Dilma viaja, mas inferno astral permanece em Brasília

Dilma viaja, mas inferno astral permanece em Brasília

Em viagem adiada por problemas de saúde, Dilma Rousseff resolveu embarcar na manhã desta segunda-feira (30) para o Uruguai, mostrando que está curada da pneumonia, como comentei semana passada no Jornal da Record News e aqui no Balaio.

A primeira grande crise do seu governo, porém, ficou. O pulinho a Montevidéu vai durar menos de 12 horas e, na volta, a presidente vai encontrar o mesmo clima de “barata voa” que  tomou conta de Brasília desde as primeiras denúncias contra o ministro Antonio Palocci.

Não adianta tirar foto ao lado do vice-presidente Michel Temer, na “transmissão do cargo” antes do embarque na Base Aérea de Brasília, um ato de rotina que nem chamava mais a atenção da imprensa, mas agora virou assunto.

Desde o bate-boca entre Temer e Palocci sobre a votação do novo Código Florestal, que o vice fez questão de tornar público, o clima é o pior possível nas relações entre PT e PMDB.

Na verdade, está todo mundo brigando com todo mundo e Dilma hoje não sabe nem por onde começar para arrumar a casa.

Além do mal estar entre a presidente e seu vice, e a briga feia de Temer com Palocci; do petista Marco Maia, presidente da Câmara, com o líder peemedebista Henrique Alves; da disputa sem fim entre PT e PMDB por boquinhas no segundo escalão, e do PT com o PT (na discussão sobre o Código Florestal, a bancada rachou),  para completar, temos também o PSDB contra o PSDB, na queda de braço entre aecistas e serristas.

No auge da crise do governo em torno do Caso Palocci, a oposição encontrou um jeito de brigar pela presidência do Instituto Teotônio Vilela (alguém já tinha ouvido falar no ITV?) e, por isso, se criou um tal de “conselho político” só para não deixar José Serra sem nada.

Aécio Neves fez barba, cabelo e bigode na convenção do PSDB no sábado, mas sabe que não deve comemorar muito a vitória contra José Serra se quiser ser candidato a presidente em 2014. Ter Serra como aliado é um problema, mas como inimigo é pior ainda.

Vivemos um momento delicado na política brasileira, tanto no governo como na oposição, no momento em que a economia volta a dar sinais positivos, com a inflação começando a subir menos, e os melhores indicadores do nível de emprego desde 2002.

A derrota acachapante que o PMDB impôs ao governo, votando a favor dos desmatadores contra os pontos defendidos por Dilma, e o recuo na questão do kit anti-homofobia, foram apenas pretextos adotados pela base aliada para mostrar força no momento em que o todo poderoso Palocci encontrava-se fora de combate.

O alvo agora é Antonio Palocci, mas o objetivo de todos é enfraquecer Dilma Rousseff para obter vantagens, na disputa por cargos e verbas _ tudo o que a presidente não queria nos seus primeiros meses de governo, em que deixou clara a sua aversão ao clientelismo.

Nem a precoce e intempestiva intervenção do ex-presidente Lula, que praticamente acampou em Brasília por 48 horas na semana passada, foi capaz de acalmar os aliados. A crise continuou do mesmo tamanho depois que ele foi embora e nada indica que Palocci esteja fora de perigo.

Ainda por cima, a volta de Lula ao centro da articulação política atiçou a ira de grande parcela da imprensa, que estava até simpática com Dilma, mas ainda tinha bronca do antecessor. Desta vez, apanharam os dois.

O inferno astral da presidente Dilma, que atravessou todo o mês de maio, vai entrar em junho buscando uma agenda positiva, mas está difícil. Enquanto não se desatar o nó sobre a repentina fortuna palocciana, todos os outros assuntos parecem menores, à espera de uma solução na Casa Civil.

Para onde se olha, tem problema. Nesta terça, por exemplo, a presidente vai receber prefeitos e governadores para fazer um balanço das obras nas cidades-sede da Copa do Mundo.

Dilma está muito irritada com os atrasos, cada um joga a culpa no outro, e ninguém sabe quem é, afinal, o responsável pela  bagunça na organização da Copa de 2014.

Confesso que não gostaria de estar na pele da presidente Dilma. Se alguem tiver alguma boa ideia capaz de tornar o clima em Brasília mais agradável, não se acanhe. Pode mandar aqui para o Balaio. O blogueiro, sempre em busca de boas notícias, agradece. Boa semana a todos.

Veja mais:
+ Navegue pelo Jornal da Record News
+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

16 comentários em “Dilma viaja, mas inferno astral permanece em Brasília

    1. Caro Carlos Eduardo,
      tudo vai depender, como escrevi naquele post, das explicações dadas pelo ministro Antonio Palocci ao Procurador Geral da República. Se forem aceitas, fica; caso contrário, não terá condições de continuar.
      Abraços,
      Ricardo Kotscho

  1. DILMA ESTÁ EM UMA ENCRUZILHADA DE 03 PONTAS: PALOCCI,TEMER E LULA!
    É UM VERDADEIRO DESPACHO!
    ELA ENTROU NUMA FRIA…AFORA A COPA DO MUNDO.
    NÃO HÁ CASTIGO PIOR!

  2. Meu caro Kotscho, creio que a Presidenta se preocupe, com o novo código florestal em barrá-lo é claro, mandar verba para o SUS. Espero que ela não jogue DINHEIRO no LIXO, dando dinheiro pra times construirem estádios, pois o mesmo será para benefício de 0000000000000,1% da população.

  3. Independente dessa briga política, o fato é que o Palocci tem que se explicar e não só ele.O povo brasilieiro não é marionete desses políticos hipocritas e corruptos.

  4. Caro Ricardo, eu acho que a Dilma está numa fase em que não dá pra fazer omeletes sem quebrar os ovos. E o ovo da vez chama-se Antonio Palocci. Manter o Palocci no governo,dada a chuva de denúncias que recai sobre ele, é governar com uma âncora amarrada no pé. Tirar o Palocci do governo é um mal que se faz necessário.

  5. Enquanto vivermos no Brasil com o “toma lá, dá cá”, não conseguiremos passar a idéia de país sério (já disseram isto algum dia).

    Uma outra coisa é o esvaziamento de temas para a oposição.

    Só resta agora a fofocaria palaciana. Vem aí as eleições para prefeito e vereadores.

    A presidentea Dilma deve acalmar os “mal aquinhoados” com os cargos, afinal não vai ser ela, ainda, que irá acabar com essa nossa “maneira” de ser.

  6. É meu amigo RK, parece que tudo está fora de sintonia, mas, se levarmos em conta os escândalos do senado no mandato passado, não é de se estranhar. Cheguei até a comentar que aqueles escândalos frequentes, serviam para um fazer cortina de fumaça para esconder o anterior, realmente foram muitos. Hoje, vemos a oposição quebrada tentando fazer a situação quebrar também, não obstante vemos um movimento sobre a liberação das drogas tomando corpo na mente de ”intelectuais” e em outro ponto, alguém exigindo a renúncia do Palocci, sem que tenha uma sentença transitado em julgado. (Não tenho procuração para defender ninguém, mas, vendo que a Lei dos Fichas Limpas nem pôde ser levada à efeito neste ano, pelo amparo que tem da CF, fico em dúvida sobre o que está certo.)
    Portanto, deve ser julgado pelas acusações sofridas, ficando claro que o ônus da prova cabe ao acusador. O que não podemos tolerar é que assuntos importantes para o país e aos brasileiros, fiquem pendentes com essa situação. Truncar a vida do país, não é o correto. Esta é a minha opinião.

  7. O problema do Palocci cair se chama Zé Dirceu.A presidente sabe que não deve ceder pros terroristas,pois a chantagem não terá fim.
    O poder político no Brasil,embora desmoralizado,derrubou um presidente recentemente,é bom a Presidente Dilma se fortalecer nos outros.

  8. Prezado Kotscho.
    O que me surpreende nisso tudo é exatamente, a surpresa. Desde antes das eleições, lá no velho balaio, nós já comentávamos que, o PMDB não ia entrar nesta como figurante.
    O líder do PMDB na câmara, gritou bem alto, durante as discussões da lei do meio-ambiente: ”Eu não sou aliado, sou governo. meu partido elegeu o vice; elegeu, frisou; não foi nomeado.
    No Congresso, se não for combinado com o PMDB, não passa nem nome de rua.
    A coisa vai pegar quando os petistas quiserem votar a tal lei de ”controle social da mídia”. Se preparem!

  9. E EMPRESIONANTE como esse famigerado do PMDB nunca se farta sempre quer mais, e o povo ta ai ;sem saude, em sigurança sem nada nos nao podemos aseita tudo isso calado.vao trabalha pelo o povo braseleiro.ass.pres do PRB deMARACANA-PA

  10. A Dilma é fraca, despreparada só dela deixar o Lula ir a Brasilia e dar pitaco no governo já é motivo de preoculpação, porem, o povo Brasileiro deve estar feliz com tamanha incopetencia, pois, foi ele que a elegeu presidente do Brasil.
    ACORDA BRASIL!

  11. ´Ricardo a briga pelo poder tá feio, deve ser muito boa essas boquinhas, não pensam na união para o bem do Brasil, só vaidades e bolso cheio. Os que estão dentro não querem sair os que tão fora querem entrar, enquanto isso a vida é curta e não dará mais tempo pra nada.

  12. Um adendo, o que sempre observei, o PMDB tanto fora como dentro sempre foi governo, tái o macete, tem PMDB dos dois lados uma divisão que rende muito na figura de situação e oposição, quem entrar, ele PMDB está dentro, por isso muitos continuam no partido, vão ser governo e oposição por muitos e muitos anos, umas das rsazões de eu não votar em partido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *