A terceira morte de Vlado Herzog

A terceira morte de Vlado Herzog

Atualizado às 17:58 de 21.2.2011

Transcrevo abaixo mensagem que acabo de receber do chefe de gabinete do Ministério da Justiça, Flávio Crocce Caetano:

“Prezado Ricardo Kotscho

O resgate da história recente do País por meio da documentação disponível no Arquivo Nacional é de fundamental importância para a cidadania brasileira. O ministério da Justiça está empenhado não só em assegurar o acesso às informações como em incentivar a pesquisa.

Por se tratar ainda do início de uma nova gestão, há uma grande demanda ao gabinete do Ministro e, por vezes, dificuldades reais no fluxo de informações. Isso pode gerar mal-entendidos _ como o do caso em questão, envolvendo o Sr. Audálio Dantas e já esclarecido a ele _ mas jamais ensejar qualquer ilação de desmerecimento ao tema do Direito à Verdade.

Assim, reafirmamos o compromisso do Ministério da Justiça em buscar aprimorar o acesso à informação em consonância com os relevantes serviços prestados pelo Arquivo Nacional.

Flávio Crocce Caetano
Chefe de Gabinete do Ministério do Estado da Justiça

***
Atualizado às 15:49 de 21.2.2011

Aos leitores,
só agora, no meio da tarde desta segunda-feira, recebi comunicação oficial do Arquivo Nacional, orgão subordinado ao Ministério da Justiça, sobre o post “A terceira morte de Vlado Herzog”, que trata das dificuldades encontradas pelo jornalista Audálio Dantas na pesquisa sobre o Caso Herzog, tema do livro que está escrevendo.

No domingo, recebi um telefonema do chefe de gabinete, Flávio Caetano; hoje de manhã, do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Ambos pediram desculpas pelo ocorrido e prometeram tomar providências para solucionar o problema de acesso a documentos do Arquivo Nacional.

Para conhecimento de todos, transcrevo a seguir a mensagem enviada pela assessoria de imprensa do Arquivo Nacional com a nota explicativa do diretor-geral, Jaime Antunes da Silva.

“Prezado jornalista Ricardo Kotscho,

Envio nota, esclarecendo a posição do Arquivo Nacional, sobre a matéria publicada sábado pelo blog Balaio do Kotscho, hospedado no Portal IG , sob o título A terceira Morte de Vlado Herzog.

Agradeço a possibilidade do esclarecimento, já que se trata de matéria relevante sobre os procedimentos adotados pelo Arquivo Nacional.

Cordialmente,

Gilda Boruchovitch

Assessoria de Comunicação
Arquivo Nacional
Pç da República, 173 – Centro – RJ
Cep: 20.211-350
Tel.: 2179-1350
www.arquivonacional.gov.br

Consulta sobre o caso Vladimir Herzog

O acesso à informação produzida pelo Poder Público no Brasil, ostensiva ou sigilosa, obedece à legislação. É objetivo do Arquivo Nacional viabilizar a consulta e a pesquisa ao público para que se exerça o Direito à Memória e à Verdade. A Constituição Federal consagra o direito do cidadão de “receber dos órgãos públicos informações de seu interesse particular, ou de interesse coletivo ou geral […]” (Art. 5º, inciso XXXIII). Este princípio, contudo, deve ser harmonizado com o que preconiza o inciso X do mesmo artigo: “são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito à indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação”.

O Arquivo Nacional vem buscando atuar de forma a promover o direito à verdade sem infringir o disposto na legislação vigente, para que seja possível o acesso, por terceiros, a documentos que contenham dados pessoais. Atualmente, observa o disposto no § 3º do art. 37 do Decreto 4.553/2002, que determina: “Serão liberados à consulta pública os documentos que contenham informações pessoais, desde que previamente autorizada pelo titular ou por seus herdeiros”.

Cabe ressaltar que, desde o início deste ano, o Ministério da Justiça, por solicitação do Arquivo Nacional, está estudando a implantação de uma nova política de acesso que deverá resultar na revisão do Decreto mencionado.

Arquivo Nacional, 21 de fevereiro de 2011

Jaime Antunes da Silva

Diretor-Geral”

***

Pense num absurdo, em algo totalmente inverossímel, num completo desrespeito aos que querem contar a nossa história e à memória de quem tombou na luta pela redemocratização do país.

Pois foi isso que sentiu na pele esta semana o jornalista Audálio Dantas ao procurar o Arquivo Nacional, em Brasília, para poder finalizar o livro que está escrevendo sobre o seu colega Vladimir Herzog, o Vlado, torturado e morto nos porões do DOI-CODI durante a ditadura militar (1964-1985).

Vlado já tinha sofrido duas mortes anteriores: o assassinato propriamente dito por agentes do Estado quando estava preso e o IPM (Inquérito Policial Militar) que responsabilizou Vlado pela sua própria morte, concluindo pelo suicídio.

Esta semana, pode-se dizer que, por sua omissão, o Ministério da Justiça, agora responsável pelo Arquivo Nacional, matou Vladimir Herzog pela terceira vez, impedindo o acesso à sua história.

Muitos dos que foram perseguidos naquela época, presos e torturados, estão hoje no governo central, mas nem todos que chegaram ao poder têm consciência e sensibilidade para exercer o papel que lhes coube pelo destino.

É este, com certeza, o caso de Flávio Caetano, um sujeito que não conheço, chefe de gabinete do ministro da Justiça, meu velho ex-amigo José Eduardo Cardozo, por quem eu tinha muito respeito.

Digo ex-amigo pelos fatos acontecidos ao longo da última semana, que relatarei a seguir.

Na segunda-feira, Audalio Dantas me contou as dificuldades que estava encontrando para pesquisar documentos sobre o antigo Serviço Nacional de Informações (o famigerado SNI) no Arquivo Nacional, e pediu ajuda para falar com alguém no Ministério da Justiça.

Explique-se: um dos primeiros decretos baixados pela presidente Dilma Rousseff, o de nº 7430, de 17 de janeiro de 2011, determina a transferência do Arquivo Nacional e do Conselho Nacional de Arquivos da Casa Civil da Presidência da República para o Ministério da Justiça.

Por se tratar de quem se trata, presidente do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo na época do crime praticado contra Vlado, o primeiro a denunciar o assassinato, profissional dos mais premiados e respeitados do país, com 57 anos de carreira _ provavelmente mais do que os nobres Cardozo e Caetano têm de idade _, encaminhei a Audálio o telefone do gabinete do ministro da Justiça.

E lhe recomendei que falasse diretamente com José Eduardo Cardozo, explicando a ele as absurdas dificuldades que estava encontrando no Arquivo Nacional para fazer o seu trabalho.

Foi muita ingenuidade minha, claro. A secretária de nome Rose, certamente sem ter a menor idéia de quem é Audálio Dantas e de quem foi Vladimir Herzog, informou que o chefe de gabinete, Flávio Caetano, estava “em reunião com o ministro”, garantindo que entraria em contato mais tarde.

Até aí, faz parte do jogo. Chefe de gabinete é para isso mesmo. Serve para fazer a triagem das demandas que chegam ao ministro, e não devem ser poucas.

“Deixar sem resposta mais de dez telefonemas, no caso de qualquer cidadão, não caracteriza apenas desleixo ou arrogância, mas falta de educação”, desabafa Audálio, com toda razão.

Pelo jeito, Flávio Caetano anda muito ocupado ou também nunca ouviu falar de Audálio e Herzog. Sem conseguir ser atendido por telefone pela excelência maior nem pelo seu chefe de gabinete, o jornalista-escritor resolveu encaminhar este e-mail ao Ministério da Justiça:

“Prezado Senhor Flávio Caetano

Provavelmente o senhor não me conhece, por isso apresento-me: sou Audálio Dantas, jornalista, ex-presidente do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo e da Federação Nacional dos Jornalistas, ex-deputado federal. Tentei vários contatos telefônicos com o senhor, sem resultado. Por isso envio-lhe esta mensagem.

Estou concluindo (com prazo para entregar à Editora Record) livro sobre o Caso Herzog, do qual fui parte. Necessitando de informações sobre o assunto, procurei, no último dia 10, o Arquivo Nacional _ Coordenação Regional de Brasília, que mantém a guarda dos papéis do Serviço Nacional de Informações. Depois de me identificar, preenchi fichas de solicitação, tomando o cuidado de acrescentar informações adicionais sobre o caso, hoje referência histórica.

Como dispunha apenas de uma cópia de procuração que foi dada pela viúva de Herzog, Clarice, datada de agosto de 2010, disseram-me que era necessário documento original, com data mais recente. Já estava para buscar outra procuração quando recebi (dia 14/02) ofício em que se exige, além da procuração:

– Certidão de óbito de Vladimir Herzog
-Certidão de casamento

Considero que, em se tratando de caso histórico, de amplo conhecimento, e quando se sabe que a União foi responsabilizada na Justiça pelo assassinato de Herzog, tais exigências são absurdas e até desrespeitosas. Que atestado de óbito terá a viúva para mostrar? O que foi lavrado com base no laudo do médico Harry Shibata, que servia ao DOI-CODI e confessou tê-lo assinado sem ver o corpo? E que certidão de casamento terá Clarice Herzog juntado à ação que impetrou contra a União pela morte do marido?

E se a pesquisa fosse sobre o ex-deputado Rubens Paiva, quem forneceria o atestado de óbito? Desse jeito, ninguém conseguirá saber sobre ele no Arquivo Nacional.

Gostaria de discutir mais a questão que envolve, parece, deliberada dificultação de pesquisa. Ou, no mínimo, desconhecimento histórico por parte desse órgão público.

Faço questão que essas informações cheguem ao conhecimento do ministro José Eduardo Cardozo, que deve conhecer minha história.

No aguardo de uma resposta,
Atenciosamente,

Audálio Dantas”.

No momento em que escrevo este texto, no final da tarde de sábado, dia 19/02, Audálio continua esperando uma resposta. Na melhor das hipóteses, suas informações não chegaram às mãos do ministro José Eduardo Cardozo. Não tenho como saber porque também não consegui falar com o ministro.

Na sexta-feira à tarde, depois de ler o e-mail acima que Audálio enviou ao chefe de gabinete, sem receber retorno, liguei para o gabinete do ministro. A secretária que atendeu já ia me despachando direto para a assessoria de imprensa do ministério. Fui bem educado ao lhe explicar:

“Minha senhora, eu não quero entrevistar o ministro. Eu preciso falar com ele pessoalmente sobre um caso grave e urgente do qual ele deve tomar conhecimento”.

Só aí ela permitiu que eu soletrasse meu sobrenome, respondeu-me que sabia quem eu era, pediu os números dos meus telefones e, imaginei, cuidou de passar a ligação para o ministro. Minutos de silêncio depois, a secretária voltou para me dizer, sem muita convicção, que o ministro estava ocupado e me ligaria em seguida. Também estou esperando até agora.

Na hierarquia da falta de respeito pela própria função que exerce, o menos responsável nesta história é o funcionário de nome Raines, que se apresentou como historiador ao atender (ou melhor, deixou de atender) Audálio Dantas.

A sua superiora, Maria Esperança de Resende, coordenadora-geral da Coordenação Regional do Arquivo Nacional no Distrito Federal, é quem assina o absurdo pedido de documentos. Alguém superior a ela a colocou lá sem perguntar se as suas qualificações eram adequadas ao seu pomposo cargo no comando do Arquivo Nacional.

Talvez o jeito mais simples e barato de resolver este problema seja baixar outro decreto presidencial e devolver o Arquivo Nacional à Casa Civil da Presidência da República, como era antes, já que o Ministério da Justiça não parece muito interessado no assunto nem preocupado com o seu funcionamento.

Das duas uma: ou Cardoso está muito mal assessorado ou não entendeu ainda quais são os seus compromissos e responsabilidades no Ministério da Justiça do governo de Dilma Rousseff, a presidente da República que, ao contrário de Vladimir Herzog, conseguiu sobreviver às torturas na ditadura militar.

169 thoughts on “A terceira morte de Vlado Herzog

  1. Ricardo,

    Determinadas coisas do governo Ptista, infelizmente se esbarra com conceitos enraizados em uma poça de lama que, para agradar grupos minoritários quer possui algum poder ou é ameaçador por possuir uma força.
    Não é a primeira vez quer isso acontece. Os maiores segredos continuam arquivados nos porões da ditadura que ainda funcionam para determinados casos principalmente os mais pesados como o assassinato do Vlad em 1975.
    São pantomimas que o governo Ptista fez para não quebrar a imagem factoide de um partido que se diz sempre de esquerda, apesar estar na situação, Existem determinados posicionamentos que é policamente correto com relação a estre pequeno grupo, mas que se dane ser politicamente incorreto para a população.
    Não cantam e decantam que é transparencia, que todos os brasileiros tem o acesso aos arquivos da ditadura?
    Esta aí a prova de que não passa de uma estórinha. Dilma demonstra que quer isso, pois foi vítima mas, seu caso é água com açucar em relação ao Vlad.
    Por outro lado, estas posturas de “BIG BOSS” que o ministro demonstra ter não é pontual, é uma coisa perene seja em que posição de foverno esteja. ÈW o famoso sai de banda, “diz que fui tomar um café”, em fim, o mais comum e absurdo é dizer que fulano estyá em reunião.
    Isso se chama “CAGAÇO” deste ministro, de seu assessor em futucar a titica embalssamada pois pode despertar a maldição da mumia. Só que hoje, a múmia está sentada na cadeira de ministreo da justiça dando um péssimo exemplo, dando um péssimo sinal de que realmente sua indicação foi politica.
    Absurdo a realidade conclusiva do que se fala e do como se age.
    Este ponto ditadura, DOI CODI e outros aparelhos de tortura ainda é um TABU que o governo carrega. E olha que tem torturado militandfo no governo. Mas quem tem #%$@ tem medo!!!

  2. Kotscho, o PHA tem sérias preocupaçõe em relação ao ministro da justiça (diz ser indicação de DDantas). depois do seu relato acima, passaremos a observa-lo. vamos ver para que lado o ilustre ministro vai tender.
    pode ser até uma falha na comunicação com os seus subordinados. estamos de plantão.

  3. Vivemos em um periodo de muitas contradições onde o que está na moda parece ser o bom. E como assuntos como este que não parecem ser assim para a grande maioria, de importancia relevante, onde muitos preferem as noticias de momento dessas que mostram a melhor roupa que fulano ou ciclano utilizou em festas, as melhores noites, os melhores lugares onde se pode através da alegria esfuziante se libertar e se livrar de estresses cotidianos, deixam de lado coisas que são parte da história de um país, coisas que estão diretamente ligadas a nossa liberdade de expressão e de se conhecer os reais fatos que levaram esse ou aquele a perderem inclusive sua vida a beneficio de muitos. Não é de se espantar que nesse periodo de transformações profundas que estamos inseridos fatos como este aconteçam. O lixo só pode se interessar pelo lixo, imaginar que o lixo vai promover o crescimento do ser humano através da boa informação é tratar as coisas ainda como crianças que não sabem o que fazer diante daquilo que o adulto já é capaz de compreender.

  4. Caro Kotscho

    É bom lembrar a esses burocratas de platão da canção do João Bosco e Aldir Blanc – O Bêbado e a Equilibrista – que foi o hino da campanha pela Anistia, do porque AINDA
    “…choram Marias e Clarices no solo do Brasil…”

    A “equilibrista” dessa história me parece ser a secretária, quanto ao “bêbado” não tenho dúvidas que se trata do “chefete da p.rra do gabinete” !!! É O PORRE DO PODER !!!
    Quando eu digo que tem que acabar com certos tipos de “assessores” tenho ou não tenho razão ? Não sabem nada das razões pelas quais HOJE somos governo !!! Não conhecem nada da nossa história !!! MAS SEMPRE CONHECEM ALGUÉM QUE CONHECE UM POUCO !!!
    Com um “currículumzinho” arranjado ( ou suspeito ) e uma “puxaçãozinha do saco certo” viram até “chefes de gabinete” !!! Eu conheço vários assim !!! Nuca ouvi falar desse Flávio Caetano !!! No PT pelo menos nunca soube de sua existência e olhe que eu conheço todos…ou quase todos !!!

    Diferente do Zé Eduardo Cardozo, meu amigo e companheiro. Não quero crer que partiu dele essa lambança. Sei que é dos melhores quadros do PT. Eu o conheci quando ele era ainda assessor do Pedro Dalari quando Secretário de Governo da Luíza Erundina na Prefeitura de São PAulo. Depois assumiu a Secretaria. É competente e é do bem !!!

    Porém eu prefiro me juntar a voce Ricardo Kotscho e ao grande e querido amigo ( que nunca foi do PT !!! ) Audálio Dantas E DECLARAR SUSPENSA A MINHA AMIZADE AO ENTÃO MINISTRO DA JUSTIÇA até que os documentos necessários para o livro histórico do Audálio, que como voce bem disse “é parte daquela e de toda a nossa história” sejam a ele encaminhados !!!
    E COM UM PÚBLICO E SONORO PEDIDO DE DESCULPAS !!!
    Em nome do “Vlado” !!!
    Em nome da Clarice Herzog !!!
    Em nome do Audálio !!!
    Em nome do Kotscho !!!
    Em nome de mim que estou no PT antes da chegada do hoje Ministro !!!
    E em nome de todo o Brasil que sofreu as dores da ditadura militar e assassina com suas “nuvens lá do mata-borrão do céu chupando manchas torturadas ” !!!

    Caso contrário o Ministro Zé Eduardo Cardozo vai arrumar um “rabo de foguete” comigo e com quem mais eu conheço dentro do PT !!!

    “…Mas sei, que uma dor
    Assim pungente
    Não há de ser inutilmente
    A esperança…
    Dança na corda bamba
    De sombrinha
    E em cada passo
    Dessa linha
    Pode se machucar…
    Azar!
    A esperança equilibrista
    Sabe que o show
    De todo artista
    Tem que continuar…”

    FIQUEM ESPERTOS !!!

  5. Companheiro Rricardo, quando aparecer um candidato, mesmo que a vereador se comprometendo a acabar pelo menos a uns oitenta por cento da burocracia que existe em nosso país,nos orgãos públicos, tenha certeza que este será um otimo candidato a presidente do nosso querido país, pois nesse mundo globalizado não haverá espaço no futuro para profissionais incopetentes mesmo em países de comunistas fechados, um dia a net chegará lá e a incopetencia denunciará a razão, ai a ignorancia dará lugar a competencia, e aonde houver incopetencia o competente reinará.

  6. Ricardo, se você, que tem as credenciais, os prêmios,
    a capacidade e a honestidade que tem, não consegue nem
    falar com as pessoas que poderiam dar uma solução ao caso, imagine nós, os pobres mortais, se precisarmos contar com qualquer coisa que venha dessa corja que está no poder, cuja única coisa que quer, é conseguir um cargo e dar uma banana a sua própria estória e ao país.
    Mas, não desista não, pois precisamos de pessoas com
    seu caráter e integridade.

    1. Ubiratan

      É nome de indío né não ? Mas a “indiofonia” derivada do teu nome me faz lembrar da “francofonia” do DIRRAN !!!

      Vou contar:

      DIRRAN (com “biquinho” para pronunciar num francês correto) – Jogador do Rio Grande do Norte meio agalegado/sarará. Era entroncadinho, atarracado e tinha as pernas curtas.
      Há alguns anos, quando o Clube Atlético Potengi ainda jogava no Machadão contra o Potyguar de Currais Novos,na 2ª divisão do Campeonato do Rio Grande do Norte, um jogador atleticano se destacava fazendo dribles desconcertantes,lançamentos perfeitos e fazendo ATÉ gol.
      O narrador da Rádio Poti não cansava de gritar:

      “- Dirran é um craque”, “Dirran é uma revelação do futebol norte-riograndense”. E era Dirran prá cá, Dirran pra lá …

      No final do jogo, o Clube Atlético Potengi perdeu por 3 x 1, mas o destaque daquele jogo foi o jogador Dirran.
      Vendo aquele sucesso todo do jogador atleticano, um jovem repórter da Rádio Poti foi fazer uma entrevista com o craque na beira do gramado e foi logo perguntando:
      “- Você tem parentes na França? Esse seu nome é de descendência francesa?”.

      O jogador, olhando espantado para o repórter, respondeu:
      “ – Não sinhô, meu apelido é “Cú de Rã” por teter perna curta e atarracado, mas como num pode falar na rádio… então, eles abreveia !!! ”

      Pois então Ubiratan…
      Se tu pode misturar tudo e aproveitar pra lascar tua “borracha” em TODO o governo do PT só por causa de UM causo…Eu também posso !!!

      Ubiratan em tupi quer dizer : Tacape forte…madeira dura…BRONCO !!!.Mas nada que o fogo vermelho não possa queimar !!!

  7. Deve haver algum mal entendido. Nao acredito que o ministro dessa maneira. De qualquer forma esta devendo uma explicacao, nao apenas ao Kotscho e ao Audalio Dantas, mas a todos os que conhecen a historia de vladimir Herzog. Aguardemos, pois. O fato tambem e que em Brasilia ta cheio de deslumbrados que se acham os tais por estarem no governo, esquecendo que o governo do PT tem que ser diferente. Cabe aos titulares dos ministerisos enquadrarem essas figuras. E corrente em Brasilia que o tratamento dado aos servidores federais pelas novas chefias, desde a posse de Lula, e caractereizado, muitas vezes, pela arrogancia e o autoritarismo, e que isso inclusive teria influenciado nos resultados eleitorais de 2010, em que Dilma ganhou por pouco do candidato da direto no Distrito Federal. Ta na hora de acabar com isso. Sou petista ha 31 anos e nao aceito esse tipo de conduta.

  8. Um telefonema do Daniel Valente Dantas para o senhor José Eduardo Cardoso seria LINHA DIRETA. Uma pena que tenhamos um ministro da jUStiça comprometido, não com a justiça, perdido e desinformado, mas aqui diz tudo: ” a presidente da República que, ao contrário de Vladimir Herzog, conseguiu sobreviver às torturas na ditadura militar”.

  9. Algumas pessoas não podem ter dinheiro e poder.
    As fracas de caráter é claro. Por que algumas fazem tanta questão de “trabalhar” para o governo? Se fossem tão qualificadas talvez ganhassem mais trabalhando numa instituição privada. É certo que não apareceriam na mídia tantas vezes. Mas e o “EGO” e o “STATUS” e os bons “RELACIONAMENTOS”? Com raras excessões esses são os seres que habitam a esplanada dos ministérios (com minúsculas mesmo). É exercendo esses cargos que dão poder que eles se sentem bem. São uns inseguros que precisam da proximidade do poder para se sentir gente.
    Eles precisam urgente de terapia, mas com psiquiatra porque o caso é grave.

  10. Ai ai ai… Tá me parecendo, torço para estar errado, que Kotscho quer voltar para a Folha… É dia sim, outro também, de críticas para um governo que apenas começa. O Balaio começa a cheirar mal…

  11. O governo Dilma está apenas começando. Nem completou 60 dias. Esse pessoal todo, gente nova, inclusive o ministro, deve estar se “aclimatando”, “tomando pé” da situação… Dê a eles o benefício da dúvida. Por alguns dias. Nada acontecendo, sugiro que o Audálio escreva diretamente para a presidenta. No site da Presidência há um formulário para isso. Eu já o estreei. A resposta veio em dois ou três dias…

  12. Outro erro é achar que precisa ser alguém ou conhecer alguém para ter direito à cidadania, que inclui saber do passado. Se for um mero estudante curioso, tem o mesmo direito. Uma coisa que ficou clara, apesar da redemocratização, é que as chaves do arquivo ainda estão presas nas regras daqueles que passaram 20 anos cometendo crimes contra a humanidade e abusando do controle do estado.

  13. Ricardo, é por isso que retiraram o Prof Jaime Antunes da direção do Arquivo Nacional aqui no Rio. Ele é muito competente. Até demais para o Partido Petista.

  14. Ricardo: esta história não lhe lembra a do Chael Charles Schreier? Por indicação sua, enviei mensagem ao então ministro Paulo Vanucchi, e ele simplesmente não respondeu. É o mesmo caso do tal Caetano, do tal Cardozo: é melhor fingir que não é com eles, que assim não dá trabalho. Solidariedade total ao Audálio, solidariedade total a você. E, quanto ao boquinheiro que acha que você quer voltar para a Folha, só uma informação: se quisesse, voltaria no mesmo dia a qualquer redação em que já trabalhou.

    1. Assim como o caso Wladimir Hrzog carece de maiores esclarecimentos,caso haja interesse,posso ajudar o jornalista Audálio Dantas ou outro interesado no esclarecimento das morte de Márcio Leite Toledo ,de Geraldo Ferreira Damasceno, de Ari Rocha Miranda, de Antonio Lourenço,de Amaro Luiz de Carvalho,de Carlos Alberto Maciel Cardoso e de Salatiel Teixeira Rolins,todos mortos durante a ditadura

  15. Milhares de pessoas neste país sabem quem são Kostcho e Audálio Dantas, o que pensam o que escreveram, onde trabalharam e o que fizeram. Agora sem querer ofender quantos milhares de pessoas sabem o pensa, o que fez, e quem é o ministro da justiça, José Eduardo Cardoso. Um ministro da justiça deveria ser um jurista renomado de notável saber jurídico, nunca um político.

  16. Sou Ptista mas me arrepio só de pensar em alguns “companheiros”, verdadeiros canalhas que são capazes de tudo para se manter no poder e esse ministro é um deles, perguntem para o PHA quem é esse cara, verdadeiro canalha… ministro indicado pelo DD.

  17. Até informações ditas de segunda importancia nos anais dos assuntos sigilosos como por exemplo; arquivos sobre a presença de discos voadores sobre os céus do Brasil estão guardados a sete chaves quanto mais os casos relacionados ao tempo da ditadura militar.
    Importante que se diga é que só em doses homeopáticas é que vão abrindo ao conhecimento público e em função do tempo.
    No caso acredito que há problema de cominicação dos acessores e o ministro pois a imagem que o atual ministro me passa, é de ser uma pessoa sempre solícita e atenciosa. Acho que à medida em que ele vai se habituando à praxe da função, ele vai se soltando e tendo mais confiança e mais jogo de cintura. O negócio, como dizem é aguardar.

  18. Caro Kotscho,
    O número de manfestações sobre o seu comentário demonstra a importância da questão que você tão bem aborda. Agradeço a todos pelas referências à minha pessoa e pelas opiniões manifestadas a respeito da absurda exigência de uma certidão de óbito de Vladimir Herzog para que se possa ter acesso a documentos que certamente o Arquivo Nacional mantém sob sua guarda.
    Para mim, não ser atendido por este ou qualquer outro ministro nada significa. Importante é que, como cidadão, quero ter o direito de acesso a documentos históricos sem necessidade de exibir certidões de óbito, especialmente de quem, como Horzog, morreu nas mãos de torturadores que forjaram um suicídio sem prova.E, com seu sacrifício, marcou o começo do fim da ditadura militar.
    Orgulho-me de, como deputado federal, em luta permanente contra a ditadura, nunca ter batido às portas dos ministérios. No caso do Ministério da Justiça, só uma vez estive lá (o titular era o Petrônio Portella, que me recebeu cheio de rapapés), mas para protestar contra a censura, apreensão de jornais e outras violências da ditadura.
    É estranho, portanto, que num governo democrático um assessorzinho qualquer se julgue no direito de ignorar solicitações como as que eu pretendia encaminhar ao ministro da Justiça. Quero parabenizar o Ênio Barroso Filho pelas opiniões precisas sobre esse caso lamentável e, principalmente, pela certeira citação de “O bêbado e o equilibrista”. Finalmente, um lembrete: apesar de absurda, a exigência da certidão de óbito do Vlado pode estar enifiada num parágrafo qualquer de lei, decreto ou portaria. Mas nem tudo que é legal é moral. revoguem-se, portanto, todos os entulhos herdados do autoritarismo.

    1. Pôxa Audálio…Muito Obrigado !!! Quanta honra !!!

      Sei que essa “pendenga burocrática” vai se resolver com certeza já que innguém melhor do que tu está AUTORIZADO pelo povo brasileiro a escrever sobre Vladimir Herzog.

      Tu era amigo dele e foi o Presidente do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo na ocasião do seu assassinato !!!

      Quanto a mim, não vejo a hora de poder ler o livro !!!
      Como li o teu “Menino Lula” sobre a infância do nosso eterno Presidente do Povo Luis Inácio Lula da Silva !!!
      É de tirar o fôlego…chorei muito quando li !!!
      OBRIGADO por isso também !!!

    2. É verdade, Sr. Audálio!
      Também fiquei muito surpreso e decepcionado quando o stm negou acesso aos documentos relacionados à dilma roussef, da mesma forma que fiquei agora no caso do Herzog. O Dossiê foi um dos primeiros livros da história contada pela esquerda que li.
      Força. Vá em frente. Que a transparência abranja os dois lados da questão.

  19. Os documentos solicitados pelo MJ devem, por força de lei, ter sido apresentados pela viúva ao cartório de registros civis onde ela foi registrada ao nascer. Toda vez que há uma alteração no estado civil (casada e viúva) uma cópia autêntica de cada documento (certidão de casamento e de óbito do marido) deve ficar arquivada no cartório de registros civis. Qualquer cidadão pode requerer uma certidão do cartório de regsitros civis que os arquivou na qual declare que ambos eram casados e que o Vlado faleceu, sem necessidade de expor os motivos da morte.
    O cartório que registrou a naturalização brasileira do Vlado deve ter os mesmos documentos arquivados e também pode fornecer certidão declarando o casamento e o falecimento. Com a certidão do cartório a burocracia do MJ estará aparentemente soluciondada.

  20. TANTA COISA PRA SE PREOCUPAR …. ESSE PESSOAL QUER POR QUER ACHAR QUE TODOS QUE FORAM DE ESQUERDA, NA DITADURA, SÃO COMO MOCINHOS. NINGUÉM FALA QUE CUBA JÁ MATOU MAIS DE 100MIL POR SE OPOREM AO REGIME. HÁ TANTO ASSUNTO A SER EXPLORADO, COMO O COMBATE A CORRUPÇÃO E NINGUÉM DÁ TANTA IMPORTÂNCIA A ISSO.

    1. amigo,acho que vc deveria se informar melhor e conhecer um pouco mais o passado,pois através de le ,procuramos cortar e evitar erros presentes. agradecemos sua colaboraçao. espero q vc venha a ser agraciado com algum cargo no pt.

  21. O Zezinho está todo borrado, trancado em seu gabinete. Quando se fala em Vlado, a sua alma causa arrepio em quem está no poder. É hora de dar um basta a essa imoralidade que se chama burocracia governamental. Chega! O Brasil precisa contar sua história. O que o ministro Zezinho Edu está temendo!? Abre logo a porra desses arquivos e o pau que se quebre nas costas de quem tem contas a ajustar com a socieade brasileira. Fui!!!

  22. Ricardo,

    Se eles estão fazendo isto com vocês jornalistas, que transita(vam) com certa facilidade pelos corredores do planalto, imagine o que devem fazer com os outros..

    Se continuarem com esta arrogancia.. a resposta vira a altura porque assim não dá para ser feliz… quem avisa amigo é!!!!

    Embora não me surpreenda vindo esta atitude do eduardo cardoso..e sua turma …. quer conhecer de verdade um homem? de-lhe poder.. e a máscara cairá!!

  23. Não entendi o revolta do sr. Kotscho. Ele apenas está sentindo na própria carne a máquina que ele ajudou a construir inspirada na ideologia de esquerda. Me parece que o ministro da justiça e os outros funcionários estão seguindo à risca o modo de administrar a coisa pública que foi criado na ex-URSS. Que estes nobres servidores públicos continuem assim, aplicados no desenvolvimento de uma burocracia infernal que só tem um objetivo: se manter no poder.

    O sr. Kotscho deveria estar orgulhoso de ter ajudado a criar um estado tão ineficiente.

    Que vergonha, sr Kotscho, tentando burlar as regras do ministério da justiça.

    Por que será que os baluartes da esquerda não gostam de seguir as regras que eles mesmos defendem? Estas regras só valem para o populacho?

  24. Lá vamos nós de novo, ditadura, repressão, militarismo, tortura, guerrilha do Araguaia, perseguidos políticos blá blá blá etc.
    Quando será que nós vamos parar de olhar no retrovisor e prestar atenção na longa estrada à nossa frente. Hoje temos tortura, perseguição,guerrilha mantidas pelos carteis da droga, PCC, CV , milicias etc ocorrendo no nosso país e ninguém tem aquilo roxo para criticar e cobrar das autoridades. Se desenterrar os mortos resolvessem os problemas do país não precisaríamos de políticos e sim de coveiros.

  25. Não dar para o ex-presidente ajudar?

    Vc um jornalista honesto e bom caráter descobre agora que o governo é o mesmo que vc serviu?

    Não passou do tempo se tomar pela ingenuidade com tanta coisa que vc mesmo viu quando estava no poder?

    Lamento, Kotscho.

  26. Certamente,trata-se de um caso de ignorância imperdoável. É um absurdo o que vemos nesses gabinetes, onde secretários e assessores se sentem poderosos para decidir quem deve ser atendido. Alguém lhes dá esse poder, ou então não os fiscaliza. O caso tornado público pelo Kotscho é vergonhoso, e não quero ver aí culto à personalidade. Audálio Dantas é um jornalista respeitado e valorizado no meio, e está registrando a história de outro jornalista que sucumbiu nos porões da ditadura. Depois dessa denúncia, até a presidente Dilma vai entrar no processo.Mas, e se fosse um cidadão dito comum que desejasse pesquisar sobre um ente seu desaparecido, será que teria essa cobertura? Onde está a transparência? E olhe que é um arquivo público, onde há regras. Mas estas não podem sobrepor-se ao direito do cidadão de conhecer fatos que marcaram a história recente do seu país. E Herzog participou dessa história. Afinal, não abriram oficialmente esses tais porões? Sugiro aos assessores e outros serviçais de gabinetes que procurem ler. Usem os computadores que estão à sua disposição para pesquisar os valiosos trabalhos científicos em todas as áreas do conhecimento e procurem melhorar-se. Leiam, informem-se. O poder passa. Deixem prá jogar “paciência” em casa.

  27. Ricardo, o nome do ministro é Cardozo com “z” e ele faz questão disso, eu sei porque ele estudou na PUC junto com minha sobrinha. Considero válida a pesquisa do jornalista Audálio, apenas como obra literária que ele está elaborando, porque como assunto para mobilização a ditadura “já era”. E nem foi um regime de tanta tortura assim, tanto eu como você sabemos disso. Quem dera que esse programa habitacional da Dilma “Minha Casa, Minha Vida”, fosse tão abrangente como o oferecido pelo BNH na época da ditadura. Esse Minha Casa está mais para Projeto Cingapura do ex-prefeito Paulo Maluf.

  28. Não sou PT ista e já votei no SR. ministro, a realidade e que o governo não é do PT e as pessoas do partido que estão no governo só querem o poder.

    “Caiam na real”

  29. Ricardo,
    Parabéns pelo artigo. Sem memória nao chegaremos a lugar algum. Sua fidelidade `a profissao foi (é) maior que a fidelidade partidária. Hoje em dia tal qualidade deve ser evidenciada. Obrigado!

  30. Até tu Kotscho?!!! tens andado muito estranho ultimamente, sendo uma das poucas resistências dos setores da imprensa tendênciosa, me causa estranheza provocar cizânia e especulação que dará margem para exploração de oportunistas, temos que nos resguardar pois o tucanato está se divertindo com estes vacílos não podemos nunca amarelar. Os dissidentes transformaram-se em nuvens e ou paisagens. Você fez parte da construção então é prudente ir devagar com o andor, pois só a história julgará os oportunistas.

  31. “Baixar outro decreto presidencial e devolver o Arquivo Nacional á Casa Civil” é fácil. Difícil mesmo é para a família deste ‘mártir da democracia’ se safar da certeira represália desses militares-opressores muitos dos quais ainda hoje estão vivo, muito vivos, soltos e livres.

    Pro outro lado, em síntese, os maiores desafios do governo Dilma, pela ordem, abaixo, são bem mais essenciais do que esse sacolejo:

    1 – a começar da extinção da desigualdade abjeta que desumaniza grande parte da população.

    2 – Enfrentar o crime organizado e seu braço mais deletérico, o narcotráfico.

    3 – Recuperar a infra-estrutura do país, sobretudo estradas e portos e a geração de energia.

    4 – Melhorar os serviços de saúde e educação e cultura.

    5 – Deslindar o problema da terra.

    6 – Temos de acelerar nossa capacitação tecnológica para concorrer num mundo em que o conhecimento avança e se reproduz imediatamente em benefício de quem o detém.

    7 – Em conjunto, podemos formular uma política econômica que sirva aos interesses nacionais, gerando desenvolvimento, emprego e renda, com resultados positivos para a população, que fortaleça a economia local na sua interdependência com o mundo, e consolide a soberania da Nação em todos os campos.

    8 – Essas são as etapas históricas e urgentes com vistas ao objetivo comum de conduzir o Brasil á solução efetiva dos graves problemas que afetam nosso povo.

    1. Parabéns, Anísio, voto em você para presidente em 2014.
      Segue algumas singelas sugestões:
      1 – Para começar a extinguir, divida seu salário com os moradores de rua da sua rua;
      2 – Para acabar com o braço “deletérico”, acabar com o teleférico que vem das terras do companheiro Evo para o Brasil;
      3 – Para recuperar a infra, vamos importar tecnologia do Brasil Maravilha do Cartório, esse país de primeiro mundo que beira a perfeição.
      4 – Saúde, educação (vide enem) e cultura não precisa fazer nada. Os 8 anos do governo de herr lula acabaram com todos os seus problemas;
      5 – Terra: acabar com esse negócio capitalista de agronegócio – isso só serve para garantir o mínimo de equilíbrio financeiro deste país. Viva o mst e a cultura de subsistência!
      6- Lula cuidou disso ao aparelhar os centros de excelência em pesquisa.
      7 – Você quer uma política econômica diferente da que o fhc implantou nesse país? Nem o lula, que quando era oposição foi contra todas as medidas que estabilizaram esse país fez isso: jogou fora a cartilha ideológica para enganar inocentes e governou com o programa do maldito antecessor. Pense bem!

    1. Ei, Volney, tudo bem? Lógico que eu não concordo com o que aconteceu, mas você tem conhecimento de algum outro governo não-petista que tenha agido de forma diferente nestes caso (só para lembrar, os anteriores, após a ditadura foram Sarney, Collor, Itamar e FHC, vulgo boca de sovaco)? Se souber, conta para nós.
      Sds,

  32. Que privilégio é esse de exigir falar com o ministro via telefone? Pegue sua senha, entre na fila, e espere pelo atendimento como qualquer cidadão comum. A não ser que você se enquadre na categoria de “incomum”, ao lado do Sarney, conforme decretou seu ex-patrão.

    Quanto ao Audálio, ele sim, está coberto de razão e deveria entrar na Justiça contra o Ministro da Justiça por negar informação pública contrariando preceitos do artigo 5º da Constituição Federal.

  33. Ou ele foi “empurrado à Dilma ou comos alguns outros, não tem cacoete nenhum pra ser ministro.Com Lula era diferente porque ele colocava um motorzinho na trazeira desses acomodados.Não vale a pena colocar certas responsabilidades em mãos erradas.Certos “ministros” ainda não se ligaram que o Brasil mudou.Vejam o caso do Bernardo que enquanto todos acreditavam que ele colocaria nos trilhos a Lei dos Médios”,foi o primeiro a dizer que “todos estão muito apressadinhos”.Não Ministro,o senhor é que está atrasadinho.

    1. Olá Gersier
      Com Lula era diferente. Será?
      Mesmo com 80% de popularidade e sendo o comandante em chefe das forças armadas ele não teve coragem de bancar o PNDH3 quando os miltares chiaram.
      A verdade é que ninguém, inclusive o Sr. Lula, teve até hoje peito para mexer nesse resquício da Ditadura.
      Uma pena
      Abraço

  34. Voto no Lula há 22 anos, mas nesse novo governo vejo sombras estranhas.
    E nesse caso especifico da história de tão relevante momento como o foi a morte de Vladimir Herzog, é inadmissivel que aspones arrogantes e burocráticos atuem dessa forma.
    Quanto ao ministro, bebeu demais do vinho da fama!Vai mal Dona Dilma ouvindo o canto neoliberal do Financial Times e vai mal sua “entourage” claudicante.

  35. Parabens! Imagino, sempre, que desta forma, talvez, algum dia nossa sociedade atingira um patamar de respeito pelo proximo e desenvolvimento adequado. Deveriamos,todos, cobrar das autoridades, que so estao la por culpa e responsabilidade nossa, atitudes corretas e respeito ao cidadao. Seja quem for. O caso em questao, algo que choou muitos brasileiros, a epoca, deveria ser de conhecimento de todo e qualquer servidor que ocupa alguma cadeirinha no Min da Justiça. Mas, parece-me, que praticas adotadas por gestores outros, que manchavam a imagem da instituiçao Justica, no Brasil, continuam atuais e fortificadas. Mesmo assim, pra alguns, imagino, é salutar saber que ainda existem pessoas, como Vc, que INDIGNAM-SE com estas praticas.

  36. Lamentavelmente a colocação em todos os postos do Governo Federal, com base no lamentavel sistema “Quem Indica” se tornou o grande empecilho ao atendimento da população em geral. O poder inebria e apaga o passado, todos agora estão se tornando cada vez mais parecidos com os antigos militares.
    Tudo que faz é propaganda enganosa, gastos exagerados com o que não é necessário e com auto engrandecimento. Governo não é sabonete ou remedio de venda livre para tanta propaganda, nos temos o governo sempre presente, quando se trata de contribuir o que acontece a todo momento.

  37. Sou servidor do Arquivo Nacional e acho importante ressaltar que esse não foi um caso isolado. O AN tem contribuído – através de práticas exigências absurdas e, ao meu ver, inconstitucionais – para a manutenção da cultura de silêncio em torno dos chamados “arquivos da ditadura”. Os servidores do AN que cumprem essas ordens não necessariamente concordam com elas. A associação dos servidores do AN tem tentado sensibilizar o MJ sobre a necessidade de mudanças na gestão do AN. Sobre isso, recomendo a leitura desta página: http://www.assan.com.br/?p=597
    Recomendo ainda a leitura dessas exigências feitas pelo Ministério Público ao AN http://media.folha.com.br/poder/2010/12/07/recom_arquivo_nacional_aprovado.pdf

  38. Kotscho, louvo a tua legítima indignação. Embora tenha sido motivada por uma justa solidariedade a um amigo nas suas dificuldades para fazer a biografia, ela revela a insensibilidade dos que chegam ao poder. Não culpo diretamente José Eduardo Cardoso em que votei, mas já o culpo se ele não tomar rigoras providências contra seus auxiliares e assessores por essa atitude de desprezo, não a um jornalista conceituado e batalhador como Audálio, mas à um cidadão brasileiro que tenta resgatar a história de Wlado. As exigências “kafkianas” da diretora é outro absurdo. Dilma fez campanha apoiada no seu passado de luta contra a ditadura militar. Não é justo esconder, dificultar o acesso das pessoas aos episódios desse triste e recente passado de nossa História. O ministro José Eduardo merece esse puxão de orelhas e ele deve fazer o mesmo com subordinados seus que prometem dar reposta e não dão. Embora frequente no Brasil, é um habito de deliberado desprezo que tem que ser condenado em qualquer circunstância

  39. CARO KOTSCHO…

    “O SILÊNCIO DO MINISTRO DA JUSTIÇA FOI A RESPOSTA…”

    Antigamente, naquela época, anos atrás, era uma vez… Os jornais publicavam poemas, onde deveriam constar assuntos sérios… A censura mandava e desmandava! Que medo! Que escuridão! E a luz parece não acender em Brasília! É o apagão! Lobão na história! E os três porquinhos?

    Hoje… Eles mandam e desmandam! Depende da ocasião e interesses… Você não percebeu! Ainda bem que existem cidadãos sérios, e que posso me espelhar! Você é um cara sério, Caro Kotscho! Viva a luz! Paris…Democracia!

    Vamos brincar de Censura? Em vez de publicar qualquer texto governamental, você publica um poema… Segue este:

    E O TEMPO NÃO DEVORA

    (Lailton Araújo)

    Será que sou um passageiro de um trem noturno, viajante sem rumo nas terras européias?
    Será que sou um cidadão do mundo nos aviões, voando sem metas nas retas continentais?
    Talvez eu seja um aprendiz de poeta escrevendo, os versos que voam e viajam sem métricas

    Será que sou o protetor dos desertos, guardião órfão, guerreiro sem armas, lutando por igualdade?
    Será que sou o cantor das minorias, amado e odiado, por críticos ferozes, nas arenas das comunicações?
    Talvez eu seja um homem tímido, buscando novo ar, e formas de sobrevivência sem dar um único grito…

    Sei que não sei o que sou e não saberei o que virá, e viajarei nesse mundo seguindo o que Deus mandar
    Serei sempre um andarilho nas novas vielas do acaso, e falarei de amor em versos longos e abstratos
    Foi a política (e os ideais) que aproximou os nossos caminhos, nas distâncias que o tempo marca e não devora

    Abraços.

    Lailton Araújo

  40. Isso explica porque se dificulta um pedido desse, expor tudo abertamente e um avanço na solução de tudo que deve ir pro ar

    No passado se matava um para calar todos, no presente se matar todos não cala um

    Agigantamo-nos meia dúzia de pessoas pelo mundo afora elevando elas como salvadores da pátria, quando não e nada disso onde todos são produtores da salvação da pátria

    Onde essa meia dúzia de gente foi passando uma gestão esperta criando um tapume tipo um morro aglutinando um monte de gente abestalhado, sobre seus domínios de geração para geração se achando uns deuses

    Usando ainda isso muito bem no presente, onde aglutinam um monte de gente dando cargos ou facilitando via os meios existentes

    Fui convidado para ir num lugar aonde poderia negociar um cargo publico, por um elemento agenciador, condições era fazer a inscrição responder as x no x acertar o valor porem foi dito o seguinte você vai ser beneficiado, mas terá que fazer e seguir as ordens recebidas de acordo onde vai saber o que pode e o que não pode

    Porque foi convidado alguém deu a dica, fiz a trapaça dessa dica dada por alguém que era do sistema, e o convite apareceu

    Muita gente já relatou fatos diferentes e iguais a esse até dizendo fiz a merda to grudado na merda e só agora tomei conhecimento disso, nos somos os responsáveis por ainda não termos as coisas como queremos com povo ainda desunido a espera de um milagre quando nos somos o milagre unindo todos para dissolver as diferenças das condições de viver a vida

    Isso e que mantém o poder das bestas que fazem a população de bestas, como “o pato e a gata” a pata e o gato

    Vivemos como animais sem cercas brigando como gato e rato fazendo o jogo do sistema para ficar em silencio, sustentando as boas vidas desses nossos semelhantes que se aproveitam da nossa falta de iniciativa coletiva, agora com a vinda da tecnologia

    Estamos voltando para realidade, real dispensando os sonhos sugeridos que tirava de nos para os outros ficarem com tudo enquanto sonhávamos acordado, de tão preocupados com tantos sonhos de esperança que não dormíamos, em breve vamos voltar a sonhar dormindo e não acordado, por que acordamos

    Todos que estão no poder administrando o maior sistema associativo de cada nação tem por obrigação criar um sistema de núcleo habitacional associativo como e o sistema com uma matriz global

    Se a população ficar esperando isso, vai morrer na praia enquanto os que se acham poderosos vão se beneficiar das praias, essa parte de por um sistema desses e outros através de um núcleo habitacional associativo sem juros, só entra no ar com a força da união do povo unindo todos os povos para produzir essa solução da moradia para todos e na seqüência educação que fome profissionalmente todos os nossos descendentes melhor que nos em tudo

    Fora disso a gente deve deixar de ser trocha da gente mesmo vivendo na corda bamba, enquanto se achamos incapaz eles se acham capaz com menos capacidade que a nossa

    Somos semelhantes como uns vão ser superior a nos e a maioria inferior aos outros se somos iguais na carne no sangue vindo do mesmo lugar indo para o mesmo lugar

    Algo na direção do projeto da ficção em rede em linha acessa mundo acessa cada nação acessa cada estado de cada nação, acessa cada cidade de cada estado, e a solução global produzida por todos nos, que somos donos e sócios de todo patrimônio publico além do nosso patrimônio

    Toda a realidade esta contida expandindo no agrupamento onde na ficção esta escrito que.

    O maior será igual ao menor abandonado e todos serão iguais em qualquer lugar do mundo

    Ainda temos tempo para reverter às coisas dos fatos estranhos ruins bons, colocar cada coisa no seu lugar como deve ser

    Porem ninguém abrira mão do conforto, onde tudo vai acontecer esse dia já chegou pelos cálculos da ficção isso já esta entre-nos onde todos vão perder o conforto, quando podiam abrir mão fazendo a passagem de tudo sem perder o conforto que não e nada mais nada menos que abrir da vida boa que leva em cima da vida ruim que a maioria da população do mundo, levava

    Onde foi perguntado para alguns elementos da iniciativa pública pelo mundo afora porque eles são tão privilegiados ganhando bem, sendo pago pela iniciativa privada

    Porque as pessoas na maioria das vezes preferem viver agradecendo aos politípicos que elegem como salvador da pátria, em vez de se organizar para dissolver uma coisa de cada vez através de pedidos projetos e por fim os movimentos inteligentes tudo ao mesmo tempo

    No contexto do conteúdo de tudo a própria historia diz não devemos idolatrar ninguém transformar num Deus quando nos somos solução com a integração de todos lutando por tudo, que e direito de todos em qualquer lugar desse universo, as condições de vida são semelhantes assim como nos somos semelhantes a todos e a tudo

    Onde todos têm que comer dormir aprender e ninguém como mais que outros ainda assim uns querem tudo enquanto outros sem nada ate quando isso vai ficar esperando o troco

    Parece que existe um sistema associativo oculto como se esse sistema fosse o poder pelo mundo afora, se formos analisar o tanto quanto de recurso que se tira e se leva para outros lugares, povo desse mundo vamos acordar de vez,

    Porque não existe outro mundo dentro desse mundo, a não ser outros planetas que ainda vamos descobrir

    Texto extraído da realidade da vida, escrito no mundo da ficção globalizada 2015 BR que para tudo tem tempo antes durante, e não depois de tudo acontecer

  41. Ricardo, acontece que esse pessoal que está no governo desde 2003 não tem “aquilo roxo”, como diria quele ex-presidente. Falta coragem para enfrentar umas vespinhas criadas.
    Estamos todos FUNDIDOS e mal pagos, isso sim.

  42. Se com pessoas com tamanho conhecimento,fez parte
    da história,amigo do ministro, foi tratado com tamanho
    descaso,imagine o povão que só serve pra eles para
    pagar impostos. Meu Deus!!

  43. O Sr. Ricardo, fervoroso eleitor e defensor do Lula e da Dilma, deverá através de seu prestigio, falar com a Presidenta para que ela determine aos seus ministros que determinem aos seus chefes de gabinete a assessores que todos os recados recebidos com os respectivos nomes das pessoas, sejam transmitidos a eles ministros com detalhes. Tal providência deverá também ser adotada pela própria Presidente. A final de contas quem os colocou lá foram os brasileiros que merecem atenção e respeito. Todos merecem uma resposta, seja qual for. O cargo é passageiro, mas o brasileiro é eterno.

  44. Cada dia mais, o PT, criação suprema do inteligentíssimo Golbery do Couto e Silva, através dos “seus quadros”, vem provando e comprovando que não de uma espécie de face oculta e tergiversada do PSDB.

  45. sr. kotscho,já tentou falar com o companheiro lula…
    acredito como semotre o senhor o defendeu em todos os momentos,ele agora venha ajuda´-lo,afinal somos todos companheiros.
    ja tentou falar com o deputado arns,que vcs fizeram uma serie de injustiças qdo om mesmo se insurgiu contra esse partido.
    é lamentavel!!!!!

  46. Boa tarde Ricardo!
    Boa tarde amigos balaieiros!

    Pois é Ricardo! Existem trâmites difíceis de explicar, até para quem é amigo daqueles que nos exigem isso!

    Mas hoje através de um e-mail de um conhecido nosso aqui do balaío, acredito que tenha recebido a PRIMEIRA PORRADA NA CARA DE UM POLÍTICO!!!!!

    Espero que venham muitas, e eu seja “literalmente” ESPANCADO!!!!!

    Digo isso pelo fato de não confiar em NENHUM, e muito menos acreditar nessa classe azêda, e esquisita!!!

    Um certo senhor de nome ANTONIO REGUFFE que é Deputado Distrital aí em Brasília, resolveu ABRIR MÃO de quase todos os incentívos PORCALHÕES que assolam nossos cofres públicos!
    Ainda é cedo pra dizer alguma coisa, mas com certeza os demais parlamentares, também conhecidos por “corja” estão enraivecidos com esse senhor.
    Ele por certo, abre um digníssimo precedente para que a população possa avaliar o gráu de interesse do homem, e da mulher públicos!

    Só espero que não me engane com esse cidadão!!!!

    Ele é do PDT, mas isso é o que menos importa.

    Se for verdade essa sua (dele) atitude, eu APLAUDO DE PÉ e mesmo com a “cara inchada” desse porrada!!!

    Podem verificar essas informações que encontrei nessa entrevísta…

    http://www.istoe.com.br/assuntos/entrevista/detalhe/104706_UM+HOMEM+FICHA+LIMPA

    Bom final de domingo a todos!!!

    Robson de Oliveira

  47. Se você, Ricardo Kotscho, com todo seu histórico ao lado de Lula e do PT, e se Audálio Dantas, com sua invejável biografia, estão sendo tratados a pó de traque, imaginem como estão os demais pobres brasileiros sem histórico de luta com os petistas e sem a biografia incensada de Dantas… Com certeza, no andar da carruagem, Herzog morrerá mais uma meia dúzia de vezes.
    Cada dia fico mais assustado com os métodos daqueles que sobreviveram ao método assassino e insano dos militares dos anos de chumbo no Brasil.
    Lelé Arantes, jornalista e historiador

  48. Acho incrível que tenhamos passado oito anos de um governo dito de esquerda, herdeiro político e histórico de todos os que lutaram contra a ditadura militar, sem que a sociedade saiba o que houve naquele período, especialmente sobre o destino dos corpos dos desaparecidos políticos. Faltou coragem a Lula para abrir os arquivos. Faltará a Dilma?

  49. Caro Ricardo
    Ele de estar a comer algum bacalhau.
    É bom todos colocarmos as barbas de molho com esse governo aí.
    A impressão que tenho é que fomos usados ao eleger Dilma ante ao reacionário Serra: foi uma tremenda armação.

  50. Estou impressionado é com um jornalista do porte do autor e responsável pelo blog após muitas dezenas de anos na “estrada da vida” ter uma visão tão pueril e crédula quanto ao caráter dos seres humanos após serem mordidos pelo inseto que transmite a “febre do poder”. Principalmente quando o indivíduo pertence a um grupo onde a meritrocracia a muito foi substituida pelo “cumpadrismo”, postura na qual se fizeres tudo direitinho como seu mestre mandou, chegas no mínimo a ministro do STF e o limite superior é o infinito. O “Seu Dutra”, não vai atender ao Sr. Ricardo e nem a ninguem
    que possa levá-lo a tomar uma atitude que faça o olhar de repreensão da Chefe voltar-se para ele e é bom lembrar que em casa de marimbondo se mexe com luva e mascara e não com a “cara limpa” que pretendem os atores do ato em questão. Acordem senhores, isso aqui é Brasil, onde mandam Sarney e seus prepostos e onde a justiça nunca esteve a serviço dos ofendidos e nunca estará nesse consagrado modelo de “República Tupininquim”.

    1. Que “Dutra” Ronaldo ?

      Tã vendo ?
      Pra destilar o teu ódio em um comentário tão cheio de “rapapés” tu troca até os nomes !!!
      Vai lá se informar melhor e depois volte aqui como um “novo comentarista” !!!
      Desta vez meos “tonto” !!!

  51. Jogar nas costas desses caras a história é perda de tempo. “Ter responsabilidade” e “ter se voltado contra a ditadura” não são sinônimos, e está na hora de termos a vergonha na cara de reconhecer. Este me parece ser o tema. Desconfio que a lista de ex-amigos irá crescer. Ou ao menos, deveria.

  52. Caro Ricardo,
    Trabalhei por 11 anos em empresa multinacional americana e fico assustado, quando vejo que eles estão anos-luz a frente em matéria de Administração.
    Lembro que durante uma visita ao Brasil do presidente da empresa, lhe foi enviada por um cliente, uma carta com reclamações. O secretário fez a filtragem e entrou em contacto com o responsável no Brasil pelo órgão que por assim dizer, havia cometido o “erro”.
    O secretário avisou que fosse dada solução ao pleito do cliente e lhe comunicassem em 48 horas.
    E assim foi feito.
    Nesse caso do Audálio, o ministro ao tomar conhecimento, deveria imediatamente enviar pedido de desculpas ao Audálio e “demitir” em 24 horas o sr. Flávio Caetano e a sra. Maria Esperança.
    Agora se o ministro tomou conhecimento e nada fez, a Presidenta deveria dar-lhe uma bronca e exigir a demissão dos subalternos.
    Na próxima tem que cair o ministro sem importar quem indicou.

  53. Complementando.
    Não importa quem seja o Audálio, se foi inventou das 4 estações ou o marceneiro que construiu a mesa da Santa Ceia; fosse quem fosse, a obrigação do funcionário público é voltar a ligação com um pedido de desculpas pela demora e uma solução para o solicitante.

  54. Prezado RK:

    Fale sempre desses assuntos candentes, (caso não seja tanto, faça-o ficar!), mas aproveite também esse seu faro jornalistico e essa sua capacidade ímpar de passar mensagens e se fazer entender, para falar um pouco sobre coisas que hoje são importantes demais, a meu jugo!!!

    FALE SOBRE PORQUE HOJE É MAIS BARATO SE COMER EM NOVA IORQUE DO QUE EM SP E PORQUE O SALÁRIO MÍNIMO NOSSO É É DE 545 REAIS COM O PRECO DA COMIDA NA ESTRATOSFERA E PORQUE ESSE MESMO SALÁRIO, NOS EUA É DE MAIS DE 1000 DOLARES!

    FALE PORQUE ESTÁ MAIS BARATO, PARA NÓS MORAR E VIVER NA ARGENTINA!

    FALE PORQUE A GENTE AQUI NO BRASIL COMPRA UM UNINHO FIAT BÁSICO E PAGA O PREÇO QUE UM AMERICANO PAGA POR UM CIVIC TOP DE LINHA!

    PORQUE UM HERMANO PAGA 72 MIL PESOS POR UM CARRO QUE PARA NÓS AQUI CUSTA 72 MIL REAIS, EXATAMENTE O DOBRO DO PREÇO DA CRISTINA KIRCHNER!

    ALGUMA COISA ESTÁ MUITO ERRADA E É PRECISO QUE OS JORNALISTAS CRÍTICOS FALEM SOBRE ISSO E PASSEM ESSA INFORMAÇÀO PARA O ELEITOR!

    1. É fácil explicar.
      Aqui temos o dinheiro mais caro do mundo.
      Essa é uma republica de banqueiros.
      Em tudo que voce compra esta embutido o alto custo do dinheiro.
      A justificativa é para segurar a inflação.
      A inflação sempre foi a mola propulsora da riqueza dos banqueiros.
      Em paises civilizados a grande oferta combate a inflação.
      La, os banqueiros para ganhar dinheiro, dão golpe na praça.
      O juros altos são a mais eficaz forma de escravidão.
      Não se preocupe, a copa do mundo vem ai.
      A noite tem milagres na Universal.

  55. Caro Kotscho

    Me causa “sarna” a quantidade de “cachorros derrubados do caminhão de mudança” que se atiram pra dentro do Balaio com o único intuito de repartir suas pulgas e latir contra o Governo do PT !!!
    São os cães que defendem a ditadura militar e assassina !!!
    São da mesma matilha dos que torturaram e mataram !!! Rosam igual !!!

    Marcam o seu território de direita com “mijo” e AO MESMO TEMPO atacam o Ministro da Justiça !!!
    Por coerência deveriam APLAUDIR o burocrata “chefe de gabinete” do Ministério que quer atrapalhar o livro do Audálio Dantas que busca maiores esclarecimentos sobre o assassinato e tortura do Vladimir Herzog, o mais conhecido dentre todas as vítimas da ditadura.

    Quer apostar Kotscho ?
    Se eu jogar o osso eles não vão buscar !!!
    SÃO “CACHORROS DE RICO” !!!

    Veja a diferença descrita por Luiz Gonzaga no causo “Sámarica Parteira”:

    “… cachorro de pobre late fino !!!, Cachorro de rico, não, late grosso! Uôu! Uôu! Uôu! !!!
    Não faz nada, só véve dormindo, não caça nada,O rabo é grosso! Goooordo! Só presta mesmo pra “bufar!” !! Soltar “bufa” !!!
    Cachorro de pobre, não sinhô, É magrinho, o rabo é fino,
    Late fino, mas é caçadorzinho que é danado !!!
    Ôxe !!! Oxente !!! Não sei porque que cachorro de pobre só tem nome de “peixe”…
    É cruvina, traíra, piaba, piau,…, “Baleia” !!!
    Cachorro de rico, não… não faz nada não mas o nome é bonito que é danado:
    É Rex, Breit, Brait, Breg, Rin-tim-tim,… ,Whisky !!!…”

  56. O problema é que os políticos não aprendem com a historia.
    Quando começam a aprender ou esta nas masmorras ou no exílio,
    alguns debaixo da terra.
    Assim foi e assim será.
    Veja mundo árabe, depois de séculos de barbárie eles estão acordando para realidade.
    O Brasil mudou muito, ainda precisa mudar muito mais.
    Precisa de uma profunda reforma política e uma profunda reforma no judiciário.
    Quando o criminoso de colarinho branco sentar no mesmo banco dos réus do povão,
    cumprir a mesma pena em regime fechado, junto com os parias da sociedade,
    poderemos dizer que temos uma democracia.
    Eles podem retardar a evolução mas não podem impedi-la.
    A Bastilha um dia cai.

  57. Esse senhor assinou sua carta de incompetência. Quem assumiu o cargo foi sua prepotência. Indigno para fazer justiça. “Fritura já”. (continuo com medo. Deles e deles).

  58. Olá Kotscho

    Meu nome é Bruna Zanuto, estive numa palestra sua ano passado na Feira do Livro em Ribeirão Preto, sou graduanda do 5º semestre do curso de Jornalismo da UNAERP (Universidade de Ribeirão Preto) e o meu professor da disciplina de Teorias do jornalismo, pediu para que entrevistássemos jornalistas que atuam na área e descobríssemos qual o seu posicionamento quanto ao exercício da profissão e do mercado de trabalho, para que possamos ter um panorama atualizado a respeito de nossa atividade profissional.

    OBS: Preciso postar o teu posicionamento até dia 23/02/11 no fórum da disciplina. Portanto, gostaria de saber se é possível um retorno até essa data limite.

    Desde já agradeço sua atenção.

    Atenciosamente,

  59. Pois é, Carta Capital desta semana traz uma matéria com o título Fuzilamento da Verdade, que talvez ajude a explicar estes acontecimentos. O Ministério da Justiça a partir de um parecer a Advocacia Geral da União, deve fazer uma revisão das indenizações concedidas ao cabos da Força Aérea, que foram expulsos à época do golpe.
    Talvez o ministro José Eduardo não tenha atendido porque do outro lado da linha não estava um certo banqueiro que foi investigado pela PF e condenado várias vezes pela justiça, e que o ministro quando ainda era deputado fez questão de acompanhar à uma reunião com o então ex-ministro Márcio Thomas Bastos.

  60. Prezado RK,
    conheço sua história e sua contribuição ao que hoje é o Brasil, é lamentável termos um ministro da justiça de nosso partido desta envergadura, não me estranha seu comportamento pois suas convicções são DANTESCAS, e estas o movem na política LAMENTAVELMENTEEEEEEEEE! A DILMA erra quando põe dantas para cuidar da justiça brasileira, assim não avançamos.

  61. Ricardo Kotscho, essa não será a última morte do falecido Herzog, pois, como toda desgraça interessa aos frutiqueiros para sua sobrevivência, ainda serão contadas muitas “verdades” a seu respeito.
    O povo brasileiro entende que já está enchendo o saco, esse papo de ditadura no Brasil. Precisamos é trabalhar e constituir instituições sérias dirigidas por servidores públicos de carreira, indicados pelos funcionários e usuários dos serviços públicos e sabatinados por órgãos de controle interno. Temos que acabar com a ditadura dos políticos corruptos e seus asseclas, que sorteiam os cargos públicos até o 6º escalão, admitindo no serviço público marqueteiros, puxa-sacos, cabo eleitoral e cantadores de todo ordem. Chega da ditadura do bilhetinho, telefonema e do sabe com quem está falando.
    Se não mudarmos esse enredo do Estado para poucos, nosso país vai desfilar sempre no terceiro mundo, ao lado de cuba de fidel castro e da venezuela de hugo chaves.

  62. Sr Ricardo Kotscho

    Por que publicou somente um de meus comentários?

    Justo o único que não usei o termo “justiçamento”.

    Esse assunto é tabu na esquerda brasileira?

    Sendo ou não, a população brasileira tem o direito de conhece a verdade dos anos de chumbo,toda a verdade, por que não usa sua amizade para convencer os mandantes de plantão abrirem os arquivos?Os excessos praticados pela ditadura já são conhecidos,os do outro lado também poderiam ser.

  63. Deve-se encaminhar e protocolar ao Gab do Sr. Ministro uma solicitação de audiência de forma a que ele tenha de explicar sua recusa em receber a quem quer que seja. não esquecendo: são nossos impostos que pagam os altos salários do Exmº Sr. Ministro.

  64. Esses arquivos do SNI são mais temidos que os pergaminho s do Mar Morto. Nos arquivos estão o relato das atividades de muitos dos que estão por aí.
    O caso do Herzog foi um abuso cometido pela cachorrada com quem o governo se misturou.
    Obra de gente que pensava que mandava e a própria história mostrou que não mandavam nada, brincaram com a Revolução e hoje ainda temos que procurar as explicações sobre as atitudes de alguns que agiram em nome dela. Na hora do engajamento, só o fazem com a baioneta nas costas, mas na hora da colheita baixam sobre o milharal como corvos rapinantes.
    Foi ai que naufragamos, era a época do “O senhor sabe com quem está falando?”, mas também era a época do “E o senhor sabe o que está fazendo?”.
    Só que muita gente, inquirido pela primeira, sabia quem era e o que faziam. O SNI funcionou, daí a procura pelos papéis.
    Numa época de erradicação do terrorismo da nossa terra, o Caso Herzog e o episódio do Rio Centro, macularam a nossa história.
    É com coragem que devemos encarar este fato nefasto da nossa história, os papéis sobre o caso precisam vir a luz.Parece que a completa, total e comprovada inocência do Herzog dita apenas por seus pares não basta, precisam achar isso escrito nos arquivos oficiais.

  65. Pois é Kotscho. Apesar de ser obrigação funcional de TODAS as pessoas envolvidas saberem quem foi Vlado (não por serem servidores públicos, mas por serem brasileiros), começam aqui e alí a aparecerem os frutos da nossa incompetência histórica.

    Me explico e me implico na culpa. Deixamos para tratar “desse” passado, no “Grande dia do porvir glorioso”. A esquerda é muito tola. A verdade é que na minha rua, ninguém faz a menor idéia de quem foi Vlado. A TV não fala, os livros didáticos seguem a “história das mentalidades”, o cinema é proibido, pela mesma razão que as biografias: mesquinharia estúpida e cúpida. Ninguém conhece essas pessoas e (o mais terrivel…) não é culpa delas.

    Monumentos, nomes de praças ou de avenidas, a esquerda achava (e é estúpida a ponto de ainda achar) que essas coisas eram cafonas e de “milico”. Resumo da ópera: existem algumas centenas de escolas, bibliotecas, pontes, praças com nomes de generais torturadores e, por outro lado, se contam nos dedos as vielas com nomes dos heróis responsáveis por nossa vida democrática atual.

    A esquerda é tão estulta que desdenha do epiteto “herói”…

    Venho feito um velho caduco repetindo que o dia do primeiro (o primeirão, com menos de trezentas pessoas…) comicio das Diretas já, deveria ser a data de posse dos presidentes eleitos.

    Primeiro de janeiro não significa nada para a república e nem para ninguém. Se dessem um golpe amanhã no ano que vem, nesta data, haveria festa do mesmo jeito. como protestar contra algo no ano novo?

    O Dia Nacional da Democracia deveria ser criado, para comemorarmos, Garibaldi, Pedro I, Tiradentes, Marighella, Anita Garibaldi, Vlado, João Goulart, etc. deveria ser criado e comemorado na data em que se comemora aqueles que lutaram, em algum tempo e de alguma forma, pela nossa independencia: 7 de setembro.

    Se tentarmos fazer essas reformas e não conseguirmos, saberemos se a nossa democracia é efetiva ou não, de uma vez por todas. Em politica, o simbólico é tudo, se adiarmos muito mais, Vlado será simbolo do nada: vazio e esquecimento.

    A Ponte Estaiada, não recebeu o nome dele ou de algum que fugiu para o Chile para não morrer. Recebeu o nome “dos caras”. Porque? O esquecimento não se faz em um único ato e nem todo de uma vez, mas o relógio corre: tic, tac, tic, tac…

    Essa pesquisa amarrada aí, amigo, é só o sintoma da nossa incompetencia.

    OBS: achei tão bonitinho o movimento sindical reclamando do salário mínimo… quantos heróis da classe operária merecendo virar praça, rua, teatro, escola e… como pensa pequeno o brasileiro, não?

  66. …há alguns posts eu disse aqui, que não estava achando bom ver o PIG elogiando o Brasil e seus vassalos, elogiando os primeiros dias do mandato de nossa presidenta. Se estes felas das mães agem assim é porque alguma coisa realmente os está agradando.

    COM A ALMA EM PRANTOS TENHO QUE ADMITIR QUE: …PARECE QUE O GOVERNO DILMA, FEZ MESMO A OPÇÃO PELO PIG, PELOS RICOS…é Ricardo…pobre que se foda.

    pois…pior do que estes obstáculos ao arquivo, é o que a CAIXA fez com os pobres e com os pequenos empreendores da construção, há poucos dias, ao anunciar novas regras para o Minha Casa Minha Vida.

    A CAIXA FEZ A OPÇÃO PELOS RICOS, ao adotar estas novas regras.

    Parabéns pela coragem em externar os seus sentimentos…parabéns.

    Mandaí um post sobre, o que escrevi acima.

    Tentaí uma entrevista com estes félas das putas, que se apossaram de nosso governo.

  67. FHC,LULA nao conseguiram abrir esses arquivos,sera que Dilma vai conseguir?
    Que democracia e esta? TORTURADORES,CRIMINOSOS,ASSASSINOS COVARDES FICAM IMPUNES,e nem a maior AUTORIDADE DA NACAO O “PRESIDENTE DA REPUBLICA” TEM PODER SOBRE ESSES COVARDES QUE PRATICARAM SEUS ATOS ABOMINAVEIS NOS POROES,ESCONDIDOS,PROTEGIDOS POR GENERAIS ARMADOS,NUNCA TIVERAM CORAGEM DE ENFRENTAR A LUZ DO SOL,ESCONDEM SEU PASSADO VERGONHOSO DOS AMIGOS,FILHOS,ESPOSAS E FAMILIARES.
    QUANTA PROTECAO RECEBEM ATE HOJE, SIMPLESMENTE VERGONHOSO,SENADORES,DEPUTADOS,JUIZES E MINISTROS ONDE ESTA O ESTADO DE DIREITO????

  68. Não é nada do que o sr. acredita ser, Kotscho. Penso que o ministro deve andar muito ocupado em fazer justiça para pessoas que julga merecedoras, como Daniel Dantas, por exemplo.

  69. O tratamento dado aos arquivos no Brasil é digno de pena, isso sendo otimista, porque tal órgão é inexistente em muitos lugares do nosso país. Não há pessoal qualificado, há pouco investimento e quem faz o trabalho duro de limpar e organizar arquivos são estagiários que muitas vezes sofrem com os mandos e desmandos de superintendentes e coordenadores dos arquivos públicos que por vezes não tem qualificação alguma. Digo isso, porque já tive a oportunidade de estagiar em um arquivo público e sofro ao lembrar da quantidade de documentos que se deterioram todos os anos nos porões da administração pública. Ainda resta a esperança de que se tome consciência e se entenda logo de uma vez que para ser um grande país o Brasil deve valorizar sua história, mesmo que nela tenha havido um momento tão nefasto quanto a ditadura.

  70. Manifestação legítima. Mas me surpreenderam duas premissas curiosas em seu texto. O primeiro foi essa gana em questionar se o chefe de gabinete ou a secretária sabem que foi Audálio Dantas. A outra foi assumir você, um jornalista conhecido e ex-assessor de imprensa do governo Lula, as dores pelo périplo percorrido por Audálio. A verdade, nesse episódio, é que não interessa quem é ou foi Audálio Dantas, muito menos quem é o amigo Ricardo Kotscho que puxa o telefone para ligar ao ministério. E se fosse eu? E tantos outros pesquisadores com interesse em levantar informações de interesse histórico nos arquivos oficiais? Não é esse ministro o mesmo ex-deputado que apresentou PL para impedir a censura de familiares e herdeiros sobre biografias de personalidades públicas? Dois pesos, duas medidas?

  71. Essa morte de Herog ainda nao foi totalmente esclarecida, mas sabemos que sofreu nos porões da Ditadura.
    Estou escrevendo “A Revolução que eu vi e vivi” que conta esta Revolução em Uruguaiana/RS- Prisão do Prefeito e outros mais, sua perda de direitos politicos. e do ex-patriado Veraeador Izodoro Antonio vianna gutierrez, que se escondeu muito tempo,nos paises da America do Sul., uma verdadeira saga.

  72. Alguns estados da federação como São Paulo liberaram totalmente o acesso aos arquivos da ditadura bastando o consulente assinar um termo de compromisso se responsabilizando pela utilização destas informações. Outros como Minas Gerais onde Arquivo Público Mineiro recebeu os arquivos do antigo DOPS restringe o acesso a boa parte do papelório alegando direito a privacidade assim como está fazendo o Arquivo Nacional. O caso deveria ser resolvido por uma legislação federal que garanta o amplo acesso a estes documentos.Este acesso se torna ainda mais urgente caso a presidenta Dilma decida pela instalação da Comissão da Verdade prevista no Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3).

  73. Tenho notado que nos últimos vinte anos de democracia tupiniquim, pouca gente ou nenhuma, que opôs resistência ao regime militar, sob qual forma tenha sido, ocupando cargo de destaque (político ou não) no cenário nacional, interessou-se pela busca da verdade (doa a quem doer).
    A desculpa é a mesma de sempre “Não queremos desenterrar fantasmas” , “Os tempos são outros”, e por aí vai.
    A Dilma, com seu histórico peculiar, por certo não será exceção.

  74. É isso. Realmente não se pode servir a Dois Senhores. Sua Exa., o Ministro da Justiça, na investidura se deu cargo está agindo de “forma correta”. Como agiria o cidadão Cardozo lá pelos idos de 80 à 90, lendo uma notícia como essa. Embora não os conheça pessoalmente Adauto e Kotscho, tenham minha solidariedade, pois temos uma coisa em comum, somos Brasileiros,daqueles que viveram os anos de Ditadura, e somos pegos de surpresa com atitudes como estas. Um abraço

  75. Prezado Senhor:
    Não obstante devo afirmar o obvio que toda morte não o sendo natural é estupida. Um latrocinio, um acidente por desrespeito a normas de segurança e a morte por motivação politica ou por opção religiosa, estas estão simplesmente o apce da imbecialidade. Porém, nestes casos a verdade deva ser CRISTALINA pra na melhor forma possivel o bem julgar.
    Face a estupidez da morte de Herzoque, mas, este senhor não lutou coisa alguma pela redemocratização no paiz por pertencer aos quadros do PCB, assim como nenhuma outra corrente de esquerda lutava por tal objetivo.
    PORTANTO, O SENHOR INICIA SEU BRILHANTE ARTICO COM GROSSA MENTIRA.
    Descoberta a mentira, nada mais a comentar.

    1. Será que é possível àqueles que pedem a abertura dos arquivos da ditadura entenderem o porque da negativa dessa abertura feita pelos própios torturados que hoje estão no governo?

  76. é , comom é m,esmo aquela música?
    ah…Liberdade……..Liberdade….
    O que as pessoas precisam entender é que liberdade só pode existir com a verdade , e essa no Brasil ou BRAZIL é artigo raro.
    Esses que sonegam ou negam acesso a informação, são os mesmos que têm vivido nas sombras do poder, mentindo enganando tomando para si a coisa pública.
    Espero que chegue um tempo que não só essa, mas todas as mentiras e sujeioras desse país sejam expostas e que a VERDADE prevaleça, pois só assim, o povo será realmentye livre e descobrirá o que é ser nação.
    Obrigado.

  77. Ola Sr. Ricardo

    (Sou o pai da menina Ingrid que lhe entrevistou tempos atras).
    Este post, não sei porque, me fez lembrar de uma vinheta do José Simão da ultima eleição. Nela ele tirava um “sarro” do discursos dos politicos na propaganda eleitoral, dizendo que uma das frases mais usadas por eles era “lutei contra a ditadura!”. Talvez seja pelo que o sr. fala sobre algumas pessoas que estão no governo hoje.
    Isso vem a confirmar o que eu penso, no que diz respeito a muitas ações do governo Lula, que adotaram muita das praticas de governo que era mais abominadas e criticadas pelo PT quando era oposição. Triste.

    Não sei se se enquadraria no assunto do livro, porém acho que o sr. Audalio Dantas deveria considerar seriamente em colocar no livro, também estes fatos, pois como o sr. mesmo diz, faz parte da historia do 3a. morte de Vlado. E esperemos que pare por ai.

  78. …tô tão revoltado, Ricardo…tô tão puto…qui num ia nem voltar aqui mais hoje. Mas…vendo ali na tv, uma reportagem sobre as condições de abandono de algumas mulheres trabalhadoras,não me contive.

    ESTES FÉLAS DAS P.TAS ( MINISTROS, SECRETÁRIOS, GERENTES, OS KRAI ) QUE DIRIGEM PROGRAMAS SOCIAIS, DEVERIAM PARA SE MANTEREM NOS CARGOS, SEREM OBRIGADOS A VIVEREM NAS CONDIÇÕES DAQUELES AOS QUAIS DEVEM BENEFICIAR.

    …( falando sòzinho )…tem vagabundo demais neste mundo…o mala chega a uma posição, na maioria das vezes sem nem mesmo merecer, e a primeira coisa que faz é denegrir a sua mãe.

  79. …me desculpa Ricardo, mas…hoje estou com aquele meu “espírito” de homem bomba, e… com o estopim aceso.

  80. Prezado e desiludido jornalista,
    Com mil perdões pela brincadeira, acho que vc está parecendo aquele português da piada, que levou o filho ao oculista para que o médico abrisse os olhos do moleque, porque tinha as pálpebras muito apertadinhas. O profissional examinou o garoto e deu seu diagnóstico: quem tem que abrir os olhos é vc português, pois o menino é filho de japonês.
    Meu ilustre e preclaro amigo, o PT de há muito deixou de ser um partido capaz de fazer jus à sua própria história pretérita, hoje é um poleiro onde pu…lula…m aves de rapina.
    O PT acabou, quem tiver uma história pessoal para honrar, que procure outro terreiro.
    Um Abraço do
    Carvalho.

  81. Lendo o livro do jornalista Larry Rohtter (Deu no N Y Times) até êle, americano, se escandaliza com o esquecimento e desprezo dados pelo governo militar a agora, pelo governo civil às vítimas inocentes do conflito, os camponeses do Araguaia que tiveram a má sorte de estar no lugar errado na hora errada. Cercados pelo fogo cruzado de uma guerra que eles mesmos não tinham consciência e da qual foram as vítimas mais injustiçadas. Retirados à força pelos militares e acossados pelos dois lados perderam suas terras e, ainda hoje, não receberam nenhuma indenização. Nenhum êles recebeu a menor atenção ou compensação e nenhum polpudo salário no serviço público como muitos outros. NA BRIGA ENTRE O O MAR E O ROCHEDO, SEMPRE, O MARISCO É QUE LEVA A PIOR.

  82. QUAL DIFERENÇA ENTRE DITADURA MILITAR E DITADURA ECONÔMICA? POIS BEM PRA MIM SO TROCOU OS NOSSOS DONOS :
    MILITAR –
    TORTURAS, MORTE ( ASSASSINATO)

    ECONÔMICA –
    TORTURA PSICOLÓGICA ( NOS LIMITA A CRESCER INTEGRALMENTE COMO CIDADÃO COM TODOS O APARATO DO ESTADO FUNCIONANDO CAPENGAMENTE)
    MORTE : 545,00 REAIS EM DETRIMENTO AOS POLÍTICOS COM TRÊS OU QUATRO APOSENTADORIAS GORDA.

    COLOCO EM QUESTÃO QUE, QUEM ESTA NO PODER FOI QUEM LUTOU CONTRA A DITADURA MILITAR E, QUANTO AO TEMPO, JA SE PASSARAM 26 ANOS.

    PODEMOS DIZER POR ACASO QUE O PODER CORROMPE?

  83. Sr. Ricardo, votei como também trabalhei para Dep Federal no Cardozo, hoje já estou arrependido, pois, soube que ele é ligado ao Daniel Dantas, e com esse encobrimento da morte do Vladimir, não dá para aguentar. Que a Presidenta Dilma tome muito cuidado pois Ele, bem como o Palocci não são confiaveis.

  84. …o que fizeram com o “Minha Casa Minha Vida”, com o único objetivo de beneficiar os poderosos da construção, é covardia pura, pois não há outra explicação…covardia.

    Esta é a quarta morte do Vlado, pois era contra isto que ele lutava.

  85. a morte vldo foi um absurdo,absurdo,é esses arquivo nacional,eu tive o mesmo problema,o meu pai CARDENIO JAYME DOLCE,EX COMANDANTE DA POLICIA ESPECIAL,FOI ASSASSINADO NA EPOCA DOS MILITARES,MAIS ELE NAO FOI POR POR ELES,E SIM POR MALDITOS ASSASSINOS TERRORISTAS,NUM ATENTADO A CASA DE SAUDE DR EIRAS NO RIO,EM 2 DE SETEMBRO DE 1971,PEDIR INFORMAÇOES SOBRE O ATENTADO,E OIS DOCUMENTOS,VEIO COM VARIAS TARJAS PRETAS,QUE MALDITA DEMOCRACIA É ESSA.

  86. Caro Kotscho.
    É compreensível sua decepção contra o atual ministro da justiça. O fato mostra o tanto que o assunto é delicado e complexo no seu entendimento. Recentemente, com a discussão e a tentativa do governo de passar o tal PNDHIII meio que ‘por baixo dos panos’ o tema foi requentado, uma vez que a outra parte entendeu que havia um processo de retaliação e de revanche que contrariava, no todo, a lei de anistia. A reação, como se viu, foi instantânea e forte. Tanto é assim que, o mesmo projeto, que ainda tramita, foi devidamente corrigido, sendo que os artigos impróprios com a lei foram expurgados.
    Em abril de 2010 o STF negou recurso ao ADPF 153 impetrado pela OAB no qual era solicitada a revisão da lei da anistia. Na ocasião, o presidente da Corte disse, referindo-se à petição da OAB: “Só o homem perdoa, só uma sociedade superior qualificada pela consciência dos mais elevados sentimentos de humanidade é capaz de perdoar. Porque só uma sociedade que, por ter grandeza, é maior do que os seus inimigos é capaz de sobreviver.”
    Sobre a OAB, aliás, ele classificou como anacrônica a sua proposição e disse não entender por que a Ordem, 30 anos depois de exercer papel decisivo na aprovação da Lei de Anistia, revê seu próprio juízo e refaz seu pensamento “numa consciência tardia de que essa norma não corresponde à ordem constitucional vigente”.
    Ao finalizar, o ministro comentou que”SE É VERDADE QUE CADA POVO RESOLVE OS SEUS PROBLEMAS HISTÓRICOS DE ACORDO COM SUA CULTURA, COM OS SEUS SENTIMENTOS, COM A SUA ÍNDOLE E TAMBÉM COM SUA HISTÓRIA, O BRASIL FEZ UMA OPÇÃO PELO CAMINHO DA CONCÓRDIA”
    O presidente do Supremo declarou, ainda, que “uma sociedade que queira lutar contra os seus inimigos com as mesmas armas, com os mesmos instrumentos, com os mesmos sentimentos está condenada a um fracasso histórico”.
    Quanto a ‘COERÊNCIA” do ministro, reclamada aqui com insistência por petistas históricos, lembro sempre; no poder a coerência e o histórico de uma pessoa ou agremiação partidária sempre se enquadram com a realidade e atuam mais com o pragmatismo do que com o programa escrito.
    Repetindo: ”A moralidade e a religião propugnam por um mundo ideal. A economia, ao contrário, só transita dentro do mundo possível”
    Os utópicos ainda encontram dificuldades em entender isso. E os ex-utópicos —agora no poder— passaram a entender e, assim, decepcionam seus aliados do passado.

  87. Kotscho, não é a primeira denúncia contra a administração do Arquivo Nacional.

    Em junho de 2010 a Folha de São Paulo denunciou o risco de interdição do prédio de Brasília onde estão os documentos.

    Em agosto a Carta Capital denunciou a presença dos fundadores do SNI na Associação Cultural do Arquivo Nacional, entidade responsável por captar recursos para o projeto Memórias Reveladas de acesso aos documentos do período militar.

    Recentemente os servidores aprovaram em assembleia o pedido de substituição do diretor-geral, manifestação que foi assistida in loco pelo Ministro Cardozzo em sua visita ao AN.

    Enfim, denúncia contra a gestão do AN é o que não falta. Mas até agora nenhuma providência foi tomada.

  88. Infelizmente botaram as raposas para tomarem conta do galinheiro. No Ministério da Justiça o Eduardo Cardoso e na CCJ o João Paulo Cunha. Isso é o Brasil. Vladimir Herzog não representa mais nada para essa turma de politiqueiros que se apossaram do governo. É muita inocência da parte de quem quer que seja que um governo que tem à frente Sarney, Renan, Collor, Jucá (esses são apenas alguns exemplos de nomes que se abertos os arquivos vão aparecer) vai autorizar qualquer publicação que possa comprometer esses arautos da democracia.

  89. Pois é sr. Ricardo, isto acontece a toda hora. É que o senhor nunca trabalhou na administração pública, para um governo ou partido. Bastou sentar naquela cadeira, que o camarada se transforma, se acha o máximo e nem dá bola para os antigos amigos e conhecidos. Tomara que o sr. e nem o sr. Audálio tenham que fazer esse tipo de serviço. Fiquem só nessa brava militância jonalística. No pasaran !

  90. Prezado Ricardo:
    Parabéns pela denúncia. Lembro que em 1980, quando pesquisava para escrever o livro “Olga”, enfrentei problemas semelhantes com a burocracia do arquivo do Itamaraty. A diferença entre o caso do Audálio e o meu é que, embora naquela época eu já não fosse ninguém, o então ministro das Relações Exteriores, Ramiro Saraiva Guerreiro, recentemente falecido, ATENDEU meu telefonema e deu ordens para que fosse liberada toda a documentaçlão solicitada. E olha que naquela época ainda estávamos em plena ditadura militar.
    Abraço solidário a você e ao amigo Audálio.
    Fernando Morais

  91. Porque estão perplexos? Estavam esperando alguma postura diferente? Os petistas estão aí no governo há oito anos . Mudou alguma coisa? O “lutei conta ditadura” foi e é apenas uma forma de obter votos. Nada mais. Não estavam, não estão e nunca estarão preocupados com o didadão brasileiro em geral. Mais amigos são os seus leitores, Ricardo Kotscho, enquanto o forem.O restante …

  92. O meu caro Veve está ‘’uma onça’’ com o programa ‘minha casa minha vida’ que, ao que se percebe mudou drasticamente a forma de financiamento. Então Veve agora dá prá sentir que havia naquele programa uma pilantragem eleitoREIRA. Ora, ora! Como financiar imóveis para agentes sem nenhuma renda. Como? Os recursos da Caixa são do FGTS, dos trabalhadores que são tungados por uma taxa de juros de 3% ao ano. Financiamento para uma determinada população tem que ser a fundo perdido e isso, não há quem ignore, demanda recursos extraídos de impostos. Tanto é meu caro Veve que, cogita-se tributar a caderneta de poupança com o IR. Entendeu? Imagine você que, o que se fala é tributar aplicações acima de 50 mil reais. Imagine; com alíquota de 27,5% o aplIcador na verdade estaria doando dinheiro para o governo ‘FILANTROPEAR’. ‘’GOSTOU DO NEOLOGISMO?’’
    É a realidade Veve. Não tem essa de esquerda e direita não. Tanto faz meu caro. Infelizmente é assim no Planeta Terra; dinheiro não nasce em árvore e se nascesse haveria quem monopolizasse os ‘’frutos’’.
    Num país em que um parlamentar ganha o equivalente a 300 vezes o salário mínimo não pode se esperar nada diferente. Na Suécia (fria, depressiva e sem Sol) esta relação é de menos de 3 vezes.
    O Enio não gosta. Ele Prefere o MARZÃO, O FUTEBOL E TUDO O QUE HÁ DE BOM NO TROPICALISMO AFRODISÍACO.

  93. Certamente essas pessoas, com essas atitudes, que me parecem absurdas que estão a frente deste órgão tão importante para os brasileiros que lutaram pela redemocratização do nosso país, tem alguma coisa à esconder ou a presidenta Dilma ñ sofreu tudo isso que ela mesmo diz com a ditadura.

  94. Bom dia Ricardo!
    Bom dia amigos balaieiros!

    Ao menos o dia está bonito!!!!

    Pelo que estou vendo, muitos devem ter lá as suas razões para entender que não há “interesse” em que os tais arquivos sejam acessados! Tem coisa lá que pode comprometer muitos interesses, e talvez transformem opiniões formadas. Vamos aguardar! Quem sabe só liberem algums poucos e determinados trechos e nada mais!!!

    Everaldo meu véio!

    Aqui também estou emputecido com essa história da Caixa!
    Temos um projeto de contrução de 700 unidades que está sendo “calejante” de fazer os tubarões aprovarem.
    Como não cuido dessa parte, até por uma questão de poupar meus nervos que já andam a saltitar para fora, ainda topo com essa MUDANÇA DE REGRAS que coinscidentemente ocorre logo após as eleições!
    Nada mais “CONVENIENTE” para o governo.
    Através de uma cooperativa habitacional que entrou em nossa parcería, ainda podemos encontrar outros meios de crédito alternatívos, mas que foi um “balde d’áqua fria na cabeça, isso foi!

    Eu realmente esperava que abríssem o programa. Que melhorassem, que aperfeiçoassem, mas NÃO!!!!

    O MCMV, parece que só serviu como “palanque eleitoral”, e se continuar assim, irá ter o mesmo destino de qualquer “palanque” assim que termína o comício!!!

    …isso é continuidade!!!!!

    Abraços a todos, e uma boa semana!!!

    …ao menos o dia está bonito…!

    Robson de Oliveira

  95. Comecei a trabalhar na Folha de S. Paulo no início de novembro de 1975, pouco mais de uma semana depois do assassinato do jornalista Vladimir Herzog, ocorrido no dia 25 de outubro, nas dependências do DOI-CODI do II Exército. Aluno da Facudade de Jornalismo Cásper Líbero, me vi de repente dentro do olho de um furacão. Perseu Abramo, meu editor, foi um extraordinário baluarte na resistência à ditadura militar. Participou ativamente, ao lado do Sindicato dos Jornalistas, das atividades montadas para provar que Vlado fora assassinado. Foi aí que iniciei minha militância política. Sou petista, até hoje, e sinto vergonha ao ler esse absurdo, ocorrido com quem, de direito, é o mais indicado e competente jornalista resgatar a história sobre o que aconteceu com Herzog. Audálio Dantas é figura de proa das buchas de canhão usadas pelo Sindicato dos Jornalistas a fim de abrir caminho que levaria è redemocratização do país. Eu, que vivi aquele momento muito próximo aos acontecimentos, gostaria de saber o que ainda não foi contado sobre o assunto. Não merecemos um país sem memória, principalmente agora que ele começa a andar nos trilhos do desenvolvimento, em velocidade geradora de fatos históricos. O Ministro da Justiça deve desculpas ao Audálio, ao Kotscho e aos brasileiros.

  96. Suicídio por enforcamento? Preso não pode entrar na cela nem com os cintos das calças que lhe é tirado na carceragem! Não sou favorável a desforra ou vingança, ( que em nada resolve, principalmente agora que vivemos numademocracia plena), mas, isso deve ser esclarecido. Sei que recordar e sofrer duas vezes, mas, a história vai revelar a verdade desse fato.

  97. Li com muito interesse a matéria e a carta do Audálio Dantas sobre o acesso aos documentos sob a guarda do Arquivo Nacional.
    Como pesquisador e cidadão, atualmente dedicado a
    montar uma exposição sobre Rubens Paiva no Memorial
    da Resistência de São Paulo, com abertura prevista para
    26 de março próximo, só posso ficar indignado.
    Se não são os militares, que até hoje negam a existência dos papéis da ditadura, é o quase bicentenário Arquivo Nacional que faz tudo para dificultar o acesso aos poucos que foram recolhidos, como os do SNI, da Aeronáutica e das CGIs.
    Há que se perguntar ao Sr. Jaime Antunes, à frente da instituição desde os anos 1980, quais foram as motivações que levaram a criar as regras e a burocracia kafkiana que, a pretexto de salvaguardar privacidades, emperram o trabalho de historiadores, jornalistas e cidadãos em geral.
    Outras instituições, como o Arquivo Público do Estado de São Paulo, funcionam no sentido contrário do AN, franqueando o acesso aos documentos do DEOPS-SP, por exemplo, aos interessados, prontuariados ou não, que responderão criminal e civilmente no caso de danos à imagem de terceiros causados pela divulgação de informações saídas deles.
    Não sei da eficácia da recomendação feita pelo Ministério Público Federal
    ao Diretor do AN. Mas vale a pena ler, repassar e tentar fazer cumprir:

    http://media.folha.uol.com.br/poder/2010/12/07/recom_arquivo_nacional_aprovado.pdf

    Abraços

  98. Parabéns pelo excelente (e, pelo que sei, eficaz) artigo. Só assim as coisas mudam. Ricardo, poderia me fornecer seu email profissional? Gostaria de enviar um poema que fiz em homenagem a Vladimir Herzog. Quem sabe o Audálio se interessa em colocar no livro?

  99. Prezado Kotscho, leitora assídua do seu balaio (e mãe do Fernando, editor do site da Brasileiros) escrevo para te dar parabéns pelo texto sobre a dificuldade de Audálio Dantas na pesquisa sobre o Herzog.
    A falta de educação, de memória e de respeito, infelizmente, dificultam o trabalho de jornalistas e pesquisadores. Lembro dos tempos da ditadura, em que os brazilianistas podiam pedir fotocópias de documentos no Arquivo do Estado na Rua Marquês de Paranaguá – em São Paulo – e nós, pobres estudantes ou pós-graduandos em História, tínhamos que copiar em nossos cadernos, à mão, trechos de documentos e jornais.
    No dia da morte do Herzog, nunca poderei esquecer, eu estava em sala de aula na PUC, quando colegas abriram a porta e convocaram todos os estudantes para uma passeata até a Praça da Sé. Grávida do primeiro filho, tive medo dos cavalos da polícia e das bombas de gás lacrimogênio…
    Obrigada por contar o que muitos (ex-militantes) esqueceram! O brasileiro
    não tem memória porque somos condenados a enterrar o passado.
    abraços
    Neta Mello

  100. Se fosse sobre futebo, ou samba enredo, não ia faltar quem pudesse prestar informação.

    Mas sobre a memória histórica e crimes jogadas para debaixo do tapete, aí sim fica bem mais difícil.

  101. Tem um comentarista assíduo aqui no Balaio que se assina como Pedro Borges…

    Pra me divertir, que é o que normalmente faço por aqui eu o trato por “Pedro Bó”, que era um personagem criado pelo grande humorista Chico Anysio caracterizado como “lento” e “teimoso”. ( os mais jovens talvez não se lembrem mas pra isso hoje temos “Youtube” )
    “Pedro Bó” força a barra !!! Se extrapola na maioria das vezes e por isso mesmo se “estrepa” ou se “estupra” por si só !!! ( ,,,ele odeia as minhas “exclamações” !!! )

    Ontem, publiquei um agradecimento a um elogio a mim feito pelo grande e extraordinário “J”ornalista Audálio Dantas aqui mesmo nesse post do Balaio do Kotscho em 19/02/2011 às 23:33 h. que muito me orgulhou e comoveu afinal É UM ELOGIO DO AUDÁLIO DANTAS !!!
    “Pedro Bó” não deve ter gostado tanto que lá se “pendurou” em seguida pra escrever isso aqui:

    “…É verdade, Sr. Audálio!
    Também fiquei muito surpreso e decepcionado quando o stm negou acesso aos documentos relacionados à dilma roussef, da mesma forma que fiquei agora no caso do Herzog. O Dossiê foi um dos primeiros livros da história contada pela esquerda que li.
    Força. Vá em frente. Que a transparência abranja os dois lados da questão…”

    Para todo e qualquer “Pedro Bó” a gente precisa responder detalhado e com muita “paciência”, que assim como o sentimento da “compaixão” é um ensinamento budista que sempre devemos buscar exercer e aprimorar.caso queiramos evoluir para depois melhor nos confortarmos lá na frente.

    “Pedro Bó”…
    Até mesmo os militares sabem e sempre souberam das REAIS ( R$ ) intenções do ex-jornal Folha de São Paulo. Nos anos de chumbo lideram com essas “Frias” por mais de 20 anos !!! A Folha que se afirma “de rabo preso com o leitor”, por confissão pública de sua funcionária Judith Brito – diretora da empresa Folha da Manhã S/A e Presidenta da Associação Nacional de Jornais ( ANJ ) – HOJE é notória e de fato “de rabo preso SIM mas com o Eleitor !!!…o eleitor anti-petista…o eleitor Demotucano !!!” posto que … afirmou tal senhora:

    “- A liberdade de imprensa é um bem maior que não deve ser limitado. A esse direito geral, o contraponto é sempre a questão da responsabilidade dos meios de comunicação. E, obviamente, esses meios de comunicação ESTÃO FAZENDO DE FATO A POSIÇÃO OPOSICIONISTA deste país, já que a oposição está profundamente fragilizada !!!”

    Taí !!! A Imprensa deles, o P.I.G. assumido virou “partido” !!!
    Disputaram a eleição como um “partido” e perderam !!! estão com raiva…agora vão querer vingança !!!

    O Superior Tribunal Militar não forneceu os documentos sobre Dilma Roussef DURANTE o processo eleitoral é verdade. Justificaram poderem serem para “mau” uso !!! Para servirem como arma de um dos lados !!!
    Passada a eleição e os documentos estão lá de posse do ex-jornal e agora panfleto Folha de São Paulo !!! Cadê que publicaram ? Cadê que encontraram algo que possa servir para seus costumeiros porém inúteis ataques ? Talvez para eles não seja o momento adequado…Hoje lhes interessa mais “enaltecer” qualidades da Presidenta Dilma que negaram durante toda a campanha na tentativa ( vã e ingloria ) de “destruir” a imagem do torneiro mecânico Lula !!! O acuado sem rumo sempre prevê o perigo !!!
    Vão tentar e vão desistir !!! Lula ficará para sempre na imagem do povo como o “Presidente do Povo” !!! Não tem Folha e nem P.I.G. que dê jeito pois “quando o povo quer ninguém domina” !!!
    Como vê “Pedro Bó”, não tem NADA a ver com o caso do Audálio e do Vladimir Herzog. O “Vlado” morreu vítima de tortura…foi morto pela Ditadura Militar e Assassina que se serviu das “peruas rurais” da Folha para o encarcerar…como fizeram com tantos outros que tombaram na luta !!! O “VLAOO” COMO TODOS OS OUTROS NÃO É CANDIDATO !!!
    Se ainda estivesse entre nós…quem sabe ? Deram as suas ordens !!! Não deixaram o Brasil saber, simplesmente os ELIMINARAM !!!

    Mas em uma coisa tu acertou “Pedro Bó”:
    “… Que a transparência abranja os dois lados da questão…!!!”
    É tudo o que queremos !!! É para isso que lutamos pela instalação da “Comissão da Verdade” prevista no PNDH – 3 do ex-ministro Paulo Vanucci e TAMBÉM nos PNDH – 1 e PNDH – 2 propostos por FHC lá atrás quando foi presidente !!!
    Uma “Comissão da Verdade” nos moldes da Africa do Sul pós “Apartheid”, nos moldes da Argentina e do Chile que fizeram e que o Uruguai está fazendo !!! E preciso não só dar nomes dos que gente como tu chama de “terroristas” ( Que já são todos conhecidos ) como também DAR NOME A TODOS OS BOIS QUE TORTURARAM E MATARAM !!!
    Que sejam encontrados, julgados e se culpados…PUNIDOS !!!
    A “Lei de Anistia” é TUDO o que temos !!!
    É SÓ O QUE TEMOS !!!
    Não foi discutida !!!
    Foi imposta e decretada por Geisel para proteger seus assassinos torturadores e facínoras !!!

    Se fala do “Vlado”, do Lamarca, do poeta Mariguella ( Sim…Carlos Marigjella foi professor e poeta baiano !!! ) de Zé Dirceu, de Aloísio Nunes ( senador pelo PSDB-SP que também roubou bancos !!! ) de Santo Dias, de Alexandre Vanucci Leme, da própria Presidenta Dilma e de TODOS os que tombaram ou sobreviveram na luta contra a Tirania e a barbárie PORÉM não se sabe de nenhum ou QUASE nenhum nome dos torturadores e assassinos mandados por verde-olivas !!!
    Tem o “major Curió” que depois de torturar e matar todo mundo na guerrilha do Araguaia ficou rico como deputado eleito pelo PDS e como explorador de “escravos” formigas-humanas do ouro de Serra Pelada ( o Kotscho sabe bem disso…ganhou Premio Esso com essa história !!! )…
    Tem o Coronel Ulstra, reformado do Exército Brasileiro, ex-comandante do DOI-CODI de 1970 a 74 e o primeiro E ÚNICO até agora oficial brasileiro a ser declarado torturador em uma sentença judicial !!!
    Todos livres, felizes e soltos por aí sem serem incomodados de pagarem seus crimes !!!
    CADÊ O RESTO ? CADÊ OS NOMES ?

    Escrevi demais “Pedro Bó” ? Eu gosto…Foi tudo o que me restou embora NÃO DEVA TECLAR TANTO ASSIM, meus dedos doem e já não me obedecem…
    TODAVIA enquanto eu for vivo irei lutar SEMPRE o que eu puder para que aquelas famílias das vítimas da ditadura possam “enterrar os seus mortos” !!!
    Possa encontrar os seus corpos !!!
    Possam obterem “atestados de óbito” não assinados por Henri Shibata !!!
    Possam fechar suas feridas !!!
    O Brasil deve fechar definitivamente TODAS as suas feridas E PUNIR SEM PIEDADE QUEM AS ABRIU E AINDA SE DIVERTEM FACEIROS EM JOGAR-LHES SEU SAL !!!

  102. Caro Companheiro Ricardo:
    Na verdade toda essa burocracia, que sei bem que quando tinhamos o caro colega na Assessoria da Presidência parecia ter terminado, infelizmente volta a tona logo no Ministério da Justiça….
    O Deputado Jose Eduardo não seri e não será nunca o melhor nome para ocupar essa Pasta de tanta importancia, alías compartilho essa idéia com o caro amigo Paulo Henrique Amorim. Evidente que aqui não cabe sugestão ou conselho tratando se de Ricardo Kotscho que sabe melhor do que qualquer Jornalista mortal que caminhos seguir.
    Fica aqui registrada minha indignação e o clamor para que não desistam e levem até as últimas consequencias a indiferença do Ministro com assunto de relevancia Nacional e interesse público.
    Fraternal abraço no amigo e família.
    Jose Carlos Sucupira(Jornalista/Cientista Político/Membro do conselho da ABI)

  103. Boa noite RK e a todos os comentaristas.
    Não poderia deixar de postar a minha grande decepção como policial e cidadão basileiro. 1967, ano em que ingressei, 1968, 1969, os anos mais violentos em que eu não concordava ver tanta discordia, ignorância. Por outro lado via a criação do Mobral, imaginando que brasileiros lá dos fundões da Amazônia, mesmo pelo rádio (já que os sinais de TV não chegavam) iriam enxergar um pouco mais além do nariz, teriam um ponto primordial de apoio para a educação, que no futuro seria o suficiente para evitar tanta violência que na época reinava. Dava graças a Deus por esse evento, que no meu pensamento um tanto utópico, seria um passo para que num futuro próximo, terceiro milênio, (ano 2.000) seria desnecessário um efetivo maior na polícia para a prevenção e repressão ao crime comum. Isto é, um povo instruido, educado, ao meu ver, seria incapaz de desrespeitar seus iguais. O tempo passou, eu trabalhando na antiga Central de Polícia, no Patio do Colégo, 1º D.P, tomava conhecimento no telex de tudo que ocorria em São Paulo e no país. Sentia que o caminho da política não estava certo e vibrava com os movimentos de ”Diretas Já”, torcendo para a volta da democracia e da normalidade. Daquele D.P., fui para as ruas no serviço de R.Patrulha, mais para a Zone Leste em áreas de favelas, que na época muitas delas não era servida de eletricidade.
    Fiz o que pude para auxiliar a população, isto em 1971, combatendo a criminalidade e fazendo minha parte nos serviços sociais, principalmente socorrendo vítimas, já que não havia um serviço de ambulância como hoje, o Resgate.
    Mas, resumindo, a minha grande decepção foi o sonho de querer ver a sociedade mais pacata, sem tantos crimes e drogas. Pior, vejo hoje a facilidade como praticam crimes, quase na certeza da impunidade. A polícia que eu achava que com a volta da democracia, deixaria de ser militar, políticos que depois de tanta opressão, achava que zelariam pela ética e honestidade, envolvidos em tantos escândalos e corrupção. Tenho certeza que fiz a minha parte, não como militar, mas como policial (sinto que jamais fui um militar), pois, todas as minhas ações eram em favor da população, nas horas que ela mais precisava de mim, (foram 19 partos nas favelas), mas, a decepção foi grande e continua sendo, vendo o crime campeando sem controle cada dia mais organizado. No meu entender aquele golpe, nada significou nem trouxe qualquer benefício ao país. Ví um presidente dizer à uma criança que se ganhasse salário mínimo, se suicidaria com um tiro na cabeça, que preferia o cheiro dos cavalos ao do povo! Isso foi demais para mim, quem quer respeito, tem de respeitar.
    Ví um político votar contra a volta da democracia e hoje se serve dela para fazer do cargo um escudo. São recordações que deixaram cicatrizes no âmago. Que Deus não permita, jamais, que retornem aqueles tempos.

  104. ”Uma imprensa livre, plural e investigativa é imprescindível para a democracia num país como o nosso, que além de ser um país continental, congrega diferenças culturais. Um governo deve saber conviver com as críticas dos jornais para ter um compromisso real com a democracia. Por fim, reitero sempre, que no Brasil de hoje, nesse Brasil com uma democracia tão nova, todos nós devemos preferir um milhão de vezes os sons das vozes críticas de uma imprensa livre ao silêncio das ditaduras.”
    Presidente Dilma Rousseff.
    22 de fevereiro de 2011.

    Tenho dito.

  105. Caro Ênio Barroso Filho, o nosso colega Pedro Borges, a quem você vulgarmente o chamou de “Pedro Bó”, personagem do meu xará Chico Anísio / vem que Esse senhor também fez alusão ao meu post, acima, de igual feitio querendo a grosso modo me ironizar. Logo senti que ser ele um “Serrista de mão cheia”, pois jamais respondo e procuro não ofender ninguém(como faz o Kotsho) porque a Palavra foi feita exclusivamete para unir ou ligar como “ponte” as pessoas. E não, desunir as pessoas como bem definiu JESUS CRISTO, nosso Senhor.

    Quando se referiu ao Ricardo como conhecedor dos torturados ou desaparecidos, gostaria de salientar que O livro, Brasil Nunca Mais, o qual o Ricardo e me parece um grupo de sete ou oito estudiosos pesquisaram para escrevê-lo – pelo comentário que já li -, retrata apenas os setecentos processos que chegaram ao Superior Tribunal Militar ao período de 1964/1981 ou seja 17 anos (até o atentado do Rio- Centro), sendo que continuaram as torturas até 1989, portanto, o fim da Ditadura militar que durou os 25 anos. Acredito, Eu, que á essa altura, não posso precisar o número de desaparecidos, mas alguém já tem o número, as autobiografias de cada um deles; e, certamente, as suas famílias serão indenizadas no futuro, e, espero como voce, “O Brasil deve fechar definitivamente todas as suas feridas”… Apesar que tenho as minhas dúvidas porque o Poder Judiciário que ontem juntamente com Essa mesma mídia e Esses mesmos militares acompanharam juntas, participaram, juntos, e deixaram o barco correr. Nada fizeram para não perder o poder.

    – Isso me faz lembrar este poema:

    “Quer surja a aurora, quer por entre sombras desça
    A noite, haja o clamor da vida, ou a paz sagrada
    Da morte, – ela que é a fonte, o bem, a bem amada,
    Dá que a palma estival do sonho resplandeça.

    E o mundo, que é o sinistro ergástulo de treva,
    Transforma-se na irial mansão donde se eleva
    A prece que há de um dia aos pés de Deus chegar…

    E aos astros de tal modo o Poeta ascende em calma,
    Que o céu fica menor do que o azul da sua alma,
    E nem cabe no céu a luz do seu olhar…

  106. Caro Ricardo, depois de ler, todos os comentários, só resta uma pergunta, as 17:10 de 22/02/2011
    O Audalio, ou Vc recebeu uma resposta do Ministro, eu estou perguntando do Ministro, e ñ do Ministério

  107. Aos amigos e amigas internautas em pé de guerra por conta da ida de Dilma à Folha:

    Cuidado para que não detonemos Dilma da mesma forma que fizemos Erundina, quando esta, prefeita, foi acusada de “adminstrativismo”, em seguida veio o nada “adminstrativista” maluf e deu no que deu, devagar com o andor que o santo é de barro, vamos sim, lutar por exemplo pela implantação da banda larga, prá isso contem comigo, prá detonar Dilma, não
    Estou me referindo a alguns leitores, incluisve de esquerda, que estão pondo lenha na fogueira

  108. A estes que criticam Dilma por ela ter ido ao aniversario da Folha:
    …não cabe à presidente(a) este embate contra a mídia, pelo contrário, ela tem mais é que ocupar os espaços até o último dia do seu mandato e, neste caso, fazer isso com respeito, foi o que ela fez.

    Este combate contra a velha mídia tem que ser feito por nós sociedade, não cabe a ela(Dilma) nem a seus ministros este combate, eu pessoalmente achei bacana ver Dilma naquele encontro, ela foi lá e desarmou todo mundo, até FHC a bajulou para que ela(Dilma) marcasse uma audiência com um grupo de ex-presidentes amigos dele(FHC), é como se ela dissesse a esta gente “tá vendo, vocês me maltrataram, disseram inverdades a meu respeito, mas estou aqui, trago flores para você, no lugar da apunhalado trago um abraço”. Este é o mínimo que ela, na condição de presidente(a) de todos, poderia fazer, claro, elogiar o anfitrião, porque não, será que pensam que o certo seria detonar o cara.

    A luta pela democratização da mídia, que acompanho desde o seu nascedouro na internet, continua, vai ter encontro no Barão de Itararé, o Nassif estará lá, força amigos e amigas. Não estou criticando de forma alguma quem teceu críticas a Dilma por ter ido à Folha, refiro-me ao Azenha, Eduardo Guimarães, Leandro Fortes, Antônio Mello, pessoas a quem respeito e muito, esta gente vem carregando o piano a muito tempo, daí ser compreensível a indignação, o desalento mas, é claro, passado o impacto, as coisas se encaminharão novamente, já está sendo encaminhando, o Edu acabou um ótimo texto sobre o assunto mídia, é isso aí, boa noite

  109. Cabe ao povo e não a presidente guerrear contra a mídia, neste sentido, segue meu pedido

    Leiam, é sobre o assunto mídia no Congresso, faça com que o deputado no qual vc votou participe desta luta:

    Frente parlamentar vai debater e propor novo marco regulatório da comunicação

    O deputado Emiliano José (PT-BA) e a deputada Luiza Erundina (PSB-SP), em articulação conjunta, estão organizando a “Frente Parlamentar em Defesa da comunicação”. A principal missão do agrupamento parlamentar será a discussão e proposição de um novo marco regulatório para o setor de comunicação no país. Os principais objetivos são: democratização da comunicação, a liberdade de expressão e o fim do monopólio dos meios de comunicação no Brasil.

    “Estamos muito atrasados nos aspectos da comunicação no Brasil. Temos uma legislação que data de 1962. Desde então, ocorreram profundas transformações no campo das comunicações no Brasil e no mundo. Precisamos atualizar a nossa legislação para assegurar a liberdade de expressão e a democratização do direito à comunicação”, afirmou o deputado Emiliano José. A primeira reunião foi feita nesta terça-feira (22) e outra já está prevista para a próxima semana.

    De acordo com o deputado Francisco Praciano (PT-AM), o tema da comunicação deverá estar no centro dos debates do Congresso Nacional nesta legislatura. O petista criticou o monopólio da comunicação no país e disse que irá trabalhar, no âmbito da frente, para atualizar a legislação da comunicação no Brasil. “A frente tem que funcionar como um impulso à construção de um novo marco regulatório para o setor”, defendeu. O deputado Luiz Couto (PT-PB) também participou da reunião de trabalho.

    Uma das principais articuladoras, a deputada Luiza Erundina (PSB- SP) explicou que a Frente Parlamentar fará uma ponte permanente entre os interesses da sociedade civil organizada e o parlamento no que diz respeito à democratização da comunicação no país. “Vamos trazer para este debate todas as entidades que militam em prol da democratização da comunicação e da liberdade de expressão no país. Queremos acompanhar e influenciar o processo de debate dentro da Câmara sobre o novo marco legal das comunicações”, defendeu.

    Para o deputado federal baiano, Emiliano José, escolhido como principal interlocutor do PT para assuntos de comunicação, o debate tem também como objetivo aumentar o número de pessoas que produzem conteúdos de informação, além de ampliar a diversidade de canais de comunicação, gerando assim, mais opções para a população. “Hoje com o advento da internet, não há jeito de a produção ser exclusividade da mídia hegemônica. Nós queremos ampliar ao máximo a propriedade, queremos criar milhares de produtores de conteúdo. É preciso ter diversidade de informações, dando mais respeito a produção regional, só assim poderemos democratizar efetivamente a comunicação no Brasil”.

    Segundo informações do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, ainda este ano, o governo federal deve enviar, ao Congresso Nacional, a Lei da Comunicação. Diante disso, membros da Frente Parlamentar buscam informações sobre o projeto e antecipam os debates sobre o marco regulatório.

    http://bahiadefato.blogspot.com/2011/02/frente-parlamentar-vai-debater-e-propor.html

  110. Isso é mais que descaso ou deboche. Não há intenção de esclarecer coisa alguma sobre o caso Herzog, nem sobre os mais de cem desaparecidos, por parte do Ministério da Justiça, atendendo ao que por inúmeras vezes Nelson Jobim (Defesa) explicitou. A exigência absurda e grosseira de uma certidão de óbito neste caso, a meu ver, já mostra que os retrocitados servidores, Ministro e prepostos, já julgaram e decidiram. O resto é balela semântica de segunda.

    Que Lula jamais mandaria liberar o acesso a tais documentos era de amplo conhecimento. Mas minha esperança residia na Presidenta, na qualidade de, como lembrado ao cimo, uma sobrevivente dos porões da tortura.

    Não seria o caso de levar ao conhecimento de Sua Exa. Dilma o inteiro teor do histórico aqui relatado?

  111. Meu caro Kotscho, eu sou um desencantado, primeiramente, com o PT, segundo com Lula.
    Sem entrar em muitos detalhes, resumiria que a corrupção descarada desses últimos anos, a falta de respeito no cumprimento da lei para os políticos larápios, como cumprem para os criminosos sem “pedigree”. culminando com a famosa frase cínica: ” Eu num sabia de nada”, me fizeram deixar de ser, além de crente de que Lula seria aquele que moralizaria nosso país, eleitor do PT.
    Hoje, sinto náuseas do PT e de todos que o apóiam.
    Entretanto, uma faísca de esperança ainda mantenho, talvez até nem devesse, mas tenho!
    Esperança de que a presidenta Dilma surpreenda todo esse monte de lixo que a cerca, esterco fétido, resquício de um tempo de corrupção e mentira.
    Minha consciência me azucrina com a pergunta: mas você não acreditou no Lula, operário, líder sindical que combatia a exploração dos trabalhadores pelos patrões etc etc etc… veja no que deu….
    E mesmo assim eu teimo em acreditar na presidenta, é um sentimento que veio depois das eleições, pois sequer eu a apoiei, ao contrário!
    É que eu vejo nela qualidades para fazer o melhor governo desse país, sabe por que?
    Porque ela é mulher, mãe, avó, foi perseguida e presa por um regime ditatorial, tem competência, demonstra firmeza e saber que está cercada de todo tipo de estrume no mais alto grau de putrefação.
    O que você contou em seu artigo, Kotscho, não vejo como consequência do que pensa a presidenta em relação à liberdade de se consultar arquivos do tempo da ditadura, e sim como prova da incompetência dos que a cercam.
    Não podemos esquecer que a maioria dessa gente lhe foi imposta, ela pode não dizer, mas foi. Compromissos assumidos que não podem ser descumpridos. Mas eu creio que, com pouco tempo, quem não andar na linha de um concerto dirigido por ela, vai dançar.
    Errei com Lula, teria tudo para desistir de ver este país entrar nos trilhos, pois decepção como essa é difícil de superar. Mas prefiro tentar outra vez.
    Se eu errar dessa vez, Kotscho, desisto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *