Na final da Copa São Paulo, o melhor do nosso futebol

Na final da Copa São Paulo, o melhor do nosso futebol

E o São Paulo é campeão invicto da Copinha: 3 a 0 nos penaltis, depois de um empate de 1 a 1 no tempo normal. 

Foi tão sofrido que o choro sentido do jovem e corajoso técnico Sergio Baresi ao comemorar o título acabou sendo a melhor imagem de um futebol com garra, talento e vergonha na cara de uma molecada que não joga só por dinheiro, mas ainda tem amor à camisa. 

O garoto herói Richard pegou três penaltis, Ronieli fez um gol de placa, já no final da partida, e a torcida tricolor pode novamente sentir orgulho ao sair pela rua com a sua camisa.  

Há esperanças. Sorte de quem acordou cedo neste aniversário da cidade de São Paulo para ver um dos mais belos e emocionantes jogos de futebol dos últimos tempos. Dribles, ousadia, chutes de qualquer distância _ os dois times procurando o ataque do primeiro ao último minuto de jogo, a decisão nos penaltis, teve de tudo. A meninada do Santos e do São Paulo mostrou na final da Copa São Paulo, no Pacaembu, o melhor do nosso futebol.

O Santos saiu na frente, aos 18 minutos, com uma tabelinha que lembrou Pelé e Coutinho, entre Alan Patrick, um craque com a camisa 10, e Renan Mota, que tocou na saída do goleiro. Dirigido pelo ex-zagueiro Narciso, o Santos não recuou, continuou no ataque com um futebol rápido e liso, assustando o São Paulo, que não conseguia repetir as atuações anteriores. Em campanha memorável, o time chegou à final depois de vencer sete partidas em sete jogos, com cinco goleadas, marcar 28 gols e sofrer apenas dois.

Seria uma grande injustiça não levar pela terceira vez o caneco da Copinha para o Morumbi, mas só aos 40 minutos do segundo tempo Ronieli acertou um inacreditável chute de fora da área, empatando o jogo, ao bater de primeira no angulo, sem chances para o bom goleiro Rafael.

O São Paulo ainda teve várias chances para decidir o título no tempo normal, mas aí foi a vez do goleiro Richard defender três penaltis seguidos, mostrando que também tem condições de ser promovido para o time principal, junto com o zagueiro e capitão Bruno Uvini, o lateral esquerdo Felipe, o volnte Casemiro, os meias Marcelinho e Jefferson, os atacantes Ronieli e Lucas Gaúcho, artilheiro do campeonato com nove gols.

Mas a diretoria ainda prefere pagar uma fortuna para Washington e companhia dar caneladas na bola, e investir em jogadores no final de carreira, sem dar chance aos garotos, fazer o quê? Já escrevi aqui e repito: tem que abrir vaga logo para estes meninos no time principal, antes que eles também resolvam ir embora do Morumbi, junto com Oscar, Diogo e Lucas, outros jovens brilhantes revelados pelo São Paulo, que denunciaram o clube na Justiça.

É só trocar o time master pelo juvenil, a turma do CT de Cotia pela turma do CT da Barra Funda, com uns dois ou três reforços dos veteranos, e promover o Sergio Baresi, que ainda teremos muitas alegrias este ano. Pelo menos, poderíamos nos divertir mais, gastando bem menos.

Em tempo:

Os leitores que escreveram ao Balaio criticando uma grave omissão minha no texto acima têm toda razão. Fiquei tão empolgado com a vitória do São Paulo nos penaltis que esqueci de falar de um lance capital do jogo: a falta violenta do goleiro Richard em Renan Mota, que merecia cartão vermelho. Se ele tivesse sido expulso, como deveria, a história do jogo poderia ter sido outra. Perdão, leitores.

 

36 thoughts on “Na final da Copa São Paulo, o melhor do nosso futebol

  1. Deu a logica

    Deixando um recado bem claro, porque o São Paulo e o lugar das galinhas de ouro lapidadas

    Sabe como transformar materia bruta em prima, pela resistencia, dai saiu muitos mais o Kaka que tira a diferença treinando mais

    Ai foi onde conquistou a copinha, seria ate uma injustiça perder essa taça

  2. Olá Ricardo,

    Como santista, é óbvio que não concordo com essa “justiça” que você relata e deveria estar aqui reclamando da pipocada do juiz que não expulsou o goleiro que agarrou os três penaltis do Santos, mas como amante da bola, sou obrigado a concordar que a nova geração de boleiros fazem muito melhor que os veteranos.

    Em tempo: acabo de ler seu livro “do golpe ao planalto” e queria parabenizá-lo pelo relato fiel que faz dos bastidores do poder e das redações, foi relamente uma viagem emocionante, me emocionei muito com o relato da primeira eleição presidencial de Lula em 89, e tive a real dimensão das coisas quando você relata uma frase proferida por um colega, quando ocorre a vitória em 2002: “Agora, você vai conhecer melhor os companheiros”. É isso aí, vida longa.

    Abraços

    Bruno Abud

  3. Que chute, que defesas… Isso sim é futebol, parabéns ao Santos tbm, mas o mérito é da meninada do São Paulo… Jogaram com garra, não vacilaram nem quando levaram o gol. Pena que aqui em CG/MS não é feriado e só pude acompanhar pela narração da internet. Parabéns ao São Paulo, esses meninos são a prova de que temos que investir no futuro, inclusive do nosso futebol.

  4. Caro Ricardo!!!
    Apesar do São Paulo ter faturado a taça são paulo de juniores no dia de hoje,eu gostei muito da participação do meu Santos que não prometia muito e chegou na final. O NARCISO grande treinador da garotada do peixe,fez ótimo trabalho e faltou pouco para sermos campeões.O São Paulo todos nós já conhecemos sua estrutura de treinamento no CT de Cotia e foi mais feliz nos detalhes!!!!
    Parabéns a todos nós que amamos tanto o futebol!!!!

  5. Não tem como não criticar.

    E questão de interpretação, dependende da paixão de quem vê e quer ver.
    Como o meu caro jornalista e amigo Kicardo Kotscho não compactua com o que não lhe convence, creio que ele concordará comigo que o São Paulo é tão grande que assombra até o juíz.

    O inocente e não tão inocente o goleiro do SP abriu duas atenuantes naquela falta que o juiz o agraciou com apenas o Cartão Amarelo. Primeiro foi um sarrafo que poderia quebrar a perno do jogador do Santos, segundo a falta tirou o perigo do gol. Se fosse aplicada a regra a historia da partida poderia ser outra.
    O São Paulo poderia ganhar, tinha time para isso, mas que deixou motivo para tirar um pouco o brilhantismo da final da copinha.

    1. sua senhoria, sabe, ficou temeroso de como vou patrocinar uma injustiça destas punindo este maravilhoso time? Como
      vou compensar o erro de meu bandeirinha no ímpedimento´que resultou em anulaçao anterior do gol de empate?
      Sao ´pequenas coisas de um grande futebol´.

  6. Parabéns a você, e indiretamente a mim, pois é meu clube paulista. Infelizmente, o time principal não está ainda tão entrosado como esta meninada. Volto a afirmar, vamos fazer um mistão, pegar os que mais se sobressairam e formar a equipe principal, como o meu Fluminense fez e, está na liderança do cariocão.
    Os CTs tem muita garotada boa que joga até mais que alguns dinossauros das equipes principais. Temos que trazer aquele futebol ,alegre, irreverente de alguns anos antes.
    Hoje, temos técnica em larga escala, talento em défice ou escondido.
    Senhores técnicos, olhemos para os jovens nas encubadoras. Lembren-se que Pelé surgiu com 17 anos.
    Viva o Tricolor Paulista e o Carioca também!!!

    1. O mercenaríssimo empresario dele MANDOU, ele voltou.
      Mas atençao, diretoria do SPaulo, ´´e preciso em 1º lugar, ter compromisso com “la cantera” [a base].
      Nao adianta gastar grana nela, se o tecnico e a diretoria nao tem compromisso com ela.

    2. Caro Tony, é óbvio que quando se fala em constrangimento ele não é único, só de uma parte. O constrangimento está no ambiente, no ar. Isto ficou claramente refletido em sua fisionomia no treinamento.

      Não há como negar que não há clima para um funcionário quando aciona o empregador na justiça, seja lá por qual motivo seja, ou voce acha que ele foi bem recebido, até pelos demais jogadores?

  7. Caro Kotscho,

    foi um jogaço, mas novamente fomos obrigados a ver uma péssima arbitragem estragando o espetáculo. O goleiro do São Paulo deveria ter sido expulso pela falta cometida fora da área — era o último homem! Seria uma expulsão técnica, qualquer um teria mostrado o cartão vermelho para o rapaz! No final, a sua não-expulsão acabou decidindo o jogo a favor do São Paulo, já que ele pegou três pênaltis na decisão. Lamentável…

    Agora para descontrair um pouco: Carnaval chegando e já estamos sob o reinado de Momo. Que tal recordar o samba-enredo da TFP?

    Reaças de todo o Brasil: esquentai vossos tamborins!!!

    http://botequimdobruno.blogspot.com/2010/01/o-samba-da-direita-nacional.html

  8. Discordo totalmente, um final horrorosa, o Sao Paulo dando pontape ate na alma e o juizao deixou rolar. Fizeram um gol espirita e a molecada do Santos mostrou uma arrogancia incrivel nas cobrancas (assim como ja havia acontecido com a porcada), enfim final bizarra num Pacaembu vazio, uma vergonha esta torcida modinha, se alguem falasse que era final da Copa Sao Paulo de Juniores da Libertadores, ai aparecia um monte de Patricinha. MEDIOCRES!!!!

  9. Grande palhaçada o senhor fazer um post sobre a final da Copa São Paulo e nem sequer citar o lance em que o goleiro do São Paulo deveria ter sido expulso. O senhor poderia até discordar, mas nem citá-lo foi de uma parcialidade grotesca. Prefiro quando o senhor escreve sobre política ou “histórias do Brasil real”. Grande abraço.

  10. Concordo contigo, Kotscho. Acho que Washington e Dagoberto são bons jogadores, mas sabe quando não dá certo? Então, não deu. Acho que agora era a hora certa de colocar os garotos pra treinar e jogar no paulista com o time titular. Não adianta colocar lá no final do campeonato brasileiro, como fizeram ano passado com o Oscar – ignoraram o sujeito o ano inteiro e, de repente, colocam ele na fogueira, só faltando cantar “Oscar, faz um milagre em mim”…

  11. Estimado sãopaulino e aí contente?

    Bem voltei agora e o papo ainda é o futebol!

    Tá bão, vamos lá:

    Ricardo no futebol, na política e no campo da religião, poucas coisas beiram ao razoável.

    Por que você torce por algum time?

    Os times de futebol, de fato, todos fazem exatamente a mesma coisa e têm os mesmos objetivos que são os de ganhar os jogos em busca dos títulos. Um ano ganha um, no seguinte um outro e você continua torcendo independentemente de saber se o seu time de predileção tem um elenco à altura de competir ou não, e mesmo às vezes sabendo da inferioridade dos seus atletas sempre que inicia um campeonato o torcedor de futebol fica a espera de um milagre, bem, certo estava o sujeito que disse que o futebol não segue a lógica!

    Os times e suas torcidas!

    São divididos em facções, chamadas torcidas, onde sempre os “fiéis” de um vêem o outro como rival e em determinadas situações chegam mesmo a odiá-los e atacam torcedores de times rivais na maioria das vezes de maneira cruel e covarde.

    Em religião não é diferente disto. Todas têm o mesmo objetivo, têm as suas facções, que neste caso aqui são os adeptos, onde normalmente o adepto de uma não gosta das outras, e assim como no futebol as vêem como rivais, até mesmo inimigas, contrárias ao “Deus” da sua concepção, chegando até a promover guerras para destruir os seus seguidores, conforme está registrado na história da humanidade.

    A Religião obriga, proíbe, impõe, cerceia o direito de opinião das criaturas, não costuma respeitar a Liberdade das pessoas, diz o que elas devem e que não devem ler e em grande maioria não suportam que os seus adeptos estudem demais, pesquisem, façam suas buscas, questionem e muito menos discordem. Quanto mais desinformado o seu adepto, melhor. Assim também funciona nos bastidores do futebol!

    Bem e quanto a política?

    Política?

    “Isto hoje em dia dispensa comentários!” Pra se falar em política deve-se primeiro retira as crianças da sala!

    Então voltemos ao futebol!

    Veja que fato interessante: “O seu time foi campeão?”

    Foi!

    Valeu?

    Bem isso é só você quem sabe!

    Pra você, e eu digo isto do torcedor de uma maneira geral, não importa se foi justo ou injusto, se o seu time jogou melhor ou não, se o juiz interferiu no resultado da partida ou não, se a matemática ou o placar correspondeu com a lógica ou não, pra você o que importa é que o seu time de predileção foi campeão!

    O ser humano é interessante não é Kotscho?

    Abraços fraternos e parabéns pelo título meio que seja com um valor estranho!

    Manoel Ferreira

  12. Ricardo, será que a diretoria do São Paulo estaria embolsando parte do salário desses jogadores que ganham muito: Washington, Rogério Ceni…, assim como fazem os políticos quando contratam assessores para o seu gabinete? Porque não há razão para insistir com esses jogadores qie já deveriam ter encerrado suas carreiras. Sempre gostei muito do Rogério, mas acho que já passou da hora dele largar o “osso” e deixar os excelentes companheiros ocuparem o posto. E também, FORA presidente Juvenal Juvencio.

  13. É verdadeiro o dito popular “ninguém é perfeito”. Comprovação prática da regra: o grande ser humano e melhor jornalista deste país Ricardo Kotscho é sãopaulino. Fosse ele corintiano, como seu amigo Lula, e poderíamos dizer que a perfeição existe. Abraço.

  14. Ricardo, concordo que o goleiro Richard deveria ser expulso, o que poderia modificar o resultado do jogo, mas, há de se levar em consideração que o Narciso (técnico do Santos), que deveria tranquilizar o time antes das cobranças dos tiros livres na marca de penalti, fez justamente o conrário com a discussão que teve com o árbitro, provocando a própria expulsão. Portanto, a garotada do Santos, teve dois ”inimigos”: o arbitro e o próprio técnico. Os dois gols durante a partida, foram uma pintura. E o técnico do São Paulo, mostrou muita personalidade, pela coragem de sacar o Lucas Gaúcho, tido como o melhor do time durane o campeonato, um goleador, mas que na decisão não foi bem. Todavia, o goleiro foi o principal jogador do São Paulo, pegou tudo, não deu uma única chance sequer ao adversário. Parabéns à garotada, que mostrou muita garra, para que sirva de exemplo ao ”time de cima” que anda mal das pernas, ganhando apenas do último colocado São Carlos, que até então não ganhou de ninguém.

  15. Esqueci de parabenizar o meu São Paulo F.C. por ter sido Campeão da copa São Paulo de 2010, aliás, o primeiro do ano.
    Esqueci também de dizer que meu comentário acima, foi direcionado especialmente ao meu amigo Ricardo Kotcho e aos balaieiros, não foi somente ao ”Ricardo” que também comentou neste espaço.

  16. De operação em operação caminha o tricolor.

    Operaram o pobre Santos, mas fazer o que né.

    Não devemos desmerecer a estrutura sãopaulina, e tem moleque que está querendo sair de lá, entraram com advogado e tudo pra desfazer os compromissos com o tricolor.

    O mulecada burra sô. Sossega no tricolor turma !
    Tem cara sonhando com o Real e não cai na real, o melhor time pra se jogar é o São Paulo.

  17. Vcs todos, principalmente o blogueiro, são uma verdadeira mostra da vergonha que foi o resultado dessa copinha! O goleiro que deveria ter sido expulso se tornou um herói elogiado por todos. Imagino eu, o profissional que vcs estão ajudando a moldar!… Que pequenez…!

    1. Realmente, que pequenez…..

      Onde já se viu, um time juvenil, ainda com jogadores em formação usar da velha e rançosa “milonga praiana”, muito mais a caráter dos platinos.

      Como pode ter um goleiro que já aos cinco minutos de jogo começar a praticar a chamada “cera”. Andava prá lá, trotava prá cá, chutava a bola pra longe; colocava fora do lugar do tiro de meta, etc…. estava mais do que na cara para que deve ter vindo. Depois do seu gol então, ficou mais do que latente, com a complacência do juiz. Qualquer encontro, esbarrão, caia ao chão.

      E o “cai-cai” então. Foi ultrajante. No mínimo o carrinho da maca entrou em campo uma duzia de vezes para retirar jogadores do Santos que ao chegarem fora de campo, já levantavam, lépidos, pedindo o retorno ao campo. Sinal de que foram muito bem orientados pelo “macaco velho” Narcizo.

      Coisa rançosa, fora de moda, praticada pelos platinos lá pelos idos dos 50/60.

      Realmente, é muita pequenez praticada por um bom time diga-se de passagem, que encontrou o melhor do campeonato pela frente que, embora não tenha feito um bom 1º tempo, se redimiu no 2º, quando poderia ter liquidado a fatura sem a necessidade dos penaltis.

      Quanto a falta do goleiro Richard, vejo todos os dias lances iguais a estes nos profissionais. Lance interpletativo. Teve comentarista que falou que até não houve falta, foi um encontrão; outros que era para amarelo, outros, vermelho; ou ainda, que já havia dois zagueiros do SP na jogada. Ficou a critério da opção do juiz, que, errado ou não, interpletou de um jeito. Isto não desmerece a qualidade do goleiro, que levou apenas 3 gols em 8 jogos, e defendeu 3 penaltis na final.

      Resultado justíssimo, pelo que foi toda a Copa, 29 gols a favor e apenas 3 contras, além do artilheiro. Futebol tem a sua lógica também.

      O resto, é esperneio justificável.

  18. É, se o seu pedido de desculpa vale, o do Arruda vale tambem? O roubo em campo é igual o da politica tem sempre um lado reclamando e o outro comemorando.

  19. Kotscho,

    Se o seu amigo Clóvis Rossi tivesse lido esse seu texto, antes do “Em tempo” apropriado, ele certamente lembraria aquele episódio relatado no livro sobre jornalismo, em que o Rossi destacou você para cobrir uma partida do Tricolor contra a Portuguesa, o nosso time perdeu, e, quando você escreveu sobre o jogo, esqueceu de mencionar a lusinha, né? Essas coisas acontecem. E você sempre deixou claro que não é repórter esportivo, sempre escreveu sobre isso com paixão, ou seja, sobre o glorioso SPFC.

  20. Interessante: Não sei se o meu pc ou provedor, está dando pane, desordenando algumas palavras e pondo letras maiúsculas onde não deve. Isso só acontece quando entro para comentar nos blogs. Desculpem meus amigos por essas falhas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *