Supersalário vai a R$ 93 mil no STJ

Supersalário vai a R$ 93 mil no STJ

Aos caros leitores,

viajo bem cedo nesta segunda-feira para Macaíba, no Rio Grande do Norte, onde farei, para a revista Brasileiros, uma reportagem sobre o belo trabalho desenvolvido pelo cientista Miguel Nicolelis no “campus do cérebro”, o Instituto de Neurociências de Natal Edmond e Lilly Safra. Só volto na noite de quarta-feira, se tudo correr bem. Até lá, não farei atualização do Balaio nem moderação de comentários. Sou um só e já não sou menino. Tem que ser uma coisa de cada vez…”

***
Não, caro leitor, a gente pensa que já viu tudo, mas eles sempre conseguem nos surpreender com novos absurdos.

A reportagem “STJ ignora teto e paga supersalário a seus ministros _ Dos 30 ministros que compõem a corte, 16 receberam mais do que a lei permite”, de Filipe Coutinho, publicada na página A4 da Folha de hoje, é de estragar o domingo de qualquer cidadão honesto.

Acredite se quiser: os meretíssimos (perdão, leitores, errei na grafia: o certo é meritíssimo) ministros do Superior Tribunal de Justiça (de Justiça!) encontraram um jeito de pagar para eles mesmos salários superiores ao teto de R$ 26.7000.

Só com esses supersalários, o tribunal gastou R$ 8,9 milhões em 2010. “Um único ministro chegou a receber R$ 93 mil em apenas um mês”, denuncia a matéria da Folha, mas o STF se recusou a revelar o nome do autor da proeza.

A explicação dada pelo presidente do STJ, o valente Ari Pargendler, que não acha imoral pagar um salário de R$ 93 mil, é uma maravilha:

“Esses pagamentos são `extra-teto´e não entram no limite de R$ 26.700 porque estão nas exceções da resolução”. Entenderam?

Pargendler é aquele doutor que se tornou famoso no final do ano passado ao arrancar o crachá e demitir o estagiário Marco Paulo dos Santos, de 24 anos, com quem discutiu na fila do caixa eletrônico no saguão do tribunal.

O estudante deu queixa na polícia por ter sido agredido verbalmente, segundo várias testemunhas, e sofrido “injúria real”. Foi aberto processo contra Pargendler, que se encontra no Supremo Tribunal Federal, desde novembro de 2010.

O próprio presidente do STJ recebe R$ 2.858 acima do teto, referentes a “gratificação por ser presidente” e “abono de permanência “. Dá um total de R$ 29.558. Cada ministro recebeu em média R$ 31 mil, quase R$ 5 mil acima do previsto na lei, mas isto não preocupa o STJ.

Pargendler diz que apenas cumpre a tal resolução do CNJ, não prevista na Constituição, que cita expressamente que vantagens pessoais incidem sobre o teto. O problema não é com ele, explicou ao repórter:

“Pergunte ao CNJ, porque a resolução permite o recebimento. Você precisa confiar nas instituições. Se o CNJ permite, é porque fez de acordo com a Constituição”.

Nem o salário de R$ 93 mil pago a um ministro em agosto do ano passado, graças a um auxílio de R$ 76 mil para se mudar para Brasília com a família, foi considerado imoral pelo presidente do STJ. “Acho imoral aquilo que não respeita a lei. Se a lei prevê, é direito”.

E ficamos assim. Quem não concordar vai reclamar para quem? Para o bispo?

68 thoughts on “Supersalário vai a R$ 93 mil no STJ

  1. O cara mais sábio desse pais é o Tiririca.
    Falou tudo, pior não fica.
    Se tiver filha solteira vai aconselhar a filha
    a não casar para receber a pensão de R$90.000,00.
    O pior que a gente so aprende as coisas depois de velho.
    Se la atrás eu soubesse dessas coisas eu iria estudar direito ate rachar.
    Ficar amigo de presidentes e banqueiros.
    O Supremo Tribunal é um tribunal de elite e os ministros querem fazer parte da elite.
    É mais fácil alguém ganhar duas vezes seguidas na megasena jogando um único bilhete
    que um pobre conseguir 2 hábeas corpus no mesmo dia.
    Eu já desisti da justiça faz. Resolvo tudo num acordo.
    Ao contrario do mineiro, dou 2 bois para entrar numa briga e uma boiada pra sair.
    Não quero a minha vida dependendo desses ministros.

  2. Meretíssimos é lascando, Kotscho! Não seria Meritíssimos, de mérito e não de mereto? No restante da matéria, se a resolução do CNJ permite extrapolar o teto, ela seria inconstitucional. Cabe a quem tem legitimidade (Procurador Geral da República, por exemplo) questionar o ato no Supremo.

    1. Ora bolas!!! Dobre a sua lingua ou puxa saco de togado!!!
      Dobre bem dobrada antes de repreender uma jornalista como o Kotsho que nos informa as vergonhas deste país.
      Ora o Marco Antonio Zanfra, va plantar favas no jardim do supremo para diminuir a fome no muindo já que estes salários astronomicos e bestiais vão com certeza para a Rússia, na importação do caviar.
      Aliás, sua postura é de quem come caroço de mamão pensando que é caviar.

  3. O engraçado é o desprezo que a mídia da para essa vergonhosa aberração.Pra reclamar das altas taxas de impostos paga por nós,reles mortais,são rápidos no gatilho,mas não explicam a população o porque disso.Taí pra onde vão os recursos que deveriam estar sendo empregados na saúde,na educação,etc.Todo mundo sabe que dinheiro não da em árvores.

  4. Meus amigos,

    Estive falando com o MANOEL FERREIRA por telefone e ele mandou um grande abraço a todos vocês.
    Ele é um grande homem que apesar de sempre estar contra tudo o que eu faço ou digo, ainda assim o seu lado íntegro, sua verdade pessoal e qualidades que só com muita coragem alguém pode possuir, me faz sentir aquela saudades dos enormes textos dele…kakakakaka…
    Fez parte das nossas vidas e bom….não sei não, mas eu acho que ele vai voltar prá área, então que seja bem vindo!
    Abração a todos e tod@s!!!

    bjs

    1. …bacaaaaana norminha !!!

      …qui veim difici né não ???

      …beijos norminha…qui enm ocê só ocê viu ???

  5. O pais pode crescer economicamente mas moralmente não vai crescer tão cedo.
    A lei é legal mas não é moral.
    Moral é coisa boa para colocar na cabeça dos outros.
    Se depender do Bispo, ele vai continuar curando surdos, mudos, cadeirantes, arrecadando dos desvalidos, inaugurando empreendimentos com toda a cúpula da justiça e do governo presente. A lei feita sob encomenda.

  6. Juízes, deputados, senadores, etc definindo o próprio salário já É UMA IMORALIDADE!

    Será que não tem jeito de fazer uma emenda popular com regras decentes para reajustes de funcionários públicos?

    Porque se formos esperar d=pela decência de V.Sas., vamos ter que esperar sentados.

    VERGONHA!!!!!

  7. Targino Silva tem razão; de fato, o país não consegue crescer moralmente. Se o SUpremo Tribunal de Justiça (Supremo?)tem esse comportamento ofensivo à maioria dos brasileiros, essa atitude que fere os brios do povo, como acreditar na Justiça? Se o presidente do STJ, Ari, já mostrou publicamente seu autoritarismo e seu desprezo pela boa educação dando uma carteirada e ainda está impune, como podemos acreditar na nossa Justiça? Se faz urgente que mídia e partidos políticos unam-se na luta para moralizar a nossa lerdissima Justiça, torná-la mais ágil e recuperar a credibilidade perdida por fatose atos como esses salários imensos, esse desperdício de dinheiro público. PT, PSDB, DEM, PMDM, PSB e outros mostrem suas caras nessa questão. Jornalistas, senadores e deputados protestem como fez aqui Kotscho. Não coloco meu nome por temer represálias kafkianas da Justiça e da polícia. Haja visto o caso do goleiro Bruno; com bons antecedentes, mofa na prisão por um crime que não foi provado, nem cadáver tem. Quantos meses já se passaram? A mídia esqueceu. Eu, heim. Tenho medo da Justiça e da polícia pouco competente de nosso país

  8. Senhores. quando a Ford se instalou no Brasil trouxe para cá apenas sucatas das prensas que fabricavam automóveis no Estados Unidos. Fabricavam carros porcaria, verdadeiras carroças (nisto o Collor acertou) e éramos obrigados a comprar o que se fabricavam. Não tinha outro. Só que ela não ganhava muito dinheiro com as vendas de veículos. O grande negócio dela eram as esquinas da lei onde se beneficiavam de menos impostos e programas de incentivo para a criação de industrias e empregos. Quer dizer, quem gerava lucros era o departamento jurídico.
    Assim estamos até hoje. Sempre nas esquinas da lei. É imoral, mas é lei.
    Nossos homens públicos não tem moral, nem ética e nem religião, o que fazem deles dignos de penas por não temerem a Deus.
    Garanto que não ficaram impunes.

  9. Colado do blog de Josias de Souza
    Garibaldi: Não há caixa para aumento de aposentado

    A cada nova elevação do salário mínimo, a pergunta ressurge: o aumento será repassado aos aposentados que recebem benefícios acima do piso legal?

    O blog fez a indagação ao ministro da Previdência, Garibaldi Alves. E ele: “Essa possibilidade, no momento, inexiste”. Alega falta de caixa.

    As contas da Previdência registraram, em janeiro de 2011, leve melhora. O déficit do mês foi de R$ 3,02 bilhões, 23,5% abaixo do auferido em janeiro de 2010.

    Nada que permita ao governo, porém, elevar as aposentadorias. “Não é, ainda, o suficiente”, disse Garibaldi ao repórter.

    As preocupações do ministro não se restringem a 2011. Ele olha para 2012, ano em que o mínimo vai dos recém-aprovados R$ 545 para mais de R$ 600.

    “O mínimo que vem aí, em janeiro de 2012, deve ficar em torno de R$ 616. Isso também traz alguns sinais de alerta e preocupação”.

    O ministro disse, de resto, que não há “nada de oficial” quanto a mudanças pontuais nas regras da Previdência. Por ora, “só preocupações e cogitações”.

    Nesta semana, Garibaldi vai procurar o ministro Antonio Palocci (Casa Civil). Deseja agendar um encontro com a presidente Dilma Rousseff.

    Para quê? Busca “obter da presidente uma sinalização clara do que quer o governo” para a área da Previdência.

    Paulo VI – Estranho, para os juízes e deputados tem.

  10. “Esses pagamentos são `extra-teto´e não entram no limite de R$ 26.700 porque estão nas exceções da resolução”. Entenderam?
    Não. Não é para entender porque é absolutamente Inconstitucional. Não há resolução, lei, ou qualquer norma que tenha o poder de contrariar o texto Constitucional que, nesse caso é claro.

    Sobre princípios e normas da Administração Pública, servidores e agentes políticos, controle de despesas e finanças públicas e custeio de atividades: “Art. 39. A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios instituirão conselho de política de administração e remuneração de pessoal, integrado por servidores designados pelos respectivos Poderes.
    § 1º A fixação dos padrões de vencimento e dos demais componentes do sistema remuneratório observará:..
    exclusivamente POR SUBSÍDIO FIXADO EM PARCELA ÚNICA, VE-DA-DO O ACRÉSCIMO DE QUALQUER GRATIFICAÇÃO, ADICIONAL, ABONO, PRÊMIO, VERBA DE REPRESENTAÇÃO OU QUALQUER OUTRA ESPÉCIE REMUNERATÓRIA.

    É a lei.

  11. E ainda sobre a lei que determina e especifica com clareza o teto do funcionalismo público:
    “Art. 37. XI – a remuneração e o subsídio dos ocupantes de cargos, funções e empregos públicos da administração direta, autárquica e fundacional, dos membros de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, dos detentores de mandato eletivo e dos demais agentes políticos e os proventos, PENSÕES OU OUTRA ESPÉCIE REMUNERATÓRIA, PERCEBIDOS CUMULATIVAMENTE OU NÃO, INCLUÍDAS AS VANTAGENS PESSOAIS OU DE QUALQUER OUTRA NATUREZA, NÃO PODERÃO EXCEDER O SUBSÍDIO MENSAL, EM ESPÉCIE, DOS MINISTROS DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

  12. …o bispo é outro vagabundo que bem poderia utilizar a estrutura da igreja para passar estas informações aos fiéis.

    Tem vagabundo demais neste muuuundo Ricardo !!!

  13. Não sei das indicações do presidente Lula fez para o STJ, mas se fez igual ao STF, indicou a maioria.
    Por incrível que pareça dos indicados para o STF, o único com quem se relacionava era o Eros Grau.
    Este ministro, foi o juíz que pegou o processo que o juiz De Santis era responsável nas acusações a Daniel Dantas. Sabem o que esse sr. (hoje aposentado graças a Deus) fez, sentou em cima e foi embora, usufruindo da bela aposentadoria.
    Ca pra nós, o CARA cometeu certos atos que hoje está arrependido, só que não vai declarar.
    STJ, STF, servem para julgar ricos que vão ás últimas instãncias por que tem dinheiro. Ladrão de galinhas fica preso mesmo e é disso que nossas prisões estão cheias.
    E na sua maioria é a turma do P. P. P.
    Quanto ao juíz Ari Pangendler, esperar o què?
    O que fez com o estagário diz tudo sobre esse julgador.

  14. Eu vou voltar a falar aqui contra a corrente. Eu não acho razoável que alguém possa falar em salário de 93 mil. Evidentemente que o Juiz em questão não ganha este salário. Pode ter recebido em um determinado mês uma gratificação, que parece foi por mudança de domicílio. CLARO QUE se pode questionar essa gratificação. Acho mesmo absurdo um juiz ser promovida ao STJ e ganhar gratificação para mudar para Brasilia, ainda mais neste valor. Mas chamar isso de salário é um tanto ridículo e mostra clara desinformação. Além disso, qualquer servidor público que ganhe atrasados de forma parcelada, por exemplo, ganhará durante um certo tempo remuneração mais elevada que o normal. Mas isso não quer dizer que ele ganha esse valor de salário.
    Quando um juiz entra em férias e ganha o salário acrescido de um terço, como todo mundo, os do STF que já ganham o teto terão neste mês o valor recebido alterado e acima do limite. Isso não significa que ganham salários fora do teto.
    Quanto ao abono de permanência em serviço, é preciso explicar que não se ganha um acréscimo de salário. O que o servidor público com tempo para se aposentar e que permanece em serviço ganha é a ISENÇÃO de contribuir para o INSS. Então, se o magistrado já ganha o teto, mas vai ficar isento de recolher o INSS, seu salário será naturalmente acrescido porque não vai recolher contribuição para a previdência.
    Agora, achar que um juiz do Supremo que trabalha tendo tempo para se aposentar não tem direito ao abono de permanência, só porque terá uma remuneração superior ao teto, então que a lei faça essa ressalva. Caso contrário, a situação é, sim, perfeitamente legal.
    Nesses assuntos é necessário se informar antes de sair por aí falando isso e aquilo.
    Volto a dizer: sou desembargadora federal dp trabalho aposentada e recebo por mês salário líquido que não chega a R$15.000,00. É demais? Se formos confrontar com o Salário Mínimo realmente é muito. Mas não é por aí que se tem que analisar a questão. Empregados executivos de empresas médias, com curso superior, ganham em geral muito mais que isso e ninguém fala mal.
    Vamos trazer a discussão para um patamar de realidade.
    Agora, ganhar 76 mil para se mudar pra Brasília, realmente é muito dinheiro sem motivo. Abaixo os penduricalhos!

    1. Não consigo entender, senhora Zuleika, por que um funcionário público ( juiz, no caso), tendo tempo para se aposentar, não o faz? Se continua a ganhar o mesmo, trabalhando ou não, tendo apenas isenção do INSS, não vejo o porquê! Apenas amor ao trabalho? Se for apenas essa a razão, parabéns!
      Quanto à diferença entre seu salário e o salário mínimo ser muita, conforme admite, ao mesmo tempo que diz que “não é por aí a questão”, também não entendi. Sua análise é só legal ou também moral? Quanta coisa legal não é moral, não é mesmo, principalmente com leis feitas por tanto corrupto que, tenho certeza, deveria estar na cadeia e não no Parlamento. É verdade ou não? Legalmente não estão presos, mas moralmente…
      O que muitos estão começando a querer discutir neste país, é o lado moral, desembargadora. Para quem está na posição da senhora, é cômodo analisar somente o lado legal, mas quem está debaixo do salário mínimo, soa muito alto o lado moral.
      No caso de juízes é sabido da dificuldade dos concursos, do alto saber jurídico exigido, dos anos de estudo para se conseguir a aprovação. Mas somente isso justificaria uma diferença de salário tão grande entre dois seres humanos? É a regra. quem tem mais estudo, cultura, preparo, ganhar mais? Ainda que fosse, continuaria sendo injustiça.
      Por que como explicar tanto semi-analfabeto no Congresso Nacional, ganhando mais até que os juízes? É a regra, também?
      Pelo jeito, desembargadora, é necessário mudar as regras, leis, seja lá o que for, se injustas. Não adianta ser apenas legal, é preciso também ser moral.
      Ou acaba-se vendo o que não agrada. típo Egito, Líbia, etc

  15. Olá Ricardo, parece que o João Cabral de Melo Neto também não gostava muito desses cabras engravatados. Veja o que ele fala em Morte e vida severina:

    “Somos muitos Severinos
    iguais em tudo e na sina:
    a de abrandar estas pedras
    suando-se muito em cima,
    a de tentar despertar
    terra sempre mais extinta,
    a de querer arrancar
    algum roçado da cinza.
    Mas, para que me conheçam
    melhor Vossas Senhorias
    e melhor possam seguir
    a história de minha vida,
    passo a ser o Severino
    que em vossa presença emigra”.

    (MELO NETO, João Cabral de. Morte e vida severina e outros poemas em voz alta. 20. ed. Rio de Janeiro, José Olympio, 1984. p. 70 – 72).

    – A pergunta é o seguinte: até quando vamos continuar sendo Severino?

  16. Boa noite Ricardo!
    Boa noite amigos balaieiros!

    Ricardo…! Se nem voce que tem tanto conhecimento sobre o que está acontecendo sabe onde e pra quem reclamar, quanto mais nós, pobres leitores.

    Vai ver é mais alguma coisa relatíva ao “INTERESSE NACIONAL” como no caso dos passaportes, sei lá!

    O que importa, é o interesse nacional. Tudo pelo, e para o povo, e em seu nome devidamente exercído, remunerado, e estabalecido.

    …amém!!!!

    Robson de Oliveira

  17. ”Todos são iguais perante a lei, tirando as desigualdades legalizadas” Ninguém é obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei. E a virtude da lei é quem autoriza essas desigualddes, pois, se não há, cria-se.
    Se perguntar o por que dessas distorções, a resposta está na ponta da lingua: A lei ”manda”, o

  18. truncou o comentário, continuando….A lei ”manda” o que posso fazer! Mas, são R$ 90.000,00! Sim são R$ 90.000,00 amparados por lei. Puxa, que legislação legal, ne? E o povo só tomando no copo porque a xícara já quebrou há muito tempo.

  19. Desculpem o radiclismo, mas, ponho na balança os 13º, 14º e 15º salários dos políticos, fora todas as ajudas de custo (até auxilio paletó) e os aumentos auto-aprovados, o último em de mais de 60%, os recessos mil, (até para festejos juninos), duas férias por ano, nossa, sai muito mais doque os 93.000,00 mencionado na matéria.

  20. Ricardo,

    Boa viagem. Que consiga fazer mais uma das maravilhosas reportagens que a BRASILEIROS nos oferece com sua assinatura.
    Curta bastante este estado Potiguá, seu povo, suas raizes em, fim, apesar do trabalho, descanse um pouco.
    São muitos vetores que atingem nosso estado de espirito nos deixando estressados.
    As coisas acontecem e quando vem a tona é porque o coco é airado. Supremo? Só de frango! Criando aqui no quintal mesmo.
    93mil. Há meu Deus!!! Daria para consertar umas duas escolas na roça. Comprar um bocado de Meleato de Enalapril para os hipertensos aguentarem este tranco e outras coisinhas mais.
    Já me mudei para muitos estados do pais trabalhando e sempre as empresas pagaram a mudança mas neste valor? È algo assim de astronoMICO. È fazer de nosso dinheiro papel higienico para valorizar o fiofó.
    Um VADMECUN custa entre 64,00 e 110,00 este dinheirinho daria para comprar uns mil e doar a estudantes de direito bolsistas por este pais a fora.
    Datavenia, temos que solicitar a revisão do VACATUS LEGIS(?) da lei que autoriza este recurso.
    Datavenia novamente, o juiz estava na Groelandia e uma mudança de lá para cá, deve ficar próximo a este valor, isso vindo de avião os móveis de jacarandá brasileiro, mogno amazônico, peroba em fim madeiras nobres de nossa terra que estes togados tanto gostam de ostentar.
    Ora bolas, porque reclamo? Quem madou eu fazer faculdade de jornalismo em vez de Direito?
    Minha filha é que está certa. Se forma em direito ano que vem.
    Que Deus a abençoe com uma dádiva desta!!!.

  21. …kkkkkkkkkkkkkkkkk…é de chorar mas eu tenho que rir…kkkkkkkkkkkkkkkkk…pois os caras estão lá pra “fazer justiça”, né não ???

    …o lado triste é que agente fica sem saber o que fazer com aqueles que consideramos comumente marginais

    …( falando sózinho )…meu deus do céu…este mundo tá muito doido…os que teem que ser num são, os que são num querem ser…o cara luta tanto pra se tornar grande, e quando o consegue faz de tudo pra se tornar pequeno…meu deus.

  22. O Judiciário é o câncer do Brasil, leia isso:

    Juiz insinua que governo trata categoria como sindicato de motorista

    Presidente da Associação dos Juízes Federais afirma que Planalto não pode igualar Judiciário a outras categorias; sindicato de motoristas promete processo

    Fausto Macedo, de O Estado de S. Paulo

    A toga se declarou nesta sexta-feira “perplexa, chocada” com a decisão da presidente Dilma Rousseff (PT) de não negociar com a categoria, que reivindica reajuste de 14,79% a título de reposição de perdas inflacionárias. “O governo não pode tratar sua relação com outro poder, que é independente, como se estivesse negociando com sindicato de motorista de ônibus”, declarou o presidente da Associação dos Juízes Federais, Gabriel Wedy.

    Para Wedy, “o governo precisa evidentemente fazer essa distinção, não pode desconhecer o magistrado como agente político do Estado”. A entidade subscreve mandado de injunção ao Supremo Tribunal Federal, por meio do qual os magistrados pleiteiam a reposição sob argumento de que a omissão do Congresso lhes subtrai direito constitucional de irredutibilidade de vencimentos.

    Em agosto de 2010, o STF enviou projeto de lei ao Legislativo reivindicando os quase 15%, mas não houve resposta até agora dos parlamentares. A pretensão dos magistrados esbarra na disposição do Palácio do Planalto de promover um ajuste nas contas públicas após o corte de R$ 50 bilhões do orçamento.O governo avisa que não vai se curvar a pressões.

    “Ficamos impressionados com essa reação do governo em início de gestão dizendo que vai ficar mais um ano descumprindo a Constituição”, afirma Gabriel Wedy. “O governo foi muito inábil, com uma declaração duríssima.” “Causa espanto o governo nos comparar a outras categorias”, insiste. “Falta tato político ao governo. É importante que a presidente Dilma realize uma interlocução de forma mais qualificada com o STF e com a magistratura do País. Não se está discutindo aumento de salário, mas a funcionalidade do teto constitucional.”

    Os magistrados elegeram o ministro Nélson Jobim (Defesa) para o papel de negociador e vão pedir a ele que aceite a missão. Na próxima semana vão solicitar reunião com Jobim, a quem consideram qualificado para levar ao governo os argumentos e as razões da classe. Jobim foi ministro da Justiça e presidente do STF. “Ele criou o teto constitucional, quando presidiu o Supremo”, destaca Wedy. “É muito respeitado por toda a magistratura e pode resolver esse impasse pela habilidade que tem como jurista e constitucionalista. Pode assessorar a presidente Dilma, tem o perfil ideal.”

    Michel Temer, vice presidente da República, também poderá ser assediado, segundo planeja a toga. “Temer pode auxiliar o governo para a elevação do nível do debate como constitucionalista que é, tornando-o mais técnico, qualificado e menos emotivo”, avalia o presidente da associação dos juízes. “Queremos resolver o impasse.”

    Os juízes consideram o teto moralizador. “Quando o teto para o funcionalismo foi criado tinha servidor público que ganhava R$ 80 mil de salário”, anota Wedy. “Nós defendemos o teto. A questão envolve muito mais direito constitucional do que economia. Por isso, precisamos qualificar o debate.”

    “O governo não pode ignorar o fato de que os juízes são agentes políticos do Estado com garantias constitucionais que não nossas, mas da sociedade”, adverte o presidente da Associação dos Juízes Federais. Essa declaração de endurecimento do governo, esse tipo de balão de ensaio largado pelo governo não vai nos intimidar, não vai fazer com que a gente pare de negociar.” Para os juízes, “a negociação entre um poder de Estado e outro se dá em moldes diferentes da relação entre o governo e um sindicato”.

    Wedy observa que consta do artigo 2.º da Constituição que os poderes são independentes e harmônicos. “O governo precisa ter a dimensão que está negociando com um outro poder de Estado, que é o STF.” / COLABOROU LUCAS DE ABREU MAIA

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,juiz-nao-e-motorista-de-onibus–diz-magistrado-sobre-reajuste-salarial,684697,0.htm

  23. Oi, Enio, como fiquei contente de ver esse vídeo do “Titãs”que você colocou. Vou te confessar que nunca tinha ouvido os Titãs, pois meu desencanto em relação à classe artística politizada, há muito se desvaneceu. Realmente sei que os Titãs são famosos, porém nunca me dei ao trabalho de ouvi-los. É tanto lixo que a gente pensa que tudo se alienou. Para mim, depois de Geraldo Vandré nada mais teria havido, no mundo musical, como protesto à ladrãozada que faz política anti-povo. Chico Buarque hoje apoiando Ali Babá, Gilberto Gil sendo ministro de governo corrupto, Caetano fazendo coisas tipo “Menino do Rio”, me desencantaram. Mas depois deste vídeo dos Titãs vou procurar ouvir com mais atenção o que os músicos têm feito como protesto contra a corrupção institucionalizada no país. Aos 64 anos de idade, fiquei fã dos caras!

  24. Eu não sei por que tanta revolta os caras estão certos, eles tem é mais que se preocupar com seus umbigos e os pobres que aqui ‘não existem’, que se explodam.
    Nossa raça é assim mesmo um bando de descendentes de degredados a que veio preencher este espaço geográfico comer e ser comido pelos índios numa mistura insossa de cultura e DNA que deu nisso.
    Uma sociedade letárgica e dominada que quando alguém por ventura tenta aventar a possibilidade de discordar da conjuntura mesmo que seja no intuito de colaborar é tachado de rancoroso e sem norte.
    E o exemplo vem de cima, o exemplo vem do poder.
    Mas, não podemos detratar o poder porque ele nos permite a liberdade.
    Todos nós temos a liberdade de comprar caviar, wisk macallam, filét mignom, queijos suíços e vinhos finos importados, temos liberdade de ir e vir e viajar de avião, assistir as melhores peças de teatro, dançar o boi bumba desfilar nas escolas de samba, em trios elétricos, no maracatu, e somos um exemplo de povo feliz para o mundo, vivemos alegres e de bom humor e em nossa terra jorra o leite e o mel desde os pampas do sul até Oiapoque lá pelos lados do Pará ou Amapá… Sei lá.
    Vamos viver nossa hibrida democracia e quando nos sentirmos injustiçados temos que nos conformar porque aqui é vergonhoso lutar por alguma coisa melhor, é vergonhoso exigir direitos porque tudo isso mostra que somos pobres e ser pobre é vergonhoso.
    Para que lutar por algo melhor se já temos a tal liberdade e a tal da justiça?
    Contratemos um advogado porque temos a liberdade de contratar, defensoria pública é coisa de pobre e aqui neste país não tem mais pobre.
    Podemos ir e vir (pagando os pedágios e impostos, é claro).
    Os impostos são necessários para manter todos os status adquiridos por esta sociedade saudável, pluralista e justa que se solidificou na era Lula.
    Em time que esta ganhando não se mexe (frase de efeito dos acomodados) o negócio é sentar:
    No trono de um apartamento
    Com a boca escancarada
    Cheia de dentes
    Esperando a morte chegar…

    Porque os mesmo que se dizem indignados hoje, amanhã defendem o status quo desde que percebam algum favorecimento individual.
    É a vida.

  25. O problema não é o salario deles. O problema é o nosso salario. O nosso salario tem que ser vinculado ao deles. O menor salario tem que ser de no mínimo 10% do sa lario deles. R$ 2.670,00. Tambem é lei. está na constituição. Por que eles não fazem esta lei entrar em vigor ?. Alo trabalhadores. Professores de escola pública, policiais, metalurgicos, químicos e 60% dos trabalhadores brasileiros. Voces pensam que estão ganhando muito bem mas, nã realidade voces não recebem um salario mínimo real, que está na constituição que está valendo hoje em torno de R$ 2.300,00. Vamos sair as ruas e exigir o salario minimo que está na constituição.
    João leite

    1. É isso aí, João Leite.
      Leia o autor “Zuleika”, que é uma desembargadora aposentada, o autor “IV Avatar” e verá a semelhança de pensamento. Eles atentam apenas para o lado legal; “bulhufas” para o lado moral, “coisa de pobre”, talvez pensem.
      O autor “Stanislaw para Zuleika” tentou explicar a diferença entre o peso do legal e do moral, diante de quem ganha altos salários e quem tem salário medido pelo salário
      mínimo.
      Zuleika não acha que um juiz ganha muito, comparando com altos executivos de grandes empresas; reconhece porém a grande diferença do salário de um juiz, comparado com o salário mínimo, mas diz que “não é por aí a questão”.
      Não enxerga que o salário de um juiz, que nada mais é que um funcionário público, não se pode comparar com o de um executivo da empresa privada, o qual não tem estabilidade, o principal motivo pelo qual um juiz não deixa seu cargo para se aventurar, mesmo para ganhar mais, a ser um executivo que, além de não ter estabilidade, está sujeito diariamente a muitos outros fatores de risco, inexistentes para um funcionário público.
      Não reconhece que quem paga o alto salário do executivo é o setor privado, que depende do lucro, que depende da eficiência da empresa e muitos outros fatores que influem nestes “altos salários’.
      O salário do funcionário público quem paga é o Estado, com o dinheiro do “povo”, independentemente se o serviço é eficiente ou não.
      Aliás, se esse fator fosse levado em conta e a ineficiência influísse nos holerites dos funcionários públicos, como geralmente influi no dos executivos da iniciativa privada, haveria uma economia aos cofres públicos surpreendente, pois a grande maioria receberia holerite com R$0,0.
      O que está sendo necessário, João Leite, como você muito bem mencionou, não é nos preocuparmos com os altos salários dos funcionários públicos e sim que haja uma vinculação direta entre esses altos salários aos do salário mínimo.
      Por que não criar um índice único de reajuste para o salário mínimo, salário de todos os funcionários públicos, dos políticos, enfim, um índice único geral, mesmo mantendo as diferenças já existentes, porém não permitindo que essas diferenças continuassem aumentando.
      Poderia, inclusive, estipular um período em que o reajuste do salário mínimo fosse um pouco maior, até que se atingisse uma diferença “moral”, como você por exemplo aventou: o salário mínimo ser 10% ou talvez 20% do mais alto salário pago pelo Estado. Seria uma forma de, sem diminuir salário de ninguém, melhorar os que atualmente são tão injustiçados.
      Seria uma verdadeira justiça social, sem demagogia, sem bolsas esmola ou outras invencionices para enganar somente.
      Creio que isso não partiria dos governantes nem dos políticos viciados em cuidar apenas de seus interesses próprios, mas creio que instituições respeitáveis tipo OAB, FENAJ, CNBB, Outras religiões e outras instituições, poderiam iniciar movimento popular de reinvindicação de algo assim.
      Com certeza o povo faria sua parte.
      Acho, João Leite, Zuleika, IV Avatar que, se medidas como tivessem sido implementadas nos países árabes, cujos povos ora se rebelam, nada disso estaria acontecendo por lá.
      E, com certeza, jamais aconteceria por aqui!
      Alegar que são povos com costumes e hábitos diferentes, debaixo de situações políticas e sociais diferentes, é no mínimo ser insensível à realidade irrefutável: tanto o povo de lá quanto o povo daqui, são seres humanos!
      E ser humano lá, aqui ou em qualquer outro lugar, não tem diferença quando se cansa de ser explorado: explode!

  26. Ao comentar com uma colega do curso de direito (letras minusculas mesmo) sobre o modus operandis do direito, a mesma me disse que a interpretação da lei e julgamento de algum contraventor é uma questão de ” interpretação da aplicação da lei”. Coisas que um leigo em Direito não entende.
    Será que o direito se entende por dizer até o contrário que a Lógica humana condiz?
    Quer dizer que um contraventor pode ser tido como o contrário que a Lógica sugere?
    Como um contraventor pode ser um sujeito dentro do direito? Para nós simples mortais é deveras difícil entender coisas que nos sugere corretas sendo elas por natureza incorretas.
    Assim é o modo do direito; colocar diante de nós, numa tentativa de inverter a razão Lógica das coisas consideradas pelo nosso simples julgamento como erradas, na condição de certas.
    Assim eu vejo este aumento de salário injusto dos senhores do STF com referência ao povo simplesmente.
    Mas a constituição não diz que deveremos ser tratados de modo igual perante a lei? Com os mesmos direitos?
    Muitos aí acima já disseram que está de acordo com a constituição este aumento arbitrário que os Senhores de togas deram para si mesmos.
    Mas que coisa é esta de eles terem direitos acima do cidadão comum, se na constitição está escrito que todos nós temos os direitos iguais?
    Sabem,,,eu só queria entender esta tamanha inversão de valores.

  27. …kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…desculpa Ricardo, mas, não consigo parar de rir toda vez que lembro deste post.

    Agora estou rindo de nós, que acreditamos que as nossas instituições serão moralizadas, tendo um judiciário deste…kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

  28. APARTHEID SOCIAL… BEM AQUI, PERTINHO, NOS JARDINS.

    Clube obriga babá a usar branco e barra ida a restaurante

    Pinheiros diz que existem áreas, como piscina e locais de eventos, que possuem regras específicas para acesso

    Para coordenador da Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP, regras significam um apartheid social

    CRISTINA MORENO DE CASTRO
    DE SÃO PAULO – FOLHA

    O crachá deve estar sempre no pescoço e a roupa deve ser toda branca. Em alguns dos mais tradicionais clubes de São Paulo, não basta às babás apresentarem carteirinha, como os sócios. É preciso estar trajada de acordo com as regras.
    É assim no Pinheiros, no Paineiras e no Paulistano, todos na zona oeste, cujos títulos chegam a R$ 25 mil.
    No Pinheiros, algumas babás relatam que são cobradas a usar calçados fechados, mesmo em dias quentes. No Paulistano, é preciso usar “sapatênis, sapatos ou tênis da mesma cor do uniforme”.
    “Acho discriminação”, diz a babá Silvana Santana, 36, que vai ao Pinheiros duas vezes por dia. Na semana passada, ela teve apreendida sua carteirinha (onde se vê escrito “acompanhante”) porque vestia bermuda jeans e blusa branca. Foi avisada de que só o patrão poderia retirar o documento.
    Outra passou por uma “blitz de babás” e teve a carteirinha retida, pois não usava branco. Ficou “constrangida e envergonhada.”
    Sua empregadora, que preferiu não se identificar, afirma que ficou tão incomodada que enviou uma carta ao clube explicando que ela não usa uniforme em casa e pedindo que não tivesse de fazê-lo no clube. “Foi indeferido. Alegaram que é regra.”
    Juliana Rodrigues, 25, também babá, diz que já lhe chamaram a atenção no Pinheiros porque sua blusa branca tinha “uma florzinha no canto” e porque usava sandália “neste calor”.
    Diz ainda ser proibida de ir ao restaurante acompanhada apenas das crianças e conta que um sócio já pediu que ela se levantasse de um banco perto da piscina.
    O Pinheiros confirma que as babás só podem ir ao restaurante infantil.
    Sócia do clube, a professora Nuria Carbó, 35, considera o uniforme discriminatório. “Passaram a vir de branco porque muitos sócios reclamaram da presença delas.” Já Paula Krishnan, 37, também sócia, acha que a regra é uma forma de controle. “Assim como os funcionários do clube, [as babás também] têm identificação.”
    O coordenador da Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP, Martim Sampaio, vê discriminação na exigência da roupa branca e, sobretudo, no veto ao restaurante.
    “O clube tem o direito de saber quem está adentrando a dependência, até por questão de segurança, mas a carteirinha basta para isso”, diz.

    “É um constrangimento ilegal a empregada ter que se vestir de forma diferenciada e é absurdo impedir que ela entre no restaurante. Ser obrigada a levantar do banco é um apartheid social.”

    Segundo o Pinheiros, o clube tem 37 mil sócios e 1.500 acompanhantes de idosos, crianças e deficientes cadastrados. Eles devem apresentar crachá “e portá-lo em local visível durante a sua permanência no clube, como acontece com funcionários em qualquer organização”. Uniforme e crachá servem para identificação, diz.

    Afirmou que algumas áreas possuem “regras específicas para acesso, podendo ser reservados exclusivamente aos associados”. Paineiras e Paulistano não se manifestaram

    1. E o Ministério Público não interveio ainda nesses absurdos? Acho que não é caso de apenas denunciar na mídia e ficar por isso mesmo!

  29. …kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…preciso parar de pensar neste post…vou me acabar de rir…
    …meu pai Ricardo…meu velho pai…morreu dando o maior valor aos componentes do judiciário…pra ele ser juiz era ser algo sagrado…coitado do meu velho…ainda bem que morreu de morte natural, antes de voce colocar este post, pois se o lesse iria suicidar ou morrer de desgosto.

    …compreendo agora quando minha mãe lhe dizia…

    -Emílio tú é muito besta,…tú é besta demais homi…tú dá o moió valô a qualqué bosta que veste batina preta ( será que ela se referia à toga ? )…kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…

    1. …se alguém dissesse para o meu pai, que a venda de sentença era o motivo do enriquecimento da maioria dos juizes, ele acabava com o sujeito, ao ler o seu post vemos que há outras maneiras tão amorais quanto aquela.

      …kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…e nóis aqui só metendo o pau nos políticos…kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      …Ricardo meu fi…tem vagbundo demais neste mundo, né não ?

  30. Já não existe Ministros do Supremo Tribunal Federal como antigamente…Eles mesmos estabelecem quanto querem ganhar e estipulam seus aumentos saláriais e o nosso Presidente da república, nada pode fazer a não ser concordar com o aumento proposto por eles.
    Também não confiamos plenamente mais nos atos do Supremo Tribunal federal que muitas vezes vota e da veredito que muitas vezes contrartia o desejo do povo Brasileiro.

  31. Com essa notícia eu estou passado. Definitivamente.
    Mas eu gostariade ver um Ministro desses justificar esse salarião lá na favela, à beira do esgoto à céu aberto. Vir pro limpo.
    Ou no Brasil não tem homem prá acabar com essa nojeira de desrespeito ao teto salarial.
    E aí querem que o povão respeite quem?

  32. Não estou interessada nos supersalários do STJ, pois isso ocorre em todos os órgãos públicos, ministérios, estatais, etc, se não é oficialmente é clandestinamente. O que está me deixando inconformada é a humilhação que está sendo imposta ao São Paulo pela CBF, FIFA, primeiro com a rejeição ao estádio do Morumbi e aceitação ao Fielzão, em qualquer circunstancia. Isso é um desrespeito ao torcedor são-paulino e dos outros times também.
    Depois veio essa Taça das Bolinhas e o reconhecimento do Flamengo campeão em 1987(!!!), logo após o São Paulo ter recebido o troféu, ou seja, o que se quer é que o troféu seja retirado do Morumbi com bastante estardalhaço e o time seja mais uma vez humilhado.
    Gostaria de saber o que você pensa disso, Ricardo.
    Inclusive a área onde será construido o Fielzão é pública, está em litigio com o Ministério Público, não está liberada para a construção, mas para a CBF e FIFA está tudo bem.
    Acho que a diretoria do São Paulo, inclusive a oposição, está afundando o time, não luta pela dignidade do São Paulo. Você, jornalista influente e bem relacionado, faça alguma coisa.

    1. Se você, eu e todos os brasileiros deste país estivéssemos primeiramente interessados no que ocorre não só no STF, STJ, como também no Poder Executivo e no Legislativo, na corrupção, roubalheira, mentiras, enganos de todo tipo por parte dos governantes, garanto-lhe, Angela, que coisa como o que você relatou, não aconteceria na CBF ou em qualquer outro órgão do futebol.
      O exemplo vem de cima, filha.
      Se não há decência, moral, honestidade nos homens que governam, julgam e legislam, o que se pode esperar nas camadas mais inferiores?
      Se todos mentem, roubam, enganam, por que “eu” seria diferente. Um pensamento desse, Angela, no efeito cascata, onde vai dar?
      Chegamos ao ponto que o mais reles ladrão não respeita a polícia pois, sabe o que pensa? Se os governantes roubam, se a polícia rouba, por que não eu? A única diferença é que eles têm “CARTEIRA” e eu não!
      Enquanto o povo não mudar sua mentalidade, Angela, de não aceitar mais as coisas erradas, começando por si próprio, sendo exemplo, e depois exigindo que todos que ocupem cargo público façam o mesmo, a coisa não muda.
      Sabe qual a consequência, quando o povo se cansa de ver as coisas erradas prevalecerem, sem que atitudes sejam tomadas por aqueles que deveriam tomá-las – os que governam?
      Acontece o que estamos vendo na Tunísia, Egito, Líbia…
      Infelizmente, Angela, é o futuro do Brasil, não se iluda com as mentiras que têm apregoado, usando o desenvolvimento, a saída da pobreza, as mudanças de classes sociais etc. É tudo balela que os que estão se locupletando cada vez mais divulgam para enganar.
      Quem acredita neles, visite os hospitais públicos, as periferias sem saneamento básico, as regiões assoladas pelas enchentes, verifique as verdadeiras estatísticas da segurança pública, o nível de educação nas escolas públicas e por aí vai.
      Para concluir, Angela, compare o salário de 26 mil reais que, com as inúmeras vantagens chega a 100 mil reais por mês, com os 545 reais do salário mínimo!
      Se o governo não respeita o povo… o próprio povo não se respeita… CBF, FIFA vão respeitar o quê, Angela?!!!

  33. É prática, no Brasil, referir-se a governo (ou desgoverno) considerando apenas o poder executivo. Critica-se (muitas vezes com razão) o prefeito, o governador e o presidente.
    Esquecem, porém, que o que se denomina “governo” é formado pelos três poderes.
    No executivo os governantes são eleitos a cada 4/5 anos e, nessa oportunidade, submetem-se a julgamento pelos eleitores. Se não agradam não são reeleitos.
    No legislativo segue a mesma prática. Na eleição submetem-se ao eleitorado.
    No judiciário, (poder do qual se espera no mínimo que respeite as leis), a carreira é somente por concurso; os cargos são vitalicios, são irremovevieis e coisa e lousa e outras garantias, muitas delas fruto do espirito de corpo que domina qualquer corporação.
    Neste caso, resta reclamar ao biscpo, rogar pragas, aborrecer-se, chatear-se e lamentar-se que se um poder que existe para “aplicar a lei” e que não a aplica para beneficiar-se… é o caso de perguntar: ele existe pra quê? se não é capaz de submeter-se a mais comezinha da sua obrigação?
    Um abraço Cidadão K

  34. Os assalariados e aposentados são os únicos culpados pelo rombo das Contas Públicas e não os gastos indiscriminados para eleger, a qualquer custo, o sucessor de Luis Inácio.

    Engordar as contas bancárias dos políticos, autoridades e pelêgos sindicalistas é um bom investimento de barganha do rolo compressor do governo: o famoso “cala bôca”. Até os carapintadas sumiram ou se transformaram em caras de pau.

    A turma do poder somente se importa com o povo em época de eleição ou quando a massa mostra publicamente sua indignação.

    Acorda brasileiros estamos lotados de Kadafis no poder.

    1. Christe,
      Perdoa-me, mas ou você é analfabeta (o) informal ou então é covarde. O assunto trata claramente dos salários e despesas que são pagas acima do que preconiza a Lei aos ministros do STJ e STF. No entrando, o seu desabafo, quer dizer, o seu veneno foi todo em cima do governo federal da eleição e dos sindicalistas que não tem nada a vê com o assunto. É lamentável, pois enquanto houver gente assim como você, que desvia a razão ou a responsabilidade, nunca resolveremos o problema deste país. Acorda criatura.

  35. Ricardo, imagine se a moda dos países árabes pega e o povo daqui do Brasil vá para as ruas em protesto contra e para a saida dos ditadores perpétuos que estão travestidos em ninistros do supremo, governadores aposentados, políticos corrúptos e etc.?

  36. Ricardo, você precisa tomar mais cuidado na hora de repercutir, sem crítica, certas “notícias” e “reportagens” das Folhas e Estadões da vida (há outros órgãos, é claro, mas fico com os grandes de S. Paulo).

    A matéria dos super-salários no STJ, como a própria Folha reconheceu (como de hábito de forma difusa e em acintosa desproporção ao tamanho do gravame), é um caso exemplar.

    Lembro-me de seu (bom) livro “Do Golpe ao Planalto”, que li “numa tacada só”, em que você faz um saudável mea culpa quando diz algo como “depois de ver os servidores trabalhando em Brasília, juros que nunca mais vou pensar que são ociosos, etc. “. Se não tiver sido exatamente isso (minha memória anda rala), seu espírito seria.

    Uma coisa é dizer que salários pagos a políticos são excessivos, aos trabalhadores em geral, baixos.

    Outra coisa é repercutir reportagens da grande imprensa, com os vícios e desvios de interesse fartamente verificáveis para leitores que se disponham a tanto. Leitores que tomem publicações de Frias, Mesquitas, etc. como inapeláveis verdades.

    Fica devendo a confissão da Folha e resposta do STJ (estão no sítio do Nasssif).

    De qualquer sorte, boa sorte. A ti, a todos.

  37. A Folha não errou e, muito menos ainda mentiu. O fato é verdadeiro. O que se discute é a legalidade do ato que é apoiado numa resolução. Uma resolução, como se sabe, não pode afrontar o texto Constitucional.

    O ministro Marco Aurélio de Melo, já havia denunciado tais procedimentos.
    Disse o ministro: O ministro do STF Marco Aurélio Mello critica o uso de brechas que fazem os salários superarem o teto.
    “Quando se abre exceções há sempre o risco de generalizar e dar o famoso jeitinho. O teto é furado a partir de jogo sutil de palavras, mas a Constituição é categórica: o teto é efetivo e deve valer”, afirmou.

    Mesmo levando-se em conta a tal ”resolução”, o teto tem que ser respeitado:

    O CNJ (Conselho Nacional de Justiça) editou, em 2006, resolução sobre os salários dos magistrados. De acordo com o texto do CNJ, o “subsídio constitui-se exclusivamente de parcela única, vedado o acréscimo de qualquer gratificação, adicional, abono, verba de representação ou outra espécie remuneratória”.

    O CNJ responsável por investigar irregularidades no Judiciário, entende que a Constituição deve prevalecer e o pagamento de qualquer benefício não poderia levar os rendimentos totais a ultrapassar o teto.

  38. Que pisada de bola, em conjunto com a Falha SP.
    Esses 93 mil não são salários, pois a maior parte é verba indenizatória prevista na lei 8112/90 (Estatuto do Servidor Público), que é paga quando alguém é removido de ofício, no interesse do serviço, para outra cidade, e recebe de 1 a 3 salários (depende do número de dependentes) para pagar os custos da mudança. Nada a ver com salário e nem com teto…..

  39. Acabei de ler no portal do Ig.
    Já vi este filme e acaba muito mal.

    Senado aprova criação de mil novos cargos
    Após detalhamento de cortes no valor de R$ 50 bilhões, senadores aprovam contratações no valor de R$ 10 milhões ao ano

  40. Rimando a situação:

    Agente fica pensando

    Como é que ficam

    Estas pessoas…esta instituição

    Quando teem que julgar

    Aquele Zé Mané…

    …que sem outra opção

    …com uma arma na mão

    resolve ser ladrão ???

    …o pior…

    E agente não pode nem os xingar

    com o mais doce palavrão…

    pois são grandes “otoridades”

    desta bendita nação.

    …Reclamar pro bispo ???

    Adianta meu irmão ???

    Pois são outros vagabundos

    Que vivem…

    De enganar o povão.

  41. …e os caras da CAIXA ECONÔMICA FEDERAL heim Ricardo ???

    …são uns anjos…Deus vai ter grande trabalho para achar um lugar no paraíso para hospedar gente com tamanhas beatitudes.

    …os malas, para justificarem o que fizeram com os “vadmecun” dos pequenos construtores, vinheram com esta:…” estas medidas é para dar melhores qualidades de vida aos mutuários “…são bondosos demais estes malas, né não ?

    Na verdade, para mudarem as regras, embolsaram uma boa grana dos grandes incorporadoras, que estavam perdendo mercado e mão de obra para os pequenos…

    …é por isto que eu digo: tem vagabndo demais neste mundo

    A nossa presidenta tem que estar de olho, pois querem acabar com o governo dela antes de começar.

    Alguém tem que quebrar esta máxima:

    ” Enquanto a CEF, estiver gerindo os programas habitacionais do governo, pobre não terá casa para morar ”

    Eu imagino que o cara para ser nomeado, gerente, diretor, presidente da CEF, tem que, primeiro provar, que odeia pobre.

    ÊH !!! Mundão véi discuncertado !!!

    1. …as grandes construtoras chegam na mesa do presidente da CAIXA.

      -Olha, estamos sendo prejudicados pelos pequenos, voces teem que tomar alguma medida, caso contrário retiramos nosso dinheiro aqui depositado, como reconhecimento vamos colocar um presentinho na mão de voces.

      …é pau-pau…

      Será difícil compreender que, refém de tubarão não olha pra lambari ???

  42. O que me interessa de verdade é que não precisamos de aumento de salário mínimo, nem deixar de ter a maior taxa de júros do planeta, nem deixar de ser 88o lugar em educação no mundo, nem ter saneamento básico para mais de 43% da população, nem controlar a inflação, nem de reforma política ou da previdência, etc, etc.

    Basta aumentar o Bolsa Família que o voto está garantido!!

  43. Saiu no Correio Braziliense o que pode ser o Caso Cacciola 2.

    Uma “desembargadora” deu DE MADRUGADA, um habeas corpus pra um pobre ancião doente empresário de ônibus sucateados e chefão da Gol, que tem vários processos de crimes de morte, um tal de Nenê Constantino.

    O nome da juiza de madrugada é SANDRA DE SANTIS. Dizem as más línguas que ela ganhou uma barrinha de cereal da Gol….

    ” A decisão da Justiça que pedia a prisão do empresário Nenê Constantino, emitida no fim da tarde de quarta-feira (2/3), foi transformada em prisão domiciliar pela desembargadora do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) Sandra de Santis. Agora, são duas determinações que obrigam o empresário a ficar em sua mansão no Lago Sul.

    Com a mudança, o cerco feito na rua do empresário foi desfeito e os policiais devem voltar, na manhã desta quinta-feira (3/3), apenas para garantir que o acusado de ser o mandante em casos de homicídios fique em casa.

    Quem reverteu a decisão foi o advogado Marcelo Bessa, que deu entrada no pedido de prisão domiciliar às 22h. Um oficial de Justiça levou o mandado às 3h da manhã para os policiais civis que bloqueavam o acesso ao conjunto 11 da QL 12. O delegado Ecimar Loli recebeu a determinação e consultou a delegada-chefe da Coordenação de Investigação dos Crimes Contra a Vida (Corvida), Mabel Faria.”

  44. Executivo, Legislativo e Judiciário deveriam dar exemplo para a sociedade, a começar não pleiteando aumentos de salários, pelo menos por uns 10 anos, contribuindo para que se diminuam as absurdas diferenças salariais em relação ao salário mínimo e aposentadorias do INSS.
    Estão os três atrelados em suas mordomias, concessões de vantagens, privilégios absurdos. Se locupletam à vontade e se macomunam descaradamente para usurpar direitos dos menos favorecidos, prejudicá-los mesmo, ao mesmo tempo enganando os incautos com ‘MIGALHAS’, tipo bolsa família.
    Vou contar um exemplo, pequeno diante dos absurdos que acontecem, porém vivido por mim:
    aposentei-me (atualmente recebo 1380 reais mensais) em 2007.
    O juiz federal que me concedeu a aposentadoria, em 2007, considerou que eu deveria receber diferença de 2005 a 2007, valor que ultrapassava 80 salários mínimos. Abri mão do excedente a 60 salários mínimos, pois receberia mais rapidamente, e não pela indecência chamada de “PRECATÓRIO”. ( Se o valor exceder a 60 salários mínimo, eles não pagam em dinheiro e sim em precatórios, sabe-se lá quando. É uma forma que criaram para roubar mais um pouco, obrigam o cidadão a assinar um documento abrindo mão do que passar de 60 salários, caso queira receber mais rápido. A maioria faz isso).
    O INSS, mesmo sabendo que eu tinha direito a essa diferença, recorreu ( segundo me informaram eles fazem isso para protelar o pagamento, mesmo sabendo que vão perder o recurso. É orientação que se recorra, em qualquer caso, mesmo sabendo que vão perder).
    Após esperar de 2007 a 2010, saiu a sentença do recurso, em novembro de 2010, três anos de espera e, como não poderia deixar de ser, a sentença do recurso confirmou o meu direito.
    Estou esperando desde novembro a “publicação”, somente após a qual efetuam o pagamento.
    Governo do PT, PARTIDO DOS “TRABALHADORES”, enganador e prejudicador do trabalhador, juntamente com um juiz tendencioso, maldoso, premeditado, exatamente no dia 28 de fevereiro, o juiz assinou a publicação.
    SABEM POR QUE, NO DIA 28 DE FEVEREIRO? PORQUE NO DIA 1 DE MARÇO VIGORARIA O NOVO SALÁRIO MÍNIMO DE 545 REAIS e, ao invés de 60 salários mínimos a 545 reais, vão me pagar 60 salários mínimos de 510 reais.
    Depois de me fazerem esperar 4 anos para receber o que o próprio juiz decretou em 2007, como de meu direito, eles terem entrado com recurso só para retardar o pagamento, ainda publicam a confirmação da sentença do recurso, na CALADA DA NOITE, NO DIA 28 DE FEVEREIRO, UM DIA ANTES DO NOVO SALÁRIO MÍNIMO ENTRAR EM VIGOR. Claramente os canalhas tratam o aposentado como um “adversário, lado contrário, inimigo, coisas assim” Pagam o que é direito como se fosse um favor, benesse, esmola!
    Muitos aposentados morrem, sem receber seus míseros direitos, por causa dessa corja que está no poder.
    Quando não se morre esperando, endivida-se e, quando vem o pagamento do seu direito, mal se pagam as dívidas – como será o meu caso, pagarei tudo em dívidas.
    É uma vergonha o que estão fazendo com a população humilde desse país. E, o pior, “fazendo de conta” que é o contrário. Chegaram ao ponto de criar um “líder”. para que o engodo ficasse colorido.
    O consolo é ver povos como os do Egito, Tunísia, Líbia tomando atitudes que, embora não sejam as mais desejáveis, nos dão esperança de que esses corruptos que têm há décadas explorado e humilhado o povo, se toquem, se manquem que, ser humano, é igual em todo lugar, um dia perde a paciência e toma uma atitude! E ai de quem for da turma dos exploradores, ladrões, corruptos!!!

  45. INDEPENDENTE DE HAVER OU NÃO RAZÕES PARA FU-
    GIR ÀS REGRAS LEGAIS, O QUE NÃO DEVE SER ADMI-
    TIDO É QUE UM MINISTRO DE UM TRIBUNAL SUPERI-
    OR, DESCONSIDERE O QUE A LEI DETERMINA! BASTA PENSAR QUE JUSTIÇA É COISA SÉRIA! NADA DE BRIN-
    CADEIRA ! OUTRA SUGESTÃO É PARTIR PARA NOVO SISTEMA DE ESCOLHA E NOMEAÇÃO DOS MERITÍSSI-
    MOS! A PRÁTICA ESTÁ MOSTRANDO QUE HÁ ALGO DE
    ERRADO NO BRASIL, MESMO! DEIXEMOS A DINAMARCA DE LADO OU NO ESCANTEIO! PODE ATÉ SER MELHOR POR LÁ!!! A CULTURA DO BRASIL É OUTRA! MAIS CÔ- MODA! ISTO É, MAIS AGRADÁVEL! ÊTA BRASIL!!!

  46. Vi estes vilões vociferarem várias e virulentas vezes suas vozes, verdadeiras vergonhas, não mero vestígio da vaidade, é ela vestígio da vox populi, agora vacante, vanescida, enquanto a voz vital da verossimilhança agora venera aquilo que uma vez vilificaram. Entretanto, esta valorosa visitação de uma antiga vexação, permanece vivificada, e há votado por vaporizar estes venais e virulentos verminados vanguardeiros vícios e favorecer a violentamente viciosa e voraciosa violação da volição.
    O único veredito é a vingança, uma vendeta, mantida votiva, não em vão, pelo valor e veracidade dos quais um dia deverão vindicar os vigilantes e os virtuosos. Verdadeiramente, esta vichyssoise de verbosidade vira mais verbose vis-a-vis uma introdução, então é minha boa honra conhecê-la e você pode me chamar de V.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *