Querem decidir o que é bom para nós

Querem decidir o que é bom para nós

Num dia, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) decide proibir o uso de remédios para emagrecer que agem no sistema nervoso central, depois de abrir uma consulta pública propondo novas restrições à venda de cigarros na sua cruzada antitabagista.

Noutro dia, o deputado estadual Vinicius Camarinha, do PSB de São Paulo, apresenta projeto na Assembléia Legislativa para inibir os fumantes nas praças e áreas ao ar livre em geral.

A cada dia surgem novas iniciativas nos Executivos e nos Legislativos dos três níveis de poder propondo algum tipo de restrição, proibição ou punição para o consumo de diferentes produtos e serviços.

Tramitam neste momento no Congresso Nacional mais de 200 projetos com variadas restrições à atividade publicitária, a exemplo da propaganda de alimentos e refrigerantes.

Esta fúria legiferante que assola o país foi criticada na última semana em editoriais da Folha (“Exagero antitabagista”) e da revista Veja (“A opressão em nome do bem”), duas publicações da grande imprensa com a opinião das quais costumo discordar, mas desta vez estou plenamente de acordo.

Em resumo, tem gente que se acha com poder, sabedoria e vontade para determinar o que é bom para nós ou não, como se fossemos todos crianças incapazes de decidir sobre os próprios atos.

No caso do cigarro, sinto-me muito tranquilo para tratar do assunto. Fumei durante 50 anos, dos 12 aos 62, e parei faz apenas seis meses. Mas defenderei até a morte o livre arbítrio que todo mundo tem de fazer o que lhe dá prazer, mesmo que traga prejuízos à sua própria saúde, desde que não incomode os outros.

Por isso, é justo proibir o cigarro em determinados ambientes fechados, desde que se mantenham espaços abertos para quem queira fumar. Nem tudo o que é bom para os Estados Unidos, onde querem proibir o fumo até em ruas, parques e praias, é bom para o Brasil.

Em São Paulo, a cruzada antitabagista faz tempo que virou uma bandeira política e eleitoral, mais do que uma questão de saúde pública, na qual o deputado socialista Camarinha pretende surfar.

Conclui o editorial da Folha: “O empenho das boas intenções conduz, numa espécie de trajetória linear e infinita, a um clima persecutório e puritano; na defesa do que se considera o bem de todos, esconde-se – como em tantas outras situações – o puro impulso repressor e totalitário”.

Na mesma linha, a Carta ao Leitor da Veja desta semana, trata do crescente apetite da Anvisa para tomar conta das nossas vidas:

“O mal maior no excesso regulatório da Anvisa está em querer se assenhorear do poder de decisão individual e se tornar o juiz de última instância sobre o que é bom ou ruim para cada um de nós”.

Da minha parte, agradeço muito, mas prefiro continuar acertando ou errando sozinho.

160 thoughts on “Querem decidir o que é bom para nós

  1. O que se passa na cabeça do governo paulista ninguem sabe. É paradoxal, o farol, o sociologo, é a favor da liberação da maconha, mas seus companheiros de partido que governan Sáo Paulo é a favor de proibir o cigarro com toda radicalidade.
    Divirtam-se com essa!!!

  2. Concordo em parte … acho que em caso de possibilidade de danos pessoais a lei tem sim o direito de obrigar as pessoas a fazerem as coisas. Funciona assim com o cinto de segurança, alguém é contra a obrigatoriedade do cinto ? Mas alguém poderia dizer “eu uso o cinto se eu quiser, se eu não usar vou prejudicar só a mim e não aos outros …”.
    Porém o fumante (principalmente de classes menos favorecidas) depois que fica doente “sangra” os cofres públicos nos tratamentos. Poderíamos fazer assim: quem ficar doente por fumar e beber não tem direito a tratamento do SUS, somente se pagar, seria muito bom. Já que a pessoa pode escolher o que fazer da sua vida, que arque com as consequências (de saúde e financeiras).

  3. Ricardo boa tarde…Concordo contigo….acho que os nossos legsiladores não têm criatividade para criar por isso essa sede de proibir tudo a todos…

  4. “Se eu quiser beber eu bebo,se quiser fumar eu fumo,pago tudo que consumo com o suor do meu emprego,confusão eu não arrumo,mais também não peço arrego”
    (Zeca Pagodinho)
    É isso e ponto final.

  5. Prezado Kotscho, essa é a ponta do iceberg do cerceamento das liberdades individuais. O governo Lula foi extremamente paternalista e isso é ruim. O povo é tratado como uma criança incapaz de pensar por si só. A todo momento uma nova lei é apresentada pra deliberar sofre assuntos privados, assuntos que nem deveriam ser abordados pelo executivo ou legislativo.

  6. Concordo integralmente com o articulista. Lógico que se deve proibir a comercialização de drogas específicas que prejudiquem a saúde, como aconteceu tardiamente com a Talidomina, por exemplo. Mas não podemos dar ao Estado o poder de cercear a nossa liberdade de escolha, sob o risco até de que, em nome da moral e dos bons costumes, ou em nome da saúde, se façam arbitrios como os antigos leprosários, que tando dano moral e econômico trouxe para as famílias envolvidas. Daqui a pouco vão querer por exemplo, me proibir de utilizar a homeopatia, a cumpultura e outras terapias nas quais confio e que tenho como escolha pessoal.

  7. Concordo plenamente com o comentário, tudo que era bom para os estados unidos era bom para o brasil, era ridiculo, pois, já pensou se proibissemos os americanos de entrar no brasil e quando eles viessem a gente colocasse a polícia atrás deles e os prendessem com prisão perpétua? Já pensou se tivessemos matado milhares de pessoas no vietãn, matado em cuba, matado no panamar, matado no iraque, se o brasil tivesse jogado a bomba em hiroshima e nagasake, em fim será que o brasil estava ai ainda livre e ameaçando o mundo?
    Que liberdade é essa?
    Que democracia é essa?
    Que matam as pessoas, fazem milhões de atrocidades, matam milhões de pessoas e continuam a matar?
    Onde estão ou estavam os juízes dos grandes tribunais?
    Fecharam os olhos, tamparam aos ouvidos, arrancaram o coração da L Q S tamen e os resto do corpo jogaram espalhados e em cada estado jogaram um pedaço?

  8. Proibir o fumo em via pública é o máximo da intolerância.
    O interessante nesta história que não é proibido vender cigarros, proibido é fumar.
    Em recintos fechados, restaurantes e supermercados é bem aplicado a proibição, mas na rua
    é falta de senso.
    Contudo temos que considerar certas implicações ,veja bem, não é uma indecência fumar, a maior indecência é uma fumante de décadas ficar num hospital com problemas respiratórios ocupando um leito, enquanto um outro doente qualquer tem a sua internação negada por falta de leito. Imagine um acidentado grave sendo encaminhado para outro hospital por falta de leito. Fazendo um levantamento dos leitos ocupados quantos são os internados por doenças respiratórias decorrentes por tabagismo?
    É assim, cada um no seu quadrado, mas tem que ter consciência cigarro mata, e não mata a vista, mata a prazo.

  9. Assino embaixo. Um Estado que legisla sobre tudo, além do teor totalitário, acaba legislando sobre nada – se as leis perdem seu caráter quase ‘sagrado’ e se banalizam, como é comum no Brasil.

  10. OLHA, EU NÃO FUMO, NÃO BEBO, NÃO CHEIRO E NÃO SENTO, MAS ESTOU TOTALMENTE DE ACORDO COM KOTSCHO .AGORA A GENTE PRA COMPRAR UM ANTIBIÓTICO QUALQUER TEM QUE IR AO MÉDICO , MAS CADÊ ESSE MÉDICO A NOITE OU DE MADRUGADA ? E O PIOR QUANDO VOCE VE O MÉDICO ELE PEDE 547 EXAMES QUE DEMORAM 2 MESES PRA FICAR PRONTOS
    E O CARA JÁ MORREU !

  11. Prezado Ricardo,

    Parabéns pela matéria.
    Esta coisa de pai do povo e mãe da pátria tem que parar.
    Vivi durante toda a ditadura militar e, para mim, a sensação de liberdade era muito maior.
    Hoje precisamos ter cuidado com qualquer ato ou palavra, pois tem sempre uma patrulha perto para acusar.
    Minha querida avó dizia que sempre é mais fácil cuidar da vida dos outros do que da própria vida.
    Abraços,

    Jose Antonio

  12. Ainda bem que vivemos no Brasil e que cada ditadura aqui se acabou, em termos, pois querem proibir tudo.
    Podem me prender, podem me trancar, podem me amarrar, mas o meu pensamento é livre e aqui estou apenas relatando democraticamente o meu pensamento e levantando uma bandeira pela verdadeira e abslouta liberdade que foi nos dada por YAVÉ e alguns malucos seres humanos fedidos e mortais em todos os paízes do mundo tentam tirar.
    Se tiver que morrer morrerei gritando igual o WILLIANS, viva a liberdade absoluta, o direito de ir vir, o direito a vida, o direito a alimentação, o direto de quem fuma fumar o seu sigarrinho(Eu nunca fumei) porém entendo que começam proibindo isto, depois aquilo, depois aquilo também e ai já era liberdade, democracia e vida leal e digna!!!!
    Liberdade aos brasileiros, judeus, arabes, negros, indios a todos os seres humanos emtodas as partes do mundo!!

    Comandante Jonas duarte fernandes

  13. Prezado Kotscho, aprecio seus comentários. Só gostaria de fazer uma crítica: você coloca a proibição do tabaco no mesmo saco da proibição dos remédios para emagrecer. Com relação ao que a Anvisa fez acho mais do que justo. Infelizmente a iatrogênese já é a 3a causa de morte nos EUA. Isso deve-se e muito ao exagero de medicamentos e intervenções desnecessárias prescritas. Os remédios para emagrecer tem se mostrado pouco eficazes no emagrecimento a médio e longo prazo porém seus danos são bem conhecidos. Acho que vale a pena dar uma lida num médico de família espanhol Juan Gervas e seus textos sobre prevenção quaternária. Grande abraço. André – médico de família e comunidade

  14. cheguei a conclusão de que muitos politicos nesse pais é “macaco de imitação”.vc está certo,nem tudo que é bom para outros paises é bom para o Brasil.aqui temos problemas sérisimos para resolver mas nenhum,pelo menos tenta.

  15. Engraçado, até agora não vi em nenhum parlamentar a iniciativa de coibir os aumentos escandalosos a que se auto-propuseram – e votaram. Contudo, nossa presidente, houve por bem manter o salário mínimo num nível que não exacerbasse o erário público, porque, é claro, pimenta no… dos outros é refresco… Fazer leis que submetem os outros é fácil, difícil é o pobre cidadão, que paga esses salários, conviver com essas “leis”, enquanto aqueles, na verdade nossos assalariados, se locupletam e acabam fazendo o que querem… com nosso dinheiro…!!!

  16. Concordo em gênero, número e grau com suas considerações.
    Nunca fumei, mas a histeria antitabagista me incomoda profundamente.
    A alegação demagógica é de que se trata de uma questão de saúde pública.
    Pois bem, a pergunta que faço é: qual o percentual da população que tem problemas de saúde crônicos por falta de saneamento básico e quanto custa isto para o país?
    O mesmo questionamento vale para os fumantes.
    O fato é que saneamento requer ação governamental séria e competente, coisa que nossos ditos governantes simplesmente não fazem, seja por incompetência ou por má fé.
    Para eles, proibir cigarro ou medicamentos é muito mais fácil, pois não requer ação alguma, a não ser a de proibir!
    Sergio Vieira de Souza

  17. espero q meus comentarem passem, pois é apenas um alerta baseado na extrema verdade, estou profundamente indignado com o Sr. Dr. Guilherme Barros Ditado, q não deixa passar um comentário e quase ningum também deixa mais um comentário lá, diferentemente do grande POP MAN Ricardo q é um big man, é só para alertar ao ig, ao povo brasileiro e ao mundo.
    Viva a liberdade absoluta, viva a liberdade do IG, viva a liberdade na internet!
    Viva Ricardo KOTSCHO.

    Do Amigo
    Jonas Duarte

  18. Acho que se trata de saude publica. Quando se adoece por fumar demais ou tomar produtos para emagrecer quem paga a conta e a sociedade. Tambem quero ter o direito de andar nas ruas sem sentir o horrivel cheiro de cigarro. Outra coisa, coisa vinda da Folha e/ou da Veja com certeza nao presta. Que venga la ley de los medios.
    No mais, parabens, mais uma vez por sua forma leve e concisa de escrever. Um abraco.

  19. O USO DO CIGARRO DEVE SER COMBATIDO SIM, MAS DE MANEIRA INFORMATIVA, O CIDADÃO TEM DIREITOS SOBRE O SEU BEM ESTAR, É OBVIO, ENTRETANTO NÃO PODE CAUSAR DANOS A TERÇEIROS, ASSIM SENDO, PODE SIM SER PROIBIDO FUMAR EM LOCAIS PUBLICOS, AGORA DENTRO DA CASA DE CADA, CADA UM FAZ O QUE QUER.

  20. Deveria ser feito um filtro de tudo antes, e não depois aonde cada um coloca em pauta sem passar por uma comissão e o crivo da população para tudo ser discutido em grupos de discussão colocando todos os projetos

    Antes num site laboratório piloto para ser discutido todo o assunto relacionado a qualquer assunto para dar solução de vez que acabe com todas essas partes que vem se esticando há anos nos mesmos assuntos e nada de produzir resultado de acordo

    Agem como se os políticos não pertencessem a nem um partido, cada um age como se fosse dono do partido, e a população não existisse

    Por isso acabar com voto obrigatório já e uma garantia

    Incluir voto distrital localizado, e outra garantia

    Onde uma cidade que tem 13 vereadores divide em 13 núcleos elegendo o mais votado e mais uma garantia

    Que não vai eleger ninguém de carona, e no estado que tiver 13 deputados tanto estadual como federal, dividir em 13 núcleos, dois senado dois núcleo, governador fica um núcleo Presidente um núcleo

    Como os empresários filtram tudo, antes para decidir o que realmente vai dar resultado

    Texto extraído da historia do bruxo de Benjamin Constant

  21. É, infelismente o grande LULA não está mais ai na luta!!
    Serei eternamente grato a este grande Brasileiro, se um dia fosse presidente, tentaria imitá-lo completamente.
    Daria total liberdade, colocaria dinheiro no bolço do povo, para o povo comprar mais, para o comércio vender mais, para a industria fabricar mais, para os governantes, municipais, estaduais, federal arrecadarem muito mais e fazer um país feliz,totalmente livre, próspero e democrático.

  22. Mesmo como não fumante e nunca ter fumado, estou começando a achar que estão exagerando nas leis antitabagismo. Concordo que é certo proibir de fumar em locais fechados, mas em locais abertos, ainda mais em praças (que é diferente de parques) beira ao exagero, nunca me senti incomodado nestes locais, mas sim num outro que ninguém toca no assunto, que é nos pontos de ônibus, que é um lugar que não posso sair em estar incomodado, diferente dos outros, com dois passos já me removo da situação.
    Desse projeto só sou realmente a favor de proibir de fumar na praia, nem tanto pelo ato de fumar, mas que muitos jogam a bituca na areia (ou enterram) e poluem o local.

  23. Meu caro Ricardo, como disseste, cada um sabe onde o calo aperta, isso é verdade, porém, sou totalmente a favor da proibição do fumo tanto em ambiente fechado como aberto, como parques e praças, pois 99% dos fumantes são uns porcos incendiarios. Se o sujeito quer acabar com a própria saúde isso é problema dele, mas como disse, 99% dos fumantes não respeitam o direto de quem não fuma e ficam soltando suas baforadas fétidas de cigarro próximo de quem não fuma, e isso é foda de aguentar, além de emporcalhar o chão com suas bitucas de cigarro, muitas vezes jogadas no chão bem próximo de uma lixeira, isso também é o fim da picada. Meu pai e minha mãe fumaram mais de 40 anos e ambos foram vítimas do tabagismo, minha mãe morreu de câncer no pulmão e nos ossos e meu pai de trombose, e detalhe, nunca me proibiram de fumar, porém sempre detestei cigarro, e acho que uma maneira eficaz de combater o tabagismo seria aumentar o imposto em 1000% sobre preço dessa porcaria, quem sabe assim os trouxas deixariam de fumar.

  24. discordo do seu argumento. Acho importante sim restringir ao máximo comportamentos nocivos como o ato de fumar pelos seguintes motivos:

    1) há evidências científicas sobre os efeitos da fumaca do cigarro nas outras pessoas, ou seja, nos ditos “fumantes passivos”. Nao há atualmente diretrizes sobre uma distância segura entre o fumante e o “passivo”. Pense, por exemplo, se você estiver fumando em um ambiente, mesmo que ao ar livre, a sua fumaca poderá afetar uma crianca ou uma senhora grávida

    2) Há o chamado EXEMPLO. Sim, penso que todo cidadao deva dar o exemplo de bom comportamento. O exemplo a ser dado aos mais novos, aos sem experiência de vida. Por que “colaborar”. mesmo que de forma inconsciente, no eventual fomento de um futuro viciado

    3) e finalmente…porque eu tenho os mesmos direitos de cidadao que o senhor e nao quero sentir esse cheiro horroroso de morte. Imagine o senhor do lado de um cara fedido que nao toma banho a dias…é essa a sensacao que eu tenho quando estou do lado de um fumante viciado.
    Grato

  25. Prezado Kotscho, Concordo plenamente com você. Sou suficientemente instruído para tomar as decisões que achar as mais convenientes para mim. Porém, isso não se aplica apenas a remédios e cigarro. Aplica-se também à impressa (por que regulá-la?) e aos impostos (sei muito bem o que fazer com meu dinheiro – o Estado não pode se arvorar a querer tomar metade do que ganho, acreditando que não tenho condições de gerenciar meu ganho adequadamente. Saudações tricolores.

  26. Os 3 poderes poderiam ter a mesma vontade e força para a reforma política, acabar com a corrupção, melhorar o sistema de saúde, edução, etc.
    Concordo, eu decido o que é bom para mim

  27. Não sou fumante! A fumaça do cigarro me incomoda, mas acho que já existem restrições suficientes ao ato de fumar. Porém, o que mais me incomoda é o “governo” que cobra
    quase 90% de impostos sobre o valor do cigarro ao invés de proibi-lo, trata o fumante como cidadão de segunda classe. A ANVISA por sua vez, demora séculos para tomar providências, e quando o faz já é tarde demais, vide o caso
    do metiolate. Criando polêmicas, o governo e seus orgãos não cumprem suas reais funções, que provavelmente é a sua meta.

    1. Caro Manoel!

      Realmente. O MERTHIOLATE apresentado pelo José Wilker num comercial dizía que…
      -“Merthiolate agora NÃO ARDE, tem nova fórmula, e é mais eficaz, e mais barato!

      “pelas cascas de ferida”….

      Como eu sofrí com esse remédio FDP que antes .

      ARDÍA, ERA CARO, E NÃO FUNCIONAVA como a propaganda deixa transparecer…

  28. um bom governo quando determina retirada de um produto ou proibe determinados uso de um produto, esta fazendo em beneficio da população, pois quando o usuario de um produto tem problemas de saude devido ao seu uso, quase sempre quem vai pagar as despesas para sua cura é o proprio governo. ou então essas pessoas ficam invalidas e quem vai pagar pela sua invalides é o inss.

  29. Concordo totalmente essa cruzada antitabagista para mim é um exagero.
    Tenho um pai com 80 anos que fuma quase uma carteira por dia, como chegar par ele(sem problemas de saúde é bom frisar) e dizer que esta proibido de fumar em praia, parques vou mantê-lo preso restrito a quatro paredes? “convencê-lo” a parar de fumar agora?
    Para terminar nunca fumei apesar de sempre conviver com fumantes.

  30. Concordo e apoio voçê Ricardo.Todos nós temos o direito de fazer o que bem entender de nossa vida.Proibir o cigarro
    na rua já é um grande exagero,digno de uma ditadura fascista de rosto cindical.Estive lendo uma vez um artigo
    de história que falava que na época da Alemanha Nazista
    era proibido fumar nos bares,na rua,em restaurantes,em
    parques e até mesmo era ariscado fumar no quintal de casa.O governo não têm o direito de comandar a vida particular de cada um de nós.As vezes,nos caminhos da
    história,quando esse tipo de coisa acontece,na verdade,
    é um odioso aviso do que está por vir.A rua é o local mais
    arejado e ventilado que existe,assim sendo,a fumassa do
    cigarro têm para onde ir,e lembrando que o Brasil não é o
    EUA.Parabéns pro Ricardo e seu Balaio !!!

  31. Prezado Kostcho,
    Concordo que estão querendo fazer dessa causa de proibição aos fumantes um trampolim político. Aliás, isso não é novidade no Brasil. É impressionante a criatividade dos que buscam filés eleitorais.
    Mas, no caso em questão, não acho que seja uma decisão só sua. Quando uma pessoa fica doente devido ao tabagismo e vai se tratar nos hospitais públicos, nós brasileiros pagamos por sua opção. Sou a favor de sua tese, desde que faça seus tratamentos em hospitais particulares. Assim, os gastos públicos são utilizados para tratamentos de outras doenças que não são previsíveis.

  32. No caso do cigarro, o que se esquece é que a pessoa que fuma prejudica as outras de várias formas.
    Se o senhor tiver um enfarto ou um câncer de pulmão por causa do cigarro e for se tratar no SUS, quem paga sua conta jornalista?
    Além disso, o cigarro tira o seu tão afamado livre-arbítrio por conter uma droga altamente viciante que é a Nicotina. Assim sendo, não é que nem mascar chiclete por exemplo, as pessoas fumam por impulso e por vício, não simplesmente por vontade própria.
    Assim sendo, como médico, sou a favor da proibição total do cigarro.

  33. Ricardo, concordo plenamente com suas colocações, e abordei o tema sobre a proibição dos medicamentos para emagrecer em meu blog http://emagrecendo365dias.blogspot.com/ no “post” Notícia de 17/02/2011. Penso que ao proibir, a Anvisa simplesmente estará gerando mais ilegalidade do que já existe.

    Agora com relação ao cigarro, preciso manifestar minha satisfação com a lei, pois eu sinto a fumaça do cigarro a quilômetros de distância, e quando entro num ambiente poluído, simplesmente não consigo respirar.

    Sofri muito no período de faculdade quando ainda permitiam o fumo na sala, embora nem fosse bem uma permissão, mas era tolerado.

    Meu sistema respiratório simplesmente trava, é um verdadeiro sofrimento. Na praia, fico sem ar quando alguém está fumando nas proximidades de minha cadeira. Então, achei muito bom proibirem ao menos em ambientes fechados. Reduziu bastante o meu sofrimento como fumante passiva.

    Mas quanto a decidirem o que é bom ou ruim para toda a sociedade, sim, estão se achando acima de tudo e de todos, inventando necessidades e criando dificuldades, até para quem sabe, vender facilidades depois.

  34. Concordo com você ,acho que não se pode vestir o arbítrio com a capa do bem.A história está cheia de exemplos dos abusos cometidos em nome da “ciência”.Finalmente começa-se a gritar contra os excessosque estão sendo cometidos contra os tabagistas.Um usuário de drogas ilícitas tem mais respeito que o tabagista.Nada tenho a favor do cigarro,mas a campanha agride o tabagista.

  35. Ricardo,

    Concordo plenamente com sua argumentação e análise sobre este discurso moralista, em nome de uma pseudo boa intenção..como solução para “problemas” da sociedade que alguns julgam ter o poder de resolver. ..Hoje é com o cigarro e o remédio, amanhã com uma peça teatral, com o controle da imprensa.e depois….bem, já conhecemos esta historia…..

    Portanto, não queremos, nem aceitamos deliberações e iniciativas do estado, determinando o que cada um pode ou não fazer, em detrimento do nosso poder de decisão individual..a meu ver isto revela uma indisfarçavel vocação totalitária!! isto não, nunca. jamais!!!

  36. Os nossos deputados tem muita coisa para pensar. Eles pensam no nosso bem (povo). Eles acham que o salário mínimo de R$ 545,00 é ótimo para o povo. Na verdade essas pessoas que nos representam não valem nada e não são confiáveis. Esta na hora do povo virar o jogo e tirar esse deputados e Senadores à força de Brasília. Hoje em dia exemplos como o Egito , Líbia,Bahein e Irã tem que ser seguidos para acabar com esses políticos corruptos e esses governos que só sabem arrecadar dinhiero para dividir entre eles. Eu queria que vcs me desculpassem eu adoro o Brasil mas esse pais tem passar por isso já.

  37. Não imaginaria que pessoas do nível intelectual de jornalistas e formadores de opinião, pudessem fazer pública sua opinião sobre assunto que mesmo que contido em um invólucro de pretensão ou excesso regulatório, para não dizer de cunho demagógico, em alguns casos de políticos, redunda, em última análise, em bem estar para saúde de todos. Também já fui fumante, por mais de 30 anos e também parei por vontade própria. Mas estou certo que com o nível de informação que hoje dispomos e, mais ainda, com a acessibilidade a essas informações em nível científico, a maioria da população tabagista não entraria no vício. Dessa forma, a proibição em ambientes fechados e mesmo os abertos de grande aglomeração, só pode ser encarada como benéfica.

  38. Legitima a tua indignação, Kotscho, são muitas medidas impositivas e que dificultam o simples ato de viver. Mas deeveria também existir indignação quanto a necessidade de receita azul ou prescrição registrada para determinados remédios, como soniferos e tranquilizantes. A venda desses remédios deveria ser liberada, mas com bulas bem esclarecedoras. O que não existe no Brasil, ninguém atenta paras letras miudas e a péssima redação da maioria das bulas. Nem com receita médica você está a salvo de uma interação perigosa. Já passei por isso e a bula nada falava de bloqueio urinário. ALém disso,no Brasil o acesso aos médicos, tanto na rede pública como na dos planos médicos, é demorada. Você tem que conviver com a dor, a perturbação, o desconforto em tua saúde por dias a fio. Nesse caso de remédios aplica-se o livre arbitrio idêntico ao do cigarro (que faz mal a saúde de quem não fuma e está por perto) e da bebida. Quantos já morreram ou ficaram doente por causa da cachaça ou similar? No entanto, a bebida é livre. E tem que ser; seu uso com equilibrio depende do consumidor.

  39. Ainda não consegui entender o porquê de quererem proibir, nos Estados Unidos, as pessoas fumarem em praças, ruas e praias, ou seja, ao ar livre – só posso entender como pura imitação o que o deputado citado quer propor, será que por falta de observação de que tantas coisas mais importantes poderia estar propondo? Por que os nobres deputados e senadores não se colocam à disposição das sugestões do povo, para suas propostas? Quer uma já, que poderia servir de exemplo para o resto do Brasil? Proponha que, além do salário mínimo diferenciado do resto do país ( que já existe em São Paulo e que já é algo louvável, embora os críticos digam que é porque São Paulo é mais rico) que seja implantado “UM ÚNICO ÍNDICE DE REAJUSTE PARA O SALÁRIO MÍNIMO E PARA TODO O FUNCIONALISMO PÚBLICO ESTADUAL, INCLUSIVE PARA OS POLÍTICOS ( GOVERNADOR, DEPUTADO ESTADUAL, VEREADOR).
    Tem peito, deputado? Proponha, que a população vai pressionar seus pares e, tenho certeza, será uma pressão valiosa para que se faça o mesmo em nível nacional. Isso seria o início do resgate de uma série de injustiças com esse povo espoliado pelos corruptos que, tenho certeza, um dia estarão onde merecem: na cadeia!

  40. Concordo em parte com o texto: a cada minuto se publica um estudo, ou se publica que se publicou um estudo sobre algum alimento, produto dizendo ora que é prejudicial ora destacando suas qualidades para isso ou aquilo. Exemplo? o café. Bem, defendo também a liberdade individual até o limite da responsabilidade e do direito do próximo. Entretanto, aforante questões religiosas que realmente temos o livre arbitrio. (algumas religiões consideram que o nosso corpo nos foi “cedido para esta experiência terráquea, portanto temos a obrigação de conservá-lo). Mas não tiro de todo a razão da ANVISA, cuja competência e atribuições incluem definir políticas públicas em defesa da saúde da população. Mais ou menos assim: uma empresa lança um produto com duas possibilidades: uma com a supervisão de um técnico (um químico ou farmacêutico responsável). Supomos ao menos que este conhece os princípios químicos /terapeuticos. A população não os conhece. A outra possibilidade, sem a supervisão de um técnico. Cabe à Anvisa fiscalizar através de seus técnicos (que também conhecem os princípios quimicos e terapeuticos) a fiscalizar e permitir ou não sua comercialização. Acho também que quem quizer beber ou fumar tem todo o direito, mas não tem sentido mandarem a conta do hospital para o Estado, pelo tratamento da cirrose, do câncer ou do efisema pulmonar ou lá o que seja, porque o bonitinho quiz desfrutar de um prazer de gosto duvidável e se detonar.

  41. Przado Sr. Ricardo :
    É mais do que sabido que o estado é forte e opressor, a Anvisa, há muito tempo, vem usando arbitrariamente suas funções. Ocorre que , nosso povo é altamente passivo e mal informado. Rogo que continue usando seu espaço jornalístico para criticar os abusos e incoerências contra os fumantes, devemos lembrar que nosso regime é democrático e não totalitário.
    Abraços.

  42. Muito bom o artigo.Liberdade se conquista e devemos lutar p/não perdê-la.A USP tem um estudo s/ fumantes e não fumantes nas várias regiôes metropolitanas de SP;ou seja

  43. Completo meu comentário pois aqui no mato a Internet é uma porcaria-:conclusão -quem mora na praça do Correio,mesmo não sendo fumante ,respira o mesmo que respira um fumante de 2 maços diários.A Anvisa devria combater o abate e consumo de carne clandestina em SP;traria mais benefícios à população.

  44. Kotscho,

    Se o tema tratado versar sobre a idéia de Liberdade, concordo em termos. Agora, se o tema for o uso de drogas tenho a convicção que o governo tem que oferecer o mesmo tratamento dado às outras drogas consideradas ilícitas. Fala-se em saúde pública, portanto deve-se pensar em financiamento, o que, no Brasil, é problemático…O tema merece um aprofundamento que não encontra aqui um espaço apropriado…abraços.

  45. Concordo em gênero e número. A Anvisa e todos os defensores da saúde pública deveriam ter como objetivo, simplesmente, informar e prevenir. E cada um deverá ter o livre arbitrio de escolher o que lhe dá prazer, sem contudo, incomodar os outros.

  46. Plenamente de acordo com o contido na matéria. Os detentores de poder querem aparecer e ganhar votos. As agências reguladoras querem dizer que estão fazendo alguma e com isto encobrindo as suas “maracutais”(?). Aliás já escrevi neste excelente blog e pedi ao Ricardo para ficar de olho nas Agencias Reguladoras, que são lugares de grandes negócios ($$$$$), sem regular em defesa do povo. Prestem a atenção na ANEEL e na ANS, pois em questões de energia elétrica e planos de saúde, o povo vem sendo violentamente estrupiado.

  47. A ANVISA no meu ponto de vista exagera em suas prioridades.Vide o caso dos antibióticos que passaram a ser controlados ,como nosso sistema de saúde oferecesse atendimentos maravilhosos.

  48. Quem diria… o Kotscho, finalmente, virou liberal!
    O fato é que todo social-democrata é tarado por uma regulamentaçãozinha – claro, desde que ela seja feita apenas no quintal do vizinho… Afinal, para o social-democrata, o errado é sempre o outro, nunca ele mesmo. A lei é sempre pra regular a vida do outro de acordo com a régua dele, o iluminado burocrata de plantão – aquele que sabe (?) o que é melhor pra todos nós.

    Eu, Kotscho, assino embaixo do que escreveste – certo ou errado, quem toma minhas decisões sobre minha vida sou eu. Não preciso e nem quero que o Estado venha decidir o que é melhor para mim – principalmente em se tratando DESSE Estado e DESSES “estadistas”.

    Leia Mises. Vale a pena.

  49. Prezado Kotscho,

    Compartilho integralmente o seu ponto de vista. Nesta dita filosofia de controle e castidade, o mundo tornar-se-à num lugar chato de se viver.
    Abrassssssss

  50. Uai, sô!! Cê nem parece que é do PT !!?? U negócio começa assim, dispois a liberdade vai pro saco!!

    LIBERTAS QUE SERA TAMEN, essa ainda é nossa bandeira. Quão atual o Tiradentes e a Incofidência Mineira, hein?

  51. Caro Kotscho,

    Concordo com você em tese. Porém na prática, como não-fumante e portador de rinite alérgica, meu nariz agradece qualquer repressão ao fumo, seja onde for.

    O que acontece com a maioria esmagadora dos fumantes, é que eles posicionam a mão que segura o cigarro sempre de alguma forma que não atinjam seus narizes, sem se importarem com os narizes dos outros. O que resta aos outros é apenas mudar seus narizes de lugar.

    Alguns fumantes bem-intencionados ainda tentam achar lugares mais ventilados e distantes da roda de amigos, mas acabam se posicionando sempre a barlavento, o que acaba jogando toda a fumaça nos outros, enquanto seus próprios narizes respiram ar puro.

    O fumante é via de regra, mal-educado por natureza e tende a achar normal que outras pessoassejam obrigadas a respirar a fumaça de seus cigarros pelo nariz. Uma vez que o próprio fumante só o traga pela boca, cuidando sempre de livrar o próprio nariz.

    Fico indignado com os fumantes.

  52. Quer mais do que a lei que obriga o uso do cinto de segurança? Por acaso o uso do cinto protege terceiros? Se o motorista quiser se suicidar o problema é dêle. Ninguem é proibido de suicidar. Se o motorista for pego dirigindo sem o cinto será punido com rigor. Agora, se o motorista morrer em acidente , por não estar usando o cinto, será punido pela lei?

  53. Caro Kotscho
    Preocupante essa endência dos governos a querer decidir oque é bom para nós.
    Mudando um pouco de assunto, gostaria de seu comentário, sobre o caso especifico do estádio de Itaquera. Depois do pedido do ex presidente para que uma conhecida sonstrutora de obras públicas fizesse o estádio, o que lhe parece o uso de dinheiro público patrociando pela prefeitura, oque lhe parece?

  54. RK, o Rodrigo Constantino presidente do Instituto Mileniun tem as mesmas ideias suas. Para ele o Estado não deve entrometer na vida particular dos cidadãos.
    Quando a ANVISA exigiu que quando a gente fosse comprar antibióticos deveria ser vendido só com receita médica, ele escreveu uma coluna no jornal o Globo espinafrando o governo.
    Pra ele quem quiser comprar antibiótico que compre, ninguem tem que se meter.
    O que o Sr. acha?

  55. Ricardo, estou contente com sua volta, sua presença na imprensa paulista é importante.
    Dito isto, como na maioria das vezes, estou do seu lado.
    Mas não concordo que a ANVISA, não deva interferir no uso do tabaco.
    Eu fui vítima dessa droga maldita.
    Tive abstrução de várias coronárias, em consequência de fumar, como você, por quase 50 anos.
    Concordo plenamente que o cidadão tem o sagrado direito de decidir o que deve ou não fazer, desde que respeite o direito dos outros.
    Porem, acho que as autoridades têm o fundamental dever de esclarecer o povo, sobre o que lhe faz bem ou mal.
    Por isso entendo que a ANVISA devesse usar todos os meios de divulgação para informar o povo sobre os riscos que corre com o uso do tabaco.
    Proibir, não pode. Mas alertar é seu dever.

  56. Parabéns Ricardo! Estão criando a Ditadura dos costumes através de leis(me fez lembrar Janio proibindo o biquine).Pois bem,enquanto isso……..bebam a vontade,só não dirijam,matem a vontade embriagados,briguem embriagados,destruam familias embriagados de tanto beber(apenas.não dirijam)…..deixem que do meu cigarro cuido eu Sr.Deputado!!!!

  57. Parar de fumar aos 62 anos é a mesma coisa de nunca ter parado. Com 4700 substâncias cancerigenas, algumas já deve ter acionado o despertar das celulas canceriginas.
    Se a sociedade foi permissiva e o governo alienado para as coisas de saúde e voltado somente para recolhimento dos impostos dos cigarros, é salutar que alguma entidade venha a público dizer isso faz mal e ao próximo também.
    Corre o mesmo risco fatal quem não fuma mas vive num ambiente de tabagismo. Fumava 3 maços de continental sem filtro dos 18 aos 27 anos e depois parei. Se soubesse o mal que o cigarro faz ao fumante não teria começado porque não sou suicida. Hoje pra mim, cigaro fede, pessoas fedem, e a fumaça faz mal também ao próximo não fumante. Temos que reconhecer os erros do passado feito com incentivos para o consumo feito pela sociedade e a omissão do governo que recolhia de um lado na venda do cigarro e depois gastava tres vezes mais em saude para esse pessoal, prejudicando as crianças que não tinham saude elementar e nem as gestantes e os idosos. Então, meu querido Kotscho, vc está errado com a sua optica e porque VOCÊ NÃO SE CALA, e ajude a reeducar o povo.
    Tudo que orienta ou restringe o velho jornalista acha que é restrição à LIBERDADE DA PESSOA, mas nem tudo ilustre jornalista. Imprensa e pessoas livres são aquelas que não tem restrições econômicas e nem fica pendurado a mecenas.

  58. Kotscho, concordo. Veja texto publicado por mim em agosto do ano passado no Diário da Região, de Rio Preto:

    PROIBIDO
    A Câmara de Rio Preto é pródiga em querer proibir
    coisas. Vez por outra aparece um projetinho querendo
    proibir alguém de fazer alguma coisa. Só este ano,
    cinco propostas “proibitivas” foram apresentadas no
    Legislativo rio-pretense, das quais duas vão à votação
    na próxima terça-feira. Uma delas, de autoria de
    Antonio Carlos Parise (PTB), proíbe alunos e estudantes
    da rede municipal de adentrar à sala de aula
    com qualquer tipo de aparelho eletrônico, como celulares
    e MP3, e até mesmo de utilizar bonés. “O uso
    de boné dentro da sala de aula traz um caráter de falta
    de cidadania e civismo tão necessários nos dias de
    hoje”, justifica Parise. A outra proposta que proíbe
    alguma coisa é de Alessandra Trigo (PSDB), que pretende
    barrar a distribuição de paracetamol na rede
    pública de saúde a pacientes suspeitos de dengue. A
    tucaninha alega que o princípio ativo do medicamento
    pode trazer complicações a vítimas da doença tropical
    que todo ano abate centenas de rio-pretenses.

  59. Certissima a AVISA, se não sabemos escolher governantes, pois o brasileiro são analfabetos, um povo sem história, e quando tem é duvidosa, até mesmo a nossa independência é uma falácia, uma inventiva história, cheias de mentiras.
    Um dramalhão de quinta, um quadro caótico de portugueses enganadores.
    O brasileiro tem que estar tutelado sim, sobre a guarda do estado para não fazer…..?

  60. Boa noite Ricardo! A Anvisa determina o que quer e, faz e obedece quem quer. Eu o parabenizo por esse feito, há seis meses sem fumar. Deus na sua infinita misericórdia, dará para ti, muitos anos de vida para alegria de toda a sua familia e nós leitores que gostamos de ler sua coluna e partilharmos desse balaio, parabéns, abraços.

  61. Sempre entendi que a fúria é mesmo “Beligerante” porque é uma guerra de interesses onde o que menos importa é a eficácia da norma. Mencionei outro dia isto no meu Blog, acho que devem ter entendido que eu sou meio burrinha, sabe como é, paraense, migrante, zé-ninguém….rss
    Abraços
    O Ministro da justiça respondeu o email?

  62. CARO KOTSCHO…

    Você é um fumante teimoso… É daqueles que come um cigarro no meio do pão, e diz pra mulher (crítica feroz) que é uma salsicha. Se oriente “home”! Você pode morrer de câncer, enfisema pulmonar, tédio por impotência e de outros bichos ruins, causados pela fumaça maluca do bendito (para alguns) e maldito cigarro (para a maioria).

    É claro que devemos a ter a liberdade de escolha… O cigarro é uma droga! Assim como também é o álcool! Não bebo, não fumo e não cheiro… Mas, não sou careta! Defendo que cada um beba, fume e cheire o que quiser… Desde que recolha impostos (estes impostos custariam 100 por cento do valor do vício), o viciado em cigarro, álcool e outros bichos, deveria ter o seu lugar especial para “viajar” e curtir a viagem. O teu caso é simples: um simples cigarro de nicotina! E lógico: o viciado assume seus atos. Que utopia! Você sabe que no mundo tupiniquim não é bem assim! E as “outoridades” de Brasília não colocam os verdadeiros problemas das drogas, na mesa, de maneira clara e objetiva. Ganha a indústria paralela do vício, as grandes indústrias do tabaco e a indústria de destilados e fermentados. Tradução: cerveja, vinho e “pinga da boa”! Que políticos xaropes! Se acabarem com a pinga mineira ou pernambucana, o Brasil vira um barril de pólvora… E uma grande revolução contra Brasília, finalmente acontecerá! A “Revolta dos Bebuns”, de plantão! Tô o viajando Kotscho! Brincadeira de careta…

    Pare de fumar “home”! Não queime parte da sua aposentadoria em cigarro. Ela é tão difícil de ser reajustada! Tão difícil para ser conquistada… Seus netinhos devem ter falado: vovô: que bom que você parou de fumar! Aquela fumaça causava bronquite asmática em nós! Sem contar que vovô tossia, tossia e não vinha o ar da vida! E as baforadas com cheiro de alcatrão!

    Pare com isso Kotscho… Não gosto do “Serra”! Mas, acho que acertou em proibir o danado do fumo! Pelo menos, você deixou de fumar alguns maços de cigarros a mais, e que poderiam já poderiam tê-lo matado! Serão alguns anos extras…

    E se você morrer de câncer causado pelo danado do cigarro? Quem vai continuar escrevendo suas divertidas crônicas? Vou ficar sem poder comentar e brincar de escritor…

    Se oriente “Home” Não volte a fumar! Você não é menino…

    Abraços.

    Lailton Araújo

  63. Ricardo, concordo em gênero, número e grau. Também fui fumante por 35 anos, parei há 5, mas continuo respeitando o direito e o arbítrio de quem quer continuar. Terceirizar nossas escolhas é algo que interessa só a quem, dentre os iguais, considera-se “mais igual” que os outros.

  64. Prezado Kotcho. Parabéns pelo artigo. Escrevi algo semelhante quando saíram as fotos do Ronaldo fumando numa festa na casa dele. Parei de fumar ha 2 anos mas é inacreditável o que fazem os patrulheiros e terroristas do politicamente correto. E o deputado estadual citado por você, da região de Marília, não é o nome mais indicado para proibir alguma coisa. São as pequenas ditaduras e os pequenos ditadores que não sabem o que é democracia…

  65. Desculpe, Kotscho… Você está sugerindo que se feche a Anvisa e que os Laboratórios passem a oferecer o que bem entenderem? Você tem ciência do verdadeiro descalabro que é o mercado de comprimidos para emagrecer (drogas que afetam o SNC) tão nefasto quanto as drogas ditas ilegais?

  66. Parabens Ricardo, são pequenas ditaduras que se tornam verdadeiros big brothers do nosso cotidiano. O Estado tem deveres que não são cuidar do que eu devo vestir,fumar, beber, falar, pensar. Acho que a vida tem ficado muito chata, meio TFP………

  67. Boa noite Ricardo!
    Boa noite amigos balaieiros!

    Antes de mais nada, meus parabéns por ter vencido o vício meu caro. Muitos aqui acompanharam tua luta algum tempo atrás. Mas SEIS MESES? Foi quase no período das eleições…O pior momento para se tentar isso!!!!!!

    Ricardo! Isso que fazem, todos sabem que é apenas para FINGIR uma causa nobre.

    Se todos realmente parassem de fumar, e adquirir esses remédios, voce acha que a arrecadação iría pra onde?

    Também concordo que ninguém tem o direito de “endireitar” ninguém segundo seus próprios critérios demagogos.
    É muita hipocrisía.
    Deixei isso bem claro quando do meu comentário a respeito dessa lei antitabagísta de São Paulo num post seu há muito tempo atrás!

    O Luíz Carlos (o Velho) e bom amigo, me mandou um e-mail hoje, com o segredo para se ter longevidade.
    Uma vida saudável, porém, com artifícios extremados.
    Gostaría que ele postasse aqui pra voces!

    …se bem que isso podería colocar mais algumas “minhocas” nas cabeças de certos políticos que não tem o que fazer, e ficam posando de ” salvadores do politicamente correto”.
    De educadores dos maus hábitos alheios.
    Logo não irão mais atrás dos assaltantes do banco, mas sim dos clientes que durante o cárcere temporário, acenderam um cigarro para amenizar o clima!

    O dia em que não mais pudermos tomar as nossas próprias decisões, não pudermos mais fazer nada sem que nos entreguem uma notificação, ou nos apontem o dedo, ou que um simples peido em público que possa ter escapado já te leve para às raias da loucura defensíva…
    Já viu né?

    Vai no jogo, e não pode xingar o juíz. Não pode falar palavrão, não pode fumar, não pode comer isso, ou aquilo.

    Pelo jeito a melhor solução, é ir mesmo pra Porangaba né não?

    …ou lá também não pode????

    Isso me lembrou agora de uma musiquinha de um alemão…

    Eu vai…
    Eu vai pra Porangaba mais eu vai….
    Eu vai levar a Mara mais eu vai…

    Mas…

    Se a Mara não quiser ir…
    Eu irei só…
    Eu irei só…

    MAS EU VAI!!!!!!!!

    Grande abraço Ricardo e balaieiros!

    Robson de Oliveira

  68. Essa argumentação é perigosa. Na mesma linha de raciocínio, haveria de se liberar todo tipo de droga. Cada um decide se quer ou não tomar o que lhe faz mal.
    Na verdade, o mal à saúde, não constitui problema de foro individual, mas de toda a sociedade. Ela é, em última instância, quem vai pagar pela possível recuperação ou tratamento médico do ex- drogado ou do fumante, por exemplo. Sem contar os infindáveis outros males. Acho que a sociedade tem obrigação de cuidar da saúde de seus membros e inibir qualquer ato ou consumo que venha de encontro a esse intento.

  69. kotscho vejo isto a mesma coisa das drogas e veja do jogo do bicho e digo os políticos deveriam tomar vergonha na cara para melhorar nossa sociedade que vive nos caos absolutos e digo estão fazendo isto pra fazer as coisas debaixo do pano e veja digo as verdades querem isto para se enriquecerem sem declarar para o fisco que ganhou muito dinheiro e digo estão fazendo isto na mesma laia das drogas e veja do jogo do bicho pois digo o dinheiro que se passa debaixo dos panos para se pagar propinas para pessoas é muito dinheiro e digo nosso país precisa de uma reforma cultural e digo de mentalidades pois vivemos em ano de 2011 e temos a mentalidade de 1960 e veja chega de demagogia com as coisas.

  70. Concordo plenamente com você: nós temos direito ao livre-arbítrio, de errar e acertar. Certas decisões, como proibir o cigarro em locais fechados, são justas, pois quem não quer se contaminar com o veneno do cigarro não é obrigado a isso. Querem, sim, decidir por nós. E isso é um absurdo. Deve ser por isso que temos tantas transgressões no País. Até os médicos defendem os anorexígenos, desde que usados sob controle.

  71. Kosovo, já decidem e…faz muuuuuiiiito tempo.13*,1/3 férias, FGTS,seguroi desemprego, bolsas maternidade, família, gas …tudo isso poderia ser transformado em salário e, cada um…cada um. Cabrestos….!

  72. Olá Ricardo e caros bloguistas, mais uma vez o Dono deste blog aborda um assumo bastante importante. Não tenho nenhum vício nem tenho nenhuma restrição em quem os tem, e, com certeza, que a intenção dos políticos de impedir que as pessoas fumem em ruas, jardins e praças públicas fere o Direito do ir e do vir; além reprimir as pessoas de agirem segundo o Direito do livre arbítrio. Disso eu não tenho a menor dúvida. Conclusão: recai sobre o cidadão o impulso repressor e totalitário.

    É sabido, também, em recentes pesquisas realizadas a comprovação que qualquer medicamento em voga para emagrecer quando não causa câncer, ataca o coração. Disto eu já sabia já faz algum tempo.(…)

    Haja visto que a pressão sanguínea do Ser humano, em regra geral, e de preferência, não poderá ser nem muito baixa e nem muito alta – para que a pessoa tenha uma vida saudável e sem problemas futuros.

    – Já foi também comprovado que se um jovem não tem vício nenhum na vida ele tem 80% para vencer na vida. Então, nesta visão, se ele tiver algum vício – ocorrerá o chamado efeito contrário: ou, seja, ele terá 80% de chance para não vencer na vida! Acredite.

    Até aí, então, ocorre a questão do livre arbítrio: – é vencer ou é não vencer?! É você que escolhe!?

  73. Caro Ricardo!!!!

    No meio de tanta confusão da Anvisa,sobre a legislação da venda de remédios para emagrecer que agem no sistema nervoso central e a legislação e o parecer do deputado que tenta proibir fumar nas praças e áreas livres em geral,a grande vitória é sabermos que você Ricardo Hotscho,depois de tanto tempo fumando,resolveu parar de fumar,no que é uma grande conquista.

    Parabéns pela grande decisão tomada!!!

  74. Veja a que ponto chega a idiotice do ser humano, tudo a nossa volta mas mal, mas tem que pegar um de cristo, o cigarro, e a fumaça do churrasco? o escape dos veiculos? inclusive dos não fumantes? o ar condicionado? o falar sem mascara a menos de 2 metros? respirar o ar dos chaminés, o mau halito? aturar conversa de bebum? andar de onibus ou metro? açucar refinado? suco feito de pó quimico? tomar sol dependendo do horario? banho de praia com coliformes? NINGUEM MORRE NA VÉSPERA IDIOTAS.

  75. Propaganda de bebidas que causa problemas serios para a familia e para a sociedade ate atletas fazem propaganda de bebidas e niguem fala contra. Não nego que o cigarro faça mau mais o mau maior e para o propio fumante .
    Já que a maioria e contra o tabagismo o governo deveria proibir a fabrigação de cigarros.

  76. È Sr. Ricardo colunista, qyerem mandar nos direitis individuais de cada um dê nós.
    Estão copiando O EUA. Não é justo que o povo diga amém!!
    Porque essê preconceito todo?
    Sou fumante,maior,vacinado,sei quando devo parar,ou não.
    Mandar na minha privacidade.Quem sustenta meu vívio sou eu.
    Isso é politicagem barata.Tantas coisas projetos emperrados,engavetados, vãop se preocupar,com pecuinhas.
    Estou ingninado,com certas atitudes exdruchu-las.
    abs.

  77. Você come comida temperada com sal ???
    Você come doce ???

    Você sabia que o estado gasta mais com os males causados por estas duas substâncias que com a nicotina ???

    Voce sabia que o que o governo arrecada com o cigarro cobre com folga os custos com os males que ele causa ???…e que ainda sobra para gastar com as diarréias nos vagabundos glutões que o combatem ???

    1. …fico sensibilizado com o “amor” que as pessoas dedicam aos fumantes, é de fazer chorar as suas preocupações com as nossas saúde…são anjos que nenhum pecado cometem…por eles o capeta vai morrer de solidão no inferno.

  78. Discordo. Defendo o livre arbítrio mas iludi-se quem acha que fumar não prejudica ninguém, só o fumante. Quando o fumante precisa ser tratado de câncer no pulmão ou é internado com insuficiência respiratória, angina e outros males é o dinheiro público que paga o tratamento, é a família do indivíduo que sofre com a doença, é o empregador que se vê com um functionário sempre doente pela insensibilidade do indivíduo só interessado na própria satisfação. Tabagismo é um problema de saúde pública sim, assim como é a obesidade e o consumo excessivo de álcool.

  79. Ricardo, boa noite!

    a medicina está avançadissima…e a mente das pessoas também…
    o Brasil é o país das leis, dos regulamentos, das proibições, etc. e, mais uma proibiçãozinha só faz engrossar os códigos …
    tudo que antes era usado naturalmente…como por exemplo, o mercurio cromo, o álcool 92, etc e que nos meus 58 anos sempre os utilizei e nunca tive sequer um probleminha com os mesmos…hoje, as mentes “avançadas” proibiram seu uso… e, aí por diante.

    Muita proibição…e como a panela de pressão com o pino estragado…um dia ela estoura….o povo também!!!

  80. AQUELES QUE ESCREVEM SEUS COMENTÁRIOS DEVERIAM RELE-LOS PARA QUE ERROS MUITO GRAVES, QUE DIFICULTAM ATÉ O ENTENDIMENTO DO TEXTO NÃO SEJAM ENVIADOS. QUANTO AO TEMA, A FUMAÇA DO CIGARRO FAZ MUITO MAL TAMBÉM AOS QUE ESTÃO PRÓXIMOS, MAS NÃO SE DEVE PROIBIR UMA PESSOA DE FUMAR AO AR LIVRE. QUANTO AOS REMÉDIOS, DEVEM SER PROIBIDOS POIS CAUSAM DEPENDÊNCIA, PRINCIPALMENTE PSICOLÓGICA.

  81. Iaí Ricardão ??? O maior “blogman” da internet mundial…voce pode num querê sê…mais é.

    …hoje tô de boa…quase…se não fosse a p.rra desta labirintite, a “prosta” do tamanho de uma bola de capotão, esta pedra na “vizica” como diz o Ênio, os “ói” desfocados, e o pior 6 ponto três fevereiros nos lombo, eu diria qui tava zerão, “zero bala” como se classifica o Troféu ( aquele catador de reciclável apaixonado pelo LULA… )

    Sobre a Anvisa, se as suas recomendações fossem abonadas por, pelo menos mais dois, institutos que tivessem fé pública…nada contra, pois a sociedade tem que se proteger frente aos nossos “honestos”, e “éticos” empresários, né não ???

    PS. antecipo àqueles que vão dizer que a minha sintomatologia é proveniente do meu vício de fumar, que tenho um amigo, que nunca fumou um “quimba”( uma ponta de cigarro), e que tem tudo o que eu tenho e mais: sinusite, intestino froxo, diabete, pressão alta, incontinencia urinária, uma puta duma gastrite, isto tudo sem ter ainda terminado o checkup.

  82. Achei esse post um desserviço à saúde pública. É engraçado ver alguém defender cigarros e outras drogas “legais”. Mais interessante seria o sr. defender o aumento de impostos sobre a droga que é o cigarro. Senão o sr. passa como defensor de indústrias que lucram milhares em cima da saúde alheia, e às custas do estado. Pra não falar da demagogia de defender as drogas legais, sua publicidade (absurdo!) e nem ao menos citar a bandeira da legalização das drogas “ilegais”. Defender publicidade de bebida e cigarro é demais pra mim.

  83. Também acho que quem quisesse fumar poderia fumar em qualquer lugar, porém quando estivesse em vias de passar dessa pra melhor (ou pior) não poderia se valer do SUS, visto que é dinheiro público e não pode ser usado para tratar um mal enormemente divulgado e alertado.

  84. Vou ter que beber fumaça do óleo diesel e respirar águas poluídas. Vou ter que tomar um chá de banco e pegar receitas de gripe. Vou ter que apagar meu cigarro e acender um fininho de marijuana. Não demorará e serei proibido de cheirar meus próprios flatôs e terei que cheirar os trilhos que levam à morte.
    Não custará muito tempo e serei “obrigado” a dar 10% do meu salário para garantir um cadeira velha no Paraíso e poder olhar feliz o Scariot deitado numa rede com cordões de ouro bem próximo de mim e isto só ainda não dissiminou porque não chegaram todos juntos ao poder.
    Não demorará mais do que 15 anos e teremos implantado em nosso hypoderme um chips para controlar até nossos pensamentos.
    Depois que inventaram o Robô, estamos roubados. Não podemos ter ou manifestar nossos caráteres ou nossa personalidade.

  85. …é. Faz sentido. Só não gostei do “idiota”.
    Mas, o Ricardo, tbm, coloca “no q me diz respeito, prefiro continuar errando ou acertando, sozinho”.
    Junto à coleção, acima, a pérola de um senador, daqueles… q no ano passado “montou” uma lei, proibindo a Caixa Econômica a pagar grdes prêmios, das lotéricas, pq, no entender do monstrinho, o brasileiro, no geral, não tem competência pra administrar uma bolada, grde… risos O tal senador é um daqueles q infernizava a vida do Pres Lula… Um daqueles boçais, inventores dessas babagens, sem sentido, ou com um sentido, embutido, inconfessável…
    Essa dos cigarros, não duvido, deve haver um interesse, no mínimo, de transformar o tabaco numa droga, sujeito a mais um comércio, super rendável; pq proibido.
    Eu já fui fumante, brabo e sei, bem, das dificuldades para se abandonar o vício… Faz mais de 20 anos, consegui abandonar o vício e, ainda, tenho uns sintomas de recaída, vez q outra. Mas, isso, é um problema particular, de minha responsabilidade. O q extrapola a responsabilidade do fumante, é o dito cujo querer fazer sua fumaça, num ambiente fechado; prejudicando os q lá estão… Agora, num ambiente aberto… é se desejar invadir a liberdade do fumante. No q me diz respeito, se começar a me encomodar.
    , uma fumacinha, alheia… mudo de local, de caminho.

  86. Agindo por tabela, acho que os politicos nos chamam de idiótas.
    Arranjam, como os colegas acima já disseram PICUINHAS para nos enfiar goela abaixo pensando que a propaganda para êles é a alma do negócio.
    Depois, quando a população, os internautas e twiteiros lançam o mote no mercado eles saem correndo atráz para consertar ou tentar apagar o fogo que eles mesmos causaram.
    Como dizem vários locutores do rádio; arranjam dificuldades para conseguir facilidades.
    No bojo deste ditado lá vão os Pedágios, a leis do fumo, a Taxa de inspeção veicular e é bom que não se esqueçam que quanto mais se abaixarem mais as cuecas aparecem.
    E nós, o povão estamos mostrando que ela é branca com bolinhas vermelhas e porisso fazemos papel de palhaços.

  87. ´
    É Ricardo, a coisa está feia mesmo! A Anvisa tentando proibir, fazer e acontecer, é gente escrevendo errado, se expressando errado, etc.., assim fica difícil mesmo, afinal já nascemos inseridos num contexto meio “carne de pescoço” e por isso, ficamos um tanto perplexos com tantos disparates acontecendo e advindos lá, lá de cima. Na medida do possível deixemos nossas reinvindicações escritas, para quem sabe, alguém lá de cima, possa nos responder a contento.Grata, Déborah.

    e

  88. Caro Ricardo:
    Que todos nós tem o livre arbitrio, nada a contestar, sou contra é a propaganda que se faz nos veiculos de comunicações, de bebidas, alimentos e remedios, pois essa propaganda ostensiva, termina induzindo as pessoas a consumir esses produtos, e todos estes produtos industrializados possui componentes quimicos que termina provocando grandes males à saude. O que observo nas propagangas, é uma verdadeira lavagem cerebral, nas transmissões esportivas, os fabricantes de bebidas, que patrocinam , só faltam empurrar goela abaixo do cidadão, uma caixa de cerveja, se não fizesse a lavagem cerebar, era possivel que o cidadão assistisse aos jogos pela tv, e não consumisse cerveja alguma, se, as pessoas estão assistindo aos jogos nos bares com os amigos, aí é que ele não tem condições de escapar da beberagem, eles dizem que um copinho não faz mal, e nem irá embriagar ninguem, esse mesmo metodo usam os traficantes de drogas, e depois disso aí, o sujeito poderá se tornar um alcoolatra ou um viciado em drogas, é essa propaganda, que deve ser proibida, em tv’s, radios, jornais, revistas e cinema, deveria permitir propaganda de bebidas apenas nos bares, com essa medida, não haveria indução do cidadão ao consumo de bebidas.

  89. Geralmente concordo com seus posicionamentos… desta vez não é o caso…

    liberem tudo…cada um decide o que é bom para si… pronto…o caos está instalado… simples assim…

  90. PREZADO RICARDO,

    Sempre acho brilhantes as suas idéias, mas desta vez me reservo o direito de discordar. Em primeiro lugar, devo dizer que nunca fui fumante e nem pretendo sê-lo. Porém, respeito o direito daqueles que gostam de fumar. Só que aqui vai um recado aos fumantes: vocês têm um hábito, um costume, o de fumar, que exala pelos ares, interferindo no direito de quem não quer ou não gosta de fumar. Portanto, essa batata é de vocês fumantes, não dos outros. Realmente podem haver exageros nas regulamentações sobre a prática do tabagismo, mas taxar essas regras de “puro impulso repressor e totalitário” também é um baita exagero. Acho que, com todos os erros e acertos, o que se busca é a saúde pública geral. Discordo também da expressão “excesso regulatório da Anvisa”. O papel institucional dela é esse mesmo: regular e fiscalizar. Quem não quiser se preocupar com a própria saúde que o faça por sua conta e risco, mas a Anvisa deve cumprir o seu papel. Concordo com o que disse o internauta Maurício: tabagismo, obesidade e alcoolismo são sim problemas de saúde pública e representam muitos gastos para a sociedade em geral. Penso assim: respeitemos o direito de quem quer fumar, mas aqueles que não querem ou não gostam de fumar também têm o direito de se defender dos males que o cigarro sabidamente causa. É como eu já disse: essa batata quente é dos fumantes. Com todo respeito pelas opiniões de todos. Boa Noite!

  91. Voces, que moram no Ocidente, consideram que estao muito bem servidos de Democracia, mas vivem cercados de leis por todos os lados. Vivem cerceados desde a hora que levatam da cama ate o ultimo segundo antes de dormir. Pensam que sao livres, mas andam com medo pelas ruas infestadas de bandidos. Nem sequer podem paquerar sob o risco de precesso judicial. Acham que mudam alguma coisa com o voto, embora sejam governados (entra presidente, sai presidente) pela mesma oligarquia. Acreditam que tem imprensa livre e nem sabem que os anunciantes censuram mais que os governos. Aplaudem a proibicao do tabaco e nao percebem a movimentacao que se faz no sentido de liberar a maconha. Voces que moram no Ocidente estao sendo acorrentados por uma coisa chamada “politicamente-correto”. Tem livre acesso a manifestacoes mas todo dia aparece uma nova lei proibindo isto ou aquilo e voces nao fazem nada. A unica liberdade de que ainda dispoem se chama INTERNET. Aproveitem agora por que talvez amanha a “democracia” de voces vai descobrir uma forma de os cercear desta ultima liberdade.

  92. Penso que a origem da argumentacao fervorosa pela defesa do ato de fumar em público (mesmo em área externas) está na soberba e arrogância.
    Voltaire comentou isso muito bem, vocês sabem: “meu direito acaba quando comeca o direito do outro”. Ora, pensemos que a fumaca é algo muito irritante (pelo menos para mim e provavelmente para a maioria das pessoas que nao fumam). minha questao é: por que eu tenho que aguentar a fumaca emanada por um fumante? Ele tem esse direito? Afinal nao somos todos iguais? Penso que seja uma questao moral: talvez o defensor fervoroso do direito de fumar pense: “eu tenho o direito de fumar e o sujeito do meu lado DEVERÁ aguentar a minha fumaca…e ponto final!!!!”

  93. Como quase sempre ocorre, eu concordo plenamente com o que vc disse. Aliás, parece que não sou o único. Muita gente pensa assim também. Eu não sou fumante, não consumo drogas, tão pouco tomo remédios para emagrecer ou para ganhar massa muscular e bebo pouco. Mas isso não quer dizer que eu deva, ou ache que alguém deva ficar controlando o que as pessoas fazem de suas vidas. Estas pessoas que querem ficar proibindo tudo, parecem achar que somos um bando de crianças, que precisam ser tutelados a todo momento. Chico Buarque já alertava pra este tipo de coisa, na música cálice, na última parte quando diz: Talvez o mundo
    Não seja pequeno
    (Cale-se!)
    Nem seja a vida
    Um fato consumado
    (Cale-se!)
    Quero inventar
    O meu próprio pecado
    (Cale-se!)
    Quero morrer
    Do meu próprio veneno
    (Pai! Cale-se!)
    Quero perder de vez
    Tua cabeça
    (Cale-se!)
    Minha cabeça
    Perder teu juízo
    (Cale-se!)
    Quero cheirar fumaça
    De óleo diesel
    (Cale-se!)
    Me embriagar
    Até que alguém me esqueça
    (Cale-se!)

  94. Eu tenho apenas um questionamento sobre a discussão proposta. Caso a pessoa fume muito e tenha um câncer de pulmão ou garganta, ou tome remédio para emagrecimento e tenha um problema sério de coração ou outro tipo de problema, quem vai arcar com os custos do tratamento, caso a pessoa não tenha um plano de saúde? Seria o SUS, ou , melhor dizendo, seria toda a sociedade, todos nós ?

  95. Se o fumante quer se suicidar lentamente, fique à vontade.
    Apenas é imperioso respeitar os não fumantes.
    O que ocorre, é que como todo hábito, quando bate a vontade, eles assumem um postura bestial, e acendem o cigarro sem se dar conta de quem estar do lado.
    ESTUDOS COMPROVAM QUE A ATÉ 20 METROS DE DISTÂNCIA PREJUDICA DO MESMO JEITO, TANTO A QUEM FUMA COMO A QUEM APENAS, INALA POR APROXIMAÇÃO.

  96. É um tema interessante tenho 69 anos fumo des dos 15 ou 18 anos minha mae morreu com 73 por causa do cigarro, meus tios uma com 81 anos fuma 2 maços por dia o outro com78 fuma tambem, hoje quem começa a fumar é burro na minha época era bonito ninguem tinha noção de nada basta ver filmes antigos todo ator famoso fumava. mertiolate meu pai medico sempre usou proibiram, mudou a formula parece agua, o ovo teve seu tempo de vilão, hoje é bonzinho. meu cardiologista faço exames de rotina diz que a carne de vaca é cancerigina, ou é a ração e os preparados quimicos que são aplicados no gado? o frango em um mes é abatido preparados quimicos, no cigarro dizem que existe 4700 elementos nocivos pelo que sei o pior elemento é o alcatrão, o percentual de nicotina vicia mas é infimo, sabiam que 2 gotas de nicotina pura mata um animal de grande porte? não estou defendendo o tabagismo mas porque a anvisa não fiscaliza ou proibe a fabricação do cigarro. voce acende um ele se fuma sozinho no cinzeiro porque? para vender mais coloca-se produtos quimicos para isso. ou proibem a fabricação ou parem de encher o saco cada um é dono da sua vida

    1. Alfred. Proibir a fabricação de cigarros não resolve. Em cada esquina tem uma barraquinha de cigarros piratas. Se proibir a fabricação, vão surgir mais fabricas ilegais e não vai faltar cigarros para quem queira fumar. Vão continuar ficando doente e, agora sem contribuir para o governo custear o tratamento dos doentes. O Brasil está no caminho certo. Tem que continuar combatendo o vicio mas. Sempre respeitando o direito dos viciados.
      João Leite

  97. O problema maior é que tem vagabundo demais em toda esfera politica, então o cidadão talvez para mostrar serviço ou por incapacidade mesmo, vem com essas leis absurdas.
    Engraçado que nenhum politico faz um projeto de lei, vinculando o salário desses vagabundo ao salário minimo, ou seja, a partir de 2012 o salário de um vereador vai ser 10 salários minimos, deputado estadual 12 salários minimos e assim por diante, com o dep.federal, senador e etc.
    Isso sim é que deveriamos estar discutindo

  98. Certamente folha e revista veja representam a extrema direita do país e como sempre acham que podem colocar todas as porcarias escritas para a população e se acham no direito apenas de criticar de forma destrutiva. Deixa melhorararem esse país.

  99. Você pode estar preocupado com a liberdade cívica, mas a Folha de São Paulo e a Veja não estão preocupadas com isto. Afinal, o jornalão se empenhou bastante para a realização do golpe de 1964 e a Veja construiu o golpe do Mensalão e do grampo sem audio no STF. Folha e Veja estão, na verdade, preocupadas apenas com as verbas publicitárias que deixarão de receber para promover remédios de emagrecimento, cigarro, bebidas, etc…

    E para falar a verdade eu acho perfeitamente justo os publicitários e empresas de comunicação sofram sob o chicote dos legisladores. Afinal, são os publicitários e os jornalistas que criam ditaduras e que constroem lideranças políticas políticos (que aprovaram o mínimo de 545) e que tentam por meios anti-éticos e ardis eleger presidentes (como ficou evidente no caso da bolinha de papel que atingiu o José Chevron Serra).

    A hybris legislativa é uma consequencia da hybris publicitário-jornalística. Espero, sinceramente, que os deputados e senadores não tenham piedade dos publicitários e barões da mídia. E continuarei a fazer o que bem entender… pois a liberdade deve ser exercida inclusive e principalmente contra qualquer tipo de lei restritiva. Eu lutei contra uma ditadura contra uma Ditadura quando era proibido fazer isto. Minha liberdade não foi suprimida pela força bruta dos fuzis e certamente não o será por leis idiotas.

  100. Cigarro deveria ser proibido com o status de DROGA, mas como paga milhões em impostos, é liberado, enqto isso, os hospitais tem de dispensar grande parcela de seus atendimentos para pacientes com problemas relacionados ao fumo, ou seja, pq um cara se droga com cigarro, um leito a menos para quem tem problemas de saúde que não foram causados de “propósito”. Daí vem neguinho na rua querer discriminar quem fuma maconha ou qquer outra droga, com que moral? a moral dos impostos?

  101. Respeito a proibições: que é melhor ter um filho fumante ou um filho alcoólatra? Me parece que a resposta é óbvia. Então porque é proibida a propaganda do cigarro e é permitida a da cerveja. Sábado a noite é impressionante como as “cervejas” inundam as TVs de propaganda. Lucro é a ética dos meios de comunicação…

  102. Não concordo com nada disso, querem fumar, beber e dirigir, se entupir de remédios, usar drogas mas na hora da conta quem paga é o governo, ou seja, nós todos. Se fosse possível se drogar com álcool ou cigarros ou remédios sem onerar a todos voce teria razão. Até Zeca Pagodinho virou filósofo por aqui, para defender o indefensável. O que será que os EUA tem a ver com isso? Profundo demais para mim.

  103. Caro Kotscho,
    Poderia simplesmente dizer que concordo contigo sob todos os aspectos, inclusive os de opinião sobre os referidos órgãos de imprensa.
    Mas, sou um “pitaqueiro”!
    E vou dar o meu sobre o referido assunto.
    De repente resolveram gritar “barrabás” para o álcool e outras porcarias consumidas abertamente que vão de uma simples coca-cola aos “arrebites” dos caminhomeiros e mandar os fumantes para o “calvário”.
    Poderia dizer que nada renho contra e muito menos a favor.
    Só não gosto que interfiram no meu livre arbítrio.
    Sou fumante e sequer fumo dentro de minha casa.
    Não quero criar polêmica tipo álcool versus fumo, mas não posso deixar de tecer comparações entre os danos de um e de outro e perceber que existe uma tolerância muito maior com os consumidores de álcool do que com os consumidores de tabaco.
    Enfim…
    Penso que o melhor caminho pra se chegar a termos justos sem necessidade de discriminação é o da conscientização.
    A consciência de que ninguém é obrigado a respirar a fumaça expelida pelo meu cigarro assim como não tenho direito de matar ou ferir alguém no trânsito ou seja no que for por causa de uma bebedeira.
    O meu sócio pode me colocar pra fora do escritório por causa de meu cigarro, só quero ter o direito de colocá-lo pra fora da empresa por causa de suas bebedeiras antes que ele nos leve à falência.
    E não vejo necessidade de leis, decretos, portarias e o escambau pra isto!
    Tá dado o meu pitaco!
    Abraços Kotscho!

  104. È!!!

    O Estado brasileiro cada vez mais se especializa em estorquir o cidadão. Marronzinho que multa indiscriminadamente,inspeção veicular de arraque paga pelo cidadão, tarifas publicas, transporte publico cada vez mais caro e menos eficiente, salario de politicos votados na calda da noite com aumentos absurdos e tantos outros. E o pior tudo sai das cabeças dos iluminados,parlamentres brasileiros em toodos o niveis. Não fumo, nunca fumei. Contudo gostaria muito de ter meu pai, mesmo fumando, passeando comigo em uma Praça de São Paulo, em matagal e suja é claro.

  105. Coincidentemente essa onda de proibições surge depois da redemocratização do país.
    Os políticos em geral nunca tiveram muito com o que se agarrar. Propunham em grande medida nome de ruas.
    Mas ultimamente uma orda de proibidores tem tomado conta do país, transformando o bom senso em algo subjetivo.
    Serra sancionou a lei que proibe a venda de banana à duzia.
    O mesmo, proíbe o fumo em ambientes fechados, aí não importando se existe ala específica para tal.
    Agora, a Anvisa sofre do mesmo mal que as outras agências, motivo para existir.
    Elas parecem o amigo que quer se meter na briga do casal, sem ser chamado.
    Não nos esqueçamos também da proibição da palmadinha, vejam, só?!.
    Esses exageros precisam ser denunciados e contidos. A ponto de se questionar se realmente vivemos uma democracia no Brasil.

    1. Democracia não é sinonimo de Anarquia.
      Nada justifica você não controlar o uso de drogas, remédios e principalmente a saúde do cidadão.
      Quem não gosta disso…
      Bem devo lembrar que hoje para arrumar emprego, quem fuma ja perde pontos. Quem é gordo perde pontos, quem não cuida da saúde perde pontos. Existem abusos, porém não fazer nada é muito pior.
      Morre muita gente por ano e o custo disso quem paga somos todos nós atravez da previdencia social, do SUS e etc.

  106. Eu acho sinceramente que não tem que haver proibição pra nada , tem que liberar geral , todo tipo de droga , é so chegar e comprar , assim como quem quiser morrer de qualquer forma , é o livre árbitrio , ai quem sabe nos livramos destes que não gostam de viver , e deixe este mundo so pra quem gosta das coisas boas que ele nos oferece. E tenho dito.

  107. Com relação ao cigarro, não se trata de punir quem fuma, mas socorrer quem não fuma, que precisa agüentar essa fumaceira em todo canto que vai.

    Em Nova York estão proibindo até de fumar ao ar livre.

    Quem fuma, devia sim, fumar somente dentro de sua casa. Se for assim tão prazeroso, se feche num quarto, fume o cigarro e inspire toda a fumaça, sozinho.

  108. Caro Ricardo.

    Você apenas está esquecendo um detalhe. Quem paga a a conta do SUS, que tem que cuidar de minhares de pessoas com cancêr de pulmão porque se acharam espertos o bastante para decidir sozinhos o que fazer com sua saúde, somos nós: os não fumantes.

    Igor

  109. Queridoi Ricardo, concordo com você, mas como você mesmo disse hoje não somos crianças, mas quando você começou a fumar era, e tenho notado que muitos fumante começam o vicio na mesma idade que você começou, por volta dos doze anos, dai concluimos que de certa forma somos espelhos para os adolecentes, eles tendem a nos copiar, ai o restante dos anos fica por conta do vicio, feliz voce que conseguiu largar de fumar, tambem sou contra a imposição aos nossos costumes, mais muitos ainda se rende ao vicio, mesmo depois na terceira idade.

  110. Fumei dos 16 anos até há 3 meses atrás, com 56 anos de idade. Que o cigarro faz mal, já estamos cansados de saber. Porque que os Políticos, esses mesmos que querem proibir daqui e dali, que são os ” fazedores de Leis ” , porque eles não fazem uma campanha e Leis para fecharem as fábricas de cigarros, de bebidas. Ah porque a briga é de gente grande. Fumei durante 40 anos e te garanto uma coisa, até hoje só dei lucro por feito isso, pagando os impostos dos cigarros. Nunca gastei um centavo de dinheiro publico, pelo contrário, agora que optei por para de fumar, comprei remédios com meu dinheiro. Portanto só dei muito lucro. Agora me respondam uma coisa. E as vítimas de acidentes de transitos, de muitos bebuns, irresponsáveis que estão por esse mundão afora, aleijados ou mortos e os governantes não fazem nada para mudar esse quadro.

  111. Já que eu não posso decidir pelo fumante ao meu lado, que fede , afeta e me prejudica com sua fumaça, apelo para quem faz as leis……. PROIBEM.
    E o Sr. que diz ter fumado mais de 50 anos, deveria saber o mal que isto lhe fez, para os pulmões e para seu bolso.
    Os pulmões são iguais , aqui , nos Eua , na Europa e pasmem…. até na Líbia.

  112. Não me parece justo que quem exerceu o livre arbítrio de não ter vícios pague o custo enorme das doenças dos que exerceram o livre arbítrio de ter vícios… Tenham o livre arbítrio, mas assumam as consequências também…

  113. Há um país africano, se não me engano, que quer multar a flatulência pública, o que poderia, em razão de possíveis excessos gastronômicos, “engordar” os cofres públicos, os quais não devem flatular…
    Essa fúria “proibitiva”, em verdade, assume um caráter tributário cada vez mais intenso – multa-se qualquer atitude ou qualquer hábito das pessoas, sob a cínica desculpa inscrita na exposição de motivos da lei, a defesa da saúde pública…
    Não posso falar sobre saúde pública – afinal sou um indivíduo, mas a minha saúde individual está há décadas abalada pelo exercício do poder dos governantes e políticos, que me causa tensão nervosa e azia.
    Mas quem irá multar o governo e os políticos por mim?
    As teses contratualistas sobre a origem do Estado observam que há uma doação da liberdade individual para que essa supraestrutura possa regular a nossa vida.
    Entretanto, quando nasci, ninguém me perguntou se eu queria fazer parte dos contratantes, se eu gostaria de ser identificado com números, se eu queria ser obrigado a fazer ou deixar de fazer algo imposto pela vontade de outrem…
    Ainda, devemos observar que existe, por parte do Estado, uma deslealdade nesse contrato de vontades, pois o fumo foi tolerado por séculos pelo Estado e, de repente, sob o mote da defesa da saúde pública, é proibido e apontado como hábito intolerável e, sob certas condições, ilícito…
    Isso significa admitir que os fumantes sofreram uma “capitis deminutio”, instituto do Direito Romano que significa a diminuição da personalidade jurídica do indivíduo.
    Essa intolerância quanto a hábitos e atividades individuais pode acarretar, em situação-limite, em algum futuro, a desobediência civil, com a marginalização de elevado número de indivíduos que um dia, provavelmente, podem se voltar contra o próprio Estado e contra o restante da sociedade, o que pode não ser utópico…

  114. Caro Ricardo,

    Você sempre vem com temas polêmicos para nos digladiar em prós e contras. Mas, neste tema de hoje você foi enfático, que você é poderoso e domina o vício ao teu bel prazer e que teu livre arbítrio vai ao infinito. Pois bem, eu te digo: Teu livre arbítrio vai até onde começa o livre arbítrio de outrem. É uma questão de moral que você recebeu quando foi concebido para distinguir o que é o bem e o que é o mal. Se há projetos para disciplinar, alinhar e encaminhar para o bem é de bom alvitre que você busque reforçar essas atitudes através do seu blog e não da forma de como você escreveu aí banalizando as coisas de uma forma prepotente e no teu livre arbítrio sem escrúpulo. Lembre-te ainda prestarás conta da tgua vida e disto.

  115. Também fumei durante trinta anos, parei por conta própria já fazem vinte anos, nunca mais tive vontade de fumar, porém não condeno quem fuma e acho que cada um faz o que quer. O mesmo se aplica aos antibióticos, que há anos todos sabem ser prejudicial se tomados sem indicação médica. Mas agora a Anvisa nos obriga, a qualquer infecção de garganta, a pagar consulta médica para obter a receita e, assim, o que poderia ser barato acaba custando caro.
    Agora, o que seria importante mesmo combater e eliminar , é a bebida alcoólica, que causa danos ao usuário, aos seus familiares e à sociedade em geral (acidentes de transito, homicidios, brigas, destruição de lares, perdas de emprego, etc) e isso está cada vez mais presente, com comerciais muito envolventes, com oferta de bebidas a menores (é proibido, mas todos fingem que não vêem).
    A atual campanha da Cervejaria Schin, com a presença de muitos famosos e bem elaborada, dá o tom de como é tratada a questão da bebida no Brasil.

  116. Kostcho, e “O GOVERNO JA SE PREOCUPOU COM O EXCESSO NO CONSUMO DE CAFÉ”? “O CAFÉ FAZ MAL JA QUE É UM ESTIMULANTE”? Kostcho muito bom A LIBERDADE, por isso quero deixar uma outra pergunta, relativa AO POST ANTERIOR, e que não foi publicada, visto que VOCÊ É AVESSO À CENSURA. A pergunta é: “POR QUE OS JORNALISTAS ESPORTIVOS DE SÃO PAULO ‘TÊM MEDO’ DE FAZER CRITICAS AO ROGERIO CENI?” E será que NO BRASIL NUNCA SE FEZ UM ESTUDO MAIS APROFUNDADO “SOBRE OS EFEITOS NOCIVOS DO CAFÉ”, porquê É UM DOS PRINCIPAIS PRODUTOS DE ESPORTAÇÃO, e também “É UMA TRADIÇÃO O CONSUMO DO CAFÉ NO BRASIL”? Mas se o CONSUMO DO CAFÉ É UMA TRADIÇÃO NO BRASIL, a “FOLHA DE COCA TAMBÉM NÃO É UMA TRADIÇÃO DA BOLIVIA”?

    1. Que legal…
      Café não faz mal a saúde. Café fresco consumido em quantidades NORMAIS ajudam o metabolismo e é essencial para a boa lucidez.
      Mas beber uma xicara de borra por hora o dia inteiro, ai sim mata.

  117. Não é nada fácil deixar o tabagismo. Não conheço nenhum tratamento eficaz para isso. Só mesmo muita força de vontade, com muita VONTADE de fazer força.

  118. Olá Kostcho.

    O problema que estes vícios tão prazerosos, (fumar, beber, etc.) acabam provocando doenças, que acabam no SUS e aí a conta para pagar é de todos nos. O tratamento de cancer e de cirrose são os mais caros da rede pública.

    Abs

  119. …o LULA precisava parar com esta viadagem de se preocupar com montagem de instituto, museu, os krai, e voltar aqui pro “chão das fabrica” e ser um interlocutor direto do povo junto ao governo.

    Que tal começar pelo programa “Minha Casa Minha Vida ” ???

  120. Li quase todos os comentários aqui, e li muitos dizendo que, quando alguém adoece por culpa do cigarro todos pagam a conta. Pois bem, pergunto eu, qual imposto pagamos neste pais em que é revertido em benefício da população? Alguns que disseram que pagam a conta se trataram ou precisaram do sistema de saúde único?
    Pagamos impostos justamente para que esses sejam revertidos em benefícios a todos sem distinção de doença, raça, crença, etc.
    Volto a falar deveriam ter a mesma crítica e vontade para mudar este fato.

  121. Boa tarde meu amigo RK e todos os comenaristas.
    Também fui um fumante inveterado, desde os 13 anos de idade, (nos últimos anos, fumava mais de tres maços di cigarro por dia, só não fumava enquanto comia, dormia ou tomava banho), só parando quando perdi a voz e fui obrigado a fazer uma cirurgia nas cordas vocais, com o alerta dos médicos que me disseram: Se voce voltar a fumar, tudo que fizemos vai por água abaixo. E…eu contente por ter voltado a falar.) Mas, voltando ao tema, hoje a própria situação obriga, pelo menos a diminuir o uso do tabaco. Quem não se lembra da quantidade de cinzeiros colocados nos escritórios, corredores de empresas e locais de divertimentos públicos, etc,? Até no interior de ônibus se fumava! Hoje, entramos nos supermercados, farmácias, escritórios, padarias, estações ferroviárias, metroviáias, restauranes, transportes públicos e outros e não vemos ninguém fumando. Quando o uso e costume de um povo se modifica, transforma-se em regra. Não é necessário extrapolação em campanhas. Sou totalmente contrário ao uso e tráfico de qualquer droga que altere o comportamento humano, trazendo malefícios e prejuizos a sí proprio e a seus iguais. Quantos são os irresponsáveis que assumem a direção de um veículo completamente ébrios e simplesmente provocam acidentes, ceifando vidas de quem nunca viu antes? É conduzido pela polícia à delegacia, onde são até autuados em flagrante e depois, pagam fiança com o direito de responder pelos seus atos em liberade, pior, livre, reincidem na infração provocando novos acidentes. A reação dos intoxicados pelo álcool tem diversos desfechos, dependendo da sua personalidade: uns, ficam alegres, rindo à toa e como todos, perdem o equilíbrio, outros, transformam-se em verdadeiras feras querendo brigar com todos; outros, ainda mergulham em sono profundo; outros, veem as coisas em duplicidade; outas fazem discursos; cantam cambaleando, etc. e ainda pior: num volante se sentem um ”Az”, superior a tudo e a todos, ficam bravos e passam a fazer da sua vida e de todos, apenas um brinquedo. Essa situação têm de mudar, os legisladores, deveriam considerar os crimes praticados por esses irresponsáveis, como ato de dolo eventual, pois, assumem o risco de produzí-lo, sem o direito a fiança, principalmente quando resultam de morte ou de lesão corporal de natureza grave, seja quem for o agente sob efeito de droga (álcool ou outra). Contudo, o que assistimos é justamente o contrário: Políticos participando de passeatas para a liberação das crogas, apresentando projétos para essa finalidade, sabendo muito bem que não temos unidades de saúde suficientes para tratamento sequer das doenças derivadas das drogas permitidas como o álcool e o fumo. Dizem que é para evitar o tráfico de drogas. Já temos muitos viciados e vamos injetar mais drogas na sociedade? No que querem transformar a sociedade brasileira, numa enorme massa de psicopatas?
    Claro que democraticamente cada qual faz de sua saúde o que quizer, mas, desde que não fira o direito de outrem. Quantos crimes são praticados por conta da síndrome da abstinência, chegando a matar pessoas para subtrair meios para adquirir drogas? Já pensaram este país ser governado por dependentes quimicos? É de se pensar e fazer aplicar como matéria nas escolas aos adolescentes sobre o perigo que a droga oferece, tornando-os impotentes em todos os sentidos, é uma prevenção necessária. Temos de passar aos nossos filhos e netos que já somos perfeitos e não precisamos de qualquer aditivo para desempenharmos nossas atividades. Se a droga nos trouxesse um desempenho melhor, o que somos ao passar o efeito delas? Resposta, nada mais que um traste humano, um psicopata dominado por ela.

  122. Mais um tiro n’água do nobre jornalista.

    Vc sabia que até mesmo seu plano particular de saúde conta com subsídios estatais?O SUS então ?

    Por essas e outras, sua saúde ,minha saúde e de todos que tentam te defender diz respeito a você ,a mim e a todos.

    Tá difícil ,hein?!?

  123. O jornal ”THE SUN” da Inglaterra publicou ontem, 22 de fevereiro uma reportagem sobre o tema longevidade. Interessante;
    Uma mulher Inglesa, Gladys Gough, de 103 anos revelou o segredo de ‘viver muito’
    Ela disse que nunca fez sexo e continuar virgem. “Eu nunca me casei ou tive um namorado. Provavelmente, teve algo a ver com isso”.
    Além de nunca ter feito sexo, Gladys destacou que nunca fumou, experimentou álcool ou tomou remédios.

    Taí uma sugestão para a ANVISA.
    Que tal?

  124. Não fumo, meus filhos não fumam. E sou contra essa absurda campanha antitabagista. Tenho duas preocupações: na hora em que esses administradores da vida alheia sentirem que essa batalha esta ganha, vão iniciar outra e mais outra, até chegarmos na sociedade uniforme desejada por eles.
    Outra, é quando esse pessoal, ou a Anvisa, descobrir que todos dia, e mais aos domingos, milhares de padres dizem a milhões de católicos:
    “Tomou então do vinho e dando-o aos seus discípulos e disse: Tomai e bebei”
    SErá que vão dizer que esta sendo incentivado o consumo do vinho? E na frente de menores e em horário impróprio/

    1. Calma,

      Existe todo um ritual sobre este fato. Os católicos sabem, que ali esxiste uma espécie de transmutação onde o vinho se torna figurativamente o sangue de cristo.

  125. Eu também acho que a Anvisa está sendo totalitária quando proíbe a venda de remédios que afetam o sistema nervoso central. Ela deveria deixar as próprias pessoas decidirem se querem emagrecer as custas do seu sistema nervoso central. Afinal todo mundo no Brasil sabe o que é um “sistema nervoso central” certo?

  126. Não consegui aprender fumar mas. Eu tambem defendo os fumantes. Se o cigarro faz mal a saúde, mata todos os fumantes sabem. É justo que se fassam leis que proiba de fumar em locais fechado onde vai incomodar os não fumantes mas. Ha uma picaretagem muito grande em torno do cigarro. Se o cigarro mata, acredito que o automovel mata muito mais do que o cigarro e. Até agora eu não vi nenhum politico preocupado em fazer leis que proibe anuncio de automoveis nos meios de comunicação, pelo contrario. dão isenção de impostos quando as montadoras esta com os estoques cheios. Os automoveis prejudica a saude respiratoria e psicologica, alem dos milhares de vidas que se perde todos os anos em acidentes. Da minha parte acredito que o automovel deveria pagar o mesmo tanto de impostos que o cigarro paga.
    João Leite

  127. Ricardo,

    Umas das coisas mais chatas que conheço é ex fumante.
    Fumei 36 anos da minha vida. 3 maços de cigarros por dia, consciente das mazelas que este cilindro de papel acarreta a saude. Parei, no momento em que tomei consciência de que ou parava ou morria pois os efeitos deste ja se faziam presentes no meu dia a dia. Parei de chofre! Não fumo mais! E parei e ja estou limpo a 3 anos.
    Cada um tem o livre arbítrio de fazer 0o que quer desde que estes atos não venham a atingir terceiros. Proibir o fumo em praças e outros locais abertos é uma das maiores demagogias que ja vi. Concordo sim em anunciar as sequelas que o cigarro causa. Isso é uma verdade, um fato que não podemos negar. Mas, cada um sabe o que faz? Não cada um deixa o vicio dominar a razão. O fumo cria a depêndencia quimica como qualquer outra droga e as vezes pior que outras drogas.
    Infelizmente é a morte lenta, a morte em capitulos.
    A melhor definição que ouvi para cigarro é: UM CILINDRO DE PAPEL CHEIO DE MATINHO DENTRO COM UMA BRAZA EM UMA PONTA E UM IMBECÍL NA OUTRA. Agora, quem quizer ser imbecil, que seja, ninguém tem nada a haver com isso. O problema é dele. Cabe ao governo avisar os males, proibir, jamais.

  128. Concordo com você, com o editorial da Folha e com o leitor da Veja.
    Além da questão dos cigarros e dos remédios para emagrecer, existe uma outra ameaça de tutela rondando por aí: o voto em lista fechada de partido.

  129. Ao internauta Gesiel: existem muitas controvérsias quanto à afirmação de que o café faça mal ao organismo humano. Eu, por exemplo, já me consultei com diversos médicos que não têm essa mesma opinião. Mas é preciso lembrar que o hábito de tomar café, mesmo em grandes quantidades, ao contrário do de fumar, não causa problemas, se é que causa, a terceiros, somente aos cafezeiros invetarados, como eu por exemplo. Não me consta, salvo engano meu, que os serviços públicos de saúde tenham gastos com os “viciados em café”. Não se trata de proibir o direito de quem quer fumar, muito pelo contrário, eles devem ter esse direito, pelo seu livre arbítrio. Na verdade, o que se quer preservar é o direito daqueles que não gostam ou não querem fumar, nem passivamente. Ou esses últimos não têm esse DIREITO??? É como eu já disse: essa “batata quente é dos fumantes, não dos outros! Bom Dia a Todos.

  130. Não vou me alongar muito para comunicar a infelicidade do seu raciocínio. Basta dizer que esses hábitos que você defende na esfera do livre arbítrio não brota do chão, espontaneamente. Você bem sabe quais são os expedientes de que se valem as agências de publicidade na exloração do dogma das liberdades capitalistas. Espalham um cardápio de vícios sem esclarecer ao consumidor quais consequências isso trará para sua vida. É claro que um cidadão classe média cheio de privilégios que tem alergia a direitos possui um repertório maior de liberdade para consumir qualquer tipo de pílula da morte. Eu até prefisro que assim se passe, pelo menos com quem tem plano de saúde. Mas dentro da paisagem cultural como a nossa, repleta de analfabetos funcionais, com um sistema de saúde em colapso é de uma perversidade grande endossar as opiniões dos veículos de comunicação mais dóceis à sacralidade do mercado. Lamentável sua postura, mas eu não espero coisas muito diferente dessa classe média que aí está: privilégios e liberdades para quem delas puder usufruir, não? Jamais levanta a cabeça para enxergar além do eu, em torno do qual o mundo necessariamente precisa orbitar. Respeito sua trajetória, mas de progressistas assim, basta o Gabeira.

  131. Com certeza estamos nas mãos de “Czares” tupiniquins que são piores do que aqueles da revolução russa há anos e anos atrás. Aqueles atacavam com sabres e outros tipos de armas brancas ou de fôgo. Os daqui atacam com o desemprego/subemprego (SM), fome, miséria,indigência e insolvência. De sobra, inventarão uma nova lei que imitará as leis medievais: retirar as galinhas dos quintais daqueles que as criam para sobreviver, retirar camas,colchões, travesseiros e tudo mais, além de receberem 100 versgatadas com azorragues e depois procurarem o SUS que nãos os atenderá. A ordem será: que se virem, não mandamos terem nascido brasileiros.
    RF

  132. Kotscho, nós temos em comum a idéia da criação de um “índice único de reajuste” para o salário mínimo, salário de todos os políticos no Brasil (eleitos e nomeados) e todos os funcionários públicos concursados.
    Já sugeri que propusesse isso no Congresso, ao Paulinho da Força, ao Paulo Paim, ao Renan Calheiros, à presidenta Dilma, através da internet, em comentários em colunas diversas.
    Você já sugeriu o mesmo em coluna sua.
    A minha sugestão talvez nem tenha sido lida, a sua, tenho certeza, deve ter sido muito lida, graças a Deus!
    Uma outra idéia é de que seja “PROIBIDO” qualquer aumento de imposto além dos já existentes, sem uma consulta ao povo, não através dos nossos “honrados representantes”, mas “diretamente” ao povo, através de “plebiscito”.
    Temos visto “nossos representantes” aprovando muitas coisas desfavoráveis ao povo, sem que este possa se manifestar ou, quando uma parcela do povo se habilita em fazê-lo, comparecendo ao Congresso, é simplesmente ignorada.
    Muitas vezes eles não têm respeitado a vontade do povo e sim os interesses partidários ou pessoais.
    Será que “ABAIXO ASSINADOS” enviados ao Congresso, envolvendo tais questões não pressionariam esses “representantes do povo”? Será que abaixo assinados do povo não mudariam certas leis?
    Eu observo que abaixo assinados de moradores de bairros sempre surtem efeito junto a Prefeituras Municipais, normalmente o prefeito se sensibiliza com eles desde, é claro, que sejam motivos justos.
    Creio que abaixo assinado, a nível nacional, desde que questão desse âmbito, como o são as duas questões em tela, sensibilizaria a maior parte dos deputados, talvez até os mais “insensíveis ou personalistas”, pois cada assinatura representa um voto.
    A presidenta, sabemos, é sensível e demonstra estar querendo governar para o “povo”.
    São duas medidas de interesse do povo, justas, sem precisar enumerar mais motivos.
    Não prejudicariam a ninguém que já está beneficiado dentro de injustiças já vigentes, apenas estagnaria o aumento dessas injustiças que vêm se arrastando por décadas.
    A mídia, hoje, tem o poder de difundir as idéias em curto período, principalmente a internet. Por que não usá-la para algo que seria tão positivo para o povo, além, é importante observar, que ela pode tanto servir a melhorar a vida de todos, como, usada irracionalmente, a aglutinar sentimentos de rancor e insatisfação que acabam levando o povo a tomar atitudes indesejáveis, como o que estamos vendo atualmente acontecer no Egito, Líbia, etc.
    Kotscho, acho que você e outros jornalistas do seu quilate, que já têm prestado tão bons serviços à nossa nação, poderiam prestar mais este, aperfeiçoando e colocando idéias como essas em ação!

  133. Tudo bem se o cidadão pretende continuar fumando ou usando substancias ilícitas, sou favorável a liberdade, mas até que ponto o Estado e seu sistema de saúde o SUS devem atender esse cidadão onerando aqueles que preservam suas vidas com mais vigor?Faltou abordar essa reflexão na matéria.

    1. Meu amigo,

      Tens ideia de quantas toneladas de venenos e poluentes os meios de transportes – carros caminhões e etc. – são colocadas na atmosfera a cada segundo? Você já viu políticos falando ou tentando resoplver esse problema? Voce sabe as diferenças entre os males do cigarro e dos gases da combustão dos vepiculos?. “Não fumar” são quimeras que vem, principalmente das sábias cabeças do “cerra”, político derrotado, e do dr Draúsio, médico garoto propagando do cerra e do alkmin.

  134. Não temos como lidar com a ignorância desses politiqueiros que, para se promover, copiam a ignorância dos politiqueiros americanos, proibindo isso ou aquilo. Os grandes problemas do país e, principalmente os do Estado de São Paulo, são incompreensíveis àqueles que, mafiosamente, dizem nos representar. Ahhhhh, como seria bom se não tivessemos que ter representantes politiqueiros!!!!!!!!!!!!!!

  135. Porque este fulaninho nao leva um projeto a camara anti-roubo? ou um projeto que faça a saude no Brasil melhorar. Humm isso niguem faz. Sabe como eu chamo isso. é falta do que fazer. E sabe porque ele nao leva os projetos decentes… alguem ja recebe pra isso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *