inquisição Romana.

  7. A estratégia desesperada da oposição (PSDB, Dem, PPS, PSOL) de tumultuar os trabalhos através de provocações não terá sucesso. A base aliada não aceitará essas provocações, pois sabe que é maioria na CPI.

  8. por favor,este deputado de nome de franceschini é um covarde!!!
    usa a sua idade jovem e o seu porte fisico para amendrontrar os cidadões de porte fisico mais fraco.
    só tem uma coisa num belo dia alguem mais forte que ele..vai quebrar a cara deste sujeito nogento!.
    espero que seja o deputado silvio costa do PTB outro do mesmo naipe um linguarudo incenssato!
    franceschini é um sujeito metido,me enoja ver a conversa deste enfronhado deputadinho do tucanato mandado lá do paraná.
    um oportúnista quer ser governador de Brasilia de qualquer Jeito
    este truculento esta querendo crescer na mídia golpista nas costas do governador Agnelo Queiros do DF.(mesmo com seus erros)
    franceschini na CPMI não conseguiu disfarçar sua proteçaõ e do seu partido psdb ao ” amigo sérinho ético governador marconi perillo”
    de goiás.
    outro é o defunto da morál o “paladino da ética désmostenes tores”.
    terra do cachoeira sem governo e dos desmandos e de hipócritas politicos virou o estado dos ruralista de goiás goiás.
    culpa tambem do engavetor de justiça chamado de roberto gurgél.
    outro é este tal do miro teixeira PDT -RJ este não é truculento é um vaidoso um bobão,
    como estava mais esquecido como cachoro quando cai da mudança se ajuntou a turma do policarpogate da frude revista veja carchoeira nomeado por murdoch civita e bob marinho como porta vóz do mál.come sempre foi um agente duplo da globo e da veja difarça ser aliado.este miro teixeira PDT e o tucano franceischini do PSDB não passam de uns alienados que não sabem perder!!!

  9. Ricardo….às margens desta ferrovia norte sul, LULA fez nascer um Brasil, que o mundo, ficará “babando” diante de sua grandeza. LULA É LULA o resto é capim sêco. O PT parece que desconhece a sua grandeza ao não enfrentar estes malas, ( Civitas, Gilmar Mendes, e outros rolas-bostas ).

  10. Eu que li e assisti este assunto em vários outros blogs, acho que a CPI está seguindo bem os fatos concretos apurados pela Polícia Federal, o caminho da grana envolvida, apesar do insistente boicote da demotucanagem e da grande imprensa envolvidas com essa organização cachoeira e que procuram a todo custo desacreditar o trabalho da maioria da CPI que está sim rendendo frutos que uma CPI pode produzir. Ela não é Juizado nem Delegacia de Polícia e portanto somente pode averiguar e apresentar esclarecimentos e denúncias aos cidadãos e aos órgãos competentes, dentro dos limites constitucionais. Não pode obrigar ninguém a falar qualquer coisa, como se tentava na OBAN e no DOI-CODI antigamente. O próprio Dadá Cachoeira já disse num diálogo gravado pela PF que o deputado Francischini é candidato a governador do DF e quer transferir seu título para Brasília. Na internet encontramos denúncias de jornais capixabas contra os desmandos de Francischini quando era subsecretário da Segurança do Espírito Santo, comandando diretamente equipes policiais que abusavam da violência, além do próprio Francischini ser um especialista no uso das máquinas de espionagem “Guardião”, que ele utilizava para finalidades políticas parecidas com essas do Cachoeira e do Dadá.
    Assim, eu não concordo com esse nivelamento sobre o comportamento dos componentes da CPI, pois além de não ser verdadeiro, ocasiona o descrédito de todos os políticos e também o trabalho da CPI. Por exemplo, todos os vídeos na internet, inclusive o do Jornal Nacional, não mostram que o Dr. Rosinha “bateu boca” com o delegado Francischini.

  11. Ricardo !!!…e…como vão ficar os outros membros do supremo ao se assentarem com um prevaricador e mentiroso ???
    Que supremo é este ??? De frango ???

  12. Acho que a CPI está dando bons resultados, sim. Quebrou sigilos bancários e telefônicos de CAchoeira, de Deméostenes e de várias empreesas envolvidas na quadrilha, pode cassar o mandato de do senador, e ainda ser chamada de circo? Acredito ser uma tentativa de salvação da grande mídia, que tudo indica, está enrolada até o pescoço, nas falcatruas da quadrilha. Por isso, sou absolutamente contra essa tentativa em desmoralizá-la. Todos estão cansadinhos de saber que em todas CPIs existiram grandes barracos. Em um espaço não tão grande como do Congresso, repleto de políticos de vários pensamento ideológicos com interesses bons e escusos, não podia ser diferente, porém longe de ser um circo. Penso que Kotscho entrou nessa sem perceber que está ajudando (sem querer) a salvar os grandes conglomerados de comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *