O que faz mal à saúde? O anúncio ou o produto?

O que faz mal à saúde? O anúncio ou o produto?

Para defender o bem estar da sociedade, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou resolução nesta terça-feira, no Diário Oficial, em que determina aos fabricantes de alimentos industrializados que informem em suas embalagens os ingredientes que podem ser nocivos e quais às consequências à nossa saúde.

Até aí, tudo bem, trata-se de uma medida saudável, tomada dentro da sua área de competência. Fiscalizar a indústria de alimentos e a venda dos seus produtos ao consumidor é uma das tarefas da agência.

Só que a Anvisa, na mesma resolução, resolveu ir além das chinelas, como se dizia antigamente, e decidiu regulamentar também a publicidade dos produtos alimentícios, determinando até os dizeres que eles devem incluir, algo que, segundo a Constituição, não cabe à agência fazer, mas ao Poder Legislativo.

As categorias alimentos e refrigerantes não estão mencionadas no elenco do Artigo 220, Parágrafo 4º, da Constituição Federal, que regulamenta a propaganda comercial de tabaco, bebidas alcoólicas, agrotóxicos, medicamentos e terapias, sujeita a restrições legais, que conterá, sempre que necessário, advertência sobre os malefícios decorrentes do seu consumo.

Em lugar de fiscalizar na produção a qualidade dos alimentos industrializados oferecidos no mercado, a Anvisa quer resolver o problema impondo normas e limites à propaganda. Quer dizer, está mais preocupada com a janela do que com a paisagem. Imagina que, fechando a janela, vai deixar a paisagem mais bonita.

O abuso chega ao ponto de incluir até a marca do produto: “Coca-Cola contém muito açucar e, se consumido em grande quantidade, aumenta o risco de obesidade e de cárie dentária” ou,então, “biscoito tal contém muita gordura saturada e, se consumido em grande quantidade, aumenta o risco de diabetes e de doenças do coração”.

As advertências se aplicam aos anúncios de produtos que contenham quantidade  elevada de sódio, açucar, gordurada saturada e gordura trans, segundo os critérios da Anvisa, mas não informam o que pode ser considerado “grande quantidade” no consumo.

A resolução tem 180 dias para entrar em vigor e, se isso acontecer, vai simplesmente inviabilizar a publicidade de alimentos e refrigerantes no  rádio e na televisão. Quem vai ser maluco de gastar dinheiro com anúncios que ameaçam o próprio consumidor, advertindo que, se você comer ou beber tal produto, poderá morrer mais cedo?

Lembro-me de uma reportagem que publiquei na última página do Estadão, umas três ou quatro décadas atrás, quando ainda não existia a Anvisa, em que relacionei todos os produtos considerados nocivos á saúde, segundo as pesquisas da época. Ao final, cheguei a uma drámatica conclusão: “viver pode dar câncer”, que foi mais ou menos o título da matéria.

Em matéria publicada hoje, o jornal Estado de Minas, escreve que não é a primeira vez que a Anvisa perde o foco de suas verdadeiras atribuições:

“Acredita a Anvisa que ditando regras de publicidade estará coibindo práticas excessivas que levem as pessoas a padrões de consumo incompatíveis com a saúde e o direito à alimentação adequada”.

E lança uma indagação: “Enquanto isso, passa longe de responder a uma questão simples: se aqueles níveis de  açúcares, sódio e gorduras são nocivos à saúde do consumidor, quem autorizou a sua comercialização?”.

Afinal, o que faz mal à saúde: o anúncio ou o produto? Não seria mais lógico combater o mal pela raiz? Ou isso daria muito trabalho?

Casa do Impressor _ A arte que sai da prensa

O mestre impressor Roberto Grassmann, com mais de 40 anos dedicados ao ofício da arte da gravura, está anunciando a aposentadoria, mas a sua obra, formada por um valioso acervo de mais de mil trabalhos, continuará à disposição do público.

Com a criação do blog  www.aartequesaidaprensa.blogspot.com , foi lançado esta semana o projeto para a construção da “Casa do Impressor”, que abrigará este valioso acervo, em exposição permanente aberta ao público. Abrigará também o ateliê de Grassmann, com suas prensas e ferramentas, e uma estrutura para oficinas sobre técnicas de impressão. A casa terá um espaço para exposições de jovens artistas gravadores.

84 thoughts on “O que faz mal à saúde? O anúncio ou o produto?

  1. Caro Ricardo,

    Concordo com voce em relação ao excesso de poder da Agência, porém, discordo em relação à indagação “anúncio ou produto”, justamente porque, há quem necessite, para sua saude, maiores quantidades de açucares, gorduras e sódio, portanto não cabe ai uma determinação para eliminar a produção desses produtos.

    Por outro lado, a advertência é sempre benéfica ao consumidor, posso dizer que, quando parei de fumar, antes e depois, sob o estímulo da advertência na propaganda dos cigarros que, na época, era obrigado colocar no final a mensagem: “Ministério da Saude adverte – fumar é prejudicial a saude”.

  2. Não gosto de gente faz publicidade de candidato a Presidente como se fosse papel higiênico e vende veneno como se fosse comidinha natureba. Por mim todos estes publicitários iriam para o mesmo lugar… para o banco dos réus em razão de fazerem propaganda enganosa.

  3. Acho hilário essa defesa da midia em relação a industria da propaganda, vocês jornalistas e marqueteiros se merecem mesmo, se acham acima do bem e do mal, quase como um quarto poder no país.

  4. Deixar de incluir a tecnologia nessa historia do alimento, como solução, e deixar margem para duvidas

    Assim e em tudo da vida real, ainda onde a tecnologia esta esperando para entrar para resolver sem deixar duvida

    Como alimento remédio dentro do prazo de validade e mais que um plano de saúde, e tudo com aviso e viver em dobro a vida, ate chegar o dia de a morte natural sair de linha

    Onde todos nos sabemos, mas não dispensamos a cegueira, que a solução real esta em levar tudo da vida real para as salas de aulas desde o jardim de infância ate o fim da vida, destinar tudo das notas eletrônica Brasil, para estudantes professores

    Isso se comparar, não a promessa dos políticos ou as promessas que fazemos e dar o melhor estudo para nossos descendentes e não cumprimos como fica a moral perante os, mas sim o que o Serra escriturou em cartório, e não cumpriu esta em alta nas rodadas dos botecos, diz ele não pode mais, e nos podemos

    Agora o que faz mal a saúde mesmo, e dispensar as informações e não ter dinheiro para ter a infra-estrutura básica que forma para vida pessoal e profissional, deixando as coisas de porta aberta para vazar recursos, quando isso já tinha que sair da escola com essa bagagem madura

    Isso esta fora do postado, mas faz parte para uma boa saúde

    Duas situações típicas desfavoráveis que ainda esta atrapalhando, os nossos descendentes, e os que dependem da aposentadoria ganham pouco e os que não dependem ganham muito

    Link Diz mais do que diz isso e falta de ensino básico “Geração N”: estamos criando jovens incapazes?
    http://delas.ig.com.br/filhos/geracao+n+estamos+criando+jovens+incapazes/n1237687814063.html

    Link Diz vai chegar a virar uma Grécia em seguida tudo vai por água abaixo, assim como a natureza vem com acontecimentos inesperados, quando o certo era todos ter o mesmo teto ao se aposentar independente de ser um faxineiro ou Presidente PEC de aposentadoria integral pode custar R$ 2,4 bilhões ao ano

    Proposta em discussão no Senado restaura aposentadorias integrais e a paridade das pensões para juízes, procuradores e defensores

    http://economia.ig.com.br/pec+de+aposentadoria+integral+pode+custar+r+24+bilhoes+ao+ano/n1237687876471.html

    Aqui uma situação bem favorável

    http://colunistas.ig.com.br/vivimascaro/2010/06/29/eike-batista-assina-para-valer-com-a-ong-success-for-kids-de-madonna/

  5. Rui Barbosa disse: A palavra fere mais que a espada. A palavra também salva. Palavra, som minha per som nalidade. Sou pelas minhas palavras. A propaganda tanto salva como fere. Escolho a Anvisa (órgão de Estado) para regular o Mercado (quase sempre o pernicioso Lucro acima das pessoas. Cf Noam Chomsky). Nosso estagio de barbárie é que o Estado imperfeito foi substituído pelo Mercado, hegemônico no Brasil a difundir trangenicos, remédios desnecessários (gripe suína), Lembram da luta do cigarro para permanecer na formula 1?
    Palavra som audição ou escrita. Nossa percepção apreensão é maior. Visão propaganda pela TV nossa percepção é menor e portanto mais escravizante. Contraponto será uma TV estatal (não de governo) para nos libertar do Mercado.

  6. Eu acho que a ANVISA é que está acima do bem e do mal…Seria melhor avisar o Niemayer para ele parar de fumar pois assim viveria mais 200 anos. Controlar o hábito alimentar querendo padronizar os alimentos é um tapa na cara de qualquer sujeito inteligente. No Brasil, o que falta mesmo é terremoto, tsunami, furacão para essa gente ter com o que se preocupar de verdade. Se essas proibições e recomendações funcionacem não haveria tanto malaco no Brasil, pois a constituição, que é maior que a anvisa, diz que é crime roubar e no entanto está cheio de ladrão por aí. Não preciso de ninguém me alertando sobre o que comer, o que usar. Quero exercer o meu poder de escolha igual ao meu direito de escolher pra quem quero dar o meu voto e chega de papo-furado!

    1. Amiguinho, o consumidor tem o direito de ter a informação correta sobre o produto que está consumindo, o mundo da propaganda só apresenta o lado legal do produto, tem que ter através de regulamentação SIM a obrigatoriedade das informações sobre maleficios que o produto pode causar, e fazer assim que o consumidor tenha consciencia do produto que está utilizando.

  7. Que doideira….mas acho que Anvisa está certa. Porque só o cigarro tem que ser combatido? Temos que combater a Junk Food também.

    Eu gostaria de ser avisado sobre estas coisas na embalagem. Psicologicamente iria fazer eu deixar de comprar várias babaquices, com o perdão da palavra.

  8. NA minha opniao a anvisa está correta, os produtos realmente podem fazer mal e boa parte da populacao brasileira nao tem cultura suficiente para identificar isto por conta própria. Caso isso inviabilize a propaganda os unicos prejudicados serao os propagandistas e os jornalistas patrocinados por essas indusrias

  9. O projeto Criança e Consumo, do Instituto Alana, que acompanhou de perto todo o processo até a resolução da Anvisa, avalia que a medida ainda é insuficiente para proteger o público infantil porque deixou de fora uma proteção especial para as crianças. Confesso que não conheço em profundidade as atribuições da Anvisa, mas, acho que a propaganda enganosa é um problema de saúde pública, sim. No comentário que fiz no meu blog, relembro propagandas enganosas como o Danoninho vale por um bifinho. As embalagens interferem no comportamento alimentar das crianças. Pesquisas já mostram que grupos de crianças mostraram preferência por alimentos colocados em embalagens de marca conhecida. Comiam a mesma coisa e achavam que a comida da embalagem da marca conhecida era mais gostosa do a de uma embalagem sem imagem. Proibir a comercialização de batata frita é bem diferente de avisar que comer demais faz mal. Os pais são induzidos a pensar que os produtos infantis são apropriados para as crianças, são nutritivos e saudáveis, e isso não é verdade. Se não for a Anvisa, quem vai cuidar disso?

  10. Todos os comentários acima são derivados de pessoas que não percebem o quanto estamos perdendo a nossa liberdade. Voalá bitolados!! Sejam sempre ceguinhos e façam tudo o que o mestre mandar… A Anvisa está ultrapassando os limites, nitidamente! Tudo tem um limite e esse monte de determinações do que deve e o que n deve já ultrapassou os limites da liberdade e bom senso!

    Concordo com a matéria. Bravíssima!

    1. Prezado, é liberdade não saber que algo pode fazer mal a sua saúde e o órgão responsável por isso criar regras para que você saiba? Putz, mais um imbecilóide que compra produtos desde que os bbb usem… fazer o quê? Continue com a sua “liberdade” acrítica, bobalhão teleguiado.

  11. SERA QUE NÃO SERIA INTERESSANTE A ANVISA PROIBIR AS PROPAGANDAS DE MEDICAMENTOS NA MIDIA A FIM DE COIBIR A AUTO MEDICAÇÃO QUE, ALIAS, É TÃO NOCIVA QTO OS VICIOS……..CIGARRO E BEBIDAS ALCOLICAS, MAS ACREDITO EU, NA MINHA IGNORANCIA, QUE O PODER ECONOMICO ENVOLVIDO NA QUESTÃO(GDES LABORATORIOS, LABORATORIOS DE POLITICOS E AFINS) É MUITO MAIOR QUE A VIDA DAS PESSOAS QUE FAZEM AUTO MEDICAÇÃO!!!!!!!! BRASIL UM PAIS DE TODOS, INCLUSIVE DA BAGUNÇA GENERALIZADA.

  12. “…Quem vai ser maluco de gastar dinheiro com anúncios que ameaçam o próprio consumidor, advertindo que, se você comer ou beber tal produto, poderá morrer mais cedo?…” É verdade. E agora? Sem patrocinador vai ter muito programa de televisão, rádio e colunas extintas. Bom…mesmo inconstitucional, a Anvisa, vai fazer uma limpa na nossa saúde moral. Obrigada pelo espaço.

  13. Sou a favor, não de avisos vagos, mas MAIS contundentes ainda, TODOS os produtos alimentícios deveriam avisar qual seu próprio limite de consumo diário, segundo tabela de nutrientes, etc. o que as crianças de hoje ingerem de açúcar é brincadeira, estamos diante de uma epidemia de diabetes entre os jovens como nunca se viu, graças às lindas propagandas MENTIROSAS do tipo “Açúcar é energia”, “Nescau é mais energia”, “Toddy sabor de alegria”, e por aí vai…aquele que induz a um ato ou hábito de consumo nocivo, é tão ou mais culpado do que aquele que fabrica o produto, há marqueteiros que são verdadeiros “aliciadores” do vício e querem se isentar, vem falar de ética e liberdade…hilário mesmo, é muita hipocrisia…

  14. Ola Ricardo,

    Para um governo que tentou censurar a imprensa no
    projeto direitos humanos, uma censura a mais, não
    vai assustar os ditadores da esquerda.

    1. Censurar a imprensa? Ora ela tem toda a liberdade inclusive para ajudar a oposição que esta tadinha “fragilizada” Foram palavras convictas da Dna Edith, executiva da FSP. Vivemos sob a ditadura midiatica. Espaço para o contraditório só aqui na internet. A sua opinião coincide com a da Rede Globo, uma concessão publica. Não vejo a hora que todos possam ter seu jornal, radio, tv que são os blogs quando a banda larga tiver um custo igual ao de

    2. Amigo, informe-se melhor… não havia qualquer indicação de censura no PNDH, que não é projeto, mas uma proposta de visão. Pare de ler Veja e assistir apenas aos programas emburrecedores, será talvez menos feliz, mas melhor preparado.

  15. Os hábitos alimentares são “empurrados” de pais para filhos.Quem não sabe sobre os efeitos de chocolates em excesso,refrigerantes e outras gostosuras?As crianças e mesmo pessoas adultas, muitas vezes não sabem,ou fingem esquecimento ,então vale lembrar nas embalagens sim.Quando iríamos pensar que fumar ficaria completamente fora de moda?Outro dia meus filhos chamaram minha atenção,pois o biscoito que eu comprei informava:”-contém gordura trans.”O meu filho de 12 anos reclamou e o outro de 8 anos disse,após as explicações do mas velho,que achava um absurdo eu ter comprado.E´uma boa maneira de ir mudando,sutilmente, a opinião e a consciência das pessoas.Agora presto mais atenção na hora de comprar,o biscoito acabou indo para o lixo.

  16. Caro Kotscho.
    Com Anvisa ou sem Anvisa, a verdade é que a humanidade esperou cerca de 5 milhões de anos para que o ser humano vivesse, em média, 40 anos. No início do Século XX esta era a expectativa de vida na Europa. Menos de 100 anos depois(meados da década de 80) esta expectativa já ultrapassava os 80 anos em vários países.

    O Planeta completou o 1º bilhão de habitantes em 1900. Hoje, em apenas110 anos, já estamos chegando aos 7 bilhões.

  17. Essas agencias reguladoras não tem mostrado eficiência nenhuma, portanto, desconfio que ficará só na noticia, essa boa intenção. As agencias reguladoras deveriam ser apolíticas e quem sabe, se assim fosse, teriam mais poder e força para tomarem essas decisões. Sinceramente não acredito, mas se algum efeito surtir, estarão todos de parabéns. Eu não entendi porque passou pela moderação as primeiras postagens, um comentário que não tem nada a ver com o assunto em tela! Abraços a todos!

  18. Quanto mais informação de um produto melhor ; quem sabe o povo comece a deixar produtos completamente inúteis, para não dizer na verdade tóxicos nas prateleiras.

  19. Caro Ricardo. Se a sociedade e a Anvisa não tiverem força nem para obrigar as empresas a divulgarem as qualidades e os defeitos de seus produtos, muito menos terão força para proibi-los de serem comercializados. Ademais, eu posso mesmo sabendo que um produto me faz mal, querer consumi-lo. Mas tenho o direito de sabê-lo. Qto a se as indústrias vão ou não anunciar seus produtos, isto é problema delas e de quem vive de suas verbas publicitárias. Um abraço.

  20. Que legal, então o caso é desconhecer que a propaganda tem grande influência sobre o consumo de produtos que podem causar mal à saúde. Cigarro pode, outros produtos não! Estranho muito contrapôr àqueles que pensam no bem-estar de muitos. Quando a ANVISA não age com rigor é destratada e até achincalhada, quando o faz sofre da mesma forma. Realmente não entendo a incoerência de quem é contra algo benéfico à maioria. estranho sobremaneira por defender inclusive uma marca de refrigerante que, sabidamente, a não ser por má fé, causa males diversos, ainda mais quando consumido por crianças na fase inicial de crescimento. Seria até injusto tecer comentários sobre que interesses movem tais argumentos, mas fico por aqui.

  21. Ninguém reparou como todos estão gordos? Está todo mundo engordando. Eu mesmo estou uma bola e sempre fui magrinho. É muito açucar e gordura baratos, ninguém consegue resistir. Não temos forças psicológicas para enfrentar essa junk food, acabamos esquecendo da saúde e comprando porcarias por falta de tempo para pensar na própria saúde.

    Eu noto um nítido interesse das empresas de comida, nas tvs etc com medo de perderem dinheiro. Mas a saúde das pessoas que se dane. Deveriam buscar alternativas e ganhar dinheiro com a saúde das pessoas.

    1. Parabéns, Fernandes, você conhece a todos na ANVISA e acha que não são profissionais e sim podOrosos! Que beleza, que figura inteligente!!!! Quem sabe um dia tem condições de passar em um concurso público com 3.000 inscritos por vaga… ops, acho que não vai dar, você não me parece tão podOroso assim…

  22. Eu penso que tem procedência a informação nas embalagens de produtos que contenham Nacl (cloreto de sódio) o sal de cozinha e muito açúcar na formulação de outros alimentos.
    Acontece que estes componentes em excesso realmente leva a uma porção de enfermidades nos consumidores como obesidade e aumento de pressão arterial componentes principais de AVC (acidente vascular cerebral), os tão temidos derrames, conhecidos popularmente.
    Mas acho que tem também o lado da fiscalização que precisar dar duro sobre os casos de vencimento das mercadorias expostas nos supermercados.
    Isto não deveria ser uma preocupação do consumidor mas do supermercado que os expõe nas gôndolas e do órgão fiscalizador.
    Tenho visto pela Tv que há fornecedores que recolhem os produtos vencidos, reembalam com novos selos de garantia e recolocam à venda, casos de carne de frango, queijos e outros que a gente nem sabe a sua procedência.
    E por falar em procedência vi durante esta semana uma reportagem na TV que falavam sobre a tal de qualidade de procedência de carnes bovinas atestadas por um selo comprobatório.
    Dizer da onde provêm determinado produto, a sua rastreabilidade, eu acho que não é tudo, deveriam, isto sim, informar de alguma maneira como é criado o animal, comprovantes de vacinação, e as dependências onde são alimentados, as condições do pasto, enfim, tudo que desse ao consumidor as devidas garantias de como o animal é tratado.
    Daí se pode deduzir que a carne terá realmente uma boa procedência e bom aspecto e a beleza que ela tem que ter.
    é realmente como voce bem diz; “Fecham a janela para a imagem ficar mais bonita”, mas a realidade é bem outra.

  23. Esta certo a Anvisa, constitucionalmente ou não !

    Se o cigarro, que é um produto consumido apenas por parte da população é tão penalizado e “marginalizado”, porque não o sal, as gorduras, etc, etc que são consumidos por todas as pessoas, especialmente as crianças ?

    1. Quando alguém chegar perto de mim, que sou fumante, com aquela cara de santo, e me mostrar aquelas fotos horríveis que obrigaram a colocar nos maços, quero ter o prazer de lhe mostrar a embalagem daquela bolacha que ele ou ela adora devorar compulsivamente. Pois, sem dúvida nenhuma, estes produtos, são bem mais nocivos que o cigarro.

    2. Com a Lei Anti Fumo que surgiu dos miolos do Serra, fica aberto o campo da propagação da maconha. Daquí algumas dezenas de anos este produto ilícito será legalizado porque já é menos penalizado o uso do mesmo em contra-mão ao cigarro lícito. Daí então a ANVISA terá que trabalhar um modo diferente de rotulação para as embalagens dos “fininhos” determinando a qualidade da seda, os malefícios e benefícios (paz) que a danada da marijuana pode proporcionar.

  24. Informar se o produto faz mal a saúde tudo bem, impor regras a certos alimentos, ok. Contudo impor-se a propaganda é lucura de poder, não seria o mesmo que um censura?! O brasileiro está cada vez mais gordo, obeso, caso de saúde, tem de haver esclarecimento e não proibição(alimento é diferente de cigarro e bebiba alcolicas que são dorgas legais). Deveria-se estimular alimentos saudaves e sua produçao, alimentos organicos deveriam ser mais baratos, contudo alimentos ricos em gorduras e açúcar saõ mais acessiveis a população em geral. Ter uma vida mais perto do saudável ainda é muito cara, alimentos integral ou natural são bem mais caros. Com certeza a propaganda faz a cabeça do consumidor, então por que não propagar alimentos saudáveis e baratiá-los por meio de ensentivos ficais e tributar mais sobre aqueles que faz mal a saúde?

  25. Tudo bem que a ANVISA extrapolou suas atribuições, mas alguém tem que fazer alguma coisa em relação ao que está sendo oferecido! E também não resta a menor dúvida de que alguém deve ser responsabilizado por autorizar a comercialização dos referidos produtos!

  26. Caro Kotscho:

    Essa atitude a ANVISA é muito semelhante à questão da industria automobilística. É que, se o limite de velocidade nas estradas brasileiras não excedem 120 km/h, qual razão de autorizar a fabricação de veículos que atingem até 300 km/h. Eu nunca entendi isso. Trata-se do mesmo questionamento que vc fez sobre a autorização para o fabrico dos produtos com muito açucar, muita gordura trans, etc.. Acho que essas decisões são muito parecidas com aquela história de acender uma vela para Deus e outra para o diabo. Incompreensivel..

    Abraço

    1. Caro João Luis,

      Os veículos são feitos para trabalhar numa potência média, isto é, pode chegar a 240km/h, mas é muito melhor para sua durabilidade se atingir apenas 120km/h que, além do menor desgaste consome muito menos combustível.

      Além disso, o ser humano é dotado de razão, isto é, é um ser pensante e capaz de raciocinar sobre o que é melhor para si e para os outros e, as vezes, só é preciso ser alertado, o que tem de mal nisso?

    2. Um veículo consome combustível conforme a pisada no aceledor. Portanto, para que um carro alcance uma velocidade de 360km por hora necessitárá que o pé atole até o máximo da aceleração. A 120km/hs será necessário 1/3 da acelaração.
      Um veículo velóz tem arrancada e é útil para ultrapassgens, para socorrer algum enfermo moribundo ou, até mesmo, para fugir da polícia.

  27. Acho que a ANVISA esta certa., porque o consumidor não sabe a quantidade certa de ingerir ou comer um produto que contenha uma quantidade “X” de um componente. Falar que tem “Y”

    1. “A Anvisa está certa porque o consumidor não sabe a quantidade certa de ingerir um produto que contenha uma quantidade X de um componente.” Mas a Anvisa não colocou em sua resolução quais são as quantidades adequadas, apenas coloca que em “grandes quantidades” pode fazer mal. O que são grandes quantidades? E para as pessoas já doentes?

      Então, após a propaganda da Coca-Cola, vem um fundo de tela azul dizendo “O ministério da Saude adverte, tomar grandes quantidades de coca-cola faz mal a saúde” ou então “O ministerio da Saude adverte, a quantidade ingerida um uma latinha de coca cola tem 300mg de sodio”… Resolveu pra você essa informaçao? Porque é isso que eles tão falando na resolução…Você continua SEM SABER quanto pode ingerir…. Foi esclarecedor em que, colocar isso na propaganda?

      Ou após cada propaganda haverá um médico falando que para pessoas de 0 a 5 podem consumir tantos mg por dia, de 5 a 10 outro tanto e assim por diante?

      eu, com certeza, desligaria a televisao na primeira propaganda…

  28. A questão não é proibir ou condenar o que se consome mas, informar e punir sim e obrigar a mudar a forma de produzir o que consumimos. Não sei se o governo já começou a perceber a relação direta e inequívoca entre saúde (pública) e alimentação.
    Percebemos que nossa civilização é mais auto destrutiva que construtiva,ao menos no quesito respeito aos demais.

    Temos explorado os recursos naturais e os mais indefesos em geral somente para obtenção de algum tipo de lucro ou benefício em favor de poucos. Não temos sido escrupulosos, é o produzir, vender e lucrar sem medir mínimas consequências.
    Empresas multinacionais e nacionais lucram com esse jogo de negócios até quando o governo constata a inviabilidade lucrativa a médio e longo prazo, vide cigarros.
    Esperamos também, mais informações massivas em relação aos agrotóxicos e seus danos nos alimentos.
    http://delas.ig.com.br/bemestar/pimentao+uva+e+morango+os+campeoes+de+agrotoxico/n1237679861338.html.

  29. Kotscho, acho que levar a Anvisa a sério demais pode fazer mal à saúde… Esse é mais um caso da ditadura dos que se acham os donos dos desejos e das vontades alheias. Pau neles!!!

  30. Engracado como agora tudo é culpa da publicidade. Parece que as pessoas sao obrigadas a consumir, quando a realidade nao é essa. Se acha que refrigerante nao faz bem, toma suco, agua, o que quiser, menos refrigerante. Ninguém lhe obriga a tomar refrigerante. Ninguem lhe obriga a comprar o produto que seja. A compra é um ato de livre escolha. Estou de acordo que se deve informar o consumidor, mas nao nesses parâmetros. Além do mais, acho que no fundo existem outros interesses por trás desse tipo de regulacao. Como você mesmo fala na matéria, se a preocupacao fosse com a saúde do consumidor, se proibiriam ditos produtos em lugar de controlar a publicidade deles.

  31. Queria completar o meu raciocínio da seguinte forma:
    Uma indústria automobilística ou mecânica tem as suas dependências fabris na mais perfeita limpeza e higiêne, estou cansado de ver nos filmes da discovery channel e outras.
    Nos países de primeiro mundo, voce pode até sentar-se ao chão que não sujará suas roupas, tal a limpeza e cuidado, aqui no Brasil também é assim.
    Os funcionários usam jalécos brancos e no final do dia, após o trabalho, saem limpos como se tivessem tirados do guarda roupa para usá-los naquele momento.
    Uma indústria mecânica onde o óleo e a graxa e outros fluídos é uma constante no processo produtivo e vemos uma limpeza impecável, como podemos pensar em uma indústria de produtos alimentícios, cujo manuseamento é inadequado, eu vi isto pela TV nos noticiários.
    Eu não gostaria de dizer isto aqui, porque vão pensar que sou inimigo dos empresários do ramo alimentício quando é bem o contrário disto, sou até muito amigo pois deveria ser motivo de orgulho prá eles, é claro que existem empresários que primam pela organisação.
    Como uma montadora de veículos que nada tem com a alimentação é tão limpa e o chão chega até a brilhar e uma de alimentos não segue o mesmo processo?
    É aí que eu chamo a atenção do consumidor, é aí que o produtor deveria mostrar a qualidade, é aí que deveria residir a norma ISO 9000 que ninguém mais dá o seu devido valor.
    Mas porque eles não usam esta norma?
    É porque o processo produtivo, obedecendo-a, fica caro e gastar um pouco mais encarece o produto e não dá margem de lucro na hora da venda e, para manter a gestão da lucratividade tem que recair sobre os salários dos colaboradores das menores escalas do staff da empresa.
    Me desculpem o desabafo mas o momento é bem propício.
    Sabem, vou votar na Dilma, quem sabe se isto melhore um dia e eu possa me gabar que a industria alimentícia nacional seja um dia, um motivo de orgulho para mim e eu possa contar vantagem com isto.

  32. Caro Ricardo,

    As vezes, quando se propõe uma idéia, o que se quer é que a ação atinja os objetivos.

    No Jornal Nacional da TV Globo, edição de hoje, vi que vai sair do papel um projeto que está em estudo há 13 anos, que a implantação da nova Carteira de Identidade, um cadastro único e que vai evitar falsificações e acúmulo de números de documentos para uma mesma pessoa.

    Provavelmente alguns deverão criticar, mas um dos mais importante objetivo é contribuir para uma segurança pública mais eficaz quanto a identificação de pessoas com problemas na Justiça.

    Vejo, com alegria, que mais uma idéia disseminada no passado, por meio de missivas endereçadas a governantes, agora começam a tornar realidade.

    Demorou, mas vai ser consolidada e que os resultados sejam tanto ou mais eficazes que os projetados.

  33. O VICE do “EXPERIENTE SERRA”, é o “INEXPERIENTE INDIO”. Depois de TANTO PROCURAR o PSDB e o DEMO, arrumaram UM VICE PARA O SERRA que “NÃO DESSE TANTA DOR DE CABEÇA PARA ELES”. Agora SÓ FALTA A GENTE SABER QUEM É O DEPUTADO “INDIO DA COSTA”, pois “NÃO PODEMOS ESQUECER QUE O VICE VIRA PRESIDENTE QUANDO O TITULAR NÃO ESTÁ”, como por exemplo, “QUANDO O SERRA ABANDONOU A PREFEITURADE SÃO PAULO PARA SER CANDIDATO AO GOVERNO PAULISTA”, quem virou prefeito FOI O KASSAB, e agora “QUANDO O SERRA ABANDONOU O GOVERNO DE SÃO PAULO, quem assumiu foi o ALBERTO GOLDMANN. Você sabia? Então, “É BOM SABER BEM QUEMJ É O DEPUTADO INDIO DA COSTA”, pois o VICE DO SERRA, sempre ACABA ASSUMINDO O PODER.

  34. Parabéns Profissionais da ANVISA pela medita tomada em prol da informação vital para a saúde pública. Parabéns pela coragem de assumir a responsabilidade de defender o interesse pública do poder econômico, nossas crianças, as futuras gerações e as verbas da saúde (as quais custeamos) agradecem.

  35. As grandes empresas odeiam quando não se deixa fazer o que elas pensam ser seu direito: o que bem entenderem…

    Ligar regulamentação à censura e liberdade de expressão é uma de suas estratégias, inclusive no que diz respeito às propagandas de cigarro e bebidas. Se deixassem esses produtos seriam anunciados durante programas infantis. E eu não estou exagerando, infelizmente…

    Apoio total à regulamentações cada vez mais rígidas!!

  36. É, Kotscho… Infelizmente, grande parte da vida moderna dá CÂNCER! Isso é FATO! Sejamos vegetarianos! Abaixo às vacinas e aos remédios! Chega de venenos nos nossos corpos! Abraços…

    1. Não. Não é a vida moderna que ” dá câncer”. O que dá câncer é viver muito e os diagnósticos que o detecta. Embora se registre milhões de casos de câncer em crianças, grande parte, felizmente, evolui para a cura completa.
      Até a década de 50 do Século passado, praticamente não se falava em câncer, pois uma pessoa com 50 anos já era um ancião e, como a maioria morava na zona rural, morria-se cedo e sem saber do que.
      Até 1954, o diagnóstico de tuberculose era uma sentença de morte, de março daquele anos para cá, com a descoberta da estreptomicina, tuberculose é apenas uma ”doencinha” fácil de curar. Graças a Deus!

  37. Já não era sem tempo. Poderiam começar a proibir propaganda de medicamentos, principalmente aqueles milgrosos de emagrecimento veiculados na TV e aquelas revistinha de fofocas vendidas em bancas e super mercados.

  38. luiz reisdisse:30/06/2010 às 19:10
    ”Amigo, informe-se melhor… não havia qualquer indicação de censura no PNDH, que não é projeto, mas uma proposta de visão.”
    ERRADO:

    É projeto sim; ”DECRETO Nº 7.037, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2009.
    Aprova o Programa Nacional de Direitos Humanos – PNDH-3 e dá outras providências.

    O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea “a”, da Constituição,
    DECRETA:
    Art. 1o Fica aprovado o Programa Nacional de Direitos Humanos – PNDH-3, em consonância com as diretrizes, objetivos estratégicos e ações programáticas estabelecidos, na forma do Anexo deste Decreto.

    Mas, o que sobrou, é a repetição pura e simples dos direitos já previstos em leis.
    As birutices —e eram muitas— totalitárias foram para o local apropriado: LIXO.

  39. Eu acho que a anvisa esta querendo ser o que nao ‘e, o dever dela ‘e fiscalizar e nao fazer normativas querendo proibir isto ou aquilo. exiiste um medicamento chamado vick pyrena que no comercial fala que ‘e indicado para resfriado e a formula dele ‘e paracetamol, so serve para dor e febre.

  40. Chô, Chuá
    Cada macaco no seu galho
    Chô, Chuá
    Eu não me canso de falar
    Chô, Chuá
    O meu lugar é na Bahia
    Chô, Chuá
    O seu é em qualquer lugar
    …..
    Que as leis sejam rígidas mas que emanem dos orgãos competentes para não serem questionadas judicialmente.
    Concordo plenamente com seu artigo, caro Kotscho.

  41. …………………………………………………………………………………………………
    …………………………………………………………………………………………………
    ……………………………………..Kotcsho..?
    …………………………………………………………………………………………………
    …………………………………Líga pro,…. “Nizan”,
    …………………..pro seu “amigo”,…. Sérgio “valente”,
    ………………………………pro,… João Doriãna jr,
    ………………………………..pro,… “Justus” e pro,
    …………………………………………..Faustão.
    …………………………………………………………………………………………………
    ………………Prá avisá-los né,….déssa atrocidade que eles
    ……………………….podem sofrer no Governo do PT.
    …………………………………………………………………………………………………
    ……………………………………Onde já se viu….?!
    ………………………………………………………………………………………………..
    ……………Quer “classe” mais HONÉSTA que publicitário?!
    …………………………………………………………………………………………………
    …………………………………………….Magina,
    ………………………………….só faltava éssa agóra,
    ……………………….querer explicar prá molecada que
    …………………………………………..XIITOS
    ………………….é púra QUÍMICA com essência e corãnte.
    …………………………………………………………………………………………………
    ……..Você PÉRDE cada CHANCE de ficar de BOCA fechada
    ……………que já,… já,….você vai ganhar o,…”pulitizer…”.
    …………………………………………………………………………………………………
    …………………………………………………………………………………………………
    ……………………..” Corra que a,….. pulitizer,…. VEM AÍ….”
    …………………………………………………………………………………………………
    …………………………………………………………………………………………………
    ……………………………..Lançando a campanha JÁ……:
    ………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………………VIVA A ANVISA….!!!!!!!
    …………………………………………………………………………………………………
    ………………….CHÊGA DÉSSA PUBLICIDADE NOJENTA…..!
    …………………………………………………………………………………………………

  42. Em 1976, o Rei Roberto Carlos lançou um álbum que consta uma canção composta por ele e Erasmo que diz a mais pura das verdades.

    Vivo condenado a fazer o que não quero
    Então bem comportado às vezes eu me desespero
    Se faço alguma coisa sempre alguém vem me dizer
    Que isso ao aquilo não se deve fazer
    Restam meus botões, já não sei mais o que é certo
    E como vou saber o que eu devo fazer

    Que culpa tenho eu
    Me diga amigo meu
    Será que tudo o que eu gosto
    É ilegal, é imoral ou engorda

    Há muito me perdi entre mil filosofias
    Virei homem calado e até desconfiado
    Procuro andar direito e ter os pés no chão
    Mas certas coisas sempre me chamam atenção
    Cá com meus botões, bolas eu não sou de ferro
    Paro pra pensar, mas eu não posso mudar

    Que culpa tenho eu
    Me diga amigo meu
    Será que tudo que eu gosto
    É ilegal é imoral ou engorda

    Se eu conheço alguém num encontro casual
    E tudo anda bem, num bate papo informal
    Uma noite quente sugere desfrutar
    Do meu terraço, a vista de frente para o mar
    A noite é uma criança, delícias no café da manhã
    Então o que fazer, já não quero mais saber

    Se como alguma coisa
    Que não devo comer
    Será que tudo que eu gosto
    É ilegal é imoral ou engorda
    Será que tudo que eu gosto
    É ilegal é imoral ou engorda.

  43. Ricardo, vc citou alimentos. Então o que podemos analisar sobre as merendas das escolas publicas, de baixa qualidade, distribuidas no governo municipal do RJ às crianças carentes, de responsabilidade de um tal Indio. E, tb, pelo superfaturamento e pela distribuição farta de informações privilegiadas a um único distribuidor. O tal Indio é vice de quem?

  44. Respondendo a pergunta do jornalista que, aparentemente, não entende nada de saúde pública.
    Trabalho em uma indústria farmacêutica, com regulação de mercardo, e posso atestar que existem problemas GRAVES na promoção de medicamentos.
    É óbvio que a fiscalização traz resultados mais efetivos. Vamos supor que a ANVISA não regulamentasse as propagandas, e como é possível comprar um medicamento de prescrição sem receita, toda vez que você sentisse um resfriado iria correndo à farmácia pedir um antibiótico… Principalmente aquele que o colega de serviço indicou, “porque é ótimo”. Aí lá vai você, somar mais uma cepa de bactérias com resistência e contribui para falta de eficácia dos antibióticos…
    As RDC’s de propaganda da ANVISA são inconstitucionais. FATO. Mas, pergunte a OPAS ou a OMS se a RDC 96/08 está errada… Na verdade é referência no conteúdo.
    A Resolução da ANVISA, nesse caso, não passa de mais um sintoma de um problema maior que, na verdade, é uma adaptação, uma ‘reação inflamatória’, frente a infecção que assola a saúde do país.

  45. Sou da opinião que se deve combater o mal pela raiz. Faz mal para saúde? Então não pode ser comercializado e pronto.
    A Anvisa simplesmente esta passando a responsabilidade de fiscalizar para o cliente. Se o cliente consumir, já foi avisado na propaganda e fim de papo. Livre arbítrio na hora de consumir.

  46. O QUE FAZ MAL REALMENTE A SAUDE DO POVO É A FALTA DE SAUDE PÚBLICA, DE EDUCAÇÃO EM TODOS OS NIVEIS, SANEAMENTO BÁSICO PRA ISSO NÃO TEM DINHEIRO, MAS PRA CRIAR UM MONTE DE CABIDES DE EMPREGOS PRA APADRINHADOS COM AS AGENCIAS REGULADORAS TEM. DAI QUE SO DA ESSE TIPO DE BOBAGENS SAINDO DAS CABEÇAS PENSANTES QUE CAEM DE PARAQUEDAS NESSAS TAIS AGENCIAS, O MAIS DURO É OUVIR ESSE POVO CRITICANDO O TEMPO DA DITADURA, MAS É O QUE TÃO TENTANDO FAZER É O QUE??? MANDO , FAÇAM E ACABOU. ISSO TEM OUTRO NOME AGORA QUE ELES ESTÃO LA NO PODER?? REVANCHISMO RASTEIRO E TORPE, MAS AS INDENIZAÇÕES DEVIDAS AOS COMPANHEIROS POR TEREM LUTADO BRAVAMENTE CONTRA A DITADURA TA NO BOLSO, ENTÃO TÁ BOM E VAMOS DAR MAIS ALGUMA BOLSA QQ COISA QUE O POVÃO NEM LIGA PRO QUE FAZEMOS COM O RESTO.

  47. Olha só, a Anvisa é de longe uma agencia que sabe oque faz, digo isso porque já fui agente de saneamento. A Anvisa não consegue nem se regulamentar, quanto mais impor regulamentação as coisas. Essas resoluções, leis, tudo fruto de mentes que nunca foram a campo, nunca entraram em fabricas e comercios para verem a rela situação. Em relação a propaganda, porque a propria Anvisa não investe o dinheiro dela em agentes de saneamento e equipamentos que resolvem e ajudam no combate de muitas doenças e problemas doque ficar fazendo anúncios em tv dizendo que está trabalhado. Ex. aúncios de comabate a dengue. Se ao invez de gastar dinheiro , que não é pouco fazendo este tipo de anúncio, poderia investir em agentes que realmente combatem a dengue.

  48. QUANTA PALHAÇADA.

    E O FERNANDO HENRIQUE PSDB

    AQUELE QUEFOI PRESIDENTE

    QUER LIBERAR A MACONHA ETC.

    PROIBIR VIROU SOLUÇÃO DE TODOS OS PROBLEMAS.

    PLACA – OFERTAS – QUENTÃO – ETC. ……PEIDAR….????

    SERA QUE O SERRA VAI LIBERAR A MACONHA ?…

    E O AMIGUINHO KASSANBA AGORA VAI DOBRAR O IPTU

    DOS IMOVEIS VAGOS ATÉ 15% DO VALOR DO IMOVEL VALE P/ TERRENOS TAMBEM.

    E EM 5 ANOS O KASSANBA PODE TOMAR CASAS VAZIAS E PAGAR COM PAPEIS DA PREFEITURA.

    GOSTOU

    CASO ELEITO…. DEUS NOS LIVRE DESSA MAUDIÇÃO..

    SAI SATANAS

    OS LOUCOS VÃO PROIBIR RESPIRAR?…VC DUVIDA????

    1. Caro Picot,

      Não estou defendendo FHC e sim no que acredito, inclusive, esse tema foi base de sugestões enviadas a Fernando Henrique Cardoso e, posteriomente, ao presidente Lula. Sei que não “emplaca” porque a grande maioria ainda é contra, mas eis o que penso:

      1º) A força do tráfico de drogas está no seu poder econômico e a proibição é um forte alimentador dessa força, o que dá condições aos traficantes terem armas mais avançadas que a própria polícia; poder de corrupção nas autoridades públicas, em todas as esferas.

      2º) O grande mal da droga é que os traficantes aliciam menores, corrompem e os tornas viciados para os seus propósitos: ou vira um traficante ou futuro usuário. É preciso lembrar que uma criança de 9 ou 10 anos não tem consciência nenhuma do que é bom ou ruim.

      3º) A violência que isso traz a sociedade: um viciado que já não tem mais recursos, parte para a criminalidade, isto é, começa a roubar até que num certo dia, diante de uma reação da vítima, passa a ser um assassino. Quantas filhos de boas famílias se tornaram delinquentes? E os pais de família que perderam a vida num roubo, justamente para que o viciado sustentasse o seu vício?

      A União Soviética foi a maior potência miliar que já existiu na história da humanidade e caiu sem nenhum tiro: a decadência econômica fez o trabalho, e é isso que é preciso fazer em primeiro lugar para começar a tratar os viciados, ou seja, acabar com o poder enconômico que existe nesse comércio ilícito.

      Por isso eu defendo um programa de governo que ofereça aos usuários cadastrados, por meio de postos de saude, a droga e o tratamento psicológico que tem como objetivo a cura do vício.

      Jesus Cristo disse: “quando alguém lhe forçar a andar uma légua, vá com ela duas” – é a Sabedoria de Deus – se fizer isso, com certeza, quem estiver forçando, não vai nenhuma.

  49. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), como o próprio nome diz, vigia a saúde da população. Por enquanto, trabalha no campo, fiscaliza as condições de higiêne, qualidade, fatores que podem causar risco à saúde – seja na industrialização, armazenamento, distribuição e comercialização.
    Por enquanto.
    É bom? É bom.
    Tava um bebado sentadinho na porta de um boteco quando começou a passar uma procissão. Coroinhas na frente, o padre, um andor com a Santa, quatro acólitos a carregar, a turma da bandinha puxando o coro, (“Comadre Maria/ que bicho deu hoje?/// Ave, Ave…. avestruz”, ou coisa parecida). E o povo atrás acompanhando e cantando.
    Foi quando o bebado levantou e gritou:
    ___ Olha a Mangueira ai, gente !!!!
    Todo mundo olhou feio pra ele, pagão atrapalhando a fé alheia.
    Mas ele insistiu, gesticulando e tropeçando:
    ___ Olha a mangueira ai, gente !!!!
    Resolveram ignorá-lo.
    Dai que a Santa bateu nos galhos da mangueira e caiu ao chão, pra desespero dos fiéis.
    O bebado ficou inconsolável e foi tirar satisfação com o padre:
    ___ Eu não avisei sobre a Mangueira???

    Pois é, tem coisa que, no ânimo dos acontecimentos, a gente não avalia a extensão do prejuízo.
    Digo isso, porque, se por um lado tem razão a Anvisa e os seus defensores de que alguns alimentos, pela qualidade dos produtos ou pelo excesso deles, fazem de fato mal à saúde.
    Viver é perigoso, até água em excesso mata – taí os afogados pra comprovarem.
    Pois bem…
    Excesso de Anvisa também faz mal.
    Digo sempre que a gente tem que tomar muito cuidado com essa figura abstrata chamada “Estado”. No caso ela criou a Anvisa, outra figura abstrata, que tem o formato, a personalidade, o comportamento, a alegria e a tristeza dos seus componentes humanos de plantão no momento (o homem tem termo de vida, o Estado é imortal – e como Fenix, quando morre, ressurge das cinzas).
    Dai que os “Lineus Silvas” que compõe a Anvisa hoje estão embuidos de sinceros sentimentos de preocupação com a vida humana, de tal forma que não avaliam o prejuizo que trazem com sua postura: cerceiam a liberdade humana, o e direito de escolha, sagrados principios de que cada um tem de cuidar da própria vida e dar a ela o destino que bem desejar.
    Como diz o profeta: Não estou neste mundo pra fazer as tuas coisas, não estou neste mundo pra fazer teus gostos, não estou neste mundo pra atingir os teus interesses… Cada um é o que é, produto da experiencia vivida, do pensamento pensado. Se a gente se entender muito que bem, vamos festejar. Se a gente não se entende, um abraço, sem mágoas, e cada um cuida da própria vida.
    Tou foda hoje! Deve ser porque acordei tarde…
    Então a Anvisa não pode perder de vista a finalidade para a qual foi criada. Se tornar um Gulag, a gente faz a comida em casa e mete muito ovo, bacon, gordura saturada, acuçar, o diabo a quatro pra desafiar os limites da existência; ou compra produtos no Paraguai, esse país sempre a frente dos nossos gostos e interesses por preços módicos…

    Mudando de assunto – porque não dá pra ficar sem comentar.
    Agora o Morrinho arrumou um Indio pra se posicionar como vice. Como a própria figura afirmou: fui pego de tangas !!! Até o próprio se surpreendeu.
    Como diz o cabloco: agora a vaca deitou…´
    Candidato de olheiras ao modo “Bento Carneiro”, o vampiro brasileiro inovou, diz que “comprou” (e até acredito que comprou mesmo) o companheiro pra atrair os jovens. Bem, a desculpa é bonita, mas todo mundo sabe que a realidade é outra… só mesmo sendo indio de tangas pra entrar numa canoa que vai afundar antes de atravessar a lagoa.

    Um abraço Cidadão K, e a todos os balaeiros, assunto bom é assunto ameno…

  50. Respondendo a sua pergunta, o anúncio faz mal sim à saúde, pois influencia direta e indiretamente o consumo. Falar em censura é hipocrisia e se propaganda não funcionasse ninguém gastaria a fortuna que gira nesse meio publicitário. Basta observarmos a redução drástica do tabagismo no Brasil após medidas semelhantes. Concordo com a regulamentação da ANVISA, devendo ainda banir esses ditos alimentos das cantinas escolares. A indústria alimentícia pratica um capitalismo selvagem investindo rios de dinheiro em publicidade de guloseimas (que não são alimentos) dirigida principalmente ao público infantil, e é sim um dos resposáveis pela epidemia de obesidade em todas as faixas etárias. Falo como médico endocrinologista pediátrico pois lido com crianças obesas, hipertensas, dislipidêmicas, sedentárias que terão um futuro doente com baixa qualidade de vida e redução da expectativa de vida.
    É interessante perceber que a mídia, ao invés de aplaudir tal medida, adora falar em censura, remoendo os períodos da ditadura. Será porquê quem mantém os veículos de comunicação são justamente a publicidade….ahh bom!

  51. Se não for assim nos alimentos sugiro a retirada de “notas” e fotos nos maços de cigarros. A ANVISA esta certa, o consumidor que é leigo em saber os males no consumo da quantidade desta ou daquela substância, vai então saber o que provoca o consumo desta substância. Eles (fabricantes) têm a liberdade de produção e nós consumidores teremos a liberdade de querer ou não este produto…isso é DEMOCRACIA sr Kotscho…ainda bem que nós não vivemos em CUBA.

  52. Recentemente, resolvi inventar e criar um leite
    feito de creme de leite, dissolvido em agua,
    para fugir do excesso de açúcar do “leite” em caixinha.
    Pior a emenda que o soneto.
    O leite ficou com forte gosto de sal e a minha pressão foi a 18
    com o excesso de sódio que tem o creme de leite.
    O que mata não é a vida sedentária porque se
    voce ficar sentado e não comer morre de fome.
    O que mata é alimento que voce come carregado de
    sódio, açúcar e outras químicas, sem nenhuma fiscalização,
    sem nenhuma punição.
    Voce já leu a quantidade ingredientes químicos que vai numa salsicha?
    Em qualquer documentário de 30 anos atrás da para ver que a população era magra.
    Porque comia alimentos em natura.
    Alguém pode dizer; hoje se vive mais.
    Hoje se vive mais porque a população tem mais acessos a saneamentos básicos,
    serviços médicos e hospitalares e porque não dizer, melhor alimentação.
    O gordo é um cara hidratado. Ela passa vida tomando soro fisiológico (agua, açúcar e sal).
    Começa no café da manha, café com açúcar, pão com excesso de sal.
    Continua o dia com refrigerantes e bebidas alcoólicas. (agua, açúcar e sal).
    Para não engrossar o texto não vou falar das gorduras e de outros sais
    adicionados aos alimentos para melhorar o paladar e viciar o cidadão em comer.
    Para manter o peso, a saúde, não precisa muito esforço, horas e horas em exercício.
    Basta se movimentar, trabalhar e uma alimentação saudável.
    Se quer ostentar musculaturas, o glúteo, ai é outro assunto.

  53. Sou a favor da liberdade total individual, desde que terceiros não sejam prejudicados. Se quero fumar, se quero beber, se quero consumir quilos de chocolate, isto é um problema só meu. E estendo esta análise para as drogas ilícitas, que se liberem e regulamentem todas!

    E antes que os desavisados me alertem que posso causar prejuízos para a saúde pública, informo que estes produtos já são muito bem taxados, ou seja, meu custo com eventual tratamento já está sendo pago por mim mesmo.

    Mas, a população deve, sim, ser avisada de que o produto faz mal. Informação nunca é demais. Cigarro faz mal, refrigerante faz mal? Ambos fazem! Que contenham avisos deste fato na publicidade!

    Quem consumi-los o fará ciente de que há riscos. Será um consumo calculado, pesando prós e contras. Portanto, sou totalmente a favor da determinação da ANVISA e contra qualquer proibição.

  54. Cristiano.
    Eu prefiro que voce não pague imposto e não me
    atropele no meio da rua porque encheu a cara
    de cerveja. Não quero receber o seu seguro.
    Não quero respirar a sua fumaça mesmo a quilômetros de distancia.
    Quer fumar, quer beber, cheirar em paz?
    Vai morar na lua.
    La voce não prejudica ninguém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *