Os netos, o poeta e o passarinho

Os netos, o poeta e o passarinho


Nada acontece por acaso. Já tinha decidido não escrever hoje sobre os mesmos assuntos de sempre nos jornais que acabara de ler na manhã deste domingo. Não gosto de comentar assuntos políticos, mas vivo disso…

Sobre a minha mesa de trabalho, encontrei o livro “O Poeta e o Passarinho”, de Ricardo Viveiros, que minha mulher comprou ontem. Não pude ir ao lançamento e estava em dívida com o velho amigo.

Como é pequeno, tem letras grandes e muitas ilustrações, li-o em dois instantes, o tempo de fumar um cigarro na varandinha do apartamento.

Me fez um bem danado viajar com o passarinho do poeta. É um livro bonito, muito bem escrito e cuidadosamente editado, que nem faz lembrar a tragédia que o inspirou.

Há 15 anos, Viveiros perdeu um filho e uma neta assassinados em acidente de trânsito por um destes celerados ao volante que infernizam as nossas ruas.

Jornalista e escritor, mas acima de tudo um poeta em tudo o que faz, ele escreveu um poema e deixou-o esquecido numa gaveta.

Só foi achá-lo outro dia e o mostrou ao seu amigo Rubens Matuck, um grande artista plástico. Matuck cuidou de transformar o sofrimento do pai e avô, que virou poesia, em livro, lançado agora pela editora Biruta.

 

E-mail: biruta@editorabiruta.com.br

www.editorabiruta.com.br

É um livro destinado ao público infantojuvenil, também recomendado a crianças que ficaram grandes, mas não ficaram bobas.

Fiquei tão tocado com o poema que não vou falar mais nada, prefiro que vocês o leiam. É que eu passei a semana na casa dos netos, tomando conta deles enquanto os pais viajavam.

E passei a dar mais valor ainda a cada momento que posso conviver com estas três figuras encantadoras. Por alguns dias, elas me fizeram esquecer dos perigos e agruras do mundo lá fora.

Não tem nada melhor do que acordar de manhã com o sorriso de um deles te cumprimentando: “Bom dia, vovô!”.

De volta à rotina da minha casa, o livro do Ricardo Viveiros me fez lembrar do sorriso deles. Não deixem de ler, vale a pena.

Bom domingo a todos.

4 thoughts on “Os netos, o poeta e o passarinho

  1. Ricardo,

    Muito interessante seu comentario sobre o livro. È incrivel como uma dor faz despertar em nós uma poesia apesar de sermos no dia a dia poetas, menestréis que cantam o toque da vida em nossas vida.
    Nunca, dentro do meu ponto de vista, devemos negar ao mundo nossoa poesia, seja ela a mais pueril, mas sempre é uma poesia fruto da dor ou alegria, é sempre uma poesia.
    Bom domingo para você também.

  2. Vovô Kotscho, é por essas crianças, inocentes, especialmente, que não podemos parar de lutar por um Brasil melhor para todos. Não me parece justo e nem humano legar para as novas gerações que já estão por aí e às que estão porvir toda essa problemática que aí está, represada, velhas heranças malditas, a cada dia mais complexas e que demandam cada Mega-Soluções cada vez mais arrojadas, a cada nova geração que chega, à vida, à convivência social e ao mercado de trabalho, não obstante os bons governos de FHC, Lula e Dilma. Mega-Soluções essas que se já afeiçoam-se difíceis e quase imposssíveis para as gerações mais experientes e mais experimentas que aí estão, imagina-se quão impossível serão às futuras gerações. PNBC, saudações.

  3. ontem 12/12/2011 vi a entrevista do Viveiros no Jô e fiquei impressionado com a historia dele alem da superação de ter perdido pessoas tão especiais e o mais importante a luta de 15 anos pra condenar o cara que cometeu o acidente que vitimou o seu filho e o neto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *