Que tal fazer de 2011 o "Ano Menos?"

Que tal fazer de 2011 o "Ano Menos?"

Atualizado às 13h45 de 3.11

Bem-vindos a 2011! Neste primeiro dia útil do ano, já estou de volta ao batente. Mas, como acabei de chegar de viagem, vou deixar para atualizar o Balaio na manhã de terça-feira, dia 4.

Preciso primeiro saber o que está acontecendo por aqui… Desta vez, passei mesmo duas semanas totalmente fora do ar. Nem celular levei. Foi muito bom.

Por enquanto, vou apenas moderar os comentários que vocês deixaram na minha ausência e agradecer a todos pelas centenas de mensagens enviadas ao meu endereço eletrônico particular.

De 2010, não posso reclamar: o Balaio bateu em quase 2 milhões de acessos no ano passado. Para ser mais exato, foram 1.985.584, segundo o Google Analytics. Ganhamos muitos novos leitores e tivemos o patrocínio renovado. Assim, só nos resta continuar otimistas no pensamento e na ação.

Abraços,

Ricardo Kotscho

***

Caros leitores,

este blog e toda a sua equipe de um só sairão de férias coletivas a partir de amanhã, sábado, dia 19 de dezembro. O Balaio voltará a ser atualizado a partir de 3 de janeiro de 2011.

Pela primeira vez em muitos anos, a família Kotscho viajará para o exterior, agora com o refôrço dos meus três netos, que me convidaram para conhecer o Mickey lá na terra dele.

Não faz sentido levar o notebook, convenhamos. E é bom ficar um tempo longe da fábrica de informações, sem ler nem escrever notícias. Assim os leitores também tiram uma folga de mim.

Feliz Natal e que 2011 seja o “Ano Menos”, como proponho no texto abaixo, o último de 2010. Muitas felicidades e saúde para todos!

Abraços,

Ricardo Kotscho

***

Desde pequenos, somos ensinados a querer ter e ser sempre mais. Assim, em todos os finais de temporada, em nossas reflexões sobre o que passou e nas intenções para o ano novo, no balanço de perdas e ganhos, sempre fica faltando alguma coisa para fazer ou conquistar, e lamentar algo que ficou pelo caminho.

Fazemos promessas para mudar de vida, olhando sempre para cima e para mais longe, buscando novos e cada vez mais difíceis desafios. Por que tem de ser assim por toda a vida, mesmo quando o tempo que nos resta é cada vez menor?

Do jeito que vamos indo, com tudo tendo que ser sempre mais e melhor, todos tendo que vender mais e consumir mais, a economia mundial crescendo sem parar, mesmo em tempos de crise, com cada vez mais carros, aviões, navios, fábricas e usinas poluindo o ambiente, shopping centers se multiplicando como cogumelos por toda parte, lojas, bares e restaurantes lotados, uma hora este nosso velho mundo vai explodir em todos os sentidos.

Como ninguém tem fôrças para mudar o mundo, muito menos para fazer ele parar, poderíamos pelo menos começar a pensar em mudanças possíveis na rotina de cada um de nós. Quem sabe, com o tempo, as coisas não começam a desacelerar e melhorar a chamada qualidade de vida?

Apenas oito anos atrás, o principal objetivo do presidente Lula que assumia o governo era combater a fome, garantindo a cada brasileiro pelos menos três pratos de comida por dia. A desnutrição de milhões de brasileiros ainda era o maior problema de saúde pública.

Nesta sexta-feira,  fiquei sabendo pelo noticiário que 50% da nossa população já está acima do peso e crescem assustadoramente os problemas de obesidade, incluindo o autor destas mal traçadas linhas, que mais uma vez está fazendo tratamento para largar o cigarro, e sofre os efeitos.

Parece o destino daquelas regiões que são assoladas ora pelas secas, ora pelas enchentes. Será que não pode haver um meio termo, um ponto de equilíbrio nas nossas vidas e nas nossas terras, ou este permanente querer mais não será a própria causa das tragédias naturais e humanas que afetam o mundo todo também cada vez mais?

Fiquei pensando em tudo isso num recente retiro espiritual do meu Grupo de Oração ao notar que algumas pessoas estavam falando demais, até mais rápido do que pensam, com opiniões formadas e definitivas sobre todos os assuntos espirituais ou terrenos, como se quisessem convencer os outros de que aquele era o único caminho.

Não só em retiros, que  deveriam ser redutos de silêncio e meditação, mas em quase todos os lugares aonde vou, tenho notado que as pessoas todas estão falando cada vez mais, cada vez mais alto, o tempo todo, sem dar tempo de pensar no que estão dizendo.

Na internet, do mesmo jeito, autores e leitores escrevem cada vez mais comentários sobre tudo que lhes vem à cabeça, repetindo sempre as mesmas certezas, transformando opiniões pessoais em dogmas, como se estivessem querendo criar uma seita de seguidores.

É impossível ler todas as mensagens que me mandam o dia inteiro, todo dia. Às vezes, nem dá tempo de abrir os e-mail para saber do que se trata. Desta forma, estaremos nos comunicando e fazendo entender mais ou menos?

A partir desta constatação, comecei a pensar para quantas coisas poderíamos nos propor menos em lugar de mais neste raiar de outro ano da nossa breve passagem pela terra _ quer dizer, inverter um pouco este jogo de perde e ganha que está ficando cada vez mais chato e perigoso.

Por exemplo: poderíamos começar nos propondo consumir menos, menos tudo. Porque muitas outras coisas estão relacionadas a esta febre de ter e ser mais: trabalhar mais, comprar mais, vender mais, viajar mais, comer mais, beber mais, competir mais, assumir mais compromissos, ganhar mais, poluir mais, querer mais, exigir mais de si mesmo, desmatar mais, buzinar mais, gritar mais, brigar mais, correr mais, jogar mais, blasfemar mais, se estressar mais e, assim, ter mais chance de ir parar num hospital do que chegar à felicidade.

Se não trocarmos todos estes mais por menos, uma hora acabaremos  consumindo a nós mesmos.

Pode parecer incoerência minha fazer esta proposta ao final de um ano estafante de trabalho e compromissos variados em diferentes áreas de atividade, às vésperas da viagem a um dos maiores templos do consumo do mundo. Eu sei, mas só o fato de me permitir tirar duas semanas de férias de verdade com a família já pode ser um bom sinal de mudança.

Espero que não me entendam errado, imaginando que sou contra o progresso da humanidade, um hippie gordo e careca meio fora de época, que está voltando agora de Woodstock. Não estou dando receita para ninguém. Esta é apenas minha intenção neste final de ano, resume o que penso e sinto neste momento, mas cada um é que sabe do seu sonho e da sua dor.

Também não virei adepto destas modas de vida alternativa, pregador da sustentabilidade em comunidades ecológicas, nem pretendo me tornar um vagabundo. Busco e proponho apenas um pouco mais de equilíbrio, aquela história de que menos pode ser mais, qualquer que seja a nossa condição de vida. É uma boa hora para pensarmos nisso. Afinal, não custa nada.

E os caros leitores do Balaio? O que estarão pensando e se propondo para 2011?

O grande barato deste trabalho em mão dupla na internet é exatamente poder saber o que os outros pensam e permitir que as ideias de um leitor possam ser úteis e servir de inspiração para outros balaieiros.

Muito grato a todos vocês por mais um ano de gratificante convívio. Divirtam-se. Até a volta.

123 thoughts on “Que tal fazer de 2011 o "Ano Menos?"

  1. Desejo a todos em 2011:

    MAIS solidariedade;

    MAIS nacionalismo;

    MAIS justiça;

    MAIS igualdade de direitos e deveres;

    MAIS apuração e prisão de falsos políticos;

    MAIS consumo para as classes emergentes; (deixa o POVO engordar também…)

    MAIS TUDO PARA TODOS!

    p.s. Depois mando os meus votos

  2. Conheci o BaLAIO em 2010 e não abro mão dele.Fiquei feliz ao saber que não vai fechar , não por falta de patrocínio que foi renovado..
    Muito BALAIo então em 2011!!
    Férias, Natal e Ano Novo maravilhosos para o senhor e sua família.
    Vera

  3. Realmente uma pausa desta ansiedade toda,certamente nos conduzira a uma melhor qualidade de vida,quero sim uma vida mais calma,equilibrada,menas correrias,como diz o nosso amigo,não sou contra o progresso,alias precisamos dele,porem não podemos perder a oportunidade de viver.

  4. Ricardo
    Sábias palavras – de trocar o mais por menos, as pessoas estão cada vez mais envolvidas com o mais que esquecem de desacelerar suas vidas e inevitávelmente adentra num lugar (hospital) onde fará refletir em que se tem feito.
    Precisamos fazer essa troca urgente !!!
    Feliz 2011!!

  5. Taí, Ricardinho, mnenos pra você também. No sentido que você dá aí nesse texto. Grande sacada essa de a gente acabar “consumindo a nós mesmos”.

    Volte novo e menos…

  6. Ricardo, um feliz natal a você, sua familia e a todos os leitores do balaio, que neste dia se reflita a importancia de cada ser humano neste mundo, que lutamos para faze-lo mais justo e com mais dignidade aos menos favorecidos.

  7. Boas férias para o senhor e sua família, aproveite os momentos de descanso e recupere as energias.

    Quanto aos desejos para 2011… é melhor não desejar nada, pois nada irá mudar mesmo. Continuaremos consumindo sempre mais, falando sempre mais, reclamando sempre mais até o momento em que já não tivermos MAIS!!

    Feliz 2011!

  8. Menos mesmo…
    Menos violência,
    Menos injustiça,
    Menos robalheira dos políticos corruptos,
    Menos hipocrisia,
    Menos novela,
    Menos egoísmo, vamos parar de olhar somente para nossos lindos umbigos…
    Mais amor a nós mesmos e aos outros… e a todos…

    Vamos sair do automático e colocar mais “coração” nas nossas atitudes.

    Bjos…

  9. concordo muito com tudo .. ja paramos com a Coca Cola lá em casa !!! hehe

    que tal menos politicos corruptos? menos aumento de salario para os politicos , a grande maioria corruptos .

  10. Legal…

    Em 2011, vamos entao tentar diminuir o que for ruim e o que estiver em excesso em nós…

    E aumentar tudo o que for bom, tipo: solidariedade e amor ao próximo, que é o que tá faltando muito hoje em dia!

  11. É isso aí, Kotscho. No lugar do consumismo exagerado, da ansiedade frenética, do individualismo absoluto, um novo ano para saborear o que já temos, ouvir e ajudar mais as pesssoas. Que 2011 seja o ano do recomeço do mundo. Um mundo de paz e de amor ao próximo. FELIZ ANO NOVO!

  12. Adorei a matéria!!!
    Concordo em número, gênero e grau!!!
    Sinto-me de passagem (e esta muito breve) pela vida…
    A correria do dia a dia, o progresso acelerado e sem planejamento, o próprio “querer sempre mais”, estão nos levando ao caos e nos tirando a paz…
    Onde será que vamos parar?

  13. Ricardo…penso tb que é preciso ir na contramão dessa “exigencia” capitalista que nos devora….ter, ter, ter..
    precisamos de mais solidariedade, compromisso com a vida, silêncio….
    BOM NATAL A TODOS DO BALAIO! QUE JESUS NASÇA MAIS UMA VEZ EM TODOS OS CORAÇÕES!

  14. Sou a favor da pruralidade e encontro isso aqui. Porém,
    eu normalmente escrevo para discordar; pois como dizia nosso saudozo Chacrinha, “Eu estou aqui para confundir não para explicar”…rs. Sou assim fazer o que???.
    Mas, tenho que concordar com Ricardo Kotscho, a vida está acelerada demais. Mire-se no exemplo de produtos que foram substituídos com sua “validade” ainda presente. Talvez o maior exemplo deles é o vinil, renovado em grande parte do mundo.
    Diante disso, observo que a crise mundial trouxe talvez o sentido de que algo não ia bem, não era mais possível manter aquela velocidade.
    Diante disso, vamos tentar resgatar o que foi perdido.
    O OLHAR PARA O CÉU (Não só pra ver se chove..rs).
    SENTAR E OBSERVAR O MOVIMENTO E OS SONS DA CIDADE, OS PRÉDIOS…AS PESSOAS.
    ME INCLUO EM DÉBITO COM MEU SEMELHANTE. TENTAREI NO ANO QUE SE INICIA FAZER AO MENOS UM AMIGO A MAIS, INDO ATÉ ELE E NÃO ESPERANDO O CONTRÁRIO.
    FELIZ NATAL A TODOS!!!
    QUE O PRÓXIMO ANO SEJA SENÃO “MAIS”, PELO MENOS MELHOR.

  15. Espero que as pessoas sejam menos solitárias em 2011 porque hoje a solidão também está virando um mal social, uma questão de saúde pública como a obesidade, o alcoolismo, a violência. A solidão corrói a alma das pessoas que vão se tornando cada vez mais isoladas e apáticas, acho que essa situação se deve à rapidez do mundo moderno, mas também, ao consumismo, à competição desenfreada, à inversão de valores e outros males modernos. Sempre que vejo estas revistas de celebridades nas bancas, estampando pessoas lindas e sorridentes, eu desconfio pois volta e meia temos notícias que estas celebridades estão se tratando de depressão ou do consumo de drogas. Em 2011, não espero felicidade completa para mim ou para os outros, simplesmente porque não acredito em felicidade plena: às vezes somos felizes. Porém, espero que em 2011 as pessoas deixem seus notebooks, leptop e computadores todos um pouco de lado e procure mais os amigos e a família, para assim diminuir a solidão.
    Feliz Natal e grande 2011.

  16. Kostcho “APESAR DO PESPECTIVAS NEGATIVAS PARA O TRICOLOR PAULISTA, DEVIDO AO CONTINUISMO DE SE JOGAR SEM GOLEIRO”, quero “DESEJAR À VOCÊ, AOS SEUS COLABORADORES E ‘PRINCIPALMENTE’ À TODOS QUE AQUI PARTICIPAM DOS COMENTARIOS”, um NATAL “DRODEADOS DE AMIGOS DE VERDADE”, pois SÓ ASSIM “É UM FELIZ NATAL”, e “UM ANO NOVO FELIZ DE VERDADE E MUITO PRAZEROSO”, ja que “TODOS VOCÊS, ‘ATÉ MESMO O POVO DE SANTA CATARINA E RIO GRANDE DO NORTE’, AJUDARAM A CONTINUAR MUDANDO AS VIDAS DO NOSSO POVO BRASILEIRO”. Um beijo À TODOS, “E MUITAS FELISSIDADES AOS FAMILIARES DE CADA UM”. Valeu!

  17. Já que falamos de mais e menos poderiamos resgatar alguns valores interessantes;

    MAIS tempo com nossas famílias;
    MENOS tempo falando da vida alheia;

    MAIS compaixão;
    MENOS deprezo;

    MAIS solidariedade;
    MENOS egocentrismo;

    MAIS amor;
    MENOS ódio;

    enfim,

    muito mais FELICIDADE a todos nós.

  18. Prezado Kotscho

    Sempre que possivel acompanho seu blog. Acredito na força de sua escrita, sincera, inteligente e provocadora.

    Adorei esta sugestão de um 2011 “menos”. Concordo que temos que tirar um pouco o pé do acelerador e curtir nossa paisagem, nossa vida.

    Tentarei seguir sua sugestão, além de compartilha-la com a familia e os amigos.

    Um abraço, um excelente natal e um 2011 menos para vc.

  19. Feliz natal 2011

    Férias e bom para quem pode tirar têm que aproveitar

    Podemos pensar nisso a partir do ano quem vem

    Ou vamos continuar construindo a maior granada humana, de todos os tempos

    A química indica grandes eventos variados, para o mundo sem o calor do duplo clima

    O que mais faz engordar as pessoas e o pavio curto discutindo todos os dias sem parar em casa no trabalho, e por ai mantém a postura como se nunca discutiu, com ninguém

    Parece que as pessoas estão usufruindo todas as coisas como se fosse a ultima vez, antes da morte

    Barril do petróleo vai passar dos 300 dólares dando adeus, ao precinho com as ações das petrolíferas passando dos três mil por cento de aumento

    Vai fazer alegria dos acionistas, com esse produto que ira se esgotar sem ter ainda seu substituído altura, por isso os preços vão subir nas alturas, para demorar acabar

    Por isso se der certos as mistura dos átomos pela maquina do tempo Bing bem que vai desvendar o segredo da nossa existência que e considerado um mistério

    Digo que e uma coisa básica muito simples depois da descoberta, ate petróleo vai sobrar se for antes de terminar a prova final, o dia desse grande anuncio de maior evolução de todos os tempos, salvara todas as coisas sem manutenção

    Inclusive nos que nem lembramos mais nem do natal, dos outros que somo-nos que esperamos isso para realizar os sonhos de todos, nos em todos os natais ( são partes da ficção)

  20. Boa Ricardo!! geralmente lembramos sempre de referencias ligadas aos formadores de opinião para um reflexão maior em nossas proprias vidas , portanto nada como ver um formador de opinião dando um bom exemplo para todos leitores…em suas férias pode também chegar a Disney e simplismente dar uma volta no corrossel do nosso amigo Mickey para lembrar das “voltas” que fazemos em torno de nossos proprios erros e trazer a reflexão para melhorar nossa trajetoria em 2011..ou simplismente um abraço nos colegas Donald e Pluto para perceber como é muito menos pra vivermos mais em nosso bem estar..enfim..aproveite sua férias em família pois isto realmente nunca será demais..
    um abraço do leitor!

  21. “Na internet, do mesmo jeito, autores e leitores escrevem cada vez mais comentários sobre tudo que lhes vem à cabeça, repetindo sempre as mesmas certezas, transformando opiniões pessoais em dogmas, na esperança de criar uma seita se seguidores”.

    Ora Kotscho, se lhe incomoda a liberdade de expressão das pessoas então porque o teu balaio de gato permite os comentários?
    Você é daqueles que só gostam de ouvir elogios e bajulações, à esses você não critica.

    Entretanto se surgem pessoas com pensamentos próprios e que contrariam o senso comum alienante que os meios de comunicação querem impor às pessoas o caso é tratado como rebeldia e até mesmo desvario.

    Então eu lhe pergunto: É só a sua opinião a mais correta? És tu o dono da verdade? Me responda!

    Só conheço um que seja dono da verdade e é claro que não é você. Passe bem, medite sobre isso e um Feliz Natal meu caro…

    1. Respondendo para o Sr.Altimar , camarada que entendimento errado eim ? você deve tentar entender o que você escreveu , antes de enviar esta critica ao artigo do Kotsho , pois não foi nada disso que você entendeu o que ele escreveu ! vamos tirar o pé do acelerador isto mesmo e buscar mais qualidade de vida que nos é tão preciosa , para seguirmos em frente . Feliz Natal !

  22. Ja até descordei do autor deste blog algumas vezes, em assuntos políticos, mas este texto dele foi sensacional. Pois penso exatamente como ele. Não sou contra o consumo consciente (estou afim de comprar uma Lcd), mas vou deixar o preço cair. Enfim o que não da e para nos tornarmos so consumidores, quem assim age é porque esta tão vazio quem tem que se preencher com qualquer coisa. Hoje infelizmente até a religião que antes tentava levar ao homem uma visão transcendente, hoje na maioria delas (é claro não podemos generalizar), busca-se apenas membros (contribuintes) e não é atoa que elas dominam a mídia atualmente. Ou seja não podemos permitir que os meios (consumo) vire um fim (nossa vida).

  23. Boa viagem e feliz Natal e Ano menos novo.

    Vai ser um sarro, você que nem eu voltando da Disney com aquele chapeu do Kikey na cabeça. Ridiculo, porém muito, muito divertido.

    O Walter Disney, apesar de Reptiliano, contratou para o seu staf gente que sabe nos fazer crianças felizes com carrinhos de madeiras e bonecas de pano, época em que o mundo era mais devagar, porém muito, muito feliz.

    Sua proposta é ótima, tô nela, aliás lá na Bota Européia, algumas cidades já estão adotando o “mais devagar”.

    Velocidade? só gosto de automobilismo e vento na cara.

    Abraços.

  24. parabens pela reportagem… concordo totalmente com o Sr..
    bom natal e feliz ano novo para o senhor e toda sua familia e mais uma vez, parabens pela excelente materia..
    GRANDE ABRAÇO

  25. Sou fã incondicional do Balaio, que também conheci em 2010.
    Para 2011, saúde, paz na terra aos homens de boa vontade e mais confiança num mundo melhor!
    Boas festas!
    Cleusa

  26. Caro Kotscho, gostei muito do seu texto, que aprovo integralmente. Para você e sua familia, Feliz Natal e ótimo Ano Novo, mais o meu muito obrigado pelo prazer que tive lendo seu blog ao longo de 2010, apesar de dele discordar muitas vezes…. Grande abraço.

  27. Já tem algum tempo que venho particando o “fazer menos” em algumas áreas da vida, bom ver que nem todo mundo acha que ter ou ser mais é sempre o melhor a se fazer.

    Abraços e bom fim de ano a todos.

  28. jÁ não houv SEGUNDO, nem segunda; e consumíramos a nós mesmo. Como escapar desta: nós mal iniciamos a nos instruirmos, sequer sermos menos egoístas. E, sans finale a edificarmos. Alguém precisa – exatifica – onde não com quem estarmos menos miseráveis? Grazi , este D n

  29. Olá meu Amigo! Sou leitora da sua coluna no ig e me chamou a atenção o fato de vc fazer parte de um Grupo de Oração… Por acaso é da Igreja Catolica??? Gostaria de saber por curiosidade pq eu tb participo do Grupo de Oração aqui na minha cidade em São Bernardo do Campo. Um grande abraço e FELIZ NATAL! Que Deus abençõe vc e sua familia.

  30. Ricardo,
    Nao perco um texto seu.Admiro seu talento, sua inteligencia, seus conhecimentos.
    Agora, fiquei conhecendo mais uma de suas qualidades
    SENSIBILIDADE
    Voce colocou bem o dedo na ferida.Sempre querendo mais e mais ate explodir.
    Tenha umas ferias agradaveis na Disney e volte logo.
    ja estamos com saudades!

  31. Chará… Bom fim de Ano!!! Aproveite essas férias, pois o que realmente vale é a família… É o único bem eterno que temos e se bem cuidado, o mais precioso também… Parabéns pela sugestão… Quem sabe com esse “pensar duas vezes” antes de falar, comentar, opinar, não teremos realmente interatividade na rede e não gladiadores digitais, que querem vencer com seu argumento pronto a qualquer custo… rsrsrs… Então, já que o tema é menos… Menos intolerância!!! Podemos ser de várias vertentes de pensamento, mas no final somos apenas 1, somente o respeito e a tolerância faz somar 1+1. Um abraço e feliz 2011, com “menos” xingamentos aqui nesse espaço, e parabéns pelo Blog, seus textos são sempre muito bons.

  32. Um bom descanço no final do ano não faz mal a ninguem.O que faz mal em final de ano é a comelança.Umas boas férias no final do ano também não faz mal a ninguem,o que faz mal é um certo tipo de loira gelada,não aquela que gostaríamos de deitar ao seu lado,mas aquela que nos faz deitar se não tivermos moderação.Boas férias,bom descanço,um Natal cheio de alegrias ao lado dos seus familiares e amigos,são os meus votos.

  33. Olá Ricardo!
    É primeira vez que que estou visitando o blog, e achei legal a proposta de desacelerar a vida, pena que nem todos podem se dar a esse luxo. Como dizer a um pai de família que ganha uma miséria de salário, tem pouco estudo, ou pouco acesso a educação, que tem cair dentro para sustentar a família para desacelerar, fazer menos?
    Meu caro. Sua proposta é ótima, mas penso (por favor me convençam se eu estiver errado) que ela não serve para todos, talvez para a classe média e para os ricos.
    Aproveite a Disney, e lembre-se que a maioria do povo não terá esse privilégio.
    Um abraço.

  34. Realmente muito sábias as palavras do Ricardo.
    Esse menos que ele propõe nos aproxima mais do mais da nossa concição humana: o poder de refletir. Somos realmente pressionados a ter um suposto melhor em detrimento de um planejamento lógico da nossa vida. O interessante disso tudo é que o mais simples é o que mais nos fazem felizes. VAI AQUI MEU FORTE ABRAÇO e mostar a minha mulher para ver se ela desiste de comprar o vigésimo par de sapatos…há…há…Feliz 2011 pra todos.

  35. Olá, Ricardo.
    Ótima observação. Já estão praticando o “mais devagar” em pequena (s) cidade (es) da Itália. Estamos acelerados demais. Qual o objetivo? Vamos curtir um pouco mais a graça de viver.

  36. Desejo menos a todos,
    Menos tudo que é mal.
    No rádio, e na TV,
    Internet e jornal.
    Menos politicos ruins,
    já seria um bom sinal.

    Então, menos seria mais
    saúde, paz, educação,
    e mais seria bem menos,
    impostos, stress, corrupção…

    e aí vai…..

    Um Feliz MENOS NOVO!!!

  37. Ótima reflexão, Ricardo. Como outros, também já comecei a reduzir a quantidade de coisas em minha casa e urgências na vida. Presente de Natal, só o que acaba logo: flores ou uma bela garrafa de vinho, a ser degustado entre amigos. rsrs
    Aliás, os chineses já tinham descoberto a relação de equilíbrio entre os opostos. Basta aceitar que, muitas vezes, é preciso desacelerar para poder continuar indo em frente.
    Feliz Natal!

  38. Você falou tudo. Está até dando preguiça de relacionar,porque as pessoas querem ser sempre mais. Venho notando isso há um bom tempo. Sempre tem alguém que sabe mais a respeito de tudo. Ninguém quer dar espaço a ninguém. Tá chato. É competição pura. E o tal de Eu conheço fulano, que é dono de blá blá blá…..Afinal, quem não conhece alguém influente, ou ricaço, ou fera em alguma coisa, mas tem gente que compete usando os méritos alheios. Muiiito chato. Menos, gente. Menos.

  39. Muito interessante Ricardo. Estas últimas semanas estava exatamente pensando sobre este mundo acelerado e sobre o consumismo exagerado que acabamos vivendo. Me senti caindo “na real” vendo tudo que estava vivendo. O estranho é que já havia caído na roda de novo e esse texto me fez cair “na real” novamente.

  40. Kotscho:
    A ideia é boa para poucos que têm muito e estão sempre correndo para ter mais ainda. Acontece que muita gente não têm nada ou muito pouco e quer menos siginfica apressar a morte por fome, sede, frio e/ou doenças daí decorrentes.

  41. Caro Ricardo,

    Boas férias. Fui educado para sempre agradecer por aquilo que temos. Claro que sempre me movi no trabalho e na vida pessoal para evoluir e ser um “melhor profissional” e “melhor ser humano”. Isso me levou a sucessos e fracassos ao longo de quase 60 anos. Mas o saldo é extremamente positivo no aspecto espiritual. Hoje me acredito um ser humano melhor do que já fui. Espero em 2011 apenas continuar evoluindo enquanto ser humano. No aspecto material tudo que vier a mais ou a menos será benvindo. Um puta abraco.

  42. MERRY CHRISTMAS AND A HAPPY NEW YEAR

    Só para você entrar no clima. Lindo texto, maravilhosa proposta a todos nós. Temos que ser MENOS para podermos ser mais GENTE, FILHO, PAI, IRMÃO, AVÔ AVÓ, AMIGO, CHEFE, ESPOSO, AMANTE !
    Você não está se permitindo, você tem o direito..
    Todos nós temos o direito de fazer o que nos faz feliz. Sem conceitos e preconceitos.
    Vamos ser menos, idiotas, menos burros, menos egoistas.
    Vamos ser menos prpotentes, prosaicos, orgulhoso em dose cavalar.
    Vamos transformar em menois a distancia entre nós e Deus, cada um da sua maneira, cada um com sua fé, mas vamos respeitar a fé do outro afinal, Deus, é um só, e todos os camilnhos levam a Roma, ou melhor, a Deus.
    Vamos ser menos canrracudos e sorrir mais para o porteiro, E por ai vai.
    Olha, curta seus netos, mais, quem vai curtir mais vai ser você!!! Coloque as orelhas do Mickey, usa aquele chapéuzinho com canudinho e beba muita coca cola, simbolo do imperialismo que é bom para cacete. Alugue um BMW em Miame e va até Boca Raton, passeie,se farte de Pina Colada, Taco, coma um puta Big Mac com prazer, você tem o direito de ser criança.
    De um beijo na Branca de Neve, um cascudo no Zangado, dance um samba arrastado com o Zé Carioca. Filme, fotyografe a parada Disney, Ria com o Pateta, abrace a Minie e tire uma foto, você merece, e não se culpe ou se preocupe com os babacas que te criticaram, s3e criticaram por estar no templo do consumismo, do imperialismo. Comunistas de merda que não podem realizar seus sonhos, aí inventam estas babaquices.
    Novamente:

    MERRY CHRISTMAS AND A HAPPY NEW YEAR

    Se der va passar o dia de Natal na Big Apple, mostrar a neve a seus netos, ver a ávore no Rckfeller Center, em fim,

    VIVA MUITO! Todos tem que viver!
    Viver menos pára ser mais!!!!

  43. Esse tgexto ficou excelente.
    Feliz do homem que tem tamanha capacidade de escrever tantas coisas boas e interessantes e atingir essa grande massa de leitores da NET.
    Parabens ao autor.

  44. Caro Ricardo,

    Assim como o vento, que anda em círculos, o tempo também consegue essa proesa.

    O seu texto lembra o mesmo que o filósofo Sócrates, da Grécia antiga, disse numa frase curta e direta quando, certo dia, parou diante de uma tenda do mercado em que estavam expostas diversas mercadorias, depois de um tempo, exclamou: “Vejam quantas coisas o ateniense precisa para viver”.

    É a mesma ironia, as pessoas buscam a felicidade nas diversas opções que o mundo lhe oferece e, quanto mais “ter” e “ser”, mais se acredita na conquista da felicidade.

    Por outro lado, apesar de que todas essas coisas não serem fórmulas para a verdadeira felicidade, não deixa de ser “uma válvula de escape”, principalmente para os que não conseguem tê-las, que é a grande maioria, justamente porque acreditam que se tivesse tudo ou fosse alguém de destaque na vida seriam felizes.

    Mais difícil é para quem tem e é, porque nem esta “valvula de escape” tem e, se em algum momento tiver uma recaida, nem essa esperança tem para se apoiar.

    Portanto, a felicidade é abstrata e não existe fórmula e nem explicações: você sente e pronto. Ela é muito além do que se tem ou é.

    Boas festas e feliz 2011 a todos!!!

  45. É…tá todo mundo concordando com o Kostcho. Tudo muito bom…tudo muito bem. Duvido é ver ao menos um desses entusiastas do “menos é mais” assumir essa postura na prática.

  46. Caro Ricardo!!!
    Você escreveu um brilhante artigo, finalizando o ano de 2010 e nos alertando do grande vicîo de sempre querermos ter mais.
    Desejo que vc tenha uma boa s férias e boas festas e aproveite bem sua viagem.Estaremos juntos em 2011 e acreditando sempre em seu maravilhoso trabalho frente o “Balaio” que aprendemos a gostar e saber que sempre foi e será o blog mais consagrado do Brasil.
    Para você, sua maravilhosa familia e todos os blogueiros do Brasil que admiram o “Balaio” Boas Festas e um maravilhoso inicio de 2011.

  47. Boa noite Ricardo!
    Boa noite amigos balaieiros!

    Excelente texto Ricardo! Essa sua indagação tem todo o sentido, porém, acredito que não encontraremos respostas.
    Ainda mais meditando sobre o assunto, lembrei de nossos POLÍTICOS que se fizeram um aumento (mais) de “carícias monetárias”.
    Então, eu desejo da minha parte MENOS para todos nós!!!
    Menos discussões improdutívas, menos doênças, menos violência, miséria, enfim, menos todas aquelas coisas desagradáveis, incluindo as “peripécias” com o nosso dinheiro dos impostos.
    Estamos deixando mais um ano para trás, um ano não, uma década.
    Então, eu vou usar o meu desejo NO ATACADO, e desejar (de coração) tudo isso para à próxima década, que não deixa de ser MENOS que um século.

    Um ótimo passeio Ricardo! Aproveite bem com a família, e mande um abraço para o “Donald” (meu favoríto) pois é esquentado que nem eu.

    Aos amigos do baláio, um forte abraço, e que venham os novos calendários.

    Robson de Oliveira

  48. Ricardo, voce fechou com um belo texto o seu Balaio em 2010, parabéns Véim.

    Realmente…viramos escravos de novas necessidades, e de nossas convicções. Levamos muito a sério esta cultura comportamental que nos cerca.

    E…acabamos morrendo sem ter vivido.

    Pois viver é ouvir o silêncio, e esta cada vez mais difícil ouvir este silêncio neste mundo tão barulhento.

    …mas…vamú qui vamú…

  49. Kotscho, você deveria, além da apropriada correção, ter fornecido o endereço da Tia Carmela ao seu ex-colega.
    Ela , que nunca deixou órfãos desamparados, poderia conseguir uma vaga de datilógrafo para ele lá na Caverna do Ostracismo, onde seria recebido com Aplausos.

  50. Você está de parabéns pelo seu texto, suas reflexões foram fantásticas. Realmente já passamos da hora de pisar no freio da vida consumista. Há muito deixamos de sermos considerados “seres humanos” e passamos a ser medidos, rotulados e valorizados enquanto consumidores. Esta “filosofia do menos” pode gerar mais benefícios. Reafirmo, adorei seu texto, tenha boas festas com sua família e um ano novo menos…

  51. COMO A MAIORIA DO POVO BRASILEIRO È POBRE,È
    NATURAL QUE NO INICIO DE UM ANO ELE DESEJE
    COMER MAIS E MELHOR,TER SERVIÇOS DE SAÙDE,
    EDUCAÇÃO E SEGURANÇA MELHORES DO QUE O ANO
    QUE PASSOU.E NAS FESTAS DE FIM DE ANO A MAIORIA
    ESTARÃO EM SEUS HUMILDES LARES DESEJANDO
    MAIS DO NOVO ANO,OU O CERTO SERIA DESEJAR
    MENOS DO QUE ELES TEM?APROVEITE AS FESTAS DE
    FINAL DE ANO EM CLIMA DE ALEGRIA,COM NEVE,LINDA
    DECORAÇÃO,

  52. Aos amigos Ricardo e Mara, desejo uma viagem fantástica, um Feliz Natal e um 2.011 repleto de realizações pessoais e profissionais.

    Aproveitem bem, curtam os netos e… até a volta.

    PS: Ricardo, não estou rogando praga, muito pelo contrário; mas desconfio que especialmente lá você não conseguirá livrar-se dos computadores. E ouso sugerir que você não resistirá e voltará com iPad fresquinho à tiracolo… À conferir.

  53. Kotscho,

    Desde o encontro dos “blogueiros progressistas”, realizado no segundo semestre do 2010, em São Paulo, uma questão intrigante, para mim, é o caráter reativo de tais blogs, ou seja, a necessidade de contrapor-se à midia tradicional – de resto, perfeitamente justificável – e a dificuldade ou incapacidade de produzir conteúdos, seja por conta de restrições práticas, seja pela inviabilidade financeira de iniciativas quase sempre pessoais, seja pelo poder das mídias tradicionais que tornam nossas, as preocupações dos donos delas. O problema, ou os problemas, são ou parecem ser reais e concretos. Mas não aqui, bem como em outros blogs que acompanho.

    Um certo “laissez-faire”, um “deixar rolar”, uma despreocupação “calculada” ou, simplesmente, um “saber fazer”, tornam o Balaio surpreendente a cada postagem sua. É quando aparece a experiência do jornalista e um ar, meio assim que desinteressado pelas pautas cotidianas do jornalões e das Tv’s que nos enfadam pelo formato quadrado e o caráter repetitivo, tais como britadeiras a furar cérebros, a martelar sensibilidades, a embotar as pessoas. Você se fia em seu próprio olhar, na experiência de quem viu o mundo – e ainda o vê – aparentemente sem a pretensão de mudá-lo, apenas registrando um ponto de vista particular, mas mudando-o mesmo assim, ao tempo em que vai tocando sua própria pauta. Repórter e pauteiro, redator e editor numa mesma pessoa.

    Os resultados são ótimos. Algumas vezes, postagens aparentemente inocentes, despretenciosas, suscitam discussões apaixonadas com sectários de um lado, solidários de outro, mas nenhum neutro. Há os que defendem e os que apedrejam. Mas, ao fim e ao cabo, ninguém se omite.

    Outras vezes, entradas diretas nos assuntos que estão na ordem do dia, caso das eleições presidenciais de 2010. Normalmente, o blogueiro paga o preço por ter lado, por ser amigo do Presidente Lula e com êle ter trabalhado. Os “cachorros loucos” ladram e rosnam, exigindo do autor a neutralidade da tela em branco do computador à sua frente. Se pudessem, empastelariam o blog. E aqui surge, explícita, mais uma característica da internet. Não há como fazer ato público em frente a um blog, bater ou apanhar da polícia – conforme a circunstância – e engarrafar o trânsito, contribuição francamente dispensável às nossas metrópoles (enquanto meus dedos batucam o teclado e eu leio o que vai aparecendo na tela, penso nas lanças dos inimigos de Julian Assenge – Credicard e um banco suíço, entre tantos outros – que tiveram suas instalações na web atacadas por hackers autodenominados Anonymous, parceiros do Piratas Bay, site sueco radicalmente contrário ao pagamento de direitos autorais. Daí concluo que nem todo mundo concordará comigo sôbre a inexpugnabilidade na internet. Pode-se atacar sites sem apanhar da polícia ou causar tumulto na rua, mas ainda não sabemos que preço pagaremos pela audácia, se é que alguém conseguirá cobrá-lo). Do outro lado, defesas igualmente intransigentes, inclusive minhas, diante de textos seus, o mais das vezes, descrições de situações singulares – por inusitadas, por grotescas, por dignas de compaixão, ou vistas como inusitadas, grotescas ou dignas de compaixão pelo ôlho do repórter – ocorridas dentro e fora da campanha eleitoral, acompanhadas de uma convocação à manifestação dos leitores, prontamente atendida.

    É notável também, o grau de tolerância do RK mediador, diante do poder de bloquear comentários mal educados, para ser justo, vindos de ambos os lados, dos concordantes e dos discordantes, ou melhor, de ambos os três lados, visto que encontramos gente contra, gente à favor, e gente muito pelo contrário. Vá entender…!

    Para mim, resta claro que existe uma grande surpresa sôbre o que fazer diante das imensas possibilidades da blogosfera – as reais e as utópicas – e os limites de nossa existência, marcada eternamente pela luta entre o querer e o poder, entre o querer e o fazer, entre o que julgamos que somos e o que conseguimos ser e, ainda, nos dias de hoje, pela necessidade de cada vez mais gente, aqui no Brasil e lá fora também, de libertar-se das amarras oligopolistas dos conglomerados midiáticos mundo afora, cujos pés de barro ficaram desnudos em apenas uma década, no caso do nosso país.

    Parece que você tem a resposta, ou pelos menos uma resposta. Vá lá!, a sua própria resposta para o “que fazer?”. Eu a definiria como um misto de imaginação, humildade, compaixão, sensibilidade, disciplina, conhecimento, dignidade e respeito”.

    E, como vejo um monte de gente fazendo exatamente o que quer, penso cá comigo. Tudo isto é parte de um problema real, ou apenas elocubração? Acho que os blogs mais interessantes e criativos estão nas mãos de quem não se preocupa com estas coisas.

    É por isso que também sou um balaieiro.

    Boas férias e Boas Festas, porque ano que vem, tem mais!

  54. Não da pra ser devagar.
    A minha dentista me perguntou.
    O Senhor, que gosta de física, não esta achando
    que o tempo esta passando mais rápido?
    Não!! É o nosso modelo de vida.
    Comparei outras fazes da minha vida e vi que o tempo também passou muito rápido.
    Naquela época a gente vivia mais presente, hoje a gente vive o amanhã.
    Como dizem, esta vendendo o almoço pra compra a janta.
    Já tem gente avaliando o futuro governo da Dilma, o Lula nem disse adeus.
    Já tem candidaturas para 2014.
    Já estou planejando a minha viagem no trem bala, assistir a copa de 2018.
    Esse modelo de vida é tão passageiro que eu perdi a noção de tempo, de data,
    Não me pergunte data, dia da semana, o dia que aconteceu isso ou aquilo.
    So sei que aconteceu.
    O que eu acho é que são tantas as opções de vida que a gente ficou perdida.
    Quanto tempo o telefone ficou pretinho… de repente mudou de cor, de forma,
    de função que as pessoas tem 3 ou 4 de uma vez e já tem fila esperando a próxima novidade.
    Eu continuo no DOS, no COBOL e no telefone fixo.
    Boas ferias, bom Natal.

    1. Êpa !

      COBOL ?

      Identification Division.

      Environment Division.

      Data Division.

      Procedure Division.

      Já fui bom nisso !

      Hoje em dia minha vida está mais difícil, pois resolvi aprender a programar microcontroladores(PIC, ATMEL).
      Mas pela dificuldade em aprender o famigerado C, resolvi apelar para o Assembly mesmo. Antes de morrer, eu ainda vou aprender esse tal de C. Se bem que agora, a parada é o JAVA…

      O Kotscho tem razão, sobre a necessidade de pisarmos no freio, mas não consigo fazer isso. Estou querendo sempre acelerar mais.

  55. O ano está para terminar, e um novo calendário será colocado na parede.
    Que em cada relacionamento pessoal de uma pessoa com a outra/ sobreponha somente o Respeito e a Dignidade (como dizia Monteiro Lobato)…/Só assim teremos um relacionamento puro, perfeito e verdadeiro.

    Mesmo sabendo que Hoje as palavras não dizem mais
    já não consertam nem vai quebrar
    são como a casca que se partiu
    porque não tem o que ocultar.
    Hoje as palavras já são demais
    nada puderam mudar.

    Hoje a verdade já se partiu
    em mil pedaços e se espalhou
    não cabe inteira num só lugar
    e no universo se derramou.
    Não é tão certo onde caiu,
    poucos sinais nos deixou.

    Deus já não brilha mais com poder
    há muitas luzes pra ofuscar.
    Vai entre o povo na escuridão
    quer ser o dia que vai raiar
    até que o mundo possa entender:
    Deus é a luz sem brilhar.

    Não podemos aceitar o Capitalismo
    que impõe a divisão da sociedade.
    Que produz toda essa massa de oprimidos,
    que nos come o salário e a liberdade.

    Já chega de sermos Vampiros da opressão
    ganhando baixos salários
    e ter que bater palmas pro patrão!

  56. Boa viagem, Kotscho.

    E boas festas a todos do balaio, especialmente aos sumidos Manoel Ferreira, Oromar, Luiz Carlos Velho e Luiz Teske.

    Esperamos reencontrá-los no balaio em 2011.

    Abraços e bom domingo a todos.

  57. Caríssimo, isto faz-me lembrar de uma frase de Gandhi:
    “A verdadeira felicidade está no não querer”. Não concordo integralmente com ela, pois temos que querer mudar este mundo (como ele mudou a Índia). Então, temos que ter em nossos peitos e braços a razão da mudança que queremos. Aí faremos a diferença.

    Boas férias e bom ano de 2011 a todos.

    Flávio Antonio Ferlin LOpes

  58. Kotcho, não sei se o caso do ano menos, ou ano do equilíbro, onde o menos é mais e o mais é menos. Falta mais educação, falta mais respeito aos idosos, falta mais carinho com o nosso cotidiano, falta amor ao próximo (sempre faltou), falta amor à vida, seja de que forma ela se apresente. Falta sensibilidade. Falta tanta coisa onde poderíamos dizer que tem a mais. Falta olhos abertos para dizer ditadura nunca mais (Tumas são legais!). Mas, não faltam sonhos e esperanças, então amigo espero que todos nós saidamos distinguir o menos do mais, e vice versa para o bem de todo o planeta. Abraços
    Marcia Lemos

  59. O Goebbels enlouqueceu de vez!

    Impressionante o “especial” que o Goebbels pôs nas bancas e para assinantes este domingo. O governo de 8 anos de LULA foi um verdadeiro fracasso. NADA, eu disse NADA que foi realizado nos 8 anos serviu para algo. Foi um fracasso total o governo de LULA. Saúde, habitação, saneamento, enfim, NADA foi realizado. Impressionante são páginas e mais páginas de ataques ao modelo de governar. Não mostram UMA pelo menso UMA atuação que foi boa. Nada para o Goebbels nestes 8 anos.
    LULA precisa responder isso IMEDIATAMENTE, e nós da blogosfera temos a obrigação de divulgar ao máximo tudo o que foi realizado neste 8 anos.
    O Goebbels acaba de mostrar como o PIG vai agir daqui para frente. Com “mentiras repetidas muitas vezes, até virarem uma verdade”. Como disse, foram folhas e mais folhas de INVERDADES, DE MALEDICÊNCIAS, DE UM IMENSA COVARDIA. Um “especial” que não mostra nenhuma obra de LULA. Desconhece o PRO-UNI, O LUZ PARA TODOS, A POLITICA EXTERNA, A AUTO-ESTIMA, e o MAIS SÈRIO, NÃO FAZEM NENHUMA REFERÊNCIA AO FIM DA DIVIDA EXTERNA E AO EMPRÉSTIMO AO FMI. Para o Goebbels os 8 anos de governo não existiram. IMPRESSIONATE! É preciso que todos nós, da blogosfera, denunciemos esta covardia feita por esse suprassumo do PIG.
    Vamos denunciar esta vergonha e solicitar ao presidente LULA que dê uma resposta em regra. Para amenizar eles põe gente do governo dando depoimentos e, esses, se prestam a isso. Lamentável!

  60. Parabéns Ricardo, esta reflexão deveria ser feita por todos seres deste planeta. Estamos em sintonia acho que é o pensamento de uma geração. Sabe aquela sabedoria do Ser e do Ter ?
    Boas férias, ótimo tudo prá você e família.

  61. Mais uma ano se vai, mais um ano de realizaçoes e não realizações. Um ano de mais não-realizações do que realizaçoes. Mas agora aprendi, não vou promenter coisa alguma para o ano novo, só quero ser feliz e feliz, curtir o ano com as pessoas que gosto e deixar a vida me levar, claro que sem exageros e principalmente eliminar ideias pre concebidas. A leviandade é meu objetivo!
    E desejo o mesmo para todos…
    Feliz Festas for all!

  62. POR ISSO QUE A OPOSIÇÃO NUNCA MAIS VAI VOLTAR, ELES FICAM MOSTRANDO OS DESONESTOS SOMENTE ANTES DAS ELEIÇÕES, DEPOIS SE VOTAM AUMENTOS EXORBITANTES PARA ELES E NINGUEM QUEBRA O PAU…..

  63. -MENSAGEM-

    “Porque resta da gente tão pouca coisa, pouca lembrança, uma pequena impressão apenas, compreende?A gente nasce e tenta sobreviver sem saber porquê, apenas continua tentando. E a gente nasce em meio a uma porção de outras pessoas, junto com elas, que também estão tentando, tendo de tentar, movendo os braços e as pernas que estão presos aos fios, os mesmos fios que estão enleados a outros braços e pernas, e todos os outros tentando também, sem saber porquê. A única coisa que se sabe é que todos os fios estão trançados e enredados, um no caminho do outro.

    E assim, prossegue o milagre da vida : todos tentando melhorar alguma coisa!

  64. Ricardo, prezado amigo

    Esta mensagem nada tem a ver com o tema acima, mas não posso menos que publicá-lo, acho necessário, me desculpe.

    Recebe os meus parabéns pela brilhante atuação no programa Roda Viva desta segunda feira retrassada.
    Vc foi muito atuante e oportuno, o Aécio destacou que era o teu amigo e te deu bastante atenção, que bom.
    Já a segunda vez que aprecio vc na TV esta semana.
    Achei o Aécio com um sentimento muito regionalista, em defessa de Minas e disposto a manter uma oposição aguerrida contra Dilma, assim como algum resentimento contra os paulistas.
    Ele alega que a historia política deste país não começa em 2002 na era Lula e sim muito antes.
    Disse que o PMDB começou bem antes.
    Agora a bem da verdade, QUEM CONSTRUIU MAIS EM MENOS TEMPO?
    Evidente que o PT e agora Dilma vai mostrar a ele e ao seu partido como é que se governa e se constrói.
    Pena que ele não comenta a respeito de uma união, de favorecer o país e sim de enfrentar quase com armas nas mãos os opositores.

    Só apreciei essa tal da Meritocracia, quem sabe dé certo em Minas e passe a valer em outros estados.

    Ele aproveitou e fez campanha no final do programa, compromentendo todos os integrantes.
    Bem, coisas de político.
    Mesmo não aprovando sua ideologia, gostei de sua eloquencia.
    Só na sua autenticidade, no poder de convencimento que não chega perto do Lula.
    Acho que só boa vontade não forja um homem, precisa tarimba, vivencia, muito conhecimento, e algo que só o Lula tem, confluencia e aproximação com o povo.

    Espero te ver mais seguido na TV Ricardo, vc faz parte, es uma prova viva de nossa historia política, sempre atualizado, experiente e carismático.
    A família toda vibrou vendo Vc nessa tua atuação impecável e destacada.

    Continua sempre assim amigo.
    Um forte abraço

    Enrique Andres

  65. Antes parabéns pela consciencia espressada no seu texto e comentário, democrata Kotscho.
    E, por falar em de menos, antecipo a chegada do próximo ano já propondo aos colegas o seguinte:
    Que tal um Natal de comelança a menos?
    Desde que me entendo por gente, tenho notado que os natais têm sido de comércio de muito mais e comer também.
    Quando da primeira vez que fui aos EUA logo que desembarquei em Miami vi um rapaz muito obeso (gordo) que enchei a minha visão e por falar a verdade me senti mal ao vê-lo com seus mais de dois metros de estatura e tão obeso.
    Depois circulando pelo país, fui vendo as pessoas muito obesas e todas as vezes em que me deparava com um, que aliás não era raro mas constante, passava a pensar o porque de tanta gordura. Voce que vai para lá, preste a atenção neste detalhe, que quase constantemente verá gente obesa por todos os lados.
    Isto me fazia lembrar quando criança e ouvia aquela famosa história dos três porquinhos cujo lobo os alimentava para vê-los gordos para depois comê-los.
    Esta foi a impressão que tive ao ver os americanos como estão gordos. Associei a esta gordura toda a uma certa comodidade no deslocar para quaquer lugar, pouco se faz exercício por lá, só andam de carros onde quer que vá.
    Durante a semana nas cidades do interior as ruas ficam quase desertas e eu que estou acostumado a dar meus passeios à pé, até ficava com medo de sair de casa porque éramos os únicos andando pelas ruas e pensava que poderíamos ser abordados por algum policial querendo saber onde iríamos e o que estávamos fazendo.
    No Brasil, prevejo que em breve estaremos vivendo uma espécie de febre do consumismo alimentar e nos tornaremos igualmente gordos como há uma grande parcela de americanos.
    Vou lançar uma proposta, reafirmo, de começar antes do ano novo, que comemoremos um Natal que seja de muito menos comilança e consumo de alimentos e que mais pensemos no aniversariante com preçes e retiros que nos levará a um natal mais apropriado ao que se propõe a comemorar.
    Um Feliz Natal a você Kotscho e sua maravilhosa família, e a todos os colegas de balaio.
    Que no ano novo sejam alcançados todos os sonhos que almejam e que seja cheio de vitórias e muitas alegrias.
    Que nós brasileiros continuemos no todo mais magros que gordos e que a doença do consumismo não nos atinja como aconteceu com os nossos irmãos da América do Norte.

  66. Voltou aqui para desejar feliz natal ao Ricardo, um democrata convicto e justo. E que em 2011 0 Brasil se livre de vez (sabemos que é impossível) desse fenômeno de egocentrismo chamado Lula.

    Um mentiroso que compara o escândalo do mensalão ao caso da escola de Base, que contabiliza obras inexistentes como trem bala. Um governante que se fez na base da compra de votos deixando o povo sem hospitais, sem educação, que incentivou o consumo promovendo dívidas nas classes C e D e que agora pede que maneirem nas compras.

    O cinismo dele está beirando a insanidade doentia, a falta de bom senso impera. Quer calar a imprensa livre a qualquer custo. Vide o ridículo e inoportuno plano de direitos humanos.

    E o que acho engraçado é que tudo é história do PIG, dos paulistas de direita, mas na hora de abocanharem nossos impostos ou virem se tratar nos nosso hospitais servimos bem.

    O ministério da Dilma com Palocci no comando da quadrilha é tenebroso, um perigo ao Brasil. Velhote gastando no motel, Idely no hotel, e por ai vai.

    Essa mentira de 80% de aprovação, sendo que mais de 40 milhões não votaram na miss Dilma, fede. Pesquisas escusas, estranhas. Populismo convicto e que torna a massa ignorante servil.

    O filho do cacique enriqueceu!!!!!

    Porque todo petista fanático e cego só escreve em caixa-alta? Seja em blog, no Facebook ou no raio que o parta.

    As elites perseguem o Lula porque não suportam o sucesso do operário? Não, gente como eu que trabalha, paga impostos, não ganha verba de nenhum órgão do governo só querem ética, verdade e detestam corrupção, a especialidade desse governo.

    Vocês vão gritar, mas ele fez pouco dado a boa situação da economia mundial entre 2002 e 2007, bem pouco.

    Estamos ferrados, o Lula deixa um país carente de infra-estrutura e o novo governo cortou parte da verba para EDUCAÇÃO e TECNOLOGIA E CIÊNCIA. que significam futuro. E não cortaram seus gastos.Ela queria fazer mais ministérios!!!

    As coisas estão todas destorcidas nessa gestão meia boca!!

    E não votei no Serra!

  67. Eu tenho um filho e uma filha, e um neto e uma neta, e eles fazem toda a diferença. Estou bastante satisfeito, mas se acaso vieram mais, eu aceitarei, para ainda maior satisfação. Ambicioso, sim, não vou abrir mão de nada! Nem pensar!

  68. Gostei do seu comentario e concordo com sua tese, ora pra que correr tanto, se o destino é a morte certa. Sr. Ricardo gosto muito de vossa senhoria, mas não me sinto capaz de dar conselho. Parei de fumar duas vezes, 1990 voltei em 2000, agora parei já faz 5 anos, de tanto ouvir que o cigarro faz mal a Saude, mais o que me chamou atenção foi a importencia sexual, aí não deu outra, tive que deixar para não ficar importente, se não a vida não tem graça, eu queria que diabete fosse como cigarro que voce deixa a qual quer hora, mas aqui pra nos, ainda sinto vontade de fumar, mais quando penso na causa me dar arrepio.

  69. Kotscho,
    você disse tudo com esse texto. E resumiu com “vamos acabar nos consumindo a nós mesmos”. Fantástica reflexão de ano novo. Parabéns!
    Sua fã pernambucana.

  70. Aproveitando o tema do artigo, desejo que em 2011 todos busquemos os milagres que Deus gosta: a caridade e o perdão!
    Todo ano Jesus se mostra através de um menino… mas os homens parecem que ainda gostam de se parecerem “divinos”!
    Jesus é mais humano que nós! Vamos ‘ser menos’, mais humanos, semelhantes a Ele.
    Um grande abraço a todos os leitores!

  71. Belíssima mensagem ! ” Querer menos” parece ir totalmente na contra-mão da tendência do mundo atual. É lógico que há “coisas” que sempre quereremos mais, mas há outras, que no fundo, nada nos acrescenta, apesar de acharmos que morreríamos sem elas.Quando nos damos conta disso e passamos a depender menos de coisas, a sensação de LIBERDADE que passamos a sentir é sem preço. FELIZ 2011!!

  72. Prezado Kotscho, já faz uns bons “par” de anos que larguei de mão a correria e tento andar a pé pelo acostamento enquanto a turma vai à toda…para o inferno. Nessa batida, escrevi meia dúzia de livros sobre agricultura e ecologia,
    assuntos marginais na mídia convencional mas ricos em
    histórias pessoais interessantes, como V. tá cansado de
    saber — remember a California brasileira in JB 1985. Da calma de Poranbaga, por que V. não me escreve? Feliz 2011

  73. Boa viagem, Ricardo! Você sua família merece um tempinho fora da rotina e do lugar. Eu fiz uma pequena viagem antes dos dias de rush, de festas. Passei o final de novembro e início de dezembro em Portugal. Essas iniciativas na vida é que dá energia para vivermos melhor.
    Quanto a sua matéria publicada, eu pensei numa música do Raul Seixas que intitulava “O dia em que a Terra parou”. Na verdade, só tem uma solução para frear o consumismo; parar de fazer inúmeros filhos. Acompanharmos a sociedade européia que está senil. Assim, desta forma o consumismo vai diminuindo. Porque se continuarmos inchando a índice populacional, será necesário o consumismo. Os empregos, a produção e uma série de fatores implica no consumismo e em e´pocas passadas a população não era tão numerosa como hoje.
    Ah! Sempre tenho por costume observar o comportamento das pessoas, da sociedade onde marco presença. Em Portugal notei que o tabagismo e seneidade é campeã naquele país. Pensava que os fumantes eram mais numerosos na região sul de nosso país, mas estive enganado até conhecer os lusitanos. E por incrível que pareça, se olharmos os índices de mortalidades, são nesses lugares onde são mais baixos.tais índices.
    Mas parabéns pela intenção de abandonar o tabagismo… (rs), depois de velho! Lembrei-me dos religiosos convertidos que depois de tantos pecados acreditam ganhar o céu pela porta de uma igreja qualquer… (rs). Acho que não é bem assim…
    Eu deixei o alcoolismo há 16 anos, não deixei o tabagismo… Alguma coisa mudou em minha vida: tornei-me menos aventureiro, deixei de arriscar mais e passei a viver menos (viver é existir).

  74. Achei um arroubo rousseaniano o texto. Algo que utiliza-se dos mesmos mecanismos para difundir uma idéia. Um passeio pela terra do Mickey não parece ser algo ‘menos’ e sim ‘mais’. É o velho ideal de ‘voltar para casa’, só que sem a coragem e o desprendimento de seguir novos rumos, apenas sugerir algo que é a olhos vistos produtos de nossa irreflexão. Algo como uma crise existencial pós moderna, creio. MAs esse é apenas um comentário de quem se acha demais e pensa ter mais para comentar…

  75. A grande maioria dos que escrevem aqui tem muito para consumir e deve continuar consumindo, a grana tem que girar para gerar emprego, IMPOSTO, e reciclagem de gente, de caixão, idéias, falcatruas e produtos.
    Senão como e que vamos abastecer o governo para distribuir as BOLSAS e as falácias, as utopias e ilusões.
    O curral está quase fechado e a boiada não pode estourar.
    Nós que podemos… Vamos consumir, não vamos nos dispersar e idealizar um curral mais forte para que a boiada não escape, temos que mudar muita coisa neste próximo mandato.
    Vamos lá minha gente!
    Com Collor atrás e Dilma na frente.

  76. A sociedade que apóia o Lulla com tanta veemência nunca soube o que é saúde, educação e segurança e nem está preocupada com isso.
    A carência é tão grande que as migalhas fazem a diferença e ele foi inteligente distribuiu as migalhas ao periférico porque sabia que estas migalhas retiradas através do não cumprimento das regras da previdência dando reajuste diferente aos aposentados por tempo de serviço fossem distribuídas aos miseráveis.
    Em outras palavras como sempre fazendo cortesia com chapéu alheio (o que sempre foi seu forte) traindo aqueles que lhe deram apoio.
    As migalhas passando (irrigaram) as classes F, E, D e C voltarão para as classes B e A de qualquer forma só que esta fórmula milagrosa inflaciona aos poucos e tem que ser estancada de qualquer forma porque os outros países estão tomando medidas e as válvulas de alívio das bolhas estão sendo estancadas se não forem tomadas medidas antipopulares para manter o curral eleitoral a bolha vai explodir e tudo volta à estaca zero como sempre.
    Os países que realmente tomaram medidas responsáveis como os tigres asiáticos se preocuparam em primeiro lugar com a educação do povo, com o desenvolvimento tecnológico com a produção do conhecimento e não com medidas populares para agradar a sociedade e criarem salvadores da pátria como o demagogo Sr Lulla que como Moisés pensa ter tirado o povo do deserto em que vagou em grande êxodo, mas deixou este povo no meio do ermo na ilusão de uma nova terra onde jorra leite e mel nas mãos de uma senhora que ficou com um abacaxi enorme e o grande líder volta aos braços da multidão embevecida por tanta benevolência, mas penso que deveria subir a montanha e desaparecer como fez Moisés. Obs.: (E este povo briga por terra até os dias de hoje)
    Quem não acredita que a educação deve estar em primeiro plano é porque realmente não sabe o que é educação.
    Vejam alguns casos como do Japão, da Malásia são países que não tem de onde tirar riquezas, não tem minério, não tem terra fértil, não tem bom clima, não tem energia solar, não tem hidráulica, não tem sol para a fotossíntese, mas são os países mais desenvolvidos do mundo porque tem um povo determinado e a educação em primeiro plano.
    Imagine um país como o nosso, com as riquezas do subsolo e do solo, com o clima e uma sociedade realmente educada se iríamos precisar de migalhas e de salvadores da pátria e heróis Macunaíma e demagogos espertos.
    O curral mudou de mão, enquanto nossos políticos não levarem a educação a sério continuaremos tendo que nos curvar e fazer reverencia a pessoas tão medíocres.

  77. Recebi esse texto de presente de um amigo mais do que querido. Leve, verdadeiro, por isso, sábio. Já virei freguesa, de agora em diante passarei por aqui sempre. Aproveito para convida-lo a conhecer o “turbante”, que também fala de vida. Feliz 2011!!!

  78. Acho muito boa a idéia. Há algum tempo já venho pensando em aproveitar o que eu sou ou tenho, curtir um pouco a vida, senão a gente fica parecendo o cavalo correndo atrás da cenoura. Isso inclui: Alimentos mais simples, aqueles de antigamente. Para beber, um copo de água limpa, não é o máximo? Silêncios entre as palavras, para dar tempo para pensar. Passeios a pé, por que não? Para este ano quero mais simplicidade, humildade e auto-conhecimento na minha vida. Acho que vou ganhar um pouco mais de liberdade depois dessa jornada.

  79. Ricardo, acabei de ler “lugar de repórter é na rua ‘, quer dizer, devorei em 3 dias. Sempre tive atração e paixão pelo mundo do jornalismo e da informação. Trabalho na área social e mesmo com 51 nas “costas” ainda vislumbro a possibilidade de vir a cursar jornalismo. O livro , mesmo que tardiamente, despertou em mim uma emoção própria dos jovens. Dá tempo ainda ? Grande abraço.

  80. Sinto muito discordar.
    Se voce quer ver o Brasil andando na frente,
    emprego, educação e saúde pra todo mundo, tem que consumir.
    Senão a roda para e a vaca vai para o brejo.
    Antigamente o esquema era explorar a pobreza, a mão de obra barata,
    ate que alguém descobriu que explorar a classe media era mais lucrativo.
    Voce não precisa comprar 30 pares de sapatos, renovando, de tempo em tempo,
    vai ajudar a manter de o empregos de muita e gente e impostos para tudo que voce
    cobra do governo. Vamos consumir, com moderação sem ser escravos dos juros.

  81. Ricardo,

    Seja Bem Vindo, ano novo, vellha vida que se renova.
    Novas promessas, novos governos, tudo de novo, mas desta vez com estilo Chanel, Cheirinho de Cardin no ar do planalto em fim, o Brasil de saia, mais uma para esta patria que só tinha chuteiras.
    Seja bem Vindo. Benevenuto, Welcome, em, fim, Porra que bom que você voltou!!!

    1. Valeu Vitor Hugo ! Ter se lembrado, tão carinhosamente de nossos velhos adversários, o Véi Mané Ferreira, o Oromar, O Luiz Carlos…só faltou o p.rra do Gadelha.

      Um ano com muitos menos e com alguns mais, para você.

  82. …e com menos gripes também.

    Passei todo o ano esperando o momento de ver a minha presidenta tomar posse, cheguei a comprar o material, metalon, e combinar com o Segueta ( aquele serralheiro que apostou com o Troféu um engradado de cerveja na vitória do Serra ), para fazer uma escada com assento, com quatro metros de altura, que eu iria montar em frente ao palácio do Planalto, pra poder ver de frente, e sem obstáculos a minha Presidenta.

    Não deu…a p.rra da gripe não deixou. De agora pra frente quem quiser me desejar um bom ano novo…tem que dizer: ” e sem gripe, viu ???”

    Mas…foi llindo…o momento mais lindo de nossa história…uma mulher, uma guerrilheira e não uma socialaite, assumir a nossa presidência.

    VIVA O BRASIL DE DILMA.

  83. Ricaaaaaardo !!!…tá vendo aí ? O PIG não descansa, já tá preparando o povo pra sua candidata, a mulher do Temer.

    Ô povinho vagabundo…né não rapaz ???

  84. Muito fácil falar para se comprar menos, quando se tem tudo.
    Não sei se comprar uma máquina de lavar roupa, que facilita a vida das mulheres é consumo. Já lavou, por acaso, roupa “no braço”?
    Dureza!!!
    Bebeu água quente da bica ou nunca pode armazenar na geladeira alimentos para não estragá-los, neste calorão do Brasil?
    Ou não ter um ventilador para, pelo menos afastar os mosquitos?
    Uma televisão, já que a cultura no Brasil ainda não é nenhuma brastemp.
    Já pensou andar descalço?
    Filho sem fralda descartável, afinal não vivemos na Índia, em que nem fraldas de pano as crianças usam.
    Comer arroz com feijão e ovo todo dia?
    Dureza!!!
    Preferiu viajar de ônibus, cujas passagens são tão caras quanto as de avião, se forem considerados o tempo de deslocamento, gastos com alimentação durante o percurso? Questão de custo/benefício, não de consumo.
    O povo brasileiro tem direito a adquirir facilidades e conforto em sua vida e de maneira nenhuma itens indispensáveis devem ser considerados como “consumo”.
    No Brasil temos uma demanda reprimida de cidadãos sem acesso até então a estes bens considerados “de consumo”.
    E tem todo o direito de adquiri-los.
    Mas com responsabilidade.
    Aliás, o enrolão, aquele que se individa independe de classe social.
    O enrolão se “enrola” com dezenas de reais, como se “enrola” com milhões ou bilhões de reais; porque é da sua natureza.
    Agora, o que irrita é a propaganda de brasileiros indo ao exterior gastar bilhões, quando temos todo o Brasil ainda para se conhecer.
    A mídia incentiva as viagens internacionais e promove “cidades estrangeiras” porque ganha para isto.
    E o brasileiro fica crente que está abafando, mas na verdade prejudica o País ao , aí sim, consumir dólares.
    Todo mundo indo pro exterior, deteriorando nossa economia.

  85. Kassab tem que trabalhar mais e falar menos. Ele que arregaçar as mangas e trabalhar, porque todo o ano quando chega em janeiro e as chuvas chegam e São Paulo fica debaixo d´agua. Só que o IPTU também vem em janeiro e com aumento acima da inflação, então Srs. políticos menas demagogia e mais trabalho. Na minha opinião quem deveria ser Prefeito de alguma cidade deveria ser Engenheiro. Que saudades que eu tenho de Faria Lima,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *