O que era para poucos agora é para muitos

O que era para poucos agora é para muitos

A semana que passou acabou marcada por uma importante mudança geométrica na sociedade brasileira: deixamos de constituir uma pirâmede social, com poucos ricos na ponta superior e uma legião de excluídos na base, e nos tornamos um losango,com a barriga inchada pelos mais de 100 milhões de conterrâneos da nova classe média.

Falando assim em números e figuras geométricas, talvez muitos ainda não se tenham dado conta ainda de que a paisagem humana mudou na última década, qualquer que seja o lugar onde a gente vá.

Aquele Brasil governado historicamente para os 30 milhões de eleitos com acesso ao consumo mais do que triplicou neste período e isto trouxe mais gente para viajar de avião, mais carros para congestionar as ruas, mais filas nos supermercados, novas obras de edifício por toda parte, hotéis superlotados, praias apinhadas de gente, falta de mesas para sentar nos botecos.

Neste sábado, em dois eventos musicais, pude constatar que mais uma barreira social se rompeu em nosso país: os mais pobres estão tendo acesso também à cultura.

À tarde, no 1º Santinha Cultural promovido no teatro do Colégio Santa Cruz, tradicional reduto da elite paulistana, encontrei 60 crianças da Comunidade do Jaguaré (a reurbanizada Favela do Jaguaré) para assistir ao show infantil apresentado pelo grupo de Rita Rameh e Luiz Waack, que não cobraram cachê.

Há mais de 50 anos, desde o tempo em que eu estudava lá, professores, pais e alunos do Santa Cruz dedicam-se a projetos sociais no Jaguaré, que atualmente beneficiam 800 crianças. Mariana, minha filha mais velha, que também estudou no Santa Cruz, deu aulas no Jaguaré no seu tempo de aluna.

Ao final do show, na bagunça formada em frente ao palco com todas as crianças brincando, ficava difícil saber quem era aluno do Santa Cruz e quem tinha vindo num ônibus fretado do Jaguaré: eram todas crianças bem cuidadas, bem vestidas, alegres na mesma medida. Creio que esta foi a maior revolução promovida no país neste meio século.

Para quem podia pagar, o ingresso custava R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia), com renda revertida para os projetos sociais. Alunos do Santa Cruz eram minoria. Contatos para quem quiser contratar o belo quinteto musical infantil de Rita e Luiz:
e-mail: rita.rameh@terra.com.br
fone: 3815 4653

***

À noite, na abertura oficial da temporada 2011 da Bachiana Filarmônica SESI SP, comandada pelo meu amigo maestro João Carlos Martins, na Sala São Paulo, reparei logo ao chegar que havia gente nova chegando a um ambiente tão fechado em que até pouco tempo atrás todos se conheciam.

Com roupas mais esportivas, mais jovens e falando falando mais alto, sem aquele ar de quem está entrando num templo sagrado, esta nova platéia da música clássica em São Paulo aplaudiu várias vezes de pé as Sinfonias de Beethoven e os tangos em homenagem aos 90 anos de astor Piazzolla.

O grande momento da noite foi a estréia do jovem solista Lucas Targino Farias, de 12 anos, apresentado-se no Concerto Para Violino em Lá menor. Nascido em Guarulhos, bolsista da Fundação Bachiana Filarmônica, Lucas estuda com a professora Elisa Fukuda.

A homenageada da noite foi a executiva Marluce Dias da Silva, ex-diretora-geral da Rede Globo. Ao final, apresentou-se com a orquestra o percussinista Bolão levando Bach na cuíca. A plaéia não queria mais que o espetáculo acabasse e Martins teve que voltar duas vezes ao palco. Mais tarde, ele e a sua fiel mulher escudeira Carmem, ainda ofereceram um belo risoto para os amigos.

Com o apoio do SESI, e grandes empresas como Bradesco, Gerdau, Petróleo Ipiranga, Honda e Ecom, Martins levou seu projeto de popularização da música clássica a 350 mil pessoas no ano passado.

Na Fundação Bachiana Filarmônica, João Carlos Martins e sua equipe cuidam do ensino musical de 1.165 crianças de comunidades carentes. Os que não se tornarem novos virtuoses da orquestra de adultos, como Lucas Farias, certamente formaram as novas platéias da melhor música clássica. O que era para poucos agora é para muitos.

Vamos todos participar do
Movimento Landell de Moura

Recebi na tarde deste sábado, e reproduzo abaixo, mais um apelo do incansável amigo Eduardo Ribeiro, editor do “Jornalistas & Cia.”, para que todos participem da luta pelo reconhecimento do padre Landell de Moura como inventor do rádio.

Peço a todos os amigos leitores do Balaio que participem deste movimento. Segue o e-mail que recebi do Edu:

“Tomo a liberdade de chegar novamente a vocês para informá-los que uma série de instituições, lideradas pela Prefeitura de Porto Alegre, decidiu adotar o dia 30 de março, quarta-feira próxima, como o Dia de Adesão em Massa ao abaixo-assinado pelo reconhecimento do padre-cientista Roberto Landell de Moura, como inventor do rádio e a inclusão de sua saga no currículo do ensino básico (objetivo maior do Movimento, que foi abraçado pelo J&Cia.).

A mais auspiciosa notícia no que tange ao Movimento Landell de Moura foi a entrada do Ministério das Comunicações no circuito, apoiando oficialmente a causa, inclusive com uma declaração pública do ministro Paulo Bernardo nessa direção.

Acabo de olhar o abaixo-assinado (sábado, 15h35) e ele já superou as 4.300 assinaturas. O objetivo é entregá-lo em mãos às autoridades federais ainda este ano, que é o ano de celebração dos 150 anos de nascimento do padre Landell, inventor do rádio.

Abraço grande

Eduardo Ribeiro/Mega Brasil Comunicação/Jornalistas&Cia

Contatos: 11-5576-5600/ eduribeiro@jornalistasecia.com.br

Quarta-feira é o dia
de adesão em massa

O nosso principal objetivo no momento é colher assinaturas para o abaixo-assinado que será entregue às autoridades do Governo Federal.

Os brasileiros de todas as partes do país que quiserem apoiar o movimento que busca o reconhecimento do padre-cientista Roberto Landell de Moura como verdadeiro inventor do rádio poderão fazer isso agora mesmo, assinando o abaixo-assinado que está no site www.mlm.landelldemoura.qsl.br.

É que o dia 30 de março, quarta-feira, foi escolhido por várias instituições, entre elas a Prefeitura de Porto Alegre, terra onde ele nasceu, como o Dia de Adesão em Massa ao Movimento Landell de Moura.

Esse abaixo-assinado será posteriormente entregue, pelos coordenadores do Movimento, às autoridades de Brasília. A iniciativa faz parte da celebração do sesquicentenário de nascimento do padre-cientista, ocorrido no dia 21 de janeiro deste ano.

Padre Landell já ganhou um selo dos Correios, pela passagem dos 150 anos de seu nascimento; deverá ser declarado Herói da Pátria pelo Congresso Nacional, em projeto que atualmente tramita na Câmara dos Deputados (já aprovado pelo Senado Federal); receberá o título post mortem de Cidadão Paulistano, na Câmara Municipal de São Paulo; já recebeu uma primeira adesão oficial do Ministério das Comunicações e do ministro Paulo Bernardo, que o reconheceu publicamente; será alvo de exposições em São Paulo, em diversas praças públicas; está sendo homenageado com uma série de atividades no Sul do País; foi destaque de várias matérias na imprensa brasileira (Jornal Nacional, Jornal da Record, TV Brasil, CBN, Rádio Nacional, Rádio Globo, Zero Hora, Correio do Povo, O Estado de S.Paulo, Folha de S.Paulo, entre outros).

Mas, o mais importante, que é o seu reconhecimento oficial e a inclusão de sua saga no currículo do ensino básico, ainda não aconteceu, o que impede nossas crianças de conhecerem, em seu próprio País, a vida e a obra deste brasileiro, que, em sua genialidade e realizações, foi tão importante quanto foram Santos Dumont, Oswaldo Cruz, Marechal Rondon e outros heróis nacionais.

Assine o abaixo-assinado e ajude a divulgar essa causa. A História do Brasil agradece.

52 thoughts on “O que era para poucos agora é para muitos

  1. Kotscho, o Brasil encontrou seu rumo com a eleição de Lula e Dilma.

    Mas o caminho é longo e serão muitos os obstáculos.

    Parabens ao eleitor brasileiro.

    Fora, traidores do povo e vendilhões da Pátria.

    Chega de roubar dos pobres para dar aos ricos.

    Brasil para os brasileiros.

    Uma ótimo domingo a todos.

  2. Querido Kotscho,
    Desejo-lhe uma semana de paz, tranqülidade e saúde. Sou leitora sua e alegro-me com a campanha sobre o reconhecimento do Pe. Landell como inventor do rádio.

  3. Quem vive vê, o Brasil já não é mais o país do futuro.
    As boas coisas estão em curso. Fruto do trabalho incansável deste povo ordeiro e das políticas públicas implementadas pelos nossos governantes nestes últimos anos. Parabéns ao povo desta nação! Que bom que estamos guinando mais para a esquerda. Parabéns Kotscho!

  4. Kotscho,

    Pois é cara… desconhecia sobre este Pe. Landell, estou dentro. Sobre ainclusão, as pedras q estão no caminho já foram outras no passado e superamos, estas são para serem superadas no presente e viram as do futuro…vida sem desafios vira “Pantano”…

  5. A inclusão está ocorrendo com muita rapidez, demais, que até temos dificuldades em acompanhar essa inclusão!
    Esse fenômeno se repete em muitas naçoes, umas um pouco mais e outras um pouco menos, mas todas em velocidades muito grandes!
    Quem sabe nossos governantes, responsáveis por essa metamorfose, não consigam frear a violência, dos assaltos, das dinamitacoes dos caixas bancários, da prostituição dos menores no nordeste, reduto de quem?
    Cabe a nós, mais velhos, avaliarmos e passarmos aos mais novos o que foi o brasil 30 anos atrás nos quesitos acima mencionados e o que é agora!
    Será que no tempo da ditadura a gente precisaria andar com carros blindados e ladeados com seguranças armados?
    Será que no tempo da ditadura a gente via tantos dormindo embaixo das pontes? é pra gente pensar!!!

    1. Verdade, né João ?

      Pra que acabar com as ditaduras se não sabemos o que vem depois?

      Veja o Iraque sem o Sadam Hussein !!!!!

      Vamos apoiar o Gaddafi, o Almadinejad . . . . .

      Abaixo a Democracia !!!!!

      Viva a Ditadura !!!!!

      Né não, João ?

    2. Não tinha ninguém debaixo da ponte porque os mendigos
      eram jogados no Rio Guandu ou mortos pelo esquadrão da morte.
      A população era bem menor. Mania que esse povo tem de enaltecer ditaduras.
      Enquanto mundo esta derrubando as ditaduras tem gente que não saber viver livre.
      tem que viver no cabresto.
      Socorro Everaldo!!!!

    3. De fato, a gente não via tanta gente dormindo debaixo dos viadutos. Eles sumiam nas mãos dos milicos. E não precisávamos andar em carros blindados porque os bandidos andavam fardados e se tratavam por patentes, além de receber soldo do povo. ISTO SIM É PARA SE PENSAR!

    4. João Carlos Marin. Parabens! Muito bom o su comentario. Até o final da década de 70 não tinha tantos mendigos nas ruas. Os que tinha eram pessoas doentes que não tinham condições de trabalhar. A exclusão social é muito maior, do inicio da década de 80 para cá. Com este capitalismo selvagem, cada vez mais, milhares de pessoas caem no subimundo da pobreza absoluta.
      João Leite

    5. É atribuida ao cientista Açbert Einstein a seguinte frase:

      “- Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Mas, no que respeita ao universo, ainda não adquiri a certeza absoluta.”

      Sr. Marin

      O termo “favela” ( tipo de vegetal do agrste nordestino ) foi primeiramente citado no livro “Os Sertões” de Euclides da Cunha ao se referir ao “amontoado” de gente no “morro da favela” durante a guerra de Canudos que , foi o confronto entre o Exército Brasileiro e integrantes do movimento popular de fundo sócio-religioso liderado por Antônio Conselheiro, que durou de 1896 a 1897, na então comunidade de Canudos, no interior do estado da Bahia, no nordeste do Brasil.

      Com o passar dos anos, a palavra “favela” virou sinônimo de uma triste realidade habitacional É BOM LEMBRAR que a pioneira surgiu em 1897 no “Morro da Providência” no Rio de Janeiro ocupada por soldados que lutaram em Canudos reivindicantes de moradia e que ocuparam na marra essa área atrás de um quartel militar onde lá contruíram seus barracos.
      Em 1967 a ditadura militar passa a derrubar barracos e a retirar moradores de terrenos valorizados do Rio de Janeiro, especialmente na Zona Sul para entrega-los à iniciativa imobiliária privada. Entre 1964 e 1974, 80 favelas são destruídas POR MILITARES com esse fim. Os 140 mil desabrigados e expulsos daqueles terrenos vão para as periferias e os morros e criam então as novas “favelas” que ESTÃO AÍ ATÉ HOJE !!!
      É essa uma das nossas piores heranças daquele período negro da nossa história !!!
      É um exemplo daquela “administração” militar no Brasil !!!

      VOU PROPOR UMA CAMPANHA AQUI NO BALAIO:
      Todo estúpido infeliz que vier aqui pedir ditaduras no Brasil ou qualquer lugar do mundo que receba DE GRAÇA o seu PERSONAL TORTURADOR ASSASSINO MILITAR para que faça bom uso deste até que chegue a hora do diabo os carregar para o quinto dos infernos fazer compania aos “presidentes” Castelo Branco, Costa e Silva, Garrastazú Médici, Ernesto Geisel, Figueiredo ea toda a camarilha de seus servis lambe-coturnos e cúmplices !!!

    6. João…tenho o maior respeito para com todos que frequentam este Balaio, e é te respeitando, que só posso te dizer que, se tu fosse uma figura geométrica, não seria outra, senão um triângulo obtusângulo.
      Rapaiz….depois de quase 5 séculos de exploração, imclusive por aquela maldita ditadura que tu, não sei como ainda defende, tu esperava o que quando este grande povo fosse libertado ? uma marolinha ou uma tissunami de inclusão ?

  6. Ricardo, na verdade o Brasil mudou para melhor. A grande mídia não quer reconhecer, mas foi após a chegada ao planalto do retirante nordestino, aquele metalúrgico, que na ditadura militar ensinou os brasileiros, os latinos os trabalhadores em geral como lutar e conquistar os seus direitos, que criou um partido politico sério autêntico na representação dos trabalhadores, que criou uma frente sindicar, onde as minorias passaram a ter voz e vez, onde Vicentinho, representou e muito bem os negros mostrando que o negro não é uma questão econõmica como afirmavam e ainda afirmam, é uma questão econômica e étnica .Esse metalúrgico, retirante nordestino,mostrou ao Brasil e ao mundo que é possivel mudar e melhorar a vida dos mais pobres de acabar com os coronéis nordestinos de dar aos jóvens melhores condições de vida a tantos e tantas, voce o acompanhou muitobem e sabe a tragetória domesmo melhor que este escrevinhador. No entanto foi ele o responsável pelos aeroportos cheios de pessoas ávidas por conforto e conhecimento mais solidárias que fez a sucessora, reconhecido em todoo mundo que estálevando ao continente africano a técinica do plantio, e assim tornar o continente um pouco independente dos colonizadores europeus asiaticos e americanos. Ele recebe títulos e a imprensa nativa não informa. O grande presidente fez tudo isso, a história dirá. Lógicamente,não pode fazer tudo, mas deixou uma mulher para dar continuidade. O PT, é protagonista de grandes realizações, saiu do PT aprimeira mulher nordestina que governou a maior metrópole do Brasil. Saiu do PT o retirante nordestino, que mudou a cara desse pais, que deu aos brasileiros a autoestima, abriu a universidade para os pobres. Foi o PT, que colocou no poder a primeira mulher neste pais machista para presidir o Brasil, e continuar a obra do maior estadista.

  7. Amigo Ricardo, boa tarde. Matéria interessante como sempre. Trabalho desde 1979, peguei o final da ditadura com o Figueiredo, Sarney e depois a democracia se instalando no nosso país. O Brasil mudou e muito nos últimos anos, principalmente quando passou a dar oportunidades ao país inteiro, de norte a sul, deixando o café com leite recebendo igual ao restante como deveria ter sido sempre. Quando falamos em geração de emprego não podemos esquecer da geração de oportunidades, que produz um efeito cascata em várias direções. Por essas e outras as viúvas da famosa atual esquerda que sempre foi ARENA. PDS, PFL e DEM e mais o comandante PSDB choram as pitangas. O caminho mais curto para esses degenerados políticos é chuparem bastante picolé de chuchu e se rasgarem porque se o páis continuar pensando em melhorias não dará chances a essa linha de políticos nunca mais!

  8. pois é,o preidente fhc,que tanto foi combatido pelos sindicatos pagos,contratando pesoas para fazerem arruaça,criou todas as condiçoes para o pais crescer,sem que ninguem do lado do sr kotscho,falem sobre isso,ou creditem a ele a estbilizaçao economica,etc…,verifiquem um estudo do professor reinaldo da ufrj,verifiquem em que lugar nosso glorios guia mor,fica entre os 29 presidentes que o pais ja teve,e rerao que lula naofoi tudo isso,verifiquem a melhora que todos falam,se so foi o brasil ou o mundo tambem melhorou muito mais que nos,e so verificar estudo do ipea e verao que urugaui,argentina (até ela),paraguai(imagnemparaguai),fora o chile, colombia verifiquem,verao que estes paises foram melhores que nos,em praticamente,todos os itens que faz umz naçao,educaçao,renda per cpita,segurança,saude,etc nosso guia foi ajudado pelo vento da economia mundial,sem ela jamais ele teria feito nada,a nao ser dar emprego para os corruptos e perdedores de eleiçao.quanto ao padrelendell,estou com ele ,temos que orgulhar de nossos grandes cientistas,inventores,que ficm escondidos,temos que homenagear eles em praça(nome)e nao de politicos(pai,mae)

    1. Zé Maria, voce esqueceu de dizer que foi o FHC que inventou o bolsa famíllia.

      Lembra do Proer, Zé ? O bolsa familia do FHC e do Serra pra socorrer banqueiro falido ?

      O Lula só aperfeiçoou o programa que passou a atender ao povo pobre e explorado deste Brasil.

    2. Se formos para pensar bem sobre o estado atual da economia brasileira, seus fundamentos começaram a ser lançados em 16/3/1990 com Collor de Mello.

  9. É isso ai… sábado (26/03) estava eu tentando deixar a capital e vir para o interior, no viaduto do terminal tietê às 17hs e pude observar, enquanto o trânsito estava parado, quantos paulistanos indo com suas famílias, todos em suas roupas impecáveis e semblantes sorridentes ao que poderíamos entender como seu templo de adoração. Todos expressando, pela sua roupa, quem é dono do seu coração. Sem dúvidas é também reflexo que até nisso crescemos pois conseguimos fazer mostrar o que realmente é a nossa prioridade na vida, o objetivo a ser alcançado em família. Hilário e deprimente, a vida continua e agora mais é, apenas um jogo de futebol. Que grande e fútil crescimento.

  10. esse blog é de esquerda….isso até a minha filha de 6 anos pode concluir. Falta ao bloguista transparência e imparcialidade na hora de tecer algum comentário. Conflito de interesse é um tema complexo, mas toda opiniao deveria ser fortemente embasada em fatos reais e claramente reportada (analisada sob todos os ângulos possíveis). Só assim o leitor poderá chegar às suas próprias conclusoes. Isso você já deveria saber, pois parece ser um jornalista experiente. Grato.

  11. Realmente JC Marim, na época da ditadura não havia tanta violência urbana. As classes média e alta podiam viver com muito mais tranquilidade sua vida dourada.
    Mas as classes baixas viviam e morriam suas vidas miseráveis e excluídas, perdiam seus filhos em tenra idade de fome e doenças evitáveis e morriam em idade avançada sem nunca ter podido estudar e acessar os bens culturais.
    Mas muitos afortunados não sabiam que isto acontecia, pois na ditadura as notícias ruins, especialmente sobre gente que não interessava, não chegava a ninguém.
    Precisei educar meus filhos com muitos cuidados que meus pais não tiveram, sempre sabendo onde estavam, buscando e levando aos lugares, temendo a violência. Mas fico feliz que cresceram em democracia. Fico feliz que se preocupam com os outros.

  12. O número de carros nas ruas, a maioria novos, confirma o que você disse, prezado Kotscho. Isto significa que um maior número de pessoas tem carteira assinada e isto contribui para encher o cofre da Previdência. Pena que este recurso não esteja sendo usado para devolver aos aposentados o seu almejado poder de compra, injustiça que sofremos desde o tempo em que Sarnei governava o país, até os dias atuais. Nossa esperança está na presidente Dilma, que esperamos seja mais sensível aos às nossas necessidades. Nós também gostaríamos de participar dessa euforia econômica que paira sobre os demais segmentos da sociedade brasileira. Quanto a questão cultural do nosso povo, parece que também neste sentido estamos crescendo. O povo gosta da boa música. Quem não gosta são os produtores de nossa televisão, que fazem chegar até nós o pior que há em matéria de música. Hoje, o talentoso maestro João Carlos Martins, ontem o não menos talentoso maestro Isaac Karabschewski ( É assim mesmo que se escreve?), sempre se esforçam para nos trazer o melhor que há da música brasileira e internacional.

  13. Reconhecimento, sim, imediato do Padre; mas não incluir sua saga no sobrecarregadíssimo currículo escolar: vamos incluir (ou já estão inclusos) todos os citados acima e, talvez, mais alguns? Não.
    Ao ingênuo Sr. J. C. Marim: Sim, precisávamos usar carros blindados contra os próprios Ditadores. Ninguém podia dormir embaixo das pontes porque acordaria nos porões da Ditadura.

  14. Pois é Kotscho.
    É isso mesmo, o Brasil é assim, se ninguém atrapalhar funciona. Dentro dos limites do nosso subdesenvolvimento, mas funciona. Para que todas estas ”boas notícias” se transformem em más, basta apenas que o PT anuncie que o governo se orientará pelo seu programa original. Mas, felizmente, estamos livre desse perigo!. Até a oposição já admite aquilo que sempre falamos aqui no balaio; opor-se ao que?
    Veja só o total desânimo da oposição: ”Os tucanos estão pessimistas com o futuro imediato da oposição no Brasil. A avaliação deles: o DEM está se desintegrando, o PSDB não existe no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul, NÃO HÁ RISCO DE DESORDEM ECONÔMICA PELA FRENTE E A PRESIDENTA DILMA ESTÁ APERTANDO OS PARAFUSO FISCAIS QUE ELES ACHAVAM FROUXOS.”
    Ou seja, o neoliberalismo está consolidado no governo PT.

  15. Com o termino da inflação, foi possivel uma mudança neste País, e tambem a privatizações feitas deixaram de sugar parte do tesouro e passaram a da lucros ao governo, caso da Valle, da embraer, e temos que caminhar por ai sem inflação e com ganhos reais podemos avançar ainda mais,

  16. Tá melhorando um pouco, mas muito devagar. A sociedade brasileira não explodiu, mas se explodisse de vez as coisas seriam um pouco melhores. Uma guerra civil rebaixaria o padrão de vida da elite ao nível dos miseráveis. Historicamente isto seria mais importante do que tirar alguns miseráveis da base, mas conservar uma base miserável igual a 5% da população sem que aqueles que estão no topo tenham sentido um pouco o gosto amargo do sofrimento e da privação.

  17. João Carlos Marim, não sei qual é sua idade, mas se você tem mais de 48 anos, talvez tenha memoria curta todas as mazelas mensionadas existiam nos tempos da ditadura, talvez menor porque a população era de 90 milhões e hoje já beira quase a 200 milhões, alias o que hoje temos é a HERANÇA MALDITA dos tempos da ditadura e dos neoliberais da decada de 90, com LULA e DILMA estamos construindo o que normalmente mais de 02 gerações poderiam fazer.

  18. Vou continuar o meu comentário anterior questionando aos participantes do BLog do Ricardo e o próprio sobre a responsabilidade que o governo federal pode ter sobre as coisas ruins que estao acontecendo, como o citado pelo Ricardo.
    Quem implementa macropolíticas que repercutem de forma ampla em todas as atividades sociais, em comportamento, em aumento exagerado de carros, em destruição das florestas, em deterioração da educação, da segurança, do crescimento do tráfico de drogas, do tráfico de armas, é o governo federal que é o responsável pelo sistema financeiro, pelas fronteiras e pela limitação de áreas para agricultura e pecuária! Nós falhamos feio e nesse quesito só temos críticas acidas ao governo anterior!

  19. Bom, já sabemos, traduzindo a celebre frase da política americana – “É só a economia, estúpido!” (não se referindo ao bloqueiro, claro), e cada um interpreta como quer – no caso, como exemplo de sucesso do modelo de inclusão política. Será que devemos nos espelhar nos que estão crescendo – e “incluindo socialmente” – mais rápido do que nós, como China ou Ìndia, com a solução do Estado-empresa, políticas radicais de controle da natalidade – filho-único – segregação de investimentos por áreas do país mais ou menos “desenvolvíveis”, etc., ou no caso do segundo, podemos entender que o crescimento é o exemplo final do sucesso do sistema de castas na sociedade? Tudo falácias, claro, sofismas, enganos de ótica. Voltando, “É só o momento da economia”, caríssimos… e estabilidade institucional, claro! Mas nossa máquina estatal está inchada e inviável, a corrupção não diminui, e o fisiologismo já está pesando mesmo com essas taxas de crescimento e inclusão.. Em resumo, menos “hipe”, mais lucidez, por favor, em identificar responsáveis ou motivos para essas coisas positivas que estão acontecendo no país.

  20. Inclusão sem educação, esqueçam! Não estou nada contente com isso, vendo muitos jovens inconsequentes comprarem seus Celtinhas a 500x sem juros, enfiar 200 alto falantes e sair por aí com o funk ligado no último. Ou o vizinho, que só por que ganha um pouquinho mais, compra seu “romi thiter’ a 500x sem juros e liga o pagode no último, à noite, e faz aquela festa até altas horas. O maior problema do Brasil é a falta de civilidade do povo.

    1. Quando a cultura do Brasil, a educação era de origem européia o Brasil era um.
      Quando a influencia dessa cultura cessou que começou valer a cultura popular, o Brasil é outro.
      A culpa não é so do governo é também da mídia.
      Se fizer um baile para dançar valsa e minueto a mídia não aparece.
      Se fizer baile funk, regado a mulheres semi-nuas com grande consumo de drogas e sexos a mídia vai estar presente.
      A mídia esta sempre acompanhando a policia, onde a policia vai a mídia vai atrás.
      Para haver espetáculo tem que haver carniça.
      Hoje conversei com um cidadão que tem o corpo tatuado.
      A sua grande preocupação é retirar as tatuagens para que aquilo
      não sirva de motivação para o filho que acaba de nascer.
      Se o jovem faz alguma coisa é porque alguém esta motivando.

  21. Realmente o Brasil mudou substancialmente e só não vê quem está pretendendo manter a mamata que vinham desfrutando com a pobresa do povo por que é para eles importante que o povo continue alienado para daí tirarem proveito.
    O Brasil vai continuar no seu trajeto de progresso confirmando os dizeres da nossa bandeira “Ordem e Progresso” e não venham me dizer que ainda falta a Ordem por causa dos problemas de segurança.
    Este problema existe por causa da exploração desenfreada que o povo veio sofrendo antes do Lula governar.
    O reflexo tão bem explicitado pelos eventos de cultura que o seu texto nos mostra é sinal evidente da melhora e isto, será um coadjuvante da melhora também do lado da segurança porque a cultura age como um freio da violencia.
    Sobre o Padre Landel de Moura, esta semana eu andei lendo a respeito do famoso cientista Nikola Tesla e até fui até o site do History Channel só prá ver novamente o documentário sobre a sua vida.
    Se não sabem, este cientista que nasceu na Bósnia e foi para os EUA, até trabalhou como operário braçal fazendo buracos na rua depois de ter tido rusgas com o Thomas A. Edson e hoje em dia poucos sabem que se temos energia elétrica barata em nossas casas é graças a ele Nikola Tesla. Quem descobriu a C.A (corrente alternada) e inventou uma série de equipamentos a ela adaptada foi o célebre e genial Nikola Tesla.
    Só para se ter uma idéia o controle remoto foi sua invenção e muitos não sabem que o conforto de mudar de canal da TV sem sair do sofá é graças a ele.
    Como Santos Dumont que para nós inventou o avião e para os americanos foram os irmãos Wrayth (desculpem se tiver errado o sobrenome) é que levaram a laurea de haver descoberto e o nosso herói nem sequer é citado por eles.
    Da mesma forma é o padre Landell, famos ficar na mesma história de que para nós quem inventou o rádio foi ele e para os americanos foi o nada mais nada menos Thomas Edson que inclusive inventou a lampada elétrica para corrente contínua.
    Mas o documentário do History Channel dismistifica tudo e é o que precisamos dismistificar com relação a muitas coisas que os tucanos dizem que fizeram e só se tornaram evidentes com a aplicação na prática da turma fantástica do PT e do Lula.
    Há no mundo desde os remotos tempos muitas injustiças praticadas pelo oportunistas, os exploradores que precisam ser desmascaradas para que o povo aprenda a saber qual é a verdade.
    E tudo isto surge por causa da ganancia pelo dinheiro que os espertalhões se apossam do suor, do esforço, do trabalho de muitos em proveito próprio.
    É porisso que precisamos desmascará-los.

  22. Não consigo entender a mágica de você que tem a cara de pau de dizer que 20,00 de aumento sobre o salário mínimo diminua a pobreza, Isso é uma vergoha. A verdade é que continua tudo a mesma coisa, o que são para poucos e o que são para muitos. Para os poucos, tem saúde, educação de qualidade, transporte etc.. e, para a grande maioria, continua morrendo nas filas de hospitais, educação de titica , transporte péssimo, dignidade zero
    O resto é trololó……………………….

    1. Engraçado, não é Simone? Os mesmos que satanizam a extinta ARENA se esquecem que as administrações petistas (Lula e Dilma) ampliaram sua base de sustentação no Congresso valendo-se de parlamentares do PP e PTB, oriundos de onde? Da antiga ARENA…

  23. Luiz Carlos Veja, voce precisa convencer o PIG de que o PT é Neoliberal.

    Quem sabe assim eles deixam de gastar verdadeiras fábulas pra derrotar os candidatos Petistas.

    Na última campanha presidencial negociaram até apoio do Vaticano pra derrotar o “neoliberalismo” do PT.

    Luiz, tenha mais consideração pelos “reaças” aqui do Balaio.

    Como acha que se sentem quando lêem seux textos estapafúrdios ?

  24. Como dizia o sociólogo Betinho ” a democracia no Brasil, não corre, mas ocorre” – minha guria de 07 anos já fala em injustiça social. O rei do cangaço só foi morto por causa do advento da comunicação, muitas “dinastias” também cairão por causa dela. a propósito, o goleiro 100 gols já deveria ter caído. Outro dia estava a ler o Érico Veríssimo e Viajei a Antares, Nossa como a dinastia “Vacariana e os Campolargos” vêm caindo no Brasil. Se fosse em outras épocas o chicote comia no centro!

  25. Errar é humano e seu erro de logística jornalística é perdoável por ter a cegueira dos fanáticos pelo PT e a Igreja Católica Progressista.

    Acesso à arte é paticá-la, “fazer arte”, isso é inclusão.

    Assistir uma peça de teatro é democratização da cultura e da informação. Os seus gurus não são tão democráticos (PT, etc…) e a inclusão do Lula, se você prestar bem a atenção, verá que é somente a financeira.

  26. Se formos refletir claramente, os fundamentos do atual momento econômico foram lançados em 16/3/1990, quando Collor de Mello “seqüestrou” a poupança, e limitou os saques nas contas bancárias; na verdade, o governo de então reduziu drasticamente o inchaço de moeda excessivamente desvalorizada disponível no mercado, que era uma das causas da “quase-hiperinflação” que vivíamos naqueles tempos. Outra medida saudável foram as tão satanizadas privatizações, as quais permitiram que o estado investisse em ações realmente necessárias, como o combate a pobreza, ao invés ficar jogando dinheiro nas estatais pra cobrir prejuízos e rombos das mesmas. Tivemos, igualmente importante, a abertura da economia, que nos permitiu o acesso à bens e serviços mais modernos e baratos, ao invés de dispormos das “velharias” fabricadas por aqui, além de forçar o parque industrial brasileiro a se atualizar.

    Durante a era FHC, foi instituída a lei de responsabilidade fiscal, que auxiliou a disciplinar os gastos do governo e impedir que governantes irresponsáveis esbanjassem o dinheiro público de modo que não fariam jamais em seus negócios privados.

    Inserção sem “inclusão” de nada adianta, se não houver uma reforma radical na instrução pública e privada oferecidas, a disponibilidade de professores realmente capacitados nas escolas técnicas federais (não adianta criar pra colocar professores mal capacitados a lecionar) e programas de capacitação para o trabalho para os trabalhadores desempregados que não sejam apenas um treco para receber uma diploma de 100 horas-aula e sair do curso não sabendo nada.

    Quanto à Landell de Moura, Santos Dumont e tantos outros, não caiam no conto de crer que o mundo mudará sua historiografia por nossa causa. Esse complexo de “cachorro vira-lata” que ainda subsiste fortemente na mentalidade nacional É DOSE!!!

    1. O duro destes anos de 1990, foi no fim do seu mandato, um presidente nosso enfrentou a uma banca de senhores credores do Brasil, depositários do dinheiro mundial, o FMI, dizer o quanto o Brasil perdeu em pouco tempo em milhões de dólares comprovando a sua incompetencia com relação às crises do México e Russia e tendo um outro ex-presidente americano o citando como um governo não a altura do país Brasil e ao mesmo tempo comparando-o a países africanos e mais detidamente ao Chile que cumpriram a sua missão e o Brasil, não.
      Vá lá no blog do PHA e veja este video, é constrangedor. O pior é que ele não abriu a boca para defender o seu governo nem o Brasil. Será por que? Será que foi uma surpresa a fala do ex-presidente Cinton? Decepção.

  27. Parabéns pela matéria pelo seu tom apolitico.
    É uma verdade inquestionável o que ocorre hoje nos grandes centros.
    Porém ainda nos interiores do pais, graça amiséria e a flata de estimulos e treinamento para a mão de obra.
    Mas estamos melhorando.
    Tive de amargar seis meses numa obra em um pais africano para descobrir que meu país é um paraiso na terra.
    O Brasil minha gente, é um paraíso!!

  28. “Pensamentos para mudar o mundo”

    Mundo não precisa de nada nem de nos, que precisamos mudar o pensamento e as regras das pessoas que vivem no mundo, sem dar manutenção daquilo que garante a nossa continuação

    Por as regras que melhore o relacionamento de sobrevivência entre-nos que estamos cada dia se matando mais, a troco de nada porque tudo no mundo não devolve uma única vida

    Isso não e nem uma novidade, tudo para todos debaixo para cima e garantia de resultado de cima para baixo,

    Se a infra-estrutura geral tiver funcionando a todo vapor na educação na moradia, e sinal verde para economia

    O que era para poucos agora e para todos vem de encontro com a realidade real coincidindo com a ficção isso começa tirar o perigo de circulação

    Onde o maior será igual o menor abandonado e todos serão iguais em qualquer lugar do mundo

    Ainda não vimos nada de tudo que vamos ver no momento exato sem aviso veremos as mudanças em todas as direções, tipo assim ou começamos a fazer por nos ou nada teremos para fazer

    O avanço da compactação de tudo em miniatura chegando ao ponto do invisível será possível para devolver para natureza o que pegamos vamos repor se quisermos tirar a morte natural de linha

    Música avião uma combinação perfeita

    Musica e como uma viagem de avião eleva o astral aumentando a capacidade intelectual em direção ao pregresso ficando sem medo ate para uma viagem espacial, como uma injeção de animo servindo de motivador para tudo

    Só ver que os que mais progridem na vida são os que mais viajam de avião só para assistir os melhores concertos musicais pelo mundo afora, vale a pena fazer isso e progresso associativo

    “Vamos todos participar do movimento Landell de Morua”

    Não só esse movimento como outros movimentos, com ousadias inteligentes para motivar sempre os futuros inventores idealizadores ate podemos criar um fundo privado montar laboratórios de pesquisas sustentando o retorno associativo e garantido

    Esses são os próximos movimentos da lista que por falta de visibilidade dos eleitos que podiam aprovar direto, não vão se interessar em compartilhar por isso vai ser preciso assinaturas para aprovar indiretamente, a favor de todos nos

    Núcleo habitacional sem juros, com a garantia do governo que administra o nosso patrimônio público toda vez que precisar cobrir a diferença com a garantia do imóvel do associado

    Passar a Previdência Social para banco consignado dos aposentados e funcionários públicos eliminara o déficit distribuindo dividendos aos aposentados dando suporte aos estudantes a para núcleo habitacional

    Reforma política fim do voto obrigatório voto distrital localizado

  29. Textinho para gringo ver hein
    me diz aí como se consegue um atendimento público de saúde decente, ou uma educação pública decente para as crianças, ou então segurança pública decente para todos os brasileiros, tem isso nos seus pensamentos?
    Me diz como podemos ficar tranquilos com relação aos aeroportos, as rodovias federais, a segurança de nossas fronteiras, diz aí.
    O sr. q mora no jardins, poderia ter tempo para andar 2 quarteirões até a paulista e explicar o pq de tanta gente de rua morando ali, ora com fome, ora sem o mínimo de consciencia, ou então dar um rolê por baixo do elevado, ou na luz…..ou então vá até o recife e não faça apenas os passeios de turista burguês, vá na periferia, vá nos hospitais públicos do Acre, ou ande a pé de noite com seu relógio de pulso nas ruas do Rio de Janeiro.
    Meu amigo, o dia q o sr ficar doente e depender de hospital público, terá o mínimo de moral para falar com o povo brasileiro, enqto for burguês, amigo, puxa saco de políticos, vc está no mesmo nível deles, ou seja, o nível de burguês querendo falar pro povo o q é ou não bom para o povo.

    TE ENXERGA!!!

  30. Caro Kotscho.
    Quando refiro-me à política neoliberal do governo PT, faço, claro, considerações sobre o que vivemos, vimos e participamos e, na verdade, falo sobre o governo, não do PT. Aí é outra história. O programa do PT é o mesmo do PSOL ou do PSTU ou qualquer coisa assim. Nunca, jamais e de forma alguma pode-se aventar ou imaginar que o atual governo faça uma administração de acordo com o seu programa histórico.
    Trata-se de um rigoroso absurdo não reconhecer tais premissas.
    Basta que se lembre do bolsa família; desde quando um programa de esquerda contemplaria tamanha traição aos seus mais rigorosos princípios?
    Não falo sobre os neopetistas, isto é, àqueles que permaneceram no governo mesmo com uma brutal mudança programática; cumpriu-se, na íntegra, o que prometia o mago Zé Dirceu; foi um cavalo de pau. Só que ao contrário.
    Né Vitor Hugo?

    1. Luiz, no neoliberalismo do PT, o pedágio custa R$ 1,30.

      No neoliberalismo dos siameses, PSDB e DEMO, custa R$ 7,65.

      Não tem mesmo muita diferença.

      Né não, Luiz Carlos ?

  31. Por mais que uns queiram não tem como negar: o povo de baixa renda e os trabalhadores que recebem até três salários mínimos subiu na escala social.

    É bem verdade que o aumento do mínimo ficou aquém do esperado, mas vamos continuar lutando aqui do front para que em 2012, ele volte a ter ganhos reais como ocorreu no governo Lula.

    O aumento da renda da população que sempre foi esquecida pela elite foi quem deu o boom no crescimento interno do país. Antes, essa massa não podia comprar nem uma bicicleta, pois a renda não dava. Irem a um show, teatro e cinema era uma verdadeira odisséia. Faltava dinheiro até pra passagem de busão.

    Claro que é preciso avançar mais. Mas, sempre averiguando a correlação de forças que estão postas na sociedade. O PT e a Dilma ganhou o governo e não o poder como um todo. Ou seja, os meios de comunicações, o Judiciário, os parlamentos, a estrutura ideológica, a cultura, a educação etc. Todos, ainda, fazem parte da lógica capitalista. Vamos lutar pra mudar e não ficar apenas lamentando e reclamando.

    João Pessoa ( Jampa) Paraíba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *